Boletim Virtual - Edição 88 - WebTV - Compartilhar leitura está em nosso DNA

O que Procura?

HOT 3!

Boletim Virtual - Edição 88

Boletim Virtual - Edição 88
Compartilhe:
Troque a Fonte Aqui

https://4.bp.blogspot.com/-zIZgDvTS9xI/Wta7vznNVKI/AAAAAAAACWU/JQr1nt8bxesg3-AigpY1JNSkwcOF-BDnwCLcBGAs/s1600/Boletim%2BVirtual%2B2018.jpg
     
NA EDIÇÃO DE HOJE DO BOLETIM VIRTUAL:
     
- Marcelo Delpkin fala sobre microcontos "proibidos" da Cyber TV no Visão Crítica
- Analiso que foi a PIOR DECISÃO que eu tive na minha vida, diz Alessandro Fonseca no Diário do Autor
- Zumbi na tela da WebTV, Plantão durante a semana na Cyber TV, Humor na nova temporada do Web Show, Everton Brito assina a próxima Minissérie da WebTV.
     

     
 
     

BOLETIM VIRTUAL - EDIÇÃO 88
(DOMINGO, 29 DE MARÇO DE 2020)

 
 
     

MARCELO DELPKIN FALA SOBRE MICROCONTOS "PROIBIDOS" DA CYBER TV

     
 
MARCELO DELPKIN: Olá, leitores! Delpkin na área! Hoje convido vocês a aproveitarem o período da quarentena com bastante leitura, através do vasto mundo da literatura virtual. Opções não faltam: WebTV, Cyber TV, Megapro, OnTV, DiggTV, Blog da Zih, webtvplay, Wattpad, Amazon Kindle e outras dezenas de plataformas feitas por quem ama escrever e entreter.

Desta vez trago uma resenha sobre uma compilação de microcontos publicada no último sábado, 21 de março, pela Cyber. O autor é Tales Dias, da novela Divas.







A primeira história se chama O Homem Proibido. Rosinha é uma mulher de meia idade que se encontra, de vez em quando, com um homem que não deveria amar. Ambos se dividem entre a paixão e a culpa. No fim, a revelação: ele é padre. Em seguida, a história de Ricardo em Invasão: ele jura de pés juntos que a casa foi invadida pela esposa. Na verdade, ela está morta há tempos. Tudo não passou de mais uma bebedeira do protagonista.

Em O Dia em que João Acordou Feliz, o protagonista estranhava o comportamento da mãe e a situação triste e silenciosa em toda a cidade. Novamente a revelação veio ao final: João havia morrido num acidente de moto após beber até tarde com os amigos. Uma narradora em 1ª pessoa — único enredo que é escrito dessa forma — conta sua história de vida em Sozinha. Ao sair de casa pra passear, mas passando por um atalho que não costumava pegar, sentiu medo ao ser seguida por um homem. Para alívio dos leitores, era só um “lindo moreno” (por Raquel Machado) apaixonado pela mocinha. Final feliz garantido. Na última trama, Motel, Marisa tem uma premonição de ser atacada pelo marido após o flagra com o amante Gael. Haja sangue nesse microconto! No fim, o que acontece? Nem preciso escrever, não é?






As cinco histórias possuem enredos simples e cotidianos, com finais reveladores e quase todos surpreendentes. Ótima leitura para quem procura algo mais “fácil”, sem rodeios e incrivelmente prazeroso. Não há problemas linguísticos relevantes; apenas uma ou outra pontuação, o que não compromete a leitura. Gostei bastante da obra. Parabéns, Tales!

Aproveitando o título do primeiro microconto, deixo uma dica de leitura: O Homem  Proibido, de Nelson Rodrigues. A relação de amor e zelo entre duas primas sofre um abalo quando surge um médico no caminho. A partir daí, uma chuva de chantagens e maldades de Joyce contra Sônia, com o objetivo de lhe tomar Paulo. Adaptado por Teixeira Filho para telenovela nos anos 80.








Em abril, volto com mais uma resenha. Enquanto isso, não deixem de acompanhar as críticas — e outras coisas — que faço no Observatório da Escrita. Lavem as mãos e voltem, que ainda tem bastante coisa boa pro Boletim de hoje. Abraços virtuais!



 
     

 
     
ZUMBI NA TELA DA WEBTV, PLANTÃO DURANTE A SEMANA NA CYBER TV, HUMOR NA NOVA TEMPORADA DO WEB SHOW, EVERTON BRITO ASSINA A PRÓXIMA MINISSÉRIE DA WEBTV - por MARCOS VINICIUS
     

MARCOS VINICIUS: Boa noite galera, sou Marcos Vinicius e estou aqui para nosso giro virtual em tempos de quarentena. Sem mais delongas, espero que curtam e que aproveitem o momento para se inteirar de algumas novidades do nosso glorioso Mundo Virtual.


Season II de Alcatraz estreou na última segunda

Em meio à quarentena que estamos vivendo, a minissérie de Marcos Vinicius estreou na Cyber TV na última segunda, dia 23/03. En las cercanías de Alcatraz Season II mostra os eventos sete anos depois do final da temporada I, com foco na busca da detetive Carmen Sanchez por Rebeca, a grande aprendiz de João Acácio. Não deixe de acompanhar!


Cyber Backstage ganha plantão durante a semana

É isso mesmo! Marcelo Delpkin e a administração da Cyber TV inovam e o prestigiado programa Cyber Backstage ganhou pequenas esquetes nas segundas, quartas e sextas às 11 horas com assuntos diversos. Tudo para manter o povo do Mundo Virtual por dentro das novidades. Não deixe de prestigiar!



Vale a pena ler de novo

Sim, a CyberTV está fazendo de tudo para manter os leitores do Mundo Virtual entretidos. O vale a pena ler de novo está de volta a partir do dia 30/03 com seis grandes histórias para as tardes de segundas, quartas e sextas. Vale destacar aqui as magníficas e premiadas Anti-Herói de Cristina Ravela e O dia da faxina de Geraldo Medeiros. É, nesta época de quarentena não há desculpas para não exercitar a leitura. Veja as obras e seus respectivos horários:

12:00 - Não mais amar
13:00 - Eu e as três
14:00 - O dia da faxina
15:00 - Insensatez
16:00 - Anti-Herói
17:00 - Amores Imperfeitos



Um talk show com dose de humor está de volta

E a terceira temporada do Web Show mais querido do Mundo Virtual está chegando para ser um arraso total.
 
 
 
Sob comando de Marcos Vinicius e produção de Gabo Olsen, a nova temporada estreia neste dia 11/04 com muitas novidades e convidados pra lá de especiais. Com um formato que informa e diverte o público ao mesmo tempo, o Web Show promete ser um escape para os tempos difíceis em que vivemos.



Avant Premiere traz as novidades da WebTV

A WebTV, sempre perspicaz, traz ao seu fiel público um programa esplêndido. Trata-se de um programa onde os leitores podem conhecer as próximas estreias da emissora. Com início no mês de abril, o programa trará as últimas informações sobre o "Web Show" e a nova minissérie da WebTV "Motivos para continuar vivendo". A terceira temporada do Avant Premiere contará com a apresentação de Heloísa Ambrósio. 



Everton Brito lança sua próxima obra

Prevista para estrear em 10/04, a minissérie Motivos para continuar vivendo de Everton Brito, promete levar aos seus fiéis leitores muita emoção com personagens marcantes e inspiradores em uma trama que traz a realidade de muitos momentos de nossas vidas.
 
 
 
Não deixe de apreciar esta história, que com certeza você vai se identificar com algum personagem.



O mundo está perto de viver um apocalipse zumbi

Calma pessoal! Não é em função do coronavírus. Trata-se da série de Rafael Oliveira que vem para abrilhantar a WebTV. Hoje, dia 29 de março entra em cena a série Dead Land, que conta a saga de Bruce e sua luta por sobrevivência em um mundo pós apocalíptico após perder a esposa, a filha e o irmão. Vale muito a pena conferir, anotem aí!



TI 2018


O Troféu imprensa 2018, com os melhores de 2017 será exibido nesta terça, dia 31.
 

São 34 categorias que abrangem a dramaturgia nos formatos roteiro e literário, entretenimento, jornalismo e a revelação do ano. 

 

Demorou, mas chegou! Então vamos prestigiar galera!


 

 



Saiu os vencedores

 

O Cyber Backstage de hoje revelou os escolhidos por votação popular e júri destacando a dramaturgia, entretenimento e jornalismo referentes as produções de 2019. Quer conferir o resultado? Dê um clique aqui e aprecie essa experiência. Parabéns aos vencedores...


 

 

Finalizo por aqui nosso giro virtual especial nestes tempos difíceis que estamos passando. Aproveite para refletir sobre sua vida, leia, estude, brinque com seus filhos, dê atenção para sua esposa, seu esposo, seu pai, sua mãe, seus irmãos. A família é o bem mais importante que temos. Fique em casa! Por favor! Por você, por nós, por todos!

     

 
     
ANALISO QUE FOI A PIOR DECISÃO QUE EU TIVE NA MINHA VIDA, diz ALESSANDRO FONSECA
     
 

 Ele mora em Ariquemes, Rondônia. Em 2014 ingressou no site Wattpad, uma plataforma que permite aos autores divulgarem seus trabalhos. No ano seguinte, Alessandro Fonseca publicou a duologia “Um nerd em minha vida”. Já em 2017 ingressou no Amazon Kindle e, desde então, a maioria de seus livros entre “Imortal”, “Diamante – O medo” e “O amante” têm sido publicados por lá. No ano passado fez parte do Megapro e publicou a série Hotel Cassindrina. Em sua passagem pela emissora, Alessandro viveu uma polêmica envolvendo sua obra e política. Alessandro, seja bem-vindo ao Diário do Autor.

 

 


 

ALESSANDRO FONSECA:  Obrigado querido!
 

GABO: Alessandro, começamos nossa entrevista falando sobre polêmica. Você se considera uma pessoa polêmica?
 

ALESSANDRO FONSECA: Não. Até porque não procuro. Sou uma pessoa de personalidade forte, que, não aceita desprezo, menosprezo, arrogância e falta de caráter de certos autores e emissora omissas.
 

GABO: Na sua passagem pelo Megapro, você publicou a série Hotel Cassindrina e esteve envolvido em uma polêmica sobre a obra e política. Na época, Vinicius Guimarães disse que você era um defensor do atual governo conservador, mas escrevia um pornozão. A situação piorou quando você publicou um post homofóbico. O que de fato aconteceu?

 

ALESSANDRO FONSECA: Na verdade, o post não era homofóbico. Eu era a favor da censura sim do tal livro para menores de 18 anos. Daí eles em sua mente já fechadas puseram na cabeça que eu compartilhei um post “homofóbico”. Mas vamos lá. Homofobia não seria o caso de eu xingar, vilipendiar ou praticar quaisquer atos físicos/violentos com LGBTs? Eu estava apoiando a violência em si para essas pessoas? Não! Eu só acho que queriam jogar algo nas minhas costas, só porque eu  não baixava a cabeça para pessoas que se achavam os “os arautos da paz, democracia e contra esse desgoverno”. Pois, quem tem opinião própria ou não se deixa levar por Papinho de gente mesquinha e medíocre, acontece isso. E sobre eu escrever “pornozão”, estou pouco me lixando para isso. Eu defendo uma ideia, mas, isso não tem nada a que ver com o que escrevo ou deixo de escrever. Falam por eu ser “conservador” e apoiar censura, mas, eles sabem se eu REALMENTE sou conservador? Eles não sabem que eu sou a favor dos direitos assegurados para os LGBTs e que sou contra a partidarização dos movimentos LGBTs? São pessoas que só prejulgam e, depois, dizem que não, são “mente aberta”. Mas prejulgam e se dizem os “bastiões da democracia e os mocinhos contra este autor mofóbico que escreve pornozão”. Então, eu defendo uma ideia e eu escrever “pornô” ou não, tem nada a que ver com o governo ou não. Queria saber se eles com seus orgulhos feridos por serem chamados de “gore” num episódio lamentável, se foram pedir desculpas a autora Débora Costa, ao autor Failon Teixeira, ao invés de correr atrás da Justiça para querer que “o autor que os chamou de gore, responda pela a “ofensa” dirigidas a eles”? Eu não tenho nada contra e nem a favor, só não gosto de hipocrisia de certas pessoas.

 

GABO: Como você analisa esse episódio vivido no Megapro? Você ainda guarda mágoas?

 

ALESSANDRO FONSECA: Analiso que foi a PIOR DECISÃO que eu tive na minha vida. Foi um dos piores momentos para meu psicológico. Graças a Deus, saí dali e continuei na Cybertv com meu programa “Cyber trends”. Tem pessoas ali que não posso nem ver sua foto de perfil, que, logo me vem um asco e uma ânsia de vômito. Mas, mágoa, raiva, ódio, rancor não sinto. Porque sei que é algo que possa me prejudicar fisicamente, com doenças cardiorrespiratória.

 

GABO: Falando sobre os dias atuais, hoje você se arrepende de algo que já aconteceu contigo no Mundo Virtual?

 

ALESSANDRO FONSECA: Sim, de ter entrado na antiga Emissora que aconteceu esse episódio horrível.

 

GABO: Alessandro, vamos voltar ao passado. Conta pra gente, como você descobriu a paixão pela escrita?

 

ALESSANDRO FONSECA: Comecei a escrever no caderno uma história inspirada num casal de homossexuais amigos meus. Na vida real, um matava seu parceiro e logo depois ele se suicidava enforcado. Na história mantive os dois vivos até o fim. Um nerd em minha vida foi escrito em homenagem aos dois. Sinto muito a falta deles, então, escrevi para fazer-lhes uma homenagem póstuma.

 

GABO: Com qual gênero você mais se identifica durante o processo de criação?

 

ALESSANDRO FONSECA: Os romances homoeróticos, com temas polêmicos poucos tocados ou citados.

 

GABO: Qual a sua relação com a crítica? Você a teme ou encara numa boa?

 

ALESSANDRO FONSECA: Encaro numa boa. Temos de ter bom senso e um filtro para elas. Saber separar feedback bom e ruim, para você melhorar no que está errando.

 

GABO: Qual autor (a) literário você cita como fonte inspiradora? Qual a melhor história que você já leu do autor?

 

ALESSANDRO FONSECA: Josiane Veiga e o livro dela que mais amo é “Kimshi na Karada: O corpo proibido”. Recomendo lerem. Tem disponível esse e o segundo livro no Amazon Kindle.

 

GABO: Alessandro, falando sobre família, você recebe o apoio deles quando o assunto é escrita? Conta pra gente a sua relação entre escrita e família.

 

ALESSANDRO FONSECA: Sim sim. Só que não comentam e não tem o costume de lerem MUITO.

 

GABO: No momento da escrita você prefere um ambiente calmo ou coloca uma trilha sonora e deixa a história rolar?

 

ALESSANDRO FONSECA: Coloco trilha sonora. Se ficar calmo, me dá sono e isso pode acarretar em procrastinação.


GABO: 
Quando o bloqueio criativo bate na porta, o que você faz para afastá-lo?

 

ALESSANDRO FONSECA: Como, assisto vídeos e leio até a criatividade voltar. Não me esforço para criar algo. Deixo vir naturalmente.

 

GABO: Como você organiza e planeja suas histórias? Você cria escaletas, resumos?

ALESSANDRO FONSECA: 
Eu já tenho tudo em mente. Do começo ao fim. Mas, eu  organizo e escrevo no papel os nomes dos personagens, suas funções na história (protagonista e vilão), para não me perder lá na frente. E quando escrevo, já tenho em mente o final da história.

 

GABO: Entre as histórias já publicadas, qual é a sua favorita? Você possui algum livro físico lançado?

 

ALESSANDRO FONSECA: Karemi Yawopã. Já tenho livros físicos publicados no Amazon Kindle e prime. Acesse aqui

 

GABO: Como foi a recepção de suas histórias na Amazon e no Wattpad? Você possui feedback com qual frequência?

 

ALESSANDRO FONSECA: Demorou para eu ter reconhecimento, mas, fui fazendo amizades com autores e leitores, então, consegui um número de leitores razoáveis e comecei a ser conhecido no Wattpad. O Amazon Kindle já é mais exigente. Temos de ter uma ótima capa, excelente revisão ortográfica. Pois as pessoas pagam para ler o que nós produzimos. Recebi duras críticas, mas precisas no começo, porque, depois eu melhoraria e MUITO com o passar do tempo. E dentro de um ano, já vendendo no Amazon Kindle, entrei numa editora e numa promoção de Ebooks gratuitos, vendi mais de 1700 Ebooks num só dia, batendo o recorde da aurora que havia vendido somente 900. Fui o autor que mais vendeu naquele ano pela a editora. Hoje como autor independente, na campanha da “Quarentena literária” vendi mais de 500 livros por dia. Foram 2560 Ebooks gratuitos baixados contabilizados com o Brasil e países de fora.

 

GABO: Você é de Rondônia, mesmo estado que eu. Dificilmente encontramos autores aqui do estado. Muitas pessoas têm preconceito com o estado. Qual recado você mandaria para esses haters?

 

ALESSANDRO FONSECA: Mandaria procurar o que fazer, caçar o caminhão que eles caíram, tomarem vergonha na cara e verem que nós somos humanos também. Essas pessoas são idiotas, mesquinhas, medíocres, imbecis, ignorantes, ignóbeis, entre outros. Aliás, temos o autor Lucas Souza, rondoniense da capital Porto Velho e que bateu 1 M (Um milhão) de views no Wattpad e é sucesso absoluto no Amazon Kindle com o Romance gay “Minha princesa é um príncipe”. Leia aqui


GABO: 
Quem é Alessandro Fonseca fora do Mundo Virtual?

 

ALESSANDRO FONSECA: Divertido, esforçado, chato em algumas horas e que aprendeu a ter um controle emocional enorme depois do que aconteceu.

 

GABO: Opa, chegou a hora do bate-bola, nosso jogo rápido. E aí, Fonseca preparado?

 

ALESSANDRO FONSECA: Simmmmmmmmm!
 

BATE-BOLA:
 

CRÍTICA: Saber filtrar
ESCRITA: 
Mais do que um hobby, um trabalho profissional para se ganhar dinheiro com seu talento. 
LIVRO: 
“A prostituta errante”
WATTPAD: 
Meu começo de carreira.
AMAZON: 
Reconhecimento
MEGAPRO: 
Erro, curva mal feita por mim, pior decisão que tomei na vida e uma Emissora Complicada. 
MUNDO VIRTUAL: 
Com mais pessoas que falem a verdade e autores que não lambam botas de pessoas com ideologias políticas que visam dividir e demonizar Autores, do que unir e respeitar a opinião alheia. 
FRASE: 
Não vou mudar por ninguém, vou mudar por mim. Não gostou do que falo, simples, me bloqueia de suas redes sociais ou apenas aprende a ignorar. 
ALESSANDRO POR ALESSANDRO: 
Autores nascem autores, não aprendem a ser. É um TALENTO que a pessoa nasce, não aprende a ter.

 

GABO: Alessandro, fica o espaço para suas considerações finais.

 

ALESSANDRO FONSECA: As pessoas que ainda sentem rancor, ódio, raiva de mim, não se preocupem. Eu também vos amo. Não sou uma pessoa de guardar mágoa, tampouco ódio. Algumas pessoas têm que aprender a serem respeitosas e respeitar o pensamento ideológico contrário. Não vivem numa bolha, onde só sua opinião política vale. Aprenda a serem “mais humanos”. Vocês não são Machados de Assis ou Clarices Lispector. São apenas pessoas que querem se tornar um deles futuramente. Têm certas pessoas que precisam parar de ser arrogantes, mentirosas, dissimuladas, falsas, medíocres e imbecis. Porque, senão, futuramente serão autores amargurados e fracassados na vida. Aceitem críticas e se olhem no espelho, vejam o que são e o que fazem, antes de querer processar QUALQUER um por dizer verdades sobre vocês. MUITO obrigado Gabo pela a entrevista e MUITA boa sorte, sucesso e paz na sua vida. Beijão a TODOS!

 

GABO: Obrigado, Alessandro pela participação no Diário do Autor. Sucesso pra você.

Não se esqueçam: Assim como o Marcelo Delpkin e o Marcos Vinicius falaram, fique em casa. Só saia se necessário. Cuide de você e do próximo. A Turma da Mônica lançou a campanha "Lavar as mãos salva vidas!"
 

 

 



 

 

O Cascão é o personagem que tem medo de água, e neste momento de conscientização, ele aderiu a ideia e está se protegendo. Bora se proteger também, galera.

 

 


 

 


Confira a maneira correta de lavar as mãos e usar o álcool em gel:

 

 

 

 

 

 

Aproveitem o momento para maratonar sua série favorita, coloque em dia as produções do Mundo Virtual. E curta o momento em família. O Boletim Virtual fica por aqui. Se cuidem. Boa noite.

 
     

     


editor-chefe
Gabo

equipe
Gabo
Marcelo Delpkin
Marcos Vinicius

jornalismo
contatoredewtv@gmail.com


REALIZAÇÃO


Copyright
© 2020 - WebTV
www.redewtv.com
Todos os direitos reservados
Proibida a cópia ou a reprodução
.aaa.
.aaa.
Compartilhe:

Boletim Virtual

Edições do Boletim Virtual

Jornalismo

Livre

No Ar

Comentários:

0 comentários: