New Stages - 2x16



2x16
 
 
 

VOZ DE JOSH – Anteriormente em New Stages...

-------- 
 
JOSH – (segura o braço de Austin) Eu nunca brincaria com os seus sentimentos. Se eu estava com você, é porque a minha intenção era a melhor possível.
 
AUSTIN – Josh, talvez o melhor a fazer agora seja a gente dar um tempo. Precisamos pensar sobre isso, esfriar a cabeça e ver o que é melhor para nós dois.
 
JOSH – Só não esqueça de uma coisa, Austin... Eu posso ter dito o nome do Ryan naquele dia, mas ele está no passado. Você é o que importa pra mim agora... E eu te amo. Sinceramente, eu te amo!

-------- 
 
MATT – Escuta, Keith... Há muito tempo, eu venho tentando conquistar uma garota que faz questão de me menosprezar em toda oportunidade que surge. Agora que eu encontrei uma menina legal, engraçada e divertida como você, eu não vou desistir... Aquele beijo foi algo instintivo, mas significou muito pra mim... E eu quero repeti-lo.
 
E, sem pensar duas vezes, Matt beija Keith apaixonadamente.
 
CHELSEA – (surge na porta, chocada) Eu posso saber o que está acontecendo aqui?

-------- 
 
CHELSEA – (balança a cabeça negativamente) Eu não acredito que você jogou o nosso pacto no lixo...
 
KEITH – Chelsea, eu sei muito bem como funciona o pacto. Eu estava lá no dia em que resolvemos fechá-lo. (realça) Nada de uma se envolver com os pretendentes da outra. E pelo o que eu saiba, não existia nada entre você e o Matt...
 
CHELSEA – Quer saber? (grita) Eu acho que já ouvi o suficiente aqui. E o que eu não esperava ouvir da boca da minha melhor amiga. Você e o Matt se merecem e ainda bem que estão juntos, porque pelo menos eu afasto os dois da minha vida e fico longe de toda essa trairagem. (ameaça sair)
 
KEITH – Onde você vai, Chelsea?
 
CHELSEA – (grita) SUMIR!

-------- 
 
Chelsea anda sozinha pelas ruas de San Francisco, sem rumo, desolada e chorando. Inesperadamente, um homem vestindo um capuz na cabeça sai atrás de uma moita e aborda Chelsea, a segurando bruscamente pelos braços. Chelsea, sem saber o que fazer, começa a gritar desesperadamente, mas o homem logo tapa sua boca com uma das mãos, enquanto segura seus braços com a outra, a levando para um casebre.
 
...
 
CHELSEA – (chorando) O que você está fazendo?
 
HOMEM – (ainda de capuz) O Papai Noel chegou mais cedo para você esse ano. Eu vou te dar um presente que você nunca mais esquecerá... Vai se lembrar dele pelo resto de sua vida!
 
O homem gargalha e começa a beijar Chelsea agressivamente. A garota chora desesperada, gritando com toda a força possível, mas logo sua voz começa a falhar. Sem forças, ela vai se rendendo a brutalidade do homem, que rasga suas roupas e, impiedosamente, estupra Chelsea.

--------

CENA 01. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. ALOJAMENTO. DORMITÓRIO DE CHELSEA E KEITH. INT. DIA.

A imagem abre no dormitório de Chelsea e Keith e, lentamente, explora o local por completo até chegar ao criado-mudo ao lado da cama de Keith, onde está um porta-retrato com uma foto da garota acompanhada da melhor amiga, Chelsea.

A câmera mostra Keith, que desperta.

Keith se levanta da cama, sentando-se sobre ela e olha para a cama de Chelsea, que está vazia e arrumada desde o dia anterior. Keith encara a cama da amiga, se perguntando onde ela poderia estar. Involuntariamente, olha para o criado-mudo e fica observando a foto das duas garotas juntas. Então, decide pegar o telefone e fazer uma ligação.

KEITH – (esperando a chamada ser atendida) Olá! Estou falando com a senhora Harris? 

A tela se divide em duas partes. De um lado, fica Keith, e do outro, a mãe de Chelsea.

CHRISTINA – A própria. Quem gostaria?

KEITH – Olá, senhora Harris, é a Keith, a melhor amiga da sua filha.

CHRISTINA – (esboça um sorriso) Claro que sim! Querida, faz tanto tempo que não te vejo que até esqueci como era a sua voz. Mas eu entendo completamente, as pessoas entram para a universidade e desaparecem num piscar de olhos.

KEITH – (sorri) É verdade. Eu estou ligando para desejar um Feliz Natal para a senhora e perguntar se está tudo bem com a Chelsea.

CHRISTINA – Feliz Natal para você também, querida. Quanto a Chelsea, acho que você mesmo pode responder se ela está bem. Ela não iria passar o feriado na universidade com você?

KEITH – (mente) Na verdade... Não. Eu acabei indo para a casa dos meus pais, então eu achei que ela iria também.

CHRISTINA – (balança a cabeça negativamente) Até parece, não é mesmo? A Chelsea encontra qualquer maneira para fugir dessa casa e nunca mais pôr os pés aqui novamente.

KEITH – Bom, mas já que ela não está, eu vou ligar para a universidade à procura dela. (sorri com um pouco de tristeza) Sabe como é... É Natal e eu queria estar muito ao lado da minha amiga. (fica encarando a cama vizinha)

CHRISTINA – Ok, querida. Acredite, eu também queria estar comemorando o Natal ao lado de minha filha. Diga a ela que, apesar de tudo, eu a amo muito e espero que a magia do feriado traga coisas boas para a vida dela...

KEITH – Pode deixar. Eu aviso sim.

CHRISTINA – Até logo!

A Sra. Harris coloca o telefone no gancho. Keith ganha tela.

KEITH – (diz para si mesma) Meu Deus... Se a Chelsea não está aqui na universidade, nem na casa dela, onde será que ela foi se meter? (levanta-se da cama apressada) Eu preciso ir atrás do Josh...

A câmera se afasta e volta a mostrar o porta-retrato com a fotografia das duas meninas.

CENA 02. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. ALOJAMENTO. CORREDOR DE DORMITÓRIOS. INT. DIA.

Keith bate insistentemente na porta do dormitório de Josh. O garoto a abre, assustado.

JOSH – Keith, posso saber o que está acontecendo aqui? Por acaso, a universidade está pegando fogo?

KEITH – A universidade não, mas eu estou sentindo cheiro de fumaça. Aconteceu alguma coisa com a Chelsea, Josh, e a gente precisa ir atrás dela...

JOSH – Onde ela está?

KEITH – Isso é o que eu quero saber. (pausa rápida) Lembra ontem, durante a ceia de Natal, quando aconteceu o blecaute e eu fui até o meu dormitório buscar as velas para iluminar o refeitório?

JOSH – Sim, claro que lembro!

KEITH – Pois bem, o Matt veio atrás de mim e acabou... Você sabe... Me beijando à força. E a Chelsea chegou justamente nessa hora e acabou nos flagrando. (tentando espiar pela porta) Aliás, aquele safado está aqui? Porque eu preciso dar uns bons tapas nele.

JOSH – (fechando a porta) Não, o Matt não está aqui, ele saiu cedo para visitar os pais. Mas, me conta, o que está acontecendo entre vocês dois? Porque, pelo o que eu saiba, ele estava interessado na Chelsea...

KEITH – E foi exatamente por esse motivo que eu e a Chelsea brigamos e ela acabou sumindo da universidade, sem dizer para onde ia... Mas, Josh, ela não tem nada com o Matt e nunca teve, logo ele não se torna um “pretendente”.

JOSH – Ah sim, a história do “pacto” que existe entre vocês duas... Você acabou quebrando!

KEITH – Não, eu não quebrei, porque o Matt não era um pretendente da Chelsea. (colocando as mãos na cabeça) Meu Deus, será que eu vou precisar desenhar para você e a Chelsea entenderem isso?

JOSH – Você não pode esquecer que a Chelsea e o Matt tiveram um rápido envolvimento no ano passado sim. E que ele estava bastante balançado por ela. Toda garota gosta de ter um cara se rastejando por ela... Você tirou isso da Chelsea.

KEITH – É, talvez esse tenha sido o motivo pra ela ter ficado tão irritada... E eu acabei dizendo algumas coisas sem pensar também. Mas a minha intenção nunca foi quebrar o pacto, Josh. Entre eu e o Matt não vai rolar nada. Ainda mais depois de tudo o que ele fez.

JOSH – Tudo bem. Eu te ajudo a procurar a Chelsea... Você já tentou ligar para o celular dela?

KEITH – Sim, mas só dá caixa postal. Resolvi ligar para a casa dela, mas a senhora Harris disse que a Chelsea não estava. Inventei uma desculpa para não preocupá-la, falando que eu tinha passado o Natal na casa dos meus pais. Enfim, não sei mais onde procurar... Talvez o melhor a fazer seja a gente sair nas ruas.

JOSH – Claro, eu vou te acompanhar.

Keith sorri agradecida e os dois garotos saem apressados pelo corredor de dormitórios da universidade. A imagem corta rapidamente para:

 
 
     
 
 
     
 


2x16 - CHELSEA INTERROMPIDA
 
     

CENA 03. CASEBRE. INT. DIA.

(música: We Are Broken - Paramore)

A câmera explora lentamente o miserável local onde Chelsea se encontra, infestado de teias de aranhas, muitas garrafas vazias de bebidas alcoólicas jogadas no chão e uma cama ao centro. Nela, Chelsea ainda dorme. Sua maquiagem está bastante borrada. A luz do sol invade o lugar escuro através da janela e acaba despertando Chelsea.

A garota se levanta, ainda sonolenta, e começa a se lembrar de tudo o que acontecera na noite anterior. Ela observa o lugar, bastante enojada, e em seguida, olha para si mesma, percebendo o estado caótico em que se encontra. Então, coloca a cabeça para fora da cama e segura os seus cabelos, enquanto vomita no chão do casebre.

Chelsea levanta a cabeça, limpa a boca com uma das mãos e, desnorteada, sai da cama e tenta caminhar com muito custo em direção a porta. Quando alcança a maçaneta, sai do local. A imagem corta para:

CENA 04. SAN FRANCISCO. RUA QUALQUER. EXT. DIA.

(Música continua.)

Chelsea anda totalmente sem direção em uma rua qualquer de San Francisco. Pessoas, a pé ou em carros, passam por ali e ficam encarando a garota, mas ela não dá a mínima atenção. Com a roupa rasgada e quase saindo do seu corpo, descalça, cabelos embaraçados e tropeçando em seus próprios passos, Chelsea anda encarando fixamente para o que está a sua frente. Keith, do outro lado da rua, avista a garota e corre até ela.

(Música cessa.)

KEITH – (segurando a mão de Chelsea) Amiga, até que enfim eu te encontrei. Posso saber onde você estava?

CHELSEA – (tentando se soltar) Me deixa em paz, Keith! Depois de tudo o que você me disse ontem, acho que não preciso olhar para a sua cara nunca mais.

KEITH – Claro que não, Chelsea... Ontem, eu estava de cabeça quente e acabei falando o que eu não devia. Eu não queria machucá-la.

CHELSEA – Você me disse exatamente o que pensava e nunca me contou. Eu queria uma amiga que fosse sincera comigo todos os dias e não só durante uma briga. Além do mais, você sempre fingiu me apoiar, mas na realidade estava condenando todos os meus atos. Isso é ser amiga, Keith?

KEITH – Chelsea, você está sendo injusta comigo... Tudo o que eu te disse ontem foi para o seu próprio bem. Eu não queria que você sofresse mais por tudo o que aconteceu nos últimos tempos. Eu queria que você levantasse a cabeça e seguisse em frente.

CHELSEA – E você pensa que é fácil fazer isso, Keith? Não é fácil. Há muito tempo eu venho tentando dar um jeito na minha vida, tentando esquecer tudo o que aconteceu, com o desejo de seguir em frente... Mas não tem nada na minha frente, com exceção de mais e mais problemas... Que não se cansam de aparecer!

KEITH – Vamos fazer o seguinte... Vamos passar uma borracha em tudo o que aconteceu ontem. Eu fui uma tola em ter beijado o Matt e reconheço que quebrei o nosso pacto. Mas eu te prometo que eu nunca mais vou chegar perto dele novamente. Escuta, Chelsea, eu não quero que a nossa amizade termine por causa de um garoto...

CHELSEA – (ainda tentando se soltar) Me solta, Keith, eu preciso ir para a universidade...

KEITH – Eu te ajudo a chegar a lá.

CHELSEA – Não é necessário. Eu tenho pernas e ainda não desaprendi a andar.

KEITH – Mas olha a sua situação, Chelsea! Onde você estava? Onde você passou a noite? Veja o seu cabelo, suas roupas... Eu sei que é meio inadequado dizer isso, mas parece até que você foi estuprada.

(música: Too Many To Mend - Libby Weaver)

Close em Chelsea, que fica em silêncio após ouvir o que a amiga acabara de dizer. Ela continua olhando para frente, se lembrando do momento em que foi assediada.

KEITH – (estranha) O que foi, Chelsea? Está tudo bem?

CHELSEA – (grita) Não! Não está tudo bem! (se desprende de Keith e sai correndo) Me deixa em paz! Por que ninguém entende isso? Por que ninguém entende que eu preciso ficar sozinha?

Chelsea sai correndo no meio da rua. Carros são obrigados a interromperem o trajeto para não atropelarem a garota. Algumas pessoas buzinam, enfurecidas. Chelsea continua a correr, gritando para que a deixem em paz e atraindo os olhares dos pedestres. Close em Keith, assustada.

CENA 05.

(A música tocada na cena anterior continua a ser executada nesta.)

Tomada da cidade de San Francisco com imagens dos principais pontos turísticos locais. Surge a seguinte legenda:

CENA 06. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. ALOJAMENTO. CORREDOR DE DORMITÓRIOS. INT. DIA.

(Música cessa.)

Matt está encostado em uma parede em frente ao dormitório de Chelsea e Keith. A última garota abre a porta e sai. Como está bastante distraída arrumando seus materiais, acaba não percebendo a presença de Matt.

MATT – (colocando a mão no ombro de Keith) Tudo bem, gatinha?

KEITH – (se assusta) Matt! Posso saber o que você quer comigo? A gente não tem mais nada para conversar depois de tudo o que você fez na noite de Natal.

MATT – Keith, é minha a culpa se eu estou apaixonado por você? A verdade é que a Chelsea fez um drama sem propósito, porque ela nunca quis saber de mim. Agora que estou me interessando por outra garota, ela vem com esse papinho de “pretendente”?

KEITH – Eu pouco estou me importando com esse pacto de amizade, Matt, porque eu tenho plena consciência de que não o quebrei. Eu estou tentando me manter afastada de você, porque você é um erro, você é um garoto errado e as meninas deveriam ser proibidas de chegar perto de você.

MATT – Ok, Keith, agora você está pegando pesado... (tenta agarrá-la) Vá me dizer que você não gostou do meu beijo aquela noite? Nem precisa responder, se não tivesse gostado, não teria correspondido.

KEITH – Eu só te beijei porque eu fui pega de surpresa. (se solta de Matt) E foi por causa desse beijo que eu perdi a amizade com a minha melhor amiga de infância. Faz duas semanas que não conversamos e não sei se a Chelsea irá me perdoar.

MATT – Claro que vai, a Chelsea não vive sem você... Você é a escora dela...

KEITH – Mais respeito comigo, ok?

MATT – Vai negar que ela te trata feito gato e sapato? Ela nunca deu bola para mim... A gente começa a ter um lance... E, de repente, a Chelsea acha que isso é errado... Você decide se afastar de mim porque, segundo Chelsea, você está a traindo... Tá mais do que na cara que você faz tudo o que é certo para a Chelsea!

KEITH – (não querendo dar o braço a torcer) Isso não é verdade!

MATT – Ok, continue pensando assim então.

Matt sai. Close em Keith, reflexiva.

KEITH – (fala para si mesma) Eu preciso ficar ao lado da Chelsea... Ainda mais nesse momento. Ninguém me tira da cabeça que algo muito sério aconteceu com ela naquela noite... E eu preciso descobrir o que é!

A imagem corta para:

CENA 07. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. ALOJAMENTO. DORMITÓRIO DE CHELSEA E KEITH. INT. DIA.

(música: She Will Be Loved - Maroon 5)

Chelsea está deitada em sua cama. Uma lágrima rola sobre o seu rosto. Alguém começa a bater na porta. Rapidamente, a garota limpa a lágrima com uma das mãos e se levanta para atender, caminhando até a porta.

CHELSEA – (abrindo-a) Chad! O que você está fazendo aqui?

A câmera revela Chad, que sorri ao ver a garota.

CHAD – Olá, Chelsea... Será que a gente pode conversar por um momento?

CHELSEA – Claro, entra!

Chad entra no dormitório e Chelsea fecha a porta.

CHAD – (sorri) Como foi o seu feriado?

CHELSEA – (abaixa a cabeça) Ah... (e logo a levanta) Poderia ter sido melhor. (sorri para parecer simpática) E o seu, como foi?

CHAD – A mesma coisa de sempre. Passei o Natal com a minha família em Fountain Valley. A única coisa diferente é que esse ano não teve a Hilary para me atazanar. (ri)

CHELSEA – (também ri) Isso é bom! Mas podemos ir direto ao que interessa? Afinal, você deve ter tido motivos para vir até aqui.

CHAD – (se aproxima de Chelsea) Sim, eu tenho um grande motivo para estar aqui. Chelsea, eu preciso saber até onde isso vai chegar...

CHELSEA – Isso o quê?

CHAD – Não se faça de desentendida. Você sabe muito bem do que eu estou falando. (encara a garota) Eu e você... Eu gosto realmente de você, Chelsea, mas às vezes eu me pergunto se devo continuar apostando em nós...

CHELSEA – Chad, você sabe que eu nunca te dei esperanças sobre a gente... Ainda mais depois de você ter mentido para mim em relação à Hilary. Você era comprometido e me escondeu sobre ela.

CHAD – Foi um grande erro, Chelsea, mas eu não vim aqui para falar sobre ele. Eu quero dar um rumo definitivo a essa história. Se você sente o mesmo que eu sinto por você, eu preciso que você me dê uma chance para te mostrar que eu não sou um monstro mentiroso... Tudo o que eu fiz foi pra me aproximar de você. Agora se você está me fazendo apenas de bobo, me fale agora e eu desisto de você.

CHELSEA – Eu estou te fazendo de bobo?

CHAD – Sim, Chelsea. Ou não se lembra do dia em que marcou um cinema comigo e não apareceu?

CHELSEA – Tudo bem, você está certo... (olha para Chad) Eu fiquei muito brava pela questão da Hilary, mas eu não posso negar que eu gosto de você desde o dia em que nos vimos pela primeira vez, então...

Chad sorri e aproxima seus lábios aos de Chelsea.

CHAD - ...Posso?

E Chelsea responde a pergunta do garoto dando-lhe um beijo. Eles se beijam apaixonadamente. Em alguns instantes, o clima vai ficando mais caloroso. Chelsea desliza suas mãos sobre o corpo do garoto e começa a tirar sua camisa. Chad interrompe o beijo, espantado.

CHAD – Chelsea, eu não quero que você pense que eu vim até aqui com essa intenção... Aliás, também não era essa a minha intenção quando você teve a sua primeira vez.

CHELSEA – Sou eu que estou fazendo isso, Chad. Por vontade própria.

Chelsea tira a camiseta de Chad e volta a beijá-lo, enquanto passa suas mãos no corpo malhado do garoto. Chad, então, a joga na cama e tira sua blusa, massageando seus seios por cima do sutiã. Ele volta a beijá-la.

Enquanto os beijos de Chad vão se intensificando e mudando de lugar, não apenas na boca da garota, mas no resto do corpo, a excitação de Chelsea vai se transformando em pavor.

(Música cessa.)

Ela começa a se lembrar do dia em que foi estuprada. Chelsea enxerga em Chad o estuprador que a assediou naquela noite. Algumas vozes começam a perturbar a sua mente:

CHRISTINA – Chelsea, ultimamente eu e seu pai estamos passando por alguns desentendimentos. Você me entende? Eles têm se tornado cada vez mais frequentes e muitos acabam não tendo solução. Então nós decidimos que vamos nos divorciar...

...

DR. DANES – Eu sinto muito em te dizer isso, senhorita Harris, mas você foi diagnosticada com menopausa precoce.

...

KEITH – ...Desculpa, Chelsea, mas eu não consigo entender uma garota tão indecisa como você. Você fala que a sua vida é um problema, mas eu tô exausta disso, porque você mesmo torna a sua vida problemática.

...

HOMEM – (ainda de capuz) O Papai Noel chegou mais cedo para você esse ano. Eu vou te dar um presente que você nunca mais esquecerá... Vai se lembrar dele pelo resto de sua vida!

...

As vozes desaparecem instantaneamente. Nesse momento, Chelsea olha para Chad e vê nele o rosto encapuzado do estuprador. A garota começa a se relutar na cama, tentando tirá-lo de cima dela.

CHAD – (esquiva-se) Chelsea, o que aconteceu?

CHELSEA – Como você pode ter feito isso comigo? Eu te fiz algo de mal? Por que você tirou de mim a minha dignidade? (começa a gritar) SAI DAQUI AGORA OU EU CHAMO A SEGURANÇA!

CHAD – (levantando-se da cama) Chelsea, eu não fiz nada de mal para você... Você que quis começar...

CHELSEA – (ainda gritando) EU JÁ NÃO MANDEI VOCÊ SAIR DAQUI? SAIA! SOME! DESAPARECE DA MINHA FRENTE!

Chad pega sua camiseta que estava sobre o chão e decide obedecer a garota, saindo do quarto. Close em Chelsea, que se senta na cama e abraça os seus joelhos. Ela chora, aterrorizada.

CHELSEA – (repetindo várias vezes) Eu preciso me livrar desse tormento... Eu preciso me livrar desse tormento... Eu preciso me livrar desse tormento.

A imagem corta rapidamente para:

CENA 08. CASA DA SENHORA HARRIS. SALA DE ESTAR. INT. DIA.

Chelsea entra na casa de sua mãe com muita cautela e fecha a porta lentamente para que ninguém ouça o barulho. A garota caminha em passos lentos pela sala, indo em direção a escada, mas se assusta ao ver sua mãe descendo.

CHRISTINA – (surpresa) Chelsea, é você?

CHELSEA – Sim, mãe, eu ainda não mudei de fisionomia...

CHRISTINA – Posso saber o que está fazendo aqui? (sorri eufórica) Não vá dizer que a minha filhinha querida veio me desejar um Feliz Ano Novo atrasado? Pois bem... Antes tarde do que nunca!

CHELSEA – Não, mãe, eu vim buscar algo que vou precisar para a universidade. Está no meu quarto. Será que posso ir até lá?

CHRISTINA – (tira o sorriso do rosto) Claro... A casa é sua!

Chelsea sorri falsamente e sobe a escada, empurrando a mãe para que ela saia do seu caminho. A imagem corta rapidamente para:

CENA 09. CASA DA SENHORA HARRIS. QUARTO DA SENHORA HARRIS. INT. DIA.

Ao invés de ir para o seu quarto, Chelsea entra no quarto da mãe e fecha a porta com a chave. A garota se aproxima do guarda-roupas e começa a abrir as gavetas apressadamente. Ela bagunça todas as gavetas com sede de encontrar alguma coisa. Em uma delas, acaba achando o que tanto buscava: uma caixa. Chelsea pega a caixa sorridente e se senta sobre a cama. Então, a abre. A câmera revela UM REVÓLVER. Chelsea sorri para a arma. Então, a tira e a coloca sobre a cama. Fecha a caixa e a põe na gaveta onde estava. Fecha todas as gavetas e guarda o revólver em sua bolsa de ombro. Arruma os cabelos rapidamente e então deixa o quarto. A imagem corta rapidamente para:

CENA 10. CASA DA SENHORA HARRIS. SALA DE ESTAR. INT. DIA.

Chelsea desce a escada ligeiramente. A senhora Harris está sentada no sofá, folheando uma revista.

CHRISTINA – Querida, sente-se aqui um pouco. Quero te mostrar alguns artigos que estou pensando em comprar para o próximo jantar que estou organizando.

CHELSEA – Mãe, eu não posso agora... Estou um pouco atrasada para a minha próxima aula. Mas espero que seja um sucesso! Ou melhor, vai ser! Porque jantares são a única coisa que você sabe fazer na vida.

Chelsea sorri cinicamente e sai da casa, apressada. Close na senhora Harris, abalada com que a filha acabara de dizer.

CENA 11. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. REFEITÓRIO. INT. DIA.

A câmera explora o local mostrando todos os alunos da universidade em horário de almoço. Close em Keith e Matt, sentados à mesma mesa; Josh comendo sozinho. Austin também; Ryan e Evan conversando distraidamente enquanto almoçam; Chad na fila pegando a sua bandeja de alimentos. Os alunos conversam, riem e se entretêm. A câmera continua o seu percurso até chegar à entrada do refeitório. Chelsea entra bastante séria e olha para o local a procura de alguém. Quando avista quem está procurando, caminha apressadamente até ele.

CHELSEA – (chegando perto de Chad) Será que podemos conversar em outro lugar?

CHAD – Chelsea, eu acabei de pegar o meu almoço. Não posso sair daqui com essa bandeja em mãos.

CHELSEA – Jogue no lixo! O que eu tenho pra te dizer é muito importante...

CHAD – Chelsea, não podemos conversar depois do horário de almoço?

CHELSEA – (demonstra estar irritada) Se eu estou querendo conversar com você agora, é porque não pode ser depois. Você vem comigo ou não?

CHAD – Chelsea, quer saber a verdade? Você está muito estranha nesses últimos tempos... Acho que o melhor a fazer agora é eu me afastar um pouco de você.

CHELSEA – (sem entender) Você quer se afastar de mim? (grita) Depois de tudo o que fez comigo, agora você quer se livrar de mim?

CHAD – Chelsea, não é isso... (olha ao seu redor) E abaixe o tom, você está chamando a atenção das pessoas...

CHELSEA – Ah, eu estou chamando a atenção das pessoas? Tenho certeza de que elas ficarão ainda mais curiosas depois que eu fizer isso...

E, Chelsea, sem pensar duas vezes, tira a arma de seu bolso e a saca em direção a Chad. Close no garoto, assustado. As pessoas presentes no refeitório começam a gritar, amedrontadas.

CHELSEA – (olha para um aluno qualquer) VOCÊ! Vá até a porta e a feche. Não quero ver ninguém entrando e saindo aqui. Quer dizer, vocês vão sair, a menos que fiquem todos em silêncio. O primeiro que gritar, eu atiro!

Todos os alunos se mantêm em silêncio. O garoto com quem Chelsea falou se levanta de sua cadeira e caminha até a porta para fechá-la.

CHELSEA – E nem tente fugir!

Como combinado, o aluno tranca a porta e volta para o seu devido lugar. Close nas serventes de comida, bastante espantadas. A câmera caminha até Keith e Matt.

MATT – (diz em tom baixo) O que essa maluca pensa que está fazendo?

KEITH – (também em tom baixo) Não sei. Mas, hoje, a Chelsea está passando de todos os limites...

Close em Chelsea.

CHELSEA – Parece que estou ouvindo algumas vozes... Quem se atreve a abrir a boca quando eu peço para ficarem em silêncio?

KEITH – (se levantando da mesa) Fui eu, Chelsea! Você não pode fazer isso! Já imaginou quantos problemas aqui na universidade isso vai te trazer?

CHELSEA – Realmente... Você não disse que eu mesma transformo a minha vida em um grande problema? Então, eu estou aqui para dar uma solução a ela. Eu vou acabar com o cara que me fez tanto mal...

CHAD – Mas, Chelsea, eu não te fiz nada!

CHELSEA – Fez. Você fez e se lembra muito bem! Tudo aconteceu na noite de Natal...

CHAD – Eu passei o Natal com a minha família! (grita) Garota, você está pirando!

CHELSEA – Cale a boca, Chad, ou eu mesmo farei isso por você... (grita) CALE A BOCA!

Chelsea começa a andar pelo refeitório, ainda apontando a arma para Chad.

CHELSEA – Tem alguém que deseja tentar me impedir?

Josh olha para os lados e resolve se levantar. Ele encara Chelsea.

CHELSEA – Josh, por que você sempre tenta me atrapalhar? Já não basta você ter se descoberto gay e acabado com o nosso namoro?

Close em todos os alunos, que olham assustados para Josh, após a divulgação aberta de sua sexualidade. O garoto engole seco.

A câmera, rapidamente, se dirige até Ryan, que com muita cautela, retira o celular do bolso e digita o número de emergência da universidade, pedindo por socorro.

Volta em Josh e Chelsea.

JOSH – Chelsea, abaixe essa arma... Isso não vai te levar a lugar nenhum. A não ser que você queira ir para a cadeia. E você não quer isso, certo? Você quer continuar na universidade, se formar em artes cênicas e ser uma grande atriz...

CHELSEA – Não! Não tente fazer chantagem emocional comigo, Josh. Isso não vai funcionar!

JOSH – Já imaginou o que vai acontecer com você caso atire no Chad? A sua vida vai se tornar um problema ainda maior, Chelsea. E se eu fosse você, tentaria evitá-lo. Eu não sei o que o Chad te fez, mas isso não se resolve com um tiro... Vocês precisam conversar!

CHELSEA – Não tente ditar o que eu devo fazer, Josh... Ou quer levar um tiro também?

AUSTIN – (se levanta da mesa apressadamente) Antes de atirar no Josh, você terá que atirar em mim.

Close em Josh, surpreso.

CHELSEA – (rindo exageradamente) Ótimo! Abriram as portas do armário... (saca a arma para Austin) Então você é o novo namoradinho do Josh? (analisando o local) Cadê o Ryan? Onde está aquele ladrãozinho de namorados? Sim, pessoal, porque eu não sei se vocês sabem, mas foi o Ryan que tirou o Josh de mim! E agora parece que tiraram o Josh dele! (rindo)

JOSH – Chelsea, pare de falar bobeira e abaixe essa arma... Logo, a segurança estará aqui e eles irão te prender.

CHELSEA – Não se eu acabar com o show agora. (saca a arma para Josh) E se você não calar a boca, será a minha primeira vítima.

Ao ouvir isso, Austin caminha até Josh e entra em sua frente.

AUSTIN – Eu já disse que antes de atirar nele, você terá que atirar em mim!

CHELSEA – E não é que o Josh encontrou um namoradinho valente? Vai arriscar a sua vida pela vida do namorado. E, acredite em mim, mocinho, vai ser em vão, porque o Josh ama o Ryan e sempre vai amar. Ele só está passando o tempo com você...

JOSH – (diz em sussurro para Austin) Austin, volta para o seu lugar... A Chelsea está louca e eu não duvido nada que ela acabe atirando em você. E eu não suportaria te perder.

AUSTIN – Josh, mas se eu não fizer nada, ela vai acabar te matando...

JOSH – Ou ela está fazendo isso só para chamar a atenção. Deixa comigo, eu vou continuar conversando com ela até convencê-la a abaixar o revólver. Agora, sai da minha frente!

AUSTIN – (ainda em sussurro) Eu te amo!

Josh sorri. Austin sai de sua frente. De repente, ouvimos o som de uma chave na maçaneta. Close em Chelsea, assustada. Suas mãos começam a tremer. As portas se abrem e vários seguranças entram no local.

CHELSEA – (começa a gritar) Se vocês se aproximarem, eu atiro em todo mundo!!! E não tentem duvidar de mim...

JOSH – (começa a falar bem alto) Chelsea, lembra aquele dia no parque? Lembra quando eu te encontrei sentada naquele balanço e você me disse que nunca poderia ser mãe porque tiraram esse direito de você? E se eu te dissesse que agora você mesma está tirando o seu direito de ser mãe? Pense bem... Se você largar essa arma agora, você ainda tem chance de fazer algo bom com a sua vida... Você ainda pode encontrar a pessoa ideal, formar uma família com ela, não importa de qual forma, ter uma carreira profissional de sucesso e ser feliz... Você quer ser feliz, não quer? Então abaixe essa arma... Faz o que eu tô te pedindo. Eu te amo, Chelsea... (olha para Austin) E eu não suportaria te perder.

(música: Paradise - Coldplay)

Chelsea começa a chorar feito criança. Ela joga a arma no chão. Os seguranças se aproximam e algemam a garota, a tirando do local. Close em Keith, que abraça Matt e chora inconsolável. Chad respira aliviado. Ryan sorri ao perceber que seu chamado foi atendido com sucesso. E Josh e Austin se entreolham, apaixonados. A câmera volta em Keith.

KEITH – (ainda chorando) O que será da minha amiga agora?

A imagem corta rapidamente para:

CENA 12.

(A música tocada na cena anterior continua a ser executada nesta.)

Tomada da cidade de San Francisco com imagens dos principais pontos turísticos locais. Surge a seguinte legenda:

CENA 13. CENTRO PSIQUIÁTRICO. QUARTO. INT. DIA.

(Música continua.)

A porta se abre. Uma enfermeira entra. Atrás, vem Chelsea, totalmente vestida de branco. A garota está sem maquiagem, com os olhos vermelhos e inchados e os cabelos bagunçados, porém, bastante serena.

ENFERMEIRA – (ajeitando o travesseiro na cama) Aqui é o seu novo lar, senhorita Harris...

CHELSEA – (diz em tom baixo) Eu vou ficar aqui por muito tempo?

ENFERMEIRA – (sorri) Só depende de você. (saindo) Mais tarde eu volto para te dar o remédio.

A enfermeira sai e fecha a porta. Close em Chelsea, que permanece imobilizada no mesmo lugar. A garota fica observando o pequeno cubículo onde se encontra, com apenas uma cama e um criado-mudo com uma jarra de água sobre ele. Ao seu redor, quatro paredes brancas. Tão brancas que chegam a cegar. Chelsea fica encarando as paredes. A câmera se aproxima lentamente de uma delas até a tela ficar completamente esbranquiçada.

A imagem escurece.

 

AUTOR
André Esteves

ELENCO

Graham Phillips como Josh Parker
Sterling Knight como Ryan Jordan
Jean-Luc Bilodeau como Austin Davis
Victoria Justice como Chelsea Harris
Ariana Grande como Keith Hurly
Gregg Sulkin como Matt Brooks

ATORES CONVIDADOS
Tyler Posey como Chad Fletcher
Graham Rogers como Evan McGrath
 
PARTICIPAÇÃO ESPECIAL
Angie Harmon como Christina Harris
 
Pequenas aparições que não constam na listagem acima (Enfermeira, neste episódio) são interpretadas por atores contratados pela produtora.

TRILHA SONORA
So Small - Carrie Underwood
We Are Broken - Paramore
Too Many To Mend - Libby Weaver
She Will Be Loved - Maroon 5
Paradise - Coldplay

PRODUÇÃO
Bruno Olsen
Diogo de Castro


Esta é uma obra de ficção virtual sem fins lucrativos. Qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações da vida real terá sido mera coincidência.


REALIZAÇÃO

Copyright © 2017 - WebTV
www.redewtv.com
Todos os direitos reservados
Proibida a cópia ou a reprodução

.aaa.
.aaa.

Compartilhar:

 
Copyright © WebTV | Design by OddThemes