Passos da Paixão - Capítulo 25 - WebTV - Compartilhar leitura está em nosso DNA

O que Procura?

HOT 3!

Passos da Paixão - Capítulo 25

Novela de Édy Dutra
Compartilhe:
Troque a Fonte Aqui



 


PASSOS DA PAIXÃO - CAPÍTULO 25

 
 
 
 
 
NO CAPÍTULO ANTERIOR:
 

SÍLVIA (ao telefone): - Júlio, eu já estou aqui no Riocentro, calma! (pausa) Sim, estou levando as roupas do desfile. (pausa) Estou indo o mais rápido que eu posso, mas é muita gente aqui!

De repente, Sílvia esbarra em outra pessoa, deixando cair à sacola com as roupas no chão.

SÍLVIA: - Desculpa, moça! Eu não vi que você estava vindo e (pausa) Rosana!

Rosana encara Sílvia.

ROSANA: - Finalmente, hein, Silvinha... Bem-vinda ao Rio Moda. Seu primeiro e último, com certeza.


As duas ficam a se encarar.

 

 

 

CENA 01. RIOCENTRO. INT. DIA. 

Continuação do capítulo anterior. Rosana e Sílvia ficam a se encarar.

ROSANA: - Preparada para a sua derrota pública?

SÍLVIA: - Não vim aqui para guerrear com ninguém. Apenas mostrar o meu trabalho. E você? Vai finalmente mostrar o seu trabalho?

ROSANA: - Aguarde e verá! Só o fato de ter o nome de Rosana Gonzales, a crítica toda se rende aos meus pés.

SÍLVIA: - Cuidado, Rosana. Não basta ter nome. É preciso ter competência.

ROSANA: - E você precisa ter amor à vida. Me afrontando desse jeito.

SÍLVIA: - Você realmente virou uma louca...

ROSANA (segura Sílvia pelo braço): - Não ouse me atrapalhar, Sílvia. Faça o que eu vou te pedir. Não entre com a CarioLinda no desfile. Você vai se arrepender.

SÍLVIA: - Eu já estou arrependida de ter te ajudado. De certa forma, eu contribui para criar essa pessoa sem alma que você virou. Eu vou entrar com a CarioLinda sim e finalmente mostrar o meu trabalho para todo mundo. O meu trabalho com o meu nome!

Sílvia se solta. Pega suas coisas e sai. Rosana a observa.

Enquanto isso, no backstage dos desfiles, muita movimentação de modelos, maquiadores, produtores. Gaby está nervosa. Duda e Pedro estão juntos com ela.

DUDA: - Calma Gaby, vai dar tudo certo. Relaxa!

GABY: - Ai guria, eu to tremendo feito vara verde!... Bah, imagina se eu caio no meio da passarela? Que vergonha!

PEDRO: - Pensa positivo, Gaby. Você vai arrasar. Minha tia disse que você tem talento.

GABY: - A tua tia é um amor, Pedro. Adoro ela! Me deu a maior força. Se não fosse ela, não estaria aqui.

DUDA: - Bom quando a gente tem esses apoios importantes.

PEDRO: - Você também vai conseguir um apoio bacana, Duda. Sua hora vai chegar.

Pedro abraça Duda bem no momento em que Talles chega no local.

TALLES: - De novo você e esse cara, Duda? Agora ele fica te abraçando também? Que palhaçada é essa?

DUDA: - Calma, Talles, fala baixo! Sem escândalo aqui.

PEDRO: - Eu não fiz nada demais, Talles. Apenas abracei a Duda, como amigo.

TALLES: - Eu sei bem qual é a tua neguinho. Não chega mais perto dela não! Ela é a minha garota, ta legal?

GABY: - Talles, para!

DUDA: - Não fala assim com o Pedro!

TALLES: - Eu falo com esse escurinho do jeito que eu quiser. Ele precisa aprender a não se meter com a namorada dos outros.

PEDRO: - Escuro é o seu pensamento preconceituoso, Talles. Tenho pena de você por isso.

DUDA: - Eu já não tenho pena não, Pedro. Tenho nojo, vergonha, repulsa. Você não é meu dono, portanto, não sou a sua garota... Quando eu precisei de você, nos momentos mais difíceis que eu passei, eu fui trocada por uma prancha e umas ondas na Barra da Tijuca. Você nunca gostou de mim de verdade, Talles. Eu sou a sua garota apenas quando lhe convém.

TALLES: - Não é verdade!

DUDA: - É verdade sim!... (pega Pedro pela mão) Vamos sair daqui, Pedro. Deixa esse idiota, preconceituoso, infantil. Nunca mais olha na minha cara, Talles. Nunca mais.

Duda e Pedro saem.

GABY: - Você sempre arrumando confusão, Talles. (se afasta)

TALLES: - Esse garoto me paga... Ele vai ter o que merece.

Do lado de fora dos pavilhões, caminhando pelo estacionamento, Guilherme acompanha Celeste. Os dois caminham de mãos dadas. Leocádia os acompanha.

LEOCÁDIA: - Não sabia que você gostava de moda, Guilherme.

GUILHERME: - Nem eu sabia, dona Leocádia. A Celeste me convidou e eu decidi aceitar. Faz bem conhecer coisas novas.

CELESTE: - Você vai adorar, Gui. Tem muita coisa bacana. E hoje tem o desfile da GF. A Rosana vai mostrar a nova coleção guardada a sete chaves.

LEOCÁDIA: - Só quero ver o que ela vai aprontar dessa vez...

GUILHERME: - Por quê? Ela não é boa?

LEOCÁDIA: - Não, eu não quis dizer isso... Mas, vamos indo, para pegarmos um bom lugar.

Os três passam pelo carro de Estér. Leocádia acena, Estér retribui. Acompanhando Estér, está Marcinha.

MARCINHA: - Quem é, tia?

ESTÉR: - Leocádia Gonzales. Ela é mãe do Mauro Gonzales, dono da GF. Aquela lá é a filha dela, Celeste. E aquele rapaz... Ele não me é estranho. Já o vi em algum lugar... Pelo visto é o namorado da Celeste.

MARICNHA (observando Guilherme): - Hum...

ESTÉR: - Bonito rapaz, não? Até que eles formam um belo casal.

MARCINHA: - Sim... E a vovó, será que já está aí?

ESTÉR: - Duvido. Ela ainda nem tinha saído da mesa do café quando a gente saiu lembra? E olha que nós passamos no shopping ainda!... Sua avó demora horrores pra se arrumar. Vamos? Seu pai deve estar nos esperando no stand da empresa.

MARCINHA: - Vamos sim.

Dentro do pavilhão, no stand da Áurea Calçados, Fernando e Marília conversam, quando Raquel e Adônis vão se aproximando.

ADÔNIS: - Diogo não quis vir de jeito nenhum. Ele anda meio estranho ultimamente.

RAQUEL: - Vai ver moda não é a praia dele, Adônis. Não adianta forçar...

ADÔNIS: - A Áurea Calçados sempre tem o melhor stand da exposição de calçados do Rio Moda.

RAQUEL: - Fernando sempre fez questão disso. Ele é muito caprichoso no que se refere à divulgação da empresa. Admiro esse talento nele.

ADÔNIS: - Você admira tanto o Fernando...

RAQUEL: - Nada fora do normal, Adônis. Ele é um ótimo profissional. E também é meu amigo, pai da minha filha... Não precisa ficar com ciúmes.

ADÔNIS (disfarça): - Não estou com ciúmes... Até porque, eu estou muito feliz que ele agora arrumou outra mulher. Aliás, uma mulher muito bonita por sinal.

Raquel vê Fernando e Marília. Os dois trocam um beijo. Raquel disfarça o olhar.

RAQUEL: - Olha aqui esse sapato, amor...

Raquel e Adônis vão até uma das bancadas de exposição onde diversos sapatos estão expostos. Do outro lado do stand, Valquíria conversa com Bruno.

VALQUÍRIA: - Você já fez a surpresa pro Fernando com aquela gravação que eu te dei?

BRUNO: - Ainda não. Mas ele não perde por esperar.

VALQUÍRIA: - Bruno veja lá o que vai fazer hein!

BRUNO: - Deixa comigo. Eu sei o que estou fazendo.

VALQUÍRIA: - A Raquel chegou! Vou lá falar com ela.

BRUNO: - Por favor, não comenta nada sobre a gravação, está ouvindo? Nada.

VALQUÍRIA: - Tá certo. Você não vem comigo falar com a Raquel e com o Adônis? Eles querem te conhecer.

BRUNO: - Preciso mesmo?

VALQUÍRIA: - Óbvio que sim, Bruno! Você é meu companheiro e eles são meus amigos. Quero que você tenha amigos também e a Raquel e o Adônis são ótimas companhias. Vem...

Valquíria e Bruno vão ao encontro de Raquel e Adônis. Enquanto isso, Fernando e Marília conversam.

FERNANDO: - Daqui a pouco a Estér está chegando com a Marcinha.

MARÍLIA: - A mãe da Marcinha já está aí.

Fernando observa Raquel.

FERNANDO: - A Raquel... Nem a vi chegar.

MARÍLIA: - Pois bem, eu vi quando ela chegou. E desde então, não tira os olhos de você.

FERNANDO: - É mesmo? Eu não reparei em nada... Pra variar, vocês mulheres sempre com essa percepção aguçada.

MARÍLIA (risos): - É instinto acho.

FERNANDO: - E os desfiles, tudo certo?

MARÍLIA: - Tudo sob controle. Daqui a pouco vou dar uma circulada pelos bastidores pra conferir. Mas o Fábio e a Paula estão fazendo isso por mim, por enquanto.

FERNANDO: - Isso significa que você pode ficar um pouco mais aqui comigo, é isso? 

Marília sorri, enquanto é beijada por Fernando.

CENA 02. BAR DO NOEL. INT. DIA.

Laerte conversa com Alceu na mesa do bar.

ALCEU: - Fiquei surpreso quando soube da separação de vocês. Você e a Silvinha pareciam tão felizes.

LAERTE: - Apenas aparência, Alceu. Até o Júlio chegar e acabar com tudo... No início a gente era feliz, muito feliz. Mas bastou esse safado voltar e tudo ruiu!

ALCEU: - Calma, Laerte.

LAERTE: - Difícil ficar calmo vendo sua família se desintegrar por causa de uma pessoa sem valor nenhum. Um homem que esteve preso, um criminoso.

ALCEU: - Desculpa, Laerte, mas você e o Júlio antes eram tão amigos. Você até deu abrigo pra ele. E agora fala isso?

LAERTE: - Eu fui traído, Alceu. O Júlio é um amigo da onça, isso sim. Se aproveitou da minha bondade, da nossa amizade pra me passar a perna... 

CENA 03. RIOCENTRO. INT. DIA. 

No Rio Moda, Júlio e Tereza estão no backstage da CarioLinda, ansiosos pelo desfile. 

TEREZA: - Há anos eu não sentia esse frio na barriga! Participar do Rio Moda é uma emoção indescritível!

JÚLIO: - Se você que já participou está assim, imagina eu que estou estreando!

TEREZA: - E graças a Deus, com o pé direito!... Muito obrigada, Júlio! Tudo isso é graças a você! 

Tereza beija Júlio na boca. De repente, Marília se aproxima. 

MARÍLIA: - Desculpa pessoal!

JÚLIO (disfarça): - Imagina, não foi nada...

TEREZA: - É a emoção! (risos)

MARÍLIA: - Agora vem o desfile da Gonzales Fashion. E em seguida, é o nosso. As modelos já estão preparadas. É só vocês organizarem a ordem de entrada.

TEREZA: - E a Sílvia, onde está? Ela poderia cuidar dessa parte. Faz isso melhor do que eu.

SÍLVIA (se aproximando): - Estou aqui!

JÚLIO: - Ótimo! Silvinha cuida da entrada das modelos na passarela?

SÍLVIA: - Claro! Vou fazer isso agora.

MARÍLIA: - Vou com você. 

Marília e Sílvia se afastam. 

JÚLIO: - Sobre o beijo, eu (pausa)

TEREZA: - Não precisa dizer nada, Júlio. Eu sei que foi uma coisa que nós dois queríamos. Esse beijo significa muito pra mim... Mas agora eu não consigo pensar em outra coisa senão no desfile...

JÚLIO: - Claro... Eu vou olhar a GF. Quero ver o que eles têm de bom pra mostrar.

TEREZA: - Eu vou ficar aqui. Preciso relaxar, senão explodo! 

Sílvia e Marília caminham pelos bastidores. 

MARÍLIA: - Fiz uma mancada daquelas agora...

SÍLVIA: - O que foi?

MARÍLIA: - Tive que interromper um beijo daqueles de cinema do Júlio e da Tereza... 

Sílvia fica um tanto sem jeito, mas tenta não demonstrar. 

SÍLVIA: - É mesmo?

MARÍLIA: - Sim! Beijão mesmo!... Eu não sabia que eles estavam juntos.

SÍLVIA: - Nem eu... Vai ver é recente.

Enquanto isso, na passarela, as pessoas se organizam nas fileiras para acompanhar o desfile da GF. Na primeira fila, Estér, Marcinha, Sandra, Karina e Selma. Gilson se aproxima.

SELMA: - E então, meu amor, tudo pronto pro desfile?

GILSON: - Acredito que sim, Selma. Eu não fui lá atrás pra saber como as coisas estão. A coleção deste ano foi mantida em segredo. A Rosana e a Melissa fizeram tudo praticamente sozinhas.

MARCINHA: - Essa Melissa foi a que ganhou a seleção de talentos, não foi?

GILSON: - Foi sim. Conhece?

MARCINHA: - Sim, já ouvi falar... (cochicha com Estér) Parece que essa garota, roubou os desenhos da Duda e usou como se fosse dela, na seleção.

ESTÉR: - É mesmo? Meu Deus, que mau caráter!

MARCINHA: - A Duda ta possessa, coitada. Perdeu uma grande chance...

SANDRA: - Estou ansiosa para ver a coleção deste ano. Você vai ver, Karina, a GF sempre arrasa nos desfiles.

KARINA: - Eu já estou encantada sem nem ter visto nada ainda!... Obrigada, Sandra, por me dar essa oportunidade.

SANDRA: - Imagina, não precisa agradecer não. Somos amigas, não somos? Bom aproveitar esses momentos juntas.

Nos bastidores do desfile da GF, as modelos vestem as roupas da coleção. As peças são feias. Rosana e Melissa estão um pouco afastadas das modelos.

ROSANA: - Não vejo a hora desse desfile passar. Quero ir pro aeroporto!

MELISSA: - Só porque está chegando perto da nossa viagem, o relógio não anda...

Mauro caminha por entre as modelos, perplexo com o que vê. Ele avista Rosana e Melissa e vai diretamente falar com elas.

ROSANA: - Mauro, querido! Pronto para o sucesso, mais uma vez?

MAURO: - E você acha mesmo que vamos chegar ao sucesso com essa coleção? Rosana, eu nunca vi a Gonzales Fashion tão... tão... feia!

ROSANA: - Mauro! Assim você me ofende e também ofende o meu trabalho e o trabalho da Melissa... Nós nos esforçamos tanto para esse desfile.

MAURO: - Pelo visto o esforço não foi o suficiente...

MELISSA: - Olha só doutor Mauro, a GF já tem um nome consolidado no mercado. O que entrar na passarela, é sucesso, cai no gosto do povo. Pode acreditar.

MAURO: - Por nós termos um nome consolidado, a gente precisa mostrar algo realmente bom. E essa coleção não está no nível da minha grife... Acho que vou cancelar o desfile.

ROSANA: - Nunca! Jamais! Está louco, Mauro? Isso sim vai ser prejudicial para a GF. Nós somos a grande estrela deste evento, sempre foi assim. Relaxa... Vai dar tudo certo.

Um produtor do evento se aproxima deles.

PRODUTOR: - Já vai começar.

MAURO: - Obrigado.

O produtor se afasta.

MAURO: - Eu vou lá pra passarela para assistir ao desfile...

ROSANA: - Vai, meu amor... Eu e Melissa ficaremos aqui para entrar triunfantes no final do desfile.

Mauro se retira, um tanto desconfiado.

ROSANA (a si mesma): - Me esquece um pouco, Mauro...

MELISSA: - O que você disse, Rosana?

ROSANA: - Nada, querida. Falei para irmos lá pro fundo, vamos?

Rosana e Melissa saem, seguem caminhando por entre as modelos.

Na passarela, Mauro senta-se ao lado de Leocádia, na primeira fila.

LEOCÁDIA: - E então, meu filho, como estão as coisas?

MAURO: - Eu só peço que pelo menos o desfile ocorra sem nenhum imprevisto, mamãe. Porque em termos de produção, a GF vai ficar devendo...

As luzes do pavilhão se apagam. Há luz apenas na passarela. Começa o desfile da GF. Já na primeira roupa que entra no desfile, os burburinhos começam. Mauro está sente-se incomodado.

SELMA (cochicha com Sandra): - Que vestido estranho...

SANDRA: - Eu esperava coisa melhor.

As vestimentas subsequentes não apresentam nada de beleza. Formas estranhas, cores que não combinam.

LEOCÁDIA: - Meu Deus! A Rosana destruiu a coleção da Gonzales Fashion! Que horror!

MAURO: - Nunca pensei que um dia isso fosse acontecer.

CELESTE: - Nossa, como a GF está feia!

GUILHERME: - Deve ter acontecido alguma coisa. Você me mostrou fotos dos outros desfiles e tinham roupas legais.

O desfile termina. Rosana e Melissa, se sentindo poderosas, entram na passarela, à frente das modelos. A música cessa. Ninguém aplaude. Silêncio no pavilhão. Rosana se mostra surpresa.

MELISSA (cochicha): - Não era agora que viriam os aplausos?

ROSANA: - Não acredito... (a todos) Gente, não vão me aplaudir não? Não gostaram do desfile?! Que falta de educação não aplaudir a obra de um artista!

Silêncio.

De repente, alguém começa a bater palmas. Apenas uma pessoa. Rosana vira-se para ver quem é.

ROSANA: - Finalmente alguém educado neste evento...

Rosana se surpreende ao ver que é Júlio quem bate palmas, vagarosamente. Os dois ficam a se encarar. Júlio sorrindo, cínico. Rosana sai apressada da passarela, empurrando as modelos para passar. Melissa a segue. Novo burburinho no local. Mauro sobe na passarela.

MAURO: - Pessoal, eu gostaria de pedir desculpas para todos que vieram aqui a fim de ver um desfile de porte, grandioso, como é de costume da Gonzales Fashion. Mas, como viram, este ano não conseguimos reproduzir a beleza que sempre mostramos aqui... Peço que compreendam a nossa situação... E... obrigado pela presença.

Mauro se retira, indo para o backstage. Nos bastidores, Rosana caminha de um lado a outro, nervosa.

ROSANA: - Júlio, canalha! Cínico!

MELISSA: - O que foi, Rosana?! Por que você está assim?

ROSANA: - Me deixa, Melissa! Eu preciso ficar sozinha.

MAURO (se aproxima): - Mas antes de ficar sozinha você vai me ouvir.

Melissa sai. Rosana encara Mauro.

ROSANA: - O que é, Mauro?

MAURO: - Que palhaçada foi aquela? Que desfile horrível, Rosana!

ROSANA: - Essa gente não entende nada de moda, de modernidade, Mauro! Eu mostrei a evolução!

MAURO: - Você e a Melissa mostraram a decadência, o amadorismo, a feiúra!... Rosana, a Gonzales Fashion estava uma porcaria, será que você não percebeu isso não?

ROSANA: - Eu percebi que você está sendo grosseiro comigo. (saindo)

MAURO: - Rosana, não fuja! Estou falando com você!

ROSANA: - Não estou fugindo. Eu só preciso ficar sozinha...

Rosana sai caminhando. Mauro fica a observá-la. No caminho, Rosana encontra Melissa.

MELISSA: - Ele te deu uma bronca, não deu?

ROSANA: - Mauro acha que meu ouvido é penico. O desfile foi um sucesso.

MELISSA: - Mas ninguém aplaudiu!

ROSANA: - Aplausos não dizem nada! Aguarde logo mais a crítica especializada rasgando elogios e mais elogios...

CENA 04. APTO RENATO E GEÓRGIA. INT. DIA.

Geórgia e Renato estão sentados à mesa. Papéis, fotos, pedaços de tecidos, tudo espalhado sobre a mesa. Geórgia fala empolgada, enquanto Renato se mostra um pouco mais quieto.

GEÓRGIA: - Essas fotos na lagoa ficaram incríveis! Dá até pra fazer uma dessas ampliada e colocar na parede do quarto... (pega uma foto) Essa aqui! O que acha, amor?

Renato não responde, olhos fixos em algum lugar, quieto.

GEÓRGIA: - Renato!

RENATO: - Desculpa amor, me distraí.

GEÓRGIA: - Você anda tão estranho ultimamente. O que está acontecendo?

RENATO: - Nada.

GEÓRGIA: - Tem certeza? Não tem nada que você queira me contar? Alguma coisa do trabalho...?

RENATO: - Nada não, amor. Não se preocupa.

GEÓRGIA: - Sempre que eu falo no nosso casamento, eu não vejo a mesma empolgação que eu tenho em você. Acho que é isso que te deixa assim, distante...

RENATO: - Não, Geórgia. Não é isso, amor. Eu também estou feliz com o nosso casamento.

GEÓRGIA: - Está mesmo? Olha só, Renato, eu não quero te forçar a nada não. Casar sempre foi o meu sonho, só meu. Não quero que você faça uma coisa que não esteja a fim.

RENATO (segura a mão de Geórgia): - Amor, eu também quero casar com você. Eu te amo! Muito!... Daqui a alguns dias a gente vai estar na igreja, vivendo um momento tão bacana. É isso que você quer e é o que eu quero também.

Os dois se beijam.

RENATO: - Vai dar tudo certo pra gente.

GEÓRGIA: - Que bom que você também deseja isso, Renato. Só me deixa ainda mais feliz!... (levanta-se) Vou lá cuidar do nosso almoço. Te amo!

Geórgia sai. Renato fica pensativo.

CENA 05. RIOCENTRO. INT. DIA.

Rosana e Melissa vão caminhando em direção ao estacionamento.

ROSANA: - Melissa, a minha bolsa ficou lá no camarim. Volta e pega pra mim? Te encontro no carro.

MELISSA: - Tá certo! Mas me espera hein! Não vai pro aeroporto sem mim!

Melissa sai. Rosana segue caminhando quando Júlio a intercepta. Ele a pega pelo braço e a puxa para um canto, longe da visão das pessoas.

JÚLIO: - Que show incrível da Gonzales Fashion. Olha, confesso que superou as minhas expectativas.

ROSANA (solta-se): - Finalmente você mostrou a sua cara. Mostrou a que veio, Júlio. Olha, a cadeia te fez bem, viu? Já pensou em voltar pra lá?

JÚLIO: - Não, não pensei... E sabe por quê? Porque eu cedi o meu lugar para você, sua cobra!

Rosana fica apreensiva.

JÚLIO: - Você não sabe o quanto eu esperei pra ficar cara a cara com você, sua bandida.

ROSANA: - Cala a boca!

JÚLIO: - Eu aplaudi, de pé, aquele show de horrores da GF. Mas os aplausos também eram pra você, Rosana, pela sua farsa que vai se mostrando cada vez mais fajuta.

ROSANA: - Fajuta é sua utopia de querer me derrubar, Júlio. Esquece. Você não tem chances.

JÚLIO: - Eu tenho todas as cartas na manga, Rosana. O dono do jogo sou eu. Eu vou fazer você pagar por tudo o que me fez.

ROSANA: - Ótimo! Então por que não começa chamando a polícia e me denunciando? Acaba logo com esse joguinho besta!

JÚLIO: - Porque assim seria muito fácil. Assim você não sofreria, Rosana... Eu quero ver você sofrer, você penar, definhar na minha vingança. Eu quero ver você na podridão da lama, no mais nojento dos buracos!... Eu quero ver você no inferno.

ROSANA: - Está se achando demais para quem não tem onde cair morto.

JÚLIO: - Acha que dinheiro é tudo?

ROSANA: - Acho. E você sabe muito bem que tem grana, tem tudo. E aqui, Júlio, a graúda sou eu. Portanto, baixa essa sua bola senão eu vou ter que tomar atitudes ainda mais drásticas do que da outra vez. E você sabe que eu posso.

JÚLIO: - Em pensar que eu um dia fui capaz de amar você.

(sobe trilha “Codinome Beija-Flor” – Luiz Melodia)

ROSANA: - Pensando bem, o seu amor até que me serviu para alguma coisa... Consegui dar o golpe da barriga direitinho.

JÚLIO (segura Rosana): - O meu filho! Onde está o filho que você estava esperando, Rosana?

ROSANA: - Não tem filho...

JÚLIO (sacode Rosana): - Onde está a criança!

ROSANA (soltando-se): - Não há criança nenhuma!... A criança morreu!

Júlio encara Rosana, olhos marejados.

ROSANA: - Eu disse que não teria um filho seu. E cumpri com a minha palavra... E agora eu vou prometer mais uma coisa: acabo com a sua vida quando você menos esperar, Júlio.

JÚLIO: - Eu vou esperar ansioso pelo seu contra-ataque, Rosana. Mas eu só quero que você saiba de uma coisa... (firme) A sua derrota, começa hoje.

Os dois ficam a se encarar. Rosana sai, apressada. Júlio fica pensativo. (fade out trilha “Codinome Beija-Flor” – Luiz Melodia)

Enquanto isso, Sandra e Karina caminham pelos pavilhões quando encontram Tarso.

SANDRA: - Tarso! Bom ver você, meu amor.

Tarso se mostra surpreso ao ver Karina e Sandra juntas. Karina procura disfarçar.

SANDRA: - Não sei se você se lembra... Essa aqui é a Karina. Ela trabalha lá no restaurante Prato Cheio.

TARSO: - Acho que lembro... Desculpe a indelicadeza... (estende a mão) Prazer, Tarso.

KARINA (cumprimenta Tarso): - O prazer é todo meu.

Os dois trocam olhares.

SANDRA: - Estava no stand da Áurea?

TARSO: - Cheguei agora. Estava procurando por você, inclusive.

SANDRA: - E eu e Karina estávamos indo almoçar.

TARSO: - Só as duas?

SANDRA: - Sim... Aline vai viajar, nem veio para o Rio Moda. E o Talles não vi mais nem a sombra...

TARSO: - Espero que ele não esteja aprontando por aí.

SANDRA: - Imagina. Talles não faria nada... Então querido, vem almoçar com a gente?

TARSO: - Não, querida. Eu preciso resolver uns assuntos da empresa com o Fernando... Podem ir em paz.

SANDRA: - Tudo bem. (beija Tarso) Até logo mais.

TARSO: - Bom almoço para vocês.

Sandra e Karina saem. Tarso fica a observar Karina.

TARSO (a si mesmo): - Essa não...

Fernando se aproxima.

FERNANDO: - Tarso! Ótimo ver você!

TARSO: - Estava justamente indo ao seu encontro. E então, como estão as coisas por aqui?

FERNANDO: - Tudo indo muito bem. Lá no stand, tem alguns empresários argentinos que querem fazer negócio com a Áurea. Estava esperando você chegar para tratar disso comigo.

TARSO: - Perfeito. Vamos lá!

Os dois saem.

Enquanto isso, Valquíria e Bruno conversam num outro ponto.

VALQUÍRIA: - Me espera aqui, amor? Eu vou ali naquele stand cumprimentar uma amiga e já volto.

BRUNO: - Pode ir.

Valquíria sai. Bruno é surpreendido por Amália.

AMÁLIA: - A loirinha não te dá folga, não é?

BRUNO: - Que susto, Amália...

AMÁLIA: - Assustadinho é?

BRUNO: - Para... A gente não pode ficar dando bandeira.

AMÁLIA: - Ninguém vai desconfiar... Quero saber quando que o plano vai ser posto em prática? A cartada final.

BRUNO: - Depois que o Rio Moda terminar. Eu já tenho a gravação pronta. Eu te passo e você dá um jeito de mostrar para a Marília.

AMÁLIA: - Ótimo! Quero só ver a cara dela quando ouvir as declarações do amadinho dela.

BRUNO: - Agora se afasta. Não quero que a Valquíria nos veja juntos.

AMÁLIA: - Tudo bem... Nos encontramos por aí...

Amália sai. Bruno disfarça. Valquíria retorna.

VALQUÍRIA: - Vamos almoçar?

BRUNO: - Onde você quiser.

VALQUÍRIA: - Acho que o Adônis e a Raquel estão num dos restaurantes lá do outro lado. Vamos sentar com eles.

Enquanto isso, Estér, Marcinha e Selma caminham pelos pavilhões.

SELMA: - Podemos almoçar no restaurante aqui mesmo, não?

ESTÉR: - Claro. Assim não perdemos muito tempo. A CarioLinda é o próximo desfile e eu não quero perder. As modelos da Marília estarão presentes.

MARCINHA: - E a vovó, tia? Não vem?

SELMA: - É mesmo... Achei estranho a Maria Helena não assistir ao desfile.

ESTÉR: - Vou ligar para o papai. Talvez ele saiba dizer onde ela está.

CENA 06. MANSÃO LINHARES. INT. DIA.

Orestes fala com Estér.

ORESTES (ao telefone): - Sim, Maria Helena já saiu de casa faz tempo para ir ao Rio Moda... (pausa) Como? (pausa) Ainda não está aí? Tem certeza, Estér? Esse lugar é tão grande, talvez... (pausa) Tudo bem, eu vou ligar para ela. (pausa) Beijo, minha filha. (desliga o telefone) Que estranho... A Maria Helena ainda não chegou ao Rio Moda?

Orestes disca o número de Maria Helena.

CENA 07. MOTEL. INT. DIA.

CAM mostra uma um telefone celular sobre uma mesinha redonda. Ele vibra, mostrando no visor a chamada CASA.

CAM abre plano, mostrando Maria Helena e Diogo no quarto. Estão frente a frente, vestidos.

DIOGO: - Não vai atender?

MARIA HELENA: - Tenho coisas melhores para fazer agora do que me preocupar com isso.

DIOGO: - Mas pode ser importante.

MARIA HELENA: - Nada pra mim tem importância agora, garoto...

Maria Helena se aproxima de Diogo, tira a camisa do rapaz. Ela passa a mão sobre o peito dele, liso, definido.

MARIA HELENA: - Quem diria... Eu, Maria Helena Linhares num motel com um garotão.

DIOGO: - Sempre tem a primeira vez...

MARIA HELENA: - No meu caso, são duas primeiras vezes... Eu nunca havia entrado num motel. Sempre tive a impressão de serem todos uns pulgueiros. Hoje tenho certeza...

DIOGO: - E também nunca se envolveu com garotões.

MARIA HELENA: - Nunca me envolvi com mais ninguém a não ser o meu marido.

DIOGO: - E porque essa vontade súbita de me ter como amante? E pagar por isso?

MARIA HELENA: - Por que tenho meus caprichos. E vou assumir. Fiquei com inveja da felicidade da Lígia quando ela estava com você... A pele dela era bonita, ela estava jovial, com uma vitalidade! E essa vitalidade, o Orestes não tem e não pode me dar. Mas você pode... Esse será o primeiro encontro de muitos, mas pode ter certeza que não serão nesses cafundós.

DIOGO: - Você veio aqui para ficar reparando no motel ou no meu corpo (alisa a região do abdômen, provocante) Pensa no que pode ser bom agora...

MARIA HELENA (encara Diogo): - Eu estou pensando e estou vendo...

(sobe trilha “Garotos” – Leoni) Maria Helena aproxima-se de Diogo, o empurra para a cama. Em seguida, sobe sobre ele. Ela o beija intensamente e aos poucos se deixa levar por Diogo.

CENA 08. RIOCENTRO. INT. DIA.

(fade out “Garotos” – Loni) Sílvia e Marília organizam a ordem das modelos na entrada do desfile, quando Fernando se aproxima.

MARÍLIA: - Fernando!

FERNANDO: - Oi amor! Passei aqui só pra desejar boa sorte.

MARÍLIA: - Obrigada, amor!

FERNANDO (a Sílvia): - Sucesso!

SÍLVIA: - Obrigada!

Tereza se aproxima.

TEREZA: - Gente, vocês viram o Júlio por aí? O desfile vai começar e ele não está aqui!

SÍLVIA: - Calma, Tereza. Daqui a pouco ele chega...

Júlio chega junto ao grupo.

JÚLIO: - Tudo pronto, pessoal?

TEREZA: - Júlio! Onde você estava?

JÚLIO: - Fui resolver uns assuntos ali... Bora pra passarela?

SÍLVIA: - Bora!

FERNANDO: - Eu vou lá pra fora. Quero ver todo o desfile do início ao fim. Sucesso pessoal!

Fernando beija Marília e sai. Gaby se aproxima de Marília.

GABY: - Marília...

MARÍLIA: - Sim?

GABY: - Eu to nervosa, guria!

MARÍLIA (risos): - Calma, Gaby! Vai dar tudo certo!

GABY: - Imagina se eu entro na passarela e viro o pé? Gente vai ser uma tragédia!

MARÍLIA: - Para de pensar bobagem, Gaby!... Você é a grande estrela da CarioLinda, a modelo que abre esse grande desfile. Nada vai dar errado pra você. Confia.

Gaby sorri mais confiante e vai para o seu posto no início do desfile. Enquanto isso, Júlio conversa com Sílvia.

JÚLIO: - Encontrei a Rosana. Falei umas poucas e boas.

SÍLVIA: - Meu Deus, Júlio! Deixa essa mulher pra lá.

JÚLIO: - Já deixei. Mas ela está bem avisada. A queda dela começa agora.

Tereza se aproxima.

TEREZA: - Vamos lá pessoal! Vai começar!

Na passarela, a decoração remete ao clima praiano carioca. O chão da passarela traz o calçadão de Copacabana. Sobe trilha (sobe trilha “The Beat Goes On” – Bob Sinclair) As luzes da passarela se acendem e Gaby entra triunfante, usando um vestido solto, rodado e curto, azul turquesa.

Ivan está na ponta da passarela e faz o registro do desfile de Gaby. Em seguida, as outras modelos vão entrando na passarela. Vestidos, shorts, blusas, tops, macacões, calças, saias... A coleção da CarioLinda enche os olhos do público.

MAURO (comenta com Leocádia): - Mamãe, que desfile é esse?! A CarioLinda é um sucesso!

LEOCÁDIA: - Ela está sendo tudo o que a GF era, mas que a Rosana jogou fora.

RAQUEL: - Nossa, que roupas lindas!

VALQUÍRIA: - Eu quero todas as peças!

RAQUEL: - CarioLinda voltou com tudo!

O desfile da CarioLinda se encerra. Sílvia, Júlio e Tereza entram na passarela ovacionados. Tereza visivelmente emocionada. Os aplausos são calorosos.

(fade in “The Beat Goes On” – Bob Sinclair)

CENA 09. AEROPORTO. SAGUÃO. INT. DIA.

(fade out “The Beat Goes On” – Bob Sinclair) (sobe trilha “Ela Vai Passar” – Papas da Língua) Vitinho e Aline aguardam na área de embarque do aeroporto, com muitas malas.

VITINHO: - Eu me nego acreditar que eu perdi o Rio Moda pra ficar aqui no aeroporto.

ALINE: - Mas pensa, meu amor. É por uma boa causa! Nós vamos juntinhos para Nova York!... Será que eu não esqueci de nada não?

VITINHO: - Você acha que esqueceu alguma coisa com todas essas malas?

ALINE: - Ai sei lá!... Nunca se sabe.

VITINHO: - Ai, a madame está demorando... Daqui a pouco chamam nosso voo.

ALINE: - Acho que lá vem ela!

Rosana e Melissa se aproximam, cada uma trazendo sua mala.

VITINHO: - Madame! Finalmente chegou há nossa hora!

ALINE: - Como foi o desfile, Rosana?

ROSANA: - Foi o que tinha que ser.

VITINHO: - Bom que você veio, Melissa... Tem algumas coisas aqui que eu não vou levar. Vou deixar para comprar em Nova York. Aí você leva de volta pra mim lá pro escritório?

MELISSA: - Levar o quê, Vitinho? (risos) Não sou sua empregada não.

VITINHO: - Mas o que é isso, garota?

ALINE: - Isso é jeito de falar? Rosana, você não vai fazer nada?

VITINHO: - Deixa Aline... Madame, precisamos correr, daqui a pouco está na hora do embarque e nós ainda nem fizemos check in.

ROSANA: - Nós não vamos fazer check in. Ou melhor, vocês não vão.

ALINE: - Como assim?

VITINHO: - Que brincadeira é essa, madame?

MELISSA: - Meu Deus do céu, gente burra! Não tem brincadeira nenhuma. Vocês não vão embarcar para Nova York.

VITINHO (surpreso): - Madame! Isso é verdade?

ROSANA: - Olha só, Vitinho... Eu tive um dia muito cheio hoje, não to com tempo para suas lamentações, esse seu “mi mi mi” irritante. Foi isso mesmo que você ouviu. A Melissa vai ir para Nova York comigo.

VITINHO: - Mas a senhora sempre soube que era eu que iria junto! Eu fiz todos os contatos, organizei tudo!

ROSANA: - Mas não vai ir junto e pronto. Não escutou não?

Vitinho se mostra visivelmente chateado.

MELISSA (debochada): - Você realmente achou que iria viajar? Coitado...

ROSANA: - Fica aí e organiza minhas coisas. Quando eu voltar, quero planejar uma nova coleção com a inspiração nova-iorquina... Vamos Melissa.

Rosana e Melissa saem. Vitinho contém as lágrimas. Aline o consola.

ALINE: - Não fica assim, bombom!

VITINHO: - Eu fiz tudo pra ela e o que eu tenho em troca?

ALINE: - Gente mal agradecida.

Aline abraça Vitinho, consolando-o.

CENA 10. RIOCENTRO. INT. DIA.

Sílvia, Tereza e Júlio são assediados na área de entrevistas do Rio Moda. Diversos jornalistas querem entrevistá-los.

JORNALISTA 01 (mulher): - Tereza Sampaio, a CarioLinda teve um momento grandioso no passado, fechou as portas e agora retornou com força total. De onde surgiu essa força?

TEREZA: - Essa força veio do apoio dos amigos, veio do profissionalismo... Veio do sonho de retomar aquilo que eu sempre quis. Eu agradeço a Deus pela oportunidade e também à Sílvia, que fez essas peças magníficas também. E especialmente, a esse homem aqui do meu lado, que me deu todo apoio do mundo e me incentivou a voltar. Júlio.

Júlio e Tereza trocam sorrisos.

JORNALISTA 02 (homem): - Sílvia, essa é a sua estreia no Rio Moda?

SÍLVIA: - Na verdade, bem no fundo, não... Mas eu considero hoje um novo passo na minha vida, tanto pessoal quanto profissional. Acredito que conseguimos mostrar o nosso trabalho muito bem.

JORNALISTA 03 (mulher): - Júlio, o que podemos esperar da CarioLinda para os próximos tempos?

JÚLIO: - Esperem muito mais competência do que hoje, pois a gente vai crescer e muito!

Os três (Júlio, Tereza e Sílvia) posam para fotos, sorridentes, felizes.

(Sobe trilha “Corcovado” – Gal Costa)

CENA 11. TRANSIÇÃO DO TEMPO. ANOITECER /  CASA TEREZA. INT. NOITE.

Imagens do Rio de Janeiro ao anoitecer. Mostra o Cristo Redentor iluminado, o calçadão de Copacabana à noite. Corta para Vila Isabel, fachada da casa de Tereza. (fade out trilha “Corcovado” – Gal Costa) Júlio, Sílvia, Tereza, Marília e Fernando conversam, comemorando o sucesso do desfile da CarioLinda.

Numa mesa, salgados e bebidas estão servidos.

FERNANDO: - O desfile da CarioLinda foi um verdadeiro sucesso! E eu já deixo aqui o convite para uma parceria com a Áurea Calçados. Em breve estaremos lançando a nossa nova coleção e quero as modelos vestidas com as roupas da CarioLinda também.

MARÍLIA: - Mas vocês não tinham fechado contrato com a Gonzales Fashion?

FERNANDO: - Mas depois do que a GF apresentou, não há como deixá-los com exclusividade.

JÚLIO: - Fernando, pode ter certeza que a CarioLinda estará presente, fazendo um belíssimo trabalho.

TEREZA: - Eu estou no céu! Finalmente o reconhecimento bate à minha porta depois de anos!... (bebe champanhe) Eu nem lembrava mais do gosto do champanhe! (risos)

Neste instante, Alceu e Janice chegam a casa.

JANICE: - Só se fala na CarioLinda na televisão, na rádio!

ALCEU: - A grife ta fazendo sucesso!

SÍLVIA: - Janice, Alceu! Que bom que vieram!

JANICE: - Eu não poderia perder essa comemoração, Silvinha... Sei que tem uma mão minha nessa história toda.

JÚLIO: - Mãos, linhas, talentos, tudo! Valeu, Janice! Valeu Alceu, que não costurou, mas deu aquele apoio!

ALCEU: - Sempre! E no que precisar, estamos aí!

SÍLVIA: - Eu vou lá à cozinha pegar mais salgados.

JÚLIO: - E eu, mais bebida! Hoje é dia de comemoração!

Sílvia e Júlio vão para a cozinha. A sós. Ela organiza os salgados num prato, enquanto ele vai para a geladeira,

JÚLIO: - E então, feliz?

SÍLVIA: - Nossa, muito!... Como é bom ver o seu trabalho finalmente reconhecido, com o seu nome.

JÚLIO: - Você merece, Silvinha. Merece tudo de bom que está por vir ainda.

SÍLVIA: - Obrigada por me fazer acreditar em mim. Eu fiquei escondida atrás das falsidades da Rosana e acabei não vivendo o que tinha pra viver.

JÚLIO: - Não fala daquela cobra agora. Ela não merece estar no meio dessa nossa festa tão bacana.

Júlio se aproxima de Sílvia. Ela procura disfarçar.

SÍLVIA: - A Marília me falou de vocês.

JÚLIO: - Vocês quem?

SÍLVIA: - Você e a Tereza. Do beijo.

JÚLIO: - Foi um impulso... Nem sei direito.

SÍLVIA: - Você gostou?

JULIO: - Por que está me perguntando isso?

SÍLVIA: - Só me responde essa pergunta, Júlio. Por favor... Você gostou de beijar a Tereza?

JÚLIO (acaricia o rosto de Sílvia): - Não vou negar que foi bom... Mas confesso que não era a boca que eu desejava tocar naquele momento.
 

(sobe trilha “Doce Castigo” – Nana Caymmi) Júlio e Sílvia trocam olhares. Júlio acariciando o rosto dela. Sílvia se deixa levar. Os dois acabam se beijando, apaixonadamente.

 


REALIZAÇÃO




Copyright © 2013 - WebTV
www.redewtv.com
Todos os direitos reservados
Proibida a cópia ou a reprodução

Compartilhe:

14 anos

Capítulos de Passos da Paixão

Drama

No Ar

Novelas

Passos da Paixão

Romance

Comentários:

0 comentários: