New Stages - 2x14



2x14
 
 
 

VOZ DE JOSH – Anteriormente em New Stages...

-------- 
 
SUZIE – ...Pelo resto deste ano letivo, eu posso ser a professora fixa de vocês. Prometo que vou fazer um trabalho tão bom quanto o do seu antigo professor.
 
ALUNO 4 – Para quem aturava o mala do Sr. Wilson, vai ser ótimo ter uma mulher no comando das aulas de história... Né, Mitch?
 
MITCH – E que mulher, cara... Muito gostosa. Duvida quanto que até o final deste ano eu consigo dar uns amassos com ela e encerrar o meu segundo grau com chave de ouro?
 
--------
 
MARTA – Foram horas que custaram a passar, mas finalmente nos livramos dela... (senta-se no sofá e respira aliviada)
 
JOSH – Lembre-se que você estará livre da Meghan por apenas algumas semanas. Logo vem o Natal, o Ano Novo e por fim o casamento dela com o papai. Sem falar que nesse meio tempo você terá que preparar o chá de cozinha da noiva.
 
--------
 
EVAN – (se levanta da cama) Se você não quer apenas diversão, então não precisamos ter...
 
RYAN – (surpreso) Do que você está falando?
 
Evan se aproxima de Ryan e o beija ardentemente.
 
EVAN – (interrompendo o beijo) Podemos tentar algo mais sério.

-------- 
 
RYAN – Bom, eu... (mente) Não, não estou saindo com ninguém. Pelo menos, não nesse momento. Quem sabe mais pra frente...
 
JOSH – (volta a olhar para o notebook) Eu acho que você deveria...
 
RYAN – É complicado encontrar uma pessoa que valha a pena.
 
--------
 
JOSH – Você não está bravo por causa do trabalho que eu fiz com o Ryan, né Austin? Porque se tiver, pense que já acabou... Eu e o Ryan não vamos mais nos ver.
 
AUSTIN – Eu sei que acabou, Josh... Mas é que... É que vocês pareciam tão entrosados durante a apresentação. Por um momento, eu pensei como seria se eu te perdesse para ele.

-------- 
 
Austin já está próximo da ejaculação. Muito envolvido na relação sexual, Josh acaba se distraindo e saindo da realidade.
 
AUSTIN – (respirando ofegante) Está gostando, amor?
 
JOSH – Sim, Ryan, não para...
 
Close em Austin, que abre os olhos, rapidamente. Josh faz o mesmo, assustado.
 
AUSTIN – (ainda respirando ofegante) Você me chamou do quê?

--------

CENA 01. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. ALOJAMENTO. DORMITÓRIO DE JOSH E MATT. INT. NOITE.

(música: California King Bed - Rihanna)

Continuação imediata da última cena do episódio anterior. Agora, Austin já está vestindo sua calça, ainda sem camisa, enquanto Josh está apenas de cueca.

JOSH – Austin, aonde você pensa que vai?

AUSTIN – Aonde você acha que eu vou, Josh? Embora, claro. Ainda mais depois de toda a humilhação que passei por aqui...

JOSH – (desesperado) Não foi nenhum tipo de humilhação, Austin, eu só acabei me confundindo...

AUSTIN – Ah, você trocou o nome do seu namorado por outro justo quando está transando com ele? (balança a cabeça negativamente) Desculpa, Josh, mas isso não é normal...

JOSH – Austin, pode acontecer! Antes da gente começar a fazer... Você sabe...

AUSTIN – (interrompe) Não fale como se tivesse mais gente aqui.

JOSH – (volta a falar) Nós estávamos falando do Ryan. Eu acabei trocando as bolas e te chamando pelo nome dele. Mas acredite, o Ryan não estava nos meus pensamentos...

AUSTIN – (vestindo a sua camiseta) Tá. E você quer que eu caia nessa história mal contada? Vai negar que não estava pensando nos seus momentos a dois com ele enquanto fazia sexo comigo?

JOSH – Eu e o Ryan nunca chegamos a transar...

AUSTIN – Pelo jeito não foi por falta de vontade... Josh, quer saber, eu não estou aqui pra fazer papel de palhaço.

JOSH – Austin, você que está querendo agir como um. Eu já te disse que nem estava pensando no Ryan e você insiste em não acreditar em mim. Eu não quero que o mesmo que aconteceu entre eu e o Ryan volte a acontecer com a gente.

AUSTIN – Eu é que não quero ficar com um cara só para substituir o antigo, Josh. Eu não sou um estepe, ok? Um estepe que você encontra em qualquer canto e o usa apenas para preencher o espaço que o outro deixou.

JOSH – (começa a se irritar) Austin, não fala assim... Eu não estaria com você apenas para brincar com os seus sentimentos. Você sabe que eu te amo!

AUSTIN – (para de se vestir e encara Josh) Me ama tanto quanto amava o Ryan?

Close em Josh, que se assusta com a pergunta de Austin. Ele fica imóvel, sem saber o que responder.

AUSTIN – Bom, acho que você não precisa me dizer mais nada... Tá na cara que você ainda gosta daquele babaca.

JOSH – Amor, quando a gente começou a namorar, eu pedi um tempo para que eu pudesse esquecer o Ryan e você cedeu...

AUSTIN – (interrompe) Eu cedi sim, Josh, porque eu achei que poderia te fazer esquecer ele... Mas você não acha que está levando tempo demais?

Close em Josh, novamente sem ter o que responder.

AUSTIN – (balança a cabeça inconformado) Eu não tenho mais nada para fazer aqui...

Austin abre a porta do dormitório e sai apressado do local. Close em Josh, que caminha até a saída do quarto e fecha a porta. Ele se encosta nela e deixa uma lágrima rolar em seu rosto. Em seguida, desliza o seu corpo sobre a porta, caindo sentado no chão, muito triste com tudo o que ocorrera.

CENA 02.

(A música tocada na cena anterior continua a ser executada nesta.)

Tomada da cidade de San Francisco com imagens dos principais pontos turísticos locais. Amanhece.

CENA 03. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. INT. DIA.

(Música cessa.)

Ryan entra na universidade e caminha até o elevador. Ele aperta o botão do painel que leva para o segundo andar. Assim que entra na cabine, as portas começam a se fechar. Apressadamente, outro garoto vem na direção do elevador, entrando dentro dele antes que as portas se fechem por completo. Percebemos que se trata de Austin, com alguns papeis na mão. Ele se assusta ao perceber que está ao lado de Ryan.

AUSTIN – (sem saber o que dizer) Essa foi por pouco... (levanta os papeis) Fui tirar algumas cópias que eu precisava para a aula de hoje.

RYAN – (olhando para frente) Interessante.

Austin sorri sem graça e os garotos permanecem no mais constante silêncio. De repente, ouve-se um barulho estranho dentro do elevador.

RYAN – (olha para Austin) Você ouviu esse barulho?

AUSTIN – (sem olhar para Ryan) Deve ser o clima pesado que se espalhou por aqui.

Finalmente, as portas se abrem. Do outro lado, vemos que Josh esperava o elevador para descer ao térreo. O garoto se surpreende ao perceber que seus dois amores dividem a mesma cabine. Ryan e Austin se entreolham e saem, tomando caminhos diferentes. Close em Josh, que engole seco. Por fim, ele entra no elevador e aperta algum botão no painel. As portas se fecham.

A imagem corta rapidamente para:

 
 
     
 
     


2x14 - SEM AR
 
     

CENA 04. SAN FRANCISCO HIGH SCHOOL. SALA DE AULA DO QUARTO ANO. INT. DIA. 

A imagem explora a sala de aula, mostrando os alunos muito centrados na aula de Suzie. Ela explica a matéria com bastante entusiasmo. 

SUZIE – ...Hoje, é possível perceber que o nazismo nada mais foi do que uma forma de política fracassada e desprezível. Mantendo seus ideais, Adolf Hitler mandava matar pessoas achando que com isso mudaria o mundo. Mal sabia ele que só estava ajudando a destruí-lo.

A sineta da escola começa a tocar, anunciando o fim da aula. Suzie se levanta e sorri para os alunos.

SUZIE – Pensando na aula de hoje, quero que vocês dissertem uma redação sobre o nazismo, expondo argumentos convincentes sobre o tema, e me tragam para a próxima aula. Muito obrigada e tenham um bom dia.

Os alunos se levantam de suas respectivas carteiras e começam a sair da sala de aula, com exceção de Mitch, que se aproxima lentamente de Suzie. A professora guarda o seu material em uma bolsa, distraída.

MITCH – (ao perceber que todos os alunos saíram da sala) Oi, professora... Será que a gente pode levar um papo rápido?

SUZIE – (olha para o garoto) Claro... O seu nome é?

MITCH – Mitch. (sorri) Prazer!

SUZIE – O prazer é meu, Mitch. Desculpa não ter guardado o seu nome ainda, mas sabe como é... Sou nova na escola e não tenho memória de elefante. (sorri) Mas em que posso ajudá-lo? Alguma dúvida com a matéria?

MITCH – (cabisbaixo) Sim, na verdade, eu não entendi absolutamente nada sobre a matéria...

SUZIE – Como assim? (surpresa) Por que você não levantou a mão durante a aula? Eu poderia voltar a explicar a matéria e deixar tudo bem claro para você.

MITCH – (levanta a cabeça) Eu não consegui entender a matéria, porque a professora distraiu a minha atenção...

Close em Suzie, que sorri sem graça.

SUZIE – (ri) Mitch, por favor, sem brincadeiras... Por um momento, eu cheguei a pensar que não estava sendo capaz de fazer os meus alunos entenderem a matéria...

MITCH – (ri também) Não, você é uma ótima professora... Eu até aceitaria ter algumas aulas particulares com a senhora... (percebe o que disse) Quer dizer, senhora não, porque você ainda está inteirona.

SUZIE – (tira o sorriso do rosto) Eu agradeço os elogios, Mitch, mas já que não tem nenhuma dúvida, eu acho melhor que você vá embora.

Mitch acena positivamente com a cabeça e começa a caminhar lentamente em direção a porta, dando a entender que sairá da sala de aula. Mas tudo é apenas uma ameaça. Ao invés de deixar o local, ele fecha a porta.

MITCH - ...Ou talvez eu possa ficar.

SUZIE – Mitch, por favor... (colocando sua bolsa em um dos ombros) A aula já acabou e eu preciso ir embora. Nos vemos na sexta-feira, ok?

MITCH – (se aproxima de Suzie maliciosamente) Pra que adiar para sexta-feira se podemos passar um momento juntos agorinha mesmo? (passa a mão no rosto de Suzie) A verdade é que desde que chegou aqui, eu não consigo mais tirar os olhos de você...

SUZIE – (tirando a mão do garoto de seu rosto) Mitch, o que você está fazendo? Você é o meu aluno e eu sou a sua professora, então o mínimo que eu exijo é respeito!

MITCH – (ri) Respeito? Vá me dizer que você não gosta disso aqui?

E, sem pensar duas vezes, o garoto beija calorosamente a sua professora. Suzie, surpresa, demora um tempo para responder à atitude, mas assim que cai em si, empurra o garoto para longe.

SUZIE – (grita) Mitch, o que você acabou de fazer foi um erro. Um erro!! (saindo da sala) Eu só não te levo para a diretoria porque não quero me envolver em nenhuma encrenca na minha primeira semana de trabalho, mas eu vou te deixar um aviso bem claro... (abrindo a porta) Se você voltar a se aproximar de mim e repetir o que acabou de fazer, eu vou ser obrigada a tomar atitudes drásticas. (pausa) Bom dia!

Suzie sai, apressada. Close em Mitch, que ri sozinho.

MITCH – (para si mesmo) Vai, vai, professorinha... Uma coisa eu tenho certeza: pelo menos o meu nome você jamais vai conseguir esquecer.

Close no garoto, que continua rindo sozinho, inspirado pelo beijo que roubou de sua professora.

CENA 05. SAN FRANCISCO HIGH SCHOOL. PÁTIO. INT. DIA.

Suzie sai apressada do corredor de salas de aulas. Eric espera por ela.

ERIC – Oi, meu amor. Como foi a aula de hoje?

Eric ameaça beijar Suzie, mas ela desvia o seu rosto.

SUZIE – (balançando a cabeça positivamente) Bem.

ERIC – (estranhando o comportamento de Suzie) Aconteceu alguma coisa?

SUZIE – Não, é só uma dor de cabeça fora de hora... (pausa) Você me leva para a casa?

ERIC – Sim, claro! Vamos!

Eric abraça Suzie e caminha em direção a saída da escola, ainda desconfiado a respeito do comportamento dela.

CENA 06. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. CORREDOR DAS SALAS DE AULAS. INT. DIA.

O sinal toca, anunciando o término de mais uma aula na universidade. Entre os alunos que saem de uma sala, estão Keith e Matt.

MATT – (colocando a mochila nas costas) Oi, Keith. Será que a gente pode conversar?

KEITH – Hummm... Deixa eu consultar a minha agenda. (olha para Matt) Claro que podemos, seu besta.

MATT – Você sabe onde a Chelsea estava anteontem à noite?

KEITH – A Chelsea ficou estudando no dormitório, por quê?

MATT – Você acredita que ela marcou um cinema comigo e acabou me deixando na mão? Eu fiquei preocupado achando que poderia ter acontecido alguma coisa com ela... Sem falar que eu não a vejo desde aquele dia.

Keith começa a rir.

MATT – (sem entender) O que foi?

KEITH – (fica séria) Matt, será que você ainda não percebeu que a Chelsea está fazendo de tudo para fugir de você e do Chad? (para si mesma) Meu Deus, como os homens podem ser tão idiotas?!

MATT – Mas por que, Keith? Por que ela fugiria de mim? A Chelsea tem razões de sobra para querer se afastar do Chad, afinal, o cara ficou com ela sendo que era comprometido com outra, mas eu não fiz absolutamente nada... Pelo contrário, eu estou desde o início desse ano correndo atrás dessa garota.

KEITH – Mas, Matt, você sabe que...

MATT – (interrompe) Não, não venha me dizer que eu cometi muitos erros no passado, porque eu já cansei de provar para a Chelsea que eu me tornei um cara melhor. Agora, me diz, todo esse esforço em mudar... De que adiantou? Fiz tudo pela Chelsea e ela nem se dá ao trabalho de reconhecer.

KEITH – (para de andar) Matt, se eu fosse você, dava um tempo para a Chelsea...

MATT – (para de andar também) Ah, claro, como se ela não tivesse tido todo o tempo do mundo durante os últimos meses...

KEITH – Tudo bem, você deu um tempo para ela pensar, mas a vida não deixou a Chelsea em paz. Muitas coisas aconteceram com ela ultimamente e que a deixaram muito abalada. No momento, a Chelsea precisa de espaço, Matt, e o melhor que você tem a fazer é respeitar.

Matt acena positivamente com a cabeça, concordando com o que Keith acabara de dizer. Os dois garotos continuam a andar e se aproximam do elevador.

KEITH – Você vai para o segundo andar também?

MATT – Sim.

Keith aperta o botão do segundo andar no painel eletrônico do elevador e as portas se abrem. Ela e Matt entram na cabine. O elevador começa a subir. De repente, ouve-se novamente o barulho estranho.

KEITH – Mas o que é isso?

MATT – (estranha) Isso o que?

KEITH – Esse barulho... Não é possível que você não tenha ouvido. Barulho em elevador não significa boa coisa.

MATT – Relaxa, Keith...

KEITH – Pelo amor de Deus, a última coisa que pode acontecer no momento é esse elevador...

E antes que Keith conclua o que está dizendo, o elevador para se subir, devido a algum problema técnico.

KEITH – (complementa) ...parar.

Close em Keith, atônita.

CENA 07. RESTAURANTE BENTON’S. INT. DIA.

A câmera explora o restaurante de Marta, onde algumas pessoas almoçam tranquilamente. De repente, várias mulheres começam a entrar no local, segurando pratos de comida, com plumas enroladas no pescoço e presentes na outra mão. Elas são sucedidas por Meghan, que entra apressada carregando várias sacolas. O garçom estranha o surgimento inesperado das mulheres e segue em direção a cozinha. A imagem corta rapidamente para:

CENA 08. RESTAURANTE BENTON’S. COZINHA. INT. DIA.

Marta está vestindo o uniforme de chef de cozinha e se demonstra bastante centrada na refeição que prepara. Outros cozinheiros a ajudam. O garçom entra no local.

GARÇOM – Dona Marta, por acaso é normal um grupo de mulheres invadir um restaurante no meio do dia segurando várias sacolas e pratos de comida? Afinal, esse é um restaurante e aqui tem comida.

MARTA – (limpando as mãos em um guardanapo) Como assim um grupo de mulheres?

GARÇOM – Não sei, mas elas estão bem festivas.

MARTA – E você não reconhece nenhum dos rostos? Quer dizer, nenhuma delas já esteve aqui?

GARÇOM – Acho que uma delas. Lembra aquela loira que veio acompanhada do seu ex-marido numa outra noite? Então, ela está entre o grupo.

MARTA – (irritada) Não, não pode ser... Eu não acredito que aquela cretina saiu de Nova York para vir me incomodar em um dia de semana. (realça) E ainda no meu trabalho. Ela não tem mais o que fazer?

GARÇOM – Quer que eu faça alguma coisa, dona Marta?

MARTA – Deixa comigo, querido. (saindo da cozinha) Eu mesma vou até lá desarmar esse circo. Por favor, cuidem da cozinha pra mim.

A imagem corta rapidamente para:

CENA 09. RESTAURANTE BENTON’S. INT. DIA.

Marta sai da cozinha. Meghan, assim que a vê, se aproxima dela bastante saudosa.

MEGHAN – (dá beijinhos longe do rosto de Marta) Querida, que bom vê-la novamente... (analisa Marta dos pés a cabeça) vestindo esse uniforme horroroso.

MARTA – Meghan, eu posso saber o que você está fazendo aqui? Eu estou em horário de trabalho.

MEGHAN – Eu que quero saber o que essas pessoas estão fazendo aqui. É por isso que os americanos estão cada vez mais gordos, deixam de comer saudavelmente em casa para se alimentarem na rua.

MARTA – Meghan, eu não sei se você percebeu, mas é do meu estabelecimento que estamos falando...

MEGHAN – (sorri) Ah sim, querida. Bom, vamos expulsar todas essas pessoas daqui. Precisamos de espaço para o meu chá de cozinha.

MARTA – (surpresa) Seu chá do que? Meghan, você pirou? Eu não posso interromper a refeição dos meus clientes para realizar o seu fútil chá de cozinha. Sem falar que eu era a organizadora do evento e você nem me telefonou para marcar a data.

MEGHAN – Querida, você já quer comandar este... (olha ao seu redor) este lugar, eu não queria te incomodar com outras preocupações. Então, preparei tudo por você. A única coisa que precisa fazer é ceder o lugar. Neste caso, o seu restaurante. E minhas amigas já estão todas aqui, não é mesmo, meninas?

As amigas de Meghan levantam as mãos para o alto e gritam. Close nos clientes, que se sentem incomodados com toda a bagunça.

MARTA – Meghan, eu não tenho tempo para discutir agora, então dessa vez eu vou deixar passar... Mas eu preciso te deixar algo bem claro: eu sou uma mulher que tenho um negócio para tocar e não posso interromper o meu trabalho para servir as suas necessidades. Então da próxima vez, me ligue para marcar qualquer... seja qual for a urgência... compromisso, ok?

MEGHAN – (sorri) Ok. Muito obrigada por tudo, Marta. (pausa) E vamos enxotar esse povo daqui. (indo até as mesas) Se levantem, por favor, e vão fazer uma caminhada. Não quero pessoas gordas por aqui... Circulando, circulando...

Marta corre até Meghan, impedindo que ela continue a expulsar as pessoas.

MARTA – E pode deixar que dos meus clientes eu cuido.

Marta olha furiosa para Meghan, enquanto esta retribui com um sorriso.

CENA 10. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. ELEVADOR. INT. DIA.

Matt e Keith estão presos dentro do elevador. Keith ainda está atônita.

KEITH – (falando sussurrado) Por favor, Matt, me diz que não estamos presos nesse lugar...

MATT – Keith, por que você está sussurrando?

KEITH – (começa a bater em Matt) Eu não sei se você sabe, mas o meu maior medo está sendo realizado neste momento. A minha maior fobia era ficar presa em um elevador.

MATT – Calma, ok? Eu já vou pedir ajuda e, em questão de tempo, estaremos fora daqui. Só peço que se acalme...

KEITH – Como você quer que eu acalme? (fala pausadamente) Eu sinto como se estivesse me faltando o ar.

MATT – Ok, Keith, não precisa exagerar...

KEITH – Eu estou falando sério, Matt... (seu rosto começa a ficar vermelho) Eu... estou... sufo... (balançando as mãos) ...cada.

MATT – Sem drama aqui. (apertando o botão do painel) Pronto, já pedi por ajuda.

KEITH – (com falhas na voz) Eu... preciso... de... ar... Matt.

MATT – (olha para Keith e percebe que ela está vermelha) Keith, você está falando sério?

E Keith volta a bater em Matt, inconformada por ele não prestar ajuda a ela.

(música: Catch My Breath - Kelly Clarkson)

MATT – (se aproximando de Keith) Calma... Eu preciso que você tenha calma... Sente-se aqui... Sente-se aqui...

E, lentamente, Matt ajuda Keith a se sentar no chão. Ele se senta ao lado dela.

MATT – (coça a cabeça) Meu Deus, o que eu tenho que fazer agora? Você quer que eu te abane?

Matt começa a abanar Keith.

KEITH – Seu... idiota!

MATT – (irritado) Eu estou fazendo o máximo que eu posso aqui, ok? Eu nunca fiquei preso com ninguém em um elevador... E nem precisei ajudar uma pessoa com falta de ar.

Matt percebe que Keith ainda está com falta de ar e se sente preocupado.

MATT – (segura em uma das mãos dela) Já sei... Já sei o que podemos fazer! Faz o seguinte... Respira junto comigo, ok? Respira fundo, bem fundo... Vamos esquecer este lugar. Vamos nos focar em nós.

Matt começa a respirar fundo. Keith tenta imitá-lo.

MATT – Isso... Isso... Continua... Respirando fundo... Vamos nos focar em nós...

Matt segura ainda mais forte a mão de Keith. Ele, impulsivamente, vai aproximando seu rosto ao da garota.

MATT – Esquece que estamos em um elevador... Apenas respire fundo... Vamos nos focar em nós... (aproximando seus lábios aos de Keith) Em nós.

E, sem pensar duas vezes, o garoto beija Keith calorosamente. A princípio, ela se assusta, mas após alguns instantes acaba o retribuindo.

MATT – (interrompe o beijo) Você está bem?

KEITH – (sem abrir os olhos) Acabou? (abre os olhos) Quer dizer... (começa a bater em Matt) O que você acabou de fazer, garoto?

MATT – (gagueja) Eu pens... Eu pensei que isso pudesse te distrair.

KEITH – (se levanta do chão) Você só pensa besteira, Matt... Acredite, o seu beijo não funcionou.

MATT – (sem entender) Então por que você parou de se sentir sufocada?

Close em Keith, que percebe que recuperou o ar após o beijo de Matt.

KEITH – (finge que está sufocada) Claro... que... não. Eu ainda estou su...su..focada. Você não tá...vendo?

MATT – Sem joguinhos pra cima de mim, Keith. Agora que já está tudo bem, vamos esperar a assistência técnica.

KEITH – (olha para Matt) Escuta aqui, garoto, a Chelsea não pode nem sonhar com o que acabou de acontecer aqui, está me ouvindo?

MATT – (ri debochadamente) Eu pensei que você não escondesse nada da sua melhor amiga... Sem falar que eu não tenho nada com a Chelsea, Keith, não há razões para ela não saber sobre isso.

KEITH – Acontece que você gosta da Chelsea e, de qualquer forma, ela sente algum carinho por você. E eu e a Chelsea fizemos um pacto de fidelidade: nada de uma chegar perto dos pretendentes da outra. Eu preciso cumprir.

MATT – Que bobagem!

KEITH – Bom, tenta a sorte... Abre a boca e eu te procuro, seja onde você estiver, e te capo! Eu te capo!

Close em Matt, que engole seco. Keith vira o rosto e sorri, satisfeita com o beijo.

CENA 11. RESTAURANTE BENTON’S. INT. DIA.

(Música cessa.)

Meghan e suas amigas estão sentadas em cadeiras que formam um círculo. Elas conversam entre si.

MEGHAN – Ai, meninas, eu não vejo a hora de entrar naquela igreja e concretizar o maior sonho da minha vida... Ao lado do melhor homem do mundo, claro. Sabe aquela história de que príncipes encantados não existem?

As amigas de Meghan acenam positivamente com a cabeça.

MEGHAN – Tudo mentira! Alex é a prova perfeita de que príncipes encantados existem sim e estão procurando por suas donzelas. Ai, não tenho o que reclamar do Alex, ele é o marido ideal... Vejam isso! (exibe a aliança) Ouro puro. Vocês acham que eu mereço tanto?

AMIGA 1 – Amiga, é lindo... E por acaso você e o Alex já estão pensando em planos para depois do casamento?

MEGHAN – Por enquanto, estamos pensando em muitas viagens. Afinal, temos que aproveitar os nossos primeiros meses como marido e mulher em grande estilo. E depois...

AMIGA 2 – (insinua) Depois... (começa a rir)

MEGHAN – Depois, quem sabe, começamos a pensar no nosso primeiro filho.

De repente, Marta sai da cozinha segurando um prato de doces. Ela se dirige lentamente até o grupo de mulheres.

MEGHAN – Tudo bem que o Alex já tem um filho... O Josh. Ele é um menino encantador, mas muito “atual”, se é que me entendem... Mas eu me vejo na obrigação de dar outro filho a ele, porque o Josh mora aqui em San Francisco e é muito difícil para o Alex ficar longe dele.

Close em Marta, que ouve tudo ao fundo.

MEGHAN – Então eu sinto que preciso dar um filho ao Alex para que ele preencha a ausência do Josh na vida do meu marido... E não pensem que eu estou querendo substituir o lugar do Josh na vida do pai, eu só quero que o Alex possa ter um filho por perto, porque é tudo que um homem precisa. (sorri)

Marta, bastante chateada com o que Meghan acabara de dizer, serve os doces para as mulheres.

MARTA – (sorri) Que tal abrirmos os presentes?

MEGHAN – Presentes? Que presentes? A nossa festa ainda nem começou, querida... Os presentes são abertos apenas no final. Agora é a hora dos...

De repente, ouve-se alguém batendo a porta.

MEGHAN – Bom, nem preciso terminar de falar... Você vai ver com os seus próprios olhos.

Eufórica, Meghan caminha até a porta e a abre um pouco, colocando a sua cabeça para fora.

MEGHAN – Oi, em que posso ajudá-lo? (pausa) Entrega para a Marta? (pausa) Ah sim, pode ir entrando, ela já estava esperando por você...

Meghan abre a porta, permitindo que um stripper caracterizado de entregador entre no restaurante. Close em Marta, surpresa.

MEGHAN – (olha para o stripper) O que? Você veio acompanhado?

E outros strippers começam a entrar no local. Um deles está segurando um rádio no ombro. Ele liga o aparelho e todos começam a coreografar uma dança sensual.

(música: Super Freak - Rick James)

As mulheres se levantam de suas cadeiras e se aproximam dos homens, dançando com eles e tirando suas roupas. Close em Meghan, satisfeitíssima com a situação. Depois em Marta, injuriada.

MARTA – E numa questão de segundos, o meu restaurante virou um bordel...

Um dos strippers, já descamisado, mostrando seu físico sarado, se aproxima de Marta, mas ela rapidamente o afasta.

CENA 12.

(A música tocada na cena anterior continua a ser exercutada nesta.)

Tomada da cidade de San Francisco com imagens dos principais pontos turísticos locais até chegar à fachada da Universidade da Califórnia. Anoitece.

CENA 13. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. ALOJAMENTO. DORMITÓRIO DE JOSH E MATT. INT. NOITE.

(música: Up - James Morrison ft. Jessie J)

Josh está sentado em sua cama, com a cabeça apoiada na parede. Ele leva sua mão até o criado mudo e pega o seu celular, apertando algum número da discagem rápida. A pessoa para quem ele está ligando não o atende.

JOSH – (para si mesmo) Austin... Eu preciso que você me atenda!

O garoto volta a encostar a cabeça na parede, inconformado.

JOSH – (ainda para si mesmo) Quer saber... Talvez seja melhor eu procurar alguém para conversar.

O garoto se levanta da cama e pega o seu casaco, deixando o dormitório logo em seguida.

CENA 14. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. ALOJAMENTO. CORREDOR DOS DORMITÓRIOS. INT. NOITE.

(Música continua.)

Josh caminha lentamente pelo corredor em direção ao dormitório de Ryan. Assim que chega ao seu destino, percebe que a porta está entreaberta. O garoto decide espiar. Close em sua reação surpresa.

Lentamente, a câmera revela, através da porta entreaberta, o que Josh acabara de flagrar: Ryan está deitado em cima de Evan, o beijando calorosamente.

Josh, ainda surpreso, puxa a maçaneta da porta para fechá-la, mas acaba provocando um barulho que logo desperta a atenção de Ryan e Evan. Eles param de se beijar.

EVAN – O que é isso?

Josh, rapidamente, sai correndo pelo corredor. Ryan se levanta da cama e sai atrás do garoto que ainda não sabe quem é.

RYAN – (correndo atrás de Josh) Ei, volta aqui!

JOSH – (percebe a voz de Ryan e para de correr) Desculpa, Ryan...

Ryan reconhece a voz de Josh, que se vira para ele.

RYAN – (irritado) Eu posso saber o que você estava fazendo no meu quarto?

JOSH – Eu estava fechando a porta para evitar que outras pessoas vissem o mesmo que eu...

RYAN – Eu acho que outras pessoas não seriam tão curiosas quanto você. (pausa) O que está acontecendo, hein Josh? Agora que o Austin te dispensou, você vem me procurar?

JOSH – Que história é essa de “o Austin me dispensou”?

RYAN – Eu vi que ele te ignorou hoje quando saiu do elevador. (pausa) Desculpa, mas tá meio tarde pra me procurar. Agora eu estou em outra.

JOSH – E quem disse que eu estava te procurando com segundas intenções? (balança a cabeça negativamente) E belo mentiroso você é, me disse que não estava saindo com ninguém e, de repente, te flagro aos beijos com outro.

RYAN – (grita) Josh, você queria que eu fizesse o que? Te esperasse a vida toda? Continuasse sozinho com as minhas lembranças passadas enquanto você se divertia com o seu namoradinho-filho-de-diretor? Se você pode seguir com a sua vida, eu também posso seguir com a minha...

JOSH – (surpreso com a atitude do garoto) Ryan...

RYAN – (se afastando de Josh) Foi ótimo que você tenha me flagrado com o Evan, porque agora temos mais nada para esconder um do outro.

Ryan volta para o seu dormitório. Close em Josh, que continua imóvel no meio do corredor, sem reação. Ele deixa uma lágrima rolar sobre o seu rosto.

A imagem escurece.

 


AUTOR
André Esteves

ELENCO

Graham Phillips como Josh Parker
Sterling Knight como Ryan Jordan
Jean-Luc Bilodeau como Austin Davis
Ariana Grande como Keith Hurly
Gregg Sulkin como Matt Brooks
Rose McGowan como Marta Benton
Natasha Henstridge como Suzie Gregson

ATORES CONVIDADOS
Graham Rogers como Evan McGrath
Nick Roux como Mitch Dasher
Erika Christensen como Meghan Kimble
Skeet Ulrich como Eric Smith
 
Pequenas aparições que não constam na listagem acima (Garçom, Amiga 1 e Amiga 2) são interpretadas por atores contratados pela produtora.

TRILHA SONORA
So Small - Carrie Underwood
California King Bed - Rihanna
Catch My Breath - Kelly Clarkson
Super Freak - Rick James
Up - James Morrison ft. Jessie J

PRODUÇÃO
Bruno Olsen
Diogo de Castro


Esta é uma obra de ficção virtual sem fins lucrativos. Qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações da vida real terá sido mera coincidência.


REALIZAÇÃO

Copyright © 2017 - WebTV
www.redewtv.com
Todos os direitos reservados
Proibida a cópia ou a reprodução

.aaa.
.aaa.

Compartilhar:

 
Copyright © WebTV | Design by OddThemes