Boletim Virtual - Edição 83 - WebTV - Compartilhar leitura está em nosso DNA

O que Procura?

HOT 3!

Boletim Virtual - Edição 83

Boletim Virtual - Edição 83
Compartilhe:
Troque a Fonte Aqui

https://4.bp.blogspot.com/-zIZgDvTS9xI/Wta7vznNVKI/AAAAAAAACWU/JQr1nt8bxesg3-AigpY1JNSkwcOF-BDnwCLcBGAs/s1600/Boletim%2BVirtual%2B2018.jpg
NA EDIÇÃO DE HOJE DO BOLETIM VIRTUAL:
     
- WebTV completa 15 anos
- Os desafios de escrever uma novela mexicana no Reportagem da Semana com Débora Costa
- João Paulo Ritter
fala sobre sua trajetória no MV: Eu nem sei como explicar, mas foram coisas pequenas que geraram descontentamentos. O autor fala o novo desafio: assumir a presidência da OnTV no Diário do Autor
- As últimas notícias no Giro Virtual com Ritinha.
     

 
     

BOLETIM VIRTUAL - EDIÇÃO 83
(DOMINGO, 27 DE OUTUBRO DE 2019)

 
WEBTV COMPLETA 15 ANOS
     
WebTV começou sua história como Rede de Informação. Algo, digamos, que experimental, mas que não deixou de ficar em evidência, com uma grade variada de notícias, novelas e séries. Criada por Gabo Olsen, no auge do Orkut a emissora recém-criada conseguia um bom destaque, sendo que algumas dessas ainda são reprisadas atualmente. Tudo era feito com a tecnologia da época (aberturas em gifs, poucos funcionários, layout simples). A Rede Informação era atualizada através de blog. O que dificultava uma boa qualidade na emissora. Grande parte dos programas não tinha banner, mas que não deixava de tirar a seriedade de quem a produzia para torná-la apresentável.

Estando no ar desde o dia 5 de setembro de 2004, mas ainda desestabilizada, a emissora saiu algumas vezes do ar, para então funcionar todos os dias a partir do dia 17 de outubro de 2004 na qual é comemorada como dia oficial de estreia. A primeira novela apresentada pelo canal foi Sedutora Melodia em 2004, escrita por Francyslaine Vicentini, se não a autora que mais contribui com a emissora. Alguns dos programas mais relevantes eram o de notícias “Info Notícias”, o programa “Mundo Tv”, inclusive foi realizado uma versão virtual de Teleton. 

Com muito esforço as coisas foram andando e anos se passando, outras emissoras surgiram, outras sucumbiram e a Rede de Informação tornando-se WebTV em 26 de outubro de 2008.

 

 

 

 
A mudança não foi apenas no nome ou endereço, mas incluiu o formato de como os programas eram apresentados ao público. Sem contar no revolucionário modo de abertura que agradou a todos os telespectadores virtuais: a abertura em vídeo. Antes cabia somente a imaginação do leitor visualizar os atores juntos, em ação na mesma cena, mas, graças a abertura, uma nova perspectiva foi criada.

O contato com um público maior ao espaço criado pela emissora possibilitou um aumento na audiência não somente dela e sim para todos que buscavam entretenimento por meio da leitura virtual. 

Para comemorar os 15 anos, a emissora vai lançar a webtvplay, plataforma de streaming que vai reunir grandes sucessos da emissora e atrações independentes. A webtvplay conta com Cristina Ravela na presidência e Gabo Olsen na vice-presidência.
 



 
Atualmente a WebTV marca uma fase promissora no Mundo Virtual, mediante a muita concorrência e pessoas (tanto reais quanto fakes), a emissora continua sendo uma referência para muitos. A inserção de programas de entretenimento e notícias de maneira adequada e séria com compromisso de sempre trazer a cada atualização uma qualidade melhor para aqueles que há tempos acompanham sua história e para quem acaba de conhecê-la. Confira a identidade visual que a emissora preparou para comemorar os 15 anos:

 
     
REPORTAGEM DA SEMANA: OS DESAFIOS DE ESCREVER UMA NOVELA MEXICANA - por DÉBORA COSTA
     
     
DÉBORA COSTA: Oi tudo bem? Eu sou Débora Costa, autora de web novelas e atualmente estou na Cyber TV, com a novela: Excelsior.

 



Gostei muito do tema que fui convidada para falar, porque quem conhece as minhas obras, sabe que eu me inspiro em novelas mexicanas.

Desafios sempre tem, porque se as novelas que passam no SBT são criticadas por um público X, imagina aqui no MV, que o que impera são novelas estilo Rede Globo, porque acham que novela é só assim, com temas da vida real e tal. Pra mim novela tem que ser novela, deixa a realidade para os jornais, eu amo um drama mexicano, gosto de histórias com mocinhas e vilões, e gosto mais ainda das vilãs. No começo eu fui muito criticada, principalmente porque era nova e escrevia esse estilo. Mas vi que o meu público estava aumentando, então passei a dar valor e importância para quem estava lendo, se fossem 10 pessoas, para elas iria escrever até o fim.

Vou citar algumas novelas que eu amava ver no SBT: O Privilégio de Amar – destaque para a personagem, Luciana Duval, interpretada pela maravilhosa, Helena Rojo. Que personagem incrível!

A Usurpadora, que hoje eu não gosto de ver porque a Paulina me irrita! (risos) Já sei porque o público prefere a Paola. Carrossel, A Dona, Rebelde, Mar de Amor, Teresa, Abismo de Paixão, As Tontas Não Vão ao Céu, Maria Mercedes, Maria do Bairro, A Feia Mais Bela, Meu Coração é Teu, Abraça-me muito forte, Manancial, Esmeralda, que aliás as duas versões eu vi, porque o SBT teve novelas ótimas: Amor e Ódio, Pérola Negra, Pequena Travessa, Pícara Sonhadora, Jamais te esquecerei, enfim, gostei de todas essas e não vejo problema em falar que são ótimas e inspiradoras.

Eu nunca pensei: Vou escrever uma novela Mexicana. Simplesmente aconteceu, eu me vi escrevendo esse gênero, e faço até hoje, com Excelsior eu quis mudar um pouco, não porque quero um novo estilo, mas porque queria dar ao meu público uma coisa diferente, e em partes, porque quem lê sabe dos dramas que a novela tem, como a troca de bebês.

Tem coisas que acho até engraçadas, quando deram as minhas obras o título de mexicanas, acharam que era uma ofensa, mal sabiam que eu vejo como elogio.





Busco essa essência mexicana mais para meus vilões, porque os vilões mexicanos são um arraso! Em Hierarquia estava difícil encontrar uma figura que fosse de acordo com o Franco Bittencourt, que eu estava imaginando, até o momento que encontrei Manuel Landeta, caiu como uma luva, e comecei a moldar o vilão de acordo com o ator.

Em Insensatez, as vilanias de Giane foram totalmente mexicanas. Realmente me inspiro nisso, acho que é novela de verdade, aqui no Brasil, tiveram muitas novelas ótimas, mas hoje em dia nem perco o meu tempo, a última novela que vi completa na Globo foi: Flor do Caribe, excelente. Na Record (Sim, lá também tem novela e boa) vi Escrava Mãe e A Terra Prometida, amei! Também vi A Escrava Isaura, na Band eu vi uma novela portuguesa maravilhosa! Chamada: Olhos D’água. Ou seja, toda novela que eu achar boa, não importa a emissora e nem o país, eu vou assistir.

Voltando ao tema, escrever uma novela mexicana no mundo virtual, tem dois lados, um bom e outro que eu ignoro. O lado bom é o público que acompanha, as pessoas que curtem o meu trabalho, e o lado que eu ignoro, que é quem torce para o nariz para esse estilo, afinal ninguém é obrigado a gostar de tudo, da mesma forma que eu não sou obrigada a escrever uma história com temas polêmicos.
 

Escrever é um aprendizado diário, desde quando comecei, até hoje, tenho evoluído cada vez mais. As novelas mexicanas, pra mim, como já disse muitas vezes, são novelas mesmo, e eu aprendo a criar sempre bons conflitos, bons vilões, porque pra mim vilão mexicano é raiz! (risos), acho que isso é sempre o que aprendo com as novelas mexicanas, e eu adoro!

Foi um prazer participar do Boletim Virtual! Obrigada pelo convite.
     

GIRO VIRTUAL: WEBTV PREPARA CALENDÁRIO PARA COMEMORAR OS 15 ANOS, PARCERIA RETOMADA, WEBTVPLAY E MUITO MAIS... - por RITINHA
     
RITINHA: Oie, Turo pom, galerinha? Hoje, a emissora mais antiga do MV está em ritmo de festa. Afinal, não é todo dia que uma emissora comemora 15 anos, não é mesmo? Infelizmente temos muitos cancelamentos. Se liga, menina. Vou contar pra você as últimas news do MV. Desce a rolagem...
 
RITMO DE FESTA - PARTE I
 
A WebTV comemorou o aniversário com uma alteração no logotipo. Até outubro de 2020, todas as peças terão o selo "15 anos". É merecido, né gente?

Na última sexta, em comemoração aos 15 anos, a WebTV lançou a Antologia: Contos Contemporâneos da Violência Urbana. Na estreia foi exibido o episódio "Castigo", escrito por May Margret. Confira a sinopse: Ele é um maníaco estrangulador de prostitutas. Ela uma policial em seu primeiro caso. Eles se encontram. Quem levará a melhor? Não perca tempo, menina, leia já clicando aqui.



RITMO DE FESTA - PARTE II: QUINTA É DIA DE TBT
 
No dia das bruxas ela está de volta. É, eu to falando da bitch da Rosana da novela Passos da Paixão. A novela foi escolhida para comemorar os 15 anos da emissora na sessão Vale a Pena Ler de Novo. O autor de Flahsback e O Leão, Marcelo Delpkin falou sobre a semelhança da data com a vilã:


Concordo Marcelo kkkkkk. A bruxa está de volta. To louca pra reler os capítulos de Passos da Paixão. A exibição começa nesta quinta, dia 31. Anota aí.



RITMO DE FESTA - PARTE III

A WebTV está fechando um calendário para comemorar os 15 anos. Vai ter mais novidades que serão divulgadas em breve. Fiquei sabendo que até o boss Gabo vai ganhar um especial. Afinal, ele também está comemorando 15 anos de MV. Já que estamos falando das novidades, o novo site da emissora ficou um luxo. Parabéns Zih, você arrasa.


 

 
NOVO GAME

Animado com o sucesso do Game Show, o Gabo estava preparando o um novo game para o segundo semestre de 2019, mas o lançamento da webtvplay e os preparativos da comemoração dos 15 anos da WebTV fizeram com que o boss adiasse o projeto para 2020. É por uma boa causa, gente.


PARCERIA RETOMADA
 
Falando no Gabo, ele e Diogo de Castro retomaram a parceria na novela Estações da Vida. Diogo participou da 1ª etapa da novela (capítulos 1 ao 15). Enquanto Diogo se ausentou para cuidar dos filhos Mel e Theo, Kax Silva assumiu a parceria com Gabo entre os capítulos (16 a 23). Diogo voltou a assinar a novela no último capítulo exibido (24).


COMIC CON


Menina, na 5ª edição da 4ª Temporada do Hello, João Carvalho anunciou a exibição da Comic Con 2019/2020 no Megapro. No comunicado ele falou que procurou Lucas Posey (ex-presidente da UP) e o questionou sobre os direitos de exibição. Na nota não foi citado que os direitos do evento foram concedidos a WebTV por Lucas Posey após o encerramento das atividades da UP. No ano passado a WebTV levou ao ar a 3ª edição do evento no MV. No grupo do Facebook do Blog da Zih a vice-presidente da WebTV, Cristina Ravela, comentou sobre o assunto:


Em nota divulgada no Blog da Zih, Zih falou: "O ex-presidente da falecida UP me procurou para saber se a WebTV faria novamente o evento, já que a emissora tem os direitos de exibição dados pelo próprio Posey. Diante da negativa, Posey disse ter interesse em promover o evento, agora, pela MegaPro. Lembrando que essa união não deu muito certo em 2017, o que motivou Lucas Posey a cancelar o evento e aceitar que a WebTV comprasse os direitos para exibir".
 

PREMIAÇÃO NO MV

Menina, chegou ao fim as inscrições do TI e TMV 2019. A comissão está fazendo os últimos ajustes e deverá lançar nos próximos dias as categorias e iniciar o processo de votação. Falando no TI, a edição 2017 está na sala de edição (leia-se artes dos vencedores, conforme voto dos jurados). Com jurados já confirmados, Gabo entrará no estúdio nesta semana para gravar a edição 2017 que será exibida na primeira quinzena de novembro. A edição 2018 está em produção. 


 
WEBTVPLAY CHEGOU
 
No dia 16 de outubro, foram lançados as redes sociais Facebook e Instagram da webtvplay. Usando a cor vermelha, o conceito do logotipo foi buscar referência na Netflix, plataforma de streaming de sucesso mundial. Com estreia prevista o dia 25 (véspera de aniversário da WebTV) a webtvplay encontrou instabilidade no servidor e por esse motivo a estreia foi adiada para hoje. Há quem diga que o azar de não ter estreado no dia 25 foi porque a minissérie Gato Preto entrou no catálogo. Com isso, o Boletim Virtual que estava marcado para a estreia terá uma nova data para fazer parte do catálogo.

 

 

Zih, o site ficou um ahazoo. Tô impactada. Que tiro foi esse, menina? Tenho certeza que o Gabo acertou na escolha da presidente. Você representa o MV.

 

 
 

PAUSA
 
Miguel Rodrigues, responsável pelo DNA (Dramaturgia Novos Autores) anunciou no dia 17 de outubro o hiatus da emissora após a saída de Henzo Viturino. A equipe ficou reduzida e por alguns dias o site deixou de ser atualizado, voltando no dia 21. Ufa, foram poucos dias off e os trabalhos foram retomados.


RITINHA: Por hoje é só. Beijuuuuuus.
     

EU NEM SEI COMO EXPLICAR, MAS FORAM COISAS PEQUENAS QUE GERARAM DESCONTENTAMENTOS, diz JOÃO PAULO RITTER
     
Ele sempre teve vontade de contar histórias. Na infância chegou a criar pequenas novelas e o elenco eram seus bonecos de Power Rangers. No final do ensino fundamental passou a contar com o apoio de livros em casa. João Paulo Ritter descobriu o MV através do site Fanfics Brasil, logo em seguida conheceu a extinta Belas Histórias, além de outros sites e blogs que faziam parte do Mundo virtual na época.
 
A primeira oportunidade no MV foi através da Rede Purple com a web novela “Wiccanos”. A trama retratava a história de bruxas, com uma visão contemporânea voltada em um clã. Com o encerramento da emissora a obra acabou não indo ao ar e logo em seguida, Ritter recebeu um convite para integrar ao time da OnTV. Na nova casa assinou a série Caminho Único e a novela Sangue e Esplendor, atrações onde o autor conquistou o seu espaço no MV. Recentemente recebeu o convite para assumir a gestão da emissora e desde então vem encarando o novo desafio. João Paulo Ritter, seja bem-vindo ao Diário do Autor.


JOÃO PAULO RITTER: Eu que agradeço o convite. Sempre é bom participar de outros programas do MV.
 
GABO: João, sua primeira experiência com histórias tinha como elenco os bonecos do Power Rangers. Como foi essa aventura na sua infância? Seus pais sabiam desse fato?

RITTER:
Acho que eles não sabiam que de fato eu criava pequenas novelas com meus bonecos porque eu sempre fui uma criança muito no meu canto. Eu brincava no meu quarto e isso começou quando eu me descobri diferente dos outros. Eu sempre soube que sou gay praticamente desde meus 5 anos, mas depois dos meus 10 anos eu parei de brincar na rua porque as crianças falavam na escola. Coisas maldosas, claro. Não, meus pais não sabiam dessa minha vontade de contar histórias, souberam no ensino médio só.

GABO:
Qual foi a reação dos seus pais quando descobriram seu interesse pela leitura?

RITTER:
Nossa, foi a mesma coisa que contar que eu respiro, sabe? Kkkkk Assim, tu gosta de ler? Pega os livros da biblioteca... Meus pais nunca foram incentivados a ter o hábito de leitura e por consequência nem eu, então, isso não foi uma grande coisa. Eu desenvolvi meu hábito sozinho, ele tá em desenvolvimento ainda pra ser bem sincero, eu sinto que não leio o que deveria ler como escritor.

GABO:
A descoberta do MV abre uma porta de oportunidades para o autor. Como você reagiu a esse novo ambiente que você conheceu? Qual foi sua primeira impressão do MV?

RITTER:
Primeiro eu pensei "o que tá acontecendo aqui? Por que as pessoas estão agindo como se estivessem na televisão?" E depois eu fui me acostumando e até acho incrível porque é exercício de imaginação, quem se nega a isso... Cara, por que você tá aqui, então, sabe? 

GABO:
Sua passagem pela Rede Purple foi curta. Nos bastidores houveram alguns contratempos na produção de sua novela e no fim a trama não foi ao ar. O que de fato aconteceu?

RITTER:
Eu nem sei como explicar, mas foram coisas pequenas que geraram descontentamentos. Tipo, a "Tena" não entendia ou não queria entender que uma estrela é diferente de um pentagrama Wiccano. Eu expliquei pra ela quando me apresentou o logo feito por ela. "Olha isso é uma estrela, na logo que eu fiz e você recusou era um pentagrama existe uma enorme diferença entre os dois". Aí estourou aquela treta dela, eu dei graças a Deus e saí, como vou ficar num site em que a pessoa não respeita o conceito mínimo da minha história. Eu não sei se foi problema de religião porque afinal nem todo mundo gosta de neo-paganismo... Mas também pode ter sido puramente burrice.

GABO:
Como você recebeu o convite para integrar o time de autores da OnTV?

RITTER:
Eu não lembro como foi. Na verdade até hoje não tenho certeza se foi o Jaime ou um dos meninos, Flávio e João. Mas eu tava fazendo qualquer coisa no Facebook e vieram falar comigo. Explicaram direito e eu aceitei porque senti confiança neles. Hoje fazem parte dos meus amigos mais queridos

GABO:
Na OnTV você assina a série Caminho Único e a novela Sangue & Esplendor. São dois formatos diferentes que requer muita atenção e são dois segmentos completamente diferentes. O que você aprendeu com essas produções e quais são os pontos positivos e negativos em uma novela e série?

RITTER:
As diferenças principais entre uma e outra é o planejamento, com Sangue & Esplendor eu aprendi da pior maneira sobre como se planejar para escrever uma obra que segue a fórmula do folhetim. Caminho Único também segue, mas eu posso abrir um assunto e fechar naquele episódio, por exemplo, eu tenho mais tempo para colocar mais temas e em uma webnovela eu tenho um cronograma, se eu quiser inventar de última hora isso afeta tudo, todos os núcleos de formas diferentes. Sangue & Esplendor é uma história que eu amo de paixão porque comecei a escrever no mesmo momento que escolhi seguir vertentes pagãs como minha religião. Os pontos negativos são essas diferenças, tenho que encontrar um botão na cabeça que tá ligado em série e por em novela... Caminho Único eu aprendi a melhorar, pelo menos acho que está melhor da primeira temporada para essa atual, o desenvolvimento de um episódio. Com S&E aprendi que uma novela você precisa de planejamento mais à frente do que uma série como Caminho Único.

GABO:
Quais são suas fontes de inspiração no processo criativo de uma história? Tem algum autor que é sua referência?

RITTER:
Em séries, fora Caminho Único eu procuro ser eu mesmo. Agora em novela já começa a entrar referências, é difícil você escrever uma novela e só agora eu to percebendo, então, se eu quero muito escrever uma webnovela eu pego inspiração em textos literários, filmes ou outras obras pra compor a trama principal. Eu tenho uma coisa que desenvolvi desde que entrei no MV que vejo um filme, leio um livro e às vezes um mangá ou anime, daí eu penso se eu adaptar isso direito, vira uma webnovela. Mas eu tenho sempre me distanciar o máximo possível do original e ao mesmo tempo trazer referências a esse trabalho. Eu geralmente sigo uma regra da Janete Clair que é a mesma coisa da jornada do herói, mas essa mulher é tão fantástica que ela criou isso sem ler essa teoria. Eu busco essas referências sempre tentando colocar a minha marca.

GABO:
A trilha sonora é responsável por dar ritmo e vida a cena. Como funciona o processo de escolha da trilha? Quais são os atributos no momento da escolha?

RITTER:
A trilha, como sou eu que escolho, procuro por músicas que eu gosto e que eu escutaria escrevendo aquela história. Por exemplo, a trilha de S&E eu acho péssima porque duas músicas eu gosto de verdade e no fim mal usei na obra. O que pesa mais na minha escolha é se eu escutaria aquela música e depois vejo se ela se encaixa na história. Eu sou muito eclético pra música, então, isso facilita.

GABO:
Da dramaturgia para o entretenimento. No programa “A Tarde é Nossa”, você atua na função de diretor. Como foi essa transição e quais foram os critérios para a escolha do formato do programa?

RITTER:
Eu adoro essa história porque como tudo na minha vida o mais aleatório possível. Primeiro que o programa é fruto de uma brincadeira bobo entre amigos e eu fiz tudo baseado no programa da Sônia Abrão pra tentar trazer uma coisa meio paródia que tenta ser séria, mas não é. Escolhi a Marta golpista como apresentadora porque foi um meme que estourou na época... E é difícil fazer porque primeiro eu tenho que ir atrás de fofoca e não tenho a menor condição disso... Tanto que ano que vem vai entrar outro diretor.

GABO:
Atualmente você recebeu uma nova missão na OnTV. Como surgiu o convite para gerenciar a emissora? Quais são as dificuldades que você encontrou e o que muda na sua gestão?

RITTER:
Bem, o convite surgiu da maneira mais natural, o Jaime tava ocupado com a universidade, eu desempregado já cuidava do que me correspondia... Aliás, se alguém quiser assinar minha carteira kkkk. Foi bem natural, o Jaime chegou ao limite, perguntou no grupo quem poderia cuidar da OnTV, primeiramente ficou comigo e o nosso amigo Glay, mas depois ficou comigo mesmo. Encontrar autores, tá sendo difícil. Eu não quero que a OnTV se resuma somente a mim, a Caminho Único e a próxima webnovela que eu vou fazer, mas felizmente alguns amigos do MV se prontificaram pra ajudar... Porque a forma de exibição da OnTV mudou, a gente funcionava como um streaming, tinha o dia da semana para ir ao ar aquela obra e entrava sempre a meia-noite. Agora estamos trabalhando como uma emissora, temos grade que aos poucos será preenchida. A faixa "Tarde de Clássicos" foi uma ideia minha para essa missão...

GABO:
Quais são as suas metas na gestão da OnTV? Como você visualiza o futuro da emissora?

RITTER:
Com uma movimentação boa de estreias, eu quero que a OnTV fique viva pelo menos de Março a Novembro todo o ano, caso isso não acontecer eu, infelizmente, falhei como administrador da emissora.

GABO:
Ritter, como você avalia o atual cenário do MV como um todo?

RITTER:
Promissor. Acho uma comunidade forte, gosto disso e acho importante. Principalmente em uma situação atual do país que as pessoas estão sendo tão contra a cultura, digo as pessoas comuns do dia-a-dia. Vejo gente acima dos 40 acompanhando tramas do MV e isso me deixa feliz. Algumas pessoas podem achar isso exagero, mas no momento em que você está em uma sociedade que em teoria é democrática, todo o dia você faz política. Se você é uma pessoa que consegue dar voz a outras, somos escritores, mesmo alguns amadores eles dão vozes a outras, você não precisa levantar bandeira de partido e etc, mas ter a consciência de que, sim, você tá fazendo algo parecido com política. A nossa sociedade é moldada no que os gregos criaram lá atrás e tudo naquela época era considerado política e hoje em dia também. O MV tá maravilhoso, um momento com ótimas obras, ótimos autores e existe um espaço maior para as emissoras, porém falta consciência de algumas pessoas...

GABO:
Ótima análise sobre o MV. Agora falando do mundo externo, quem é João Paulo Ritter fora do MV?

RITTER:
Uma pessoa que, apesar das dificuldades emocionais, gosta de viver e tem tendência a carregar os problemas do mundo nas costas, minha ansiedade vem desse meu problema. Gosta de sair com os amigos, às vezes precisa ficar bêbado na praça da cidade pra limpar a cabeça e ao mesmo tempo a maior parte do ano prefere ficar em casa. Gosta de cozinhar, uma pessoa que sente ao extremo... É isso, eu me considero muito comum, demorei pra aceitar isso porque cresci com um deslumbramento de que era necessário ser aquela estrela que brilha pra sempre, mas hoje se eu conseguir um bom emprego, me formar e poder contar histórias, foi uma vida bem vivida.

GABO:
Bate-Bola, nosso jogo rápido. Simbora?

RITTER:
Mas taca lhe pau, tchê

GABO:
kkkkk.

BATE-BOLA:

FANFICS BRASIL:
Máquina do tempo, mudou a fachada do site, mas é a mesma coisa de 2009
REDE PURPLE: Me livrei
TENA ANDRADE: Tulla do MV
ONTV: Minha casa do MV
JAIME LUCAS:
Uma amizade em forma de presente do MV
CAMINHO ÚNICO: Meu Múltipla Escolha
SANGUE & ESPLENDOR: Um desafio
MUNDO VIRTUAL:
Esquizofrenia coletiva do bem
FRASE: Essa me pegou... Vou ser pedante e citar Nelson Rodrigues bem rápido... "Você pega qualquer filósofo alemão. Ele tem uma zona, tem uma área, tem um telespectador lá dentro esperando por uma telenovela." Quem quiser entender melhor o contexto dessa frase, assistam a série 65 Anos de Novelas da Cultura.
JOÃO PAULO RITTER POR JOÃO PAULO RITTER: Está aprendendo a ser feliz sendo quem é, vivendo no mundo em que vive.

GABO:
JP, quero agradecer sua participação no Diário do Autor e deixo o espaço para suas considerações finais.

RITTER:
Obrigado, eu agradeço o convite e por finalmente poder estar aqui... Quem quiser me seguir no Instagram, deixo esse convite é @autorjpritter. Pra uma editora notar a gente é importante ser conhecido, infelizmente no mundo de hoje vale mais do que uma boa história. Leiam, não tenham medo de ver novela porque algumas pessoas acham novela um produto pobre, é mentira, Nelson Rodrigues adorava telenovela e é um dos maiores do Brasil, vai virar peça da Broadway e filme em Hollywood. Também não ache que por você preferir dublado a legendado você é inferior, pode parecer fora do contexto tudo que eu disse agora... Mas não é, ninguém é superior a ninguém, guardem isso no coração.

GABO:
Obrigado, JP. Chegamos ao fim da nossa entrevista. O Boletim Virtual fica por aqui. Até a próxima.
     


editor-chefe
Gabo

jornalismo
contatoredewtv@gmail.com


REALIZAÇÃO


Copyright
© 2019 - WebTV
www.redewtv.com
Todos os direitos reservados
Proibida a cópia ou a reprodução
.aaa.
.aaa.
Compartilhe:

Boletim Virtual

Edições do Boletim Virtual

Jornalismo

Livre

No Ar

Comentários:

0 comentários: