Estações da Vida - Capítulo 06


https://1.bp.blogspot.com/-_BU7wAcukVk/WhbLxhA7SJI/AAAAAAAABtw/RB3RXUaD-mAGl3boIG3IKUrLzgJt6vW5QCLcBGAs/s1600/Esta%25C3%25A7%25C3%25B5es%2Bda%2BVida.jpg

CAPÍTULO 06
 
     
     
     
     
 
 
 

CENA 01. COLÉGIO FRAN VICENTINI. HALL DE ENTRADA. EXT. DIA.

Continuação do capítulo anterior. Nanda encara Paulinha.

NANDA: Você querendo falar comigo? O que aconteceu?

PAULINHA: Ontem eu conversei com o Diego.

NANDA (bufa): E o que aquele idiota disse dessa vez?

PAULINHA: Ele me disse o que você havia afirmado desde o início e eu não quis acreditar. Eu tava cega.

NANDA: O que você quer dizer com isso?

PAULINHA: Nanda, você me alertou que ele te beijou. E o que eu fiz? Acreditei nele e não em você.

Nanda a abraça.

PAULINHA: Como eu fui tola, eu te julguei sem te ouvir. Você quase foi expulsa por minha culpa. Como eu pude fazer isso com você?

Nanda encerra o abraço e pega nas mãos de Paulinha. As duas se olham.

NANDA: Você estava com raiva, cabeça quente, era natural aquela reação.

PAULINHA: Eu fui tão imatura.

NANDA: Nós estamos crescendo. É errando que vamos amadurecendo.

Paulinha sorri.

PAULINHA: Você me perdoa?

Nanda coloca o dedo indicador no queixo.

NANDA (brinca): Deixa eu pensar. Será que você merece?

PAULINHA: Amiga, para de graça.

As duas dão risadas e se abraçam. Diego e Caio chegam.

DIEGO: Também quero um abraço.

NANDA: Tava demorando!

DIEGO (sorrindo): Poxa, não podem compartilhar o momento comigo?

NANDA: Como você é inconveniente. (à Paulinha) Vamos pra sala?

Paulinha concorda.

DIEGO: Paulinha, você não vai falar comigo?

PAULINHA: Não acha que a conversa que tivemos ontem foi suficiente?

DIEGO: Agora você me trata assim?

PAULINHA: A gente colhe o que planta.

Paulinha sorri para Nanda.

DIEGO: Ah é? Então eu vou colher o que eu plantei essa semana.

Num movimento rápido Diego tenta beijar Nanda, que o empurra.

NANDA: Me solta, garoto.

Caio segura no braço Diego.

CAIO: Diego, ela pediu pra você soltar.

Diego solta Nanda e encara Caio.

DIEGO: Qual é, Caio? Vai atrapalhar meu lance com a Nanda?

CAIO (sério): Estou exigindo respeito pela Nanda. É pedir demais?

Diego engole seco.

NANDA: E nós não temos nenhum lance!

DIEGO: E aquele beijo, vai me dizer que você não gostou?

Paulinha fica sem graça.

NANDA: Você estava bêbado e, quer saber, foi o pior beijo da minha vida.

DIEGO: Você só pode estar brincando.

NANDA: Olha pra minha cara e veja como eu estou rindo.

Diego fica sério e sai.

NANDA: Obrigada, Caio.

CAIO: Relaxa, eu sempre vou defender as duas garotas do meu coração.

PAULINHA: Own, fofo! Eu poderia ser a fim de você e não do idiota do Diego.

CAIO (sorri): Ei, você me deu uma ideia.

Paulinha olha para Nanda sem entender.

PAULINHA: Que ideia?

CAIO: Vamos pra sala. No intervalo te conto.

Os três entram.

CENA 02. GOURMET CARIOCA. INT. DIA.

Mirtes concentrada mexendo no celular. Lulu coloca flores dentro de um vaso em um balcão.

MIRTES: Lulu.

LULU: Sim?

MIRTES: Faz favor.

Lulu se aproxima.

LULU: Pois não?

Mirtes mostra um vídeo no celular. Lulu sorri com o que vê.

LULU: Olha que legal. É o vídeo do comercial.

MIRTES: Sim.

LULU: O que a senhora achou?

MIRTES: A senhora não achou nada, pois não há nenhuma senhora aqui. Não já falamos sobre isso?

LULU: Desculpe. O que achou, Mirtes?

MIRTES (sorrindo): Agora sim. Pra falar a verdade, antes eu queria reconhecer o que você fez em minha ausência. Eu sabia que poderia contar com o seu profissionalismo e você não me decepcionou. Estou orgulhosa do resultado.

LULU: Ai meu Jesus Cristinho, é sério?

Mirtes concorda com a cabeça. Lulu pula de alegria.

MIRTES: O Lúcio vai salvar a versão final, finalizar a edição das imagens e instalar os outdoors. A cidade vai respirar o Goumert Carioca. Esse local ficará ainda mais movimentado.

Lulu vibra com a notícia.

CENA 03. COLÉGIO FRAN VICENTINI. HALL DE ENTRADA. EXT. DIA.

Dentro do carro Lua beija Kátia e sai. Lua retira o celular do bolso e vê as mensagens. Do outro lado da rua, Pato vê a irmã chegando. Ele abre o vidro do carro.

PATO (grita): Lua.

Ela se vira em sua direção, sorri.

PATO: Me espera.

Pato sai do carro e alcança a irmã.

LUA: Achei que você já tava na escola.

PATO: Fui tentar salvar meu celular.

LUA: Salvar seu celular? Como assim?

PATO: Ontem eu deixei ele cair na piscina.

LUA (rindo): Ai Pato, é incrível como você é desastrado.

PATO: Pow baixinha, foi um vacilo, acontece. Mas e ai, desde que você voltou da viagem nem me dá moral. Só fica nesse celular. O que tá acontecendo? Tá de paquera?

LUA: Não vai me dizer que você está com ciúmes?

PATO: To com saudade das suas visitas no meu quarto, de deitar na grama e ver as estrelas, sinto falta desses momentos. Você é a única pessoa que eu suporto naquela casa.

LUA: Eu vi o clima ontem. Minha mãe não quis me contar tudo, ela só disse que não foi a culpada pela morte da sua mãe, é verdade?

PATO: Baixinha, outra hora conversamos sobre esse assunto.

LUA: Por que fica todo mundo me dizendo isso? Eu não sou mais criança.

PATO: Vai por mim, é melhor você ficar fora disso. Agora vamos entrar?

LUA: Ok.

Os dois saem.

CENA 04. COSMÉTICOS LAMBERTINI. ENTRADA. EXT. DIA.

CAM detalha a fachada moderna da empresa composta por vidros escuros e uma borda laranja em toda a parte lateral. No centro há uma letra caixa com o nome da empresa. Um carro estaciona. A porta é aberta e Amanda sai. Ela retira os óculos, observa a fachada e entra.

CORTA PARA.

CENA 05. COSMÉTICOS LAMBERTINI. RECEPÇÃO. EXT. DIA.

Amanda vai até o balcão de informações.

AMANDA: Bom dia.

RECEPCIONISTA: Bom dia, em que posso ajudar?

AMANDA: Tenho uma entrevista com o senhor Leonardo Lambertini.

RECEPCIONISTA: Como é seu nome?

AMANDA: Amanda Dutra.

RECEPCIONISTA: Um instante.

A recepcionista disca um número.

Em Amanda.

CORTA PARA.

CENA 06. COSMÉTICOS LAMBERTINI. SALA. EXT. DIA.

Na mesa de reuniões Leonardo está de frente para Amanda.

LEONARDO: Então quer dizer que você e meu filho são amigos?

AMANDA: Sim, o Pato é um querido.

LEONARDO: Você tem um ótimo, currículo, Amanda, devo reconhecer. Considerando a urgência acredito que não será necessário convocar novas candidatas.

AMANDA: Isso quer dizer que…?

LEONARDO (sorri): Você está contratada.

AMANDA (sorri): Obrigada, senhor, não tenho como agradecer. E quando eu começo?

LEONARDO: Amanhã, às oito.

AMANDA: Mais uma vez muito obrigada. Agora eu tenho um pedido especial.

LEONARDO: Sim, qual é?

AMANDA: Não comente nada com o Pato. Ele me disse que o clima entre vocês não está bem e eu preciso muito do emprego.

LEONARDO: Fique tranquila. Serei discreto em relação a sua contratação.

Amanda sorri.

LEONARDO: Eu vou entrar em uma reunião em dez minutos. Amanda, passe no RH e verifique a documentação para a sua contratação.

AMANDA: Ta ok. Tenha um bom dia.

Amanda levanta, estende a mão e encara Leonardo com um sorriso.

CENA 07. COLÉGIO FRAN VICENTINI. SALA DE AULA. INT. DIA.

Nanda sentada ao lado de Paulinha. Caio no fundo próximo de Grego. Diego e Pato entram, percebem caio e Grego e vão para o fundo.

DIEGO: Caio, chega aí.

Caio levanta.

CAIO: Diga.

DIEGO: Que que tu tá fazendo sentando perto do nerd?

CAIO: Tem algum problema?

DIEGO: Esse moleque é fofoqueiro, sem noção, uma péssima companhia.

CAIO: O Grego não é uma boa companhia porque ele teve atitude de livrar a barra da Nanda por um ato inconsequente que você participou?

DIEGO: Não to entendendo qual é tua. Mela meu lance com a Nanda, se une com o nerd, tá mudando de lado, cara?

CAIO: Tem mais algum questionamento?

DIEGO: Não, por que?

CAIO: Então preste atenção, você precisa respeitar as pessoas. Você queria beijar a Nanda a força. Não é agindo desta maneira que você vai conquistar as pessoas. Se você não mudar, as pessoas vão se afastar de você.

Caio sai. Em Diego.

PATO: É isso mesmo que eu vi? Caio dando lição de moral no garanhão da escola?

DIEGO: Trouxa. Caio tá começando a me tirar do sério. Se ele não parar eu vou pregar um susto nele.

PATO: O que você vai fazer?

DIEGO: Se ele me irritar mais uma vez você vai ser o primeiro a saber.

Diego sorri.

PATO: Cara, ontem você e a Paulinha sumiram do Seven Night. O que você falou pra ela? Olha só, ela e a Nanda nem parece que quase se mataram por sua causa.

DIEGO: Eu mexi na estratégia do jogo. Falei a real pra Paulinha, ela deve ter passado o dia chorando, mas quando eu estalar os dedos ela vai estar nos meus pés.

Pato dá risada.

DIEGO: E com a Amanda, como foi ontem?

PATO: Foi incrível. Você acredita que ela me deixou filmar tudo?

DIEGO: Sério? Cadê a filmagem, quero ver?

PATO: Aconteceu uma parada.

DIEGO: Como assim?

PATO: Meu celular caiu na água.

DIEGO: Pato, na boa, tu continua virgem. Vai jogar a desculpa no celular igual a camisinha fechada que eu vi no seu quarto?

PATO: É sério, mano.

DIEGO: É difícil acreditar sem provas. Estamos na estaca zero. Quem vai vencer esse jogo?

Em Pato.

PATO: Eu já venci.

DIEGO: Sem prova, sem vencedor.

Em Pato, inconformado.

CENA 08. COLÉGIO FRAN VICENTINI. SALA DE AULA. INT. DIA.

Andréia conversa com uma garota (14 anos, morena, cabelos longos).

GAROTA: Você pretende correr dos pais do Ricardo até quando?

ANDRÉIA: Lari, a questão não é correr, a questão é o jeito que a mãe dele me olhou, não esqueço até hoje a expressão no rosto dela. Foi horrível.

LARISSA: Amiga, ele gosta de você.

ANDRÉIA: Mas a família dele não. Eu não sou bem-vinda lá.

LARISSA: Você está se precipitando. Ele já conheceu sua família, agora está na hora de retribuir e aceitar o convite dele, você não acha?

ANDRÉIA: Não sei se estou preparada.

LARISSA: Você tem que tentar.

Andréia fica séria. Lua chega.

LUA (sorrindo): Bom dia, meninas.

LARISSA: Oi, Lua.

ANDRÉIA: Bom dia.

LARISSA: Posso saber o motivo desse sorriso?

ANDRÉIA: Lari, você falta na aula e fica desatualizada das fofocas.

LARISSA (surpresa): Ah é? Pois tratem de me atualizar. (aponta) Lua, senta aqui nessa cadeira e me conta tudo. Não me esconda nada.

LUA: Um boy magia me adicionou na rede social e não para de falar comigo.

LARISSA (comemora): Ai, que tudo. Qual é o nome dele? A idade? É bonito? Já se beijaram?

ANDRÉIA: Calma, Lari. Parece que você nasceu de 7 meses.

LARISSA: Vocês sabem que eu sou ansiosa.

Lua e Andréia dão risadas.

LUA: O nome dele é Iago, tem 15 anos e ainda não nos conhecemos.

LARISSA: E quando vai ser o primeiro encontro?

LUA: Ta cedo ainda.

ANDRÉIA: Lua, você esqueceu de falar que ele tá muito saidinho.

LARISSA: O que ele fez?

LUA: Pediu nudes.

LARISSA: Que babado, menina. E você mandou?

LUA: Claro que não. Ele tem que ir com calma.

ANDRÉIA: Exato. O Iago está avançando o sinal. Ontem ele mandou foto das pernas.

LARISSA: Gente, to chocada. E ele é bonito?

ANDREIA: Por foto, um deus grego.

LUA: Ele é daqueles garotos que malha, sabe. Lindo!

LARISSA: Nunca mais falto na aula, gente!

As três dão risadas. Um garoto (15 anos, moreno, cabelo curto) entra na sala.

ANDRÉIA: Olha só quem chegou.

LARISSA: Acho ele tão fofo. Será que tenho chance?

LUA: Ele nunca chegou em você?

LARISSA: Ele é muito tímido, aposto que o Beto nunca beijou na boca.

Lua fica em silêncio.

LARISSA: Lua? Você ainda continua bv?

Lua olha para Andréia.

ANDRÉIA: Ah, Lari, o que tem? Cada um tem a sua hora.

LARISSA: É, quem sabe o Iago não seja o cara especial que você está esperando.

Com vergonha, Lua concorda.

CENA 09. COLÉGIO FRAN VICENTINI. DIRETORIA. INT. DIA.

MUSIC ON: (JULIANA – RAÇA PURA)

Juliana sentada, digitando no notebook. Ela usa fone nos ouvidos e mexe os ombros como se estivesse curtindo a música. A porta é aberta. Ramiro se certifica que fechou o trinco e limpa a maçaneta com o uniforme. Juliana percebe Ramiro e grita. Ele se assusta.

JULIANA: O QUE SIGNIFICA ISSO?

RAMIRO: Retira o fone.

JULIANA: O QUE?

Ramiro faz gesto mostrando o ouvido.

JULIANA: NÃO TE ENTENDO.

Ramiro vai até Juliana e retira o fone.

MUSIC OFF.

JULIANA: O que está acontecendo, Ramiro? Porque entrou sem bater?

RAMIRO: Dona Juliana tem cinco minutos que estou do outro lado da porta esperando.

JULIANA: Eu não escutei.

RAMIRO: Você estava com fone.

JULIANA: Ah é. Estava aqui falando com os boys.

RAMIRO: Boys?

JULIANA (sem graça): Boys? Que boys, Ramiro! Eu disse boia! Comprando umas boias a mais pra aula de natação. Você entendeu errado, eu estou fechando o orçamento do próximo semestre via conexão. Enfim, me diga o que precisa?

RAMIRO: A professora Vanice quer falar com você.

JULIANA: Peça para ela entrar.

RAMIRO: Ok.

Ramiro sai. Juliana se ajeita na cadeira. Vanice entra.

VANICE: Bom dia, dona Juliana.

JULIANA: Bom dia, Vanice. Em que posso ajudar?

VANICE: Eu vim pedir remanejamento da turma do primeiro ano. Me recuso a voltar àquela sala.

JULIANA: É por causa do episódio das bombinhas?

Juliana faz gesto pra Vanice sentar. Ela obedece.

VANICE: Sim, eu quase fui parar no hospital.

JULIANA: Você não acha que está exagerando, professora?

VANICE: Não.

JULIANA: E não há outra forma de resolvermos esta questão? Pense bem, a maioria dos garotos gosta de você. Não se deixe abater pela imaturidade dos alunos Patrício e Diego. Além do mais, você me coloca numa situação delicada. Não será fácil encontrar professor substituto, a sua altura!

VANICE (envaidecida): É. Vendo por esse lado, realmente não será tarefa fácil.

JULIANA: Pois então, reconsidere. É um pedido especial. Além disso, você pode ficar tranquila. Eu conversei pessoalmente com os pais dos responsáveis pela brincadeira. Ambos terão rédea curta no colégio.

VANICE: Bom, se é assim, eu fico.

JULIANA (comemora): Que bom! Isso me deixa radiante! O Ramiro vai estar por perto. Qualquer alerta de perigo ele vai entrar na sala.

VANICE: Assim fico mais tranquila. Obrigada pela sua atenção, diretora.

JULIANA: Vai dar tudo certo, professora.

VANICE: Obrigada, dona Juliana.

Vanice levanta-se, vai em direção a porta, saindo em seguida. Juliana respira fundo, sorri.

JULIANA: É cada uma que tenho que aturar!

CENA 10. RUA. EXT. DIA.

MUSIC ON: (BALA DE PRATA – FERNANDO E SOROCABA)

Um carro surge em alta velocidade. CORTA PARA o seu interior, Amanda no volante, toca uma música alta. Ela canta.

AMANDA: Ai, Amandinha você está com uma mina de ouro nas minhas mãos! O bebezão tenho a hora que eu quiser, agora o papai vai comer na minha mão. Você tirou a sorte grande, garota!

Amanda gargalha.

MUSIC OFF.

CENA 11. COLÉGIO FRAN VICENTINI. REFEITÓRIO. INT. DIA.

Paulinha e Nanda lancham. Caio chega.

CAIO: Achei que iam me esperar.

NANDA: Estamos famintas.

PAULINHA: E eu estou curiosa para saber qual é a sua ideia.

CAIO: O lance é o seguinte, eu disse pro meu pai que to namorando!

NANDA: Que?

PAULINHA: Como assim?

CAIO: Na verdade, foi uma confusão. Ele meio que deduziu tudo e eu não tive como desfazer isso.

NANDA: E onde é que você tá querendo chegar?

CAIO: Bem, é que, diante da situação entre o Diego e a Paulinha, eu pensei...

PAULINHA: Pensou que...?

Caio encara as duas.

PAULINHA: Desembucha, garoto!

Paulinha toma um pouco de suco.

CAIO: Paulinha, você quer ser minha namorada?

Paulinha se engasga com o suco.

NANDA: Como é que é?

CENA 12. COLÉGIO FRAN VICENTINI. PÁTIO. INT. DIA.

Área externa. Alguns alunos passeiam pelo ambiente. Lua, Larissa, Andreia e Ricardo estão por ali sentados num banco. Larissa levanta-se, afastando-se dos demais. Ela pede a atenção deles, começa a desfilar, enquanto os outros observam.

LARISSA: To bem?

LUA: Tá ótima. Cada dia melhor.

LARISSA: Sei lá, to me achando meio gorda.

RICARDO: Vocês meninas implicam com cada coisa.

LARISSA: E vocês meninos não entendem nada! Eu quero ser modelo profissional, gente. Preciso do corpo perfeito!

ANDREIA: Você é a garota mais bonita da escola, Lari.

LUA: Não é à toa que todo ano ganha o concurso de beleza.

ANDRÉIA: Não é suficiente?

LARISSA: Espero que sim. Mas só vou saber depois do resultado do teste que fiz ontem.

RICARDO: Por isso faltou à aula?

LARISSA: Sim. O resultado sai mais tarde no site da agência.

LUA: Eu nem me preocupava se fosse você. Com certeza você tá dentro.

LARISSA: Ce acha amiga?

ANDRÉIA: Não só ela.

LARISSA: Por isso que eu amo vocês!

Ela abraça as duas. Ricardo observa.

CENA 13. COLÉGIO FRAN VICENTINI. REFEITÓRIO. INT. DIA.

Nanda ajuda Paulinha a se recuperar.

PAULINHA: Eu e você? Namorando?

CAIO: Não precisa ser de verdade, Paulinha. Mas, eu preciso apresentar uma garota pro meu pai.

PAULINHA: Não seria mais fácil você chegar numa garota qualquer?

NANDA: Ai, Paulinha, até parece que você não conhece o nosso amigo.

CAIO: Por favor, Paulinha. Ce sabe que eu sou tímido, quebra essa pra mim vai?!

PAULINHA: Mas eu te considero um amigo. A gente vai ter que… Se beijar?

CAIO: Não se você não quiser.

NANDA: Falando desse jeito até parece que o Caio é um leproso.

PAULINHA: Não é isso, gente. É que, vai ser esquisito!

CAIO (triste): Tudo bem, ce tem razão. Nada a ver propor isso. Foi mal.

NANDA: Miga, pensa direito! Essa ideia do Caio é ótima. Vocês não precisam fingir só para os pais dele, vocês podem fingir para a escola toda. É uma forma de você mostrar pro idiota do Diego o que ele perdeu, e que você não tá nem aí pra ele!

CAIO: Embora a gente saiba que/

PAULINHA (pensativa): Pensando por esse lado, to começando a gostar da ideia.

NANDA: Então, boba! Aceita logo o pedido do cara mais gato e gente boa dessa escola!

Paulinha sorri.

CAIO: Então, você aceita namorar comigo?

Paulinha observa Pato e Diego se aproximando.

PAULINHA: Se eu aceito namorar com você? É claro que sim!

Caio sorri. Paulinha avança no garoto, se beijam. Os alunos observam a cena gritam, aplaudem, fazem algazarra. Diego não gosta.

DIEGO: Mas o que que tá acontecendo aqui?

Caio e Paulinha se afastam.

NANDA (tom): Apresento a vocês o mais novo casal do colégio Fran Vicentini, #Cailinha. Eu shippo, alguém mais?

Mais algazarra entre os alunos.

PATO: Vocês estão namorando?

DIEGO (a Caio): Então era por isso que tu tava me tirando o tempo todo, seu safado?

NANDA: Você tá com ciúme, Diego? Mas eu pensei que/

DIEGO: Que mané, ciúme! Eu e a Paulinha já era! Meu objetivo agora é outro.

Encara Nanda.

CAIO: Que bom, Diego. Não quero que fique climão entre a gente.

DIEGO: De minha parte, de boa. (à Paulinha) Figurinha repetida não cola no meu álbum.

PAULINHA: Idiota! Eu não sei onde tava com a cabeça quando me envolvi contigo. A melhor coisa que aconteceu foi o fim do nosso relacionamento.

DIEGO: Eu nunca tive relacionamento com você, garota. Foi um lance, sem cláusulas, sem contrato.

Eles se encaram.

PATO: Águas passadas né galera? O que passou, passou. Vida que segue!

NANDA: É isso aí. O Pato tem razão.

DIEGO: Beleza. Então, agora que você tá convencida de que não existe mais nada entre sua amiguinha e eu, o que acha de me dar uma chance, Nanda?

PAULINHA (chocada): Você é inacreditável!

DIEGO (a Nanda): Nanda, eu tenho sentimentos sinceros por você. É você quem eu quero Nanda.

NANDA (sorrindo): Eu também quero.

Paulinha, Caio e Pato se surpreendem.

DIEGO: Sério?

NANDA: Sim, eu quero. Quero distância de você, entendeu?

Paulinha, Caio e Pato riem.

NANDA: Vamo embora daqui pessoal!

Nanda sai seguida por Paulinha.

CAIO: A gente se fala!

Caio segue as duas.

PATO: Por essa, ninguém esperava.

DIEGO: Tá na cara que esse namoro aí é só pra me provocar. Não to entendendo qual é a do Caio, primeiro o otário do Grego, agora mais essa com a Paulinha. Qual é a dele?

PATO: Parece que tu ta incomodado com a novidade.

DIEGO: Eu? Que se foda. To nem aí pr’aquela grudenta.

PATO: Sei... Mas então, Paulinha partindo pra outra, Nanda não quer te ver nem por foto... Desse jeito vou ganhar a aposta por W.O.

DIEGO: Vai rindo vai. A Nanda vai ser minha. Ainda mais agora com a Paulinha fora do caminho.

PATO: Essa eu quero ver.

DIEGO: Tu não perde por esperar.

CENA 14. MANSÃO DO PATO. SALA DE ESTAR. INT. DIA.

Leonardo, Kátia, Pato e Lua estão fazendo a refeição. Lua concentrada no celular. Pato se serve. Leonardo observa o garoto.

LEONARDO: E a aula?

Pato fica em silêncio. Lua mexe no celular.

LEONARDO: Pato?

PATO: Fala.

LEONARDO: Tudo certo no colégio?

PATO: Sim, tudo sussa. Não se preocupe hoje eu não aprontei.

KÁTIA (sorri): Que bom.

LEONARDO: E você, Lua?

Lua não responde.

KÁTIA: Luana!

LUA: Oi.

KÁTIA: Seu pai falou com você.

LUA: Desculpa. Tava distraída.

KÁTIA: Você anda muito distraída ultimamente. Geralmente imersa nesse celular.

LEONARDO: A conversa está boa?

LUA: Nada demais.

Kátia estende a mão para Lua, pedindo o celular.

LUA: Mãe!

KÁTIA: O celular, Luana.

A contragosto, Lua entrega. Kátia olha para Leonardo, que agradece retribuindo o olhar.

LEONARDO: Pato, o que você acha da experiência de um intercâmbio?

PATO: Legal.

LEONARDO: Não tem interesse em fazer?

PATO: Por enquanto não.

KÁTIA: Seria uma oportunidade para aprimorar o seu inglês.

LEONARDO: Tem uma seleção aberta, posso mexer meus pauzinhos.

PATO: Não está nos meus planos fazer um intercâmbio no momento. Eu ainda nem saí do ensino médio. Quem sabe no futuro.

KÁTIA: Você precisa aproveitar as oportunidades, Pato.

PATO: Aposto que isso foi ideia sua né.

KÁTIA: Sim. A filha da Silvia vai fazer, achei conveniente sugerir ao Leonardo.

PATO: Muito conveniente por sinal. Você vibra com a possibilidade de me ver longe daqui.

LUA: Não comecem vocês dois!

KÁTIA: Foi só uma ideia que me ocorreu e seu pai aprovou.

PATO: Você tá é querendo se livrar de mim, Kátia. Mas, deixa eu te falar, não vai rolar! Por mais que eu queira distância de você, não vou te dar esse gostinho.

Kátia bebe o suco.

LEONARDO: Pato, ela só estava tentando ajudar.

PATO: Ajuda não se metendo na minha vida.

KÁTIA: Não está mais aqui quem falou.

LEONARDO: Podemos terminar o almoço em paz?

LUA: Ótima ideia, papai.

Eles seguem comendo.

CENA 15. RIO DE JANEIRO. EXT. DIA.

MUSIC ON: (LINHA DE FRENTE - CPM 22)

Orla do Leblon, movimentação das pessoas andando de bicicleta, caminhando pelo calçadão, passeando com cachorro. Na areia da praia, gente bonita e bronzeada, um grupo jogando futevôlei. O dia vai passando, o sol sai de cena, dando lugar a lua.

CENA 16. CASA CAIO. COZINHA. INT. NOITE.

MUSIC OFF.

Caio, Heitor e Selma jantam.

SELMA: Como foi na escola hoje, filho?

CAIO: Normal. Mas tenho novidades.

HEITOR: Novidades, é? Conta aí.

CAIO: To namorando.

SELMA: O que?

HEITOR: Que notícia boa, filhão. Fico feliz por você.

SELMA: Mas, assim, de uma outra pra outra? Quando aconteceu?

CAIO: Não foi bem de uma hora pra outra, mãe. A gente já tinha um rolo.

SELMA: Rolo? Mas, filho, não é precipitado?

HEITOR: Deixa o menino, Selma. Ele tá na idade. Acho até que demorou pra desenrolar isso aí. Você tem meu apoio, filhão. Quando vai trazer a garota pra gente conhecer?

CAIO: A gente pode marcar um jantar. Tudo bem por você, mãe?

SELMA: Pelo visto eu sou voto vencido né.

HEITOR: Liga não, Caio. Sua mãe tá com ciúme.

CAIO: Ih dona Selma, fica tranquila que você tem um lugar exclusivo no meu coração viu.

HEITOR: Esse meu filho é um poeta!

SELMA: Bobos! Tudo bem, vamos marcar esse jantar.

CAIO: Legal.

Heitor beija Selma em agradecimento.

CENA 17. APARTAMENTO DIEGO. QUARTO. INT. NOITE.

Naná está sentada no sofá folheando um álbum de fotografias, concentrada. Diego chega da rua.

NANÁ: Onde estava filho?

DIEGO: Por aí.

NANÁ: Deixei um prato pra você esquentar no microondas.

DIEGO: Ok.

Ele percebe o que ela está fazendo.

DIEGO: Que é isso?

NANÁ: As lembranças do seu avô. Nosso álbum de fotografias.

DIEGO: Hum. E por que tá vendo isso agora?

NANÁ: Às vezes a saudade é forte demais. Seu avô era um homem maravilhoso.

DIEGO: Não lembro bem.

NANÁ: Não se fazem mais homens como o meu Alfredo. Atencioso, romântico, sensível. O tipo de homem que sempre surpreendia pelas atitudes. Os anos que passamos juntos foram sem dúvidas os mais felizes da minha vida.

DIEGO: Pelo visto você tirou a sorte grande.

NANÁ: Uma vez ele fez uma serenata pra mim. Chamou uns amigos e quando eu menos esperei, lá estava ele, tocando a nossa música.

DIEGO: É isso!

NANÁ: Como?

DIEGO: Você acabou de me dar uma ótima ideia.

NANÁ: Que bom, filho. Fico feliz em poder ajudar. Mais feliz ainda fico com o fato de que hoje não brigamos. Diego, eu sei que as coisas não são fáceis pra você, mas, saiba que sempre pode contar comigo.

DIEGO: Ok. Vou comer.

Diego se afasta indo em direção a COZINHA.

Ele liga o microondas, dá um risinho sacana.

DIEGO: Já sei o que fazer pra te conquistar, Nanda. Dessa vez tu não me escapa.

CENA 18. MANSÃO PATO. QUARTO. INT. NOITE.

Pato deitado na cama, apenas de short. Lua abre a porta.

PATO: Ei, baixinha, tem que bater na porta. Já pensou se eu estivesse sem roupa?

LUA: Foi mal. Eu subi as escadas correndo. Tem uma mulher lá embaixo te procurando.

Pato sorri.

LUA: Quem é ela?

PATO: Minha gata.

LUA: Você está namorando?

PATO: Estamos ficando.

LUA (séria): Hum.

PATO (rindo): Que foi, que cara é essa?

LUA: Não fui com a cara dela.

PATO: Mas vocês nem conversaram.

LUA: Meu santo não bateu.

PATO: Não bateu porque você está com ciúmes?

LUA (séria): Qual é! Eu? Com ciúmes de você? Menos, Pato Lambertini, BEM menos.

PATO (ri): Hum… Sei. Mas valeu por avisar!

Pato pega a camiseta jogada na cadeira e veste. Sai em seguida.

LUA (pensa alto): Ciúme! Só que não! Mas que essa garota parece muito esnobe pro meu gosto. Não serve pro Pato.

Lua se retira.

CENA 19. CASA DE NANDA. QUARTA. INT. NOITE.

Nanda sai do banheiro enrolada em uma toalha. A porta do quarto é aberta.

ESTELA: Filha?

NANDA: Oi, mãe.

ESTELA: Eu e seu pai vamos assistir a saga do Crepúsculo, assiste com a gente?

NANDA (séria): De novo esse filme?

ESTELA: Eu adoro essa saga.

Nanda encara a mãe.

ESTELA (sorri): E aí, vamos?

NANDA: Hoje não vai rolar. Eu vou revisar a matéria. As provas estão se aproximando.

ESTELA: Amanhã eu te ajudo na revisão. Agora vamos curtir esse programa em família?

NANDA: Ai mãe, tá bom! Desço já!

ESTELA (comemora): Ótimo! Enquanto isso eu faço a pipoca!

NANDA: Vai nessa.

Estela sai do quarto, saltitante. Nanda observa, risonha.

CENA 20. CASA DE PAULINHA. SALA DE ESTAR. INT. NOITE.

Mirtes e Paulinha sentadas no sofá.

MIRTES: Filha, conversou com a Nanda?

PAULINHA: Sim.

MIRTES: E como foi?

PAULINHA (sorri): Fizemos as pazes.

MIRTES: Que maravilha. Veja o melhor dia e a convide para um jantar no Goumert Carioca.

PAULINHA: Sério?

MIRTES: Claro. Seus amigos ainda não conhecem meu restaurante né? Precisamos desfazer isso.

PAULINHA: Estranho.

MIRTES: Estranho por que?

PAULINHA: Você sempre foi tão chata quando o assunto seu trabalho. Não imaginava que ia querer meus amigos lá.

MIRTES: Eu me referi somente a Nanda. Não quero bagunça no meu estabelecimento hein.

PAULINHA: Tava demorando.

MIRTES: Não vamos brigar, ok? Estou feliz que as coisas se resolveram entre vocês duas.

PAULINHA: Eu também.

Paulinha sorri. Rubens chega.

RUBENS: Boa noite, família.

MIRTES: Boa noite.

Paulinha se levanta.

PAULINHA: Boa noite.

Ela se prepara pra sair.

RUBENS: Você fica, Paula. Precisamos conversar.

Paulinha revira os olhos.

CENA 21. APARTAMENTO. SALA. INT. NOITE.

CAM passeia pelo ambiente, bem organizado, com sofá, mesinha de centro, carpete por toda extensão do cômodo.

LUA (off): Oi. Meus pais pegaram meu celular na hora do jantar, só agora que eu consegui recuperar. Tava louca de ansiedade pra falar contigo.

CAM segue por um corredor estreito até encontrar uma porta aberta. ENTRA em um QUARTO,

LUA (off): Tá aí? Iago?

A luz está apagada e a claridade no ambiente se dá pela luz de um computador ligado, na tela mostra uma rede social aberta, no perfil de uma jovem bonita desconhecida (14 anos). Um celular na mesma mesa do PC sinaliza a chegada de mensagens.

Vemos, de costas, a silhueta de alguém levantando da cama e indo em direção ao computador. CAM detalha uma mão masculina pegando o aparelho celular. O homem desbloqueia o aparelho, revelando um app de mensagens com vários contatos de meninas, o primeiro é o de Lua. Ele abre a janela e clica no primeiro áudio que acabara de receber. Depois clica no segundo. Outro áudio está sendo gravado. Ele aguarda. O novo áudio chega e ele reproduz.

LUA (off): Estou enviando esses áudios porque acho que está na hora de conhecermos as nossas vozes. Essa é a minha, gostou? Agora é sua vez.

O homem senta-se em frente ao PC. CAM revela sua aparência: um homem de meia-idade (50 anos, cabelos grisalhos) sorrindo, malicioso.

 
     

 

     

autores
GABO OLSEN
DIOGO DE CASTRO


colaboração
IGOR FEIJÃO

elenco
NICOLAS PRATTES como PATO
ALICE WEGMANN como NANDA
JOSÉ VICTOR PIRES como DIEGO
LETÍCIA NAVAS como PAULINHA
JOÃO VITHOR OLIVEIRA como CAIO
LARISSA MANOELA como LUA
ERIBERTO LEÃO como LEONARDO
TALITA CASTRO como KÁTIA
JUAN ALBA como HEITOR
CAROLINA FERRAZ como SELMA
ÂNGELA LEAL como NANÁ
JANDIR FERRARI como MARCELO
ÂNGELA DIP como ESTELA
DALTON VIGH como RUBENS
LUCIANA VENDRAMINI como MIRTES
FILIPE BRAGANÇA como GREGO
LUCAS COTRIM como DJ
RAISSA CHADDAD como LARISSA
NICHOLAS TORRES como RICARDO
HESLAINE VIEIRA como ANDRÉIA
GABRIEL SANTANA como ISMAEL
CARLA FIORONI como JULIANA
MARCELLO AIROLDI como ARNALDO
VERA ZIMMERMANN como LÚCIA
SANDRA PÊRA como VANICE
WAGNER SANTISTEBAN como ALFREDO
MARISOL RIBEIRO como MILENA
JIDDÚ PINHEIRO como RAMIRO


trilha sonora
SIPPIN' ON SUNSHINE - AVRIL LAVIGNE (ABERTURA)
JULIANA – RAÇA PURA
BALA DE PRATA – FERNANDO E SOROCABA
LINHA DE FRENTE - CPM 22

produção

CRISTINA RAVELA


Esta é uma obra de ficção virtual sem fins lucrativos. Qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações da vida real terá sido mera coincidência.


REALIZAÇÃO


Copyright
© 2018 - WebTV
www.redewtv.com
Todos os direitos reservados
Proibida a cópia ou a reprodução
.aaa.
.aaa.

Compartilhar:

 
Copyright © WebTV | Design by OddThemes