Passos da Paixão - Capítulo 03 - WebTV - Compartilhar leitura está em nosso DNA

O que Procura?

HOT 3!

Passos da Paixão - Capítulo 03

Novela de Édy Dutra
Compartilhe:
Troque a Fonte Aqui



 

PASSOS DA PAIXÃO - CAPÍTULO 03

 
 
 
 
 
 
NO CAPÍTULO ANTERIOR:
 

ROSANA: - Se eu disser pra você que sou estilista, você acredita?

(sobe trilha “Me Segura” – Eduardo Dussek) Mauro se mostra surpreso.

MAURO: - Você?

ROSANA: - Eu faço lindos croquis, mas nunca mostrei pra ninguém.

MAURO: - É mesmo?

ROSANA: - A gente pode marcar um novo encontro e eu te levo o meu trabalho. Tenho certeza de que eu sou o talento que você está procurando.

Mauro se mostra interessado. Retira do bolso do paletó um cartão e entrega para Rosana.

MAURO: - Amanhã pela manhã, no meu escritório.

ROSANA: - Estarei lá, pode aguardar.

Rosana estende a mão para Mauro, que a cumprimenta. Ele a encara, sedutor. Rosana o fita, levanta da mesa e vai embora.

...

Sílvia sai. (sobe trilha “Infiltrado” – Bajofondo) Rosana espera ela entrar no quarto e começa a vasculhar os croquis. Pega quatro desenhos, dobra e coloca dentro da bolsa, rapidamente.

...

SÍLVIA: - Ele tem um detalhezinho dourado, mas é pouca coisa. Bem discreto, perfeito pra uma entrevista.

ROSANA: - Tá ótimo! (pega o vestido) Bem o meu número! Muito obrigada, Silvinha! Você é um anjo na minha vida!

SÍLVIA: - Imagina! O que você precisar pode contar comigo.

ROSANA: - E você, fazendo desenhos ainda?

SÍLVIA: - Me distraindo um pouco. Depois tenho que voltar para as minhas costuras. Tenho três calças pra entregar.

ROSANA: - Não vou atrapalhar você. Valeu mesmo amiga!

Rosana sai. Sílvia volta para os desenhos, nem percebe que faltam alguns. (fade in trilha “Infiltrado” – Bajofondo) Do lado de fora, Rosana vai saindo.

ROSANA: - Até parece que eu vou usar essa coisa brega amanhã... Já tenho o que eu preciso.

...

Rosana tira da bolsa os croquis de Sílvia e entrega para Mauro, que fica impressionado.

MAURO: - Eis os croquis!...

Rosana observa a reação de Mauro.

MAURO: - São seus mesmo?

ROSANA: - Sim, todos meus. E então, gostou?
Rosana encara Mauro.

 

 

 

CENA 01. CASA SÍLVIA. SALA. INT. NOITE.

Continuação do capítulo anterior. Rosana aguarda a resposta de Mauro. 

ROSANA: - E então, gostou dos meus desenhos? 

Mauro analisa os croquis. 

MAURO: - Você consegue passar uma leveza incrível. Seus traços são belíssimos. E esse jogo de cores, sensacional.

ROSANA: - Obrigada!...

MAURO: - Amanhã eu quero você aqui novamente, com novos desenhos para apresentar à direção.

ROSANA (empolgada): - É mesmo?!

MAURO: - Por mim, você já é a nova contratada da Gonzales Fashion.

Rosana se mostra esperançosa.

ROSANA: - Nossa, Mauro, eu nem sei como agradecer esse apoio.

MAURO: - Você é que está me ajudando, me trazendo esses croquis fantásticos. Tenho certeza que a GF vai fazer um belo trabalho com os seus desenhos.

ROSANA (levanta-se): - Bem, então, nos veremos amanhã novamente.

MAURO (levanta-se): - Claro. Quero dizer, poderemos nos ver hoje ainda, se você quiser.

ROSANA: - Hoje?

MAURO: - Um amigo meu vai abrir um restaurante, hoje à noite. Se quiser me acompanhar, ficarei honrado.

Rosana encara Mauro, sorri.

ROSANA: - Honrada fico eu com o convite, mas, infelizmente hoje eu não poderei... Desculpe.

MAURO: - Não precisa se desculpar, eu é que estou sendo inconveniente demais.

ROSANA (aproxima de Mauro): - Você está sendo um cavalheiro. Raro são os homens assim hoje em dia.

Os dois ficam a se olhar, cara a cara. Silêncio na sala, clima no ar. De repente, a secretária entra no local.

SECRETÁRIA: - Com licença, doutor Mauro, a reunião com o setor de vendas é daqui a 5 minutos.

MAURO: - Obrigado!

A secretária sai.

ROSANA: - Bom, vou indo. Não quero atrapalhar o seu trabalho.

MAURO (estende a mão): Tudo bem. Até amanhã.

ROSANA (beija Mauro no rosto / fala sensual): - Até amanhã.

Rosana sai. Mauro fica com sorriso no rosto, pensativo.

CENA 02. CASA MARÍLIA. QUARTO MARÍLIA. INT. DIA;

Marília se organiza para sair. Amália está no quarto, sentada na cama da irmã.

AMÁLIA: - E então, como foi o jantar com o Gustavo?

MARÍLIA: - Maravilhoso! Ele me levou num restaurante tão fino, Amália!... Lindo. Foi demais.

AMÁLIA: - E ele buscou você na agência? Aposto que as outras modelos se morderam de inveja quando viram ele chegando com aquele carrão...

MARÍLIA: - Não, ele não foi. Eu que fiz uma surpresa e fui até o escritório dele. Mas depois eu até me arrependi...

AMÁLIA: - Vai dizer que o Gustavo não gostou da surpresa?

MARÍLIA: - Ele adorou!... Mas o Bruno estava lá.

AMÁLIA: - Nada fora do normal, né, Marília? Ele é sócio na empresa.

MARÍLIA: - Mas você sabe como o Bruno é, Amália.

AMÁLIA: - Sei... Deu em cima de você, de novo.

MARÍLIA: - Será que ele não se toca que eu estou com o Gustavo? Que eu amo o Gustavo?!

AMÁLIA: - O Bruno ainda não esqueceu vocês dois. E pelo visto, nem você esqueceu também. Tá toda nervosinha.

MARÍLIA: - Amália, não começa ta?

AMÁLIA: - O Bruno nunca foi o mais bonito, o mais interessante. E quando eu falo interessante, eu falo financeiramente.

MARÍLIA: - Tá querendo dizer que eu estou com o Gustavo por interesse, é isso?! Tem noção da besteira que você está dizendo?

AMÁLIA: - Besteira fiz eu, que não me atinei em pegar um homem assim.

MARÍLIA (encara Amália): - Você está de olho no Gustavo é? Será que você não pode me deixar viver em paz, com as minhas escolhas? Tudo que é meu você quer, Amália!

AMÁLIA: - Não é verdade!

MARÍLIA (se exalta): - É verdade sim!... Ou pensa que eu não lembro de você se oferecendo para o Bruno quando a gente namorava? Você nunca se conformou de eu ter sido escolhida pelos dois rapazes mais legais, mais bonitos, mais desejados da escola.

AMÁLIA (levanta-se): Você não sabe do que está falando, Marília. Não sabe de nada.

MARÍLIA: - Você sempre me invejou, Amália. E eu sinto pena de você por isso. Espero que a gente possa ser amiga de verdade uma da outra, sem esse rancor que você carrega aí dentro do peito.

AMÁLIA: - Eu não tenho inveja de você, Marília. Sei que a minha hora vai chegar. E você vai ver.

Amália vai embora. Marília fica pensativa.

CENA 03. ÁUREA CALÇADOS. SALA FERNANDO. INT. DIA.

Tarso e Fernando conversam.

TARSO: - A Sandra disse que sua mãe já escolheu a decoração para o casamento.

FERNANDO: - Sim, ela comentou comigo ontem, no jantar.

TARSO: - Desculpa a minha observação, mas pelo o que eu vejo a sua mãe está mais empolgada com esse casamento do que você e a Raquel.

FERNANDO: - Não precisa se desculpar, Tarso, porque o que você está dizendo é verdade... Eu e a Raquel gostamos muito um do outro, mas não sei se se trata de amor, sabe? Aquele verdadeiro... Esse casamento é mais mesmo coisa da minha mãe.

TARSO: - Mas vocês já não falaram isso pra ela?

FERNANDO: - E você acha que dona Maria Helena escuta alguma coisa? Mas sei lá, por um lado acho que ela ta certa. Essa criança que vai nascer vai precisar ter um pai e uma mãe do lado. Tenho certeza que a Raquel vai ser uma ótima mãe.

TARSO: - Ela continua dançando?

FERNANDO: - Não, pelo menos por enquanto, recomendações médicas...

TARSO: - Ela é uma boa menina. Espero que vocês continuem assim, se dando bem. No casamento, mesmo que não haja esse amor verdadeiro, com o tempo, se aprende a amar. E tendo amor, tudo fica bem.

CENA 04. APTO VALQUÍRIA. INT. DIA.

Raquel abre a porta do apartamento de Valquíria, e se assusta ao ver a sala toda bagunçada.

RAQUEL: - Meu Deus! (grita) Val?! Valquíria?!

Raquel vai para o quarto e encontra desacordada na cama, com remédios em volta.

RAQUEL: - Valquíria!

Raquel se desespera, tenta acordar a amiga.

RAQUEL (com Valquíria nos braços): - Val! Fala comigo, Val!

VALQUÍRIA (zonza): - Raquel... Voltou pra morar comigo?

RAQUEL: - Não (pausa) O que você fez, Val?!

VALQUÍRIA: - Ele me deixou, Raquel. Mas vai voltar... Se você não veio ficar, ele vai voltar...

Valquíria desmaia. Raquel, preocupada, pega o telefone e disca.

RAQUEL: - Alô? Marcelo?! Sou eu, Raquel. Você precisa me ajudar! É urgente!

CENA 05. BAR DO NOEL. INT. / EXT. DIA.

Sílvia conversa com Janice.

SÍLVIA: - Fiquei tão feliz que a Rosana conseguiu uma entrevista de emprego.

JANICE: - Que bom, não é Silvinha? Porque cá pra nós aqui... Rosana nunca foi do batente.

SÍLVIA: - Ela é um pouco preguiçosa sim. Mas acho que está mudando. Foi lá em casa pegar uma roupa emprestada e tudo. Tomara que dê certo.

JANICE: - Falando em dar certo, eu vou lá atrás pegar as minhas blusas. Quero que você dê um jeito, porque estão muito grandes. E eu, graças a Deus, emagreci alguns quilinhos. (risos) Faz uns reparos pra mim?

SÍLVIA: - Faço sim!

JANICE: - Volto logo!

Janice sai. Sílvia fica na mesa do bar, observando as pessoas na rua, quando vê, ao longe, Júlio conversando com um rapaz “mal encarado”. O homem dá uma prensa em Júlio e vai embora. Sílvia sai do bar vai até Júlio.

SÍLVIA: - Júlio, o que aconteceu? O que aquele cara queria?

JÚLIO; - Silvinha? Anda me seguindo é?

SÍLVIA: - Eu estava no Bar do Noel e vi aquele cara te pressionando. O que foi?

JÚLIO: - Nada não.

SÍLVIA: - Me fala, Júlio!

JÚLIO: - Ele é um agiota, está me cobrando... Eu precisei pegar dinheiro há um tempo pra poder pagar o aluguel do quartinho onde estou, mas agora estou sem grana de novo.

SÍLVIA: - Como assim, sem grana? E o dinheiro que eu te dei? Já gastou tudo?

JÚLIO: - Eu não sei! Eu... Eu perdi o dinheiro.

SÍLVIA: - Perdeu?! Júlio você é louco?

JÚLIO: - Calma!... Mas eu sei onde deixei.

SÍLVIA: - Então porque não pega lá e se livra desse cara no seu pé de uma vez!

JÚLIO: - Não se mete, Silvinha. Eu sei o que estou fazendo.

SÍLVIA (segura o braço de Júlio): - Me espera no beco hoje à noite.

JÚLIO: - Silvinha, você já me ajudou demais!

SÍLVIA (firme): - Júlio! Me encontra lá, hoje à noite. Não falta, por favor!

Os dois ficam a se olhar por um instante. Sílvia solta o braço de Júlio, que vai embora. Sílvia o observa partir.

CENA 06. APTO VALQUÍRIA. QUARTO. INT. DIA.

Valquíria deitada na cama, sendo encarada por Raquel e Marcelo, lado a lado.

MARCELO: - Você ficou louca, Valquíria?!

VALQUÍRIA: - Eu sou louca por você, Marcelo. Só quero você do meu lado, só isso.

MARCELO: - Se matando, só vai me ter do seu lado no céu!

RAQUEL: - Ainda bem que o rapaz da farmácia disse que esses remédios aqui, não causam nada mais grave... Você poderia ter ido parar num hospital.

VALQUÍRIA: - Eu só quero parar é nos braços do meu amor... Marcelo esquece ontem à noite, querido. Fica comigo.

MARCELO: - Val, eu já disse que não dá. Eu to em outra... Por favor, não faz mais nenhuma loucura, porque eu não vou vir mais aqui. Vim mesmo porque a Raquel me ligou desesperada. Poxa, sua amiga ta grávida e você dando esse susto aí?

RAQUEL: - Agora é bola pra frente amiga. Nem sempre aquilo que a gente idealiza num relacionamento acontece...

VALQUÍRIA: - Mas e o meu amor?! Onde fica o meu sentimento? Eu só sou feliz ao teu lado, Marcelo! (salta da cama, se agarra em Marcelo) Não me deixa, por favor!

MARCELO (se solta de Valquíria): - Não Val... Vamos terminar como amigos, é melhor assim. Para nós dois.

Marcelo encara Valquíria, vai embora. Ela ameaça ir atrás dele, mas Raquel a impede.

RAQUEL: - Chega, Val! Acabou...

(sobe trilha “À Francesa” – Marina Lima) Valquíria senta na cama, chora. Raquel a abraça, consolando a amiga.

RAQUEL: - Não fica assim, amiga...

VALQUÍRIA (chorando): - É o pior dia da minha vida...

(fade out trilha “À Francesa” – Marina Lima)

CENA 07. MANSÃO LINHARES. SALA DE ESTAR. INT. DIA.

Maria Helena e Orestes conversam, sentados no sofá. Ele lendo jornal, enquanto ela folheia uma revista.

MARIA HELENA: - E eu já ia esquecendo que hoje é a festa da Selma Albuquerque. Tem aqui uma nota na revista. (lê) “E a charmosa casa de Selma e Gilson Albuquerque estará aberta hoje à noite, para receber seus convidados na inauguração do seu novo jardim”. Por favor, que coisa brega! Inaugurar jardim! (risos)

ORESTES: - As pessoas são felizes assim, Maria Helena. Uns inauguram jardins, outros casam os filhos...

MARIA HELENA: - Sua indireta não vai me atingir, Orestes.

ORESTES: - Nem disse nada... (risos)

Estér vai descendo as escadas, indo em direção à porta da casa.

MARIA HELENA: - Vai pra onde, Estér?

ESTÉR: - Dar uma volta, depois encontrar uns amigos.

MARIA HELENA: - Amigos é? Sei...

ESTÉR: - Sim, mamãe. Amigos. Sabe o que é isso? Acho que não.

ORESTES: - Vocês duas não vivem sem alfinetadas.

MARIA HELENA: - Hoje à noite iremos todos à festa da Selma Albuquerque. Estou a fim de dar umas risadas mesmo.

ESTÉR: - Eu não irei. Já tenho compromisso.

MARIA HELENA: - Qual a parte do todos, que você não entendeu, Estér?

ESTÉR: - Eu sei que você não faz questão nenhuma que eu vá nessa festa, mãe. Não precisa ficar me cobrando. E pode ter certeza que eu estou te fazendo um grande favor ficando longe de você num evento assim. Sei que não iria gostar nem um pouco das minhas opiniões nas rodinhas de conversa.

MARIA HELENA: - Você tem opiniões, Estér? (irônica) Nossa, que surpresa boa! Viu Orestes? Sua filha tem opiniões!

ESTÉR: - É por causa desse seu deboche que eu prefiro não ir pro mesmo lugar que vocês. (saindo) To saindo pai, beijo!

ORESTES: - Se cuide, minha filha.

Estér sai.

MARIA HELENA: - Garota abusada.

ORESTES: - Você também adora provocar.

MARIA HELENA: - Vou ler minha revista que eu ganho mais...

CENA 08. CASA ROSANA. EXT. DIA.

Rosana vai chegando em casa, carregada de compras de lojas de grife, quando se depara com Júlio parado em frente ao seu portão.

ROSANA: - O que você está fazendo aqui?

JÚLIO: - Eu vim buscar o que é meu!

ROSANA: - Não tem nada seu aqui, Júlio. Vai embora.

JÚLIO: - Fazendo compras, hein! Com que dinheiro?

ROSANA: - Não se mete na minha vida, cara! Sai logo daqui, senão eu grito.

JÚLIO (firme): - Grita, grita bem alto. Mas cuidado, porque eu posso gritar mais alto que você, te chamando de ladra!

ROSANA: - Só pode estar ficando louco! (vai passando por ele)

JÚLIO (segura Rosana pelo braço): - Pensa que eu não sei que você me roubou?! Como você é baixa, Rosana!

ROSANA: - Me solta! Tá me machucando!

JÚLIO: - Devolve o meu dinheiro! Se é que sobrou alguma coisa... Senão eu te levo em loja por loja onde você comprou essas porcarias e faço você devolver tudo!... Anda logo!

Rosana se solta de Júlio e o empurra. Júlio cai no chão, na calçada. As pessoas passam, ficam olhando.

ROSANA (fala alto): - Você não vai fazer nada comigo nem com as roupas que eu comprei com meu dinheiro!

JÚLIO: - Mentira! Esse dinheiro é meu!

ROSANA: - Que seu, Júlio? Não tem nem vergonha na cara! E vê se eu tenho cara de ficar chutando cachorro morto na rua?

Júlio se envergonha. As pessoas comentam.

ROSANA: - E não me aparece mais aqui, me pedindo coisas, safado! Fica longe de mim!

Júlio percebe que alguns caras o observam. Ele encara Rosana com ódio. Levanta do chão, calmamente e vai embora.

ROSANA: - Isso vá!...

Rosana observa Júlio se afastando.

ROSANA: - Ai Júlio, tão bonitinho, mas tão sem nível... Agora eu estou indo rumo às estrelas! Não posso ficar me envolvendo com os micróbios...

CENA 09. AGÊNCIA DE MODELOS. ESTÚDIO. INT. DIA.

Marília conversa com Fábio, após a seção de fotos.

MARÍLIA: - Semana de moda de Milão?

FÁBIO: - Embarco daqui a dois dias. Nem acredito! Amo Milão!

MARÍLIA: - Foi a única cidade que eu não estive, quando fui pra Europa. Aproveita muito por mim, amigo!

Ivan entra no local.

MARÍLIA: - Ivan?

IVAN: - Oi Marília! (aproxima-se)

MARÍLIA: - O que está fazendo aqui? Veio posar também?

IVAN: - Não, eu fui chamado para um teste para ser fotógrafo da agência.

MARÍLIA: - É sério?!

FÁBIO: - Eu ouvi dizer que iriam fazer testes mesmo. Parece que o Lauro e o Roger, os fotógrafos “mais mais”, estão indo pra Nova York.

MARÍLIA: - Que tudo! Então quer dizer que você irá trabalhar aqui na agência também! Ótimo!

IVAN: - Ainda não sei... Vai depender do meu desempenho no teste.

MARÍLIA: - Ivan, você é ótimo! Tenho certeza que vai se dar bem.

FÁBIO: - Mas se prepara, porque sendo modelo ou não, quem trabalha no mundo da moda não para nunca!

Os três seguem conversando, animados.

CENA 10. TRANSIÇÃO DO TEMPO. ANOITECER / CASA SÍLVIA. SALA / QUARTO. INT. NOITE.

Imagens do Rio de Janeiro ao anoitecer. Corta para a casa de Silvinha. Sílvia está fazendo a costura em uma blusa, quando Rosana entra em sua casa.

ROSANA: - Com licença!

SÍLVIA: - Oi! Entra Rosana! (para de costurar) E então, como foi?

ROSANA: - Primeiro, eu vim devolver o seu vestido. Valeu pela ajuda, amiga.

SÍLVIA: - Não precisa agradecer não. Sei que você faria o mesmo por mim. Agora me fala, como foi lá a entrevista?

ROSANA: - Foi ótima! Acho que eu tenho chances! Passei pra segunda etapa. Amanhã eu preciso estar lá no escritório de novo.

SÍLVIA: - Ai Rosana, que coisa boa!

Sílvia abraça Rosana, que finge gostar. Se afastam. Rosana deixa o vestido no sofá.

SÍLVIA: - Mas você não vai precisar dele pra amanhã?

ROSANA: - Na verdade, eu precisaria de outra roupa né? Não posso voltar lá com o mesmo vestido. A empresa é fina, Silvinha... Todo mundo lá impecável.

SÍLVIA: - Espera aí então. Eu vou ali na casa da Janice devolver as blusas dela que eu dei uns reparos, e quando eu voltar, a gente dá um jeito na sua roupa pra amanhã.

ROSANA: - Silvinha, não precisa, eu me viro amiga (pausa)

SÍLVIA: - Não, não! Espera aí que eu volto logo!

Sílvia coloca as blusas numa sacola e sai. Rosana fica sozinha na sala. (sobe trilha “Infiltrado” – Bajofondo)

ROSANA: - Que roupa o quê! Essas coisas bregas. Eu quero os desenhos... Onde será que ela esconde esses croquis?

Rosana começa vasculhar a sala da casa, para de repente.

ROSANA: - No quarto!

Rosana vai para o quarto de Sílvia. Ao chegar ao local, que está todo organizado, bem arrumado, Rosana começa a vasculhar. Escrivaninha, sapateira, abre o guarda-roupas. (fade out “Infiltrado” – Bajofondo)

CENA 11. CASA GILSON E SELMA. INT / JARDIM. EXT. NOITE.

CAM abre plano sobre um jardim decorado. Espaço é grande, com mesas ao longo do gramado. Luzes iluminam o ambiente sofisticado, que tem ainda uma vasta piscina. Muitas pessoas compareceram à festa na casa de Gilson e Selma. Convidados bem vestidos, gente da alta sociedade. Um pequeno palco foi montado, onde músicos (uns 4, traje social) tocam bossa nova instrumental.

Em um dos pontos da festa, sentadas à mesa, Maria Helena e Sandra conversam.

SANDRA: - Que bom que o Fernando trouxe a Raquel também.

MARIA HELENA: - Eu também gostei. É bom sair, ver gente bonita... Se bem aqui, gente bonita está em falta.

SANDRA (contém o riso): - Maria Helena, só você mesmo.

MARIA HELENA: - A começar pela própria anfitriã. O que é a roupa dela, Sandra? É carnaval e ninguém me falou nada?

Sandra disfarça o riso. Em uma rodinha, Selma conversa animada, trajando um vestido brilhoso de paetê azul turquesa, com detalhes de plumas de pavão. Selma vai até à mesa de Maria Helena e Sandra.

SELMA: - E então meninas, estão gostando do evento?

MARIA HELENA: - Tudo ótimo, Selma. Belo jardim também.

SELMA: - Obrigada, Maria Helena! Meu sonho era ter um jardim ainda maior, mas o Gilson é meio muquirana. Esses homens, sempre pensando em economizar. Dinheiro é feito pra gastar! (risos)

SANDRA: - Eles sempre controlando nossas vontades. Mas você soube investir muito bem, Selma, está tudo ótimo.

SELMA: - Muito obrigada! Fiquem à vontade!

Selma se afasta. Maria Helena e Sandra trocam olhares. Enquanto isso, em outro ponto da festa, Fernando, Raquel e Valquíria conversam.

RAQUEL: - E então, Val, ta gostando?

VALQUÍRIA: - Eu tenho que falar a verdade?

RAQUEL: - É bom que diga...

VALQUÍRIA: - Eu gosto mais de uma danceteria. (risos)

FERNANDO: - Eu também, Val. Seria ótimo uma música mais animada.

RAQUEL: - Gente, é música clássica, às vezes rola uma MPB. Tá ótimo.

FERNANDO: - Pra você que é dançarina, ta bom. Pra gente que gosta de mexer o esqueleto de verdade, ta um tédio.

VALQUÍRIA: - Concordo, Fernando. Só bebendo pra aguentar... Falando nisso, vou pegar um champanhe.

Valquíria se afasta.

RAQUEL: - Ainda bem que ela aceitou vir. Fiquei com medo que ela fizesse outra loucura.

FERNANDO: - Pois é. Mas ela me parece ótima. Acho que superou.

CENA 12. VILA ISABEL. CASA JANICE. EXT/ BECO. INT. NOITE.

Sílvia entrega a sacola para Alceu, no portão da casa.

SÍLVIA (apressada): - Entrega pra Janice, Alceu, por favor. As blusas dela, todas ajustadas.

ALCEU: - Pode deixar, Silvinha. Ela já acertou os valores contigo?

SÍLVIA: - Tudo certinho já.

ALCEU: - Desculpa a pergunta, Silvinha, mas aconteceu alguma coisa? Você parece preocupada, ansiosa...

SÍLVIA: - Imagina, não tem nada não... Preciso ir agora. Boa noite!

ALCEU: - Boa noite! E obrigado!

Sílvia caminha apressada pela rua. Ela chega até o beco. Entra. Aguarda ansiosa. De repente, uma mão toca seu ombro. Sílvia se vira rapidamente, assustada. É Júlio.

SÍLVIA: - Ai Júlio! Por que não me chamou?

JÚLIO: - Desculpa...

SÍLVIA: - Tudo bem...

Sílvia retira do bolso da calça um maço de dinheiro. Oferece para Júlio.

SÍLVIA: - Toma.

JÚLIO: - Não é certo isso. Você ficar tirando o seu dinheiro, das suas costuras, da sua poupança, que seus pais deixaram pra você. Silvinha, não tá certo.

SÍLVIA: - Não ta certo ajudar quem se ama?

(sobe trilha “Doce Castigo” – Nana Caymmi) Sílvia e Júlio ficam se olhando. Silêncio por um instante. (baixa trilha)

JÚLIO: - Acontece que...

SÍLVIA (interrompe): - Não ta certo eu querer bem o homem com o quem eu sonho todas as noites? O homem que eu desejo que me faça sua mulher? Não ta certo, Júlio, cometer essas loucuras por amor?

JÚLIO; - Não ta certo quando só uma pessoa ama nessa história.

Sílvia se cala, um tanto decepcionada.

JÚLIO: - Silvinha, eu não posso ficar com você. É duro dizer isso, mesmo diante da ajuda que você está me dando, mas... Eu não amo você.

SÍLVIA: - E quem você ama afinal? Quem? A Rosana?

JÚLIO (firme): - Isso mesmo! Eu amo a Rosana. É ela a mulher que eu amo.

Sílvia segura as lágrimas.

JÚLIO: - Mesmo ela pisando em mim, me maltratando, me humilhando... é por ela que meu coração bate mais forte. É com ela que eu sonho toda noite. É ela quem eu quero para ser minha mulher.

SÍLVIA: - Então você sofre do mesmo mal que eu. Gostar de quem não gosta da gente.

JÚLIO: - Fazer o quê, se a gente não pode mandar no coração...

SÍLVIA: - Mas um dia, Júlio, você vai se curar dessa dor. Do meu lado. Você vai ver. Você vai me amar, Júlio... Eu sei que vai.

(fade in trilha “Doce Castigo” – Nana Caymmi) Sílvia deixa o dinheiro no chão e vai embora. Júlio fica parado, olhando Sílvia sair.  Quando ela não está mais no beco, ele pega o dinheiro, olha o maço com pesar.

JÚLIO: - Desculpa, Silvinha... (guarda o dinheiro no bolso)

CENA 13. CASA IVAN. SALA. INT. NOITE.

(fade out trilha anterior) Um homem negro (50 anos, cabelos escuros, curto) está sentado no sofá da sala, de óculos, analisando atentamente uma sandália. Próximo dele está uma prateleira cheia de sapatos. De repente, ouve-se vozes, que se aproximam. Ivan, Marília e Fábio entram no local.

IVAN (feliz): - Pai! Eu consegui, pai!

HOMEM (levanta-se): Conseguiu, meu filho?! (feliz) que ótima notícia!

Ivan abraça o pai. Marília e Fábio observam, felizes também.

IVAN: - Pai, esse aqui é o Fábio, modelo lá na agência. E meu amigo agora também. E ali é a Marília, que o senhor conhece e muito bem.

HOMEM: - Marília! Como está, moça?

MARÍLIA: - Tudo bem, seu Cristóvão.

CRISTÓVÃO: - Marília já me conhece... E você, Fábio, seja bem vindo. A casa é humilde, mas é direitinha.

FÁBIO: - Muito obrigado, seu Cristóvão!

IVAN: - Eu vou pegar a cerveja pra gente comemorar!

Ivan vai para a cozinha.

MARÍLIA: - Arrumando os sapatos, seu Cristóvão?

CRISTÓVÃO: - Esse povo anda estragando sapatos demais. Acho que a culpa é do governo, que não arruma nossas calçadas. (risos)

FÁBIO: - Senhor é sapateiro é?

CRISTÓVÃO: - Desde os meus quinze anos. Já tem um bom tempo isso...

MARÍLIA: - Muitos calçados, meus e da minha irmã, seu Cristóvão que arrumou.

CRISTÓVÃO: - E da sua mãe também. Ralava as sandálias na quadra da Vila Isabel e depois vinha aqui pra eu concertar.  (risos)

Ivan retorna, trazendo cerveja e os copos. Ele serve todos, animado. Cada um pega um copo. Eles brindam.

MARÍLIA: - Ao seu novo emprego, Ivan!

FÁBIO: - Ao futuro fotógrafo de moda desse país!

CRISTÓVÃO: - Que esse sucesso lhe abra muitas portas e te faça feliz, meu filho!

IVAN: - Obrigado amigos, obrigado Deus! Viva!

Eles comemoram, felizes.

CENA 14. BOATE GLAMOURIO. EXT./INT. NOITE.

(sobe trilha “World hold on” – Bob Sinclair) Imagens da fachada da boate GlamouRio. Fila do lado de fora. Dentro, a boate é movimentada, muita gente se divertindo. Na pista de dança, Estér se esbalda ao som do DJ. Casais de mulheres, casais de homens, travestis, gente de todos os estilos no lugar. Enquanto isso sobe ao palco um transformista, usando peruca loura cacheada, vestido brilhoso, botas cano alto, maquiagem extravagante. As pessoas vibram. Ele pega o microfone. (baixa trilha)

TRANSFORMISTA: - Fala galera glamourosa!

As pessoas aplaudem, vibram.

TRANSFORMISTA: - Pra quem não me conhece ainda, o que eu acho muito difícil, meu nome é Waleska e eu sou a rainha daqui, ta ok? Não venham roubar o meu posto não!

As pessoas aplaudem.

WALESKA: - Mas eu sou uma rainha boazinha! Deixo todo mundo brilhar também! E falando em brilho, vejo daqui do palco, a beleza inigualável de Estér Linhares, minha diva!

Estér acena para Waleska.

WALESKA: - Obrigada pela presença, querida! E agora pessoal, vamos arrasar, sacudir geral! Solta o som, DJ!

(fade in trilha “World hold on” – Bob Sinclair), todos na boate dançam. Waleska no palco anima as pessoas. Estér se diverte.

CENA 15. CASA GILSON E SELMA. INT. NOITE.

(fade out trilha anterior) A festa na casa de Gilson e Selma continua. Fotógrafos fazem registros dos donos da casa no jardim. Enquanto posa para fotos, Selma vê Leocádia e Mauro chegarem.

SELMA (ao fotógrafo): - Depois a gente tira mais fotos, com licença. (a Gilson) A Leocádia e o Mauro chegaram.

Selma e Gilson recebem Leocádia e Mauro.

SELMA: - Por que a demora?!

LEOCÁDIA: - O Mauro demora mais do que eu pra se arrumar, acreditam?

GILSON: - É mesmo?

MAURO: - Nem tanto... Na verdade, eu estava em dúvida na roupa. Tenho outro evento hoje ainda.

GILSON: - Mas antes de sair, venha tomar um drink comigo.

Gilson e Mauro se afastam.

SELMA: - E você, venha aqui. Quero te apresentar uma pessoa.

Selma leva Leocádia até Maria Helena, que está acompanhada por Sandra, Tarso, Fernando e Orestes.

SELMA: - Com licença, amigos... Maria Helena quero te apresentar uma pessoa... Essa aqui é Leocádia Gonzales. Leocádia, Maria Helena Linhares.

LEOCÁDIA (simpática): - Prazer.

MARIA HELENA: - Muito prazer!

SANDRA: - Você é a dona da GF, Gonzales Fashion?

LEOCÁDIA: - Eu mesma... Na verdade, quem preside a empresa hoje é meu filho, Mauro.

FERNANDO: - Uma das maiores grifes do país, destaque internacional. Grandes negócios...

MARIA HELENA: - Por favor, não vamos falar de negócios hoje. Aqui é festa.

LEOCÁDIA: - Devo concordar com você, Maria Helena. Até porque, os negócios hoje são diferentes da minha época... E eu estou fora das negociações da empresa há um bom tempo.

ORESTES: - Sei como é Leocádia. A gente vai envelhecendo e deixando os mais novos no comando. Tô fazendo isso com o Fernando.

FERNANDO: - Mas o senhor continua lá, todos os dias... Pelo menos uma hora.

MARIA HELENA: - Esse aí não larga o osso por nada!

Todos riem.

Enquanto isso, dentro da casa, Raquel e Valquíria vão saindo do banheiro, chegando à sala de estar.

VALQUÍRIA: - Que casa linda!

RAQUEL: - E grande né?...

Valquíria, de repente, para de caminhar.

RAQUEL: - O que foi?

VALQUÍRIA: - Aquele cara ali, de camisa azul claro, com aquela ruiva... Não é o Marcelo?

RAQUEL: - Onde?

VALQUÍRIA: - Raquel! O Marcelo está aqui com a outra!

No jardim, numa das mesas, Gilson e Mauro conversam.

GILSON: - Então você achou nosso novo talento?

MAURO: - Achei, Gilson. Ela me mostrou croquis belíssimos. Há tempos não via algo assim. Tenho certeza que vocês da direção também vão gostar.

GILSON: - Confio no seu bom gosto, Mauro. Se você está dizendo, é sinal que o trabalho é bom.

MAURO: - E a moça também, é encantadora.

GILSON: - Como é que é?! Você está encantado com a postulante ao cargo de estilista? (risos)

MAURO: - Calma aí, não é bem assim... Só disse que a moça é encantadora. Tem um bom trabalho, é educada, simpática (pausa)

GILSON: - Bonita!...

MAURO: - Muito! (risos)

GILSON: - Qual o nome dessa “nova estrela”, posso saber?

MAURO: - Rosana...

CENA 16. CASA SÍLVIA. INT. NOITE.

(sobe trilha “Infiltrado” – Bajofondo) O quarto de Sílvia está um pouco bagunçado. Rosana encontra uma pasta no guarda-roupas, escrito CROQUIS. (baixa trilha)

ROSANA: - Finalmente! Meu passaporte para o estrelato!

Enquanto isso, Sílvia chega em casa e estranha a sala desarrumada.

SÍLVIA: - Mas o que aconteceu aqui?... Rosana?

Sílvia vai para o quarto. Ao chegar ao local, Sílvia flagra Rosana colocando os croquis na bolsa.

SÍLVIA: - O que você está fazendo, Rosana?!

ROSANA (surpresa): - Silvinha!

SÍLVIA: - Essa bagunça na minha casa... Rosana, você está roubando os meus desenhos?!

 



autor:
Édy Dutra

elenco:
Malu Galli como Sílvia
Eduardo Lago como Júlio
Bruna Lombardi como Rosana
Domingos Montagner como Mauro
Marcello Antony como Fernando
Isabel Fillardis como Marília
Maria Fernanda Cândido como Raquel
Nill Marcondes como Bruno
Maria Luísa Mendonça como Valquíria
Adriana Garambone como Estér
Ana Lúcia Torre como Leocádia
Rafaela Mandelli como Celeste
Jonathan Haagensen como Vitinho
Maria Padilha como Sandra
Eduardo Galvão como Tarso
Erika Mader como Aline
Rafael Almeida como Talles
Paulo Figueiredo como Gilson
Denise Del Vecchio como Sophia
Iran Malfitano como André
Gabriela Durlo como Paula
Mário Gomes como Durval
Paulo Nigro como Guilherme
Luiza Tomé como Heloísa
Marcello Airoldi como Adônis
Gustavo Leão como Diogo
Lázaro Ramos como Ivan
Leonardo Vieira como Renato
Francisca Queiroz como Geórgia
Paulo Gorgulho como Laerte
Maria Ceiça como Tereza
Amanda Ritcher como Melissa
Bianca Comparato como Duda
Letícia Colin como Gaby
Luma Costa como Marcinha
Léa Garcia como Ilza
Valquíria Ribeiro como Amália
Antonio Pitanga como Cristóvão
Rocco Pitanga como Gustavo
Joana Foom como Janice
Roberto Bonfim como Alceu
Amandha Lee como Karina
Marcello Melo Jr. como Pedro
Gabriel Braga Nunes como Walter/Waleska
Guilherme Winter como Fábio
Lavínia Vlasak como Bia
Eva Wilma como Maria Helena
Othon Bastos como Orestes

participações especiais - 1ª fase
Maria Flor como Sílvia
Caio Blat como Júlio
Regiane Alves como Rosana
Rafael Cardoso como Laerte
Cauã Reymond como Fernando

Ana Sophia Folch como Raquel
Sophia Abrahão como Valquíria
Tainá Müller como Estér
Vergniaud Mendes como Adônis

Alex Gomes como Bruno
Caio Castro como Fábio
Élida Muniz como Marília
Quelynah como Amália
Darlan Cunha como Ivan
Armando Babaioff como Mauro

trilha sonora:
This Love - Marron Five (abertura)
À Francesa – Marina Lima
Infiltrado – Bajofondo
Doce Castigo – Nana Caymmi
World hold on – Bob Sinclair

produção:
Bruno Olsen
Diogo de Castro
Joey Anderson



Esta é uma obra de ficção virtual sem fins lucrativos. Qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações da vida real terá sido mera coincidência.


REALIZAÇÃO


Copyright © 2013 - WebTV
www.redewtv.com
Todos os direitos reservados
Proibida a cópia ou a reprodução

Compartilhe:

14 anos

Capítulos de Passos da Paixão

Drama

No Ar

Novela

Passos da Paixão

Romance

Comentários:

0 comentários: