New Stages - 3x06



3x06 - PENÚLTIMO EPISÓDIO
 
 
 
 
 

VOZ DE JOSH – Anteriormente em New Stages...

-------- 
 
RYAN – ...Mais uma vez, peço desculpas por ter sido tão idiota com você. Eu não deveria ter feito os julgamentos ridículos que fiz sem antes ter conversado com você. Nós poderíamos ter evitado tudo isso...
 
JOSH –
Poderíamos, mas vamos deixar no passado. O importante agora é aproveitarmos o presente, sem ressentimentos, apenas recompensando o tempo que perdemos separados.

--------  
 
CHELSEA –
Você está feliz então?
 
KEITH –
Sim, eu esperei tanto tempo para namorar e sinto que comecei no momento certo e com a pessoa certa. O Matt já aprontou muita coisa nessa vida, mas ele mudou muito nos últimos anos.
 
CHELSEA –
O amor tem o poder de mudar as pessoas... (ri)

--------  
 
MJOSH –
Mas e você, não ficou preocupado com o beijo? Porque pelo o que eu saiba, você estava compromissado até o ano passado... Com o Evan.
 
RYAN –
Não, eu e o Evan terminamos no último dia de aula. Eu descobri que ele guardava drogas no armário do nosso dormitório. Eu não poderia deixar que ele colocasse a minha permanência aqui na universidade em risco, então pedi que ele saísse do alojamento.
 
JOSH –
Mas você não sente mais nada por ele?
 
RYAN – O que rolou entre eu e o Evan foi uma atração passageira. Já acabou. Desde o início desse ano letivo, não o vi mais aqui na universidade. Não sei o que aconteceu. Deve ter trancado a matrícula...


--------  
 
Evan empurra Josh e continua mirando o revólver para ele. Com a outra mão, tira um celular do bolso e o joga para Josh.
 
EVAN – Ligue para o Ryan e peça para ele nos encontrar no endereço que vou passar.
 
JOSH – O que você quer com o Ryan?
 
EVAN – Ele vai pagar pelo o que fez comigo. Pagar literalmente. Vamos, ligue para o Ryan e siga as minhas instruções.
 
JOSH – (discando o número no celular) Ok.
 
EVAN – E deixe bem claro que se ele não aparecer, a pessoa que ele mais ama na vida será morto... Esta pessoa é você, Josh.

--------

CENA 01. SAN FRANCISCO. RUA QUALQUER. EXT. NOITE. 

Continuação imediata da última cena do episódio anterior. Josh segura o celular em contato com o ouvido, aguardando Ryan atendê-lo. Evan ainda aponta a arma em direção ao garoto, olhando constantemente para os lados para verificar se ninguém passa por ali e assiste a situação. 

JOSH – (tirando o celular do ouvido) Caixa postal. Ele não atende...

EVAN – (irritado) Como assim? Ele não deve estar tão ocupado a ponto de não atender ao telefonema do seu queridinho... Faça ele atender, Josh, ou eu acabo com você!

JOSH – Você quer que eu faça o quê? Eu obedeci ao seu pedido e liguei para o Ryan. Não é minha culpa se ele não atendeu...

EVAN – Olha aqui, garoto, é melhor você não falar neste tom comigo ou eu meto bala na sua fuça. Você não quer morrer hoje, não é mesmo? Então faça o que eu mando e ligue de novo para o Ryan. (novamente olha para os lados) Mas antes vamos sair daqui, não quero que ninguém nos veja...

JOSH – Você vai me levar para onde?

EVAN – (puxando o braço de Josh) Não questione, apenas me acompanhe. E se você tentar fazer algo contra mim, eu não penso duas vezes e atiro em você. Espero que tenha entendido bem o recado.

Puxando o braço de Josh bruscamente, Evan o tira da rua escura de San Francisco em direção ao seu apartamento em um edifício em condições precárias próximo ao local. A imagem corta rapidamente para:

CENA 02. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. ALOJAMENTO. QUARTO DE RYAN. INT. NOITE.

Ryan entra no dormitório. Close em sua cama: o celular do garoto está sobre ela. De repente, ele começa a tocar. Ryan caminha até a cama e pega o aparelho.

RYAN – (olha para o identificador de chamada e sorri) Josh...

O garoto atende a ligação.

RYAN – (leva o celular ao ouvido) Josh, que bom que você me ligou. Eu acabei de ir ao seu dormitório e você não estava lá...

A imagem corta rapidamente para:

CENA 03. EDIFÍCIO ANTIGO. APARTAMENTO DE EVAN. INT. NOITE.

Josh está sentado sobre uma cama velha com o celular no ouvido. Suas mãos estão bastante trêmulas. A sua frente, está Evan, com a arma apontada em sua direção.

JOSH – Ryan, não temos tempo para conversar agora... (olha temeroso para Evan) Eu estou te ligando porque preciso muito da sua ajuda.

EVAN – Ótimo, Ryan Jordan atendeu... Agora siga as minhas instruções.

A imagem se divide em duas partes. Em uma, fica Josh. E na outra, Ryan.

RYAN – (surpreso) Josh, por acaso eu acabei de ouvir a voz do Evan?

JOSH – Sim, Ryan, ele está aqui comigo...

RYAN – Posso saber o que está acontecendo?

JOSH – O Evan... O Evan está apontando uma arma para mim. E ele não vai abaixá-la até você estar aqui.

RYAN – (desesperado) O QUE? O que esse maluco pensa que está fazendo?

JOSH – Eu não sei, Ryan, talvez seja vingança pelo o que você fez com ele... Eu não queria te por nesta situação, mas se você não vir pra cá, ele...

EVAN – (interrompe) Diga que eu vou te matar. (sorri sarcasticamente) Vai ter um gay a menos na população mundial.

RYAN – Josh, me escuta! Diga ao Evan para te soltar agora. Você não tem nada a ver com isso...

JOSH – Ryan, não adianta! Ele não vai me soltar até você estar aqui. Ele me usou como uma isca para te atrair... (deixa uma lágrima rolar sobre o seu rosto) Eu queria fazer alguma coisa para livrar a gente dessa situação.

EVAN – (grita) VOCÊ PODE! Dê o endereço do apartamento para o Ryan agora e peça para ele vir para cá imediatamente. Mas é claro que ele não poderá vir de mãos abanando. (sorri) Eu não disse que ele iria me pagar literalmente?

JOSH – (para Evan) O que você está querendo dizer com isso? Por acaso, você quer extorquir o Ryan?

RYAN – (ao telefone) Ele está pedindo dinheiro, Josh?

EVAN – Eu quero que ele me traga dois mil dólares em dinheiro vivo... E eu preciso desta grana para hoje. Se ele não aparecer com ela aqui em mãos, eu acabo com você. E nada de ligar para a emergência.

JOSH – (para Ryan) Escutou, Ryan?

RYAN – Sim, mas eu não tenho essa grana... Quer dizer, não dá para eu consegui-la agora.

JOSH – (tentando convencê-lo) Evan, por favor... Me libere e dê um prazo para a gente te arranjar o dinheiro. Nós não podemos descolar essa quantia no momento.

EVAN – Se virem! O Ryan não foi homem o suficiente para me expulsar do dormitório e querer me acusar por tráfico de drogas ao conselho estudantil da universidade? Agora eu quero que ele seja homem o suficiente para arranjar este dinheiro e aparecer aqui. Me enfrentar. Cara a cara. Frente a frente. (sorri) De homem para homem.

RYAN – Josh, fica calmo. Eu vou te tirar dessa, eu só preciso pensar um pouco... Escuta, eu vou desligar o celular e ver o que posso fazer por aqui. Não se desespere, nem tente reagir. Ele está com uma arma em mãos e pode estar falando sério. Tenha calma. Logo eu apareço aí... (fala com bastante firmeza) Escutou? Eu vou te tirar dessa.

Close em Josh, que consente com a cabeça.

JOSH – O endereço é o seguinte...

A cena fica sem áudio. Josh passa o endereço para Ryan enquanto Evan continua a segurar o revólver. A imagem corta rapidamente para:

 
 
     
 
 
     



3x06 - PRECISAMOS FALAR SOBRE EVAN
 
     

CENA 04. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. DORMITÓRIO DE CHELSEA E KEITH. INT. NOITE.

Keith está sentada em sua cama digitando em seu notebook. De repente, alguém bate a porta.

KEITH – (tirando os olhos do computador) Quem é?

MATT – (apenas a voz) Um cara que não consegue mais ficar longe de você...

Keith sorri e fecha o notebook. Então, se levanta da cama e caminha até a porta, abrindo-a.

KEITH – Matt, o que você está fazendo aqui?

MATT – (tentando olhar o interior do dormitório) Por acaso, a Chelsea está?

KEITH – Por quê? (enciumada) Você veio vê-la?

MATT – Claro que não, sua boba. Eu vim ver você. Eu só estou perguntando por que queria que a gente passasse um tempo a sós...

KEITH – Então veio na hora certa. A Chelsea foi para a biblioteca e vai passar um bom tempo lá. (sorri) Estamos sozinhos. Sinta-se convidado a entrar.

Matt entra no dormitório e Keith fecha a porta.

KEITH – (tira o sorriso do rosto) A menos que você tenha vindo para insistir nessa história de casamento...

MATT – Não. Quanto a isso, você pode ficar tranquila. Eu tenho vontade sim de me casar, Keith. Com alguém que vale a pena. (sorri) Você vale muito a pena. Mas eu tenho que reconhecer que somos muito novos e estamos no início de um relacionamento. Não iremos agilizar o processo natural das coisas.

KEITH – (se aproximando de Matt e dando um selinho nele) Ótimo. Eu também penso assim.

MATT – Mas eu não me esqueci do vestido de noiva. Se você quiser, eu posso ir até a loja, comprá-lo e guardá-lo para uma data futura...

KEITH – Matt, não se preocupe com isso. Eu gostei muito daquele vestido, mas ele não é o único que existe. Só porque eu fiquei admirada por ele, não quer dizer que eu tenha que me casar usando ele. (sorri) Certo?

MATT – Certo.

KEITH – Se um dia o nosso casamento acontecer... Claro, eu não descarto esta hipótese, pode ter certeza que sairei à procura de um vestido tão bonito quanto aquele. (sorri) Agora que tal falarmos sobre algo mais divertido?

MATT – (sorriso malicioso) Sobre o que?

KEITH – Esse papo sobre casamento me fez lembrar que... (embaraçada) Que, desde que começamos a nos envolver, nós não... Nós não... Você sabe! (sorri) Você não acha que já estamos prontos?

MATT – Gatinha, desde que você queira, eu acho que estamos prontos a qualquer hora.

KEITH – Que tal se esta hora for agora? Quero dizer, estamos sozinhos mesmo... Sem ninguém para nos atrapalhar...

Matt entende a mensagem e então aproxima seus lábios aos de Keith. Eles começam a se beijar. À medida que vão se entregando ao ato, o beijo se torna mais caloroso. Keith então joga Matt levemente em direção a cama e sobe em cima dele. A garota abaixa um pouco o seu corpo e começa a beijar o pescoço do namorado, enquanto puxa a blusa dele com as mãos. De repente, a campainha toca.

MATT – (levanta a cabeça) A intenção não era que ninguém nos atrapalhasse?

KEITH – (parando de beijá-lo) Sim. A Chelsea deve ter esquecido algum livro e vindo buscar. Eu vou atender e já volto. (saindo de cima do colo de Matt) Fique quieto aí, garotão!

Matt sorri maliciosamente e tira a camiseta, exibindo o belo físico. Keith pisca para ele e então caminha até a porta, abrindo-a.

KEITH – Ryan? O que você está fazendo aqui?

RYAN – (desesperado) Keith, eu preciso conversar imediatamente com a Chelsea... Ela está?

KEITH – Não, a Chelsea foi para a biblioteca. (percebendo a aflição de Ryan) Aconteceu alguma coisa?

RYAN – Eu não tenho tempo para explicar agora. Depois peço para a Chelsea falar com você. Agora preciso ir realmente atrás dela. Obrigado pela informação, Keith.

Ryan sai, apressado. Close em Keith, sem entender. Ela fecha a porta e se vira para Matt.

KEITH – Hora de continuar a brincadeira... (sorri)

Close em Matt, excitado. A imagem corta rapidamente para:

CENA 05. EDIFÍCIO ANTIGO. APARTAMENTO DE EVAN. INT. NOITE.

Evan anda de um lado para o outro com a arma em mãos, bastante apreensivo. Close em Josh, que acompanha os movimentos do garoto com os olhos.

EVAN – Ele está demorando...

JOSH – Calma, ok? O Ryan não disse que vai trazer o dinheiro? Então ele vai. Eu só preciso que você tenha um pouco de paciência...

EVAN – Não, você não precisa de nada aqui. A única coisa de que você precisa é ficar calado. Mais uma única palavra e eu acabo com você antes mesmo que o Ryan chegue aqui... Calado, calado agora!

Close em Josh, em silêncio.

EVAN – Eu espero que ele tenha entendido muito bem a mensagem que passei. Dois mil dólares em dinheiro vivo em minhas mãos e sem polícia. Eu juro por Deus, Josh, que se eu ouvir o barulho de sirene, eu atiro em você.

JOSH – Antes de desligar, o Ryan me garantiu que não acionaria a emergência. Ele vai trazer o dinheiro aqui e então estamos livres... Porque é isso que você vai fazer, certo? Quando tiver o dinheiro, você nos deixará ir embora...

EVAN – Eu ainda estou me decidindo em relação a isso. Eu e o Ryan temos muito o que conversar, Josh... Digamos que eu ainda não engoli o que ele fez comigo.

JOSH – Tente entendê-lo, Evan. Você estava vendendo drogas e escondendo o seu porte dentro do armário de um alojamento de universidade. Se alguém descobrisse, ele poderia ser expulso...

EVAN – Se ele ficasse de bico calado, não dissesse que iria me denunciar para o conselho estudantil, ninguém descobriria.

JOSH – Evan, o Ryan não poderia correr este perigo...

EVAN – Eu já não mandei você calar a boca?! Você está brincando com a sorte, garoto...

JOSH – Ok. Só me responda uma única coisa... Por que você precisa desse dinheiro?

EVAN – Eu não devo satisfações para você. Eu acabei me envolvendo em uma encrenca e preciso desse dinheiro para sair dela. Sem mais perguntas, sem mais detalhes. Eu preciso me focar aqui agora... (ainda andando de um lado para o outro) Apareça, Ryan... Apareça, Ryan...

JOSH – Evan, por que você abandonou a universidade?

EVAN – A minha vida está de cabeça para baixo, Josh. No ano passado, meus pais começaram a enfrentar uma grande crise financeira e não tinham mais dinheiro para bancar a minha permanência na universidade. Então, eu decidi que eu mesmo pagaria as minhas mensalidades.

JOSH – E não poderia ter arranjado um emprego?

EVAN – Eu achei que descolaria dinheiro mais rápido vendendo drogas do que trabalhando... Então, eu conversei com alguns amigos e consegui algumas coisas para vender... No começo, tudo foi dando certo. Eu vendia fácil e ganhava dinheiro fácil. Quando eu percebi, estava escondendo drogas dentro do armário da universidade e, mais tarde, sendo expulso do meu próprio dormitório pelo meu colega de quarto...

JOSH – Então por que você não desistiu, Evan?

EVAN – Porque eu não poderia desistir sem antes vender toda a mercadoria que eu tinha. Um dia, eu fiz uma venda grande para um cara e ele me prometeu que pagaria no dia seguinte... O canalha sumiu e me deixou no prejuízo. Agora eu estou em dívidas com a gangue que me fornecia e eles vão me matar se eu não pagá-los... É por isso que eu preciso dessa grana. É por isso que eu deixei a universidade.

JOSH – E não tem um jeito mais fácil de você arranjar o dinheiro? Digo, você precisa mesmo me deixar preso aqui, apontando uma arma para mim e ameaçando a minha vida? Eu e o Ryan podemos te ajudar a sair dessa, Evan...

EVAN – Não, eu não confio em mais ninguém. Enquanto o Ryan não aparecer e por esse dinheiro na minha frente, você continua correndo risco de vida. Eu não estou brincando, Josh. A minha vida está em jogo. (olha decidido para o garoto) A sua também!

Close em Josh, receoso.

CENA 06. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. BIBLIOTECA. INT. NOITE.

Chelsea está sentada à uma mesa da biblioteca fazendo a leitura de alguns livros de Filosofia Grega. A garota parece muito concentrada no que lê, mas logo é interrompida pela chegada de Ryan, que se aproxima da mesa, bastante afobado.

RYAN – Chelsea! Chelsea!

CHELSEA – (olhando para o garoto) Ryan, você está bem? Aconteceu alguma coisa?

RYAN – Sim, Chelsea. O Josh está correndo perigo e ele precisa da nossa ajuda.

CHELSEA – (se levanta da cadeira, assustada) Me explica essa história direito, Ryan.

RYAN – Você lembra do Evan?

CHELSEA – Sim, eu lembro, mas ainda não o vi na universidade este ano.

RYAN – Você não viu porque ele provavelmente trancou a matrícula. Muita coisa aconteceu com o Evan recentemente. Digo, ele passou a se envolver com drogas e parece ter se metido em uma grande encrenca. No ano passado, eu expulsei ele do dormitório porque ele estava guardando a mercadoria dentro do armário. Eu ameacei denunciá-lo para o conselho estudantil e então ele deixou o quarto. Agora, a universidade. E ele quer se vingar de mim.

CHELSEA – Como assim se vingar?

RYAN – Eu não sei como ele quer se vingar de mim, mas ele está usando o Josh para me atrair. Ele o sequestrou em uma rua próxima daqui e está o usando como refém até eu aparecer por lá.

CHELSEA – Ryan, nós precisamos ir para lá urgentemente.

RYAN – Eu sei, Chelsea, eu não quero que nada de ruim aconteça ao Josh por minha causa, mas é que... Eu só posso ir até lá se tiver dois mil dólares em dinheiro vivo. E eu não tenho todo esse dinheiro. Por acaso... Olha, eu não queria estar te pedindo isso, mas é caso de vida ou morte. Por acaso, você tem esse dinheiro?

CHELSEA – (assustada) Não, Ryan. Todo o meu dinheiro fica sob a guarda dos meus pais no banco, onde eles sabem que está em segurança. Mas talvez... Talvez eu possa conseguir para você.

RYAN – Onde? Como?

CHELSEA – Eu posso ir até a minha casa. Eu sei a senha do cofre. Descobri durante uma das conversas entre os meus pais. E eu tenho uma boa memória, nunca esqueci. Se você quiser, eu posso ir até lá e conseguir os dois mil dólares.

RYAN – Chelsea, eu jamais permitiria que você roubasse os seus pais...

CHELSEA – Ryan, com os meus pais eu me entendo depois. O importante agora é nos focarmos na segurança do Josh. E na sua, se o Evan quer você lá, é porque ele está tramando alguma coisa contra você... Eu vou chamar a polícia!

RYAN – (aumenta o tom de voz) NÃO! Sem polícia. Não podemos envolver os tiras no meio. O Evan deixou bem claro que qualquer sinal de polícia que ele detectar resulta na morte do Josh.

CHELSEA – Meu Deus! Esse cara está maluco...

RYAN – Sim, Chelsea, é por isso que eu estou pedindo a sua ajuda...

CHELSEA – Claro, vamos! Eu vou até a minha casa e, em seguida, partimos para onde o Josh está. Você acha que dá tempo?

RYAN – Tempo é o que menos temos agora. Mas o melhor que temos a fazer é arriscar.

Close em Ryan e Chelsea, decididos.

CENA 07. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. ALOJAMENTO. DORMITÓRIO DE CHELSEA E KEITH. INT. NOITE.

(música: Only Girl (In The World) - Boyce Avenue) 

Matt e Keith estão deitados na cama. Ele por baixo e ela por cima. A garota tira sua blusa, ficando apenas de sutiã. Matt segura o seu rosto e a beija calorosamente, levando seus lábios para outras partes do rosto até chegar ao ouvido. Ele dá mordiscadas de leve, excitando a garota. Keith sorri maliciosamente para ele e então tira o short dele, deixando-o apenas de cueca. Ambos se entregam ao ato e começam a passar suas mãos pelo corpo um do outro, ficando arrepiados. Matt ameaça desabotoar o sutiã da namorada, mas logo é interrompido pelo susto de Keith.

(Música cessa num baque.)

KEITH – (grita) Espera!

MATT – (surpreso) O que aconteceu? Você acha que estamos indo rápido demais? Eu pensei que estivesse pronta...

KEITH – Eu estou pronta, mas me lembrei agora que não providenciei a camisinha...

MATT – Isso não é problema nenhum.

Matt pega o short que estava ao lado da cama e tira de um dos bolsos sua carteira. O garoto a abre e pega um preservativo que estava dentro dela.

MATT – (balançando a embalagem do preservativo) Podemos continuar?

KEITH – Matt, quer dizer que você anda por aí com uma camisinha a disposição?

MATT – Claro, nunca se sabe quando uma gatinha vai te surpreender.

KEITH – (olha feio para ele) Por acaso, você está tentando estragar o nosso momento?

MATT – Claro que não, sua boba. A única gatinha da minha vida agora é você. (sorri) Mas sabe como diz o ditado, um homem prevenido vale por dois. Eu guardei esta camisinha na carteira porque sabia que um dia essa hora iria chegar. E eu precisava estar preparado. Nós precisávamos estar preparados.

(A música tocada no início da cena volta a ser executada.)

KEITH – (olha apaixonada para ele) Eu te amo.

MATT – (aproximando seus lábios aos dela) Eu te amo.

Matt então desabotoa o sutiã de Keith, tirando-o completamente. Os corpos seminus dos garotos se encostam e eles voltam a se beijar com muita excitação. Matt sugere tirar a calcinha de Keith e ela faz o mesmo em relação a cueca dele. Ali, os dois garotos se entregam a sua primeira vez juntos. A imagem escurece.

CENA 08. CASA DE CHELSEA. QUARTO DA SRA. HARRIS. INT. NOITE.

(Música cessa.)

Chelsea entra em passos leves no quarto para que ninguém a ouça. Então, fecha a porta e caminha até o guarda-roupas da mãe. Abre uma gaveta, confiante, e tira de dentro dela uma caixa. A garota sorri e a abre. Close em seu interior: há uma arma. A mesma arma que Chelsea usou para fazer de reféns os alunos da Universidade da Califórnia. A garota segura o revólver com uma das mãos e começa a apreciá-la.

CHELSEA – E quem diria que eu voltaria a colocar as minhas mãos em você? Talvez essa seja realmente a hora de te usar.

Close em Chelsea, com um olhar decidido. A imagem corta rapidamente para:

CENA 09. CASA DE CHELSEA. CORREDOR. INT. NOITE.

Chelsea sai de dentro do quarto e, rapidamente, levanta a sua blusa e coloca o cano da arma dentro de sua calça, na região da cintura. A garota olha para os lados, certificando-se de que ninguém está a vendo. Close no cofre embutido na parede. Chelsea se aproxima dele. Foco em suas mãos trêmulas. Ela então começa a combinação de números e letras para tentar abri-lo.

CHELSEA – (diz para si mesma) Tomara que os Harris não tenham trocado a senha... Vamos, abra!

E quando Chelsea está quase conseguindo abrir o cofre, ouve-se o som de passos vindos em direção ao corredor. Mais do que depressa, Chelsea se afasta do cofre e fica esperando a pessoa aparecer, sem saída.

CHRISTINA – (entrando no corredor) Chelsea, o que você está fazendo aqui? Por um momento eu pensei que fosse um ladrão... (levanta o telefone) Eu já estava quase ligando para a polícia.

CHELSEA – Mãe... (desesperada) Eu estava... Eu... Eu vim buscar um livro que eu precisava para os meus estudos de Filosofia Grega, mas acabei não achando... Devo ter perdido.

CHRISTINA – Querida, eu estou muito feliz por você estar aqui. (com os olhos emocionados) Desde que você foi internada naquele lugar, nós nunca mais nos vimos. Achei que me procuraria depois que saísse de lá.

CHELSEA – Mas veja que ironia, mãe. Eu passo meses internada em um centro psiquiátrico e a senhora acha que você merece ser visitada? (pausa) Bom, mas não tenho tempo para discussões agora.

CHRISTINA – Acalme-se, querida, se quiser eu posso te ajudar a encontrar o livro... Se você diz que tem, então está aqui.

CHELSEA – Não, eu estou com um pouco de pressa...

CHRISTINA – (olha desconfiada para Chelsea) Você tem certeza de que veio buscar um livro? Porque na última vez que pisou nesta casa, você saiu com uma arma em mãos.

Close em Chelsea, que engole seco.

CHRISTINA – Mas é claro que isso não acontecerá desta vez. (mente) Depois do que aconteceu na universidade, eu pedi para que a polícia me entregasse a arma para que eu pudesse me livrar dela de uma vez por todas. Não quero nada que ameace a minha família dentro deste lar.

CHELSEA – (sorri) Ótimo, mãe, você fez uma boa tarefa. (passando por ela no corredor) Agora eu preciso ir. Tenha uma boa noite.

CHRISTINA – Calma, querida, eu ainda nem...

E antes que Christina conclua o que iria dizer, Chelsea desaparece. Close na mulher, surpresa.

CENA 10. CASA DA FAMÍLIA HARRIS. FACHADA. EXT. NOITE.

Ryan está atrás de uma árvore aguardando a volta de Chelsea. Apressada, a garota abre o portão e sai de dentro da casa, com uma mochila nas costas. Ryan corre em direção a ela.

RYAN – E então, conseguiu o dinheiro?

CHELSEA – Sim, está aqui dentro da minha mochila. Agora, vamos, o Josh está precisando de nós.

RYAN – Obrigado por tudo o que está fazendo, Chelsea.

CHELSEA – Vocês são os meus amigos. É meu dever fazer isso.

Close em Ryan, que sorri agradecido.

A imagem corta rapidamente para:

CENA 11. EDIFÍCIO ANTIGO. APARTAMENTO DE EVAN. INT. NOITE.

Josh ainda está sentado na cama, aflito. Evan olha para a janela, impaciente. Josh ameaça se levantar para reagir contra o garoto enquanto ele está de costas, mas Evan volta a se virar para ele e Josh se mantém imóvel.

EVAN – Ele está demorando demais... Não há mais tempo para espera.

JOSH – E você vai fazer o que, Evan? (decide enfrentá-lo) Me matar? Matar a única pessoa que irá atrair o Ryan até aqui? Você acha que realmente pensou em tudo, mas esse seu plano é tão furado quanto uma peneira.

EVAN – Cala a boca! (grita) CALA A BOCA OU EU FAÇO VOCÊ ENGOLIR CHUMBO. ESTOU SENDO CLARO?

JOSH – (se recompõe) Eu só peço que você tenha um pouco mais de calma. O Ryan está se concentrando nisso. Ele não vai te desapontar.

Close em Evan, desconfiado. De repente, alguém bate a porta.

JOSH – Viu? Deve ser ele...

Evan caminha até a porta e a abre. Ryan entra, apressado, com a mochila em mãos.

RYAN – Pronto, Evan, eu estou aqui. Libere o Josh e eu te entrego a bolsa.

EVAN – (para Josh) Ok, você pode sair. Agora a conversa é entre eu e o Ryan.

JOSH – (grita) NÃO! Eu não vou sair daqui e deixar o Ryan sozinho. (diz firme) Nem que isso custe a minha vida.

Close em Evan, desafiado. A imagem corta rapidamente para:

CENA 12. EDIFÍCIO ANTIGO. FACHADA. EXT. NOITE.

Chelsea anda de um lado para o outro, inquieta.

CHELSEA – Eu não posso ficar aqui parada sem fazer nada...

Chelsea então tira algo de dentro do seu bolso. No primeiro instante, pressupõe-se que é o revólver, mas então a garota revela o celular.

CHELSEA – (disca um número rápido e leva o aparelho até o ouvido) Alô, emergência? Eu tenho um caso para vocês...

A imagem se afasta, enquanto Chelsea faz a denúncia. A imagem corta rapidamente para:

CENA 13. EDIFÍCIO ANTIGO. APARTAMENTO DE EVAN. INT. NOITE.

Josh, mais do que depressa, entra na frente de Ryan. Evan sorri e fica de costas para a porta aberta.

EVAN – (apontando a arma para Josh) Ok, Josh, se este é o seu desejo, eu vou realizar...

RYAN – (grita) Não, Evan, não faça isso. O Josh não sabe o que está dizendo. (diz para Josh) Por favor, saia da minha frente. Eu posso resolver a situação sozinho.

JOSH – Não, Ryan, eu não vou te deixar... Ele vai pegar todo o dinheiro e te matar logo em seguida. É isso o que ele quer. Ele quer acabar com a sua vida, porque acha que você foi ingrato com ele. Ele só me ameaçou para te trazer até aqui.

RYAN – Josh, mas agora ele está falando sério... Ele não precisa mais de você como isca... Ele vai atirar em você.

JOSH – Pois então que atire. Eu estou pronto. (olha para Evan) Vamos, puxe o gatilho.

RYAN – Josh, por que você está fazendo isso?

JOSH – (se vira para Ryan) PORQUE EU TE AMO! (deixa uma lágrima rolar sobre o seu rosto) Porque eu te amo e não vou conseguir te perder. Ryan, eu já perdi uma pessoa muito especial na minha vida. Eu não vou ter forças para suportar outra perda. Eu não posso lidar com isso. Eu não posso. (começa a chorar) Isso está acabando comigo...

RYAN – (começa a chorar) Josh, eu também te amo! E não vou deixar que nada de mal aconteça entre a gente. Então, faça o que eu estou pedindo, saia do apartamento e deixe eu e o Evan resolvermos a situação.

EVAN – Linda cena. Mal vejo a hora de dar um fim nela.

JOSH – (para Ryan) NÃO! Se ele for te matar, então ele terá que me matar junto... Eu te amo, Ryan, é meu dever te proteger. (se vira para Evan) Vamos, atire!

Evan ameaça puxar o gatilho. De repente, Chelsea aparece na porta em passos lentos e resolve chamar a atenção do garoto.

CHELSEA – Hey, psiu!

Instintivamente, Evan se vira para a garota e, inesperadamente, ela dá um soco no rosto dele, o derrubando no chão. Durante a queda, Evan acaba perdendo a arma. Josh, rapidamente, se abaixa e toma a posse dela.

CHELSEA – (tira o revólver do bolso e começa a andar em volta de Evan) Vamos, garotos, saiam! Eu vou depois! Antes tenho uma pendência a resolver com esse cara aqui.

Josh e Ryan sorriem e saem correndo do apartamento. Close na mochila jogada no chão.

CHELSEA – E então, imaginou que um terceiro elemento apareceria na história?

EVAN – (ainda deitado no chão) Chelsea, o que você está pensando em fazer?

CHELSEA – Você ameaçou a vida dos meus amigos. Eu não posso deixar barato, não é mesmo? (sorri) E lembre-se que eu já toquei em uma dessa (refere-se à arma) antes. Não fui capaz de puxar o gatilho. (coloca o pé sobre a barriga de Evan) Mas quem sabe eu sou capaz de puxar agora?

EVAN – Por favor, Chelsea, não faça isso...

CHELSEA – (tira o pé de cima do garoto) Pode ter certeza que não farei. Eu não vou estragar a minha vida novamente por causa de indivíduos como você. (sorri) Você não queria que o Ryan te pagasse pelo o que ele fez com você? Agora a vida vai se encaminhar de fazer você pagar pelo o que fez com eles.

Chelsea sai triunfante, deixando Evan sozinho no apartamento. O garoto se levanta depressa e caminha até onde a mochila está jogada, pegando-a em mãos.

EVAN – (abrindo-a) Pelo menos eu fiquei com o dinhe...

E antes que Evan termine o que iria dizer, ele se depara com o que está realmente dentro da mochila. O garoto puxa de dentro dele várias folhas de jornal amassadas, deixando evidente que Chelsea não conseguiu arranjar o dinheiro, mas elaborou um novo e mais eficiente plano em substituição.

EVAN – (irritado) Droga! Eles me enganaram!

Evan chuta a mochila e ameaça sair do apartamento, mas assim que chega a porta, é barrado por policiais.

POLICIAL – Aonde pensa que vai, Evan McGrath? Talvez o senhor queira nos acompanhar até a delegacia municipal. (pausa) Que tal dar uma voltinha em nossa viatura?

Close em Evan, sem escapatória.

CENA 14. EDIFÍCIO ANTIGO. FACHADA. EXT. NOITE.

Josh, Ryan e Chelsea estão sentados lado a lado na sarjeta da calçada.

JOSH – Chelsea, você foi uma garota muito corajosa esta noite.

CHELSEA – Eu não poderia ficar aqui embaixo sem fazer nada para ajudar vocês.

RYAN – Obrigado por tudo, Chelsea. Hoje você se comportou como uma grande heroína. Já pensou em ser detetive policial?

CHELSEA – (ri) Digamos que eu tenho outros planos para mim... E estou trabalhando neles para quem dêem certo. (se levanta) Agora que tudo se resolveu, eu vou para o alojamento. Vocês me acompanham?

RYAN – Bom, acho que podemos...

JOSH – (interrompe) Não. (olha para Chelsea) Vai indo na frente, Chelsea. Eu preciso conversar com o Ryan antes.

CHELSEA – Claro. Vou deixar vocês a sós.

JOSH – Mais uma vez, muito obrigado.

RYAN – Realmente. Muito obrigado, Chelsea.

CHELSEA – Foi um prazer. Quando precisarem... (sorri) Eu estou aqui.

Chelsea acena com a mão para os garotos e segue o seu caminho.

(música: Stay - Rihanna ft Mikky Ekko)

Josh pega uma pedra no chão e atira no meio da rua.

RYAN – E então...

JOSH – Bom, eu acho que precisamos conversar depois do que acabou de acontecer...

RYAN – Josh, eu não quero que você faça nada pelo qual vai se arrepender depois. Digo, não quero que você volte comigo só porque passamos por uma situação de perigo...

JOSH – Eu sei, Ryan. Acontece que essa situação de perigo serviu para me mostrar que eu não quero apenas a sua amizade. Quero dizer, eu quero sim a sua amizade. Quero ter ela pelo resto da minha vida. Mas eu também quero que estejamos juntos de corpo e alma. (olha no fundo dos olhos do garoto) Eu ainda te amo...

RYAN – Josh, eu acho que nem preciso dizer que, durante todo esse tempo, você nunca saiu da minha cabeça. Eu cometi muitos deslizes nos últimos tempos e eu me culpo até hoje por, um dia, ter te afastado de mim. (sorri) Eu também te amo.

JOSH – Nós nos afastamos, Ryan, mas não vamos deixar que isso aconteça de novo. O que existe entre nós... Digo, essa magia, essa ligação... É muito maior do que qualquer problema ou ciúme sem propósito. O que acabamos de vivenciar foi a prova de que eu não posso te perder nunca mais...

RYAN – Isso quer dizer que...

JOSH – Isso quer dizer que, se você quiser, nós podemos tentar de novo. Nós cometemos muitos erros no decorrer de todo esse tempo, mas eu estou disposto a corrigi-los e espero que você também esteja.

RYAN – Em relação ao...

JOSH – (interrompe) Ele sempre estará na minha memória e no meu coração. O que eu vivi com ele foi único e eu nunca vou me esquecer. Mas agora eu preciso seguir com a minha vida e preciso respeitar os meus sentimentos. Eu quero você ao meu lado, Ryan. Para sempre.

Ryan sorri e aproxima seus lábios aos do garoto. Então, sem pensar duas vezes, os dois se beijam apaixonadamente, calorosamente, naturalmente... Como se esse fosse o primeiro e o último beijo de suas vidas. O beijo que simboliza o renascimento do amor entre os dois. O amor que sempre existiu e que nunca irá morrer. O amor de vizinhos. O amor de amigos. O amor de Josh e Ryan. O amor que deu origem a esta história.

A imagem escurece.

 


AUTOR
André Esteves

ELENCO

Graham Phillips como Josh Parker
Sterling Knight como Ryan Jordan
Victoria Justice como Chelsea Harris
Ariana Grande como Keith Hurly
Gregg Sulkin como Matt Brooks
 
PARTICIPAÇÕES ESPECIAIS
Graham Rogers como Evan McGrath
Angie Harmon como Christina Harris
 
Pequenas aparições que não constam na listagem acima (Policial, neste episódio) são interpretadas por atores contratados pela produtora.
 
TRILHA SONORA
So Small – Carrie Underwood (Tema de Abertura)
Only Girl (In The World) - Boyce Avenue
Stay - Rihanna ft Mikky Ekko

PRODUÇÃO
Bruno Olsen
Cristina Ravela


Esta é uma obra de ficção virtual sem fins lucrativos. Qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações da vida real terá sido mera coincidência.


REALIZAÇÃO

Copyright © 2018 - WebTV
www.redewtv.com
Todos os direitos reservados
Proibida a cópia ou a reprodução

.aaa.
.aaa.

Compartilhar:

 
Copyright © WebTV | Design by OddThemes