Estações da Vida - 1x29 - WebTV - Compartilhar leitura está em nosso DNA

O que Procura?

HOT 3!

Estações da Vida - 1x29

Novela de Gabo Olsen e Diogo de Castro
Compartilhe:
Troque a Fonte Aqui


     
     
 

NO CAPÍTULO ANTERIOR DE "ESTAÇÕES DA VIDA":

SELMA: Parem de brigar vocês dois! Não podemos ter uma conversa tranquila?

 

HEITOR: A única coisa que eu quero saber até aqui é por que você e aquela garota inventaram um namoro de mentira. E aí, vai nos contar ou ficar enrolando?

...
 

CAIO: Eu e a Paulinha chegamos a conclusão de que não devemos misturar amizade com namoro. A gente acabou vivendo uma mentira porque confundimos as coisas. Então, pra não estragar a amizade, decidimos romper e ser só amigos. Satisfeitos?

 

HEITOR (desconfiado): Foi isso mesmo?

 

CAIO: É claro que é.


...
 

MIRTES: Me solta!

 

RUBENS: Eu nunca vou deixar você sair da minha vida. (aperta o pescoço dela) Está claro?

 

MIRTES (engasga): Me larga!

 

RUBENS: Tudo bem. Mas, seja uma boa garota.

 

Ele a solta e de imediato ela corre, mas ele a puxa pelo cabelo. Ela geme de dor.

 

RUBENS: Aonde você pensa que vai?!

 

MIRTES (grita): Socorro!

 

A conduz pelo cabelo e a joga na cama.

 

...
 

DIEGO: Você tá chamando a gente pra morar na sua casa?

 

JULIANA: É um AP pequeno, mas cabe vocês.

 

NANÁ: Nós não temos pra onde ir, filho. É perigoso ficarmos aqui.

 

JULIANA: Só estávamos esperando você chegar pra irmos.


...
 

LEONARDO (bravo): Você foi expulso do melhor colégio do Rio de Janeiro pelo roubo de um celular e se acha no direito de ditar regras nessa casa?

...

 

PATO: Foi só uma brincadeira.

 

LEONARDO (muito bravo): BRINCADEIRA? É isso que você tem pra dar como resposta?

 

Pato dá de ombros. Leonardo se levanta, altamente irritado.

 

LEONARDO: CHEGA! Chega dessa sua petulância descabida! Você vai aprender a me respeitar por bem, ou por mal!

 

...
 

PATO: O que quer dizer?

 

LEONARDO: Quero dizer é que a partir de agora, já que você foi expulso da escola e muito provavelmente nenhuma outra vai te aceitar, você vai ter que começar a trabalhar pra se manter.


...
 

MIRTES: Você é nojento.

 

RUBENS: Ok. Vou dar o tempo que você precisa pra se recuperar. Mas melhora essa cara, a Paulinha não pode te ver assim.

 

Ele pega a blusa em algum lugar e veste. Sai do quarto.


...

 

PATO: Depois que a Nanda se afastou de mim, percebi que ela faz muita falta na minha vida.

 

LUA: Tipo, muita falta?

 

Ele confirma com a cabeça.

 

MUSIC ON: (NAKED - JAMES ARTHUR)

 

LUA: VOCÊ TÁ APAIXONADO POR ELA! QUE FOFO!

 

PATO: Para de bobeira!

 

LUA: Que bobeira que nada! Tá na sua cara, Patrício Lambertini!

 

PATO: Não sei, pode ser.

 

Lua pula da boia e começa a jogar água nele.

 

LUA: O Pato tá amando, o Pato tá amando!

 

PATO: Cala essa boca!

 

...

 

PATO: Espero que meu pai não tenha mudado a senha.

 

Pato vai até a estante onde contém vários livros. Ele pega um livro, abre e retira uma chave. Vai até o cofre e coloca a chave. Em seguida aperta alguns números. Pato abre o cofre no momento em que Amanda entra.

 

AMANDA: Pato, você tá roubando seu próprio pai?

 

CLOSE no susto que Pato leva.

 
     
     
     
     

CAPÍTULO 1x29
 
     
   
     
 

CENA 01. MANSÃO LAMBERTINI. ESCRITÓRIO. INT. NOITE.

 

Continuação imediata do capítulo anterior.

 

Amanda flagra Pato roubando dinheiro do cofre.

 

AMANDA: É isso mesmo, Pato? Você tá roubando seu próprio pai?

 

PATO: É por uma boa causa tá bom?

 

AMANDA: Como assim?

 

PATO: Depois eu te explico, primeiro me ajuda a colocar tudo no lugar.

 

Pato coloca o dinheiro nos bolsos e fecha o cofre. Amanda entrega o quadro a ele, que devolve à parede.

 

CORTA PARA

 

CENA 02. MANSÃO LAMBERTINI. QUARTO PATO. INT. NOITE.

 

Pato coloca o dinheiro na mochila da escola.

 

AMANDA: Esse garoto só se mete em furada. Você deveria se afastar dele.

 

PATO (critica): É assim que você faz com seus amigos? (desabafa) O Diego pode não ser uma pessoa fácil de lidar, mas é o único amigo que tenho. Todo mundo virou as costas pra mim na escola depois da história do roubo. Ele é o único que ainda tá do meu lado. Se eu posso ajudar, vou fazer isso.

 

AMANDA: Você que sabe. Mas, 10 mil reais? Isso só pode ser divida de droga.

 

PATO: Também é a minha suspeita, mas ele não abre pra ninguém.

 

AMANDA: Mais um motivo pra você pular fora. Deve estar envolvido com gente perigosa. Esse garoto ainda vai acabar te prejudicando.

 

PATO (impaciente): Eu já disse que vou ajudar. Se for pra ficar me criticando é melhor você dá o fora!

 

AMANDA: Você tá me expulsando, Pato?

 

PATO (ríspido): Você decide.

 

Ela começa a vestir a roupa.

 

AMANDA: Quer saber? Eu vou! Não to aqui pra ficar aturando birra de moleque mimado!

 

PATO: Até uma hora atrás não era isso que você pensava de mim.

 

AMANDA (grossa): Vai se ferrar!

 

Amanda pega a bolsa e SAI do quarto

 

No CORREDOR, ela avista Leonardo saindo de outro cômodo. Se encosta na parede, espia os movimentos dele, sem ser percebida. Leonardo segue caminhando. Ela vai atrás dele, se aproxima e o agarra por trás.

 

AMANDA: Que grata surpresa!

 

Ele se vira no impulso.

 

LEONARDO: Ce ficou maluca, garota?

 

Ela abre a primeira porta que vê a frente e entra. Ele fica no corredor.

 

AMANDA (O.S): Depende...

 

LEONARDO: O que você tá fazendo?

 

CORTA PARA

 

CENA 03. MANSÃO LAMBERTINI. QUARTO DE HÓSPEDES. INT. NOITE.

 

MUSIC ON: (ANIMALS - MAROON FIVE)

 

Amanda tira a blusa.

 

AMANDA: Ficando mais à vontade. Pra você.

 

POV de Leonardo, nervoso, olha pros lado. Ele ENTRA.

 

LEONARDO: Veste essa roupa agora.

 

AMANDA: Tá calor aqui.

 

LEONARDO: Eu mandei você se vestir!

 

AMANDA: Eu sei que você não quer isso.

 

E tira a saia ficando apenas de calcinha e sutiã.

 

LEONARDO: Minha mulher e meu filho estão nos quartos ao lado. O que você pretende?

 

Ela se aproxima, chega bem perto dele.

 

AMANDA (sussurra): Sentir um homem de verdade dentro de mim.

 

E morde a orelha dele, que reage agarrando-a e dando-lhe um beijo quente.

 

LEONARDO (murmura): Você me deixa louco.

 

E vai beijando e acariciando o corpo de Amanda, enquanto ela ri, vitoriosa. Vão trocando carícias em direção a cama onde ele a joga com força e tira as próprias roupas, avança nela. Takes descontínuos deles transando.

 

MUSIC OFF.

 

CENA 04. CASA NANDA. QUARTO DELA. INT. NOITE.

 

Nanda deitada na cama, pensativa.

 

FLASHBACK CAPÍTULO 1x28,

 

MUSIC ON: (NOT DAY - IMAGINE DRAGONS)

 

NANDA: Foi isso. Apesar do Pato ser um cara muito inconsequente, ele tem um coração bom.

 

PAULINHA: E pelo visto ele gosta de você mesmo.

 

NANDA: Cê acha?

 

PAULINHA: Eu acho. Mas, hein, agora você tem uma difícil decisão a tomar, garota.

 

NANDA: Que decisão?

 

PAULINHA: Se vai ficar com o inconsequente do Pato, ou com o inconsequente do Ismael!

 

Paulinha ri.

 

FIM DO FLASHBACK,

 

Nanda se senta na cama, confusa.

 

NANDA: Será que a Paulinha tem razão? Não sei direito o que to sentindo. O Pato sempre foi meu crush, desde o jardim de infância, mas agora o Ismael me aparece assim, dizendo que quer uma chance... Não, Nada! Que que cê tá fazendo? Esses dois só ferraram com a tua vida esse ano, como é possível você estar sentindo algo bom por eles? Sua burra!!!

 

Ela volta a deitar na cama, coloca o travesseiro no rosto e grita.

 

MUSIC OFF.

 

CENA 05. CASA ISMAEL. QUARTO. INT. NOITE.

 

Ismael e DJ deitados em suas camas, conversam.

 

ISMAEL: Como é que foi lá com a Lua?

 

DJ: Não sei direito.

 

ISMAEL: Como não sabe?

 

DJ: Sei lá, acho que ela não esperava pela minha visita.

 

ISMAEL: E você se declarou pra ela?

 

DJ: Não tive coragem.

 

ISMAEL: É um cagão mesmo!

 

DJ: Não é tão fácil quanto parece, Mael.

 

ISMAEL: É claro que é. Basta falar olhando no olho e arrematar o momento com um beijo, moleque.

 

DJ: Foi assim que você fez com a Nanda?

 

ISMAEL: É, mais ou menos.

 

DJ: E estão namorando?

 

ISMAEL: Não.

 

DJ: Então acho que sua estratégia não deu certo, sabichão.

 

ISMAEL: A Nanda só tá se fazendo de difícil. Além do mais, eu pisei muito na bola com ela. E também tem o Pato na jogada.

 

DJ: Ela te falou que gosta do irmão da Lua?

 

ISMAEL: Nem precisa. Tá na cara dela. Mas acho que comecei a virar esse jogo.

 

DJ: Que bom que pelo menos um de nós conseguiu avançar. Agora vou dormir. Boa noite.

 

DJ coloca os fones do ouvido e se vira para dormir.

 

ISMAEL: Boa noite, garanhão.

 

Ele abre um sorriso.

 

MUSIC ON: (JULIANA - RAÇA PURA)

 

CENA 06. APARTAMENTO DE JULIANA. SALA. INT. NOITE.

 

Juliana com um decote a mostra, digita no notebook. A CAM se aproxima e revela que ela está em um bate-papo.

 

GATA SELVAGEM (digita): A titia adora uma aventura.

 

MARINHEIRO POPEYE (digita): Quando eu vou poder te conhecer?

 

GATA SELVAGEM (digita): Essa semana.

 

MARINHEIRO POPEYE (digita): Pode ligar a cam novamente? Curti o que eu vi.

 

GATA SELVAGEM (digita): Claro, meu amoooor.

 

Juliana ajusta o decote e aperta no botão escrito cam. Ela sacode os peitos.

 

MARINHEIRO POPEYE (digita): Meu Brasil, assim você mata o papai.

 

GATA SELVAGEM (digita): Quero te matar, mas de prazer.

 

Juliana aperta os seios.

 

MARINHEIRO POPEYE (digita): Fala assim não, gata.

 

Diego entra.

 

DIEGO: Ainda acordada diretora?

 

Juliana se assusta jogando o notebook no sofá.

 

JULIANA: Meu Deus, Diego! Você quase me mata de susto, menino!

 

DIEGO: Se assustou é porque tava fazendo coisa errada, ainda mais a essa hora da noite!

 

JULIANA: Tenha modos, garoto! O que você faz acordado ainda?

 

DIEGO: Vim beber água.

 

JULIANA: Bebe e volta pro quarto.

 

DIEGO: Eu heim.

 

Diego vai em direção a cozinha enquanto Juliana fica se recuperando do susto.

 

MUSIC OFF.

 

CENA 07. MANSÃO LAMBERTINI. QUARTO DE HÓSPEDES. INT. NOITE.

 

Leonardo dorme profundamente. Amanda levanta da cama cautelosamente e procura entre suas roupas seu aparelho celular. Encontra-o. Volta a deitar-se na cama e tira algumas fotos dos dois. Ela faz poses sexy, manda beijo pra câmera. Ela mexe em Leonardo que acorda no susto.

 

AMANDA: Acho melhor você voltar pra sua mulher. Ela pode acordar a qualquer momento.

 

Ele se levanta meio atordoado, veste a roupa.

 

LEONARDO: Amanhã a gente conversa sobre isso.

 

Ela manda beijo pra ele que sai imediatamente.

 

AMANDA: Acho que por hoje é só.

 

CENA 08. RIO DE JANEIRO. EXT. NOITE

 

MUSIC ON: (MELHOR DO QUE ONTEM - CAPITAL INICIAL)

 

Takes alternados da madrugada carioca. Corta para a Baia de Guanabara ao nascer de um novo dia.

 

CENA 09. MANSÃO LAMBERTINI. SALA DE JANTAR. INT. DIA.

 

Lua abre a janela e observa a paisagem.

 

LUA (pensando): A vida é uma incógnita né, erramos e acertamos todos os dias, mas no fundo me pergunto, o quanto estamos dispostos a aprender com nossos erros?

 

Enquanto Lua observa a paisagem, mostrar sequência de cenas:

 

1. Lua diante da psicóloga.

 

PSICÓLOGA: E então Lua, como está se sentindo?

 

LUA: Superando.

 

PSICÓLOGA: Isso é ótimo, querida. Você fez os trabalhos que eu passei?

 

LUA: Fiz, mas confesso que a visita dos meus amigos tem me feito bem.

 

PSICÓLOGA: Então podemos dizer que temos um avanço.

 

2. Diego sai do banheiro. Seu celular apita.

 

DIEGO (lendo): Já estou com a grana. Onde eu te encontro?

 

3. Kátia tomando café. Pato entra no ambiente.

 

PATO: Cadê todo mundo?

 

KÁTIA: A Lua está dormindo. Seu pai já foi pra empresa. Por falar nisso, você está atrasado.

 

PATO (nervoso): E você deve estar adorando tudo isso.

 

KÁTIA (sarcástica): Claro meu querido. Conseguir um emprego hoje em dia está cada vez mais difícil. Você deveria agradecer.

 

PATO: Eu vou agradecer no dia que você sair dessa casa.

 

Pato sai.

 

KÁTIA: Esse desejo nunca vai se concretizar, baby.

 

Kátia bebe uma taça de suco e sorri.

 

LUA (off): Apesar de toda barra pesada, poder contar com o apoio de amigos é fundamental. A visita do DJ foi uma surpresa, mas me fez tão bem.

 

4. Lua sentada em uma cadeira no salão de beleza, enquanto uma mulher mexe em seu cabelo. Kátia está em outra cadeira, fazendo um outro procedimento.

 

5. No colégio, Ismael vê Nanda sentada debaixo de uma árvore e se aproxima.

 

ISMAEL: Nanda? Podemos conversar?

 

6. Mirtes pensativa, olhando para o teto.

 

MIRTES (triste): Eu to sentindo nojo de tudo isso. Como ele foi capaz?

 

Rubens sai do banheiro arrumado. Mirtes fecha os olhos. Ele a encara e sai do quarto. Mirtes volta a abrir os olhos.

 

MIRTES: Ele não vai mais encostar a mão em mim.

 

LUA (off): Preciso seguir em frente e sei que meus amigos vão me ajudar a superar o trauma que me persegue. Chega dessa bad né, Lua? Pra frente é que se anda.

 

7. Caio e Grego na frente do colégio. Paulinha passa por eles.

 

PAULINHA: Bom dia, meninos.

 

Eles a cumprimetam. Ela entra no colégio.

 

GREGO: Fico feliz que vocês se resolveram.

 

CAIO: A Paulinha é tão especial.

 

GREGO: Especial? Como assim?

 

CAIO: Seu bobo, queria ver sua reação.

 

Grego bagunça o cabelo de Caio.

 

CAIO: Hey, se controla, estamos na rua.

 

GREGO: Foi mal.

 

8. Lua se olha diante do espelho, sorri. Kátia atrás dela.

 

KÁTIA: Filha, adorei seu novo visual. Não que eu não gostasse do loiro, mas é tão bom ver seu cabelo na cor natural, o castanho escuro te deixa tão viva.

 

LUA (off): Se até as estações mudam, eu também posso mudar. A partir de agora nasce uma nova Luana Lambertini.

 

MUSIC OFF.

 

CENA 10. APARAMENTO DE JULIANA. COZINHA. INT. DIA.

 

Juliana, Naná e Diego tomam café.

 

NANÁ: Filho, vá com calma, assim você vai passar mal.

 

DIEGO: Tô com pressa.

 

JULIANA: Diego, eu posso te dar uma carona.

 

DIEGO: Não precisa. Eu vou com o Pato.

 

JULIANA: Mas o Patrício foi expulso do colégio.

 

DIEGO: Eu sei, mas ele ficou de me dar uma carona. Algum problema?

 

NANÁ: Diego, tenha modos.

 

DIEGO: Falando nisso, não tem como você rever essa situação?

 

JULIANA: Não vou nem considerar a hipótese.

 

DIEGO: Aff, como se não acontecesse coisa pior naquele colégio.

 

JULIANA: Posso saber do que está se referindo?

 

Uma  mensagem chega no celular de Diego.

 

DIEGO: Ele chegou. Tenho que ir.

 

Diego se levanta.

 

JULIANA: Espera. Ontem você não quis conversar, mas de hoje não passa.

 

DIEGO: Agora não dá.

 

Ele faz que vai sair.

 

JULIANA (impaciente/levanta-se): Eu exijo que você fique onde está.

 

DIEGO: Como é que é? Você não é ninguém pra mandar em mim!

 

NANÁ: Diego, meu filho/

 

DIEGO (bravo): Cala essa boca, sua velha gagá! Eu sabia que não deveria ter vindo pra cá, sabia! Mas não precisa se preocupar que eu vou resolver minhas paradas e aí não vou ter mais que aturar vocês duas me azucrinando! FUI!

 

Sai batendo a porta. Naná começa a chorar.

 

NANÁ: Eu não sei mais o que fazer, Juliana.

 

JULIANA: Fique calma, Naná. O Diego está cada vez mais revoltado. Esse comportamento dele já passou de todos os limites. Talvez seja a hora de tomarmos uma medida mais drástica.

 

NANÁ: Do que está falando?

 

JULIANA: Estou falando em interná-lo numa clínica para dependentes químicos!

 

NANÁ: O que?

 

Na surpresa de Naná.  

 

CENA 11. COLÉGIO FRAN VICENTINI. GINÁSIO. INT. DIA.

 

Nanda e Ismael sentam na arquibancada.

 

NANDA: Por que a gente tá aqui, Ismael? A primeira aula já começou.

 

ISMAEL: Aqui a gente fica mais vontade. Quer dizer, eu fico mais à vontade.

 

NANDA: Pra que?

 

ISMAEL: Espera um minuto.

 

Ismael pula os degraus e some por um instante. Retorna com um violão em punho.

 

NANDA: Você por acaso, não vai…?

 

ISMAEL: Eu vou!

 

Ismael começa a tocar NOT DAY - IMAGINE DRAGONS no violão e canta para Nanda, que observa, meio tímida. No refrão ele desafina um pouco, ela ri. Ela faz sinal pra ele parar.

 

ISMAEL: Não gostou?

 

NANDA: Precisa melhorar o inglês.

 

ISMAEL: Treinei a noite toda. (coloca o violão de lado)

 

NANDA: Pra que tudo isso?

 

ISMAEL: Pra ver se você acredita em mim. No que eu to sentindo por você. Dessa vez não tem jogo, Nanda. Eu to gostando de você de verdade. Me dá uma chance pra provar isso, por favor!

 

NANDA: Não sei não, Ismael/

 

ISMAEL: Eu prometo fazer você esquecer o babaca do Pato. Só me dá uma chance!

 

Ele aguarda a resposta dele.

 

MUSIC ON: (NOT DAY - IMAGINE DRAGONS)

 

Nanda se aproxima e beija Ismael. Tempo no beijo e o clima é interrompido pelo barulho estridente do apito de Ramiro. O casal se afasta assustado.

 

RAMIRO: Então foi aqui que os pombinhos se esconderam?

 

Eles se entreolham.

 

CENA 12. APARTAMENTO DE JULIANA. COZINHA. INT. DIA.

 

Continuação da cena 10.

 

NANÁ: Clínica para dependentes químicos, Juliana? Mas nós nem sabemos ainda se ele usa essas coisas.

 

JULIANA: Naná, eu sei que você quer protegê-lo, mas todos os indícios levam a crer que o Diego é um viciado.

 

NANÁ: Não, Juliana. Você está exagerando.

 

JULIANA: Pensa comigo. O comportamento agressivo, a rejeição em falar sobre o assunto, a quantidade de droga que encontramos nas coisas dele não corresponde a tráfico, então ele não está vendendo. A casa de vocês foi atacada! Se aquilo não foi um aviso, foi o que? Só pode ser isso, Naná. Eu sei que é difícil aceitar, mas nós precisamos fazer algo pelo Diego, antes que ele se destrua.

 

Em Naná, preocupada.

 

CENA 13. BOCA DE FUMO. INT. DIA.

 

Pato e Diego de frente para o chefe do tráfico.

 

PATO: Tá aqui o dinheiro, conforme combinado.

 

Um dos capangas pega a mochila e entrega ao chefe, que abre, confere rapidamente.

 

CHEFE: E não é que as bichinhas tem palavra!

 

DIEGO: Agora a gente pode ir?

 

CHEFE: Gostou do trato que demo na tua casa, zé droguinha?

 

Eles riem.

 

DIEGO: Porra, sem necessidade. Minha vó passou mal, cara.

 

CHEFE: Isso foi pra tu vê que a gente não brinca em serviço. Agrecede que eu to de bom humor hoje.

 

DIEGO: Beleza, ces já tem a grana, agora libera a gente.

 

CHEFE: Vão pela sombra, mas cuidado que nós pode tá de tocaia por aí.

 

Os dois saem. Um dos capangas vira pro chefe.

 

CAPANGA: Qual foi, brow? Deixou os moleque sair assim.

 

CHEFE: Esse viciadinho ainda vai me dá muito lucro, mano. Logo logo ele aparece por aqui de novo. Se liga aí.

 

Acende um cigarro e traga.

 

CENA 14. COLÉGIO FRAN VICENTINI. SALA DO ENSINO FUNDAMENTAL. INT. DIA.

 

Larissa e Andréia em pé na entrada da sala.

 

LARISSA: Sinto tanta falta da Lua.

 

ANDRÉIA: Nem me fale. Será que ela melhorou?

 

LARISSA: Não sei amiga. Fico tão preocupada, ainda mais depois da barra que ela passou.

 

ANDRÉIA: Poderíamos visitá-la hoje a tarde. O que acha?

 

LARISSA: Acho uma boa, mas será que o clima na casa dela vai estar relax?

 

ANDRÉIA: Porque diz isso?

 

LARISSA: Menina, esqueceu o bafão? O irmão da Lua foi expulso do colégio.

 

ANDRÉIA: É mesmo, Lari, como eu pude esquecer. Ele roubou um celular.

 

LARISSA: Eu to é passada, ele é tão rico. Porque roubaria um celular?

 

O sino toca.

 

LUA: Vocês não vão entrar na sala?

 

As duas se viram e se surpreendem ao ver Lua.

 

ANDRÉIA: Para tudo, é você mesmo?

 

LARISSA: E esse visu novo? A-DO-REI.

 

ANDRÉIA: Arrasou, amiga.

 

Elas se abraçam.

 

LUA: Estou de volta. E agora eu vim pra ficar.

 

As meninas comemoram. Em Lua sorridente.

 

CENA 15. MANSÃO LAMBERTINI. QUARTO LEONARDO E KATIA. INT. DIA.

 

Kátia entra pensando alto.

 

KÁTIA: Que bom que a Lua resolveu voltar pra escola, sinal que está se recuperando do baque que sofreu.

 

Ela percebe um envelope em cima cama.

 

KÁTIA: Ué, o que é isso?

 

Ela se aproxima e pega o envelope, abre.

 

CAM detalha o momento em que ela tira de dentro fotos impressas de Leonardo e Amanda na noite anterior, no quarto de hóspedes da casa. Ela grita de ódio. Rasga as fotos feito louca.

 

KÁTIA: Aquela vaca não faz ideia de com quem está lidando. Ela vai pagar caro por isso.

 

CENA 16. COSMÉTICOS LAMBERTINI. ANTESSALA. INT. DIA.

 

Amanda em seu posto trabalhando quando Rubens chega.

 

RUBENS: Bom dia.

 

AMANDA: Bom dia.

 

RUBENS: Leonardo já chegou?

 

AMANDA: Sim.

 

Rubens passa reto. Amanda segue trabalhando quando Pato entra.

 

PATO: Oi, meu amor.

 

Amanda não responde.

 

PATO: Ainda está brava comigo?

 

AMANDA: O que você acha?

 

PATO: Poxa, me desculpa por ontem. Eu só estava ajudando um amigo.

 

AMANDA: Roubando seu próprio pai?

 

PATO: Fala baixo. E outra, eu vou repor o dinheiro que eu peguei, afinal, comecei a trampar.

 

AMANDA: Quero só ver.

 

PATO: E aí, gostou da minha versão executivo?

 

Ele está de roupa social. Gira 360º se exibindo.

 

AMANDA: Você fica bem com qualquer coisa. Mas sendo sincera, não achei que você viria.

 

PATO: É só até o velho parar de me encher. Ele tá aí?

 

AMANDA: Sim.

 

PATO: Mais tarde saímos pra almoçar. Ou ainda está com raiva?

 

Pato se aproxima, tenta beijá-la, mas ela impede o segurando.

 

AMANDA: Vou querer uma recompensa.

 

PATO: Recompensa?

 

AMANDA: Pra falar a verdade uma aventura sexual.

 

PATO: Demorou.

 

AMANDA: Na cama.

 

PATO: Ué?

 

AMANDA: Calma, querido, na cama dos seus pais.

 

PATO: Eu topo.

 

AMANDA: Dê um jeito de tirar seus pais de casa, porque eu quero essa aventura pra ontem.

 

PATO: Combinado. Agora preciso ir.

 

Pato dá um selinho em Amanda e sai.

 

AMANDA (risada): A vadia da Kátia vai surtar.

 

Pato entra na sala de Leonardo. Amanda fica ali, sai de seu posto, vai em direção ao bebedouro, serve-se de água. Ao voltar para seu lugar, sente-se mal. Ela se apoia no balcão retornando, abre um sorriso.

 

AMANDA: Finalmente.

 

Ela pega o telefone e faz uma ligação.

 

AMANDA: Alô? Eu gostaria de marcar uma consulta com o doutor Barcellos? (T) Sim, claro, posso sim. Combinado então. Obrigada.

 

Amanda põe o telefone no gancho, satisfeita.

 

CENA 17. COSMÉTICOS LAMBERTINI. SALA LEONARDO. INT. DIA.

 

Leonardo fala com Pato enquanto digita no computador.

 

LEONARDO: Esse seu atraso será descontado no seu salário.

 

PATO: Mas é o primeiro dia.

 

LEONARDO: E já começou muito mal.

 

PATO: Tá, tá. E onde é minha sala?

 

LEONARDO: Sala? Que sala?

 

PATO: Como que sala, pai? Se eu vou ajudar você a administrar a empresa, vou precisar de uma sala.

 

Leonardo ri na cara dele.

 

PATO: Contei alguma piada?

 

LEONARDO: Pra fazer esse trabalho você não vai precisar de sala nenhuma. Só de disposição.

 

Leonardo entrega uma pilha de envelopes a Pato.

 

PATO: Que é isso?

 

LEONARDO: Correspondências com os respectivos endereços de entrega. Você vai trabalhar de motoboy.

 

PATO: Você só pode tá de brincadeira com a minha cara!

 

LEONARDO: Eu estou com cara de quem tá brincando? Muitos dos grandes empresários deste país começaram como motoboy, se você quer saber.

 

PATO: Mas eu não preciso começar assim!

 

LEONARDO: Isso quem decide sou eu. E já está decidido. Esses são os meus documentos. Antes de ir passe nos demais setores pois eles provavelmente também vão te entregar alguma correspondência. A organização do malote também é por sua conta. Tudo deve ser entregue antes do meio dia. É isso.

 

Pato pega os papeis em cima da mesa e sai, emburrado.

 

CENA 18. COLÉGIO FRAN VICENTINI. ENSINO MÉDIO. INT. DIA.

 

Arnaldo explica a matéria utilizando exemplos no quadro enquanto Paulinha puxa assunto.

 

PAULINHA: Onde era que cê tava, sua doida?

 

NANDA: Cê não vai acreditar.

 

PAULINHA: Que?

 

NANDA: O Ismael fez uma serenata pra mim no ginásio!

 

Paulinha grita chamando a atenção de todos.

 

ARNALDO: Está passando mal, Paulinha?!

 

A turma ri.

 

PAULINHA Desculpa, prof. É que quase me engasguei.

 

ARNALDO: Sei. Voltando ao assunto...

 

PAULINHA (cochicha): Quero detalhes na hora do intervalo.

 

NANDA: Ok.

 

No fundo da sala, Ismael ri para elas.

 

CENA 19. COSMÉTICOS LAMBERTINI. ANTESSALA. INT. DIA

 

Pato aparece por ali com uma mochila nas costas e muitos papéis da mão.

 

PATO: Ce acredita que ele me colocou de motoboy? Motoboy!

 

AMANDA: Acho melhor você não reclamar.

 

PATO: Era só o que faltava agora, você ficar do lado dele.

 

AMANDA: Não começa. Olha, aqui tem mais documentos, acho bom você ir logo se quiser estar aqui antes do almoço.

 

PATO: Me dá logo isso aí.

 

Ela entrega e lhe dá um selinho.

 

AMANDA: Boa sorte, gatinho!

 

Pato sai no momento em que Rubens sai de sua sala.

 

RUBENS: Aquele era o filho do Leonardo?

 

AMANDA: Sim.

 

RUBENS: Ele tá trabalhando na empresa?

 

AMANDA: Começou hoje.

 

Rubens estranha. Vai em direção a sala de Leonardo.

 

CENA 20. RESTAURANTE GOURMET CARIOCA. INT. DIA.

 

Lulu fazendo anotações numa folha. Mirtes sentada em uma cadeira mexendo no celular.

 

LULU: To tão orgulhosa. Olha só esses números. O restaurante anda tão movimentado.

 

Mirtes segue no celular.

 

LULU: Se os lucros continuarem desse jeito o seu projeto de abrir uma filial no interior vai dar certo, viu?

 

Lulu encara Mirtes.

 

LULU: Mirtes?

 

Sem resposta, Lulu sai do balcão e vai ao encontro de Mirtes.

 

LULU: Oi?

 

MIRTES: Oi, Lulu.

 

LULU: Atrapalho?

 

MIRTES: Não, pode dizer.

 

LULU: Estava conversando contigo, mas fiquei no vácuo.

 

Mirtes cruza as pernas, Lulu vê um roxo em sua perna.

 

LULU: O que é isso na sua perna?

 

Ela se apressa em esconder.

 

MIRTES: Eu caí.

 

LULU: E por que está tão distante? Aliás, você tem estado assim nos últimos tempos. O que é que tá acontecendo hein? Se abre comigo. É o Rubens? Brigaram de novo?

 

MIRTES: Ai, Lulu. Foi muito pior.

 

LULU: Nossa, como assim? O que aconteceu?

 

MIRTES: O Rubens me violentou.

 

Lulu põe a mão na boca, chocada.

 

MIRTES: Eu nunca pensei que ele seria capaz de uma atrocidade dessas. Tô destruída por dentro.

 

LULU: Eu, eu nem sei o que dizer.

 

MIRTES: Mas eu sei o que fazer. Só estou criando coragem.

 

LULU: Você precisa de ajuda?

 

MIRTES: Não. Faço questão de resolver isso sozinha.

 

Em Lulu, preocupada.

 

CENA 21. COLÉGIO FRAN VICENTINI. REFEITÓRIO. INT. DIA.

 

Ambiente movimentado. CAM procura por Paulinha e Nanda sentadas em um canto. Paulinha morde o sanduíche, enquanto Nanda toma um suco.

 

PAULINHA: Eu to é mortaaa. É sério isso?

 

NANDA: Aham, com direito a música do Imagine Dragons e tudo. Ele desafinou, mas até que conseguiu uma palhinha.

 

PAULINHA: Meu Brasil, me abana que eu to passada.

 

NANDA: Eu ainda também to meio sem acreditar. Não achei que o Ismael fosse o tipo de cara que faz serenata pra garota que ele tá afim.

 

PAULINHA: Rolou beijo?

 

NANDA: Ai, miga, para! Que indiscreta!

 

PAULINHA: Sem essa, Nanda, conta logo!

 

NANDA: Rolou. Mas o Ramiro chegou bem na hora, foi até bom, precisava de um tempo pra respirar e absorver tudo.

 

PAULINHA: Quantas emoções nesses últimos dias. Mas, e aí, vai dar uma chance pra ele, ou o coração bate mais forte pelo Pato?

 

NANDA: To ficando cada vez mais confusa.

 

PAULINHA: Fernanda, presta atenção, vamos colocar o Pato e o Ismael na balança?! O Pato pisou muito mais na bola com você do que o Ismael. Aquela aposta foi ridícula.

 

NANDA: Por esse lado você tem razão, mas a gente não manda no coração. Além do mais eu conheço o Pato a mais tempo, o que matematicamente falando aumenta as chances dele ter pisado mais na bola.

 

PAULINHA: É sério isso? Você tá misturando matemática com amor? Cê vai reprovar, garota!

 

Elas riem. Ismael passa por elas carregando uma bandeja, encara Nanda e senta em uma mesa dos fundos.

 

PAULINHA: Gente, e essa encarada que ele deu?

 

NANDA (rindo): Pelo visto arrumei pra cabeça.

 

Elas dão risada.

 

NANDA: Até pouco tempo eu era a encalhada do grupo, será que agora o jogo vai virar?

 

PAULINHA: Amiga, o jogo já virou. Você só tem que escolher. Se é que já não escolheu né?!

 

Elas seguem conversando. CAM procura DJ, Beto e Ricardo sentados em uma mesa.

 

DJ: Galera, tomei coragem e fui visitar a Lua.

 

BETO: Esse é meu garoto.

 

DJ: Mas eu não sei se ela curtiu a visita.

 

RICARDO: Mano, tu já deu o primeiro passo, agora é seguir investindo.

 

DJ: Fiquei tão feliz com a volta dela no colégio.

 

RICARDO: A ausência no colégio e a ida no psicólogo fez bem a ela. Até mudou o visual.

 

DJ: Sinal que ela vem conseguindo superar a barra que ela passou. Ela está tão linda.

 

BETO: Baba mais que tá pouco!

 

Risada.

 

RICARDO: Quando tu menos esperar, rola o primeiro beijo.

 

DJ: Garanto que esse vai ser o melhor dia.

 

BETO: Enquanto isso, eu só coleciono foras da Larissa.

 

RICARDO: No seu caso, tu deve pular fora.

 

DJ: Será que ela gosta de outro?

 

RICARDO: A Larissa só gosta dela mesma. Passa mais tempo decidindo sobre a próxima dieta que vai fazer do que qualquer outra coisa. Conselho de amigo, parte pra outra.

 

BETO: Será?

 

RICARDO: Brother, o colégio tá cheio de gatinha, a Larissa não tá afim, ela só te dá fora. Melhor partir para outra.

 

DJ: Eu prefiro não opinar.

 

CAM procura por Lua, Larissa e Andréia.

 

LUA: As sessões com a psicóloga me ajudaram bastante passar por tudo isso. No começo eu não quis ir, mas foi a melhor coisa que eu poderia ter feito. E claro, receber a visita de vocês foi fundamental.

 

LARISSA: Você fez tanta falta aqui no colégio.

 

ANDRÉIA: Verdade, não víamos a hora do seu retorno triunfal.

 

LUA: Acreditam que o DJ foi me visitar?

 

ANDRÉIA: Sério? Com que intenção?

 

LUA: Não sei, gente. Mas ele foi. Me surpreendeu.

 

LARISSA: Acho ele tão fofo.

 

LUA: E o Beto, você também acha fofo?

 

LARISSA: Menos, Luana, menos. Acho esse menino uó.

 

LUA: Poxa, ele demonstra gostar tanto de você.

 

ANDRÉIA: Também acho, porque não dá uma chance a ele?

 

LARISSA: Gente, eu já falei e vou repetir, sem chance. Não curto esse moleque. Ele é um pela saco.

 

LUA: Eu ainda acho que vai rolar algo entre vocês.

 

Larissa olha brava para Lua.

 

ANDRÉIA: Nossa, que bicão.

 

Risada.

 

LUA: Mudando de assunto/

 

LARISSA: Glória, senhor...

 

LUA: Minha mãe só estava aguardando a minha melhora para iniciar os trabalhos da festa dos meus 15 anos.

 

ANDRÉIA: Verdade, Lua. Tá chegando o grande dia.

 

LARISSA: E a lista de convidados? Já começou a mexer? Posso te ajudar.

 

LUA: Ótimo, vou precisar mesmo de ajuda. Que tal uma social essa semana lá em casa?

 

ANDRÉIA: Posso levar o Ricardo?

 

LUA: Pode.

 

LARISSA: Déia, leva o DJ, assim a Lua tem a chance de ficar mais próxima do seu crush.

 

LUA: Meninas, melhor não.

 

ANDRÉIA: Certeza, Lua?

 

LUA: Tá bom (risos), mas só com uma condição.

 

LARISSA: Qual?

 

LUA: Que o Beto vá também.

 

LARISSA: Luana Lambertini, que golpe baixo.

 

LUA: Tô falando sério.

 

Larissa bufa de raiva. As meninas dão risada.

 

ANDRÉIA: E aí, Lari?

 

LARISSA: Fazer o que? Já aviso, quero distância desse moleque.

 

LUA: Sei.

 

Em Larissa.

 

CENA 22. COLÉGIO FRAN VICENTINI. SALA DOS PROFESSORES. INT. DIA.

 

Alfredo e Milena na sala dos professores planejando aula. Milena acaricia as pernas de Alfredo, ele envergonhado.

 

MUSIC ON: (DIFERENTÃO – KELL SMITH)

 

ALFREDO: Milena?

 

MILENA: Se assustou?

 

ALFREDO: Estava concentrado.

 

MILENA: Percebi (risos).

 

Silêncio.

 

MILENA: Quero te fazer uma pergunta.

 

ALFREDO: Sim, pode fazer.

 

MILENA: O que você está achando do que está rolando entre a gente?

 

ALFREDO: Tô curtindo, você é animada, alto astral, e gosto dessas qualidades.

 

MILENA: Que bom saber que é recíproco.

 

Milena se aproxima de Alfredo. Se beijam.

 

MILENA: O que vai fazer hoje à noite?

 

ALFREDO: Nada programado.

 

MILENA: Ótimo. Afim de sair para jantar?

 

ALFREDO: Pode ser, o que acha do Goumert Carioca?

 

MILENA: Adoro, tem várias opções.

 

CENA 23. COLÉGIO FRAN VICENTINI. CORREDOR. INT. DIA.

 

Ramiro caminha pelo corredor. Retira uma flanela do bolso, confere se a porta está fechada. Ele segue andando e vai para a porta seguinte.

 

RAMIRO: Fechada.

 

Ramiro, para, fica pensativo e volta para a primeira porta.

 

RAMIRO: Vamos lá novamente.

 

Ramiro confere se a porta está fechada e vai caminhando.

 

CORTA PARA

 

Ramiro entra na COPA e vê os copos espalhados pela mesa.

 

RAMIRO: Eu não acredito (bate na parede). Eu tinha deixado esses copos arrumados.

 

Ramiro vai até a pia, passa detergente na mão, lava as mãos. Ele volta até a mesa e coloca os copos alinhados.

 

RAMIRO: Pronto, tudo arrumado. (T) Agora preciso conferir o armário.

 

Ramiro abre e encontra os garfos, facas e colheres juntos.

 

RAMIRO: Ahhh, esse povo só pode tá de brincadeira comigo.

 

Ele puxa uma cadeira, senta próximo e arruma.

 

RAMIRO: Pela terceira vez lá vou eu arrumar tudo isso novamente

 

MUSIC OFF.

 

CENA 24. RIO DE JANEIRO. EXT. DIA.

 

MUSIC ON: (BOMBA RELÓGIO - LUIZA SONZA FEAT VITÃO)

 

CAM mostra o trânsito, pessoas correndo e caminhando pela orla. O sol se pondo e a noite chegando.