Estações da Vida - Capítulo 14


https://1.bp.blogspot.com/-_BU7wAcukVk/WhbLxhA7SJI/AAAAAAAABtw/RB3RXUaD-mAGl3boIG3IKUrLzgJt6vW5QCLcBGAs/s1600/Esta%25C3%25A7%25C3%25B5es%2Bda%2BVida.jpg
     
 

NO CAPÍTULO ANTERIOR DE "ESTAÇÕES DA VIDA":

CAIO: O lance, Pato, é que o Diego vacilou comigo. Beijou a Paulinha na tua festa, mesmo sabendo que a gente tá junto. O lance é esse.

PATO: Isso é sério, Diego?

Ele não responde.

PATO: Que vacilo, Diego! O Caio é nosso amigo.

DIEGO: Será que é mesmo, Pato? Não percebeu ainda que ele não sai da cola desse nerd? Esqueceu que eles se juntaram pra  dedurar a gente na escola? Tenho minhas dúvidas sobre essa amizade aí.

CAIO: Você é muito baixo, sabia?

DIEGO (provoca): E você é uma frutinha enrustida!

Caio vai pra cima dele com raiva. Pato entra no meio. Grego segura Caio.

...

LUA: Acho que exagerei.

PATO: Acha? Eu tenho certeza.

DIEGO: Você bebeu muito?

LUA: Não, foi só uma garrafa. Mas também nunca tinha bebido né. Enquanto você dançava com a Lari eu peguei uma das garrafas na bandeja e tomei. Acho que você nem percebeu que tava faltando.

DIEGO: Tá vendo, Pato? Eu posso ser irresponsável, mas eu sei admitir minhas falhas.

PATO: Foi mal.

DIEGO: Da próxima vez, me escuta e acredita em mim.

Diego sai.

...

HEITOR: Com quem você tava hein?

CAIO: Com a galera, pai. Tava rolando a maior festa na casa do Pato.

HEITOR: E a sua namorada? Tava junto?

CAIO: Estava lá.

HEITOR: E pelo horário vocês andaram aprontando né seu safadinho, me diz, usou camisinha né?

CAIO (chocado): Hã? Não, pai!

HEITOR: Como não, Caio? Ce tá maluco? Já pensou se essa menina engravida.

CAIO: Não, pai. Não é isso. Eu e a Paulinha não transamos. A gente mal começou a namorar! Além do mais tava maior galera na festa, não estávamos sozinhos.

...

PATO: A Lua não teve culpa de nada. Foi eu que organizei a festa.

LEONARDO: E ao que parece está muito orgulhoso de seu grande feito.

PATO (debocha): Até que foi maneiro passar a noite na delegacia!

LEONARDO (raiva): Seu moleque! Eu vou te ensinar a não me desobedecer nunca mais, ouviu bem?

...

LEONARDO: Não estou mais disposto a aturar as rebeldias desse delinquente dentro da minha casa.

LUA: Pai, o que você vai fazer?

LEONARDO: Hoje mesmo vou procurar um internato pra você, Patrício.

PATO: Como é que é?

LEONARDO: Pode ir arrumando suas coisas, você não fica mais um segundo dentro da minha casa.

Close em Kátia, contendo sua satisfação.

...

MIRTES: O que foi, Rubens?

RUBENS: A Paulinha não está em lugar nenhum.

MIRTES: Como assim?

RUBENS: Fui no quarto dela e não a encontrei. Na sala, na cozinha, no escritório também não.

MIRTES: Ela deve estar no banheiro.

RUBENS: Nossa filha não está em casa. E eu não sei porque, mas acho que você sabe disso!

Em Mirtes, pressionada.

...

LUA: Então é verdade que você vai?

PATO: É. Mas eu não vou pra nenhum colégio interno.

LUA: Não?

PATO: Você acha mesmo que eu vou deixar eles me prenderem? Eu vou fugir de casa, Lua. E vai ser agora!

Em Lua, surpresa com a revelação.

 
     
     
     
     

CAPÍTULO 14
 
     
 
 
 

CENA 01. MANSÃO LAMBERTINI. QUARTO PATO. INT. NOITE.

Continuação do capítulo anterior. Lua surpresa com a revelação de Pato.

LUA: Você vai fugir?

PATO: Eu não vou deixar ninguém me prender num internato, Lua.

LUA: Se você fugir vai ser pior. Não quero nem imaginar o clima pesado que vai ficar entre você e o papai. Porque você não conversa com ele?

PATO: Com ele não tem conversa. E outra, eu não vou me humilhar.

LUA: Mas Pato/

PATO: Baixinha, eu vou ficar bem. Já tá decidido.

LUA: Vou sentir sua falta.

PATO: Eu também, mas não se preocupe, eu vou ficar bem, eu até posso mandar notícias, só que tem uma condição.

LUA: Qual?

PATO: Que você não comente com nosso pai que estamos conversando, ok?

LUA: Ok.

Os irmãos se abraçam.

PATO: Agora eu preciso ir.

LUA: Se cuida.

Pato sorri pra ela, joga a mochila pela janela, por onde sai logo em seguida.

CENA 02. MANSÃO LAMBERTINI. QUARTO LEONARDO E KÁTIA. INT. NOITE.

Leonardo está deitado na cama, olhar distante. Kátia passa um creme nas pernas, percebe o marido distante.

KÁTIA: Leonardo, eu sei que foi uma decisão difícil. Mas, é o melhor pro Pato.

LEONARDO: Ele me odeia.

KÁTIA: Não odeia não. O Patrício precisa de disciplina e no colégio interno ele vai entrar na linha.

LEONARDO: O Noberto me garantiu que o local é seguro. Vai ser impossível dele fugir.

KÁTIA: Ta vendo? Ele vai criar juízo.

LEONARDO: Mas vai continuar me odiando.

Kátia termina o que estava fazendo e se junta ao marido na cama.

KÁTIA: Bobagem. Isso é birra de garoto mimado. Vai chegar o dia em que o Pato vai perceber o pai maravilhoso que você sempre foi e vai se arrepender de te tratar dessa maneira. Esse colégio vai fazê-lo amadurecer, depois ele vai acabar te agradecendo.

LEONARDO: Pensando por esse lado, eu estou fazendo o melhor pro meu filho.

KÁTIA: Claro, meu amor. Não se esqueça disso.

Kátia conforta Leonardo em seus braços.

CENA 03. APARTAMENTO CAIO. QUARTO HEITOR E SELMA. INT. NOITE.

Selma e Heitor deitados.

SELMA: Estive pensando nessa namorada do Caio.

HEITOR: Pensando o que?

SELMA: Não sei explicar. Achei um pouco estranha.

HEITOR: Mas que conversa é essa agora, Selma? Você tratou a Paulinha como se tivesse gostado dela.

SELMA: Mas eu gostei dela. Achei estranho o jeito dela, na verdade, dos dois, não pareciam um casal.

HEITOR: Vai começar a implicar com o namoro do garoto agora, Selma? Por favor né, nosso filho tá feliz, primeira namorada, você deveria apoiar.

SELMA: Eu sempre apoio nosso filho.

HEITOR: Sabe o que tá parecendo?

SELMA: O que?

HEITOR: Que você tá com ciúme!

SELMA: Hã? Claro que não.

HEITOR: Tá com ciúme, sim! Porque nosso filho tá crescendo, virando um homem de verdade e não é mais aquele garotinho que vivia na barra da sua saia.

SELMA: O Caio é muito novo pra namorar.

HEITOR: Não disse?! Selma, meu amor, o Caio já tem 15 anos. Eu na idade dele já tinha tido várias namoradas. E olha que aqueles eram outros tempo. Essa garotada de hoje tá começando cada vez mais cedo, você sabe.

SELMA: Que mania essa sua de se comparar com o Caio.

HEITOR: Mas é claro que eu comparo. O garoto é meu filho, quero que ele seja parecido comigo.

SELMA: Ninguém é igual a ninguém.

HEITOR: Mas a genética aqui é forte.

SELMA: Tenho medo que vocês acabem se desentendendo por isso.

HEITOR: Como assim?

SELMA: Você pressiona demais o Caio, exige demais. Precisa parar de projetar nele suas expectativas. O Caio é totalmente diferente de você quando garoto. Falo isso pro bem da nossa família.

HEITOR: E eu faço isso pra que as coisas não saiam do meu controle. Eu sou o provedor dessa casa, Selma, tenho que cuidar pra que fique tudo bem. Tudo o que eu faço, é pensando no bem do nosso filho. Agora vamos dormir que eu não to gostando do rumo que essa prosa tá tomando.

SELMA: Boa noite.

Selma vira-se para o lado oposto de Heitor, que não gosta, mas não insiste. Ele apaga o abajur, deita de conchinha na esposa que não reage.

CENA 04. MANSÃO PAULINHA. QUARTO RUBENS E MIRTES. INT. NOITE.

Rubens e Mirtes na cama, prontos para dormir. Rubens está lendo um livro, concentrado. Mirtes o observa vez ou outra.

MIRTES: Vai ficar sem falar comigo até quando?

RUBENS: Estou ocupado. Não tá vendo?

MIRTES: Eu já pedi desculpas pelo ocorrido mais cedo.

RUBENS: E você acha que isso é suficiente?

MIRTES: Deveria ser.

Rubens coloca o livro no criado-mudo.

RUBENS: As coisas não são tão simples assim, Mirtes. O que você fez foi muito mais do que atender a um simples capricho da Paula, você tirou minha autoridade perante ela. Entende a gravidade disso? Se antes nossa filha já não me respeitava, imagina agora!

MIRTES: Eu vou conversar com ela.

RUBENS: Você não vai fazer nada. Quanto menos você se meter, melhor. Não quero que ela pense que me atingiu com tudo isso.

MIRTES: Olha como você fala da Paulinha! Parece que está se referindo a um inimigo.

RUBENS: E não é assim que ela me vê?

MIRTES: Mas não precisa ser! Você pode fazer diferente, Rubens. Você pode fazer com que a nossa filha passe a enxergá-lo como um amigo!

RUBENS: Eu não pretendo facilitar as coisas. Essa garota precisa de limites e enquanto estiver sob o meu teto, vai ter que seguir as minhas regras. Tá insatisfeita? Vai embora.

MIRTES: Você seria capaz de fazer isso com a sua própria filha?

Rubens não responde.

MIRTES: Fala, Rubens! Você seria capaz de expulsar a Paulinha de casa?

RUBENS: Está tarde. Amanhã eu tenho que resolver uns assuntos importantes. Boa noite.

Rubens deita, puxa o edredom por cima de si. Mirtes permanece impactada com os dizeres do marido.

CENA 05. APARTAMENTO DE AMANDA. SALA. INT. NOITE.

Alguém toca a campainha descontroladamente. Amanda aparece apressada para atender.

AMANDA: Já vaai oh, vai tirar o pai da forca? Eu hein.

Ela abre. CAM revela Pato.

PATO: Surpresa!

AMANDA (chocada): Pato? O que você tá fazendo aqui?

PATO (entrando): Preciso da sua ajuda.

AMANDA (nervosa): O que você... Como você achou meu endereço?

PATO: Isso não importa. O que importa é que eu preciso da sua ajuda, gata. Briguei com meu pai, ele disse que ia me colocar no internato, fugi. Preciso ficar aqui por um tempo.

Se joga no sofá.

PATO: Ce vai me ajudar né?

AMANDA: NÃO!

PATO: Por que não?

AMANDA: Eu, eu não posso, Pato. Olha pra isso aqui, to até envergonhada. Meu apê é muito pequeno, não cabe mais um, além do mais você tá acostumado com aquela mansão.

PATO: Relaxa. Eu não ligo pra isso. Só quero um lugar pra ficar por um tempo. Até a poeira baixar. Ce vai me ajudar né?

AMANDA: Eu não posso, Pato. Você precisa voltar pra casa. Seu pai deve tá preocupado com você.

PATO: Ah Amanda, sem essa vai. No fundo meu pai tá amando a ideia de me ver fora daquela casa. Eu eu não tenho pra onde ir. Deixa eu ficar vai?!

Pato faz cara de pidão. Amanda, tensa.

AMANDA (a contragosto): Ok, mas só por um tempo.

Ele comemora abraçando ela.

PATO: Eu sabia que podia contar com minha namoradinha! Vai ser maneiro esse tempo aqui com você.

AMANDA: É. Vai.

PATO: Aonde é o banheiro? Preciso de um banho. É ali? (aponta)

Amanda confirma com a cabeça. Pato vai rápido pro banheiro. Amanda passa a mão os cabelos.

AMANDA: Droga! Era só o que me faltava.

PATO (off): Falou alguma coisa?

AMANDA (tom): Não. Toma seu banho aí quietinho. (pensa alto) Vou ter que desmarcar com os clientes dos próximos dias.

Em Amanda, irritada.

CENA 06. RIO DE JANEIRO. EXT. NOITE.

MUSIC ON: (NEVER LET ME GO - ALOK, BRUNO MARTINI, ZEEBA)

Takes pela cidade. CAM mostra a orla frequentada por pessoas caminhando. A lua desaparece surgindo um novo dia.

MUSIC OFF.

CENA 07. MANSÃO LAMBERTINI. SALA DE ESTAR. INT. DIA.

Kátia desce as escadas apressada. Lua vem logo atrás. Leonardo aguardando.

KÁTIA (nervosa): Ele sumiu, Leonardo.

LEONARDO: Como assim sumiu?

KÁTIA: O Pato não tá no quarto. Deve ter fugido durante a noite.

LEONARDO: Não me surpreende. Estava aceitando bem demais a ideia da nova escola.

KÁTIA: Você não tá sabendo de nada né, Lua?

LUA: Claro que não.

KÁTIA: Você precisa fazer alguma coisa, Leonardo.

LEONARDO: Ele deve estar na casa de algum amigo. Lua, você sabe quem são os amigos do seu irmão, sim?

LUA: Sei.

LEONARDO: Ajude sua mãe com isso. Liguem pra todos os amigos e vejam se tem algum retorno. Por via das dúvidas, vou acionar meu amigo na polícia. To indo pra empresa, me mantenham informados.

Leonardo se retira.

KÁTIA: Esse seu irmão não cansa de aprontar, hein?

LUA: Eu teria feito o mesmo.

KÁTIA: O que?

LUA: Mãe! Ninguém quer sair da escola onde sempre estudou né. Vocês não pensaram nisso.

KÁTIA: Vai pegar suas coisas. Enquanto te levo pra escola/

LUA (faz drama): Mããê! Meu irmão sumiu! Você acha que eu tenho cabeça pra estudar? Sem condições psicológicas tá!

KÁTIA: Sem drama tá, mocinha? Você conhece muito bem seu irmão e sabe perfeitamente que ele fez isso premeditado. Não há de ter cometido nenhuma loucura. Mas não é nada legal você ficar se aproveitando da situação ok? Vá buscar suas coisas, agora.

LUA: Aff!

KÁTIA (saindo): Espero no carro. Enquanto te levo, você me passa os contatos dos amigos do Pato.

Lua sobe as escadas rapidamente. 

CORTA PARA

CENA 08. MANSÃO LAMBERTINI. EXT. DIA.

Kátia está dentro do carro estacionado em frente a casa.

KÁTIA (esbraveja): Esse garoto não perde a oportunidade de chamar a atenção. Tomara que desapareça de vez! Sabe que isso tá me dando uma ótima ideia! De repente, essa aventurinha pode acabar muito mal! (ri, maléfica) Preciso achar esse garoto antes de todo mundo.

CENA 09. MÉIER. EXT. DIA.

Caio aguarda o ônibus no ponto quando Diego chega. Há algumas pessoas também aguardando. Os dois não se falam. O ônibus chega, ambos entram sem se falar.

CENA 10. COLÉGIO FRAN VICENTINI. EXT. DIA.

Os alunos começam a chegar pra aula. Ramiro por ali inspecionando tudo. O carro de Paulinha para, ela desce e vai ao encontro de Nanda que já a espera na entrada. Outro carro chega, descem Ismael e DJ, o pessoal percebe a chegada dos novatos, inclusive Nanda e Paulinha. Ramiro se aproxima.

RAMIRO: Vocês devem ser os novatos.

ISMAEL: Sim, somos nós.

RAMIRO: Acompanhem-me. A diretora quer dar pessoalmente as boas-vindas.

Ramiro se encaminha para a entrada. Os irmãos os seguem. Eles passam por Nanda e Paulinha. Ismael o tempo todo encarando Nanda.

NANDA: Paulinha, esse não é o novo vizinho do Pato?

PAULINHA: É ele mesmo. Foi por culpa dele que não rolou o beijo entre você e o Patinho.

NANDA: Aff, nem me lembra.

PAULINHA: Mas por outro lado eu percebi uma coisa.

NANDA: O que?

PAULINHA: Você viu como ele te olhou?

NANDA: Não.

PAULINHA: Ah não se faz de sonsa!

NANDA: Não to me fazendo. Isso é coisa da sua cabeça.

PAULINHA: Não é. Depois quero ver você me confirmando. Paula Trindade nunca erra.

As duas dão risadas. Grego se aproxima.

GREGO: Ei meninas, bom dia.

NANDA: Bom dia, Greguinho. Tudo bem?

GREGO: Vocês viram o Caio?

PAULINHA: Já tá pra chegar. Aconteceu algo?

GREGO: Não, é que eu to... to precisando falar com ele sobre o trabalho.

PAULINHA: Hummm. Sei.

GREGO: Mas tudo bem. Eu falo com ele na sala. Obrigado.

E sai. Paulinha observa Grego sair. Nanda percebe.

NANDA: Tá tudo bem?

PAULINHA: Você não acha estranho essa amizade repentina do Grego com Caio?

NANDA: Eu não. Por que? Você acha?

PAULINHA: Um pouco.

NANDA: O Grego é legal. Qualquer um gostaria de ser amigo dele, penso eu. Sem falar que é mó CDF, quem não quer ser amigo de quem tirar notas boas?

PAULINHA: Mas quanto a isso o Caio não deixa a desejar.

NANDA: Mais um motivo pra terem se aproximado. Devem ter muita coisa em comum. Mas vem cá, não to entendendo onde é que você tá querendo chegar.

PAULINHA: Ai amiga, não é óbvio? O Caio nunca namorou de verdade, atualmente finge namoro pros pais e tem andado cada vez mais próximo do Grego.

NANDA: Você acha que/

PAULINHA: Eu acho que o nosso amigo é gay.

Nanda põe a mão na boca, chocada.

CENA 11. COLÉGIO FRAN VICENTINI. CORREDOR. INT. DIA.

Ramiro caminha junto com Ismael e DJ.

RAMIRO: Ali naquele corredor fica o pavilhão do ensino médio.

ISMAEL: Hum.

Ramiro se aproxima da janela. Verifica se está limpa. DJ estranha.

DJ (baixo): Esse cara é estranho.

ISMAEL: Esse colégio é estranho, DJ.

Eles seguem caminhando. Param em frente a uma porta com a identificação ‘diretoria’. Ramiro bate na porta.

JULIANA (off): Oi.

RAMIRO: Sou eu, diretora.

JULIANA (off): Entra, Ramiro.

Ramiro vai colocar a mão na maçaneta e se aproxima encarando. Ismael e DJ observam sem entender.

DJ: Será que essa doença pega?

RAMIRO (assustado): Doença? Você disse doença? É contagioso? Não se aproximem de mim. Não cheguem perto.

ISMAEL: A gente não vai entrar?

Ramiro faz gesto pra eles irem primeiro. Os irmãos se olham, Ismael entra primeiro, seguido por DJ. Ainda do lado de fora, Ramiro retira uma flanela do bolso e limpa a maçaneta.

CENA 12. COLÉGIO FRAN VICENTINI. SALA DO FUNDAMENTAL. INT. DIA.

Lua, Larissa, Andréia e Ricardo sentados à espera do professor. Há outros alunos no local.

LARISSA: Quer dizer que seu pai resolveu trancar o Pato num colégio interno?

RICARDO: Linha dura ele, hein.

LUA: Ele tava com muita raiva. Nunca vi meu pai daquele jeito.

ANDRÉIA: Mas também né amiga, pelo que você disse, não é a primeira vez que o Pato dá festa na mansão quando ele não está.

LARISSA: Não vem querer bancar a boa moça agora não que tava todo mundo se divertindo, Andréia!

LUA: É. Mas no fim das contas o Pato não foi pro colégio interno.

RICARDO: Não?

LUA: Não. Ele fugiu ontem a noite.

LARISSA: Babado.

LUA: Ai, gente, foi tenso. Hoje de manhã tive que mentir pros meus pais dizendo que não sabia de nada.

LARISSA: Você fazendo coisa errada? To chocada.

ANDRÉIA: Para, Lari. Não tá vendo que ela tá mal por isso?

LUA: O pior eu ainda não disse, minha mãe pediu os contatos dos amigos do Pato pra ligar e ver se ele tá na casa de algum deles.

RICARDO: E você deu os números?

LUA: Dei números errados.

LARISSA: Morta.

LUA: To imaginando quando chegar em casa. Ela vai saber que eu to ajudando o Pato.

Em Lua, tensa.

CENA 13. MANSÃO LAMBERTINI. JARDIM. EXT. DIA.

Kátia curte o sol deitada na espreguiçadeira. Ela bebe um suco amarelo.

KÁTIA: Nem sinal do delinquentezinho. Isso é ótimo. Eu é que não vou perder meu tempo precioso ligando pros amiguinhos dele. Seja no internato ou embaixo de uma ponte qualquer, o importante é que aquele fedelho está longe da minha casa.

Kátia ri, diverte-se com a situação. Toma um gole do suco.

KÁTIA: Quanta ingenuidade, Patrício! Com isso você só vai piorar a relação com o seu papaizinho. Acho que vou fazer umas comprinhas pra comemorar!

Kátia deixa o suco na mesinha e vai na direção da casa.

CENA 14. COSMÉTICOS LAMBERTINI. RECEPÇÃO. INT. DIA.

Leonardo chega e passa apressado por Amanda, que o segue imediatamente até sua sala. 

CORTA PARA

CENA 15. COSMÉTICOS LAMBERTINI. SALA LEONARDO. INT. DIA.

Leonardo ao telefone.

AMANDA: Bom dia senhor, Leonardo. Tenho algo importante para falar com o senhor.

LEONARDO: Amanda agora não. Tenho um problema pra resolver com urgência. Os negócios podem esperar.

AMANDA: É sobre o Patrício.

Leonardo para o que estava fazendo. Devolve o telefone ao gancho.

LEONARDO: Você sabe de alguma coisa?

AMANDA: Ele está no meu apartamento.

LEONARDO: Claro! Como eu não pensei nisso antes. Me passa o endereço. (levanta-se) Vou pra lá agora mesmo.

AMANDA: Se o senhor for lá agora, o Pato vai perder a confiança em mim.

LEONARDO: Olha, Amanda, eu sei que você e o meu filho estão juntos, mas esse é um assunto que precisa ser resolvido por mim.

Leonardo se prepara para sair, Amanda o segura.

AMANDA: Por favor, senhor. O Pato não vai me perdoar. Eu contei pra você porque imagino o quanto deve estar preocupado.

LEONARDO: Preocupação não é bem a palavra. Eu to é com muita raiva daquele moleque!

AMANDA: Pois você precisa se acalmar. Não se resolve nada de cabeça quente. Vem, deixa eu ajudá-lo.

Amanda vai conduzindo Leonardo de volta a sua poltrona. Ele se deixa levar.

LEONARDO: O Patrício ultrapassou todos os limites da minha paciência. Não sei o que seria capaz de fazer se o visse agora.

AMANDA: Então se acalma. Permita-me fazer uma massagem. É melhor você procurá-lo quando estiver de cabeça fria.

Amanda vai fazendo a massagem, tira proveito da situação. Leonardo gosta, fecha os olhos.

AMANDA: O Patrício está passando por uma fase difícil.

LEONARDO: Eu também já fui adolescente, Amanda. E nem por isso agia dessa maneira. Esse comportamento do Patrício é inadmissível.

AMANDA: Você deveria ser mais paciente com ele.

LEONARDO: Ele não passa de um adolescente imaturo, totalmente diferente de você. Pra ser bem franco, não sei o que você, uma garota inteligente, madura, viu no meu filho que não passa de um moleque inconsequente. Não consigo entender.

AMANDA: O senhor falando assim me deixa até sem jeito.

LEONARDO: Você merece um homem de verdade, Amanda.

Leonardo gira a poltrona agarrando Amanda, que cai em seu colo. Eles se beijam calorosamente. Tempo e Amanda se afasta.

AMANDA: Mas o que foi isso! O senhor enlouqueceu?

LEONARDO (transtornado): Me desculpa, mil desculpas, Amanda. Eu não devia ter feito isso.

AMANDA: Não devia mesmo.

Amanda sai apressada do escritório.

LEONARDO: Mas o que foi me deu?!

Em Leonardo, transtornado com a situação.

CENA 16. COSMÉTICOS LAMBERTINI. BANHEIRO FEMININO. INT. DIA.

Amanda entra frenética, comemorando. Ela pula dando gritos contidos. Ela conversa com o espelho.

AMANDA: Você continua irresistível, Amandinha. Peixe Leonardo caindo na sua rede, em breve você vai poder dispensar o peixinho filho!

Ela segue comemorando.

AMANDA: Contenha-se, garota. Você precisa voltar e bancar a ofendida.

CENA 17. COLÉGIO FRAN VICENTINI. DIREÇÃO. INT. DIA.

Juliana recepciona Ismael e DJ.

JULIANA: Obrigada, Ramiro. Pode se retirar.

RAMIRO: Com licença.

JULIANA: Sentem-se rapazes. E a viagem, como foi?

DJ: Foi tranquila. Nossa mãe pediu para agradecer a agilidade na conquista das nossas vagas.

JULIANA: Fico contente em poder ajudar. O que acharam da escola?

ISMAEL: Espero que seja melhor do que a anterior.

DJ (repreende): Hey, Ismael.

JULIANA (rindo): Modéstia a parte, somos uma das melhores do país. Vocês devem saber. Agora, no que depender da direção, faremos o possível para que sintam bem em nossa instituição.

ISMAEL: Obrigado.

JULIANA: E você Djalma/

DJ: Diretora, me chame de DJ, por favor.

Ismael dá risada.

JULIANA: Como preferir, DJ. Ansiosos para conhecer suas respectivas turmas?

ISMAEL (deboche): Oh!

JULIANA: Antes, aqui vocês tem o manual de conduta da instituição. São dois exemplares, um para cada, com as normas da escola. A leitura é muito importante para que vocês se adaptem mais facilmente a nossa cultura escolar.

DJ: Ok, obrigado.

ISMAEL: A gente já pode ir pra sala?

JULIANA: Ah sim, vou acompanhá-los pessoalmente.

Juliana levanta-se de sua cadeira indo a até aporta, Ismael e DJ vão junto.

CENA 18. COLÉGIO FRAN VICENTINI. CORREDOR. INT. DIA.

Alguns alunos por ali jogando conversa fora. Juliana aparece no corredor com Ismael e DJ, os demais alunos começam a entrar nas salas a medida que Juliana vai passando. Nanda e Paulinha conversam na porta de sua sala. Juliana chega acompanhada de Ismael e DJ. Nanda e Ismael novamente trocam olhares.

JULIANA: Bom dia, meninas.

NANDA E PAULINHA: Bom dia.

JULIANA: O que ainda estão fazendo aqui fora?

PAULINHA: É que/

JULIANA: Ok, não temos tempo, depois vocês se explicam. Vamos entrando que preciso conversar com vocês.

NANDA: É sobre a nossa punição? Nós não esquecemos. O Ramiro já recolheu nossos celulares.

JULIANA: Não é sobre isso. Entrem.

Nanda e Paulinha obedecem. Juliana faz sinal para Ismael e DJ entrarem e por último ela ENTRA NA SALA. Os alunos se apressam em sentarem-se nas cadeiras.

JULIANA: Pessoal, bom dia.

ALUNOS: Bom dia, diretora.

JULIANA: Peço um minuto da atenção de todos para apresentar um novo colega de vocês.

PAULINHA: Para tudo!

NANDA: Não pode ser.

PAULINHA: Ele vai estudar com a gente!

JULIANA: Conheçam e recebam Ismael Contreras.

ISMAEL (simpático): E aí, pessoal!

DIEGO: Ora, ora se não é o invasor de residências.

A turma reage. Começa um burburinho entre os alunos.

CAIO: Que coincidência. O cara que invadiu a festa do Pato vai estudar com a gente.

GREGO: Acho que ele já ganhou um inimigo por aqui.

Eles olham para Diego, que está encarando Ismael, que devolve o olhar.

JULIANA: Bom, tem uma cadeira ali perto do Diego Medeiros, fique a vontade. Desejo a todos um bom início de semana e por favor, recebam bem o novo aluno.

Ismael vai em direção a cadeira indicada por Juliana.

CAIO: Que atrevido!

PAULINHA: Cadê o Pato pra ver isso gente?

Ismael senta-se ao lado de Diego.

DIEGO: Veio se enfiar logo na toca do lobo, rapaz? Não sabe onde tá se metendo.

ISMAEL: Eu sou do tipo de gosta de pagar pra ver.

DIEGO: Bem-vindo ao inferno.

Ismael sorri sem se deixar a afetar pelo que o outro disse. O sinal toca informando o início do primeiro tempo. Alfredo entra.

ALFREDO: Bom dia, turma. Peço que deixem os trabalhos na minha mesa.

PAULINHA: Professor?

ALFREDO: Pois não.

PAULINHA: Você não pode prorrogar a entrega do trabalho?

ALFREDO: Mas não era você que tinha compromisso com o trabalho no final de semana?

PAULINHA: Por favor, professor, só mais um dia.

CAIO: Professor, é sério, adia a entrega.

NANDA: É professor, mais um diazinho.

ALFREDO: Pessoal, eu já falei uma vez e volto a repetir, vocês precisam ter compromisso. Quem não entregar é zero. Não tem prorrogação. E então? Ninguém fez o trabalho é isso?

Os alunos não se manifestam. Grego, meio sem jeito, se levanta e entrega o trabalho.

ALFREDO: Tão vendo? Sigam o exemplo do Gregório.

Diego encara Grego.

DIEGO: Aff, que puxa saco esse moleque.

ISMAEL: Pelo visto não é só comigo que você implica.

Em Diego.

CENA 19. COLÉGIO FRAN VICENTINI. SALA DO FUNDAMENTAL. INT. DIA.

Professora Milena ao lado de Juliana e DJ. Os alunos sentados olhando para diretora.

JULIANA: Turma, bom dia. Gostaria de apresentá-los o mais novo colega de turma de vocês. A partir de hoje o aluno DJ fará parte do 9° ano.

DJ encara Lua.

JULIANA: Peço que vocês sejam receptivos com o DJ que todos tenham uma semana produtiva.

Juliana se retira da sala. A professora toma a frente.

MILENA: Bom DJ, você pode se sentar ao lado do Beto. Seja bem-vindo a sua nova turma!

DJ: Obrigado, professora.

DJ caminha entre as cadeiras, passa encarando Lua. Larissa cochicha:

LARISSA: Que olhada foi essa pra você, Lua?

LUA: Ele olhou a sala toda e não foi só pra mim.

LARISSA: Eu me recordo desse olhar. Ele te olhou desse jeito lá na festa da sua casa.

LUA: Lari, não coloque vírgula onde não precisa. Esse garoto só me viu uma vez e outra, eu nem me lembro de muita coisa. Esqueceu que eu desmaiei?

LARISSA: Eu acho que ele está afim de você.

LUA: Será? Mas eu só tenho olhos para o Iago.

DJ senta ao lado de Beto.

BETO: E ai, cara.

DJ: E aí.

MILENA: Pessoal, abram a apostila na página 72 para continuarmos os exercícios de Espanhol.

DJ (comenta): Que gata essa professora!

BETO: O desejo de consumo de todos os alunos.

DJ: Acho que vou gostar dessa escola.

BETO: Seja bem-vindo.

MILENA (chama atenção): Chicos, qué está pasando? Silêncio!

BETO: Perdón, maestra!

CENA 20. COSMÉTICOS LAMBERTINI. SALA LEONARDO. INT. DIA.

Amanda abre a porta.

AMANDA: Senhor, precisamos conversar.

LEONARDO: Sim, entre por favor.

AMANDA: Estou envergonhada pelo que aconteceu. O senhor é um homem casado. O que fizemos é errado.

LEONARDO: Amanda, não precisa ficar assim, eu também sou culpado pelo que aconteceu. Aliás, a culpa foi toda minha. Eu não consegui resistir. Você é uma mulher muito bonita.

AMANDA: Acho melhor eu não trabalhar mais aqui.

LEONARDO: De maneira nenhuma, Amanda. Isso que aconteceu foi um caso isolado, não vai mais se repetir. Eu preciso de você aqui. Você é uma secretária muito eficiente.

AMANDA: Mas/

LEONARDO: “Mas” nada. Você fica.

Leonardo se aproxima, pega nos ombros dela.

AMANDA: O Pato não pode saber o que aconteceu.

LEONARDO: Claro que não. Ninguém vai saber. Fique tranquila.

AMANDA: Obrigada por me tranquilizar.

Amanda sorri. Leonardo passa as mãos em seu cabelo. Se encaram. Eles se beijam.

MUSIC ON: BALA DE PRATA - FERNANDO E SOROCABA

Amanda interrompe o beijo.

AMANDA: Leonardo, não podemos.

LEONARDO: Me desculpe.

Amanda sai da sala.

CENA 21. COSMÉTICOS LAMBERTINI. CORREDOR. INT. DIA.

Amanda encostada na porta sorri.

AMANDA: Isso está sendo melhor do que eu imaginava.

Em Amanda.

MUSIC OFF.

CENA 22. SHOPPING CENTER. LOJA DE ROUPAS. INT. DIA.

Kátia escolhe algumas roupas para experimentar quando Mirtes entra no estabelecimento. Ela retira os óculos.

MIRTES: Kátia?!

Kátia vira-se na direção da voz.

KÁTIA (surpresa): Mirtes!

MIRTES: É você mesma, quanto tempo!

As duas se aproximam, se cumprimentam com beijos no rosto.

KÁTIA: Por onde você andou, menina? Nunca mais me ligou, nem deu notícias.

MIRTES: Pois é, querida. Acho que o desentendimento entre nossos maridos acabou afetando nossa amizade e nem percebemos.

KÁTIA: É verdade. O Leonardo comentou que o Rubens o procurou pra falar sobre um novo negócio no qual está investindo.

MIRTES: E o mais importante, reatar a amizade.

KÁTIA: Sei. Que bom então. Quem ganha com essa história somos nós.

MIRTES: Com certeza. Que tal almoçarmos no meu restaurante, em nome dos velhos tempos?

KÁTIA: Claro! Mas antes, preciso da sua opinião pra escolher uns looks, me ajuda aqui.

Kátia vai mostrando uns modelos a Mirtes, que opina. A conversa flui fora do áudio.

CENA 23. COLÉGIO FRAN VICENTINI. SALA DO PRIMEIRO ANO. INT. DIA.

A professora explica a matéria aos alunos realizando um exercício no quadro. Caio e Grego, na primeira fila, estão atentos à explicação.

LÚCIA: Para encontrarmos o X será necessária a utilização de uma fórmula. Vejam o exemplo.

CAM vai buscar Nanda e Paulinha.

PAULINHA: Eu ainda não acredito que o novato foi sentar perto do Diego. Afrontoso ele viu.

NANDA: Deve tá querendo aparecer. Todo mundo que tava na festa sabe que ele quis bancar o valentão pra cima do Pato. Tá querendo ganhar ponto com o pessoal.

PAULINHA: Falando no Pato, por que será que ele não veio hoje?

NANDA: Deve tá de ressaca né. Vou mandar uma mensagem.

LÚCIA: Meninas, será que vocês poderiam parar com a conversa aí? Estão me atrapalhando aqui.

NANDA: Desculpa, professora.

LÚCIA: Obrigada.

A professora volta ao quadro. No fundo da sala, Diego e Ismael.

DIEGO: Fala aí, foi tu que chamou a polícia pra acabar com a nossa festa ontem, não foi?

ISMAEL: Talvez.

DIEGO: Já chegou no pedaço se achando né, moleque. Acho bom tu ficar esperto, tá mexendo com a galera errada.

ISMAEL: Eu não tenho medo de você, cara.

Ismael volta a atenção para a professora. Diego fica encarando o novato.

PAULINHA: Olha o jeito que o Diego tá olhando pra ele. Mal chegou e já é odiado.

NANDA: Quem procura acha. Com certeza foi ele que chamou a polícia ontem.

PAULINHA (empolgada): O Pato vai pirar quando souber que ele tá na mesma sala que a gente.

NANDA: Ce tá adorando isso tudo né?

PAULINHA: Confesso. Tava faltando um pouco de adrenalina por aqui.

NANDA: Sua doida.

CAM volta para a professora, que encara Paulinha e Nanda.

LÚCIA: Paulinha e Nanda, minhas queridas, não me obriguem a ter que tomar medidas extremas. Controlem os ânimos até a hora do intervalo ok?

PAULINHA: Foi mal, professora.

LÚCIA: Espero não ser interrompida mais uma vez pela conversa de vocês.

A turma zomba das duas.

LÚCIA (tom): Pessoal! Pessoal! Atenção aqui no quadro.

A turma se aquieta. A professora volta a escrever no quadro. CAM vai buscar Grego e Caio.

CAIO: Cara, você vacilou na aula do Alfredo.

GREGO: O que fiz?

CAIO: Entregou o trabalho.

GREGO: Ué, mas tinha um prazo. Eu só cumpri.

CAIO: Se tu não tivesse entregado ele ia aumentar o prazo.

GREGO: Poxa, entenda meu lado, eu me dediquei. Não foi fácil. E eu não sabia que geral não tinha feito.

CAIO: É fazer o que, já foi. Agora a parada é pegar pesado no estudo, porque ele não vai facilitar. Ele deixou bem claro.

GREGO: Você foi mal na última prova?

CAIO: Sim.

GREGO: Relaxa, eu te ajudo. Podemos marcar de estudar e na próxima prova você gabarita.

CAIO: Pow valeu. A Paulinha me disse que você estava querendo falar comigo.

GREGO: Sim.

CAIO: Diz ai.

GREGO: É sobre o trabalho de literatura.

CAIO: Não me diga que deu problema.

GREGO: Eu consegui finalizar o trabalho de literatura.

CAIO: Ufa, quer me matar do coração?

GREGO: Foi mal, eu só queria ver sua reação.

CAIO: Vai ter volta.

GREGO: Você é vingativo?

CAIO: To zoando.

Os dois dão risadas.

Cam procura por Paulinha que observa os dois conversando.

CENA 24. COLÉGIO FRAN VICENTINI. CORREDOR. INT. DIA.

MUSIC ON: (JULIANA - RAÇA PURA)

Juliana com fone de ouvido dançando no corredor. Ramiro surge.

RAMIRO: O que que é isso? A diretora endoidou.

JULIANA: Samba Juliana, samba.

Ramiro começa a dançar. Juliana percebe a presença dele.

JULIANA: Ramirooooo, porque você está dançando, homem?

RAMIRO: Desculpe, é que eu vi a senhora dançando e quis acompanhar.

JULIANA: Mantenha a compostura. Você está no colégio. Seu ambiente de trabalho.

RAMIRO: Mas a senho/

JULIANA: Senhora está no céu! Senhorita, por favor!

RAMIRO: Sim, senhó...rita!

JULIANA: Muito bem. O intervalo chegou, não se esqueça de convocar a Fernanda, Paula e Diego como voluntários.

RAMIRO: Agora mesmo.

JULIANA: Se mexa Ramiro. Vá procurá-los.

Ramiro sai. Juliana coloca o fone e volta a dançar em direção a sua sala.

MUSIC OFF.

CENA 25. COLÉGIO FRAN VICENTINI. REFEITÓRIO. INT. DIA.

Diego, Nanda, Paulinha, Caio e Lua lanchando.

CAIO: Lua, cadê o Pato? Porque ele não veio pra aula?

NANDA: Eu mandei mensagem e ele não retornou.

PAULINHA: E o celular está desligado.

DIEGO: Fala Lua. O que aconteceu com nosso amigo?

LUA: Galera deu ruim. Meu pai ficou sabendo da festa e falou que ia mandar o Pato pro internato.

CAIO: Quer dizer que o Pato está no internato?

LUA: Não gente, ele fugiu pra não ir pro internato.

DIEGO (rindo): Que maneiro, velho. Isso é cara do Pato.

PAULINHA: Diego? Isso é jeito de falar?

NANDA: Não acredito que o Pato fez isso.

CAIO: Ele comentou pra onde iria?

LUA: Infelizmente não. Eu to preocupada.

NANDA: Nós também estamos, mas vamos dar um jeito.

PAULINHA: Sim, nós vamos encontrar o Pato.

DIEGO: Preocupação à toa essa de vocês. O Pato sabe se virar muito bem.

PAULINHA: Nossa, que amigo você é hein, nem pra se preocupar.

Ramiro surge.

RAMIRO: Que bom que encontrei vocês Fernanda, Paula e Diego. Está na hora do trabalho voluntário. A diretora os aguarda na biblioteca.

NANDA: Tinha esquecido totalmente.

PAULINHA: Que saco, viu.

DIEGO: Passar a noite na cadeia seria mais divertido.

RAMIRO: Sem reclamações, meninos. Vamos lá, circulando. Eu não vou chamar outra vez.

Ramiro sai conduzindo eles, que vão a contragosto.

CAIO: Boa sorte aí.

LUA: Bom, eu vou voltar lá pras minhas amigas.

CAM segue Lua que caminha em direção a outra mesa onde estão Larissa e Andréia.

LARISSA: Pelo visto o novato já fez amizade com o Beto.

ANDRÉIA: Rápido ele, né? Mal chegou e já se enturmou.

LARISSA: Nem todo mundo tem dificuldade de socializar como você né, amiga.

Lua se mete.

LUA: Do que estão falando?

ANDRÉIA: Antes da Larissa me insultar estávamos falando do novato.

LARISSA: Ele parece ser legal. Só não é mais legal que o irmão gato dele.

LUA: Tá interessada no carinha do ensino médio, Lari?

LARISSA: Foi só um comentário.

ANDRÉIA: O Beto não vai gostar de saber disso hein.

LARISSA: Ai, lá vem vocês com essa história de Beto. Esqueçam esse esquisito tá? Não vai rolar.

ANDRÉIA: Se não quer falar dele vamos falar de você então. Sua mãe conseguiu marcar consulta?

LARISSA: Sim. Fiz alguns exames hoje cedo e amanhã deve sair o resultado.

ANDRÉIA: Que bom, nos mantém atualizadas tá?

LARISSA: Pode deixar.

Ricardo carrega uma bandeja.

RICARDO: Olá, meninas.

ANDRÉIA: Oi, meu amor.

Ricardo e Andréia se beijam.

LARISSA: Acho que sobramos aqui né, Lua?

LUA: Total. Vamo lá no pátio.

ANDRÉIA: Depois a gente se fala, meninas.

Elas saem.

MUSIC ON: (QUE SEJA PRA FICAR – MARIANA NOLASCO)

RICARDO: Andréia, estive pensando na gente.

ANDRÉIA: É coisa boa?

RICARDO: Com você tudo é perfeito.

ANDRÉIA: Que lindo, mas me diga, o que você pensou?

RICARDO: Que está na hora de te apresentar aos meus pais como minha namorada. Quero que nosso relacionamento seja oficializado.

ANDRÉIA: Eu tenho receio da sua mãe.

RICARDO: Precisamos quebrar esse gelo. O que acha de marcarmos algo lá em casa essa semana?

ANDRÉIA: Melhor não.

RICARDO: Você vai recusar meu convite?

ANDRÉIA: Ricardo, é complicado.

RICARDO: Complicado por que?

ANDRÉIA: Você não entende.

RICARDO: Está decidido. Eu vou marcar um jantar lá em casa pra te apresentar formalmente a minha mãe.

ANDRÉIA: Eu não vou.

RICARDO: O que?

ANDRÉIA: É isso mesmo, Ricardo. Eu não vou. Eu não quero conhecer a sua mãe.

RICARDO: Eu to muito decepcionado com você.

Ricardo se levanta da mesa onde está com Andréia e caminha em direção a uma outra mesa onde estão Beto e DJ.

RICARDO: Posso me sentar aqui?

BETO: Se você prefere a gente à sua namorada, pode.

Ricardo senta-se, emburrado.

BETO: Brigaram?

RICARDO: Sim.

DJ: Mulheres...

Ricardo morde o sanduíche. DJ toma o suco. Da outra mesa, Andréia observa, um tanto chateada com a situação.

CENA 26. RIO DE JANEIRO. EXT. DIA

Takes pela cidade. Transição do dia para a noite.

MUSIC OFF.

CENA 27. COSMÉTICOS LAMBERTINI. RECEPÇÃO. INT. NOITE.

Amanda arruma a bolsa. Leonardo sai de sua sala.

LEONARDO: Aceita uma carona?

AMANDA: Acho melhor não, senhor.

LEONARDO: Mas estou indo pro seu AP, não fez sentido você ir de ônibus.

AMANDA: Então você vai mesmo falar com o Pato?

LEONARDO: Vou, mas não se preocupe. Vou em missão de paz. Pensei muito durante o dia nas coisas que você me falou. Talvez o que o Pato precise é de um pai menos rigoroso. Estou disposto a relevar todas as rebeldias e recomeçar.

AMANDA: Bom, se é assim, vamos.

Ela desliga o computador e eles saem.

CENA 28. MANSÃO LAMBERTINI. SALA DE ESTAR. INT. NOITE.

Lua e Kátia sentadas à mesa.

LUA: A casa está tão vazia.

KÁTIA: Seu pai já deveria ter chegado.

LUA: To falando do Pato.

KÁTIA: Muita irresponsabilidade do seu irmão fugir para não ir para o internato.

LUA: Eu não acho que ele tá errado.

KÁTIA: O que você está falando Lua? Você acha a atitude do Patrício correta?

LUA: Que jovem em sã consciência ia aceitar ficar preso em um internato?

KÁTIA: Isso serve para mudar a cabeça de vocês. Vocês precisam ser responsáveis. Agora muito me admira ouvir esses comentários da senhorita que sempre foi tão madura.

LUA: Desculpe mãe. Eu sinto falta do meu irmão.

KÁTIA: Seu pai já está movendo o céu e o mundo para reencontrá-lo. Não duvido nada que em menos de 24 horas ele apareça.

LUA (confiante): Estou torcendo.

KÁTIA: Agora me esclareça uma dúvida, você realmente não sabe do paradeiro do Patrício?

LUA: Não mãe, não sei de nada.

KÁTIA: Espero que realmente esteja falando a verdade.

Kátia levanta e sai. Lua mexe no celular.

IAGO: Senti sua falta.

LUA: To preocupada com meu irmão. Ele fugiu de casa.

IAGO: Nossa, mas o que houve?

LUA: Lembra da festa? Meu pai ficou sabendo e decidiu mandá-lo para o internato. Ele achou melhor fugir.

IAGO: Se precisar de apoio, pode contar comigo.

LUA: Obrigada.

IAGO: O que acha de nos encontrarmos pra conversar?

LUA: Melhor não. Estou sem cabeça pra isso.

Lua segue mexendo no celular.

CENA 29. APARTAMENTO DE AMANDA. SALA. INT. NOITE.

Pato deitado vendo tv. A porta é aberta. Amanda entra.

PATO: E aí, gata!

Pato se aproxima e beija Amanda.

AMANDA: Pato, precisamos conversar.

PATO: O que aconteceu?

AMANDA: Tem uma pessoa querendo falar com você.

PATO (arma-se): Você contou pra alguém que eu to aqui? Eu confiei em você.

AMANDA: Pato, você precisa me entender.

PATO: Você falou pra quem?

Leonardo ENTRA. Pato encara Amanda.

PATO: O que que ele tá fazendo aqui?

LEONARDO: Pato, a gente precisa conversar.

Em Pato.

Encerra com LINHA DE FRENTE - CPM 22.

 
     

 

     

autores
GABO OLSEN
DIOGO DE CASTRO


colaboração
IGOR FEIJÃO

elenco
NICOLAS PRATTES como PATO
ALICE WEGMANN como NANDA
JOSÉ VICTOR PIRES como DIEGO
LETÍCIA NAVAS como PAULINHA
JOÃO VITHOR OLIVEIRA como CAIO
LARISSA MANOELA como LUA
ERIBERTO LEÃO como LEONARDO
TALITA CASTRO como KÁTIA
JUAN ALBA como HEITOR
CAROLINA FERRAZ como SELMA
ÂNGELA LEAL como NANÁ
JANDIR FERRARI como MARCELO
ÂNGELA DIP como ESTELA
DALTON VIGH como RUBENS
LUCIANA VENDRAMINI como MIRTES
FILIPE BRAGANÇA como GREGO
LUCAS COTRIM como DJ
RAISSA CHADDAD como LARISSA
NICHOLAS TORRES como RICARDO
HESLAINE VIEIRA como ANDRÉIA
GABRIEL SANTANA como ISMAEL
CARLA FIORONI como JULIANA
MARCELLO AIROLDI como ARNALDO
VERA ZIMMERMANN como LÚCIA
SANDRA PÊRA como VANICE
WAGNER SANTISTEBAN como ALFREDO
MARISOL RIBEIRO como MILENA
JIDDÚ PINHEIRO como RAMIRO


trilha sonora
SIPPIN' ON SUNSHINE - AVRIL LAVIGNE (ABERTURA)
NEVER LET ME GO - ALOK, BRUNO MARTINI, ZEEBA
BALA DE PRATA - FERNANDO E SOROCABA
JULIANA - RAÇA PURA
QUE SEJA PRA FICAR – MARIANA NOLASCO
LINHA DE FRENTE - CPM 22

produção

BRUNO OLSEN
CRISTINA RAVELA


Esta é uma obra de ficção virtual sem fins lucrativos. Qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações da vida real terá sido mera coincidência.


REALIZAÇÃO


Copyright
© 2018 - WebTV
www.redewtv.com
Todos os direitos reservados
Proibida a cópia ou a reprodução
.aaa.
.aaa.

Compartilhar:

 
Copyright © WebTV | Design by OddThemes