Relações Perigosas - Capítulo 43 - WebTV - Compartilhar leitura está em nosso DNA

O que Procura?

HOT 3!

Relações Perigosas - Capítulo 43

Novela de Felipe Porto
Compartilhe:
Troque a Fonte Aqui


     
     
     

VALE A PENA LER DE NOVO: RELAÇÕES PERIGOSAS
 
     
 
 
     
  NO CAPÍTULO ANTERIOR DE "RELAÇÕES PERIGOSAS":

Heloísa desliga o celular, apavorada.

Heloísa — Não! Esse desgraçado não pode ter morrido! Eu não posso deixar que a droga daquele vídeo caia na net. Eu preciso fazer alguma coisa.

Em Heloísa apavorada.

...

Yasmin se aproxima de Milena e Marcelo, com o celular em mãos.

Yasmin — (Para Marcelo) Marcelo, olha esse vídeo que acabou de cair na net.

Milena — Pelo amor de Deus, Yasmin. Agora não é hora.

Yasmin — (Insiste) Olha.

Música: Instrumental Suspense.

Yasmin entrega o celular para Marcelo e ele vê o vídeo de Heloísa matando Clara. Chocado, Marcelo mostra o vídeo para Milena.

Milena — Que horror.

Marcelo — Eu nunca poderia imaginar tamanha a brutalidade.

Milena — Fica calmo, Marcelo. Pensa pelo lado positivo: Essa é a prova que faltava pra gente colocar a Heloísa atrás das grades.

...

Bianca — Você tá louco?!

Gregório vai pra cima de Bianca e segura o pescoço dela.

Gregório — (Chora) Louca tava você! Com você foi capaz de fazer uma coisa dessas?! Eu pedi pra você não fazer nada com o Leandro!

Bianca — Eu não sei do que você tá falando.

Gregório — Para de fazer teatro, Bianca. Eu conheço a sua história, eu conheço o seu passado. Você não tinha o direito de fazer isso!

Bianca — (Grita) Eu não fiz nada! Eu juro!

Gregório — (Grita) Mentira! Foi você quem jogou o Leandro do alto daquele prédio! (Tom mais baixo/Em lágrimas) Você matou o meu filho da mesma forma que você matou o Coimbra.

Na tensão de Bianca.

 
     
 
     
     
     

CAPÍTULO 43
 
     
 

CENA 01. GIACOMELLI EXPOrTAÇÕES. SALA DE BIANCA. Interior. Dia.

Música: Instrumental Suspense.

Continuação da última cena do capítulo anterior.

Gregório com a mão no pescoço de Bianca. Ela sentada, acuada. Tempo e ela reage e tira as mãos dele sobre ela.

Bianca — (Levanta) Não esqueça que eu nunca fiz nada sozinha.

Gregório — Mas foi você quem atirou o Coimbra do alto desse prédio depois que/

Gregório respira fundo.

Gregório — Você não podia ter feito isso com o Leandro.

Bianca — A morte dele foi um acidente! Eu não tenho nada a ver com isso.

Gregório — Acidente, Bianca? Acidente? Da mesma forma que a morte do Coimbra foi um acidente? (Tom) Você pode enganar a polícia, a sua família, mas a mim você não engana.

Bianca — Tudo que eu fiz esses anos todos foi pra nos proteger.

Gregório — Você foi longe demais, Bianca.

Bianca — A gente já passou desse limite há muitos anos. Você não é nenhum santo, Gregório.

Gregório — Eu era seu maior aliado, mas agora não sei mais o que a gente é.

Gregório abre a porta.

Bianca — Antes de tomar qualquer decisão, não esquece que você também tem muito a perder.

Gregório olha uma última vez para Bianca e sai da sala. Bianca suspira, tensa.

CENA 02. hotel ipanema. quarto. Interior. Dia.

Heloísa com o celular na mão, desesperada.

Heloísa — Eu não acredito que esse vídeo já vazou. Eu preciso arranjar um outro lugar pra ficar antes que a polícia resolva parecer. Preciso fazer isso o mais rápido possível.

Na tensão de Heloísa.

CENA 03. IGREJA. ambiente. Interior. Dia.

Continuação da cena 29 do capítulo anterior.

Velório de Leandro acontecendo. Yasmin ao lado de Milena e Marcelo que estão vendo o vídeo da morte de Clara pelo celular.

Marcelo — Você tem razão, Milena. Essa é a prova que faltava pra gente colocar a Heloísa na cadeia. (Entrega o celular pra Yasmin) Obrigado.

Yasmin — É melhor vocês baixarem esse vídeo logo. Vai que alguém tire ele do ar.

Milena — Ela ta certa. (Pra Yasmin) Você consegue fazer isso pelo celular?

Yasmin — Sim, eu mando pra vocês.

Yasmin se afasta. Marcelo tira o seu celular do bolso e digita um número.

Milena — Ligando pro Delegado Nogueira?

Marcelo — Isso.

Marcelo leva o celular até o ouvido.

CENA 04. delegacia. sala do delegado. Interior. Dia.

Nogueira ao telefone.

Nogueira — (Tel) Vídeo? Claro que a gente pode usar como prova contra ela. Você pode me mandar ele? Ok, fico aguardando.

Nogueira desliga o telefone.

CENA 05. igreja. ambiente. Interior. Dia.

Marcelo desliga o celular.

Milena — E aí?

Marcelo — Ele disse que pode servir sim.

Milena — (Sorri) Que bom.

Gregório entra na igreja e vai até Tarsila.

Tarsila — Até no velório do nosso filho você some?

Gregório — Não começa, Tarsila. Eu tava resolvendo umas questões burocráticas do enterro, mas agora tá tudo certo. (Tom) Agora deixa eu me despedir do meu filho.

Gregório se aproxima do caixão fechado, triste. Tarsila o segue.

Gregório — Eu não consigo me conformar.

Tarsila — É difícil perder um filho. Vai contra a ordem natural das coisas.

Gregório passa a mão sobre o caixão.

Gregório — O caixão deveria estar aberto pra essa despedida.

Tarsila — Não, Gregório. Eu não quero lembrar do meu filho nesse estado frio. Eu quero lembrar dele vivo, sorridente. É essa a lembrança que eu quero levar do meu filho.

Tarsila também coloca a mão sobre o caixão.

CENA 06. cemitério. ambiente. Exterior. Dia.

Música: Instrumental Triste.

Mesmas pessoas da cena anterior. O caixão de Leandro é colocado na cova. Tarsila, Gregório e mais várias pessoas jogam algumas flores na cova. O coveiro começa a jogar terra na sepultura. Tarsila chora e Gregório a consola.

CENA 07. rio de janeiro. ambiente. Exterior. Noite/Dia.

Instrumental continua. Stock-shot do Rio de Janeiro. Indicando a passagem de um dia e uma noite e a chegada do dia seguinte. [Instrumental off].

CENA 08. hotel ipanema. quarto. Interior. Dia.

Heloísa checa a munição de uma pistola e a coloca dentro da bolsa.

Heloísa — Carregada pra qualquer eventualidade.

Heloísa coloca a bolsa em cima da cama, ao lado de sua mala. A campainha toca. Heloísa abre a porta e vê Luísa, que vai entrando.

Heloísa — Você de novo?!

Luísa — Eu de novo sim! Sem gravador, mas com a polícia. O delegado tá chegando a qualquer momento e eu não vou deixar você escapar.

Heloísa e Luísa se encaram. Em Heloísa tensa.

CENA 09. casa de ana carolina. quarto de marcelo. Interior. Dia.

Marcelo terminando de se vestir. Milena por ali.

Milena — Aonde você vai com essa pressa toda?

Marcelo — Saiu o pedido de prisão da Heloísa e eu quero ver isso de perto.

Milena — Não vai lá! É perigoso!

Marcelo — Eu sei, Milena, mas eu não posso deixar de ver o momento que aquela cretina cair.

Milena — Se cuida.

Marcelo — Pode deixar.

Marcelo dá um beijo em Milena e sai. Em Milena aflita.

CENA 10. hotel ipanema. recepção. Interior. Dia.

Música: Instrumental Suspense.

Nogueira e mais dois policiais se aproximam do balcão, de forma discreta. Eles falam com a recepcionista, que logo em seguida sai e volta acompanhada de um homem bem vestido. Nogueira cumprimenta o homem e entrega um papel para ele. O homem olha para o papel e faz sinal para Nogueira e os outros policiais o seguirem.

CENA 11. hotel ipanema. quarto. Interior. Dia.

Instrumental continua. Heloísa e Luísa frente a frente. Calmamente Heloísa vai até a sua bolsa e tira a pistola de dentro.

Heloísa — (Aponta para Luísa) Não só vai deixar eu escapar, como vai me ajudar.

Luísa — (Tensa) Abaixa essa arma.

Heloísa coloca a sua mala de rodinhas no chão e a arrasta até Luísa.

Heloísa — Você quem vai empurrar essa mala.

Heloísa abraça Luísa por trás e coloca aponta a pistola para as costas dela.

Luísa — Você não vai fazer isso com a sua mãe.

Heloísa — Então reage pra ver o que te acontece... Anda!

CENA 12. hotel ipanema. recepção. Interior. Dia.

Instrumental continua. Luísa se aproxima do balcão, empurrando a mala. Heloísa por trás, apontado discretamente a arma em direção à mãe.

Heloísa — Bom dia. Eu já tinha feito o check-out antes. Será que vocês podem trazer o meu carro e levar a minha mala?

A recepcionista concorda com a cabeça e sai.

Heloísa — (Baixo/Para Luísa) Fica bem quietinha se não vai ter sangue jorrando pra todos os lados.

CENA 13. hotel ipanema. quarto. Interior. Dia.

Instrumental continua. A porta do quarto se abre e entram Nogueira e mais dois policiais, com armas em punho. O gerente entra logo em seguida.

Nogueira — Tá vazio. Você tem certeza que é esse quarto?

Gerente — Absoluta.

O gerente tira o celular do bolso.

Gerente — (Cel) Sim? Ok, eu vou avisar.

O gerente guarda o celular.

Gerente — Acabaram de me avisar que a hóspede pediu o carro dela lá na recepção.

Nogueira — Vamos pra lá agora.

Rapidamente, Nogueira e os policiais saem do quarto.

CENA 14. hotel. frente. Exterior. Dia.

Instrumental continua. Heloísa apontando a arma para Luísa de forma discreta. Agora elas estão sem a mala.

Heloísa — (Ansiosa) Que merda! Por que esse carro tá demorando?

Não muito longe dali, Marcelo desce do seu carro.

Marcelo — Heloísa!

Heloísa vê Marcelo. Ao mesmo tempo, Nogueira e outros policiais saem do hotel. Nisso, Heloísa puxa Luísa para mais perto dela e aponta a arma para a cabeça de Luísa.

Heloísa — Ninguém se aproxima, se não eu atiro nela!

Nogueira e os policiais seguem mirando para Heloísa. Nogueira faz sinal para Marcelo ficar atrás deles.

Marcelo — Heloísa, se rende! Você perdeu!

Heloísa — (Ri) Eu perdi? Não perdi, não Marcelo.  Isso é só o começo.

Nogueira — Heloísa, nós já temos um mandado de prisão contra a senhora pela morte de Clara Vargas. Abaixe a arma e libere a refém e nada vai acontecer com a senhora!

Heloísa — Vocês acham que eu sou trouxa? Não vou largar ninguém! Aliás, quem faz as exigências aqui, sou eu! Eu quero saber onde tá o meu carro?! Eu quero o meu carro aqui e agora, se não eu vou explodir a cabeça dela na frente de todo mundo!

Fecha em Heloísa descontrolada, apontando a arma para a cabeça de Luísa. [Instrumental off].

CENA 15. ap de luísa. sala. Interior. Dia.

Wagner por ali, sentado no sofá, esperando. Bernardo vem do quarto, falando ao celular.

Bernardo — (Cel) Eu não acredito que a Heloísa tá fazendo isso, Marcelo. To indo praí agora.

Bernardo desliga o celular.

Wagner — O que aconteceu?

Bernardo — Cancela a nossa saída. A Helô tá tentando escapar e tá usando a mãe como escudo. To indo pro hotel que ela tá.

Wagner — Eu vou com você. A sua irmã tá completamente louca.

CENA 16. casa de ana carolina. jardins. Exterior. Dia.

Jamal esperando. Rudá sai de dentro da casa e vai até Jamal.

Rudá — O que você tá fazendo aqui?

Jamal — Vim pra conversar com você. Sem discussão, sem brigas.

Rudá — Eu não tenho nada pra conversar com você.

Jamal — Tem sim. Deixa de ser cabeça dura. Eu a Daiane nunca tivemos e nunca vamos ter nada.

Rudá — Por quê? Você é gay por acaso?

Jamal — Não, não sou, mas eu considero a Dai quase como uma irmã pra mim. Nunca que ia rolar nada entre nós.

Silêncio. Rudá pensativo.

Jamal — Você precisa confiar mais na sua namorada. Mulher nenhuma aguenta tanta pressão.

Rudá — Eu gosto demais dela, por isso eu fico assim.

Jamal — Eu sei e até te entendo. Mas você precisa pegar mais leve.

Rudá — Mas agora a burrada já tá feita, Jamal.

Jamal — Tá feita, mas a gente sempre pode ter a chance de consertar ela.

Em Rudá pensativo.

CENA 17. casa de giancarlo. quarto de Milena. Interior. Dia.

Milena entra no quarto e começa a mexer em uma gaveta. Divinéia entra no quarto.

Divinéia — Procurando alguma coisa, Milena?

Milena — To sim. Há alguns dias eu tirei uma pulseira e coloquei ela em cima de uma mesinha lá da sala. Ia levar por quarto, mas acabei esquecendo. Achei que você ou a Cleusa pudessem ter guardado.

Divinéia — E como é essa pulseira?

Milena — Prateada com umas bolinhas que parecem esmeraldas, mas não são.

Divinéia — Ah eu vi essa pulseira atirada na sala. Pensei que fosse da sua mãe e acabei guardando no quarto dela. Quer que eu pegue?

Milena — Não precisa, Divinéia. Obrigada, eu mesma pego.

Milena sai do quarto.

CENA 18. casa de giancarlo. quarto de bianca e rogério. Interior. Dia.

Milena entra no quarto e abre uma gaveta, vasculha, não encontra. Abre mais algumas outras gavetas, revira um pouco as coisas, mas sem fazer bagunça. Até que Milena encontra no fundo de uma gaveta, um celular.

Milena — (Surpresa) Esse é o celular do Rogério. Mas eu jurava que ele tinha sido roubado no dia do assalto.

Em Milena desconfiada.

CENA 19. hotel ipanema. frente. exterior. Dia.

Heloísa fazendo Luísa de refém. Nogueira e os policias apontando suas armas. Wagner e Bernardo se aproximam de Marcelo, que está um pouco mais atrás.

Marcelo — Que bom que vocês chegaram. A Heloísa tá fora de si.

Bernardo — Eu vim correndo.

Wagner — Eu preciso tentar falar com ela.

Bernardo — Toma cuidado pai.

Wagner se aproxima de Nogueira.

Wagner — Delegado, com licença. Eu sou o pai dela. Será que eu poderia tentar falar com ela?

Nogueira — Tudo bem, pode falar. Mas você precisa ficar atrás de nós.

Wagner — Certo, como vocês quiserem.

Wagner se aproxima mais da linha humana formada pelos policiais. Heloísa vê Wagner.

Heloísa — (Sorri/Debochada) Paizinho! Veio fazer uma visita pra sua filha?

Wagner — Eu vim pedir pra você liberar a sua mãe.

Heloísa — Desculpa, mas esse pedido eu vou ter que negar. Se eu soltar ela, vocês me prendem!

Wagner — Você tá completamente louca, Heloísa. Olha só o que você tá fazendo com a sua mãe!

Heloísa — (Descontrolada) Tô! Tô bem louca sim! E vou ficar ainda mais se a merda desse carro não aparecer em dois minutos!

Luísa — Tragam esse carro logo, pelo amor de Deus!

Nogueira fala no rádio.

Nogueira — Tragam o carro pra ela.

Nogueira desliga o rádio.

Nogueira — (Para Heloísa) O carro tá vindo.

Heloísa — Ótimo. Bom saber que vocês estão colaborando.

Em Heloísa ofegante.

CENA 20. casa de giancarlo. quarto de bianca e rogério. Interior. Dia.

Continuação da cena 18. Milena com o celular de Rogério em mãos.

Milena — Mas o Rogério tava sim com o celular no dia do assalto. Tanto que ele tava falado com a Yasmin no momento que foi baleado.

Milena caminha pelo quarto, confusa.

Milena — Muito estranho isso do celular aparecer aqui. Eu vou entregar ele pro delegado.

CENA 21. hotel ipanema. frente. exterior. Dia.

O carro de Heloísa já está parado em frente ao hotel.

Heloísa — Eu não quero ninguém me seguindo!

Bernardo — Deixa a mãe!

Heloísa — Não! Ela vai comigo!

Heloísa abre a porta do carona e empurra Luísa para dentro. Logo em seguida, Heloísa também entra. O carro sai a toda velocidade. Marcelo se aproxima de Nogueira.

Marcelo — Vocês não vão atrás dela.

Nogueira — A gente não pode colocar a vida da refém em risco.

Na tensão de todos.

CENA 22. carro de heloísa. ambiente. Interior. Dia.

Luísa dirigindo em alta velocidade. Heloísa aponta a arma para ela.

Luísa — Até onde você vai com essa história, minha filha?

Heloísa — Até o inferno se for preciso. Agora cala a boca e pisa nesse acelerador.

Heloísa pega o celular.

Heloísa — (Cel) Alô? Eu preciso de um táxi na Praia da Urca.

Em Heloísa falando ao celular.

CENA 23. praia da urca. ambiente. Exterior. Dia.

Luísa parada em frente ao carro. Dois carros da polícia e o carro de Marcelo se aproximam do local. Nogueira, Marcelo, Bernardo e Wagner se aproximam de Luísa.

Bernardo — Você tá bem?

Luísa — To sim, filho. Foi mais o susto.

Nogueira — E a foragida?

Luísa — Me largou aqui e pegou um táxi na outra rua. Não consegui ver a placa.

Nogueira — Ela deve ter pensado que o carro tava sendo monitorado, por isso abandonou ele.

Wagner — (Para Luísa) Será que ela se tornou assim por culpa nossa, Luísa?

Luísa — Eu já me perguntei isso inúmeras vezes, Wagner. E até agora não consegui encontrar uma resposta.

Bernardo — Claro que a culpa não é de vocês! A Helô que tem o caráter torto.

Marcelo — (Para Nogueira) O que vocês vão fazer agora que ela escapou?

Nogueira — Continuar buscando informações que nos levem até o paradeiro dela.

Marcelo concorda.

CENA 24. delegacia. corredor. Interior. Dia.

Nogueira entra da rua. Perceu o aborda.

Perceu — Tem uma moça querendo falar com você.

Nogueira olha para Milena, sentada o esperando.

Nogueira — (Para Milena) Pode entrar.

Milena se levanta.

CENA 25. delegacia. sala do delegado. Interior. Dia.

Milena sentada diante de Nogueira.

Nogueira  — Em que posso ajudar?

Milena — É sobre o assalto do meu padrasto Rogério.

Nogueira — Alguma nova informação?

Milena — Acho que sim.

Milena tira da bolsa o celular de Rogério.

Milena — Eu encontrei esse celular nas coisas da minha mãe.

Nogueira — E?

Milena — E daí que o Rogério usou esse celular pra falar com a minha irmã segundos antes dele ser baleado.

Nogueira — Então esse celular deveria estar em poder do assaltante.

Milena — Exato! Eu achei muito estranho ele tá lá em casa.

Nogueira — Certo, dona Milena. Nós vamos mandar o celular pra pericia e anexá-lo as provas.

Milena — Obrigada, delegado Nogueira.

Nogueira — Eu é que agradeço. E peço também pra senhora manter sigilo sobre esse fato.

Milena — Como o senhor quiser.

CENA 26. pensão. recepção. Interior. Dia.

Heloísa carregando uma mala. Vai à pensionista que está no balcão.

Heloísa — Eu quero um quarto.

Pensionista — Olha só quem voltou! Não foi você quem disse que essa pensão era horrível?

Heloísa — E continuo achando, mas pro momento é um ótimo lugar pra ficar. (Impaciente) Tem quarto ou não? To com dinheiro.

Heloísa mostra o dinheiro.

Pensionista — Tem sim. Pagamento adiantado.

Heloísa larga o dinheiro em cima do balcão. A pensionista pega e começa a contar. Em Heloísa enojada.

CENA 27. praia. ambiente. Exterior. Noite.

Música: Pede a Ela – Tim Maia.

Tomada geral do calção ao anoitecer.

CENA 28. bistrô. ambiente. Interior. Noite.

Música continua em volume mais baixo. Milena e Marcelo sentados à mesa.

Milena — Por que você me trouxe até aqui? Algum motivo especial?

Marcelo — Não. Quer dizer: sim. Na verdade eu queria mudar os ares depois de tudo que aconteceu hoje.

Milena — Nem me fale, Marcelo! Eu fiquei sabendo que a louca da Heloísa pegou a própria mãe de refém.

Marcelo — Verdade. E o pior é que ela conseguiu escapar. (Tom) Mas eu não te trouxe aqui pra falar sobre isso. Eu/

Milena — (Corta) Ah! Você nem sabe o que eu encontrei nas coisas da minha mãe! O celular do Rogério.

Marcelo — Mas ele não tava com o celular quando ligou pra sua irmã?

Milena — Aí é que tá! Em tese, o celular deveria tá com o assaltante. (Tom) Isso não é estranho?

Marcelo — Muito.

Marcelo pega a mão de Milena e a beija.

Marcelo — Agora vamos esquecer um pouco de tudo isso. Eu quero falar uma coisa muito importante.

Milena — O quê?

Marcelo — O meu casamento com a Heloísa não tem validade. Ela usou documentos falsos. Então eu queria marcar logo a data do nosso casamento. Quer dizer: isso se você aceitar se casar comigo.

Milena — (Sorri) Eu fiquei um pouco confusa. Isso foi um pedido de casamento?

Marcelo — Oficial.

Marcelo abre uma caixinha e mostra o anel de Ana Carolina. Milena sorri.

Marcelo — É o anel que era da minha mãe, que finalmente vai tá no dedo da mulher certa. Aceita? Eu prometo fazer de você a mulher mais feliz do mundo.

Milena — Aceito.

Música aumenta o volume.

Marcelo coloca o anel no dedo de Milena. Os dois se beijam.

CENA 29. rio de janeiro. ambiente. Exterior. Noite/dia.

Música continua. Stock-shot de pontos turísticos do Rio de Janeiro de noite e de dia.

Legenda: Alguns dias depois...

[Música off].

CENA 30. casa de giancarlo. sala. Interior. Dia.

Rogério abre a porta da rua. Yasmin o vê.

Yasmin — Vai sair, pai?

Rogério — Sim, filha. Não aguento mais ficar trancado nessa casa.

Yasmin — Mas você recebeu alta há poucos dias.

Rogério — Não se preocupa, querida. Eu sei me cuidar. Beijos.

Rogério sai.

CENA 31. shopping. ambiente. Interior. Dia.

Bernardo vai até Juliana.

Bernardo — Fiquei surpreso quando você me ligou. Achei que você não quisesse mais me ver.

Juliana — E não queria mesmo, mas precisava saber como você tava. Ainda mais depois que o seu amigo morreu.

Bernardo — Você ta falando do Leandro. Eu sei que ele fez muito mal pra você e eu deveria ter contado que eu conhecia ele, mas/

Juliana — (Corta) É! Deveria mesmo! Esse cara ferrou com a minha vida.

Bernardo — Eu sei! Eu tava com ele na hora que ele postou aquele vídeo.

Juliana — E não fez nada?!

Bernardo — Eu tentei! Juro! Ele postou por pura maldade, mas eu não concordei.

Juliana — Não concordou, mas também não impediu que ele postasse.

Bernardo — Eu sou diferente do que o Leandro era. Acredita em mim.

Em Juliana desconfiada.

CENA 32. gafieira. ambiente. Interior. Dia.

Daiane dando aula de dança para uns 6 alunos. Rudá entra.

Rudá — Daiane, será que a gente poderia conversar?

Daiane — A gente não tem nada o que conversar.

Rudá — Por favor.

Daiane suspira.

Daiane — (Para os alunos) Gente, vamos dar uma pausa na aula. Ela retorna em cinco minutos.

Todos os alunos saem do local.

Daiane — Você tem cinco minutos pra falar.

Música: Me Chama - Babi Hainni.

Rudá — Eu fui um idiota ciumento. Eu não tinha o direito de ter falado aquilo pra você e pro Jamal.

Daiane — Não tinha mesmo.

Rudá — Mas eu fiz tudo isso porque eu te amo.

Daiane — Eu sei disso, Rudá, mas você precisa controlar essa desconfiança.

Rudá — Eu to tentando mudar. Por isso eu te peço: Me perdoa?

Em Daiane indecisa. [Música off].

CENA 33. quiosque. ambiente. Exterior. Dia.

Rogério e Luísa sentados à mesa num quiosque a beira da praia. Conversa já iniciada.

Rogério — Você não sabe o quanto tá sendo difícil pra eu fingir que não lembro que foi a Bianca quem tentou me matar.

Luísa — Sinceramente eu não sei como você consegue. Você já deveria ter desmascarado ela há um tempão.

Rogério — Eu tava só esperando o momento certo.

Luísa — E quando vai ser?

Rogério — Ainda hoje eu revelo pra todo mundo quem a Bianca é de verdade.

Luísa — É bom você fazer isso logo. Até porque eu já mandei pra Tarsila aquelas fotos do Gregório e da Bianca juntos.

CENA 34. barão do alambique. sala de tarsila. Interior. Dia.

Tarsila abatida. Amélia entrega um envelope para ela.

Luísa — (Off) Logo ela também vai ficar sabendo de toda a verdade.

Tarsila pega o envelope.

Tarsila — Quem mandou?

Amélia — Um boy entregou.

Tarsila — Tá. Obrigada.

Amélia sai da sala. Tarsila abre o envelope e tira um pen drive.

Tarsila — Pen-drive? O que será que tem dentro? (Tom) Depois eu vejo.

Tarsila deixa o pen-drive em cima da mesa e fica ali, desanimada. No pen drive sobre a mesa.

CENA 35. quiosque. ambiente. Exterior. Dia.

Rogério e Luísa conversando.

Rogério — Qual será que vai ser a reação da Tarsila ao ver essas fotos?

Luísa — Acredito que a pior possível.

Rogério — Eu sei que isso aconteceu há alguns dias, mas como é que você tá depois de tudo que a sua filha fez?

Luísa — Nem me fala disso, Rogério. Não gosto nem de lembrar.

Rogério — Você deve ter passado por uma situação dificílima.

Luísa — Você não imagina o quanto.

Música: Dia Especial - Tiago Iorc.

Rogério pega na mão de Luísa.

Rogério — Logo que eu fiquei sabendo da notícia eu quis te ver, mas o meu estado de saúde não deixou.

Luísa — Não precisa se justificar.

Rogério — Foi aí que eu decidi que eu não poderia mais adiar uma coisa que eu to há muito tempo com vontade de fazer.

Luísa — O quê?

E então, Rogério dá um beijo em Luísa. [Música off].

CENA 36. shopping. ambiente. Interior. Dia.

Juliana e Bernardo conversando.

Juliana — Eu não sei se eu posso acreditar em você.

Música: Meu Novo Mundo - Charlie Brown Jr.

Bernardo — Eu to gostando de você de verdade.

Juliana — Mas você poderia ter sido sincero comigo.

Bernardo — Achei que essa história não tivesse importância.

Juliana — Mas tinha, Bernardo. E se você mentiu sobre isso, quem garante que você não mentiu ou vai mentir sobre mais coisas?

Bernardo — Me dá uma chance pra provar que eu não to mentindo, que eu gosto de você de verdade.

Juliana — Desculpa, mas não vai dar.

Juliana vai embora. Em Bernardo chateado. [Música off].

CENA 37. gafieira. ambiente. Interior. Dia.

Continuação da cena 32. Rudá e Daiane conversando.

Daiane — Não te perdoo. E se era isso que você tinha pra me dizer, pode saindo que eu tenho uma aula pra dar.

Rudá — Mas, Daiane! Por favor!

Daiane — Não adiante implorar, Rudá. Não é só vir aqui com cara de cachorro pidão que eu vou esquecer tudo o que você me disse. Sai daqui que eu tenho mais o que fazer.

Rudá — (Triste) Tudo bem, eu vou. Mas eu fique sabendo que eu não desisti de você.

Rudá ameaça beijar Daiane, mas ela impende.

Daiane — Nem pense.

Rudá sai do salão. Em Daiane, balançada.

CENA 38. quiosque. ambiente. Exterior. Dia.

Música: Dia Especial - Tiago Iorc.

Rogério e Luísa se beijando. Tempo e Luísa afasta Rogério.

Rogério — Desculpa, mas eu tinha que fazer isso. Eu to gostando muito de você.

Luísa — Eu também to, mas a gente precisa ir com mais calma.

Rogério — Calma por quê?

Luísa — Apesar de tantos anos sozinha, eu acho que não to preparada pra um novo relacionamento.

Luísa se levanta.

Rogério — A gente se vê?

Luísa — Sim, mas vamos com calma.

Luísa sai. Em Rogério feliz.

CENA 39. rio de janeiro. ambiente. Exterior. Noite.

Música continua. Stock-Shot da cidade ao anoitecer. [Música off].

CENA 40. ap de otávio. sala. Interior. noite.

Giovanna e Juliana conversando.

Juliana — Como é esse apartamento?

Giovanna — É menor do que aquele que eu tava com o Jardel, mas foi o jeito que eu dei. Não tinha como continuar naquele apartamento.

Juliana — Por que você não voltou pra cá?

Giovanna — Nem morta. Prefiro ficar num cubículo ou até mesmo de baixo da ponte, mas voltar pra cá eu não volto!

Juliana — Cê que sabe.

Giovanna — E você filha? Me parece meio triste.

Otávio entra da rua.

Otávio — (Para Giovanna) O que você tá fazendo aqui?

Giovanna — Vim visitar a minha filha. Dá licença?

Otávio — (Dá de ombros) Faça como quiser.

Juliana olha que os sapatos de Otávio estão sujos de barro.

Juliana — Onde o senhor andou pra ficar com os sapatos cheios de lama?

Otávio — No mesmo lugar que a sua mãe esteve. Porque até onde sei, você também tá na lama, né Giovanna?

Otávio dá um sorriso irônico e sobe as escadas.

Juliana — Esquece ele.

Giovanna — Isso. O que você ia me falar?

CENA 41. casa de giancarlo. quarto de bianca e rogério. Interior. noite.

Bianca vasculha algumas gavetas.

Bianca — Eu não acredito que o celular do Rogério sumiu. Eu deveria ter dado um fim nisso naquele dia mesmo.

Rogério entra.

Rogério — Procurando alguma coisa, Bianca?

Bianca se assusta.

Bianca — Não. Quer diz, to sim, mas não é nada de importante.

Rogério — O jantar já vai ser servido e eu aposto que você vai adorar o prato principal.

No ar misterioso de Rogério.

CENA 42. rua deserta. ambiente. Exterior. Noite.

Heloísa caminha apressadamente. Percebe que está sendo seguida e acelera o passo. Tempo em Heloísa andando rapidamente, até que ela é agarrada por uma pessoa. É Perceu.

Heloísa — Que susto você me deu!

Perceu — Tava fugindo de mim, né sua safada?

Heloísa — Do que você tá falando?

Perceu passa a mão na perna de Heloísa e mostra um revólver em sua cintura.

Perceu — To falando que agora você vai me pagar tudo o que me prometeu.

Na tensão de Heloísa.

CENA 43. casa de gregório. sala. Interior. Noite.

Tarsila sentada no sofá, triste. Karina desce as escadas e vai até ela.

Karina — Você tá o dia inteiro aí, mãe. Não tá na hora de reagir?

Tarsila — A saudade do seu irmão bate fundo aqui no peito.

Karina — Eu também sinto falta dele, mas uma hora você vai ter que reagir.

Tarsila — Me dá um tempo. Uma hora isso vai acontecer. Devagar, mas vai.

Tarsila olha para o pen drive sobre a mesa.

Tarsila — Karina, me empresa o seu tablet.

Karina — Peraí.

Karina sobre as escadas correndo. Tarsila pega o pen-drive.

Tarsila — O que será que tem aqui dentro?

Karina desce com o tablet em mãos.

Karina — (Entrega) Toma. (Tom) O que tem nesse pen drive?

Tarsila — Não sei.

Karina — O jantar vai demorar muito? To com fome?

Tarsila — Não sei. Acho que seu pai vai demorar hoje.

Karina vai para a cozinha. Tarsila conecta o pen drive no tablet, começa a mexer nele até que leva um susto ao ver as imagens: Gregório e Bianca aos beijos.

Tarsila — Canalha!

Na decepção de Tarsila.

CENA 44. casa de giancarlo. sala de jantar. Interior. Noite.

Giancarlo, Bianca, Rogério, Milena e Yasmin jantando. Rogério se levanta.

Rogério — (Pigarreia) Eu queria aproveitar que tá todos estão reunidos e mostrar uma coisa pra vocês.

Rogério tira do bolso um gravador.

Rogério — Escutem com atenção.

Rogério liga o gravador.

Inserir áudio da cena 09 do capítulo 22:

Rogério — (Ri) Tá com inveja, é?

Bianca — Não, Rogério! O que eu não quero é que o pai comece a ver a Milena com bons olhos naquela empresa. Já pensou se ele inventa de preparar a Milena pra ser a sucessora dele e me tirar da jogada?

Rogério — Acho que você deveria ficar feliz do seu pai nunca ter descoberto que você rouba a empresa.

Bianca — (Reage) Eu não roubo nada! (Tom) Aquilo é meu mesmo.

Rogério — Uma forma peculiar de ver as coisas, essa sua. Você sabe que além de publicitário eu sou advogado e não é bem isso que as leis dizem.

Bianca — Não vem com esse papinho de lei. To nem aí pra o que elas querem me dizer.

Rogério — (Irônico) Não me diga? Nunca passou pela minha cabeça que você iria se importar com alguma lei.

Rogério desliga o gravador.

Giancarlo — O que significa isso, Bianca?

Rogério — Significa que você ta sendo roubado pela sua própria filha, Dr. Giancarlo.

Closes alterados em todos os presentes. Finalizando em Bianca acuada.

CENA 45. barão do ALAMBIQUE. antessala. Interior. Dia.

Adelaide guardando suas coisas. Gregório entra da rua.

Adelaide — Dr. Gregório? Eu não imaginava que o senhor iria voltar.

Gregório — Pode ir, dona Adelaide. Já tá tarde mesmo.

Adelaide ameaça falar algo, mas Gregório já entrou em sua sala.

CENA 46. barão do alambique. sala de gregório. Interior. Dia.

Gregório entra e vê Wagner sentado.

Gregório — O que você tá fazendo aqui, Wagner?

Gregório senta.

Wagner — É engraçado com as histórias se repetem, não é mesmo?

Gregório — Como assim?

Wagner — Primeiro é a Milena e o Marcelo que se aproximam e resolvem investigar o passado. Agora o Leandro que tem esse acidente. (Tom) Se é mesmo que você acredita que isso foi um acidente?

Gregório — Onde você tá querendo chegar?

Wagner — Se eu pudesse voltar no tempo, eu não teria aceitado o dinheiro de vocês. Ele custou a minha felicidade.

Gregório — Tá arrependido agora? Você é tão culpado quanto eu ou a Bianca.

Wagner — Não sou não. Se eu tenho a consciência suja, vocês têm as mãos sujas.

Wagner se levanta.

Wagner — Essa história custou a minha felicidade e acho que tá custando a sua também. E olha que eu sei de muito menos coisas que você. (Tom) O cerco tá se fechando, Gregório.

Gregório — E daí?

Wagner — Daí que quando a coisa apertar de verdade, a Bianca não vai te poupar. Ou você confia nela?

Gregório não responde.

Wagner — Eu desconfio que a morte do seu filho não foi um acidente. É muita coincidência. Pensa se vale a pena continuar com isso. Como eu disse: se pudesse voltar no tempo, eu teria feito diferente.

Wagner sai da sala. Gregório fica ali, pensativo, aflito.

Gregório — Ele tá certo. A Bianca não tá merecendo a minha lealdade.

Gregório pega o celular, tecla e leva-o até o ouvido.

Gregório — (Cel) Alô, delegado Nogueira? É Gregório Mascarenhas. Desculpa o avançado da hora, mas eu preciso falar com você. Eu tenho algumas informações sobre Bianca Giacomelli que vão ser do seu interesse.

Em Gregório decidido. Fade Out.

Música de Encerramento: I'm Happy Just to Dance With You - The Beatles.

   

 

     



REALIZAÇÃO


Copyright
© 2016 - WebTV
www.redewtv.com
Todos os direitos reservados
Proibida a cópia ou a reprodução

.aaa.
.aaa.
Compartilhe:

14 anos

Capítulos de Relações Perigosas

No Ar

Novela

Relações Perigosas

Comentários:

0 comentários: