Estações da Vida - 1x26 - WebTV - Compartilhar leitura está em nosso DNA

O que Procura?

HOT 3!

Estações da Vida - 1x26

Novela de Gabo Olsen e Diogo de Castro
Compartilhe:
Troque a Fonte Aqui


     
 

NO CAPÍTULO ANTERIOR DE "ESTAÇÕES DA VIDA":

IAGO: Gostou da surpresa, princesa? Eu estava ansioso por esse momento.

 

LUA (surpresa): Quer dizer que você é o Iago?

 

IAGO (sorrindo): Sim, sou eu.

 

Lua olha ao redor.

 

IAGO (sério): Nem pense em gritar. Você vai ficar em silêncio e fazer TUDO O QUE EU MANDAR. Estamos entendidos?

 

Lua balança a cabeça concordando.

 

...


PAULINHA:
 Não me importo com o que ele vai pensar.

 

MIRTES: Não fale assim. Ele é seu pai.

 

PAULINHA: Ele pode ter sido o doador dos espermatozóides, mas pai ele nunca foi!

 

MIRTES (firme): Não fale assim, Paulinha. O Rubens tem o jeito dele, mas ele sempre nos deu o melhor.

 

PAULINHA: Menos o mais importante né?

 

Mirtes não sabe o que responder.

 

PAULINHA: No fundo você sabe que eu tenho razão, mãe. Ele sempre age de maneira fria e não é só comigo. Você também é vítima desse relacionamento abusivo.

 

...

 

PATO: Parece que a Lua se meteu numa roubada.

 

KÁTIA (nervosa): O que? 

 

LEONARDO: Quem era no telefone?

 

PATO: Era a melhor amiga da Lua. Hoje ela ia se encontrar com o tal paquera da internet, mas a Andréia disse que o cara que tava lá não era como se descrevia.

 

KÁTIA: Então era por isso que ela não largava daquele celular!

 

LEONARDO: Minha filha pode estar nas mãos de um pedófilo!

 

KÁTIA: Ai, meu Deus.

 

...


 

LUA: Eu quero descer!!! Para o carro!!!

 

IAGO: Agora que a brincadeira tá ficando boa?

 

SIRES DE POLÍCIA começam a ecoar para a surpresa do pedófilo.

 

IAGO: Você chamou a polícia, garota? Sua desgraçada!

 

Ele esbofeteia ela.
 

...

 

AMANDA: Ai, Kátia. Todo mundo sabe que homens do porte do Leonardo não são fiéis. Tá no gene. Rico, bem-sucedido, gostoso, um leão na cama...

 

KÁTIA: Cala essa boca!

 

Irada, Kátia dá um tapa na cara de Amanda.

 

AMANDA: Sua desgraçada!

 

As duas se atracam e caem no chão. Kátia em cima de Amanda, desfere mais alguns tapas até que Amanda consegue se safar.

 

...


 

LUA: Por que está fazendo isso?

 

IAGO: Não era pra terminar desse jeito.

 

LUA: Me solta/

 

Lua desmaia nos braços de Iago. Pato surge da multidão, por trás de Iago e se joga em cima dele imobilizando-o. Reação das pessoas com a atitude do garoto. Os policiais se apressam em ajudar, um deles pisa na mão do pedófilo e pega a arma, outro o algema imediatamente. Leonardo corre para socorrer Lua.

 

LEONARDO: Alguém chama uma ambulância!!!

 

PATO: Ela tá bem?

 

LEONARDO: Tá respirando.

 

PATO: Lua, acorda!


...


 

PAULINHA: Você ainda é virgem?

 

CAIO (sem graça):  Sou/

 

...
 

 

CAIO: Não entendi o porquê dela, sendo que você já sabe que eu sou virgem.

 

PAULINHA: Só queria me certificar que você não ficou com ninguém além de mim durante o nosso namoro.

 

Caio e Grego sem graça. Clima tenso no ar.

 

PAULINHA: Ou será que, por acaso no acampamento você ficou com alguém e não me contou, Caio?

 

Paulinha encara Grego, que está totalmente desconcertado, assim como Caio. Nanda sem entender nada.

 
     
     
     
     

CAPÍTULO 1x26
 
     
   
     
 

CENA 01. CASA NANDA. QUARTO DELA. INT. NOITE.

 

Continuação do capítulo anterior. Paulinha espera a resposta de Caio encarando Grego.

 

CAIO: É claro que eu não fiquei com ninguém, Paulinha.

 

PAULINHA: Olha que quem mente o nariz cresce!

 

CAIO: Por que eu mentiria?

 

PAULINHA: Não sei, me diz você... Ou me diz você, Greguinho.

 

GREGO (nervoso): Eu?

 

NANDA: Que que tá rolando aqui, gente? Do nada o clima ficou estranho. (pega um copo e toma a bebida)

 

PAULINHA (deboche): Tá rolando que nosso amigo Caio escondeu da gente que é gay.

 

Nanda cospe a bebida com a revelação de Paulinha.

 

CAIO (chocado): Por que você tá fazendo isso?

 

Alguém bate na porta.

 

NANDA (grita): Agora não, a gente tá ocupado.

 

ESTELA (O.S): Filha, abre a porta. É importante.

 

NANDA: O que aconteceu, mãe?

 

ESTELA (O.S): A irmã do amiguinho de vocês, o Pato.

 

NANDA: O que tem a Lua?

 

ESTELA (O.S): Ela foi sequestrada!

 

Nanda corre para abrir a porta, Estela entra esbaforida.

 

NANDA: O que que você tá dizendo?

 

ESTELA: Deu no noticiário, foi hoje mais cedo. Parece que ela foi se encontrar com um carinha da internet e quando chegou lá era um pedófilo.

 

PAULINHA: Caraca!

 

CAIO: O Pato deve tá arrasado.

 

NANDA: A gente precisa ir lá.

 

ESTELA: Vamos, eu levo vocês na kombi.

 

Eles se apressam para sair.

 

CENA 02. APARTAMENTO DE DIEGO. CORREDOR. INT. NOITE.

 

Naná caminha até a porta do banheiro, bate.

 

NANÁ: Diego? Está tudo bem, filho? Você está aí há horas. Precisa de algo?

 

CORTA PARA

 

CENA 03. APARTAMENTO DE DIEGO. BANHEIRO. INT. NOITE.

 

Diego está no chão, delirando sob efeito da droga que consumiu. Escuta ao longe a voz de Naná.

 

CENA 04. MANSÃO PATO. SALA. INT. NOITE.

 

Nanda, Paulinha, Caio, Grego e Estela diante de Pato, Leonardo e Kátia.

 

KÁTIA: Tá meio tarde pra visitas, não?

 

NANDA: A gente veio assim que soube do acontecido.

 

ESTELA: É, nem reparamos direito na hora.

 

LEONARDO: Sem problemas, são todos bem-vindos. Bom saber que meu filho tem amigos que se preocupam com ele e com a irmã dele.

 

NANDA: E como é que ela tá?

 

PATO: Agora está dormindo, o pior já passou.

 

GREGO: Esse lance de namoro pela internet é um perigo.

 

PATO: A Lua vivia pregada no celular conversando com esse cara. Tava super apaixonada. O baque foi grande.

 

PAULINHA: Que maldade brincar com os sentimentos de alguém assim.

 

NANDA: Acho melhor a gente ir né? Tá tarde.

 

PATO: Obrigado por terem vindo. Eu sei que nossa amizade anda meio abalada pelo que rolou no acampamento, mas apesar disso vocês estão aqui. Valeu mesmo, galera.

 

LEONARDO: Reitero os agradecimentos do Patrício. Obrigado por se preocuparem com a Lua.

 

CAIO: A gente não podia deixar de vir.

 

NANDA: É.

 

ESTELA: Então vamos né?

 

KÁTIA: Eu os acompanho até a porta.

 

PATO: Nanda, eu posso falar rapidinho contigo?

 

NANDA: Me esperem lá fora, pessoal.

 

Kátia e Leonardo conduzem o grupo até a saída deixando Nanda e Pato sozinhos.

 

NANDA: E aí.

 

PATO: Significou muito você ter vindo.

 

NANDA: Apesar de tudo, eu acho que num momento difícil como esse o certo é deixar as diferenças de lado.

 

PATO: Isso quer dizer que ainda somos amigos?

 

NANDA: A gente pode falar disso depois?

 

PATO: Nanda, me desculpa vai. Eu sei que eu fui um idiota com essa história de aposta. Mas isso também serviu pra eu perceber o quanto eu gosto de você.

 

NANDA: Como assim?

 

PATO: De todos do grupo, é de você quem eu sinto mais falta.

 

NANDA: O que quer dizer com isso?

 

PATO: Que eu demorei pra perceber, mas hoje eu posso ver que gosto de você... Mais do que como amigo.

 

MUSIC ON: (NAKED - JAMES ARTHUR)

 

Nanda engole em seco com a declaração.

 

PATO: Não vai dizer nada?

 

NANDA: Quem me garante que não é outra aposta? Você é muito inconsequente, Pato. É capaz de estar se aproveitando dessa situação pra me enganar outra vez.

 

PATO: Você acha que eu seria capaz?

 

NANDA: Se tratando de você eu não sei de mais nada. Minha mãe tá me esperando lá fora. Tchau.

 

Nanda se retira. Pato se joga no sofá, frustrado. Kátia e Leonardo retornam ao ambiente.

 

MUSIC OFF.

 

KÁTIA: Gentinha mais inconveniente. Isso é hora de fazer visita?

 

LEONARDO: Eu achei ótimo o fato dos amigos do Pato demonstrarem preocupação com nossa filha.

 

PATO: Você ainda não percebeu que sua mulher só vê o lado ruim das pessoas?

 

KÁTIA: Eu não vou brigar com você, Patrício. Hoje não. Vou ver como a Lua está. Com licença.

 

Kátia sobe as escadas rapidamente. Leonardo bate nos pés de Pato fazendo ele sentar direito no sofá. Leonardo senta-se em seguida, ao lado de Pato.

 

PATO: O que foi?

 

LEONARDO: Não tive a oportunidade de dizer o quanto fiquei orgulhoso de você hoje à noite. Foi um ato de coragem e tanto pra salvar a vida da sua irmã. Até a polícia reconheceu.

 

PATO: Acha que eu levo jeito pra isso como o policial insinuou?

 

LEONARDO: A coragem necessária você tem. Mas o seu futuro já está garantido, Pato. Quando eu não estiver mais apto para administrar a empresa, você vai ficar no meu lugar.

 

PATO: Não tenho interesse pelos negócios.

 

LEONARDO: Espero que daqui pra lá você mude de ideia, não gostaria de ver o patrimônio que meu pai construiu com tanto trabalho sendo desperdiçado pela próxima geração dos Lambertini.

 

Pato não responde.

 

LEONARDO: Bom, to indo dormir. o dia foi cheio. Você deveria fazer o mesmo.

 

Leonardo se levanta.

 

PATO: Espera.

 

Leonardo encara o filho.

 

PATO: Hoje eu também senti orgulho de você.

 

Leonardo esboça um sorriso emocionado, passa a mão na cabeça de Pato.

 

LEONARDO: Boa noite.

 

Leonardo sobe as escadas. Pato volta a deitar-se no sofá.

 

MUSIC ON: (MEU ABRIGO - MELIM)

 

CAM vai se afastando de Pato até SAIR pela janela.

 

CORTA PARA

 

CENA 05. CÉU. EXT. NOITE.

 

TAKE do céu noturno do Rio de Janeiro com suas estrelas brilhantes. O dia vai amanhecendo lentamente até que o sol aparece de vez.

 

LEGENDA: Alguns dias depois

 

CORTA PARA

 

CENA 06. MANSÃO PATO. QUARTO LUA. INT. DIA.

 

MUSIC OFF.

 

Lua deitada na cama. Andréia, Larissa e Ricardo ao seu redor. Kátia também está presente.

 

ANDRÉIA: A gente tava preocupado com você, Lua. Desde o acontecido você não apareceu mais na escola.

 

LUA: Eu não tava muito legal. Na verdade ainda to me recuperando do baque. Foram momentos terríveis.

 

LARISSA: É compreensivo, miga. Você passou por uma barra pesada. Me sinto até culpada por ter dado tanta força a esse relacionamento.

 

RICARDO: Ninguém tem culpa de nada. A não ser o criminoso que tava mal intencionado com a Lua.

 

LUA (triste): É. Quem poderia imaginar que por trás daquele cara super maneiro que eu conheci, tinha um velho asqueroso?! Quando eu penso que o pior poderia ter acontecido...

 

ANDRÉIA: Oh, Lua. Não fica assim vai.

 

LARISSA: O pior já passou.

 

KÁTIA: E eu espero que você tenha aprendido a lição, mocinha. Não dá pra confiar em todo mundo na internet.

 

LUA: Aprendi, mãe. O que eu menos quero agora é conhecer alguém pela internet.

 

LARISSA: E quando você volta pra escola?

 

LUA: Logo. Meus pais me obrigaram a frequentar um psicólogo. Achei exagero, mas não me recusei.

 

KÁTIA: Exagero nenhum. Considerando a situação pela qual você passou, é necessária essa assistência psicológica para evitar futuros problemas.

 

RICARDO: Sua mãe tem razão, Lua. Li que tem gente que após vivenciar estresse emocional desse nível desenvolve até síndrome do pânico.

 

LARISSA: Nossa!

 

ANDRÉIA: Seus pais querem o melhor pra você.

 

KÁTIA: Que fofos seus amigos, filha.

 

LUA: São os melhores.

 

Eles se abraçam.

 

LARISSA: Mas chega dessa bad né, pessoal?

 

KÁTIA: Concordo. O pior já passou. Agora vamos falar de coisa boa, seu aniversário tá chegando, filha!!!

 

LARISSA (empolgada): PARA TUDO!!! Teremos baile de gala?

 

KÁTIA: No que depender de mim, será a festa de 15 anos mais comentada no Rio de Janeiro.

 

LARISSA: Já quero!

 

KÁTIA: Já estou providenciando tudo. Filha, você poderia chamar seus amiguinhos para uma confraternização na piscina qualquer dia desses.

 

LUA (estranha): Mãe, tá tudo bem com você?

 

KÁTIA: Ué, por que?

 

LUA: Hum. Nada não. Mas, vamos marcar pessoal!

 

LARISSA: To dentro.

 

LUA: E o casal aí?

 

ANDRÉIA: Claro.

 

RICARDO: É só dizer quando.

 

LUA: Então fechou!!!

 

KÁTIA: Agora vamos deixar a Lua descansar não é pessoal? Voltem sempre que quiserem.

 

LARISSA: Tchau, miga. Volta logo!

 

ANDRÉIA: A escola não é a mesma coisa sem você.

 

RICARDO: Até logo, Lua!

 

LUA: Obrigada por virem.

 

Eles se retiram. Katia e Lua ficam ali, sorridentes.

 

LUA: O que deu em você?

 

KÁTIA: Por que?

 

LUA: Para de graça, mãe. Você não costuma ser tão simpática assim.

 

KÁTIA: Você sempre pensando o pior de mim né, Luana? Eu só fiquei feliz por você ter amigos que se importam com você.

 

LUA: Mas o Pato bem me disse que você foi super grossa com os amigos dele.

 

KÁTIA: Os amigos do Pato não são seus amigos. Agora vamos parar com essa conversa? Está ansiosa?

 

LUA: Pro meu aniversário?

 

KÁTIA: Claro, filha! Só se completa 15 anos uma vez na vida.

 

LUA: Pra falar a verdade, acho que o momento não é o melhor pra festas.

 

KÁTIA: Nada disso, mocinha. Sempre foi o seu sonho chegar aos quinze com festão. Você não pode se deixar abalar pelo que aconteceu. Já passou. Além do mais já estou vendo todos os preparativos pra esse momento único. Vai ser lindo!

 

LUA: Espero estar mais animada até lá.

 

CENA 07. COSMÉTICOS LAMBERTINI. SALA LEONARDO. INT. DIA.

 

Leonardo trabalha em seu notebook enquanto Amanda conversa com ele.

 

AMANDA: Eu fui na mansão saber do seu paradeiro com a melhor das intenções, já que todos os fornecedores resolveram falar com você aquele dia, mas a grossa da sua mulher me destratou.

 

LEONARDO: Por que será né?

 

AMANDA: Porque ela me detesta?!

 

LEONARDO: Em relação aos fornecedores, espero que tenha anotado as demandas de todos para que eu possa resolver esta semana.

 

AMANDA: Tá tudo na minha agenda.

 

LEONARDO: Era só isso?

 

Amanda coloca a agenda em cima da mesa e se levanta indo em direção ao patrão.

 

AMANDA: Na verdade eu tava pensando que a gente poderia dar uma escapadinha na hora do almoço.

 

Ela começa a massagear os ombros dele.

 

LEONARDO: Amanda, não me leve a mal. Mas isso não pode mais acontecer.

 

Ela beija o pescoço dele, que fecha os olhos envolvido.

 

AMANDA: Por que não, amor? É sempre tão bom quando a gente fica junto.

 

LEONARDO: Porque você é namorada do meu filho.

 

MUSIC ON: (ANIMALS - MARRON FIVE)

 

AMANDA (sussurra): Seu filho não chega aos seus pés.

 

Amanda gira a cadeira dele virando-a para ela e monta nele.

 

LEONARDO: Para com isso, garota.

 

AMANDA: Vai resistir pra que, se eu sei que você quer.

 

LEONARDO: As coisas entre eu e o Patrício estão/

 

AMANDA: Para de falar no Pato, eu e você é muito mais interessante.

 

Amanda beija Leonardo com tesão. Ele se deixa envolver. O clima vai esquentando entre eles, cada vez mais. Amanda sai de cima de Leonardo, se abaixando lentamente. CAM foca nas expressões de prazer de Leonardo, sentado na cadeira, enquanto Amanda faz sexo oral nele.

 

MUSIC OFF.

 

CENA 08. COLÉGIO FRAN VICENTINI. ENSINO MÉDIO. INT. DIA.

 

Os alunos aguardam o professor do horário entrar. Nanda e Paulinha sentadas nas primeiras cadeiras comentam.

 

PAULINHA: Estranho.

 

NANDA: O que?

 

PAULINHA: O Caio e o Grego ainda não chegaram.

 

NANDA: Se é que eles vão vir depois daquele constrangimento lá em casa né, amiga.

 

PAULINHA: Ai, amiga. Eu não fiz por mal. Você sabe que quando eu bebo acabo falando demais.

 

NANDA: Você tem que se desculpar. Você não tinha o direito de expor os dois daquela maneira.

 

PAULINHA: Mas nós estávamos entre amigos! E pra falar a verdade fiquei incomodada com o fato do Caio não e abrir com a gente.

 

NANDA: É direito dele. E você foi muito invasiva contando algo que ele não queria que ninguém soubesse.

 

PAULINHA: Ok. Tá certo. Eu vou falar com ele depois.

 

CAM vai buscar Pato e Diego no fundo da sala.

 

DIEGO: Fiquei sabendo o que rolou com a Lua. Que barra hein.

 

PATO: Pois é. Tu anda sumido, que que tá pegando?

 

DIEGO: Umas paradas aí.

 

PATO: Não quer se abrir?

 

DIEGO: Qual é rapá, tá me estranhando?

 

PATO: A Nanda foi lá em casa. Pedi desculpas.

 

DIEGO: Tu é muito zé mané mesmo hein. A mina fez o que fez e tu ainda acha que tem que se desculpar?

 

PATO: Quem começou essa parada toda foi a gente com aquele história de aposta. Eu nunca devia ter entrado na tua viu?

 

DIEGO: Ah, qual é, Pato! Vai dizer que não foi divertido?

 

PATO: Foi. Até eu perceber que a brincadeira só tem graça quando ambas as partes riem. O que a gente fez foi muito sério, cara. Sexo sem consentimento é estupro!

 

DIEGO: Tu tá chatão hein! A Nanda não já deu o troco no próprio acampamento? Já foi, cara, tá todo mundo zerado.

 

PATO: Não é bem assim. E eu acho que tu deveria se desculpar com as meninas.

 

DIEGO: E ficar pagando de otário? Mas é nunca! Tô nem aí pra elas, Pato. É como diz o filósofo contemporâneo: chumbo trocado não dói.

 

PATO: Que filósofo que diz isso, cara?

 

DIEGO: Eu!

 

Eles riem.

 

PATO: Não, ferra. Eu vou fazer mais uma tentativa. A Nanda merece.

 

DIEGO: Você que sabe, meu amigo. Essa humilhação aí, eu dispenso! Valeu, falou!

 

Pato balança a cabeça negativamente com a atitude do amigo. Quando Diego chega na porta para sair dá de cara com a professora Milena. Os meninos da sala começam a assoviar.

 

DIEGO: Será que eu morri e tô no paraíso?

 

MILENA: Vou fazer de conta que não ouvi. Sente-se no seu lugar.

 

DIEGO: Com todo prazer, fessora.

 

Diego dá meia volta, indo para o seu lugar.

 

MILENA: Abram a apostila na página 58.

 

Os alunos obedecem. Pato fica encarando Nanda que é atraída pelo olhar dele, mas disfarça imediatamente. Ismael observa a cena.

 

CENA 09. COSMÉTICOS LAMBERTINI. SALA LEONARDO. INT. DIA.

 

Leonardo e Amanda, semi nus, deitados no sofá de visitas. Ele de calça deitado no colo dela, apenas de sutiã, acaricia os cabelos dele.

 

AMANDA: Hoje foi maravilhoso. Você estava com um fogo.

 

LEONARDO: Você me deixa assim, mas temos que parar com isso.

 

AMANDA: Nem pensar, eu preciso de você.

 

Ele não gosta muito do que ouve.

 

AMANDA: Poderíamos fazer uma viagem. O que acha?

 

LEONARDO (levanta): Você está louca? Já disse que estamos indo longe demais. Isso tem que parar.

 

Leonardo veste a camisa.

 

AMANDA: Você não está gostando do que está rolando?

 

LEONARDO: A qualquer momento alguém pode descobrir que estamos tendo um caso. Já pensou se o Pato descobre? Já pensou se a minha mulher descobre? Eles não vão me perdoar nunca.

 

AMANDA: Eu ia adorar esfregar na cara da enjoada da sua mulher nosso caso.

 

LEONARDO: Nem pense em fazer uma coisa dessas, ouviu?

 

AMANDA: Por que não? Você nem gosta dela. Se gostasse, não estaria aqui comigo.

 

LEONARDO: Não é bem assim.

 

AMANDA: Eu sou muito melhor do que ela, confessa vai! Duvido que ela te faça sentir o que eu fiz agora a pouco. Esse seu casamento não tem futuro. Você ganha mais ficando comigo.

 

LEONARDO: Você não sabe nada do meu casamento.

 

AMANDA: O que eu sei é que eu to muito envolvida com você, Leonardo. Mas também sei que errado o que a gente tá fazendo. Você tem razão.

 

Começa a se vestir.

 

LEONARDO: Como assim?

 

AMANDA (finge): Não podemos mais fazer isso. Meu Deus, olha onde eu vim parar? Você é meu chefe. Eu não sou esse tipo de mulher. Eu nunca devia ter me deixado levar por esse desejo. Foi mais forte do que eu. Eu não posso me meter no seu casamento. Não tenho esse direito.

 

LEONARDO: Talvez seja melhor você pedir demissão.

 

AMANDA (surpresa): O que?

 

CENA 10. RESTAURANTE MIRTES. SALA. INT. DIA.

 

Mirtes está no balcão, distraída, enquanto Lulu fala pelos cotovelos.

 

LULU: Testamos cinco tipos de sobremesa, separei as melhores marcas de champanhe e o cardápio do jantar com o novo cozinheiro está incrível. Você precisa provar.

 

Lulu percebe a distância de Mirtes.

 

LULU: Mirtes? (T) Mirtes?

 

Lulu bate palma.

 

LULU: Mirtes?

 

Mirtes retorna.

 

MIRTES: Oi, Lulu. Desculpa, não tava ouvindo.

 

LULU: Está tudo bem?

 

MIRTES: Sim.

 

LULU: Não parece.

 

MIRTES: Impressão sua.

 

LULU: Eu te conheço, Mirtes. Sei quando está com problema.

 

MIRTES: Eu não finjo muito bem, não é mesmo?

 

LULU: Quer desabafar? Estou aqui para te ouvir.

 

MIRTES: Já falei que você além de funcionária é uma grande amiga?

 

LULU: Fico lisonjeada com esse elogio.

 

MUSIC ON: (BOMBA RELÓGIO - LUÍSA SONZA, VITÃO)

 

MIRTES: É meu casamento. Você acredita que a Paulinha me alertou sobre algo que eu não percebia?

 

LULU: É mesmo?

 

MIRTES: Por causa da demanda do trabalho, eu achava normal, e não percebia, mas o Rubens é distante da filha, o relacionamento entre os dois praticamente não existe, e para piorar, dificilmente ele me procura, to achando que ele tem outra ou então o amor acabou.

 

LULU: Poxa amiga, que triste. E o que você pensa em fazer?

 

MIRTES: Sinceramente eu não sei. Mas talvez seja melhor eu me separar desse homem.

 

Na surpresa de Lulu.

 

MUSIC OFF.

 

CENA 11. COSMÉTICOS LAMBERTINI. SALA LEONARDO. INT. DIA.

 

Continuação da cena 10.

 

AMANDA: Você tá me dispensando, é isso?

 

LEONARDO: Não torne as coisas mais difíceis.

 

AMANDA: Você usa e abusa de mim e agora vem com essa de “não torne as coisas mais difíceis”?    

 

LEONARDO: Você é namorada do meu filho.

 

AMANDA: Mas eu gosto é de você! Você é um homem de verdade e não o pirralho do seu filho!

 

LEONARDO (desconfia): Se não gosta dele, por que ainda estão juntos? Aliás, se você realmente gosta de mim porque ainda não terminou esse namoro fajuto? Qual o seu real interesse na minha família, menina?

 

AMANDA: O que você está insinuando? Que eu quero seu dinheiro? Você realmente não me conhece.

 

Ela força um choro. Leonardo se compadece.

 

LEONARDO: Não precisa chorar. Vai ser melhor pra nós dois esse distanciamento. Você aqui tão perto fica difícil controlar. Mas não precisa se preocupar, eu pago todos os seus direitos. Se quiser até banco seus estudos.

 

AMANDA: Eu não acredito que você tá fazendo isso comigo.

 

LEONARDO: Vai ser o melhor pra nós dois.

 

AMANDA: Eu nunca fui tão humilhada em toda minha vida.

 

O telefone toca. Amanda se apressa em atender.

 

AMANDA: Alô. (T) Só um instante.

 

Amanda aperta um botão no telefone.

 

AMANDA: É o senhor Rubens Trindade. Vai atendê-lo?

 

LEONARDO: Sim.

 

AMANDA: Vou arrumar minhas coisas.

 

Amanda se retira da sala. Leonardo suspira enquanto caminha até sua cadeira no momento em que Rubens entra.

 

RUBENS: Atrapalho?

 

LEONARDO: Imagina, Rubens. Estava apenas alinhando alguns assuntos com a secretária. Senta, por favor.

 

Rubens obedece. Leonardo faz o mesmo.

 

LEONARDO: Fiquei sabendo que os trabalhos na produtora foram encerrados, é verdade?

 

RUBENS: Sim, infelizmente foi um investimento que não deu muito certo.

 

LEONARDO: Você estava tão determinado. Era um projeto que você queria tirar do papel.

 

RUBENS: No mundo dos negócios há acertos e erros. Mas esse mercado é muito instável, foi um tiro no escuro.

 

LEONARDO: E o que te traz até aqui?

 

RUBENS: Até gostaria de ter vindo antes, não vim devido o acontecido com a Lua. Ela está bem?

 

LEONARDO: Na medida do possível. As consultas com a psicóloga tem ajudado bastante.

 

RUBENS: Se precisar de algo, pode contar comigo.

 

LEONARDO: Obrigado, Rubens. Mas então, com a sua saída do ramo da música, o que pretende?

 

RUBENS: Era exatamente sobre isso que gostaria de falar com você.

 

LEONARDO: Você tem feito muita falta no setor jurídico. A Lídia é ótima, mas nada se compara a sua experiência e prestígio. Se quiser voltar...

 

RUBENS: Fico lisonjeado.

 

LEONARDO: Então você aceita?

 

RUBENS: Claro que sim. Sempre fomos ótimos parceiros, não?

 

LEONARDO: Certamente. Então, bem-vindo de volta!

 

Leonardo estende a mão, Rubens aperta.

 

LEONARDO: De volta a parceria.

 

Ambos sorriem felizes.

 

CENA 12. COLÉGIO FRAN VICENTINI. DIREÇÃO. INT. DIA.

 

Ramiro entra na sala. Vê a mesa bagunçada, se aproxima e ajeita os papéis dispersos no local. Um som no notebook desperta a atenção dele. Ao olhar, ele lê uma mensagem:

 

RAMIRO: “Gato fogoso enviou uma mensagem”. O que é isso?

 

A porta é aberta. Juliana entra.

 

JULIANA: Ramiro, o que você faz aí?

 

RAMIRO: Estou arrumando sua mesa.

 

JULIANA: Quem autorizou?

 

RAMIRO: Os papéis estavam bagunçados. Pensei que não iria achar ruim. Me desculpe.

 

JULIANA: Esses papéis são relatórios. O fim do semestre letivo se aproxima e tenho que finalizar algumas demandas, então antes de mexer na minha mesa me consulte, ok?

 

RAMIRO: Tudo  bem.

 

JULIANA: Agora preciso que se retire, tenho que enviar um e-mail.

 

Ele se atrapalha e derruba alguns papéis.

 

RAMIRO: Mais uma vez, me desculpe.

 

Ramiro se abaixa para pegar os papéis.

 

JULIANA: Ramiro, se levanta, deixa que eu pego.

 

Ramiro levanta e se retira da sala. Juliana alcança os papéis. Um som é emitido do notebook.

 

MUSIC ON: (JULIANA - RAÇA PURA).

 

JULIANA: “Gato fogoso enviou uma foto”.

 

Juliana clica na conversa.

 

JULIANA: Gente, o que é isso, meu Braaaasil. O Rio de Janeiro está muito bem representado.

 

Juliana retira a blusa, ajuda a CAM.

 

JULIANA: É agora que eu vou retribuir.

 

CORTA PARA

 

CENA 13. COLÉGIO FRAN VICENTINI. CORREDOR DA DIREÇÃO. INT. DIA.

 

Ramiro limpando a maçaneta da porta da direção.

 

RAMIRO: Gato fogoso? O que será que a diretora está aprontando?

 

Ramiro tenta espiar pela maçaneta.

 

RAMIRO: Poxa não consigo ver nada. Ficarei de olho na diretora de agora em diante.

 

Ramiro termina de limpar a maçaneta e se retira do local.

 

MUSIC OFF.

 

CENA 14. COLÉGIO FRAN VICENTINI. SALA ENSINO FUNDAMENTAL. INT. DIA.

 

Arnaldo escrevendo no quadro. Os alunos copiando a matéria.

 

DJ: Beto.

 

BETO: Fala, mano.

 

DJ: E a Lua, você tem notícias dela?

 

BETO: Nada. Depois da barra que ela passou, até entendo ela não vir a aula.

 

DJ: Sim, bem tenso.

 

BETO: Você poderia ir lá fazer uma visita.

 

DJ: Será que ela me receberia?

 

BETO: Claro, cara. Diferente da Larissa que só me dá patada, a Lua é mó educada.

 

DJ: Não sei não, cara. Fico com medo de levar um fora.

 

BETO: Prefere ficar na dúvida?

 

Arnaldo para de copiar a matéria e olha para os meninos.

 

ARNALDO: Pelo visto o papo entre os dois está bom. Compartilhem com a turma.

 

DJ: Desculpe, professor.

 

ARNALDO: Depois não quero ouvir choros na prova.

 

O sinal do intervalo toca. Os alunos começam a se dispersar.

 

CENA 15. COSMÉTICOS LAMBERTINI. ANTESSALA. INT. DIA.

 

Leonardo se despede de Rubens e faz sinal para Amanda entrar. Ela se apressa, ENTRA e fecha a porta.

 

AMANDA: Me chamou?

 

LEONARDO: Sim, quero te pedir desculpas pela maneira como eu falei com você.

 

AMANDA (cabisbaixa): Foi muito grosseira.

 

LEONARDO: Eu repensei minha decisão. Você pode continuar trabalhando aqui na empresa.

 

AMANDA: Sério?

 

LEONARDO: Sim. Mas vamos parar de nos encontrarmos. A nossa relação de agora em diante será somente de trabalho.

 

AMANDA: Mas Leonardo/

 

LEONARDO: Sem mais Amanda, é isso ou nada.

 

AMANDA: Você tem certeza?

 

LEONARDO: Absoluta.

 

AMANDA: Já que eu não tenho outra escolha, tudo bem.

 

LEONARDO: Pode se retirar.

 

Amanda sai. Leonardo respira aliviado.

 

CORTA PARA

 

CENA 16. COSMÉTICOS LAMBERTINI. CORREDOR. INT. DIA.

 

Amanda vai até um bebedouro e coloca água no copo descartável, olhar distante.

 

AMANDA (PENSA): Se ele pensa que vai se livrar assim tão fácil, tá muito enganado. Se tudo tiver saído como o planejado, você nunca mais vai se livrar de mim, Leonardo.

 

Amanda acaricia a barriga, confiante.

 

CENA 17. COLÉGIO FRAN VICENTINI. SALA ENSINO FUNDAMENTAL. INT. DIA.

 

Arnaldo fazendo anotações no caderno. Os alunos concentrados em uma atividade. O sino toca.

 

ARNALDO: Depois do intervalo vocês continuam a atividade avaliativa. Não se esqueçam, eu não vou tolerar atrasos após o sino.

 

Os alunos se levantam.

 

DJ: E aí, vamos falar com as meninas sobre a Lua?

 

BETO: Sim, demorou. É agora ou nunca.

 

Eles se aproximam de Larissa e Andréia.

 

DJ: Oi meninas.

 

BETO: Hey.

 

ANDRÉIA: Oi, meninos.

 

BETO: Oi, Andréia. E aí, Larissa.

 

LARISSA (séria): Oi.

 

BETO: Vocês tem notícias da Lua?

 

LARISSA: Claro né, Beto. Nós somos amigas.

 

ANDRÉIA (sem graça): Larissa, não precisa falar assim com o Beto.

 

LARISSA: Me erra, Andréia.

 

BETO: Desculpe, Larissa, não queria te deixar chateada com a pergunta.

 

LARISSA: Mais alguma coisa? Eu preciso ir pro intervalo.

 

DJ: Estamos querendo visitar a Lua. Quando vocês forem podemos ir juntos?

 

ANDRÉIA: Claro/

 

LARISSA: Que não.

 

ANDRÉIA: Para de graça, Lari. Pode deixar meninos, nós avisamos vocês.

 

BETO: Obrigado, Andréia.

 

Eles saem.

 

LARISSA: Aff, garoto chato.

 

ANDRÉIA: Você também não colabora né, amiga?

 

LARISSA: Ele me deixa sem paciência.

 

ANDRÉIA: Acho que essa chatisse é falta.

 

LARISSA: Falta? Do que, menina?

 

ANDRÉIA: De beijar na boca.

 

LARISSA: To muito bem sozinha, obrigada.

 

Larissa sai.

 

ANDRÉIA: Ei, me espera.

 

CENA 18. COLÉGIO FRAN VICENTINI. CORREDOR DAS SALAS DE AULA. INT. DIA.

 

Diego caminha por entre os alunos quando recebe uma mensagem no celular.

 

DIEGO (lendo): “Pivete, o seu prazo para pagamento encerrou. De hoje não passa. Tá ligado no que vai acontecer se vier sem a grana né?”.

 

Diego guarda o celular no bolso.

 

DIEGO (tenso): Ferrou, como eu vou pagar essa dívida?

 

POV de Diego, um grupo de meninas jogando conversa fora. Uma delas mexe no celular e coloca no banco. Elas seguem conversando enquanto Diego se aproxima discretamente. O movimento entre alunos é intenso por ali. Diego passa sorrateiro e pega o aparelho, coloca na jaqueta e sai sem ser percebido. As meninas seguem conversando até que a dona do celular percebe que o aparelho não está mais lá. Elas ficam procurando. Diego já se distanciou.

 

CENA 19. COLÉGIO FRAN VICENTINI. VESTIÁRIO MASCULINO. INT. DIA.

 

Diego chega afobado, abre o armário e ao retirar o celular do bolso é flagrado por Pato.

 

PATO (estranha): Que celular é esse?

 

DIEGO: Que celular?

 

PATO: Esse que tá na sua mão uai.

 

DIEGO: Ah! É… É da minha avó. Ela pediu pra eu levar pra consertar.

 

PATO: Sua vó usa Iphone?

 

Diego guarda o celular no bolso.

 

DIEGO: Ué e qual o problema?

 

PATO: Nenhum, mas ce tá bravo?

 

DIEGO: Não, de boa.

 

PATO: Hum.

 

DIEGO: Vou lá.

 

Diego sai apressado. Pato estranha.

 

PATO: Se eu não te conhecesse, diria que tá aprontando alguma, Diego.

 

Pato sai logo em seguida.

 

CENA 20. COLÉGIO FRAN VICENTINI. BIBLIOTECA. INT. DIA.

 

Caio e Grego estão sentados numa mesa fazendo um trabalho. De longe, Nanda e Paulinha os observa.

 

PAULINHA: Olha lá, os dois. Mataram as duas primeiras aulas e estão na biblioteca.

 

NANDA: Eles estão tentando se esconder da gente. Depois do climão que você causou lá em casa é normal né.

 

PAULINHA: Você nunca vai me perdoar por isso?

 

NANDA: Só depois que vocês se acertarem. Você precisa se desculpar.

 

PAULINHA: Eu já falei que vou, sua chata. To só esperando o momento certo.

 

NANDA: E quando vai ser esse momento?

 

PAULINHA: Só sei que não vai ser agora. Ai, miga, foi tão estranho ver eles se beijando no acampamento.

 

NANDA: Ai, Paulinha, pelor amor de Deus, longe de mim com essa homofobia tá. O Caio e o Grego são atualmente nossos melhores amigos.

 

PAULINHA: Não é isso. É que ele nunca se abriu com a gente né.

 

NANDA: Eu acho que eles formam um lindo casal. Fofos.

 

PAULINHA: Ainda acho que ele deveria ter nos contado.

 

NANDA: Não deve ser fácil, amiga. Você se esqueceu a pressão que ele vive em casa?

 

PAULINHA: Por esse lado eu o entendo. E até acho que deveríamos ter sido mais espertas. Vê só, enquanto eu, você, Pato e Diego sempre soubemos de um rolo ou outro de alguém, do Caio nunca ninguém soube nada, sempre muito discreto.

 

NANDA: É. Mas não vamos julgar.

 

PAULINHA: Não to. Adoro o Caio. Mas preciso terminar com ele.

 

NANDA: Que?

 

PAULINHA: É, amiga. Chega desse namoro fake. Isso só me afasta do Diego.

 

NANDA: E não era esse o objetivo?

 

PAULINHA: Odeio admitir, mas gosto daquele garoto problema.

 

MUSIC ON: (AMORES IMPERFEITOS - ANAVITÓRIA)

 

NANDA: Ce tá brincando né? Você se esqueceu o que ele e o Pato fizeram com a gente?

 

PAULINHA: Claro que não. E isso me deixa ainda mais irritada. Você acha que eu gosto de me sentir assim?

 

NANDA: No fundo eu te entendo. Não paro de pensar no idiota do Pato.

 

PAULINHA: Por que a gente não pode mandar no que sente? Por que não podemos escolher de quem gostar?

 

NANDA: Tá tudo tão confuso. De uns tempos pra cá muita coisa mudou.

 

PAULINHA: É.

 

NANDA: Sinto falta dos momentos que vivemos juntos. Lembra daquela viagem que fizemos pra Angra?

 

PAULINHA: Como esquecer! Foi quando eu e Diego ficamos pela primeira vez.

 

NANDA: E aquela festa na casa do Pato? Você bebeu tanto que foi parar no hospital.

 

PAULINHA: Aquilo foi punk. O pior poderia ter acontecido.

 

NANDA: Nem gosto de pensar nisso. Ainda bem que tenho você aqui comigo.

 

PAULINHA: De sempre.

 

NANDA: Pra sempre!

 

Elas se abraçam, emocionadas.

 

PAULINHA: Mas chega dessa melação!

 

NANDA: É. O que passou, passou. O Pato e o Diego fizeram as escolhas deles. A gente precisa andar pra frente.

 

PAULINHA: É isso aí.

 

MUSIC OFF.

 

CENA 21. COLÉGIO FRAN VICENTINI. PÁTIO. EXT. DIA.

 

Mostra a fachada da escola. Ramiro dá um comunicado a todos através da rádio escolar.

 

RAMIRO (O.S): Atenção, alunos! Recebemos a informação de que uma das aulas no ensino médio teve seu aparelho celular furtado nas dependências da escola, durante o intervalo. Em razão disto, todos os alunos serão revistados até o fim das aulas de hoje. Individualmente, cada aluno deverá se direcionar a diretoria para a revista, a começar pelas turmas do ensino médio. Enquanto isso, as aulas seguirão normalmente. Alertamos que este episódio lamentável deve restringir-se às dependências da instituição e em hipótese alguma deverá ser divulgado fora da escola. Agradece a direção!

 

CENA 22. COLÉGIO FRAN VICENTINI. SALA DO ENSINO MÉDIO. INT. DIA.

 

Diego entra preocupado.

 

DIEGO: Droga! Vão me pegar!

 

Ele anda pela sala meio atordoado.

 

DIEGO: Já sei.

 

Diego se dirige até a mochila de Ismael e coloca o celular dentro no momento em que Pato chega.

 

PATO: Foi você, não foi? Você roubou o celular, Diego?!

 

Em Diego, encurralado.

 

Encerra com a música: DEPOIS DA MEIA-NOITE - CAPITAL INICIAL

 
     

 

     


autores
GABO OLSEN
DIOGO DE CASTRO

colaboração
IGOR FEIJÃO

elenco
NICOLAS PRATTES como PATO
ALICE WEGMANN como NANDA
JOSÉ VICTOR PIRES como DIEGO
LETÍCIA NAVAS como PAULINHA
JOÃO VITHOR OLIVEIRA como CAIO
LARISSA MANOELA como LUA
ERIBERTO LEÃO como LEONARDO
TALITA CASTRO como KÁTIA
JUAN ALBA como HEITOR
CAROLINA FERRAZ como SELMA
ÂNGELA LEAL como NANÁ
JANDIR FERRARI como MARCELO
ÂNGELA DIP como ESTELA
DALTON VIGH como RUBENS
LUCIANA VENDRAMINI como MIRTES
FILIPE BRAGANÇA como GREGO
LUCAS COTRIM como DJ
RAISSA CHADDAD como LARISSA
NICHOLAS TORRES como RICARDO
HESLAINE VIEIRA como ANDRÉIA
GABRIEL SANTANA como ISMAEL
CARLA FIORONI como JULIANA
MARCELLO AIROLDI como ARNALDO
VERA ZIMMERMANN como LÚCIA
SANDRA PÊRA como VANICE
WAGNER SANTISTEBAN como ALFREDO
MARISOL RIBEIRO como MILENA
JIDDÚ PINHEIRO como RAMIRO
FERNANDO PAVÃO como EMÍLIO
MARIANNA ARMELLINI como LULU
HALL MENDES como BETO

trilha sonora
NEVER LET ME GO - ALOK, BRUNO MARTINI, ZEEBA (abertura)
NAKED - JAMES ARTHUR
MEU ABRIGO - MELIM
ANIMALS - MARRON FIVE
BOMBA RELÓGIO - LUÍSA SONZA, VITÃO
JULIANA - RAÇA PURA
AMORES IMPERFEITOS - ANAVITÓRIA
DEPOIS DA MEIA-NOITE - CAPITAL INICIAL

produção

BRUNO OLSEN
CRISTINA RAVELA


Esta é uma obra de ficção virtual sem fins lucrativos. Qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações da vida real terá sido mera coincidência.


REALIZAÇÃO


Copyright
© 2019 - WebTV
www.redewtv.com
Todos os direitos reservados
Proibida a cópia ou a reprodução
.aaa.
.aaa.
Compartilhe:

Capítulos de Estações da Vida

Drama

Estações da Vida

No Ar

Novela

Teen

Comentários:

0 comentários: