Relações Perigosas - Capítulo 36 - WebTV - Compartilhar leitura está em nosso DNA

O que Procura?

HOT 3!

Relações Perigosas - Capítulo 36

Novela de Felipe Porto
Compartilhe:
Troque a Fonte Aqui


     
     
     

VALE A PENA LER DE NOVO: RELAÇÕES PERIGOSAS
 
     
 
 
     
  NO CAPÍTULO ANTERIOR DE "RELAÇÕES PERIGOSAS":

Rudá — E não sei como falar isso, Marcelo. Mas é sobre a dona Clara.

Marcelo — Pode falar. Não precisa se preocupar.

Rudá — Nas câmeras da garagem, ela aparece carregando uma coisa estranha.

Marcelo — Que coisa?

Rudá — Eu não tenho certeza. São dois tabletes de alguma coisa. Ela coloca eles dentro do carro e depois vai embora. Eu não gosto de fazer acusações sem ter certeza, mas pra mim aquilo parecia cocaína.

...

Rogério tira o celular do bolso e coloca em cima da cama. Faz o mesmo com o paletó. O celular apita e ele o pega.

Rogério — (Lê) Preste atenção no que você tem em casa. A sua mulher está te traindo.

Rogério guarda o celular no bolso.

Rogério — Bando de gente desocupada. A Bianca não iria fazer uma coisa dessas.

Em Rogério desconfiado.

...

Adelaide entra na sala.

Adelaide — O novo acionista chegou.

Marcelo — Ó! Não disse?

Gregório — Acho que tava esperando por você, Marcelo.

Gregório se levanta.

Gregório — (Para Adelaide) Pode mandar ele entrar.

Adelaide sai da sala. Closes alternado na expectativa de Marcelo e Gregório. Alguém entra, mas ainda não se vê quem é. Gregório e Marcelo reagem surpresos.

Música: Chasing Pirates - Norah Jones. [Até o Encerramento].

Gregório — (Incrédulo) Eu não to acreditando no que eu to vendo. Me diz que é mentira.

E então, revelamos Otávio.

Otávio — Não é mentira, não Gregório. Eu sou o novo acionista da Barão.

Closes alternados em: Marcelo surpreso, Gregório perplexo e em Otávio sorridente e superior.

 
     
 
     
     
     

CAPÍTULO 36
 
     
 

CENA 01. barão do alambique. sala de reuniões. Interior. Dia.

Continuação da última cena do capítulo anterior.

Gregório ainda incrédulo. Otávio sorri. Marcelo também sem ação.

Gregório — (Reage) Não! Você não! Eu não admito você como acionista da Barão.

Otávio — (Sorri/Debochado) Você não te que admitir nada, Gregório. Eu comprei parte das ações e agora sou o novo sócio de vocês. Isso é um fato e você vai ter que me engolir.

Gregório — Não engulo mesmo! Eu compro as suas ações se for preciso, mas eu não quero você aqui.

Otávio — Pode tentar comprar, mas eu não vou vender.

Gregório — A minha vontade é de te quebrar a cara!

Gregório ameaça partir pra cima de Otávio, mas Marcelo impede.

Marcelo — Ei! Calma! Onde vocês pensam que tão? No pátio do colégio pra saírem brigando? Ajam como dois homens de negócio!

Gregório ajeita a gravata.

Marcelo — Eu também não to feliz com o Otávio aqui, tio. Ele não cumpriu com a sua palavra enquanto era meu advogado, mentiu pra mim.

Otávio — (Baixo) Eu não sou o único que mente.

Marcelo — Mas ele comprou parte da ações e isso é um fato. Agora a gente precisa sentar e conversar.

Gregório — Eu não tenho nada que conversar com ele. Nunca fui com as fuças desse sujeito e não vai ser agora que isso vai acontecer.

Marcelo — (Aponta para a cadeira) Por favor, tio.

Gregório bufa, mas se senta. Marcelo e Otávio fazem o mesmo.

Gregório — Você sabe que a porcentagem que você tem não te dá direito à quase nada?

Otávio — Isso depende do ponto de vista.

Marcelo — Você comprou e agora é dono de 10% da Barão. Você tem direito a voto, mas ele sozinho não tem peso algum. Se você for contra à alguma coisa e eu e o meu tio Gregório formos a favor, ela é a aprovada mesmo assim.

Otávio — Estou ciente disso, Marcelo. Eu sei muito bem como funcionam essas coisas.

Marcelo — Ótimo, por mim essa reunião, apresentação, seja lá o que for isso, já pode ser encerrada.

Gregório — Por mim nem teria começado.

Marcelo se levanta. Otávio também.

Otávio — Outra coisa: Eu queria ficar à par de tudo que tá acontecendo na empresa e é claro, uma sala pra mim.

Gregório — (Levanta) Sala? Mas que absurdo!

Marcelo — Acho justo. Vou providenciar isso pra você. E quanto a deixar você por dentro de tudo, eu vou falar com a Adelaide e ela vai separar os relatórios pra você.

Otávio — (Admirado) Quem te vê falando assim, Marcelo, não imagina que você vivia no meio do nada.

Marcelo — Eu nunca fui burro, Otávio.

Otávio — Não quis dizer isso.

Marcelo vai sair.

Otávio — Acho que também seria uma ótima ideia fazer uma festa, um evento, ou algo do tipo pra anunciar o novo sócio da Barão.

Marcelo para e fica o pensativo.

Gregório — Deixa de falar bobagem. Um sócio minoritário sem importância alguma.

Marcelo — (Off/Pensa) Uma festa com todo mundo reunido... É a oportunidade perfeita pra desmascarar aquela vagabunda da Heloísa.

Marcelo se vira para os dois.

Marcelo — (Enfático) Vai ter festa, sim! E vai se na minha casa. Esse final de semana nós vamos apresentar o novo sócio da Barão do Alambique.

Gregório — Mas, Marcelo!/

Marcelo — (Corta) A casa é minha e eu quero dar essa festa. (Tom) Com licença.

Marcelo sai. Otávio fica encarando Gregório com um ar debochado. Tempo e Gregório sai. Em Otávio, vitorioso.

CENA 02. bistrô. ambiente. Interior. Dia.

Heloísa sentada à mesa, conversando com uma Mulher (30 anos, alta, elegante, cabelos curtos e escuros) que vamos chamar de Designer.

Heloísa — Então você é designer?

Designer — Exatamente, sou designer de produtos.

Heloísa — E você já sabe qual vai ser o seu trabalho?

Designer — Mais ou menos.

Heloísa — Então eu vou te explicar, mas desde já você tem que saber que o seu trabalho tem que ser feito no mais absoluto sigilo. Ninguém pode saber que você participou.

A designer concorda.

Heloísa — Então...

Heloísa continua falando, sem áudio.

CENA 03. BARÃO DO ALAMBIQUE. SALA DE LEANDRO. Interior. Dia.

Leandro trabalhando. Gregório entra de maneira intempestiva.

Leandro — Que susto você me deu!

Gregório — Sabe quem tava reunido comigo e com o Marcelo agora?

Leandro — Quem? (Lembra) Ah! O novo acionista? Quem é?

Gregório — Otávio Assunção.

Leandro — Quem?

Gregório — Aquele que era advogado da Ana Carolina e também foi do Marcelo. Eu não suporto aquele sujeito. Sempre fez de tudo pra ajudar a Ana a encontrar o filho. E não era por bondade, não! Era por interesse!

Leandro — É, mas gostando ou não, você vai ter que aguentar ele.

Gregório — Não sei se eu consigo.

Leandro — Acho que você deveria fazer um esforço. Mais do que isso! Eu acho que você deveria se aliar à ele.

Gregório — Eu e o Otávio? (Ri) Sem condições, Leandro.

Leandro — Pensa bem. Com ele do seu lado, você vai ter em suas mãos a maioria das ações da Barão. Não era isso que você sempre quis?

Gregório — É, mas...

Leandro — Taí uma boa oportunidade.

Pensativo, Gregório sai da sala. Leandro volta à trabalhar.

CENA 04. barão do alambique. antessala. Interior. Dia.

Gregório sai da sala de Leandro e entra em sua sala.

Marcelo e Otávio diante de Adelaide.

Marcelo — Adelaide, esse é Otávio Assunção o novo acionista da Barão.

Adelaide se levanta e o cumprimenta.

Adelaide — Muito prazer, doutor. Estou as suas ordens.

Otávio — Bom saber.

Marcelo — A gente tá precisando mesmo da sua ajuda. O Otávio vai precisar de vários relatórios pra ficar à par de tudo que tá acontecendo aqui na empresa. Igual vocês fizeram comigo quando eu comecei a trabalhar aqui.

Adelaide — Sim. Pode deixar, doutor Marcelo. Eu vou providenciar tudo pra ele.

Marcelo — Obrigado.

Otávio — Bom, como não tenho sala ainda, eu não vou ficar. Vou pro meu escritório.

Marcelo — Por falar nisso: o que você vai fazer com o seu escritório?

Otávio — Vou deixar na mão de funcionários de confiança. Mas eu consigo gerir ele, mesmo tendo que vir pra cá.

Otávio se despede de Marcelo e caminha em direção ao elevador. Tempo, o elevador se abre e saem de dentro Tarsila e um homem (70 anos, negro, cabelos e barbas brancas) todo vestido de branco e fumando um cachimbo.

Otávio olha com estranheza para a cena, mas acaba entrando no elevador.

Tarsila — É por aqui.

Tarsila e o pai de santo se aproximam de Marcelo, que olha para ele dos pés a cabeça.

Pai de Santo — To sentindo uma vibração pesada no ambiente.

Tarsila — Não disse? (Para Marcelo) Marcelo, eu trouxe esse pai de santo, ele atua no terreiro lá em Vargem Grande. Veio aqui pra fazer um trabalho de descarrego.

Marcelo — Descarrego?

Pai de Santo — Não se preocupe, que Oxalá tá comigo. Vou fazer uma limpeza aqui.

Adelaide se aproxima de Marcelo.

Adelaide — (Baixo) O senhor quer que eu chame os seguranças pra tirar esse homem daqui?

Marcelo — (Baixo) Não. Pode deixar.

O Pai de Santo começa a baforar a fumaça do cachimbo pelo local.

Pai de Santo — To sentindo energia pesadíssima vindo daquela direção.

E aponta para a direção da sala de Marcelo.

Tarsila — Vamos lá então. (Para Marcelo) Licença, Marcelo, mas ele precisa fazer o trabalho completo.

Marcelo faz gesto para eles seguirem. Tarsila e o pai de santo entram na sala de Marcelo. Tempo e Marcelo também entra.

CENA 05. BARÃO DO ALAMBIQUE. SALA DE MARCELO. Interior. Dia.

Música: Batuque de tambores.

Pai de santo, Marcelo e Tarsila. O pai de santo segue baforando o seu cachimbo e resmuna algumas coisas incompreensíveis.

Marcelo — O que ele tá falando.

Tarsila — Não faço ideia.

Pai de Santo — Silêncio que eu preciso de concentração pra sentir as energias negativas do ambiente.

O Pai de santo começa a dar uns tremeliques. Um pouco assustado, Marcelo olha para Tarsila.

Pai de Santo — Vamos ter que fazer um trabalho pra Oxalá. Ele sim vai conseguir tirar toda a energia densa daqui.

Marcelo — E que tipo de trabalho a gente tem que fazer pra esse tal Oxalá?

Pai de Santo — Vocês vão ter que sacrificar um carneiro... Aqui dentro.

Marcelo — (Surpreso) O quê?

[Música off].

CENA 06. GIACOMELLI EXPORTAÇÕES. SALA DE ROGÉRIO. Interior. Dia.

Rogério trabalhando. Tempo e seu celular apita. Ele pega e vê.

Rogério — (Lê) Tome cuidado com a sua mulher. Ela não é quem parece ser.

Rogério desliga o celular, intrigado.

Rogério — De novo isso?... Será que a Bianca tá mesmo me traído?

Em Rogério desconfiado.

CENA 07. gafieira. Interior. Dia.

Seu Coisinha com o celular na mão.

Seu Coisinha — Pronto, Luísa. Fiz o que você queria.

E guarda o celular no bolso.

CENA 08. barão do alambique. antessala. Interior. Dia.

Adelaide trabalhando. O elevador se abre e Heloísa sai de dentro dele. Marcelo vem da sua sala, acompanhado de Tarsila e do Preto Velho.

Tarsila — (Para o Pai de Santo) Então tá resolvido? O senhor consegue fazer o trabalho sem ter que matar o bichinho?

Pai de Santo — Vai ser mais complicado, mas eu vou conversar com a entidade e ver se ele aceita a oferenda dessa forma.

Tarsila — Vou ficar aqui torcendo. (Para Marcelo) Eu vou acompanhar ele.

Tarsila e o Pai de Santo entram no elevador, que logo em seguida se fecha.

Marcelo — (Ri/Pasmo) É cada uma que me aparece.

CENA 09. DELEGACIA. SALA DE VISITAS. Interior. Dia.

Luísa e Rogério. Conversa já iniciada.

Rogério — Eu vim te procurar porque sinceramente eu não sei mais à quem recorrer.

Luísa — Aconteceu alguma coisa.

Rogério — Eu tenho recebido umas mensagens estranhas sobre a Bianca.

Luísa — Tipo o quê?

Rogério — Que ela me trai.

Luísa — E você acha que é possível?

Rogério — Acho que tudo é possível vindo da Bianca. Eu fico meio incrédulo, mas aí eu penso: se ela engana o pai com os negócios, por que não enganaria a mim? Você que era amiga dela pode me dizer se/

Luísa — (Corta) Não, Rogério. Eu nunca fui amiga da Bianca. Muito pelo contrário! A ligação mais próxima que a gente teve, foi na época que o Wagner, meu ex-marido era um dos diretores da Giacomelli Exportações.

Rogério — Sim, mas você conheceu a Bianca muito antes de mim. Você acha que ela seria capaz de me trair?

Luísa — Eu acho que sim. Se eu fosse você, ficaria atento.

Em Rogério desconfiado.

CENA 10. rio de janeiro. ambiente. Exterior. Dia.

Música: Hoje – Ludmilla.

Stock-shot de ruas, avenidas e diversos outros pontos turísticos do Rio de Janeiro. [Música off].

CENA 11. colégio são sebastião. frente. Exterior. Dia.

Alunos vão saindo do colégio. Yasmin está no meio deles.

Marcelo  — (Off/Fora de plano) Yasmin?

Yasmin se vira e vê Marcelo. Se despede de algumas colegas e vai até ele.

Yasmin — Eu te conheço?

Marcelo — Marcelo Mascarenhas.

Yasmin — Ah! O que você tá fazendo aqui?

Marcelo — Eu preciso falar com você.

Yasmin — Comigo?! Acho que a gente não tem nenhum assunto em comum.

Marcelo — Tem sim: a Milena.

Yasmin — Ela não é assunto pra você. Eu sei como você fez ela sofrer.

Marcelo — Sim! Eu sei! E é por isso que eu to te procurando.

Yasmin — Pessoa errada, meu querido. Você tem que procurar ela e não à mim. (Tom) Aliás, como é que você me encontrou aqui?

Marcelo — A sua irmã falava muito de você. Mas isso não vem ao caso. O que eu queria era te pedir um favor.

Yasmin — Fala.

Marcelo — Eu sei que eu vacilei muito com a sua irmã, fui um idiota.

Yasmin — Um completo idiota.

Marcelo — Mas eu to arrependido.

Yasmin — Arrependido a ponto de pedir a separação?

Marcelo fica desnorteado.

Marcelo — (Gagueja) É... Então... É uma história complicada que eu não posso entrar em detalhes como você. (Tom) O fato é que por esses dias a sua família vai receber um convite pra uma festa na minha casa, pra apresentar o novo acionista da Barão do Alambique.

Yasmin — E o que eu tenho a ver com isso?

Marcelo — Tem que tá toda a sua família convidada. Pode ir você, pode ir a sua mãe, mesmo sabendo que ela não gostava da minha, pode ir o cachorro. Mas eu quero que a Milena também vá.

Yasmin — (Sorri) Acho difícil ela querer pisar na sua casa. Aliás! Acho difícil ela querer olhar pra sua cara depois de tudo que você fez.

Marcelo — Eu sei. E é por isso que eu quero a sua ajuda pra convencer ela à ir.

Yasmin — Por que eu faria isso?

Marcelo — Você ama a sua irmã? Você quer ver ela feliz?

Yasmin — É o que eu mais quero.

Marcelo — Então faz o que eu to te pedindo.

Yasmin suspira e concorda.

CENA 12. rio de janeiro. ambiente. Exterior. Noite.

Música: Chasing Pirates - Norah Jones.

Stock-shot da cidade do Rio de Janeiro à noite.

CENA 13. casa de gregório. sala. Interior. Noite.

Gregório e Tarsila entram da rua conversando. Música diminui o volume.

Gregório — Você quase acionou o alarme de incêndio com aquele fumacê todo.

Tarsila — Deixa de drama, Gregório. Aquilo era necessário pra purificar o ar. Aquela empresa tá com a vibração muito pesada.

Gregório — E agora com a chegada do Otávio, a vibração vai ficar em obesidade mórbida.

Gregório tira o paletó.

Gregório — Eu vou subir e tomar um banho pra relaxar.

Gregório vai subindo as escadas. Música [fade out].

Tarsila — E quando é que você pretendia me falar que o Marcelo tá preparando uma festa pra apresentar o novo acionista?

Gregório — Nunca. Até porque eu nem pretendo ir. Me recuso a participar dela.

Karina entra, vindo dos fundos da casa.

Karina — Opa. Ouvi festa?

Tarsila — Ouviu, filha. Uma festa que o seu pai não tá querendo ir por pura birra.

Gregório — Não é birra, Tarsila. Eu não vou ser macaco de auditório e ficar aplaudindo aquele sujeito.

Karina — Não vai ficar bem pra você, como presidente da empresa, não ir à festa.

Tarsila — Ela tem razão.

Gregório bufa.

Gregório — Vocês venceram. A gente vai na festa.

Tarsila comemora. Karina também.

Gregório — (Para Karina) Pode ir tirando esse sorriso do rosto, mocinha. Porque o vamos é: Tarsila, Leandro e eu. Você tá de fora.

Karina — (Revoltada) Isso não é justo! Eu queria ir também!

Gregório — Eu queria a maioria das ações da Barão, mas não tenho. A vida tem dessas.

Karina — Mas por que eu não posso ir?

Gregório — Por que lá não é lugar pra criança.

Karina — Eu não sou mais criança.

Gregório — Mesmo assim. Você não vai e ponto. (Tom) Agora vocês me dão licença que eu vou tomar meu banho.

Gregório vai subindo as escadas.

Karina — Tá, né! Se vocês querem fazer dessa casa uma ditadura, tudo bem. Pensei que a gente vivesse numa democracia.

Tarsila — Vivemos sim, querida. Numa democracia onde todos têm direitos. Nós temos o direito de mandar e você o direito de obedecer.

Em Karina emburrada.

CENA 14. casa de giancarlo. sala de jantar. Interior. Noite.

Giancarlo, Bianca, Rogério e Yasmin à mesa, jantando. Conversa já iniciada. Bianca com um convite em mãos.

Bianca — Uma festa na casa da Ana Carolina Mascarenhas?

Giancarlo — (Corrige) Na casa do Marcelo. A única casa que defunto tem é cemitério.

Bianca — Que seja. Eu ainda não to entendendo porque ele nos convidou. Não é segredo pra ninguém que a Ana e eu não nos dávamos.

Giancarlo — Vocês não se davam, mas as nossas empresas por muitos anos tiveram sociedade.

Bianca — Que foi rompida por causa dela.

Giancarlo — Independente disso Bianca. Essa festa é pra anunciar o novo sócio da Barão, não é uma festa particular. Vai ver o Marcelo quer voltar a trabalhar com a gente.

Bianca — Vai ficar querendo. Eu não tenho o mínimo interesse em voltar a ter ligação com eles. Já me deram muita dor de cabeça.

Giancarlo — Você pode até não querer, mas eu sou o presidente e dono da exportadora.

Rogério observa Bianca, pensativo. Bianca olha para Rogério.

Bianca — E você, Rogério? Vai ficar me olhando com esse ar displicente e não vai falar nada?

Rogério — Mesmo que a gente não fecha nenhuma pareceria de negócio com a Barão ou até mesmo que esse convite seja cordial e que o Marcelo não tenha nenhum interesse comercial na exportadora, acho que seu pai tem razão e devemos ir. (Tom) Você não acha, Bianca?

Bianca — Eu não sou capaz de opinar. Se vocês querem ir, que vão. Mas sem a minha presença.

Yasmin — Já vou pensar num look pra festa.

Bianca — E quem disse que você vai?

Yasmin — Eu e o convite.

Yasmin toma o convite das mãos de Bianca.

Yasmin — Aqui diz que o convite é extensivo à toda a família. Até onde eu saiba, eu também sou parte da família. Ou eu fui achada em um cestinho na porta de casa e nunca me falaram nada? Não, né. Então eu também vou.

Rogério — Deixa, Bianca. Se aí diz que o convite é pra toda a família, deixa ela ir.

Giancarlo — Será que a Milena chega a tempo. Faz uns dois dias que eu não falo com ela.

Yasmin — Chega sim. Ela me mandou uma mensagem e disse que tá voltando no final da semana. Tinha esquecido de avisar vocês.

CENA 15. ap de luísa. sala. Interior. noite.

Bernardo abre a porta para Marcelo. Os dois se cumprimentam e Bernardo conduz Marcelo até Wagner.

Bernardo — Marcelo, esse o meu pai. Pai, esse é o Marcelo.

Wagner — Prazer, Wagner.

Todos se sentam.

Wagner — Eu já sei de tudo o que tá acontecendo, Marcelo. E saiba que eu não concordo com o que a Heloísa fez com você.

Marcelo — Foi justamente sobre isso que eu vim conversar com vocês. Isso e sobre a Luísa.

Wagner — O que tem a Luísa?

Marcelo — Eu consegui uma prova que inocenta a Luísa.

Bernardo — Mesmo?! Que ótima notícia.

Marcelo — Sim. E se tudo der certo, a Luísa vai ser solta antes da festa.

Bernardo — Que festa?

Marcelo — Eu to promovendo uma festa na minha casa pra apresentar o novo acionista da Barão do Alambique. Mas na verdade isso é uma desculpa que eu encontrei pra reunir todo mundo.

Wagner — E por que você quer fazer isso?

Marcelo — Pra desmascarar a Heloísa na frente de todos.

Wagner e Bernardo se olham.

Wagner — Você tá certo disso? Isso vai causar muita polêmica e pode não ser bom pra imagem da Barão.

Marcelo — Tenho certeza, Wagner. E eu queria saber se eu posso contar com a ajuda de vocês?

Tempo no silêncio. Wagner e Bernardo pensativos.

Wagner — Da minha parte pode sim.

Bernardo — Da minha também.

Marcelo — Ótimo, então vou explicar pra vocês o que eu to querendo fazer.

Marcelo começa a falar, sem áudio.

Música: Another Sad Love Song - Toni Braxton.

CENA 16. rio de janeiro. ambiente. Exterior. Dia/noite.

Música continua. Stock-shot em ritmo acelerado de ruas, avenidas, praias e pessoas na cidade. Alternar ente dia e noite algumas vezes.

Legenda: Dias depois...

CENA 17. casa da giancarlo. sala. Interior. Dia.

Música [fade out]. Milena e Yasmin abraçadas, Giancarlo ao lado. Conversa já iniciada.

Milena — Eu também morri de saudades de você.

Yasmin — Encontrou algum Sheik Árabe pra você?

Milena — Não fui lá à passeio, meu bem. (Pra Giancarlo) Ah! Vô, foi tudo ótimo por lá. Muito em breve a Giacomelli Exportações também vai tá atuando nos Emirados.

Giancarlo — (Sorri) Eu sabia que ia dar tudo certo.

Milena — E o resto do povo? Cadê mãe? Cadê Rogério?

Giancarlo — Não faço ideia. Devem ter saído.

Yasmin — O pai deve chegar logo. Até porque tem a festa de noite.

Milena — (Curiosa) Que festa?

Giancarlo — Uma na casa do Marcelo Mascarenhas. A Barão do Alambique tá com um novo acionista e essa festa é pra apresentar o novo membro da empresa.

Milena — E desde quando vocês se relacionam com eles?

Giancarlo — Quem tem implicância com eles é a sua mãe, Milena. (Tom) E eu acho até bom nós estreitarmos os laços com eles. Ter os produtos deles pra exportar, seria ótimo.

Milena — E vocês vão?

Giancarlo — Inclusive você, se quiser.

Milena — Dispenso.

Giancarlo — (Se levanta) Você é que sabe. Se quiser ir...

Giancarlo vai para o escritório.

Yasmin — Milena... O Marcelo andou me procurando esses dias.

Milena — E desde quando vocês tem contato?

Yasmin — Desde nunca, mas ele me procurou e pediu pra mim te convencer à ir nessa festa.

Milena — (Ri) Ele tá é louco. Eu me recuso a entra naquela casa.

Yasmin — Se eu fosse você, eu iria.

Milena — Só que você não é eu! Não vou!

Yasmin — Ele falou de um jeito... Como se a sua felicidade dependesse da sua presença na festa.

Milena — Que bobagem, Yasmin. A minha felicidade é bem longe daquela gente.

Yasmin — (Se levanta) Bom, eu passei o recado.

Yasmin vai subindo as escadas. Milena balança a perna, inquieta. Tempo.

Milena — Eu vou.

Milena se levanta e vai até Yasmin, que está parada no meio das escadas.

Milena — Mas se eu me arrepender, a culpa vai ser sua.

Música: That I Would Be Good - Alanis Morissette.

CENA 18. rio de janeiro. ambiente. Exterior. noite.

Música continua. Stock-shot da cidade ao anoitecer. Último take é o da frente da casa de Gregório.

CENA 19. casa de gregório. sala. Interior. Noite.

Música [fade out]. Tarsila com vestido de festa, na beira da escada. Karina no sofá, observando a mãe.

Tarsila — (Grita) Vamos, Gregório! A gente vai se atrasar!

Karina — Não é justo vocês irem e me deixarem aqui.

Tarsila — Para de reclamar, Karina. (Grita) Gregório!

Gregório desce as escadas, vestindo black-tie.

Gregório — Você sabe que por mim eu nem iria nessa festa.

Karina — Deixa que eu vou no seu lugar.

Tarsila — A gente tá sem tempo pras tuas gracinhas.

Gregório — E o Leandro cadê?

Tarsila — Foi antes. Deve até tá chegando lá.

Gregório — Então vamos.

Gregório e Tarsila saem para a rua.

CENA 20. CASA DE ANA CAROLINA. JARDINS. Exterior. Noite.

Mulheres com vestido longo e homens de black-tie, circulam pelo jardim. Algumas pessoas vão entrando dentro casa.

CENA 21. casa de ana carolina. quarto de marcelo. Interior. Noite.

Heloísa vestida para a festa, finalizando sua maquiagem diante do espelho. Um pouco mais afastado, Marcelo coloca o paletó.

Heloísa — Já chegaram todos?

Marcelo — Acho que não, mas já tem várias pessoas lá e eu já vou descer. Você já tá pronta?

Heloísa — (Se levanta) Que tal estou?

Marcelo se aproxima de Heloísa e olha nos olhos dela.

Marcelo — (Sério) Nossa! Como você tá bonita hoje, Clarinha.

Heloísa — (Sorri) Você achou?

Marcelo — Tá linda... Tenho certeza que hoje você vai ser o centro das atenções.

Em Marcelo com olhar sombrio.

CENA 22. casa de ana carolina. sala. Interior. Noite.

Música ambiente tocando. Convidados circulam, conversam em grupos, bebem champanhe, etc. Otávio socializa com alguns convidados em uma roda, Leandro faz o mesmo em outra. Marcelo e Heloísa descem as escadas e vão falar com alguns convidados. Otávio vê Jardel e Giovanna entrando e vai até eles. Alguns fotógrafos disparam flashes nos convidados.

Otávio — (Rude) É muita cara de pau mesmo. O que vocês tão fazendo aqui?

Jardel — Nós fomos convidados pelo dono da casa.

Giovanna — Se não gostou, reclama com ele.

Otávio — A minha vontade é de expulsar vocês dois daqui, agora.

Jardel — Experimenta fazer isso.

Marcelo se aproxima.

Marcelo — Ninguém vai expulsar ninguém daqui. A festa até pode te apresentar como novo acionista, Otávio. Mas essa casa ainda é minha e eu convido pra entrar nela quem eu quiser. (Para Giovanna e Jardel) Aproveitem a noite.

Marcelo se afasta. Giovanna e Jardel sorriem para Otávio e também se afasta.

Giovanna — Quem diria que o Otávio ia se tornar acionista da Barão do Alambique. Eu tenho curiosidade em saber como ele conseguiu dinheiro pra comprar essas ações.

Jardel — Deve ter vendido a alma pro diabo.

Giovanna — Não duvido.

Jardel — E a Juliana? Não quis vir?

Giovanna — Não.

Corta para Gregório e Tarsila entrando na casa. Um fotógrafo se aproxima e tira uma foto do casal.

Tarsila — Não sabia que ia ter fotógrafos na festa.

Gregório — O Marcelo quis chamar a imprensa.

Otávio se aproxima do casal.

Otávio — Sejam bem-vindos à minha festa.

Tarsila — Obrigada.

Gregório não responde e se afasta de Otávio. Tarsila dá um tempinho e vai atrás do marido que está falando com Marcelo.

Gregório — Precisava mesmo de tudo isso, Marcelo?

Marcelo — Precisava sim e logo você vai entender o porquê.

Tarsila — Boa noite, Marcelo.

Marcelo — Boa noite, tia. Você tá muito bonita.

Tarsila — Obrigada.

Marcelo vê Giancarlo e Rogério entrarem.

Marcelo — Licença.

Marcelo vai até Giancarlo e Rogério.

Marcelo — (Cumprimenta Rogério) Rogério.

Rogério — Acho que você não conhece. Esse é o meu sogro, Giancarlo.

Giancarlo — Muito prazer.

Marcelo — Que bom que vocês vieram. (Tom/Olha par os lados) O resto da família não veio?

Giancarlo — Só a minha filha Bianca que não quis vir.

Marcelo vê Milena e Yasmin entrando, pede licença para Giancarlo e Rogério e vai até elas.

Marcelo — (Para Yasmin) Então você conseguiu convencer a sua irmã.

Yasmin — Estamos aqui.

Marcelo — Que bom que você veio, Milena.

Milena — (Seca) Eu vim pela festa e não por você. (Para Yasmin) Vamos.

Milena puxa Yasmin para longe de Marcelo. Heloísa se aproxima.

Heloísa — O que aquela mulherzinha tá fazendo aqui?

Marcelo — A família dela foi convidada. A empresa deles já foi muito importante pra nós. Não vai começar a fazer cena de ciúme no meio da festa.

Marcelo se afasta e deixa Heloísa observando Milena ao longe. [Música off].

CENA 23. casa de giancarlo. sala. Interior. Noite.

Toca no rádio O Bêbado e a Equilibrista – Elis Regina. Bianca dança sozinha com um copo de whisky na mão.

Bianca — Antes sozinha do que naquela festa com aquela gentinha.

Bianca cantarola a música por um tempo até que pega o celular, tecla e leva aos ouvido. Ela abaixa o volume da música do rádio.

CENA 24. casa de ana carolina. sala. Interior. Noite.

Música ambiente. Mesmos da cena 22. Gregório com Tarsila e mais alguns convidados. Ele vê o celular tocar e se afasta dos demais.

Gregório — (Cel) Você tá louca? Me ligando assim?

Bianca — (Off) To louca pra te ver. Vem pra minha casa. To sozinha.

Gregório — (Cel) Eu to no meio de uma festa. Não posso sair assim.

Bianca — (Off) Claro que pode. Eu sei que você também não quer tá aí. Dá uma volta em todo mundo e vem se encontrar comigo.

Gregório — (Cel) Mas na sua casa? É perigoso!

Bianca — (Off) Você sabe que eu adoro o perigo. Vem.

Gregório desliga o telefone e olha para os lados, tenso.

Corta para Heloísa, que vai até Milena. As duas não se olham.

Heloísa — Engraçado ver você aqui.

Milena — Engraçado por quê? To com cara de palhaço por acaso?

Heloísa — Palhaço não, mas talvez masoquista.

Milena — (Não entende) Que?

Heloísa — É. Porque só sendo masoquista pra você querer me ver com o Marcelo.

Milena olha para Heloísa, que dá um sorriso cínico.

Milena — To cagando pra sua felicidade.

Heloísa — Que linguajar feio pra uma festa tão elegante.

Milena — Uma festa com você não deve ser tão elegante assim.

Milena sai, superior. Heloísa continua com aquele sorriso.

Corta para Milena se aproximando de Yasmin.

Yasmin — O que ela queria com você?

Milena — Me provocar. Esfregar na minha cara a felicidade dela com o Marcelo.

Yasmin — Esquece aquela vadia. Não cai na pilha dela.

Milena — Tá difícil, Yasmin. (Pausa) To achando que eu não deveria ter vindo.

Milena disfarça e olha para Marcelo, que conversa com alguns convidados. Marcelo olha para Milena e ela desvia o olhar. [Música ambiente off].

CENA 25. casa de giancarlo. sala. Interior. Noite.

Bianca com o copo de Whisky na mão. No rádio toca Demais – Maysa. Bianca canta, acompanhando a música.

Bianca — (Cantando) Todos acham que eu falo demais. E que ando bebendo demais. Que essa vida agitada não serve pra nada/

A campainha toca. Bianca desliga o rádio, vai até a porta e a abre. É Gregório, que vai entrando.

Gregório — Não sei quem é mais louco. Você por me chamar ou eu por vir.

Bianca — Nós dois somos muito loucos.

Bianca puxa Gregório e o beija com desejo. Tempo e Gregório se afasta.

Gregório — (Preocupado) E os empregados?

Bianca — Dispensei todos. A casa é só nossa. (No ouvido de Gregório) Eu quero transar com você no meu quarto, na minha cama e do Rogério.

Gregório — (Sorri) Safada.

Bianca — Me possua.

Bianca e Gregório se beijam com ainda mais desejo. Bianca tira o paletó de Gregório e joga sobre o sofá. Os dois sobem as escadas aos beijos.

CENA 26. casa de ana carolina. sala. Interior. Noite.

Música ambiente. Festa acontecendo. Convidados conversar, fazem poses para os fotógrafos e etc. Tarsila vai até Marcelo.

Tarsila — Marcelo, você viu seu tio? Ele sumiu.

Marcelo — Não vi.

Marcelo vê Wagner entrando da rua.

Marcelo — Licença, tia.

Marcelo vai até Wagner.

Marcelo — E então?

Wagner — Ela já tá aqui.

Marcelo — Ótimo. É hora de começar o show.

Marcelo sobe alguns degraus da escada. [Música para].

Marcelo — Atenção todos. Eu gostaria de alguns minutos da atenção de vocês.

Todos os convidados olham para Marcelo.

Marcelo — Antes de mais nada eu queria agradecer a presença de todos vocês. Em meu nome e em nome da Barão do Alambique... Essa semana marcou uma mudança na nossa empresa: temos um novo acionista, o dr. Otávio Assunção.

Marcelo aponta para Otávio, que sorri. Todos aplaudem. Otávio faz menção de subir as escadas, mas Marcelo pede para esperar.

Marcelo — Mas tão importante quanto a entrada do dr. Otávio na Barão, é a nova linha de cachaças que a Barão do Alambique tá lançando em breve. E pra falar um pouco mais da linha visual que as novas embalagens vão adotar, eu chamo aqui: Clara Vargas.

Heloísa reage surpresa. Marcelo chama Heloísa, que hesita, mas acaba subindo ao lado de Marcelo.

Marcelo — Explica pra gente como vai ser.

Heloísa tensa e fica um tempinho em silêncio, até que fala.

Heloísa — Como o produto é focado no público jovem, nós estamos nos baseando nisso pra desenvolver as embalagens. O resto, só no dia do lançamento.

Heloísa vai descer, mas Marcelo a segura pelo braço.

Música: Instrumental suspense.

Marcelo — (Sério) Você fica.

Marcelo faz sinal para Wagner, que vai até a porta e entra com Luísa e Bernardo. Heloísa vê a mãe.

CENA 27. casa de giancarlo. sala. Interior. Noite.

Instrumental continua. Rogério entra da rua e fecha a porta. Caminha pela sala olhando tudo em volta, até que vê o paletó no sofá. Rogério vai até o sofá e pega o paletó. Em Rogério desconfiado.

CENA 28. casa de ana carolina. sala. Interior. Noite.

Instrumental continua. Sequência da cena 26. Heloísa olha surpresa para Luísa.

Heloísa — (Tensa/Para Marcelo) O que ela tá fazendo aqui?

Marcelo — (Para Heloísa) Não tá feliz com a sua mãe aqui? Ela veio trazer um presente pra você.

Heloísa — (Não entende) Quê?

Marcelo — Por favor! Tragam a televisão!

Wagner e Bernardo trazem uma mesa com uma TV grande e um DVD e a colocam perto da escada. Murmurinhos entre os convidados. Luísa se aproxima de Marcelo e entrega o DVD.

Luísa — Faça bom proveito.

Luísa desce as escadas.

Heloísa — O que é isso?

Marcelo — Você já vai ver.

Marcelo desce as escadas, liga e coloca o DVD no aparelho. Enquanto a TV mostra as imagens de Heloísa colocando as drogas no carro dela, Marcelo sobe as escadas e fica ao lado de Heloísa. Mais murmurinhos entre os convidados. Heloísa muito tensa.

Marcelo — Como vocês podem ver, a mulher que está aqui do meu lado, colocou drogas no próprio carro e colocou a culpa na própria mãe!

Heloísa — (Baixo) Marcelo, o que você tá fazendo?

Marcelo — (Baixo) Não tá gostando da festa, meu bem?

Heloísa — (Baixo) Se isso é algum tipo de brincadeira, pode parar agora.

Marcelo — (Alto) Mais do que isso! Ela enganou a mim! Enganou a todos nós! Essa mulher é uma farsante! (Baixo/Para Heloísa) Nesses últimos meses você não me fez de palhaço, Heloísa?... Pronto: armei o circo pra você.

Tensa, Heloísa encara Marcelo pro um tempo e logo em seguida olha para todos os convidados que cochicham e olham em sua direção. Explosão de flashes dos fotógrafos em cima de Heloísa. [Fade Out].

   

 

     



REALIZAÇÃO


Copyright
© 2016 - WebTV
www.redewtv.com
Todos os direitos reservados
Proibida a cópia ou a reprodução
.aaa.
.aaa.
Compartilhe:

14 anos

Capítulos de Relações Perigosas

No Ar

Novela

Relações Perigosas

Comentários:

0 comentários: