Talismã - Capítulo 17



     
 

No capítulo anterior de Talismã:

MARILU: - Maria Luísa, mas pode me chamar de Marilu. Aliás, grava bem esse nome, porque eu vou até o inferno pra fazer você pagar por tudo o que fez.

LÍVIA: - Eu não fiz nada pra você, Marilu. Me esquece!

MARILU: - Eu só vou te esquecer quando te ver na lama.

LÍVIA: - Você só pode ser louca (vira-se, vai embora)

MARILU (segura Lívia pelo braço): - Então tome muito cuidado comigo, Lívia. A minha loucura não tem limites, nem temores, e muito menos, pena.

Lívia se solta. As duas se encaram novamente. Lívia sai. Marilu disfarça, vai embora da capela.

...

ALFREDO: - Isso mesmo. Amanhã será feita a leitura do testamento.

PAULO: - Estarei na empresa bem cedo.

ALFREDO: - Sem problemas, Paulo, mas para o momento da leitura, não poderemos ter a presença de pessoas que não estão envolvidas no processo.

RAFAEL: - Apenas a família, é isso?

ALFREDO: - Sim.

PAULO: - Mas então eu/

ALFREDO: - Você deverá estar presente, Paulo. Seu nome consta no testamento.

PAULO (surpreso): - Consta?

ALFREDO: - Eu não deveria estar comentando isso. Mas consta sim.

Paulo disfarça sua surpresa e certa animação com a notícia. Mostra-se esperançoso.

...

Lívia abre o envelope e lê, por um tempo, o documento que estava dentro. Ela se mostra surpresa.

JONAS: - O que diz aí?

LÍVIA: - Eu estou sendo chamada para comparecer na empresa Amaro amanhã.

ROSA: - Mas pra quê?

LÍVIA: - Para a leitura do testamento do Tarcísio.

Todos se surpreendem.

...

ALFREDO: - Sim. De acordo com o testamento, o doutor Tarcísio nomeia a senhora Lívia Ribeiro da Silva como diretora pelo setor de responsabilidade social da empresa Amaro.

Lívia se mostra surpresa. Burburinhos paralelos.

ALFREDO: - Sendo assim, na presença daquele que vos fala, Alfredo Ávila, advogado do Grupo Amaro e de Tarcísio Ferreira, declaro autêntico o testamento aqui lido e que sejam cumpridas todas as determinações nele impostas. (T) Senhoras e senhores, declaro encerrada a leitura do testamento.

Rosa abraça Lívia, que se mostra surpresa com tudo.

ROSA: - Agora você pode dar um futuro melhor para o seu filho. Aliás, um futuro melhor pra você também, Lívia.

LÍVIA: - Eu nem sei o que dizer.

Nesse instante, Elizabeth se aproxima.

ELIZABETH: - É melhor não dizer nada. Porque eu vou até o fim para que você não receba um tostão da herança que o Tarcísio deixou para os meus filhos. E muito menos colocar os pés aqui dentro da empresa.

Elizabeth encara Lívia.

 
     
     
     
     

CAPÍTULO 17
 
     
 
 
 

CENA 01. EMPRESA AMARO. SALA DE REUNIÕES. INT. DIA.

Continuação do capítulo anterior. Todos estão surpresos com a leitura do testamento de Tarcísio. Rosa e Lívia se abraçam felizes. Elizabeth se irrita.

ELIZABETH: - Eu não vou permitir que você se “aposse” do patrimônio de meus filhos.

ROSA: - Elizabeth, por favor. Foi um desejo do Tarcísio que/

ELIZABETH: - Eu não falei com você, Rosa. Embora nada me tira da cabeça que você esteja envolvida nesse golpe.

LÍVIA: - Não tem golpe nenhum aqui. Eu não seria capaz de ter algum interesse no patrimônio do Tarcísio.

ELIZABETH: - Me engana que eu gosto, sua/

ROSA: - Modere suas palavras, Beth!

ELIZABETH (controla-se): - Tudo bem. Veremos quem vai ficar com o quê aqui. (encara Lívia) mas saiba que não há dinheiro nesse mundo que mude sua essência baixa e vil. Pena que os últimos dias do Tarcísio tenham sido ao lado de alguém desse nível. Pena mesmo.

Elizabeth se afasta. Lívia parece perder o controle, entristecida. Rosa lhe dá força.

ROSA: - Calma Lívia!

LÍVIA: - Eu não vou conseguir lidar com essas pessoas. Acho que no fundo ela tem razão. Eu estou invadindo o lugar deles.

ROSA: - Você não está fazendo nada de errado, Lívia! Se você está aqui é porque tem direito. (segura a mão de Lívia) Não se preocupe, minha querida. Eu vou estar do seu lado para o que der e vier.

Tatiana se aproxima.

TATIANA: - Lívia!

LÍVIA: - Tati!

TATIANA: - Menina, quer dizer que agora você vai ser minha patroa, é isso?

LÍVIA: - Acho que sim né?

TATIANA (abraçando Lívia): - Seja bem-vinda, amiga! E pode contar comigo para o que precisar.

LÍVIA: - Obrigada, Tati.

TATIANA: - O pessoal da pensão já sabe?

LÍVIA: - Só o Jonas, eu acho. Ainda nem falei com eles direito.

Num outro ponto, Paulo pega o telefone e liga para Marilu, discretamente.

PAULO (ao telefone): - Marilu, não trago boas notícias.

CENA 02. APTO MARILU. SALA. INT. DIA.

Marilu fica enraivecida ao saber que Lívia está rica.

MARILU (grita): - Droga!!! (T) Eu não acredito, Paulo! Não era eu quem deveria estar aí? Não era o meu nome que tinha que estar na porcaria do testamento? Era eu! (T) Me controlar? Com o mundo caindo na minha cabeça você quer que eu me controle? Eu quero é explodir de ódio, de raiva!!! Eu quero é voar no pescoço da Lívia, estraçalhar aquela desgraçada! (T) O Tarcísio, que eu amei tanto, me deu um pé na bunda e me deixou pobre ainda. Tomara que a alma dele vá pro inferno! (T) Tá bom, vem pra cá assim que você puder. (desliga o telefone, ríspida)

Marilu, bufando, caminha de um lado a outro no apartamento. Está com ódio.

CENA 03. AMARO. SALA DE RUNIÕES. INT. DIA.

Lívia é cumprimentada por Rafael.

RAFAEL: - Eu nem sei o que dizer diante disso tudo. É estranho pra mim ter uma desconhecida trabalhando aqui na empresa.

LÍVIA: - Nem eu sei o que dizer. É tudo muito novo, e confuso também pra mim.

RAFAEL (estende a mão): - Me chamo Rafael. Espero que possamos ter, pelo menos, uma convivência civilizada.

LÍVIA (retribui): - Da minha parte, pode ter certeza que será sim, uma convivência pacífica.

Os dois se cumprimentam. Olhos nos olhos. Beatriz se aproxima.

BEATRIZ: - Vamos, Rafael.

Rafael solta a mão de Lívia.

RAFAEL: - Vamos sim.

Ele sai com Beatriz, que nem olha para Lívia. Num outro ponto,  Elizabeth e Agda conversam com Alfredo.

AGDA: - Mas com certeza deve haver um jeito de reverter isso!

ELIZABETH: - Aquela mulher não pode ficar com nada!

ALFREDO: - Beth, Agda, entendam. Não há como recorrer. Isso foi inclusive assinado pelo Tarcísio. Era o desejo dele.

AGDA: - Tá na cara que ele foi enganado por essazinha aí. Tarcísio também não podia ver um rabo de saia que perdia a cabeça.

ELIZABETH: - Mamãe, por favor!

AGDA: - Estou falando a verdade. E é por causa disso que eu, você, seus filhos, vamos ter que dividir o patrimônio da família com uma vadia.

ALFREDO: - Agda, por favor, modere suas palavras aqui dentro.

AGDA: - Desculpe, eu me descontrolei. Mas eu não consigo ver o meu dinheiro ir embora e ficar de braços cruzados, como a Beth está fazendo.

ELIZABETH: - Eu não estou de braços cruzados. E eu vou dar um jeito de reverter essa situação.

AGDA: - Ah vai? E eu posso saber como?

ELIZABETH: - Vou pedir a anulação do testamento.

AGDA: - Mas como não pensamos nisso antes!

ALFREDO: - O pedido pode ser aceito, mas a anulação só ocorrerá caso seja comprovada algum tipo de fraude, manipulação no documento, o que eu acho muito difícil de acontecer, já que foi redigido por mim mesmo e eu sei da minha competência. Mas, se vocês quiserem, podem procurar outro advogado e ir atrás daquilo que desejam.

AGDA: - Faremos isso, com certeza.

ELIZABETH: - Eu confio em você, Alfredo, mas não posso admitir isso.

ALFREDO: - Tudo bem, Beth. Você está no seu direito. Eu vou providenciar a documentação e entrego para vocês assim que tiver tudo em mãos.

Alfredo se afasta.

CENA 04. PENSÃO BEM QUERER. SALA. INT. DIA.

Jonas recebe ligação de Tatiana. Cena alternada entre eles.

JONAS (ao telefone): - Mas, então ela tá rica?!

TATIANA: - Sim, Jonas! O Tarcísio deixou inclusive uma cadeira no conselho da empresa pra ela. A Lívia mudou de vida.

JONAS: - Meu Deus. E ela ta aí ainda ou já ta vindo pra pensão?

TATIANA: - Ela já saiu, mas não foi pra pensão não. Tava indo pra casa da Rosa.

JONAS: - Ok. Valeu pela notícia, Tati. (desliga o telefone)

Alaíde, Oscar, Carla e Kléber ansiosos.

ALAÍDE: - E então Jonas, a Lívia ta rica é isso?

JONAS: - Parece que sim, mãe. Tarcísio deixou uma bolada pra ela.

CARLA: - Coisa boa! Tô tão feliz pela minha amiga!

OSCAR: - Tô surpreso. Sinal que esse empresário gostava mesmo dela.

KLÉBER: - Cansei de ver ele lá no restaurante indo falar com ela.

JONAS: - Ele ia lá atrás dela, Kléber?!

KLÉBER: - Sim. E não foi só uma vez.

Jonas se chateia.

ALAÍDE: - O que importa é que ela agora pode dar uma vida ainda melhor pro Pedrinho. A Lívia tem que ir na igreja, rezar, agradecer a Deus por tudo isso que está acontecendo na vida dela.

OSCAR: - Como assim, agradecer, Alaíde? Ela nem tem o que agradecer. O empresário morreu né!

ALAÍDE: - Mas ela tá viva e vai ter o direito de desfrutar daquilo que ele deixou pra ela. Tem o que agradecer sim.

CENA 05. AMARO. EXT. DIA.

A imprensa está no portão de saída da empresa. Tiram fotos, registram todos os momentos. Lorena entrega a nota oficial da empresa.

LORENA: - Essa aqui é a nota da empresa sobre os seus novos passos a partir de hoje.

REPÓRTER 01: - Aqui na nota consta também o resultado da leitura do testamento do empresário Tarcísio Ferreira?

LORENA: - Sim, está tudo aí.

REPÓRTER 02: - E quem é essa moça, Lívia Ribeiro da silva? Aqui fala que ela ganhou uma cadeira no conselho da empresa e um cargo na direção.

LORENA: - Gente, eu não estou autorizada a dizer mais nada sobre/

Nesse instante, Rosa e Lívia vão saindo da empresa.

ROSA: - Lívia, agora você precisa pensar no seu futuro.

Uma repórter escuta o nome de Lívia e faz o alarde.

REPÓRTER 03: - A Lívia está ali!

Os jornalistas se apressam para registrar a saída de Lívia da empresa. Rosa tenta protegê-la.

ROSA: - Vem Lívia, vamos rápido para o meu carro.

LÍVIA: - Meu Deus, esses jornalistas todos aqui!

ROSA; - Pode se acostumar querida. Você é a mais nova milionária de São Paulo, do Brasil.

Lívia é fotografada. Os jornalistas querem falar com ela.

REPÓRTER 02 (a Lívia): - Lívia, como você conheceu o Tarcísio?

REPÓRTER 01: - Como a família dele aceitou a sua entrada no testamento?

REPÓRTER 03: - Você já era amiga da família? Nunca vimos você nesse meio.

ROSA: - A Lívia não vai responder nada agora. (a Lívia) Entra no carro, rápido.

Rosa e Lívia conseguem entrar no carro e com dificuldade conseguem sair da empresa. Os jornalistas fazem vários registros.

CENA 06. REVISTA FLASH PAULISTA. REDAÇÃO. INT. DIA.

Conrado conversa por telefone com um repórter.

CONRADO (ao telefone): - É sério isso? E essa Lívia, é de onde? (T) Humm... (T) Ela não deu declaração nenhuma? (T) Tudo bem, obrigado! (desliga o telefone) Eu acho que sei quem pode descobrir tudo sobre essa Lívia Ribeiro da Silva, a nova milionária de São Paulo.

Conrado SAI de sua sala e vai em direção à mesa de Isabela, que está em seu computador.

CONRADO: - Você viu o que aconteceu agora a pouco?

ISABELA: - Não.

CONRADO: - O testamento do Tarcísio foi lido.

ISABELA: - Sim, era hoje mesmo.

CONRADO: - Pois é, e teve uma surpresa no meio disso tudo.

ISABELA: - Como assim?

CONRADO: - Você conhece uma tal de Lívia Ribeiro da silva?

ISABELA: - Lívia? Não. Mas porque você está me perguntando isso? É mais uma nova subcelebridade saída de algum reality?

CONRADO: - Antes fosse. Essa Lívia é a mais nova milionária paulistana. E sabe por quê? Porque ela teve o nome incluído no testamento do Tarcísio Ferreira.

ISABELA: - Como é?!

CONRADO: - Isso mesmo. E já que você não conhece essa Lívia, vai ter uma boa oportunidade para conhecer. Eu quero uma entrevista dessa mulher para a Flash Paulista.

ISABELA: - Isso não pode. Você está se aproveitando da minha aproximação com a família para fazer isso Conrado e/

CONRADO: - E é justamente por isso que você vai fazer. A Beatriz namora um deles, mas não tem a competência que você tem.

ISABELA: - Desprezando o talento de sua funcionária?

CONRADO: - Não, muito pelo contrário. Estou exaltando as qualidades de outra. E a Beatriz tem seus talentos, suas particularidades. (a si mesmo) Aliás, vou cobrá-la disso, porque ela nunca mais apareceu aqui na revista. (a Isabela) Está decidido. Eu quero a entrevista, o quanto antes, Isabela. Quero ser o primeiro a divulgar tudo sobre a mais nova milionária paulistana.

ISABELA: - Mas/

CONRADO: - E agora estou falando na autoridade de seu chefe. Quero o material hoje à noite, no meu apartamento.

Conrado sai. Isabela fica pensativa.

CENA 07. CASA ROSA. SALA DE ESTAR. INT. DIA.

Rosa e Lívia conversam.

LÍVIA: - Eu fiquei assustada com tudo aquilo na saída da empresa!

ROSA: - Lívia, você agora é famosa. E olha que eles nem sabem que você e o Tarcísio tiveram um caso.

LÍVIA: - Isso não pode acontecer, Rosa!

ROSA: - Eu sei querida, mas sabe como é a imprensa. Quando você menos espera, eles descobrem tudo.

Louise entra na sala, trazendo a bandeja com xícaras de chá.

LOUISE: - Gente, então teve bafo na saída lá?

LÍVIA: - Teve... Daqueles!

ROSA: - Mas deixa que essa poeira vai baixar e você vai poder viver sua vida normal.

LÍVIA: - Normal não mais né, Rosa. Vou ter que aprender a lidar com a família do Tarcísio, com o fato de ter dinheiro. Vou ter que aprender sobre negócios!

ROSA: - Não se preocupa porque eu posso te dar uma força nos negócios. Eu ajudei meu falecido marido em algumas negociações que ele fez.

LÍVIA: - Ele também tinha uma empresa?

ROSA: - Tinha. Era dono de um banco nos Estados Unidos. Depois que ele faleceu, eu vendi grande parte do banco e fiquei apenas com poucas ações, que rendem bastante.

LOUISE: - Por isso que ela consegue nos dar chá importado assim. (risos) Mas me diz uma coisa Lívia, o que você ganhou no testamento?

LÍVIA: - Fiquei com quinze por cento do patrimônio, com o cargo de diretora do setor de responsabilidade social, além de uma cadeira vitalícia no conselho da empresa.

LOUISE: - Mas menina, você realmente tá bem de vida!

LÍVIA: - Mas eu não sei nada disso, Louise! To despreparada!

ROSA: - Mas Lívia, eu e a Louise vamos te ajudar, não se preocupa.

LOUISE: - E eu já sei até como começar. Agora que você tá podendo, vamos dar uma geral no seu guarda-roupas, querida. Nada contra ao seu estilo, mas tá tudo muito simples pra quem é milionária e diretora da Amaro, né meu bem!

LÍVIA: - Mas eu vou me vestir como então?

ROSA: - Não precisa ficar com medo, Lívia. A Louise parece louca, mas tem um tino pra moda que só vendo.

LOUISE: - Meu amor, eu sou cria da moda francesa, londrina, italiana... Deixa comigo que eu vou te deixar very beautiful!

Louise se mostra empolgada. Lívia ansiosa.

CENA 08. MANSÃO TARCÍSIO. SALA DE ESTAR. INT. DIA.

Rafael pensativo. Beatriz se aproxima.

BEATRIZ: - Todo o dinheiro do mundo para saber o que se passa nessa cabeça aí.

RAFAEL: - Não há dinheiro no mundo que compre meus pensamentos. Mas não estava pensando em nada demais não.

BEATRIZ: - Deve ser difícil se acostumar com essa nova realidade, não é?

RAFAEL: - Um pouco. A responsabilidade agora aumenta.

BEATRIZ: - Eu sei que você será um ótimo presidente pra Amaro. Não deixando sua noiva de lado para ficar com os negócios, está bem.

RAFAEL: - Não se preocupa, você vai estar sempre comigo, no meu coração.

BEATRIZ: - Eu quero é ter você presente do meu lado. (olha nos olhos de Rafael) Do meu lado. (o beija)

RAFAEL: - Eu prometo que não vou me afastar de você.

BEATRIZ: - Rafa/

RAFAEL: - Eu prometo, Beatriz. Você é a minha noiva, nós vamos casar. E ter uma família linda.

BEATRIZ: - Tenho medo que você esteja falando isso apenas da boca pra fora, tomado pelo sentimento que envolve tudo isso, a situação que você ta passando.

RAFAEL: - Pode acreditar. Eu estou sendo sincero.

Rafael beija Beatriz. Enquanto isso, Elizabeth e Vitória conversam.

VITÓRIA: - Então o papai tinha outra amante e não mais aquela da festa.

ELIZABETH: - Seu pai me surpreende mesmo após a morte.

VITÓRIA: - Mas ela deve ter sido avassaladora. Ele deixou herança pra ela também. Ela vai trabalhar com a gente na empresa!

ELIZABETH: - Não, querida, ela não vai. Eu garanto pra você que vou fazer de tudo para que essa mulher não fique com um centavo do dinheiro do seu pai.

VITÓRIA: - Mas, tem como fazer isso?

ELIZABETH: - Eu vou buscar todas as alternativas, Vitória. A Amaro é nossa. Só nossa.

VITÓRIA: - A senhora falando isso, me leva a crer que vai participar da direção da empresa também.

ELIZABETH: - Talvez, filha. Ainda não decidi sobre isso. A única coisa que sei é que vou defender o que é nosso.

Em Elizabeth, decidida.

CENA 09. APTO MARILU. SALA. INT. DIA.

Marilu discute com Paulo.

MARILU (indignada): - Como você deixou acontecer uma coisa dessas?! Como?!

PAULO: - E você queria que eu fizesse o quê? Que rasgasse o testamento na frente de todo mundo?

MARILU: - Sei lá. Poderia ter dado um fim naquela vadia da Lívia!

PAULO: - Eu não posso sujar minhas mão, Marilu. E a Lívia não pode morrer.

MARILU: - Como é que é?!

PAULO; - Ela está nos meus planos. Mas isso é outro assunto.

MARILU: - Não venha com segredinhos pra cima de mim, Paulo!

PAULO: - Não to com segredo nenhum. Só vou esperar o momento certo, pra não ter erro. E falando em erro, e o Romão?

MARILU: - Sei lá. Espero que tenha ido pro inferno. Eu não me conformo que ele tenha feito tudo errado. Ele matou o Tarcísio e ainda fez aquela desgraçada ficar rica! E eu, Paulo? E eu?!

PAULO: - Calma. Calma porque eu vou dar um jeito de arrumar sua vida.

MARILU: - Ah vai? E eu posso saber como?

PAULO: - Simples. Você também vai entrar na Amaro.

Marilu se mostra surpresa.

MARILU: - Você ta bem, Paulo? Não ta falando coisa com coisa.

PAULO: - Grava o que eu to te dizendo. Você vai entrar na Amaro.

MARILU: - Entrar como?! Não entendo nada de negócios. Meu trabalho sempre foi outro, você sabe muito bem. E outra, a família do Tarcísio me conhece, sabe quem eu sou. Eles me viram naquela festa da revista. Até apanhei da louca da ex-mulher dele!

PAULO: - Deixa comigo que eu sei o que eu estou fazendo.

MARILU: - Sabe mesmo?

PAULO: - Sei. Só preciso de um tempo.

CENA 10. CASA ALFREDO. SALA DE ESTAR. INT. DIA.

Inês conversa com Alfredo.

INÊS: - Eu fico imaginando a reação da Agda, da Beth, diante dessa situação toda.

ALFREDO: - Não foi das melhores. Elas não gostaram nem um pouco de saber que a Lívia também levou uma parte da herança. Principalmente a Agda, já que a Lívia ficou com mais do que ela.

INÊS: - Mas quem é essa Lívia afinal? Mais uma amante do Tarcísio?

ALFREDO: - Não sei, Inês. Só sei que ele fez questão de incluí-la no testamento. E foi firme ao destinar o que queria pra ela. Agora a Beth e a Agda querem anular o testamento para impedir que a moça fique com sua parte na herança.

INÊS: - E elas podem?

ALFREDO: - Elas estão no direito delas. Mas vai ser difícil, praticamente impossível reverter essa situação.

INÊS: - Você, como advogado, o que aconselha?

ALFREDO: - Inês, eu não posso ficar opinando sobre/

INÊS: – Ai Alfredo, deixa de lado essa armadura de advogado. Agora estamos só eu e você e eu quero saber o que você acha!

ALFREDO: - Sinceramente?

INÊS: - É.

ALFREDO: - Eu acho que as coisas deveriam ficar como estão. Essa moça, a Lívia, não tem, nem de longe, indícios de ser uma impostora, aproveitadora. E conhecendo o Tarcísio nos negócios como eu conheci, ele não deixaria nada pra ela se ela não merecesse.

CENA 11. SÃO PAULO. EXT. DIA.

MUSIC ON: (Retratos e canções – Paulinho Moska)

Takes gerais da cidade em sua rotina. O trânsito engarrafado. As pessoas com pressa pelas calçadas. Cai a noite.

CENA 12. PENSÃO BEM QUERER. INT. NOITE.

MUSIC FADE.

Todos estão ansiosos, um tanto eufóricos a espera de Lívia que chega é cumprimentada por todos.

ALAÍDE: - Minha querida! Uma nova vida começa pra você a partir de agora!

OSCAR: - Tá bem de vida, hein, Lívia? Tirou a sorte grande!

KLÉBER: - Você merece!

LÍVIA: - Como vocês sabem?!

TATIANA: - Eu liguei pra cá, Lívia. Não me contive.

ALAÍDE: - Fofoca é com a Tati mesmo hein. Mas nesse caso, foi pra avisar algo bom. Eu to feliz por você, Lívia.

LÍVIA: - Obrigada, dona Alaíde. Eu ainda estou zonza com tudo isso que está acontecendo.

Carla entra com Pedro, que corre para os braços da mãe. Lívia abraça o filho amorosa.

LÍVIA: - Meu amor! Não há dinheiro no mundo que compre o que eu sinto por você, Pedro. Te amo filho.

PEDRO: - Também te amo, mãe. (abraça Lívia)

CARLA: - Amiga, que virada foi essa!

LÍVIA: - Não sei nem como explicar, Carla. Mas quero você junto comigo.

CARLA: - Para o que der e vier, conta comigo sim.

LÍVIA: - E o Jonas, ta aí?

CARLA: - Lá em cima, no quarto. Acho que vai ser bom pra ele ver você. Aliás, não só pra ele, pra você também.

Em Lívia.

CENA 13. PENSÃO BEM QUERER. QUARTO JONAS. INT. NOITE.

Lívia entra, discreta. Jonas está na janela, olhando para a rua.

LÍVIA: - Pensei que estivesse lá embaixo, me esperando. Você foi o único que não vi, que não me abraçou. Parece que não está feliz.

JONAS: - Estou feliz sim, por você. Mas, eu não pensava que essa história tomaria uma proporção tão grande.

LÍVIA: - Nem eu, Jonas.

JONAS: - Mas agora tudo mudou. Você tá rica. Com certeza vai embora daqui e não vai nem lembrar que a gente existe. Que eu existo.

LÍVIA: - Não Jonas, não é verdade. Eu nunca vou esquecer a força que vocês me deram quando eu cheguei aqui. Nunca. E muito menos de você, que foi um amigo que/

JONAS: - Tá vendo? Você não me entende. Eu não quero ser pra sempre seu amigo, Lívia. Eu quero ser mais. Muito mais! E você sabe disso, mas parece que foge, que não quer aceitar. E agora com todo esse dinheiro que ganhou do falecido/

LÍVIA: - Não fala assim do Tarcísio!

JONAS: - Tá defendendo ele agora? Mesmo depois de morto ele domina seus pensamentos, é isso?! Claro, claro... Como eu pude ser idiota... Ele te deixou uma bolada pra você ser eternamente grata à ele e viver pra sempre só pensando no amor que ele certamente dizia sentir e pra você não ser de mais ninguém!

LÍVIA: - Você não sabe do que tá falando! Está sendo grosseiro e, principalmente, não tá sabendo respeitar os meus sentimentos. O Tarcísio foi sim um homem importante pra mim, na minha vida e quero que isso seja respeitado.

JONAS: - E os meus sentimentos?! E o que eu sinto por você, Lívia? Esse amor que não tem dinheiro, não tem valor material. (aproxima-se de Lívia, a encara) Esse amor puro que eu sinto por você aqui dentro? Quando ele vai ser respeitado?

LÍVIA (confusa): - Eu preciso de um tempo, Jonas. De um tempo pra arrumar a minha vida, pra me organizar agora/

JONAS: - E eu quero só mais um tempo com você pra provar que eu te amo.

MUSIC ON: (Quanto ao tempo – Ivete Sangalo feat. Carlinhos Brown)

Jonas vai se aproximando de Lívia, que fica com as costas na porta.

LÍVIA: - Jonas, por favor, vamos com calma.

JONAS: - Eu te amo, Lívia. Não quero que você se afaste de mim, por nada nesse mundo.

Lívia olha fundo nos olhos de Jonas.

LÍVIA: - Eu não vou me afastar. E nem quero que você se afaste de mim também.

Os dois ficam a se olhar por um instante. Os rostos se aproximando lentamente, se beijam, apaixonadamente.

CENA 14. CASA FAUSTO. SALA. INT. NOITE.

Fausto e Lorena conversam.

LORENA: - E então, não vai me falar sobre o congresso?

FAUSTO: - Congresso?

LORENA: - Sim, o congresso na Argentina. Ou esqueceu que esteve por lá? (risos)

FAUSTO: - Ah, claro. Não esqueci não. Bem, o congresso foi proveitoso. Seria uma perda significativa se eu não tivesse ido pra lá. Trouxe um bom material pra clínica, pra passar pros outros médicos.

LORENA: - Que bom, querido.

FAUSTO: - E como foram os dias aqui, enquanto eu estive fora? Tirando a morte do Tarcísio.

LORENA: - Tirando isso, tem a Mayra.

FAUSTO: - O que tem a Mayra? Já sei, andou estourando outro cartão de crédito. Essa menina/

LORENA: - Antes fosse, Fausto. A Mayra anda passando dos limites, mas não dos cartões de crédito, e sim, do respeito.

Mayra entra na sala, toda arrumada (vestido de festa), pronta pra sair.

MAYRA: - Ouvi meu nome?

LORENA: - Ouviu sim. Onde você vai?

MAYRA: - Vou sair. Vai rolar “a” festa numa casa noturna aí e eu to a fim de me divertir um pouco. Espantar o clima de velório que você me fez passar.

LORENA: - Solidariedade, Mayra, com amigos da família. Aliás, foi isso que você não teve. Nem consideração.

MAYRA: - Ih mãe, viajou legal. Tô indo nessa. (saindo)

FAUSTO: - Mayra, pode voltar.

Mayra volta, a contragosto.

FAUSTO: - Sua mãe me falou que você anda passando dos limites. Posso saber por que?

MAYRA: - Ela que fala e o senhor quer que eu explique? Nem eu sei do que ela ta falando!

LORENA: - Do Fabrício, namorado da Vitória.

MAYRA: - O Fabrício eu conheço, agora essa Vitória não sei quem é não.

LORENA: - Mayra! Ta vendo, Fausto? Ela se faz de desentendida agora. Sabe muito bem do que eu estou falando.

MAYRA: - Ai gente, vamos deixar essa conversa pra outra hora? Eu não quero perder essa noite linda não! Fui! (saindo)

LORENA: - Mayra! Mayra!

Mayra sai, sem dar ouvidos.

FAUSTO: - Deixa, Lorena.

LORENA: - Mas eu vou ter uma conversa séria com ela. Vou sim.

CENA 15. CASA ROSA. SALA DE JANTAR. INT. NOITE.

Louise e Rosa conversam enquanto jantam.

LOUISE: - Sorte grande da Lívia hein? Tá praticamente com a vida ganha.

ROSA: - Você também poderia estar sim senão tivesse deitado com o mensageiro do hotel.

LOUISE: - Ai amiga, nem me lembra disso ta? Tô mais lisa que chão de igreja em dia de procissão. Mas não desvia o assunto, Rosa. Foco! Você não ficou nem um pouco surpresa com tudo isso que aconteceu com a Lívia?

ROSA: - Fiquei, Louise. Muito surpresa e feliz. Se ela ganhou esse dinheiro todo, foi porque o Tarcísio realmente a amava. Ele virou um homem importante na vida dela.

LOUISE: - E você já falou pra ela que ele também já foi um homem importante na sua vida?

ROSA: - Não. A Lívia não precisa saber do meu passado.

LOUISE: - Mas não esquece que foi por causa do seu passado que você chegou até ela. Vê só que engraçado é o destino, não é? Você e a Lívia, agora amigas, ligadas pelo mesmo homem.

ROSA: - Louise, me prometa que você não vai tocar nesse assunto com a Lívia, ta? Não quero que ela pense que eu me aproximei dela por causa do Tarcísio. O que eu vivi com ele no passado foi lindo, mas ficou lá.

LOUISE: - Nem esquenta, Rosa. De mim ela não vai saber nada não. Boca de siri.

Elas voltam a comer.

CENA 16. MANSÃO TARCÍSIO. ESCRITÓRIO. INT. NOITE.

Rafael encontra Agda.

RAFAEL: - Fazendo o quê sozinha aqui, vovó?

AGDA: - Pensando numa coisa. A Beatriz já foi?

RAFAEL: - Já sim.

AGDA: - E você, não vai também?

RAFAEL: - Não. Hoje fico aqui. Mas, no que a senhora tava pensando, posso saber ou é mais um de seus mistérios? (risos)

AGDA: - Isso é jeito de falar com sua avó? Não sou uma mulher de mistérios. Sou uma mulher reservada, isso sim. Mas se você quer saber no que eu estava pensando, eu te digo.

RAFAEL: - E então?

AGDA: - Eu vou investigar essa tal de Lívia.

RAFAEL: - Como é?

AGDA: - Isso mesmo. Vou investigar essa mulher. Nada me tira da cabeça que ela possa estar envolvida na morte do seu pai, Rafael. E se ela estiver, não vou sossegar enquanto não vê-la na cadeia e devolver os bens que ela ganhou sem merecer.

Agda está decidida. Rafael se mostra surpreso.

CENA 17. RIO DE JANEIRO. EXT. NOITE.

MUSIC ON: (Retratos e canções – Paulinho Moska)

Takes gerais da Cidade Maravilhosa. Mostra o Cristo Redentor iluminado, o calçadão da beira da praia. CORTA PARA.

CENA 18. CENTRO DO RIO. BAR QUALQUER. INT. NOITE.

MUSIC CONTINUED. Som ambiente. Alexandre está no balcão, bebendo uma cerveja. Olha o relógio, se mostra um pouco sem paciência.

ALEXANDRE: - Mas essa Nina ta demorando. Programa é só de meia hora. Já to aqui a quase cinqüenta minutos. (toma um gole de cerveja). Se ela fugiu com o dinheiro vai ver só. Eu acho nem que seja no inferno.

Alexandre presta atenção na TV.

REPÓRTER (NA TV): - Lívia Ribeiro da Silva foi a única pessoa incluída no testamento e que recebeu herança, mas que não era da família de Tarcísio Ferreira.

ALEXANDRE: - Como é que?! A Lívia?!

Na TV, mostram imagens da saída de Lívia da empresa, acompanhada por Rosa.

REPÓRTER (NA TV): - A família do empresário não quis se manifestar sobre o assunto.

Alexandre, incrédulo, bebe mais uns goles de cerveja.

ALEXANDRE: - Então ela foi pra São Paulo! (ri) Lívia, Lívia... Eu sabia que um dia eu iria encontrar você. E agora, rica! Me aguarde!

Alexandre se mostra um tanto maléfico. Seu olhar revela interesse maior em encontrar Lívia.

Encerra com Bella Ciao – Alok, Bhaskar, Jetlag Music e André Sarate
 
     
     


autor
Édy Dutra

elenco
Christine Fernandes como Lívia
Taís Araújo como Marilu
Zé Carlos Machado como Tarcísio
Fábio Assunção como Rafael
Bruno Ferrari como Jonas
Marcos Caruso como Paulo
Renata Domingues como Carla
Júlio Rocha como Breno
Bianca Castanho como Beatriz
Júlia Feldens como Vitória
André Bankoff como Fabrício
Danton Mello como Marcos
Lavínia Vlasak como Isabela
Caco Ciocler como Conrado
Janaína Lince como Sarah
César Mello como Alfredo
Aída Leiner como Inês
Luíza Curvo como Tatiana
Jonathan Haagensen como Plínio
Marco Ricca como Fausto
Sílvia Pfeifer como Lorena
Thaís Vaz como Mayra
Gisele Policarpo como Gisa
Guilherme Leme como Almir
Mônica Martelli como Louise
Sérgio Menezes como Kléber
Cyria Coentro como Nice
Ernesto Piccolo como Moisés
Natália Guimarães como Rita

Atrizes convidadas
Sônia Braga como Elizabeth
Regina Duarte como Rosa
Valquíria Ribeiro como Adriana
Ângela Leal como Agda
Mila Moreira como Charlote
Denise Del Vecchio como Onira
Beatriz Segall como Wanda
Arlete Salles como Alaíde

Atores convidados
Gracindo Júnior como Demétrio
Rodrigo Santoro como Henri
Juan Alba como Alexandre
Nill Marcondes como Eduardo
Roberto Bonfim como Roberto
Floriano Peixoto como Jorge

Participações especiais
Dudu Azevedo como Romão
Elisa Lucinda como Cidália
Antonio Pitanga como Tenório
Vanessa Lóes como Clair
Alexandre Slaviero como Hugo
Lui Mendes como Pereira
Mônica Martelli como Louise
Dudu Azevedo como Romão

Trilha Sonora
Pra rua me levar
Ana Carolina (abertura)
Retratos e canções – Paulinho Moska
Bella Ciao – Alok, Bhaskar, Jetlag Music e André Sarate

Produção

Bruno Olsen
Cristina Ravela
Diogo de Castro


Esta é uma obra de ficção virtual sem fins lucrativos. Qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações da vida real terá sido mera coincidência.


REALIZAÇÃO


Copyright
© 2018 - WebTV
www.redewtv.com
Todos os direitos reservados
Proibida a cópia ou a reprodução

.aaa.
.aaa.

Compartilhar:

 
Copyright © WebTV | Design by OddThemes