Perfume - Capítulo 22 - WebTV - Compartilhar leitura está em nosso DNA

O que Procura?

HOT 3!

Perfume - Capítulo 22

Perfume - Capítulo 22
Compartilhe:
Troque a Fonte Aqui


 

     
     
     

CAPÍTULO 22 - DÉCIMO TERCEIRO
 
     
   
 

Música: Just Breathe - Pearl Jam

O carro estaciona na frente de um barzinho na Rua Mucugê, o motorista desce do veículo e ativa o alarme, caminhando em direção do estabelecimento. Levi acomoda-se na cadeira na frente do balcão de madeira e tenta relaxar, tendo como singular companhia, o garçom. São quase duas horas da manhã e não tinha ninguém no local, exceto Levi, mas isso não impedia de desligarem o som, que tocava excelentes músicas nacionais e o bom atendimento, certamente aquele garçom ia ganhar uma ótima gorjeta. Levi pediu primeiro uma caipirinha acompanhada de camarão ao alho e óleo, no segundo copo falou para o garçom caprichar no álcool, precisava esquecer os problemas, que acercavam sua cabeça, essa é a noite. Quando chegou no décimo terceiro copo, tentou conter uma leve sensação de náusea, não precisava ser fraco. 

- Levi, mamãe sempre disse o quanto é ruim ficar tomando essas coisas. 

Ele contempla a presença da sua irmã mais nova. Será que a bebida estava fazendo efeito? Levi começa a delirar nos próprios pensamentos. Pamela continua linda, 
utilizando um vestido vermelho de gola cascata cobrindo todo o corpo moreno e um salto agulha de doze centímetros.

- Não estou bem.
- Calma.
- Você está viva? 
- Sim, só para você. – Ela cochicha no ouvido dele. 

Os olhos de Levi foram fechando lentamente, como se não tivesse mais controle da situação, quando desperta após um pequeno adormecimento, repara que está dentro do quarto na sua morada, a visão continua embaçada, mas consegue contempla uma silhueta feminina na varanda.

- Pamela... 

Talvez aquele momento, seja total maluquice de seu cérebro, não tem como ser verdade, afinal, Pamela está morta, enterrada para todo o sempre na terra gelada do distrito. Levi resmunga quando a luz do sol inunda o cômodo, aparentemente os toques do celular, não tinha surtido nenhum efeito, embora não tivesse programado. Todas as chamadas perdidas eram de São Paulo, limitou-se exclusivamente em ver os números. Está literalmente exausto, devido à noite anterior e ainda, contém álcool em seu paladar.

Levanta-se da cama com os olhos avermelhados, anda para o banheiro, sentindo um embrulho no estomago, vomitando no vaso sanitário. Tosse duas vezes e aciona a descarga. Ele entra embaixo do chuveiro, asseando por longos minutos, em seguida, deixa a água correr pelas costas, mas elas não iam levar a ressaca. Depois de colocar as vestimentas e responder algumas mensagens no e-mail, ele desce para a cozinha, onde toma um café puro, sem açúcar, espantando os demônios. Alguns passos fortes ecoam pelo o corredor, a matriarca aparece o cumprimentando.

- Acho que sonhei com a Pamela... – Ele comenta.
- Acha ou sonhou?
- Está incógnita permanece em minha cabeça.

Amália assenta na cadeira adiante da mesa, ao lado do primogênito que começa a contar o fato sucedido em expressões verdadeiras e detalhes minuciosos.

- Você me viu chegar ontem de madrugada? 
- Não, dormi feito uma pedra.

As memórias embrionárias se misturam com o aroma doce da cidade naquele domingo, diversos momentos do passado esquadriam na mente da matriarca dos Monteiros.

- Levi. Existe outro segredo envolvendo o nascimento de Pamela.
- Qual? 
- Eram dois bebês. A Pamela tem uma irmã gêmea.
- Me explica isso.
- Desculpa, mas quem fez parte deste acordo foi o Antônio.
- E a Neide? Onde mora?
- Apenas sei o sobrenome dela “Alencar” e de mais nada a respeito.
- Droga, quando penso que algo pode ajudar, retrocede tudo.


A campainha toca, Amália se retira da cozinha, indo atender a porta, deixando o homem sozinho com os pensamentos. Em seguida, a dama com os olhos azuis, quase transparentes, surge adiante de Levi. Os lábios dos dois se encontraram e finalmente, formaram um só.

- Eu te amo, Barbara.
- Eu também te amo.
- Desculpe-me por tudo, mas estou fazendo isso para te proteger.
- Entendo perfeitamente, querido.
- Quando finalizar a divulgação do seu livro volte para Los Angeles, aqui não é seguro.
- Mas você é tudo para mim.
- Quando isso acabar. Voltaremos a ser feliz, que nem antes.
- É mesmo? 
- Sim, mas a diferença que não vai ter fim. Eu, você e o nosso bebê.

 

Levi coloca as mãos na barriga de Barbara, está se sentindo tão bem, finalmente a realização do maior sonho da vida, o de ser pai. 

- Nosso menino. – Finaliza a escritora. 

Eles foram feitos um para o outro, Levi sorriu com um pouco de ironia, nunca tinha acreditado em amor verdadeiro até encontrar ela, Barbara Novak, a mulher por trás das palavras, que lhe fez despertar um sentimento guardado dentro dele, um laço puro e verdadeiro. Os dois ficaram à manhã toda brincando um com o outro, escolhendo o nome do bebê, enquanto escutavam o barulho das ondas. Levi ia ser um excelente pai, levaria a criança para a escolinha de futebol, compraria diversos brinquedos, enquanto Barbara, brigaria com ele, por mimar demais o menininho. Depois do almoço, Levi sentiu que precisava pesquisar um pouco mais sobre a noite anterior, estacionou o carro na frente do barzinho novamente, que estava completamente diferente da noite passada com uma aparência mais sombria, ele procurou primeiro pelo garçom, mas foi atendido por uma mulher, a dona do estabelecimento. 

- Estou procurando por um rapaz, que me atendeu muito bem nesta última madrugada. 
- Ele não está aqui. 
- Está de folga ou chega mais tarde? 
- Ele pediu demissão hoje de manhã. 
- Por qual motivo? 
- Nem eu mesma entendi, mas disse tinha que viajar com urgência. 
- De repente? 
- Sim, sua mãe está um pouco doente. 
- Ele trabalhava aqui faz muito tempo? 
- Não. Menos de duas semanas. Ele nem quis esperar o dinheiro. 
- Uma história diferente. 
- Aqui na Bahia aparece de tudo, mas porque ficou curioso? 
- É que ontem eu vi uma moça aqui, só queria que ele me falasse quem era ela.
- Se for uma cliente conhecida, posso ver contigo. 
- Acho muito impossível, mas obrigado, a senhora é muito educada. 
- Eu que agradeço e volte sempre. 

Levi retirou-se do lugar e entrou novamente no carro, dando partida, sem respostas.
 
 
     

 

     

Inspirada na música Perfume de Britney Spears

autor:
Luiz Gustavo

personagens:
Levi Monteiro
Pamela Monteiro

Barbara Novak
Tomaz Brayton

Tony Federline
Amália Monteiro

Jonathan Sampaio
Miguel Xavier
Alice Jones

Olga Novak
Neide Alencar
Marcos Ribeiro

Evelyn
Hugo Rafael
Fagner Lima

Valentim

participações especiais:
Jake Fremont
Tyler
Claúdia Alencar

as crianças:
David Novak
Kevin Jones
Douglas

música:
Just Breathe - Pearl Jam

colaboração:
Thiago Machado
Márcio Gabriel

agradecimentos:
Juliana Cordeiro
Victor Marçal
William Araújo
Rodrigo Ferreira

produção
Bruno Olsen
Cristin Ravela

Esta é uma obra de ficção virtual sem fins lucrativos. Qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações da vida real terá sido mera coincidência.


REALIZAÇÃO


Copyright
© 2019 - WebTV
www.redewtv.com
Todos os direitos reservados
Proibida a cópia ou a reprodução

.aaa.
.aaa.
Compartilhe:

Capítulos de Perfume

Drama

Literaria

Novela

Perfume

Romance

Comentários:

0 comentários: