Estações da Vida - Capítulo 10


https://1.bp.blogspot.com/-_BU7wAcukVk/WhbLxhA7SJI/AAAAAAAABtw/RB3RXUaD-mAGl3boIG3IKUrLzgJt6vW5QCLcBGAs/s1600/Esta%25C3%25A7%25C3%25B5es%2Bda%2BVida.jpg

CAPÍTULO 10
 
     
     
     
     
 
 
 

CENA 01. MANSÃO LAMBERTINI. QUARTO. INT. NOITE.

Continuação do capítulo anterior. Lua se olhando no espelho, Larissa e Andréia por ali.

LUA: Eu preciso ir.

LARISSA: Vá e arrase.

ANDRÉIA: Estou curiosa pra conhecer o Iago.

LUA: Me desejem sorte.

Lua abraça as amigas.

LUA: To tão nervosa. Sentindo um frio na barriga. É normal?

ANDRÉIA: Isso são as famosas borboletas no estômago.

LARISSA: Poxa, eu nunca senti isso.

LUA: Não é por falta de opção. O Beto está afim de você, mas você corre dele. Ele é um cara tão legal, amiga!

LARISSA: Já falei que eu não quero me envolver com ninguém. Muito menos com esse intrometido!

ANDRÉIA: Então não reclame se ficar sozinha.

O celular de Lua apita. Ela pega rapidamente.

LUA: Outra mensagem do Iago.

ANDRÉIA: É melhor você ir. Ele está sozinho lá na frente.

LARISSA: É agora ou nunca, Lua.

Em Lua, um pouco nervosa.

CENA 02. CASA NA PRAIA. VARANDA. EXT. NOITE.

CAM detalha a organização de uma mesa com velas, duas taças preenchidas até a metade com vinho, comidas finas. ABRE PLANO e vemos Leonardo e Kátia, um em cada ponta da mesa.

LEONARDO: Está feliz, meu amor?

KÁTIA: Muito. Essa tranquilidade me faz esquecer o mundo.

LEONARDO: As surpresas só estão começando.

KÁTIA: O que você está aprontando, hein?

LEONARDO: Sem pressa. A noite é uma criança e eu quero que você aproveite cada segundo.

Katia sorri em agradecimento.

CENA 03. MANSÃO LAMBERTINI. SALA. INT. NOITE.

(MUSIC: OPEN BAR - PABLO VITTAR)

Festa rolando, pessoal se divertindo. Sentado no sofá com Pato, Diego observa Nanda conversando com Paulinha do outro lado da sala.

MUSIC OFF.

DIEGO: O que você tanto olha nesse celular, cara?

PATO: A Amanda que está demorando. Disse que está presa no trânsito.

DIEGO: Daqui a pouco eu coloco meu plano em ação. Se a Nanda continuar bebendo daquele jeito, vai ser mais fácil do que eu pensava. Olha lá, ela não larga a garrafa.

PATO: Não cante vitória antes do tempo.

CAM vai buscar Paulinha e Nanda, no momento em que a segunda entorna um gole direto da boca da garrafa.

PAULINHA: Vai com calma, miga. Não exagera que você precisa chegar inteira em casa.

NANDA: Tá doente, Paulinha?

PAULINHA: Quê?

NANDA: Você, a maior beberrona do grupo, me dando conselho, só pode tá doente né.

PAULINHA: Eu aprendi a lição, tá? Daquela outra vez eu quase morri.

NANDA: Deixa de ser chata. Só to me divertindo.

PAULINHA: Jura que não tem nada a ver com o fato do Pato tá te ignorando e esperando a tal namorada mais velha?

NANDA: Claro que não. To nem aí pro Pato e pr’aquela nojenta da Amanda.

PAULINHA: Até o nome dela você já decorou. Desencana dessa, Nanda.

NANDA: Me deixa. Vai lá com seu namoradinho de mentira vai.

PAULINHA: O Caio tá lá na cozinha. E fala mais alto, assim todo mundo fica sabendo da nossa farsa!

NANDA: Ai, desculpa. Tô meio grogh.

PAULINHA: Jura? Nem tinha percebido.

NANDA: Vou lá em cima tentar achar o banheiro.

PAULINHA: Vou com você.

Elas passam entre as pessoas, Diego sempre de olho nas duas. Elas sobem as escadas e encontram com Lua que vem descendo.

NANDA: Lua, que linda você tá!

PAULINHA: Arrasou, pirralha.

LUA: Brigada, meninas.

NANDA (grita): Geeente, olha só a princesa Luana! Tá linda né? Alguém tinha que sair ao pai gato, sem querer ofender, Pato!

A galera zoa Pato, que não liga. Ele sorri ao ver a irmã e se aproxima da escada. Nanda e Paulinha seguem. Lua desce e é recepcionada pelo irmão que estende o braço à ela.

PATO: Baixinha, você está linda. Falta pouco para sua festa de 15 né.

LUA: Não vejo a hora!

PATO: E essa beleza toda? Está guardando o príncipe encantado?

LUA: Sim, e ele está ali na frente.

PATO: O tal do Iago?

LUA: Aham. Eu vou conhecê-lo agora.

PATO: Quer que eu te acompanhe?

LUA: Pato, isso é cafona.

PATO: Quero ver a cara desse moleque depois hein.

LUA: Eu já tenho um pai, Pato.

PATO: E um irmão que luta jiu-jitsu. Avisa pra ele.

LUA: Bobo. Deixa eu ir, ele tá me esperando.

PATO: Boa sorte.

Lua sai.

CENA 04. MANSÃO LAMBERTINI. COZINHA. INT. NOITE.

Caio pega um refrigerante na geladeira e se surpreende com alguém fora da tela. CAM revela Grego, sentado no balcão, um pouco sem jeito. Há uma cerveja intacta na frente dele.

GREGO: E aí.

CAIO: Você por aqui?

GREGO: Dá pra tentar disfarçar a surpresa?

CAIO: Foi mal. É que, não achei que te veria por aqui.

GREGO: É, eu sei.

CAIO: Bom, faz tempo que chegou? Tá curtindo?

GREGO: Cheguei agora. To aqui olhando pra essa cerveja.

CAIO: Geralmente elas são pra tomar e não pra olhar.

Eles riem da situação.

GREGO: É que eu nunca bebi.

CAIO: Sério?

GREGO: Mó careta né, eu sei.

CAIO: Não, cara. Você não precisa beber, senão quiser. Deixa eu ver o que tem na geladeira que não seja alcoólico.

Caio procura um tempo. Volta-se para Grego.

CAIO: Serve um achocolatado?

GREGO: Ce acha mesmo que eu vou tomar achocolatado aqui, enquanto tá todo mundo bebendo?

CAIO (fecha a geladeira): É que não tem muita opção. E volto a dizer, beber ou não tem que ser uma decisão sua e não dos outros.

GREGO: Quero provar.

CAIO: Tem certeza?

GREGO: Tenho. To cansado de ver todo mundo fazendo e não poder.

CAIO: Então deixa eu pegar outra que essa deve tá quente.

Caio se apressa em abrir a geladeira e tira duas garrafas de dentro. Ele abre a primeira e oferece a Grego, que aceita e entorna a garrafa na boca, faz careta.

CAIO: Amarga?

GREGO: Sim.

CAIO: É assim mesmo, depois acostuma. (abre a que está em sua mão e bebe).

GREGO: Obrigado.

CAIO: Por te incentivar ao consumo de álcool?

GREGO: Não, cara. Por fazer o que tem feito por mim, tentando me encaixar, me enturmar.

CAIO: Não foi nada. Vai ficar por aí?

GREGO: Hum, talvez, não conheço muita gente, quer dizer, conheço mas não são meus amigos, quer dizer, é que/

CAIO: Já entendi, relaxa. Nem todo mundo aqui são como o Pato e o Diego. Tem gente legal.

GREGO: É, eu sei.

CAIO: Vamo vê o movimento na piscina então.

GREGO: Bora.

CENA 05. CASA NA PRAIA. QUARTO. EXT. NOITE.

Kátia entra no quarto com os olhos vendados. Leonardo a guia. Ele retira a venda e ela fica fascinada com o que vê. A cama está ornamentada com pétalas de rosas vermelhas, há um balde com champagne no criado-mudo. Kátia vira-se para o marido já beijando-lhe.

KÁTIA (feliz): Meu amor!

LEONARDO: Gostou?

KÁTIA: Eu amei. Você pensou em todos os detalhes.

LEONARDO: Você merece. Quero que você tenha uma noite inesquecível.

KÁTIA: Já estou tendo. Só de estar do seu lado.

LEONARDO: Eu sei que na correria do dia a dia e com os problemas com o Pato/

KÁTIA: Não vamos falar disso. Eu te amo.

LEONARDO: Eu também te amo.

O casal se beija com fervor. o clima vai esquentando entre eles. Leonardo tira a camisa e Kátia o vestido. Ela percorre as mãos pelo peitoral do marido, CAM foca as costas dela quando Leonardo retira o sutiã de Kátia, deitando-se na cama por cima dela.

CENA 06. MANSÃO LAMBERTINI. SALA. INT. NOITE.

Diego oferece uma cerveja a Pato.

DIEGO: Vai ficar a noite toda com essa cara?

PATO: Acho que ela não vem.

DIEGO: Tem alguém se lamentando porque vai perder a aposta.

PATO: Não to me lamentando. Eu já transei com a Amanda diversas vezes. Já você, o máximo que conseguiu da Nanda foi um beijo contra a vontade dela.

DIEGO: Não precisa pegar pesado. Se a Amanda não aparecer tu pode se divertir. Essa festa tá cheia de gatinha.

PATO: A Amanda está mexendo comigo, Dieguito. Acho que eu estou apaixonado.

DIEGO: Qual é, Pato! Ce tá de brincadeira né?

PATO: Tu não entende.

DIEGO: Não cai nessa, meu brother, é cilada. Aproveita a noite. Dá uma olhada, cara, tua casa, um monte de delicinha e tu com a cabeça em quem não ficou de vir? Qual é! Não to te reconhecendo. (Pato ri)

PATO: Acho que ce tem razão.

DIEGO: Eu sempre tenho, meu querido. Além disso com a Amanda fora da jogada, qualquer garota que vier tá valendo nossa aposta, fechou?

Pato pensa um minuto.

PATO: Fechou!

DIEGO: Esse é meu garoto! Agora eu vou atrás da Nanda porque de hoje, não passa.

PATO: Vai lá, vai.

CENA 07. APARTAMENTO DE AMANDA. QUARTO. INT. NOITE.

Ambiente simples, sem luxo. É um kitnet. Amanda com o celular no ouvido, sentada à mesa com um copo de suco e um sanduíche a sua frente.

AMANDA: Claro que não vou né, amiga, uma festa com um monte de adolescente regada a droga e bebida. Se a polícia aparece eu to ferrada!

CENA 08. APARTAMENTO MARILU. SALA. INT. NOITE.

Marilu (35 anos, morena, cabelos cacheados), sentada no sofá.

MARILU: Então vai deixar o ninfetinho esperando?

ALTERNAR CENAS

AMANDA: Não vou arriscar meu plano por conta da imaturidade do garoto. Eu invento uma desculpa qualquer, o Pato tá nas minhas mãos.

MARILU: Pato?

AMANDA: É o apelido dele, acredita?

MARILU: Ai Amanda, só você pra se meter numa história dessas viu. Esperava mais da minha aluna.

AMANDA: Mas é por uma causa maior, Marilu. Aquele garoto é minha galinha dos ovos de ouro. O pai dele é um dos maiores empresários do país, você sabe. Já consegui me enfiar na empresa e na família. Essa pobreza está com os dias contados!

MARILU: Nesse ponto somos muito parecidas. A diferença é que sou mais competente e meu empresário já está livre e desimpedido pra ficar comigo.

AMANDA: Ele se separou da mulher?

MARILU: Em que mundo você vive, garota? Está em todos os sites de fofoca da cidade.

AMANDA: Olha, eu vou ter que desligar. Estão batendo na porta, é um cliente.

MARILU: Boa sorte.

AMANDA: Tchau.

(MUSIC: BALA DE PRATA - FERNANDO E SOROCABA)

Amanda desliga, coloca o aparelho na mesa. Ela se encaminha até a porta, abre. De seu ponto de vista, vemos um homem alto, forte vestindo polo azul e jeans, usa cavanhaque.

HOMEM: Gisele?

AMANDA: A própria.

HOMEM: Gostei.

AMANDA: Entra, quer alguma coisa?

HOMEM: Com você eu quero tudo e muito mais.

O homem avança em Amanda, passando a mão por seus seios e bunda, beijando o pescoço. Close em Amanda, permitindo os toques, mas sem muita empolgação. Ela fecha a porta na nossa cara.

MUSIC OFF.

CENA 09. MANSÃO LAMBERTINI. JARDIM. EXT. NOITE.

Lua caminha pelo jardim. Uma galera na piscina, se divertindo, outros fumando, bebendo, se beijando. Ela recebe uma mensagem no celular.

IAGO: Cadê você?

LUA: Estou chegando no portão.

IAGO: Ok.

Lua chega em frente  ao portão automático. Ela aperta um botão e o portão começa a abrir. Ela SAI pra rua totalmente deserta. Digita.

LUA: Cadê você?

IAGO: Estou aqui no carro.

LUA: Uau, você dirige?

IAGO: Meu pai me ensinou. Ele é liberal às vezes. Não tenho do que reclamar. Vamos dar uma volta?

LUA: Demorou.

Lua procura e acha um pouco a frente da casa o mesmo carro do capítulo 8, cena 10. Quando vai atravessar a rua um carro branco surge em alta velocidade assustando-a. Sirenes de polícia soam ao longe e o carro de Iago sai em disparada. Alguns minutos depois uma viatura da polícia também passa em frente a casa. Lua apressa-se em entrar e fechar o portão.

LUA: Nossa! Essa foi por pouco!

Lua começa a caminhar em direção a festa quando seu celular sinaliza a chegada de uma mensagem. Ela vê rapidamente.

IAGO: Foi mal. A polícia apareceu e eu fiquei com medo de ser abordado. Sou menor de idade né.

LUA: Eu também. Imagina se eles param aqui e resolvem entrar? Todo mundo ferrado. Mas acho que era algum tipo de perseguição.

IAGO: É. Nossa cidade tá cada dia mais perigosa.

LUA: Certeza. Ainda vai vir?

IAGO: Eu te aviso daqui a pouco. Pode ser?

LUA: Ok.

Lua volta pra festa. Larissa e Andreia vem correndo em sua direção.

CENA 10. MANSÃO LAMBERTINI. QUARTO PATO. INT. NOITE.

Paulinha, esparramada na cama e de olho no celular.

PAULINHA: Quando você disse que queria vir no banheiro imaginei que fosse pra tentar tirar o álcool do estômago ou retocar o batom e não sentar no trono.

NANDA (off): Para de reclamar. Eu não te pedi pra vir.

PAULINHA: Vai demorar muito? Eu to com fome.

NANDA (off): Como você é, hein, amiga! Tá cogitando me deixar sozinha aqui, é isso?

PAULINHA: Sem drama tá, Fernanda?

Nanda vomita.

NANDA (off): Droga!

PAULINHA: Falei pra você ir com calma.

NANDA: Ai, você tá parecendo minha mãe com essas broncas chatas. Já disse que hoje eu quero me divertir. E outra, se eu ficar ruim eu durmo aqui.

PAULINHA: Querendo dormir no quarto do Patinho é?

NANDA: Nem morta. Ele que fique com aquela molestadora de menores. Essa casa tem trocentos quartos.

PAULINHA: Olha, eu to adorando sua versão dark, mas não vai dar pra te esperar, vou lá comer alguma coisa.

NANDA (off): Não, Paulinha! E se o Pato aparecer? O que eu vou dizer?

PAULINHA: Ce não vai precisar dizer nada né, miga. Ele vai saber o que ce tá fazendo aí. (ri)

NANDA: Paulinha, volta aqui!

PAULINHA: Eu não demoro.

NANDA (off): Paulinhaaaa!!!

CORTA PARA

 

CENA 11. MANSÃO LAMBERTINI. CORREDOR. INT. NOITE.

Paulinha sai do quarto de Pato e se depara com Diego.

DIEGO:  Tava fazendo o que no quarto do Pato?

PAULINHA: Pergunta pra minha mão!

E sai.

DIEGO: Garota insuportável. A Nanda deve tá aí dentro. A hora é agora, Diegão.

Diego entra.

CENA 12. CASA DE PRAIA. COZINHA. INT. NOITE.

Luz apagada. Kátia está bebendo água com a porta da geladeira aberta, iluminando o ambiente. Ela fecha. Encaminha-se para uma extensa bancada de mármore, abre uma gaveta. CAM detalha as inúmeras facas lá dentro. Ela retira a maior. Alisa o objeto brilhante com o dedo causando um pequeno corte em si mesmo. Seu dedo sangra.

KÁTIA: Seria hoje um bom dia para madame Kátia Lambertini tornar-se a viúva mais triste da cidade?

Ela suga o sangue que escorre de seu dedo com a boca. Ri.

Retira-se do local com a faca em punho.

CORTA PARA

CENA 13. CASA DE PRAIA. QUARTO. INT. NOITE.

Leonardo está adormecido na cama. Kátia entra, fica por ali rodeando o marido.

KÁTIA: O final de semana do casal apaixonado que termina em tragédia. O crime perfeito.

Ela se aproxima dele, o beija. Ele não reage.

KÁTIA: Meu amor, você não sabe o quanto dói viver sem você. Prometo cuidar dos nossos filhos.

Ela ri com os próprios devaneios.

CENA 14. MANSÃO LAMBERTINI. JARDIM. EXT. NOITE.

Caio e Grego sentados na grama observam o movimento. Há poucos metros dos dois há um casal se esfregando também na grama.

GREGO: Cara, eles sabem que tão no meio de um monte de gente?

CAIO: A essa altura nem devem mais saber o que tão fazendo.

Caio ajeita o óculos, meio sem jeito.

A música eletrônica para no interior da casa e começa a tocar FLASHLIGHT - JESSIE J.

CAIO: Eu adoro essa música.

GREGO: Não conheço.

CAIO: Como você não conhece Jessie J!

GREGO: Foi mal.

CAIO: Ahn, tudo bem. Mas, vai por mim, vale a pena ouvir.

GREGO: Ok.

Eles silenciam por um instante. Curtem o som. Grego toma um gole da cerveja.

CAIO: Curtiu mesmo esse lance de bebida hein.

GREGO: Sim, to curtindo a vibe. É uma sensação de relaxamento.

CAIO: Só não exagera porque isso pode ter consequências.

GREGO: Você não falou nada sobre consequências.

CAIO: Não achei que precisasse. Mas também não é o fim do mundo, no máximo você vai vomitar e acordar com a cabeça explodindo.

GREGO: Tipo ressaca?

CAIO: Isso aí.

GREGO: Letra bonita.

CAIO: Oi?

GREGO: A música. Tem uma letra bonita.

CAIO: Sim. Fala de alguém que estando no escuro, encontra alguém pra ser sua luz no fim do túnel.

Eles se olham por um tempo até que são interrompidos.

PAULINHA: Caio! Até que enfim achei você. Mandei mensagem no celular e não respondeu.

CAIO: Foi mal, acho que descarregou.

GREGO: Oi, Paulinha.

PAULINHA: E aí.

CAIO: E a Nanda, cadê?

PAULINHA: Me esperando no banheiro. Gente, esqueci completamente dela!

CAIO: No banheiro?

PAULINHA: Sim, mas depois eu te explico. Não posso demorar. Fica aí e não some de novo. Eu volto logo.

Paulinha sai correndo.

GREGO: Meio doidinha sua namorada.

CAIO: É.

Começa a tocar balada novamente.

CAIO: Bora dançar?

GREGO: Ce tá maluco.

CAIO: Por que?

GREGO: Eu não sei dançar.

CAIO: Você também não sabia beber.

GREGO: Não, cara. Não inventa.

CAIO: Vamo lá!

Caio sai puxando Grego em direção a casa. Eles passam por Larissa, Andréia e Lua que estão sentadas na espreguiçadeira, à beira da piscina.

LARISSA: O que?

ANDRÉIA: Não se encontraram?

LARISSA: Mas ele não tava te esperando lá fora?

ANDREIA: Explica essa história direito.

LUA: Na hora que eu ia atravessar a rua a polícia apareceu em alta velocidade perseguindo um carro. O Iago ficou com medo e foi embora no carro do pai dele.

ANDRÉIA: Poxa amiga que pena.

LARISSA: Não foi dessa vez.

O celular de Lua apita.

LUA (lendo): Desculpe, Lua. Cheguei em casa, contei pro meu pai o que aconteceu e ele não quer me deixar sair.

ANDRÉIA: Hoje não foi seu dia de sorte.

LUA: E tem algum que eu tenho sorte?

LARISSA: Paciência, Lua. Você pode não ter o boy magia, mas tem a nossa amizade.

As amigas se abraçam. Ricardo aparece.

RICARDO: Perdi alguma coisa?

ANDREIA: Rick, você veio!

Ela corre para abraçá-lo.

CENA 15. MANSÃO LAMBERTINI. QUARTO DE PATO. INT. NOITE.

Diego bate na porta do banheiro.

DIEGO: Nanda? Sai logo daí.

NANDA (off): Vai embora, Diego.

DIEGO: Está tudo bem? Abre a porta, eu quero ajudar.

NANDA (off): Não, você vai rir de mim.

DIEGO: Eu já fiquei ruim e você me ajudou, esqueceu? Acha que eu não sou capaz de retribuir?

NANDA (off): Nossa, que profundo. Tá pesquisando no google?

DIEGO: Quando eu quero ser cavalheiro eu consigo.

Paulinha chega.

PAULINHA: O que você faz aqui?

DIEGO: A Nanda precisa de ajuda. Estou aqui para ajudar.

NANDA (off): Paulinha, graças a Deus você voltou.

PAULINHA: Você já pode ir. Pode deixar que eu assumo o comando.

DIEGO: Eu não saio daqui até ver o estado da Nanda.

PAULINHA: Você não vai ver o estado da Nanda. Você vai é sair desse quarto agora.

Paulinha aponta para a porta.

DIEGO: Ah é, quero ver quem vai me tirar.

PAULINHA: Sai logo daqui!

Paulinha vai pra cima dele que segura seus braços e a beija no impulso.

MUSIC: (AMORES IMPERFEITOS - ANAVITÓRIA)

Tempo no beijo inesperado dos dois. Ela se afasta.

DIEGO: Foi mal eu não tive escolha.

Paulinha se vira.

DIEGO: Você estava brava, ficando fora de si e eu tive que fazer algo. Foi mal.

PAULINHA: Sai daqui.

DIEGO: Foi mal.

Diego sai. Paulinha se vira, sorri. Nanda SAI do banheiro.

NANDA: Vocês ficaram em silêncio não me diga que...

PAULINHA: Aham.

NANDA: Se beijaram?

PAULINHA: Sim.

NANDA: Mas e aquela história/

PAULINHA: Eu ainda gosto dele, mas pensar nele não me faz bem. Você sabe.

NANDA: Ok, vamo falar de coisa boa.

PAULINHA: Do Pato?

NANDA: Esquece o Pato. Ele deve estar nos braços da pedófila.

PAULINHA: Olha, eu não a vi lá embaixo não viu. To achando que ela não veio.

NANDA: Sério?

PAULINHA: Pelo visto você não é a única que dá bolo em garotos.

NANDA: Bem feito. Pelo visto ela deve ter cansado de bancar a babá. Agora ele vai ficar a noite toda sozinho.

PAULINHA: A menos que você chegasse junto.

NANDA: Será que eu devo?

PAULINHA: Cadê a Nanda versão dark que eu conheci hoje?

NANDA: Você está certa. Vou marcar presença, mas antes eu preciso me arrumar, retocar a maquiagem. Me ajuda. Pega a bolsa ali.

CORTA PARA

CENA 16. MANSÃO LAMBERTINI. CORREDOR. INT. NOITE.

Diego parado ao lado da porta do quarto.

DIEGO: Então quer dizer que minha teoria sobre a Nanda gostar do Pato é verdade. Agora é questão de honra tirar a virgindade dela. O Pato jamais terá esse prazer.

Em Diego. Ele se retira.

MUSIC OFF.

CENA 17. MANSÃO LAMBERTINI. SALA DE ESTAR. INTT. NOITE.

PLANO GERAL do ambiente onde adolescentes dançam ao som de balada eletrônica. Caio e Grego entre as pessoas. O segundo está um pouco tonto.

CAIO: Tá tudo bem?

GREGO: Acho que é a bebida.

Pato chega nos dois.

PATO: Que que esse pela saco tá fazendo aqui?

CAIO: Relaxa. Eu convidei.

PATO: Folgado você hein.

Grego vomita nos pés de Pato.

PATO (raiva): Ah seu/

Pato vai avançar em Grego, Caio não deixa.

CAIO: Ow cara, pega leve. Ele não fez por mal.

PATO: Ok, vou aliviar em consideração a você. (a Grego) Mas vê se não cruza meu caminho, mané.

Nanda e Paulinha surgem.

NANDA: Tudo bem por aqui?

PATO: Até que enfim as duas princesas apareceram. Tavam por onde?

NANDA: Sentiu nossa falta é? E sua namoradinha?

PATO: A Amanda não vem. Mas também, que se dane!

PAULINHA: Você viu o Diego por aí?

PATO: Não, por que?

PAULINHA: Nada. É que geralmente vocês sempre estão juntos, então estranhei, só isso.

NANDA: Ei, Caio, finalmente sua namorada apareceu. Ela nem cuidou de você hoje.

CAIO: E você está bem animada, não é dona Fernanda?

NANDA: Só um pouquinho. Olha só, eu até consigo fazer o quatro com as pernas.

Nanda se desequilibra, mas Diego a segura.

DIEGO: Essa foi por pouco.

Eles se olham.

NANDA: Nossa, você é rápido. Apareceu assim do nada.

DIEGO: Esse sou eu. Quando menos esperam eu surpreendo.

Diego encara Paulinha.

PATO: Bom, bora beber?

NANDA: Partiu!

DIEGO: Vou lá pegar uns goró pra gente.

CAIO: Vou junto.

DIEGO: Não precisa. Fica aí fazendo companhia ao nerdinho e a tua namoradinha.

PAULINHA: Desnecessário!

Diego sai.

GREGO: Acho melhor eu ir. Já dei vexame demais.

NANDA: Que nada, Greguinho, a festa tá só começando, vamo curtir, a noite é uma criança. Vem, dança comigo. Mostra que além de inteligente você também é um ótimo dançarino.

Nanda puxa Grego pra dançar. Ele vai meio sem jeito. Caio e Paulinha também dançam. Nanda fica o tempo todo olhando pra Pato, que verifica o celular.

PAULINHA: Não sabia que você era tão amigo do nerd.

CAIO: A gente tá fazendo o trabalho de literatura juntos. Ele é legal.

PAULINHA: Preciso confessar uma coisa. Eu e o Diego nos beijamos.

Ele para de dançar.

CAIO: O que?

PAULINHA: É. Lá em cima.

CAIO: Poxa, Paulinha. Como assim? Agora ele vai saber que nosso lance é mentira. E que cretino hein!

PAULINHA: Não fica bravo comigo.

CAIO: Não me peça o impossível.

Caio se afasta. Ela vai atrás. Grego observa a cena, Nanda muito envolvida na música nem percebe.

CORTA PARA

CENA 18. MANSÃO LAMBERTINI. COZINHA. INT. NOITE.

Diego abre a geladeira, pega várias garrafas de cerveja. Vai abrindo uma a uma, utilizando a quina na mesa. Ele olha para os lados e observa se alguém está olhando, retira do bolso um frasco, despejando o conteúdo em uma das garrafas. Ele recolhe as garrafas e sai.

CENA 19. CASA DE NANDA. CORREDOR. INT. NOITE.

Estela abre a porta do quarto, liga a luz, vê a cama arrumada e fecha a porta. Celo surge no corredor.

CELO: Mulher, o que faz acordada a essa hora?

ESTELA: Perdi o sono. E a Nanda não chegou.

CELO: Você está cansada de saber que quando ela não chega até meia-noite é porque ela e os amigos vão dormir na casa do Pato.

ESTELA: E se acontecer alguma coisa?

CELO: Seu celular está ligado?

ESTELA: Está.

CELO: Então fique tranquila. Se acontecer alguma coisa ele vai tocar.

ESTELA: Verdade né? E agora, o que vamos assistir? Estou sem sono.

CELO: Eu estou com sono.

ESTELA: Então me faça companhia na sala. Você dorme e ronca e eu assisto.

CELO: Eu tenho escolha?

ESTELA: Que bom que meu maridão é compreensivo. Me faça um favor, vá ligando a tv que eu vou preparar a pipoca.

CELO: Pipoca às duas da manhã?

ESTELA: É a tradição filme com pipoca. Esqueceu?

CELO: Ok ok.

Em Estela empolgada.

CENA 20. MANSÃO LAMBERTINI. SALA DE ESTAR. INT. NOITE.

Ricardo e Andréia se divertem. Larissa e Lua sentadas observando a animação da galera enquanto curte a festa.

LARISSA: Vai ficar a festa toda com essa cara de velório?

LUA: Eu to desanimada, poxa. Me arrumei toda, pra no fim terminar minha noite assim.

LARISSA: Eu acho um desperdício.

Andréia se aproxima.

ANDRÉIA: Meninas, não me digam que as duas vão ficar sentadas?

LUA: To sem clima.

ANDRÉIA: Lua, é por causa do Iago?

LUA: Sim.

LARISSA: Eu já falei pra ela levantar. Sorrir, aproveitar essa festa maravilhosa.

ANDRÉIA: Se todo problema que surgir você deixar as oportunidades passarem, você nunca vai aproveitar nada.

LARISSA: Concordo. Hoje você está livre. Não tem sua mãe pegando no seu pé. Aproveite Lua.

LUA: Certo, eu vou aproveitar. Eu quero uma bebida.

LARISSA (assustada): O que?

LUA: Sim, uma bebida.

LARISSA: Mas você é menor de idade.

LUA: Tem alguém maior de idade aqui? E outra, você não disse pra aproveitar a festa? É o que eu farei.

Lua levanta e sai determinada. Larissa vai atrás. Ela vê Diego carregando uma bandeja de bebida.

LUA: Você distrai o amigo do Pato e eu pego uma bebida.

LARISSA: Mas como?

LUA: Me siga, que vai dar tudo certo.

LARISSA: Ok.

LUA: Ei Diego, espera.

DIEGO: Fala, pirralha!

LUA: Eu preciso de sua ajuda.

DIEGO: No que?

LUA: A Larissa está doida pra dançar, mas falta um par. Pode dançar essa música com ela?

DIEGO: Manda ela procurar alguém da idade dela.

LUA: Poxa, Dieguinho! Faz isso pela minha amiga.

DIEGO: Agora não rola, eu preciso levar essa bebida pro pessoal. Estão esperando.

LUA: Eu posso levar.

DIEGO: Melhor não. O Pato não vai gostar.

LARISSA: Ele não liga. Faz isso por mim, por favor.

DIEGO: Está bem, só uma música.

LUA: Pronto, Lari. Vai conseguir dançar.

DIEGO: Fica de olho na bebida. Não quero ninguém chegando perto dela. Você cuida?

LUA: Pode deixar.

Diego e Larissa dançam. Lua pega uma das garrafas e entorna. Ela faz careta, mas segue bebendo. Diego e Larissa dançam animados. Lua termina de beber e esconde a garrafa vazia. Ao fim da música Diego se aproxima.

DIEGO: Valeu baixinha. Vou lá!

Diego pega as garrafas sem perceber que falta uma. Lua fica meio grogh, ri do nada.

LARISSA: Lua, está tudo bem?

LUA: Tá tudo MARA, amiga, tudo MARA.

Começa a tocar funk. Abre PLANO GERAL do ambiente. A galera vai a loucura. CAM procura Diego que chega onde estão Pato, Nanda e Grego.

DIEGO: Ué, cadê o resto da galera?

PATO: Não vi quando saíram. Será que os pombinhos subiram?

GREGO: Parecia mais que estavam brigando.

DIEGO (cínico): Ah é? O que será que houve com o casalzinho feliz?!

NANDA: Para com esse deboche e me dá logo essa bebida.

DIEGO: Seu pedido é uma ordem, princesa!

Pato, Nanda e Grego pegam uma garrafa ao mesmo tempo. Diego percebe que misturou tudo e não sabe mais em que garrafa colocou o alucinógeno.

DIEGO (pensa): Mas que Droga!

Close em Pato, Nanda e Grego entorando suas garrafas. Sobra uma na mão de Diego.

PATO: Não vai beber, cara?

NANDA: É Dieguinho, vai amarelar?

Close final em Diego, sem saber o que fazer.

 
     

 

     

autores
GABO OLSEN
DIOGO DE CASTRO


colaboração
IGOR FEIJÃO

elenco
NICOLAS PRATTES como PATO
ALICE WEGMANN como NANDA
JOSÉ VICTOR PIRES como DIEGO
LETÍCIA NAVAS como PAULINHA
JOÃO VITHOR OLIVEIRA como CAIO
LARISSA MANOELA como LUA
ERIBERTO LEÃO como LEONARDO
TALITA CASTRO como KÁTIA
JUAN ALBA como HEITOR
CAROLINA FERRAZ como SELMA
ÂNGELA LEAL como NANÁ
JANDIR FERRARI como MARCELO
ÂNGELA DIP como ESTELA
DALTON VIGH como RUBENS
LUCIANA VENDRAMINI como MIRTES
FILIPE BRAGANÇA como GREGO
LUCAS COTRIM como DJ
RAISSA CHADDAD como LARISSA
NICHOLAS TORRES como RICARDO
HESLAINE VIEIRA como ANDRÉIA
GABRIEL SANTANA como ISMAEL
CARLA FIORONI como JULIANA
MARCELLO AIROLDI como ARNALDO
VERA ZIMMERMANN como LÚCIA
SANDRA PÊRA como VANICE
WAGNER SANTISTEBAN como ALFREDO
MARISOL RIBEIRO como MILENA
JIDDÚ PINHEIRO como RAMIRO


trilha sonora
SIPPIN' ON SUNSHINE - AVRIL LAVIGNE (ABERTURA)
OPEN BAR - PABLO VITTAR
BALA DE PRATA - FERNANDO E SOROCABA
FLASHLIGHT - JESSIE J
AMORES IMPERFEITOS - ANAVITÓRIA

produção

CRISTINA RAVELA


Esta é uma obra de ficção virtual sem fins lucrativos. Qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações da vida real terá sido mera coincidência.


REALIZAÇÃO


Copyright
© 2018 - WebTV
www.redewtv.com
Todos os direitos reservados
Proibida a cópia ou a reprodução
.aaa.
.aaa.

Compartilhar:

Postar um comentário

 
Copyright © WebTV | Design by OddThemes