The Circus - 3x01



3x01
 
 
 

CENA 1. ACADEMIA MISS LAVEAU. DORMITÓRIO. INTERIOR. NOITE.

CARRY, moça loira na faixa dos 22 anos, entra no dormitório carregando duas sacolas plásticas cheias de pacotes de comida. Ela coloca as sacolas sob a bancada da cozinha e tira o seu casaco.

CARRY – (CHAMA) Allegra, cheguei. Trouxe as compras.

ALLEGRA, de cabelos escuros, na faixa dos 20 anos, sai de um dos quartos e checa as sacolas.

ALLEGRA – Demorou hein, achei que tinha acontecido alguma coisa.

CARRY – Nem me fale. (LARGA O CASACO SOB A MESA) Fiquei quinze minutos na fila para pagar. Os supermercados estão ficando cada vez maiores e com menos caixas.

ALLEGRA – Adivinha o que peguei para assistirmos hoje? (MOSTRA O DVD) Pânico 4.

CARRY – (IMPACIENTE) Ah não Allegra, você sabe que eu detesto filmes de terror. A história é sempre a mesma, uma garota loira, peituda, recebe uma ligação perguntando se quer morrer e termina sendo estripada por um cara de máscara assustadora.

ALLEGRA – Qual é Carry, não tenha medo. Caso o assassino queira te matar, eu estarei aqui pra te defender.

CARRY – Engraçadinha...

O celular de Allegra toca. Ela retira do bolso e atende. Carry guarda as compras.

ALLEGRA – (TELEFONE) Oi, mãe. (ESTRANHA) Mãe?

CARRY – O que foi?

ALLEGRA – Não consigo entender nada. (FALA MAIS ALTO) Mãe, tá me ouvindo?

CARRY – O sinal as vezes é uma merda aqui dentro, tenta lá fora, quem sabe pegue.

ALLEGRA – Vou fazer isso, já volto.

E Allegra sai pela porta da cozinha. Carry sorri e balança a cabeça negativamente. Alguns segundos depois, o telefone do dormitório começa a tocar. Carry vai até um móvel atrás do sofá e atende.

CARRY – (TELEFONE) Alô?

VOZ MASCULINA – (EM OFF) Olá Carry...

CARRY – (ESTRANHA) Quem está falando?

VOZ MASCULINA – (EM OFF) Com quem você gostaria de falar?

CARRY – (NÃO ENTENDE) Desculpa, quem está falando? Isso é algum trote? Por que eu tenho mais o que fazer do que ficar dando ibope pra palhaço!

VOZ MASCULINA – (EM OFF) Se eu fosse você trataria com mais educação alguém que pode estar com a sua vida nas mãos!

CARRY – É você, Allegra? Ou melhor, deve ser o Andrew. (RI) Seu ordinário, você adora pregar essas peças em todo mundo. Saiba que se eu te encontrar pelo campus, eu vou te bater até sangrar!

VOZ MASCULINA – (EM OFF) Você está muito enganada em relação a mim... Sabe que a visão que estou tendo de você do local onde estou é privilegiada?

Carry olha pela janela, mas não vê ninguém.

CARRY – (EM OFF) Tarado! (E DESLIGA)

Carry coloca o telefone na bancada. Mas ele volta a tocar. Com receio, ela atende.

CARRY – (TELEFONE) Alô?

VOZ MASCULINA – (EM OFF) Se você desligar na minha cara mais uma vez eu juro que arranco suas tripas com os dentes!

CARRY – Quem é você hein, vamos terminar com esse jogo. Onde você está hum? Lá fora? Saiba que não tenho medo de você! Seu louco!

VOZ MASCULINA – (EM OFF) Eu estou dentro do armário... E eu vou te matar...

Muito assustada, Carry desliga o telefone. Ouve-se um barulho de algo na sala e ela pega uma faca em cima da pia. Determinada a descobrir quem é, a jovem caminha em passos lentos até lá e se aproxima do armário. Muito suspense. Carry abre o armário, mas não tem ninguém lá. Ela respira aliviada e baixa a faca. Quando fecha a porta, uma pessoa vestindo uma roupa preta e máscara de palhaço está atrás dela e a acerta com uma facada pelas costas. Carry sente a dor do golpe e cai de joelhos, gemendo muito. Carry se levanta e tenta correr, mas a dor a consome. O palhaço a puxa pelos cabelos e corta sua garganta. Carry põe as duas mãos no pescoço e o sangue escorre por todo seu corpo. Ela revira os olhos e cai morta no meio da sala. CLOSE no corpo ensanguentado de Carry.

CORTA PARA a porta da cozinha. As luzes do dormitório estão apagadas. Allegra entra com o celular.

ALLEGRA – Carry? O que houve? Por que as luzes estão desligadas?

A jovem acende as luzes e a CÂMERA apenas mostra as pernas de Carry suspensas no meio da sala, dando a entender que ela fora enforcada. Allegra vê o corpo assassinado da amiga e dá um berro de horror. A TELA ESCURECE.

 
 
     
   
 
     

3x01 - O SILÊNCIO DOS INOCENTES
 
     

CENA 2. ACADEMIA MISS LAVEAU. CAMPUS. EXTERIOR. DIA.

Plano geral do enorme campus da conhecida universidade Miss Laveau. As mulheres que estudam na instituição caminham por todos os lados. Algumas delas estão sentadas pelo gramado do prédio principal. CORTA PARA o arranha-céu de um grande prédio.

CENA 3. ACADEMIA MISS LAVEAU. DORMITÓRIO MAUREEN. INTERIOR. DIA.

CÂMERA abre num telefone tocando. Aos poucos MAUREEN PRESCOTT, dormindo em uma das camas do modesto dormitório, vai acordando ao som do telefone. Visivelmente sonolenta, ela se senta na cama e atende o aparelho.

MAUREEN – Sim?

VOZ MASCULINA – (EM OFF) Bom dia Maureen. Você quer morrer essa noite? (RISADAS)

Maureen suspira fundo e vê pela bina ao lado do telefone o número e nome de “THOM BUCKERS”.

MAUREEN – (SORRIDENTE) Boa tentativa Thom, seja mais criativo da próxima vez e ligue de outro número. E agradeça eu não chamar a polícia, pois isso que está fazendo é crime.

O sinal do outro lado cai. Maureen sorri e desliga o telefone. TATUM, jovem morena, de aproximadamente 22 anos, sai do banheiro de roupão e com os cabelos molhados.

TATUM – O que foi, mais um trote? Se quiser a gente pode mudar de número de novo.

MAUREEN – Não, não vai ser necessário, eles acabam cansando e desistem de me importunar.

TATUM – Que bom, porque eu estou numa dúvida interminável.

Tatum pega dois vestidos da cama, um preto e outro azul, e mostra pra Maureen.

TATUM – Qual deles você acha que eu devo ir na festa da Fraternidade hoje a noite?

MAUREEN – (ESTRANHA) Que festa?

TATUM – Ué, esqueceu? A festa da Fraternidade que o Tim nos convidou. É hoje a noite. Já arrumou sua roupa?

MAUREEN – Ai Tatum, eu não sei se devo ir, sabe? Tenho tanta coisa pra estudar que prefiro ficar em casa.

TATUM – Por favor não é Maureen, você vai comigo sim. Sabe quem estará lá? Rex Vanderwall!

MAUREEN – E o que tem isso?

TATUM – O que tem é que ele é um gato, e gostoso, e está dando em cima de você a semanas e você nem aí, se fazendo de difícil. É a oportunidade de ficarem juntos.

MAUREEN – Tatum, eu já te expliquei essa história mil vezes. Você sabe que eu ainda não estou preparada para um relacionamento sério nesse momento. Eu ainda estou muito machucada desde o que aconteceu em Endless Town e minha separação com o Lucas.

TATUM – (SE SENTA AO LADO DELA) Veja, eu sei que você passou por coisas difíceis, que perdeu pessoas que amava, eu sei disso tudo... Mas você precisar dar a volta por cima Maureen, precisa recomeçar a sua vida. E o Rex pode ser o cara que vai mudar tudo.

MAUREEN – Você acha?

TATUM – Claro!

MAUREEN – (SE LEVANTA) Ok, então eu vou na festa hoje, decidido.

TATUM – (SE ANIMA) É assim que se fala garota!

Maureen pega o controle de TV e liga o aparelho. Está passando um programa noticioso e uma repórter fala de dentro do estúdio.

REPÓRTER – Foi encontrada noite passada o corpo da jovem Carry Manson, assassinada dentro de seu dormitório na Academia Miss Laveau, renomada universidade de Nova Orleans.

MAUREEN – Tatum! Escuta isso.

TATUM – (PEGA O CONTROLE) Aumenta o volume.

REPÓRTER – (NA TV) O corpo foi encontrado por Allegra Gray, uma amiga. Carry recebeu duas facadas, uma nas costas e outra na garganta, e teve o corpo pendurado no dormitório onde vivia com a amiga. Um fato que deixou a polícia intrigada foi que o assassino deixou uma máscara de palhaço no rosto da vítima.

E uma foto de Carry pendurada com a mascara no rosto surge na tela. Maureen põe a mão na boca, chocada.

MAUREEN – (ASSUSTADA) Eu preciso falar com a Ashley.

CENA 4. ACADEMIA MISS LAVEAU. DORMITÓRIOS. EXTERIOR. DIA.

Maureen sai pela entrada do prédio onde ficam os dormitórios e alguns jornalistas a esperam para fazer milhares de perguntas. Maureen continua caminhando com sua mochila e os ignora.

REPÓRTER #2 – (SE COLOCA NA FRENTE DELA) Maureen, você conhecia Carry Manson?

MAUREEN – (NERVOSA) Não...

REPÓRTER #2 – (RÁPIDA) Você acha que o assassino de Endless Town possa ter vindo até a Academia e assassinado a jovem Carry?

Maureen empurra a repórter e sai, irritada.

CENA 5. DELEGACIA. SALA DO DELEGADO. INTERIOR. DIA.

O XERIFE PAUL, de 50 anos, e a policial JUDY SAMUELS, de 30 anos, conversando com Allegra Gray. Allegra está pálida e com olheiras fundas de tanto chorar.

PAUL – Allegra, precisamos que fique calma e nos relate com maiores detalhes o que aconteceu noite passada. Não tenha medo, estamos aqui para te ajudar.

Allegra não consegue responder e começa a chorar. Judy fala no ouvido do xerife.

JUDY – (BAIXO) Não é a hora xerife, ela ainda está muito abalada.

PAUL – Está certo, tome o tempo que precisar. Vamos descobrir quem fez isso.

E Paul sai da sala. Judy passa a mão nos cabelos de Allegra, a fim de consolá-la.

CENA 6. ACADEMIA MISS LAVEAU. SALA DE AULA. INTERIOR. DIA.

A professora HARMONY DRAKE, com longos cabelos castanhos, na faixa dos 30 anos, conversa com suas alunas, sentada sob a mesa.

HARMONY – Eu sei que todas vocês estão bastante assustadas com o que houve com Carry noite passada, e que muitas especulações já estão sendo feitas, mas devemos ter calma e apoiar uma as outras nesse momento complicado. A polícia ainda não deu nenhum parecer oficial.

ASHLEY – Eu estou muito apavorada senhorita Drake. Quer dizer, eu fazia aula com ela na terça e agora ela está morta. Por mais que não fossemos amigas, é muito maluco saber que ela foi assassinada!

BEVERLY – (POR CIMA) Como nos filmes de terror, não?

ASHLEY – Por favor, não podemos colocar a culpa nos filmes. Quem fez isso é um psicopata.

LYNN – Ou algum cara que a Carry deu o fora e decidiu se vingar enfiando a faca em sua jugular. Me desculpe dizer isso, mas já fiz algumas festas com a Carry e posso garantir que ela sabia como seduzir um homem.

TRUDIE – Eu só tenho medo que seja lá quem a matou decida sair matando todo mundo como nesses filmes.

LYNN – E fique com medo mesmo Trudie, por que você é a loira gostosa, porém burra, ou seja, sempre morre no início e de forma bem cruel.

Todas começam a rir Ashley balança a cabeça em tom de desagrado. Seu celular vibra e ela vê que chegou uma mensagem de Maureen. Ela recolhe seus materiais e sai da sala com pressa.

CENA 7. ACADEMIA MISS LAVEAU. PRÉDIO. EXTERIOR. DIA.

Ashley, Maureen e Tatum saem juntas do prédio e vão caminhando enquanto conversam, ambas bastante nervosas.

MAUREEN – Ele entrou na Academia, assassinou uma das alunas e ninguém viu nada? Como isso é possível, Ashley?

ASHLEY – Eu fiquei bastante impressionada, a Carry era uma garota ótima, morrer desse jeito é muito cruel.

MAUREEN – Estou com medo Ashley. (SEGURA ELA PELO BRAÇO) Ele a enforcou e colocou uma máscara de palhaço. Você sabe o que isso significa, você sabe o que aconteceu em Endless Town.

ASHLEY – Maureen fique calma, não entre em paranóia. Foi apenas um crime, e crimes como esse acontecem em todos os lugares. Isso não significa que o palhaço assassino voltou.

MAUREEN – Quando sai dos dormitórios encontrei vários jornalistas, todos querendo falar comigo. (PREOCUPADA) Eu não quero ter que passar por tudo aquilo de novo. Eu não quero!

TATUM – (A APOIA) Nada de ruim vai acontecer, a polícia vai investigar e prender esse filho da puta. Não se preocupe, estamos seguras.

Ouve-se uma buzina de carro. Elas se viram e vêem Rex, Tim e Mickey esperando por elas na calçada, junto ao carro do primeiro. Ashley sorri e corre até lá. Ela se joga nos braços de TIM, rapaz loiro e bastante bonito, e dá um beijo intenso.

ASHLEY – Meu amor, como eu queria te abraçar, te beijar, ver como você estava. Com esse crime que aconteceu ontem, temi que algo acontecesse a você.

TIM – (SORRI) Fica fria, gata, tá tudo tranquilo.

REX, homem alto, de cabelos negros, também bonito, segura nas mãos de Maureen, cuidadoso.

REX – Maureen, você está bem?

MAUREEN – (SEM GRAÇA) Estou sim Rex.

E eles se dão um abraço frio. Maureen dá um sorriso discreto e também abraça MICKEY, jovem magro, de roupas coloridas.

MICKEY – Como você está depois do que aconteceu?

MAUREEN – Nervosa. Você sabe, você também viveu tudo aquilo.

Tatum percebe a aura de tensão no ar e tenta mudar de assunto, descontraindo-os.

TATUM – Então Rex, tudo preparado para a festa de hoje?

REX – Claro, vai ser maneiro. Você vai, não vai Maureen?

MAUREEN – Ah/...

TATUM – (POR CIMA) Ela vai sim, fica sossegado.

MAUREEN – (SUSSURRA) O que você está fazendo, Tatum?

TATUM – (SUSSURRA) Calada, não estrague tudo.

CORTA PARA um plano geral do campus da Academia. Sonoplastia RED RIGHT HAND. Uma quantidade enorme de furgões de emissoras de TV estacionados pelo espaço da universidade. Vários jornalistas e câmeras andam de um lado pro outro. CORTA PARA DUKE, um rapaz negro, segurando uma câmera, desce de um dos furgões acompanhado de CATHERINE, que está usando um terninho sóbrio e segurando um microfone.

CATHERINE – (PARA DUKE) Então, como estou? (ALISA OS CABELOS) Tudo direitinho? Não posso aparecer feia em rede nacional.

DUKE – Você está ótima Catherine.

CATHERINE – Perfeito. (SAI CAMINHANDO) O negócio é o seguinte, eu quero essa câmera ligada ouviu Duke, filmando tudo, absolutamente tudo, por que essa pode ser a cobertura da minha vida.

DUKE – (A SEGUE) Que mal lhe pergunte Catherine, eu achei que a gente ia gravar algumas entrevistas e não cobrir um assassinato.

CATHERINE – (SE VIRA/RI) Você está com medo, Duke? É isso que estou ouvindo?

DUKE – Não trata-se de medo, mas por favor, eu li seu livro, eu sei muito bem como seu primeiro câmera morreu! Ou melhor, foi assassinado. Com um tiro na cabeça.

CATHERINE – Na realidade eu enfeitei um pouco mais a situação, ele foi esfaqueado pelas costas.

DUKE – (SE ARREPIA) Jesus...

CATHERINE – (ESTALA OS DEDOS) Agora vamos, câmera ligada e olhos atentos.

Mais a frente, o Xerife Paul está dando uma entrevista coletiva para toda a imprensa. Catherine se aproxima da multidão e Duke começa a gravar. Todos os jornalistas falam ao mesmo tempo.

PAUL – (MICROFONE) Por favor, um de cada vez! Responderei todas as perguntas, mas ordem!

CATHERINE – (FALA ALTO) Xerife! Xerife!

PAUL – (APONTA PARA CATHERINE) Senhorita.

CATHERINE – Obrigada. (CUTUCA DUKE PARA FILMÁ-LA) Como escritora do livro O Massacre em Endless Town e experiência viva de toda a tragédia ocorrida em 2012, pergunto se pode afirmar categoricamente que estamos lidando com um novo assassino palhaço?

PAUL – (MICROFONE) Não, descartamos totalmente essa possibilidade. Não há evidências que se trate de um serial killer. O crime foi um caso isolado e sem relação com o massacre ocorrido anteriormente. Sem pânico.

CATHERINE – (ALTO) E o que disse a menina que encontrou o corpo?

PAUL – (MICROFONE) Allegra Gray ainda está muito abalada pelo que aconteceu, ela era uma amiga muito próxima a Carry e pede que todos sejam pacientes com seu estado emocional.

CORTA PARA Maureen, Tatum, Ashley, Tim, Rex e Mickey observando a movimentação, sentados no gramado da Academia. Maureen vê Catherine e se irrita.

MAUREEN – Não acredito que essa mulher está aqui.

TATUM – Quem, Catherine Mayer, a jornalista?

MAUREEN – Ela mesma. Mulherzinha mais intragável e oportunista, que gosta de fazer sucesso com a desgraça dos outros.

TATUM – Mas eu pensava que vocês fossem amigas depois de tudo que aconteceu em Endless Town.

MAUREEN – Nós éramos.

ASHLEY – O que aconteceu de verdade entre vocês Maureen? Você nunca nos contou nada.

REX – Meninas, por favor, acho que a Maureen não quer falar sobre esse assunto. Vamos respeitá-la.

MAUREEN – (CONCORDA) Obrigada.

Ashley vê que Lynn, Trudie e Beverly estão vindo na direção deles e esconde o rosto contra o peito de Tim.

TATUM – (SEM PACIÊNCIA) Olha quem vem lá.

LYNN – Bom dia meninas.

TATUM – Bom dia, Lynn.

LYNN – Maureen, eu precisava muito falar com você. Estou perplexa com a morte da Carry.

TRUDIE – (CONCORDA) É verdade. Lynn e Carry eram muito amigas. Praticamente irmãs.

MAUREEN – Também estou Lynn. É terrível.

LYNN – E eu imagino como você deve estar se sentindo em saber que ela foi morta pelo palhaço assassino, afinal todos sabemos o que aconteceu na sua cidade natal.

ASHLEY – (IRRITADA) Qual é a tua, hein garota?

LYNN – (IRONIZA) Ficou irritada, Ashley? Nem estou falando com você, por favor, fique quieta.

MAUREEN – Lynn acho que não é o momento de falarmos sobre esse assunto. Por favor.

LYNN – (CONCORDA) Certo, tem razão. Mas saiba que se precisar eu, Trudie e Beverly estarão aqui pro que der e vier. Fique bem, amiga.

Lynn sorri e sai com suas amigas.

ASHLEY – (IMITA) Fique bem, amiga. (RECLAMA) Que garota intragável!

TATUM – (SE LEVANTA) Vamos indo, meninas? Temos uma aula daqui a 15 minutos.

MAUREEN – (SE LEVANTA) Vamos sim.

CATHERINE – (GRITA) Maureen Prescott!

Quando eles se viram, Catherine se aproxima de Maureen com um microfone e Duke filmando tudo.

CATHERINE – (PARA A CÂMERA) Estamos aqui com Maureen Prescott, sobrevivente do Massacre de Endless Town. Maureen, como você está lidando com o retorno do assassino? Acha que sua mãe possa ter discípulos?

MAUREEN – (SE AFASTA) O que está fazendo?

CATHERINE – (SEM GRAÇA) Ela está com vergonha por causa das câmeras. Não se acanhe Maureen!

MAUREEN – (COM RAIVA) Não chega perto de mim! Não toca em mim! Eu me recuso a falar com você, sua oportunista!

CATHERINE – Nossa Maureen... Que jeito é esse de falar comigo? Eu achava que... que éramos amigas.

MAUREEN – Depois de tudo que você fez na minha vida lançando o livro? Você me expôs Catherine! Você me tornou uma celebridade! Você tirou minha paz!

CATHERINE – Mas não foi culpa minha! Jamais foi essa a intenção!

MAUREEN – Mentira! Sabe por quê? Porque você gosta de se encostar nas pessoas para tirar o pior delas, e assim ganhar algum tipo de proveito. Você provou só estar do meu lado por dinheiro e prestígio, e eu dispenso uma amizade como essa.

E Maureen sai, acompanhada de Ashley e Tatum. Duke baixa a câmera, com pena de Catherine. Close em Catherine, boquiaberta.

CENA 8. FRATERNIDADE. SEDE DO GRÊMIO ESTUDANTIL. EXTERIOR. NOITE.

Sonoplastoa: Something to Die For. O carro de Maureen estaciona do outro lado da rua da sede do grêmio da Fraternidade e ela, Ashley e Tatum descem.

TATUM – (PARA MAUREEN) Não esquece o que eu te disse.

MAUREEN – (SEM GRAÇA) Chega Tatum!

ASHLEY – Vamos, meninas?

Ashley agarra o braço de Maureen e elas atravessam a rua. Tatum as segue. CORTA PARA a festa acontecendo. Vários jovens pelo gramado da casa, bebendo e dançando. Maureen, Ashley e Tatum passam entre eles e se encontram com Tim e Mickey, sentados na escada que dá acesso a porta da casa. Ashley se joga nos braços de Tim e senta no colo dele.

ASHLEY – Como eu estou meu amor?

TIM – (SE GABA) Linda, como sempre!

Tatum vê Rex se aproximando deles e cutuca Maureen. Maureen se vira e sorri para Rex.

REX – (ANIMADO) Maureen você veio! Que bacana!

MAUREEN – É as meninas me encorajaram a sair de casa. (OLHA EM VOLTA) Ótima festa.

REX – Valeu! Mas então, está com sede?

MAUREEN – (PENSA) É... eu acho.

REX – Vamos ali pegar algumas bebidas?

MAUREEN – (CONCORDA) Claro!

Rex dá o braço para Maureen e eles saem. Tatum comemora. Ashley, Tim e Mickey dão risada. Lynn, Trudie e Beverly chegam à festa e Lynn encara Ashley. Ashley se levanta e vai à direção de Lynn.

ASHLEY – Tá olhando o que vagabunda?

TIM – (SEGURA ELA) Calma Ashley!

LYNN – Ih, o que foi hein loirinha? Por acaso eu te fiz alguma coisa? Acabei de chegar amor.

ASHLEY – Chegou me encarando que eu vi. Qual é a tua hein? Qual teu problema comigo? É por causa do Tim, não é?

TATUM – (BAIXO) Uh... Vai pegar fogo!

LYNN – (DÁ RISADA) Que Tim o que menina! Deixa de ser maluca! O Tim já é passado pra mim! Tenho coisa melhor pra correr atrás.

ASHLEY – Tá dizendo que o Tim é pouca coisa? Pois você num viu nada, meu bem!

TATUM – (SE METE NA FRENTE DELAS) Lynn, quer dar licença, por favor?

LYNN – (ERGUE OS BRAÇOS) Já estou indo.

Lynn sai e suas amigas a seguem. Trudie joga um beijo para Mickey, que fica envergonhado. CORTA PARA Rex e Maureen sentados em um dos bancos do gramado. Os dois bebem um copo de cerveja.

REX – Então. Estou te achando tão triste, pra baixo, sei lá. É por causa da Carry? Vocês eram amigas?

MAUREEN – Eu não a conhecia, mas me sinto mal com toda essa situação. Você sabe Rex, pelo que eu passei. O crime ele... Ele me faz lembrar o passado.

REX – Eu entendo. Mas a polícia com certeza vai prender o desgraçado. E tudo vai ficar bem.

MAUREEN – Você é tão educado, Rex. É tão diferente de todos os namorados que eu tive na vida. (BAIXA) Tão diferente do pai do meu filho.

REX – O que aconteceu?

MAUREEN – Ele não confiava em mim, essa é a verdade. (SUSPIRA) E está morto agora. Assim como Lucas, que foi quem criou meu filho. Não merecia nenhum deles.

REX – E o seu filho? Onde ele está?

MAUREEN – Ele está em Endless Town agora, sendo criado pela minha irmã e pelo meu padrasto até que eu me forme e possa finalmente viver junto dele em algum lugar onde eu possa ter paz.

REX – (PASSA A MÃO NOS CABELOS DELA) Eu admiro sua coragem, Maureen. Admito a mulher que você é. E gosto muito de você.

MAUREEN – Eu também gosto muito de você.

Os dois se olham por alguns segundos. Rex aproxima o rosto do de Maureen e os dois se beijam. É quando Ashley aparece, atrapalhando-os.

ASHLEY – O que estão fazendo ai? Vamos lá pra dentro dançar! Andem!

Maureen e Rex dão risadas e vão atrás de Ashley.

CENA 9. FRATERNIDADE. SEDE DO GRÊMIO. SALA. INTERIOR. NOITE.

Sonoplastia: Burn – Ellie Goulding. Maureen e Rex dançam abraçados na pista e trocam alguns beijos. Lynn, Trudie e Beverly vêem e conversam entre si, com desagrado. Ashley puxa Tim pra pista e começa a dançar sensualmente na frente do namorado. CORTA PARA Tatum e Mickey sentados na escada, observando os amigos.

TATUM – Eu vou ser sincera Mickey. Se você não fosse... o Mickey, eu juro que te tiraria pra dançar.

MICKEY – (SEM GRAÇA) Qual o problema em ser eu?

TATUM – Fica pra você, gatinho. (SE LEVANTA) Vou na garagem pegar algumas cervejas. Você quer?

MICKEY – Pode ser.

Tatum bagunça os cabelos de Mickey e sai. Close em Mickey.

CENA 10. FRATERNIDADE. SEDE DO GRÊMIO. EXTERIOR. NOITE.

Afastados da festa, Catherine e Duke observam a movimentação dentro do furgão da emissora. Duke demonstra falta de paciência.

DUKE – Catherine, que mal lhe pergunte o que estamos fazendo aqui a essa hora da noite? Estou morto de cansado, quero dormir!

CATHERINE – Não seja tolo Duke, estamos observando! Ou melhor, trabalhando.

DUKE – Não estou entendendo. Pra mim, isso aqui é burrice.

CATHERINE – (OLHA PRA ELE) Duke, com essa frase é que eu percebo que você é um idiota e jamais galgará outros cargos na emissora. Você pensa rasteiro. Será um eterno câmera. (PAUSA) Está acontecendo, homem! Acorde!

DUKE – (BAIXA A CABEÇA) Eu definitivamente não entendo.

CATHERINE – (APONTA PRA FESTA) Esta é uma clara cena de crime. É óbvio! O assassino matou Carry Manson e não vai parar por aí. Ele quer mais sangue, e vai atacar nessa festa.

DUKE – (ASSUSTADO) Você acha?

CATHERINE – Tenho certeza. Confie em mim, eu já vivi essa história. E quando ele atacar, eu quero filmar tudo, do início ao fim! Fazer a melhor cobertura de todos os tempos. E quando eu arrancar a máscara dele, querido... (BATE PALMAS) Será meu Pulitzer.

CENA 11. FRATERNIDADE. SEDE DO GRÊMIO. GARAGEM. INTERIOR. NOITE.

Música de suspense. Tatum entra na garagem e abre a geladeira, abaixando-se para conseguir pegar algumas garrafas de cerveja. A porta próxima a ela se fecha sozinha e Tatum dá um salto pra trás com a batida. Ela ri de si mesma, ajeita as garrafas do colo e vai abrir a porta, mas está trancada.

TATUM – Quem trancou isso? (GRITA) Abra a porta babaca! É você Mick? Tim? (CHUTA) Abre!

A porta da garagem, atrás de Tatum, começa a se abrir sozinha e para na metade. Ela revira os olhos e caminha até lá, apertando no interruptor para baixá-la. Quando Tatum se vira, vê o palhaço assassino na frente da porta. Ela estranha e caminha até ele.

TATUM – Quem é você? (FRANZE A TESTA) O que está fazendo aqui?

Tatum fica na frente do palhaço e sorri.

TATUM – Essa máscara é muito mal feita. Se a tentativa era me assustar, tente com a próxima.

Tatum tenta abrir a porta, mas está trancada. O assassino a segura pelo braço.

TATUM – (ENTENDE) Ah, você quer brincar de assassino é?

O assassino concorda com a cabeça.

TATUM – (FAZ UMA VOZ FINA) Por favor, senhor palhaço, não me mate! Eu sou uma menina frágil! Socorro! (PAUSA) Está bom pra você?

O assassino concorda mais uma vez e ergue uma faca para Tatum, surpreendendo-a, e a corta no braço. Tatum grita de dor e se afasta dele, assustada.

TATUM – Que merda é essa?

O assassino avança sobre Tatum querendo estaqueá-la e ela dá-lhe uma garrafa na cabeça. O assassino cambaleia e Tatum tenta destrancar a porta. O assassino se recupera e volta em direção a ela. Tatum se abaixa e desvia da facada. Ela passa por debaixo das pernas do assassino e aperta o interruptor da porta da garagem para conseguir sair, mas o assassino a agarra pelos pés e tenta imobilizá-la. Ele monta em cima de Tatum e a põe de bruços pra cima. Tatum dá gritos de medo. O palhaço ergue sua faca e A TELA ESCURECE.

CENA 12. FRATERNIDADE. SEDE DO GRÊMIO. SALA. INTERIOR. NOITE.

Maureen caminha entre os jovens com um copo de bebida e cruza com Ashley, que está bastante agitada.

MAUREEN – Ashley! Onde você se meteu? Estava procurando você e os outros em todos os lugares. Rex me largou na pista e sumiu.

ASHLEY – Eu estava atrás do Tim. Alias, cadê a Tatum?

MAUREEN – Mickey me disse que foi na garagem pegar bebidas. Vamos atrás dela.

ASHLEY – Ok.

E as duas saem.

CENA 13. FRATERNIDADE. SEDE DO GRÊMIO. GARAGEM. INTERIOR. NOITE.

A garagem em completa escuridão. Maureen e Ashley abrem a porta e entram. Ashley pisa em alguns cacos de vidro.

MAUREEN – (CHAMA) Tatum?

ASHLEY – (COM NOJO) Derrubaram alguma coisa aqui.

MAUREEN – Acende a luz, Ashley! Não consigo ver nada!

Ashley procura o interruptor com a mão e liga a luz. Maureen dá um grito de horror e Ashley arregala os olhos, perplexas.

MAUREEN – (GRITA) Tatum! Meu Deus!

CÂMERA CORTA PARA o corpo de Tatum pendurado no topo da garagem, com a barriga toda cortada, e a máscara do palhaço em seu rosto. FECHA na expressão de pavor de Maureen e Ashley.

CENA 14. FRATERNIDADE. SEDE DO GRÊMIO. EXTERIOR. NOITE.

Duke dormindo sentado no banco da frente do furgão. Catherine do lado de trás, utilizando seu notebook. Ela começa a ouvir muitos gritos e sirene da polícia. Catherine olha pelo vidro e acorda Duke.

CATHERINE – Duke acorda!

DUKE – (ASSUSTADO) O que foi?

CATHERINE – (SE ARRUMA) Pega a câmera.

Duke concorda e desce do furgão. Catherine abre sua bolsa e tira um espelhinho, por onde arruma seu cabelo.

CENA 15. FRATERNIDADE. SEDE DO GRÊMIO. EXTERIOR. NOITE.

Os jovens todos reunidos no jardim da sede. O corpo de Tatum é levado por homens do IML num saco preto e colocado dentro de um camburão. Mais afastada, Maureen chora abraçada em Rex. Ashley, Tim e Mickey ali também, bastante chocados. Enquanto o corpo é levado, Catherine e Duke se aproximam da frente do local e ele liga a câmera.

CATHERINE – (PARA A CÂMERA) Estamos aqui na frente da sede do grêmio estudantil da Fraternidade de Nova Orleans onde um crime acaba de acontecer.

Maureen vê que Catherine está reportando o acontecido e, enfurecida, larga os amigos e vai até ela, arrancando-lhe o microfone das mãos.

MAUREEN – O que você está fazendo aqui, Catherine?

CATHERINE – Maureen? (PARA DUKE) Continua filmando.

MAUREEN – Será que você não consegue respeitar nem mesmo a dor das pessoas que perderam um amigo? Você é podre Catherine!

CATHERINE – (PACÍFICA) Maureen, conte-me o que aconteceu!

MAUREEN – Não seja falsa, sua cretina. Você sabe muito bem o que aconteceu. (PAUSA) Eu sabia que jamais poderia voltar a confiar em você. Você não vale nada, Catherine.

E Maureen vai embora aos prantos. Catherine olha para Duke e faz sinal pra ele parar de gravar.

CENA 16. DELEGACIA DE NOVA ORLEANS. SALA DE DEPOIMENTOS. INTERIOR. DIA.

Maureen na frente do xerife Paul Young. Ela está bastante acabada e com o rosto vermelho.

PAUL – Maureen, eu preciso que você me diga o momento em que Tatum saiu da festa e se dirigiu até a garagem.

MAUREEN – Eu não sei, eu... eu estava dançando. Todos nós estávamos. Quando a música acabou, todos sumiram. Foi o Mickey que me disse que ela havia ido pegar mais bebidas.

PAUL – Entendo. Você não viu o ouviu nada que possa nos ajudar a descobrir o porquê de matarem a Tatum?

MAUREEN – Eu não sei. (SE EMOCIONA) Não sei por que ele a escolheu. Ela sempre foi tão boa comigo, sempre me apoiou. E agora está morta.

PAUL – Sei que é difícil perder uma pessoa querida dessa forma.

MAUREEN – (COM VEEMÊNCIA) Você precisa descobrir quem fez isso antes que mais pessoas sejam assassinadas xerife. Ele não vai parar e você sabe disso. Eu não estou pronta pra viver isso mais uma vez. Eu não vou aguentar ver todos mortos como antes. Não vou!

PAUL – Eu prometo pra você que descobriremos quem fez isso. Para te proteger, vamos colocar dois seguranças atrás de você em todos os lugares. Tem problema?

MAUREEN – Não. Dessa maneira eu me sinto mais segura.

PAUL – Obrigado Maureen. Você já pode ir.

Maureen concorda e sai. Close em Paul.

CENA 17. DELEGACIA DE NOVA ORLEANS. FRENTE. EXTERIOR. DIA.

Maureen sai da delegacia acompanhada de Ashley. Ela vê que DEWEY, alto e grisalho, de aproximadamente 50 anos está a esperando do outro lado da rua e seu rosto de enche de alegria.

MAUREEN – Dewey!

Maureen atravessa a rua correndo e abraça Dewey. Ele deixa escorrer algumas lágrimas, emocionado.

DEWEY – Olá, Maureen.

MAUREEN – Oh meu Deus, o que você está fazendo aqui?

DEWEY – Eu peguei o primeiro avião assim que soube do assassinato da sua amiga. Fiquei muito preocupado com você. Está tudo bem?

MAUREEN – Tirando o fato de todos estarem me apontando o dedo, sim, está.

DEWEY – Podemos conversar a sós?

CENA 18. CAFETERIA. INTERIOR. DIA.

Dewey e Maureen sentados numa mesa próxima a janela da cafeteria. Ele toma um copo de café.

DEWEY – Então, me conte como anda a sua vida. Como anda a faculdade?

MAUREEN – (SORRI) Está tudo perfeito, o curso é maravilhoso. Estou ensaiando uma peça de teatro, estou bastante animada.

DEWEY – Que bacana.

MAUREEN – Eu fiz novos amigos, bons amigos, e estou meio que saindo com um cara. Ele é super educado e estuda medicina, chama-se Rex.

DEWEY – Fico muito feliz que tudo esteja dando certo. Mas você precisar tomar cuidado a partir de agora Maureen. Existe um serial killer a solta.

MAUREEN – O que acha que eu devo fazer? Enfiar a cara num buraco até sufocar? Está acontecendo novamente Dewey. Estou tão assustada.

DEWEY – Não precisa ficar, estarei aqui pra te proteger. Eu vou falar com o xerife Paul Young mais tarde e ajudarei nas investigações.

MAUREEN – Catherine está na cidade. Encontrei com ela ontem.

DEWEY – (TRISTE) Eu sei, ela não perderia essa oportunidade de aparecer ainda mais. Vocês se falaram?

MAUREEN – Não, de jeito nenhum.

DEWEY – O que realmente importa é que o assassino provavelmente já deve estar na sua vida, convivendo com você normalmente. Ele pode ser qualquer pessoa. Um professor, um namorado, um amigo, uma amiga.

MAUREEN – Por que Dewey? Por que em todos os lugares em que eu estou, a morte me persegue? Por que ela me escolheu? Por que a mim?

DEWEY – Algumas coisas na vida não podemos explicar.

MAUREEN – Me preocupa saber que posso acabar não criando meu filho. Que ele possa herdar de mim todas essas desgraças.

DEWEY – O Christopher está bem, Hannah está cuidando dele.

MAUREEN – E mamãe?

DEWEY – (BAIXA A CABEÇA) Foi transferida para um hospício de segurança máxima em Nova Iorque. Ela vai pagar pelos crimes que cometeu.

MAUREEN – (SEGURA NA MÃO DELE) Estou tão feliz que está aqui.

Dewey concorda e sorri. Maureen desvia o olhar para o vidro e vê o assassino passar pelo outro lado da rua olhando para eles.

MAUREEN – (SE LEVANTA) Dewey, é ele!

DEWEY – (OLHA) Ele quem?

E Maureen sai correndo da cafeteria. Dewey vai atrás dela.

CENA 19. CAFETERIA. EXTERIOR. DIA.

Maureen sai da cafeteria e olha para todos os lados procurando o assassino. Ele sumiu. Dewey sai em seguida e fica ao lado dela.

MAUREEN – O assassino. Ele estava aqui. Eu vi.

DEWEY – Você deve ter se confundido, é impossível!

MAUREEN – Não Dewey, eu tenho certeza do que vi! Ele estava olhando para nós!

DEWEY – Fique aqui.

E Dewey atravessa a rua, saindo à procura do psicopata. Maureen fica sozinha e um vento forte bate em seus cabelos. Seu celular vibra. Maureen o retira do bolso e vê que recebeu uma mensagem privada. Ela abre a mensagem e a CÂMERA foca na tela do telefone: “BOM TE VER NOVAMENTE. ESTOU PRONTO PARA UM REBOOT”. Close no rosto de Maureen.

CENA 20. ACADEMIA MISS LAVEAU. CAMPUS. EXTERIOR. DIA.

Música da cena anterior continua. A tela abre em Catherine gravando uma tomada em frente a câmera, sendo gravada por Duke.

CATHERINE – (MICROFONE) A noite passada foi de terror em Nova Orleans. Mais uma vez, outra jovem da conhecida Academia Miss Laveau foi assassinada. A vítima se chamava Tatum McCarthy, de 22 anos, e teve o corpo esfaqueado numa das festas da Fraternidade, outra universidade conhecida da cidade. A morte de Tatum se assemelha bastante com o crime ocorrido no dia anterior, que vitimou Carry Manson, e mesmo que a polícia insista em negar, podemos afirmar que o assassino palhaço, personagem central do massacre ocorrido em Endless Town no ano de 2012, está de volta para escrever a continuação de seus crimes assim como nos filmes de terror. (PAUSA) Eu sou Catherine Mayer, direto de Nova Orleans pro canal 10. Obrigada.

FECHA em Catherine. A TELA ESCURECE. SOBEM OS CRÉDITOS.
 


SÉRIE DE:
Jota Pê 

ESTRELANDO:

CHRISTA B. ALLEN MAUREEN PRESCOTT
SARAH MICHELLE GELLAR
CATHERINE MAYER
EMMA ROBERTS
ALLEGRA GRAY
AIMEE TEEGARDEN
ASHLEY BECKER
SKYLAR DAY
LYNN WELLINGTON


PARTICIPAÇÃO ESPECIAL:

HAYDEN PANETTIERE
CARRY MANSON

ATORES CONVIDADOS:

RICHARD BURGI
DEWEY RILEY
JULIAN MORRIS
REX VANDERWALL
BRITT ROBERTSON
TRUDIE SIMONS
JACK DEPEW
TIM ALLERTON
MACKINLEE WADDELL
BEVERLY SCOTT
JEFF FAHEY
SHERIFF PAUL YOUNG
SHANE COFFEY
MICKEY HARMON
MEGHAN ORY
HARMONY DRAKE
NATALIE MARTINEZ
JUDY SAMUELS
NICHOLAS STRONG
DUKE COLLINS
BIANCA LAWSON
TATUM MCCARTHY

TRILHA SONORA:

SOMETHING TO DIE FOR
The Sounds
RED RIGHT HAND
Nick Cave and the Bad Seeds
BURN
Ellie Goulding
WHAT THE WATER GAVE ME
Florence + the Machine
 

PRODUÇÃO:
Bruno Olsen
Diogo de Castro
Rafael Oliveira


Esta é uma obra de ficção virtual sem fins lucrativos. Qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações da vida real terá sido mera coincidência.


REALIZAÇÃO


Copyright © 2017 - WebTV
www.redewebtv.webs.com
Todos os direitos reservados
Proibida a cópia ou a reprodução

.aaa.
.aaa.

Compartilhar:

 
Copyright © WebTV | Design by OddThemes