Relações Perigosas - Capítulo 25 - WebTV - Compartilhar leitura está em nosso DNA

O que Procura?

HOT 3!

Relações Perigosas - Capítulo 25

Novela de Felipe Porto
Compartilhe:
Troque a Fonte Aqui


     
     
     

VALE A PENA LER DE NOVO: RELAÇÕES PERIGOSAS
 
     
 
 
     
  NO CAPÍTULO ANTERIOR DE "RELAÇÕES PERIGOSAS":

Milena
 — Eu fui até a sua casa disposta a contar pra Clara sobre o nosso romance.

Marcelo — (Surpreso) Você o que?!

Milena — Isso que você ouviu, mas eu nem precisei falar nada porque ela já sabia de tudo.

Marcelo — Ela já sabia?

Milena — Sim e ainda por cima jogou na minha cara que você nunca vai deixar ela. (Tom) E sabe que no fundo eu acho que ela tem razão?

Marcelo — Não dá ouvidos pra o que a Clara disse. Ela tava nervosa?

Milena — Nervosa?! Ela me disse absurdos! Que ia fazer o que precisasse pra manter você do lado dela.

Marcelo — E que mulher não faria isso? Ela tá agindo com a emoção, Milena.

Milena — Você tá defendendo ela? É isso que eu to ouvindo?

Marcelo — (Pondera) Eu não to defendendo ninguém. Eu to tentando fazer você entender o lado dela. A Clara tá tentando defender o que é dela. (Se corrige) Não que eu seja dela, mas você me entendeu.

Milena — Eu to entendendo que você é um idiota, um trouxa que deixa a Clara fazer o que quer com você.

Marcelo — Isso não é verdade, Milena.

Milena — É verdade sim! Você é um otário! Não percebe que ela tá te manipulando? Usando desses acontecimentos pra te deixar penalizado? Amarrado a ela? E pelo jeito você tá caindo feito um patinho.

Marcelo — Eu vou relevar isso porque você tá nervosa.

...
 

Heloísa — A vadia da Milena deve tá brigada com o Marcelo. Esse é o momento ideal pra você dar o bote.

Leandro — Como você sabe disso?

Heloísa — Ela teve a cara de pau de ir até a minha casa falar comigo. Aí eu não aguentei e falei que sabia do caso deles e que ele nunca ia largar ela.

Leandro — (Reage) Você tá louca!

Heloísa — (Sorri) Por quê? Eu só falei a verdade. O Marcelo nunca vai me largar pra ficar com aquela lá.

Leandro — Como você é burra! Você não percebe o que você fez? Agora que a Milena sabe que você descobriu o caso deles, é óbvio que ela vai correndo contar pro Marcelo.

Heloísa — (Dá de ombros) Por mim pode contar, to nem aí. Quem sabe não é até melhor. O Marcelo vai morrer de culpa e vai comer na minha mão.

Leandro — (Completa) Ou vai dar um chute na sua bunda de uma vez por todas. (Tom) Você não pode agir com a emoção, Heloísa. Era muito melhor você ter ficado calada. Agora se prepara por que o Marcelo vai querer falar com você sobre isso.

Em Heloísa.

...

Bianca — (Cel) Não sou eu quem tá ressuscitando ele e sim o seu sobrinho e a Milena. Eu acabei de escutar que o Marcelo contratou alguém pra encontrar esse juiz.

Gregório — (Off) Como é que é?

Bianca — (Cel) Isso que você ouviu, Gregório. O cerco tá se fechando. A gente precisa encontrar esse sujeito antes deles e impedir que eles descubram que a gente subornou o juiz pra arquivar o processo da morte do Coimbra.

Em Bianca tensa.

 
     
 
     
     
     

CAPÍTULO 25
 
     
 

CENA 01. CASA DE GREGÓRIO. QUARTO DE GREGÓRIO E TARSILA. Interior. dia.

Música: Instrumental Suspense.

Continuação da sequência final do capítulo anterior. Gregório falando ao celular.

Gregório — (Cel) Calma, Bianca.

Bianca — (Off/Irritada) Calma, nada! A gente precisa fazer alguma coisa.

Gregório — (Cel) Sim, você tá certa. Amanhã bem cedo a gente se encontra no lugar de sempre pode ser? (Pausa) Tá bem. Tchau.

Gregório desliga o celular, preocupado. [Instrumental off].

Gregório — Mais essa...

Tarsila sai do banheiro.

Tarsila — Falou alguma coisa?

Gregório — Nada.

Na preocupação de Gregório.

CENA 02. casa de giancarlo. quarto de bianca e rogério. Interior. dia.

Abre em Bianca tensa, com o celular em mãos. Tempo e Rogério entra no quarto e percebe a tensão de Bianca.

Rogério — Você parece tensa? Tá tudo bem?

Bianca — Tá. Estresse do trabalho. (Tom) Vi você lendo uns papéis que parece ser de um processo. Achei que você não atuasse como advogado.

Rogério — E não atuo. Isso é só um favor que eu to fazendo. Nada de mais.

CENA 03. carro de leandro. ambiente. Interior. Dia.

Continuação da cena 18 do capítulo anterior. Leandro e Heloísa conversado dentro do carro estacionado.

Heloísa — Você acha mesmo que o Marcelo vai querer falar sobre o casinho dele com a Milena? Ele não teria coragem, vai querer fingir que nada aconteceu. Nenhum homem admite que traiu.

Leandro — É, mas o Marcelo tem aquela coisa tosca chamada princípios. Sabe o que é isso? Acho que não, né?

Heloísa — (Irônica) Eu não sei e você muito menos.

Leandro — Você fica de deboche, mas é o seu que tá na reta. Eu to limpo, posso seguir com os meus planos, já que nenhum dos dois sabem que eu sei de tudo.

Heloísa — (Irritada) Ah Leandro! Tudo bem que eu fiz merda falando tudo pra Milena, mas é que eu não tenho sangue de barata! Quando eu vi aquela putinha na minha frente eu fiquei cega de ódio e quando vi eu tava falando tudo.

Leandro — Esse é o seu problema, Heloísa: você não consegue controlar a sua raiva. (Tom) A nossa raiva precisa ser controlada e extravasada no momento e com a pessoa certa. Com eu faço.

Heloísa — É, só que eu não aguentei ver aquela cena. Eu não sou que nem você: um corno manso que não faz nada.

Irritado, Leandro aperta o pescoço de Heloísa.

Leandro — (Raiva) Nunca mais repete isso, sua vadia.

Heloísa — (Sufocada) Me solta. Tá me machucando.

Leandro aperta mais forte.

Leandro — É pra machucar mesmo.

Leandro solta Heloísa, que passa a mão no pescoço.

Heloísa — (Ofegante) Tá maluco? Quase que você me mata asfixiada.

Leandro — Para de fazer drama.

Heloísa massageia o pescoço.

Leandro — E fique você sabendo que eu ainda não fiz nada, porque eu penso a longo prazo. Tenho planos muito mais interessantes praqueles dois.

Heloísa — Tá, me leva pra casa que o táxi que me deixou aqui já foi embora.

CENA 04. casa de giancarlo. quarto de yasmin. Interior. Dia.

Yasmin mexe no celular. Milena ainda por ali, mexe nas gavetas e tira um esmalte.

Milena — Ah tava procurando essa cor. Empresta?

Yasmin — Pode levar. (Tom) Sabe o que o Leandro fez?

Milena senta, abre o esmalte e começa a passar nas unhas.

Milena — Não sei e nem quero saber.

Yasmin — Jogou um vídeo da Juliana.

Milena — Quem é Juliana?

Yasmin — Aquela que você flagrou se pegando com ela!

Milena — (Revira os olhos) Ah. Valeu por lembrar. (Tom) Mas que tipo de vídeo?

Yasmin — Aquele tipo de vídeo: “vou gravar, mas não vou mostrar pra ninguém”.

Milena — Que horror. Não sei como eu ainda me surpreendo com o Leandro.

Yasmin — Ele pegou pesado.

Milena — E a vadiazi/ (Pigarreia) Digo, e a sua amiga. Como tá?

Yasmin — Tá super mal. Quer matar o Leandro.

Milena — E com toda a razão.

Yasmin — Ficou bem essa cor de esmalte em você.

Milena — E o que não fica bem em mim, meu amor?

Yasmin — (Brinca) Os chifres que o Leandro colocou em você.

Milena — (Sorri) Eu não vou responder com o tapa que você merece, porque eu não quero estragar a minha unha.

Música: I'm Happy Just to Dance With You - The Beatles.

CENA 05. rio de janeiro. ambiente. Exterior. noite.

Música continua. Stock-shot de diversos pontos da cidade. Último take da fachada da casa de Gregório. [Música off].

CENA 06. casa de gregório. quarto de Leandro. Interior. Noite.

Leandro entra no quarto e fecha a porta. Se deita na cama.

Música: Instrumental Suspense.

Leandro — Se depender da Heloísa, a gente não vai conseguir afastar o Marcelo e a Milena. (Pausa) Eu preciso pensar em um jeito de colocar aquela minha ideia de matar o Marcelo em prática, mas pra isso eu tenho que ficar sozinho com ele. Num lugar afastado, mas...

Leandro fica pensativo por um tempo. Sorri e se levanta.

Leandro — Acho que eu já sei o que fazer.

Em Leandro misterioso.

CENA 07. casa de ana carolina. quarto de marcelo. Interior. Noite.

Música: Instrumental Suspense.

Heloísa com o celular na mão. Assiste o vídeo da morte de Clara.

Heloísa — (Incomodada) Eu preciso descobrir se foi a Clara mesmo que mandou esse vídeo ou se foi uma brincadeira de alguém que quer me torturar. Mas eu tenho certeza que eu matei aquela cretina.

Marcelo abre a porta e entra. Heloísa desliga o celular.

Marcelo — Clara. A gente precisa conversar.

Heloísa — (Disfarça) Sobre o que?

Marcelo — Você sabe sobre o que.

No incomodo de Heloísa. [Instrumental off].

CENA 08. ap de otávio. sala. Interior. Noite.

Giovanna sozinha na sala, fala ao celular.

Giovanna — (Baixo) Amor. Acho que encontrei um lugar na serra pra gente passar o fim de semana. (Pausa) Na casa que a gente tem. (Pausa) Não! Não é perigoso. A gente vai ter um fim de semana inesquecível.

Giovanna desliga o celular e vai sorridente para a cozinha. Vemos Otávio escondido no alto da escada.

Otávio — Pode ter certeza que vocês vão ter um final de semana inesquecível.

CENA 09. casa de ana carolina. quarto de marcelo. Interior. Noite.

Continuação da cena 07. Marcelo diante de Heloísa.

Heloísa — Não sei não. Sobre o que.

Marcelo — Sobre a Milena.

Heloísa — Sobre a sua amante?

Marcelo — Ela não é minha amante, Clara.

Heloísa — Tem certeza?

Marcelo — Eu admito que nós dois tivemos um envolvimento e/

Heloísa — Você gosta dela?

Marcelo — Estaria mentindo se te dissesse que não sinto nada por ela.

Heloísa dá as costas pra Marcelo.

Marcelo — Clara, olha pra mim.

Heloísa — Você vem falar comigo sobre outra mulher e quer que eu olhe pra você?

Marcelo — Você tem todo o direito de ficar chateada comigo. Eu até vou entender se você quiser colocar um fim no nosso casamento.

Heloísa se volta para Marcelo.

Heloísa — Nunca! Eu te amo! Apesar de eu agora achar que isso não é recíproco.

Marcelo — É sim, Clara! Eu também te amo.

Heloísa — E me trai?

Marcelo — Eu sempre fui transparente com você não fui? Lembra quando eu transei com a Heloísa, pensando que ela era você?

Heloísa reage, incomodada.

Heloísa — Por que você veio lembrar disso agora?

Marcelo — Por que daquela vez eu poderia ter omitido o que aconteceu, mas eu fui sincero. Agora eu também to sendo.

Heloísa — Mentira! Você não teria dito nada se ela não tivesse vindo aqui! Sabe por quê? Porque você tá gostado dela!

Marcelo — Sim, eu gosto da Milena, mas também gosto de você.

Heloísa se aproxima e Marcelo e o toca.

Heloísa — Esquece ela. A gente era tão feliz antes dela aparecer. Vamos sumir daqui, fazer uma viagem, só nós dois.

Marcelo — Não dá, eu to começando a me envolver com a Barão do Alambique. Não é certo eu sair agora.

Heloísa — A droga daquela empresa é mais importante que salvar o nosso casamento?

Marcelo — Não, Clara. Só que não é uma viagem que vai fazer os nossos problemas sumirem. Quando a gente voltar eles vão continuar aqui.

Heloísa — Você sabe qual é o nosso problema, né?

Marcelo — Clara/

Heloísa — (Interrompe) Não fala nada. Eu poderia fazer um escândalo, dizer que você foi um canalha me traindo, mas eu não vou fazer nada disso. Eu vou te dizer a mesma coisa que eu falei praquela lá: Eu vou fazer de tudo pra você esquecer ela e voltar a me amar como quando a gente se conheceu.

Heloísa dá um longo beijo em Marcelo.

Heloísa — Hoje eu vou dormir no quarto de hóspedes.

Marcelo — Não, Clara. Espera.

Heloísa já saiu. Em Marcelo um pouco chateado.

CENA 10. casa de ana carolina. quarto de hóspedes. Interior. Noite.

Heloísa entra o quarto, pega o celular e leva até o ouvido.

Heloísa — (Cel) Leandro? Fiz o que você me sugeriu. Hoje o Marcelo veio me falar sobre a Milena, mas eu não fiz barraco, não fiz escândalo, fiquei na minha. Me fiz de coitada, de vítima. Espero que essa sua tática funcione.

CENA 11. CASA DE GREGÓRIO. QUARTO DE LEANDRO. Interior. Noite.

Leandro falando ao celular.

Leandro — (Cel) E vai dar. Ele vai se sentir culpado e vai ficar abalado. Aí é só você atacar ele.

Leandro desliga o celular.

Leandro — Depois vai ser a minha vez de atacar ele.

Em Leandro sorrindo.

CENA 12. casa de ana carolina. jardim. Exterior. Noite.

Marcelo caminha descalço pela grama. Se aproxima de um canteiro de flores, se abaixa e coloca as mãos na terra. Rudá se aproxima.

Rudá — Você gosta disso né?

Marcelo — Natureza? Gosto muito. Faz eu lembrar da minha vida antes disso tudo acontecer. Pés na grama, mãos na terra. É bom entrar em sintonia com a natureza. Faz a gente esquecer dos nossos problemas.

Rudá — Eu sei que não é da minha conta, mas o problema tem a ver com a visita da Milena?

Marcelo — Tem, a Clara já sabe do nosso caso.

Rudá — E aí?

Marcelo — E aí que ela ficou chateada comigo. E com toda a razão! Mas o pior de tudo é que ela não me xingou, não fez escândalo nem nada.

Rudá — E isso é ruim?

Marcelo — Não sei, Rudá. Não sei.

Rudá — Você vai colocar um fim no seu relacionamento com a Milena?

Marcelo — Eu não vou conseguir. Eu amo ela.

Rudá — Então se separa da dona Clara.

Marcelo — Eu também amo ela Rudá. Eu amo as duas, de formas diferentes, mas amo! E ficar entre esses dois amores é que me fez tão mal. Eu não sei o que fazer. Tudo seria mais fácil se eu não gostasse das duas.

Rudá — Ninguém manda no coração.

Marcelo — Eu sei. Talvez quem não tenha coração, consiga ser mais feliz.

Música: More Than I Can Say - Leo Sayer.

CENA 13. RIO DE JANEIRO. ambiente. Exterior. Dia.

Música continua. Stock-shot da cidade ao amanhecer. [Música off].

CENA 14. hotel. bar. Interior. Dia.

Bianca e Gregório sentados à mesa.

Bianca — Eu não preguei o olho pensando nessa história do juiz.

Gregório — Você acha que tem chances deles descobrirem o paradeiro dele?

Bianca — Insistente do jeito que eles tão? Não duvido.

Gregório — Mas quem garante que o juiz vá falar que a gente subornou ele?

Bianca — Ninguém garante, Gregório. Assim como ninguém garante que ele se lembre disso. Mas a gente não pode se basear em suposições. A gente precisa agir.

Gregório — A gente vai atrás dele?

Bianca — Isso mesmo. Agora vai ser uma corrida contra o tempo, pra encontrar esse homem antes do Marcelo ou da Milena.

Em Bianca decidida.

CENA 15. colégio são sebastião. corredor. Interior. Dia.

Alunos circulam pelo corredor. Yasmin e Juliana conversam.

Yasmin — Como é que você tá?

Juliana — Não aguentando ouvir comentários maldosos.

Yasmin — Esquece isso.

Juliana — É difícil.

Yasmin — Daqui a pouco todo mundo esquece isso.

Juliana — E enquanto não esquecem, eu vou ter que aguentar esses olhares irônicos de todo o colégio. (Tom) Pelo menos esse vídeo ainda não caiu nas mãos dos meus pais.

Yasmin — Ó! Viu que tudo tem um lado bom?

Juliana — Também não exagera, né Yasmin!

CENA 16. casa de ana carolina. cozinha. Interior. Dia.

Dolores mexendo nas panelas. Aparecida vem da sala de jantar.

Dolores — Como tá o humor do povo na sala?

Aparecida — Sei lá. Aquilo lá tá mais deprimente que filme mudo.

CENA 17. casa de ana carolina. sala de jantar. Interior. Dia.

Marcelo e Heloísa tomando café no mais absoluto silêncio. Ambos se olham, mas não falam nada. Marcelo pigarreia.

Marcelo — Então... Eu já falei com o tio e ele já arrumou uma sala pra você na Barão.

Heloísa — Pra que?

Marcelo — Esqueceu que você vai trabalhar no design das embalagens da nova cachaça da Barão?

Heloísa se engasga.

Marcelo — Tá tudo bem?

Marcelo bate nas costas de Heloísa.

Heloísa — Tá sim. Me engasguei.

Marcelo — Semana que vem você já pode começar o projeto. Pode ser?

Heloísa — É... Será que eu sou a pessoa mais indicada?

Marcelo — É sim.

Heloísa — (Incomodada) Tudo bem. Se você acha, semana que vem eu começo a desenhar as embalagens.

No incomodo de Heloísa.

Música: Eu Sou Egoísta – Pitty.

CENA 18. rio de janeiro. ambiente. Exterior. Dia.

Música continua. Stock-shot da cidade, indicando a passagem de algumas horas. [Música off].

CENA 19. rua. Interior. Dia.

Rua nas redondezas do colégio. Juliana caminha quando um garoto de uns 16 anos se aproxima dela.

Garoto — Você tava uma delícia naquele vídeo.

Juliana — Eu te conheço?

Garoto — Não. Mas se quiser a gente pode se conhecer melhor.

Juliana — Ah vai à merda.

Juliana segue andando, mas o garoto segura o braço dela.

Garoto — Espera, gatinha. Tá arredia?

Juliana — Me solta!

Garoto — Que foi? Vai fazer joguinho? To ligado que você é uma safada e/

Juliana — (Corta) Cala a boca! O que você sabe de mim?

Garoto — Eu vi o seu vídeo.

Juliana — Me solta!

Escuta-se uma voz fora de plano.

Bernardo — Solta ela.

O garoto olha para Bernardo.

Garoto — Ou então o que você vai fazer?

Bernardo — Quebrar a sua cara. Quer pagar pra ver?

O garoto encara Bernardo por alguns instantes e acaba largando Juliana. O garoto vai embora.

Bernardo — Tá tudo bem com você?

Juliana — (Indiferente) Sim.

Juliana dá as costas para Bernardo.

Bernardo — (Baixo) Aquela não é a garota que o Leandro jogou o vídeo na net?

Bernardo vai atrás de Juliana e a vira para si. Os dois se encaram.

Bernardo — É você!

Closes alternados.

CENA 20. barão do alambique. sala de marcelo. Interior. Dia.

Leandro joga uma pasta sobre a mesa. Marcelo a pega.

Leandro — Taí.

Marcelo — Obrigado. (Tom) Hoje eu falei com a Clara e ela vai começar a trabalhar no projeto da nova cachaça da Barão ainda na semana que vem.

Leandro — (Sorri/Irônico) É mesmo? Que bom.

Marcelo — Sim. (Tom) E a Milena?

Leandro — (Surpreso) O que tem ela?

Marcelo — Como ficou a história de vocês depois que se separaram? Você tá com outra? Ela tá com outro?

Leandro — (Off/Pensa) Ah seu filho da puta. Tá querendo saber se eu sei do casinho de vocês, né?

Leandro encara Marcelo com um sorriso amarelo.

Leandro — Não nem eu e acho que nem ela. Eu amo demais ela e vou fazer de tudo pra reconquistar ela... Você não acha que eu to certo?

Marcelo — (Gagueja) Claro, você tá certo.

Leandro — Bom trabalho.

Leandro sai com um sorriso vitorioso.

CENA 21. rua. ambiente. Exterior. Dia.

Continuação da cena 19. Bernardo segurando o braço de Juliana. Ambos se olham. Tempo e ela se solta.

Juliana — (Irritada) Sou eu o que? Ah já sei! Você viu a merda daquele vídeo, né?

Bernardo — Não. É que...

Juliana — Se você também vai ficar com gracinha por causa do/

Bernardo — (Corta) Não! Deixa de ser desconfiada garota. Eu não vou fazer nada com você.

Juliana — Tenho minhas razões pra tá desconfiada.

Bernardo — Tá tudo bem com você?

Juliana — (Rude) O que você acha?

Bernardo — Foi só uma pergunta. Não precisa ser grossa.

Juliana — Eu falo do jeito que eu quiser.

Juliana dá as costas pra Bernardo e sai andando.

Bernardo — Não vai nem me agradecer por eu ter te salvado?

Juliana — (Sem virar) Não!

Música: Meu Novo Mundo - Charlie Brown Jr.

Bernardo ri.

CENA 22. rio de janeiro. ambiente. Exterior. Dia/noite.

Música continua. Stock-shot da cidade e de pessoas em suas atividades cotidianas, em ritmo acelerado. Alternar takes durante o dia e a noite, indicando passagem de alguns dias. [Música fade out].

CENA 23. bar. ambiente. Interior. Dia.

Heloísa e Perceu sentados à mesa. Conversa já iniciada.

Heloísa — E então? Que novidades você tem pra mim?

Perceu — Duas pessoas vieram visitar a sua mãe.

Heloísa — Eu e o Bernardo, o meu irmão.

Perceu — Não. Além de vocês.

Heloísa — Você tem os nomes aí?

Perceu — Tenho.

Perceu pega um papel.

Perceu — Anotei aqui: Rogério Maciel o outro eu não consegui anotar o nome, é alguma coisa Duarte.

Heloísa — (Pensativa) Rogério Maciel... Esse nome não me é estranho... (Lembra) Ah! Claro! É o padrasto daquela vadia da Milena. (Tom) Mas de onde eles se conhecem? (Lembra) Sim, do tal atropelamento. (Pra Perceu) E esse não sei o que Duarte? Como ele é?

Perceu — Branco, alto, cabelos levemente grisalhos.

Heloísa — (Irônica) Nossa, você é ótimo em retrato falado, hein? (Pensativa) Por que será que o Rogério tá vindo visitar a mãe? Será que eles viraram amiguinhos? (Sorri) Ou será que tá rolando algo mais?

Heloísa dá uma gargalhada.

Heloísa — Não. Deve ser loucura minha.

Perceu pega na mão de Heloísa.

Perceu — Já fiz a minha parte no trato. Quando é que eu vou ser recompensado?

Heloísa — (Sorri/Sensual) Calma. Quem vai com muita fome ao pote, acaba derrubando ele e ficando sem comida nenhuma.

Perceu — É que eu to faminto.

Heloísa — Eu te entendo. Logo logo você vai conseguir saciar essa fome.

Heloísa se levanta e sai. Em Perceu.

CENA 24. casa de gregório. sala de jantar. Interior. Dia.

Tarsila e Karina tomam café da manhã. Karina come afobada.

Tarsila — Credo, Karina. Come mais devagar! Até parece que é um mendigo que nunca viu comida na frente. Tudo isso é fome?

Karina — (Com a boca cheia) Não. É pressa mesmo. To atrasada.

Tarsila — Ai! Não fala de boca cheia! Foi essa a educação que eu te dei?

Karina engole.

Karina — Você? Digamos que você não me deu muito isso né?

Tarsila — Sempre com uma respostinha na ponta da língua? Aprendeu com quem isso?

Karina — Não vou almoçar em casa.

Tarsila — Vai onde? Posso saber?

Karina — Pra casa do primo. Tenho um trabalho pra fazer com o Samuel.

Tarsila — Who is Samuel?

Karina — É o/

Tarsila — (Corta) Ah o irmão do empregado. (Tom) Meu anjo, me diz uma coisa: quando você crescer você vai comandar uma ONG, uma fundação ou algo do tipo?

Karina — Acho que não, por quê?

Tarsila — Porque eu nunca vi alguém gostar tanto de se meter com os pobretões.

Gregório entra e se senta à mesa.

Gregório — Bom dia, meninas. O Leandro já foi pra Barão?

Tarsila — Já. Esse pelo menos não me dá desgosto.

Karina — Para de drama, mãe. Aqui ninguém vai te dar o Oscar.

Gregório — O que você fez, Karina?

Karina — Eu não fiz nada.

Tarsila — Só tem essa mania de se meter com o proletário.

Karina — E você essa mania de ser preconceituosa.

Tarsila — Preconceituosa não! Elitista.

Karina — Pra mim dá no mesmo.

Tarsila — (Pra Gregório) Sua filha vai fazer um trabalho na casa do Marcelo com o filho do jardineiro.

Gregório — Que bom.

Tarsila — (Surpresa) Quê?!

Karina — Toma! Poderia ter acordado sem essa.

Gregório — Filha do meu coração.

Karina — Ih! Quando vem com essa conversinha é porque você quer pedir coisa.

Gregório — Já que você vai tá lá na casa do Marcelo, tenta descobrir algo.

Karina — Algo tipo o que?

Gregório — O Marcelo anda meio estranho.

Tarsila — Isso ele sempre foi.

Gregório — Mais estranho ainda.

Karina — Mas ele não vai tá na Barão?

Gregório — Sim, mas você pode acabar escutando alguma coisa.

Karina — Eu não vou ficar ouvindo conversa dos outros.

Gregório — Nem precisa. Mas se você escutar algo sem querer...

Karina — Tá, vou pensar. (Se levanta) Tchau.

CENA 25. barão do alambique. sala de heloísa. Interior. Dia.

Heloísa senta em sua cadeira. Marcelo diante dela.

Marcelo — Gostou da sala?

Heloísa — É. Gostei.

Marcelo — Ela é diferente do resto das salas. Ela tem essa mesa especial pra colocar pranchetas dos seus desenhos e etc. Tem mais iluminação também.

Heloísa — Ela é ótima.

Batidas na porta. Leandro entra.

Marcelo — Leandro?

Música: Instrumental Suspense.

Leandro — Vim dar as boas vindas pra Clara.

Leandro se aproxima de Heloísa.

Leandro — E desejar sorte no inicio desse novo projeto. (Sorri/Irônico) Tenho certeza que ela vai fazer um ótimo trabalho.

Discretamente, Heloísa olha com raiva para Leandro. O celular de Marcelo toca. Ele se afasta um pouco e atende.

Marcelo — (Cel) Alô?

CENA 26. carro de giancarlo. ambiente. Interior. Dia.

Instrumental continua. Milena dirige enquanto fala ao celular.

Milena — (Cel) Marcelo, aquele seu amigo, o Jardel, me ligo. Ele conseguiu achar o juiz que arquivou o processo da morte do meu pai. Isso, eu to indo pra lá agora. Acho que agora a gente resolve essa história de uma vez por todas.

Em Milena decidida. Fade Out.

 
     

 

     



REALIZAÇÃO


Copyright
© 2016 - WebTV
www.redewtv.com
Todos os direitos reservados
Proibida a cópia ou a reprodução
.aaa.
.aaa.
Compartilhe:

Capítulos de Relações Perigosas

Drama

Novela

Relações Perigosas

Comentários:

0 comentários: