Papo com o Autor 2x03


 

PAPO COM O AUTOR - 2x03
 
 

NO PROGRAMA DE HOJE:

     
 

No terceiro programa da temporada, o Papo recebe a presença do ilustre VITOR ABOU. No programa, o autor relembra a história de Mulheres de Ipanema, sua primeira trama. Se emociona com as mensagens dos amigos: Pedro Gaze, Wesley Vitoritti e João Carvalho. A opinião é dada sobre as premiações aqui do MV. Encerra o nosso papo contando o que vem por aí com sua assinatura e muito mais!

“Eu sempre gosto dos comentários, mesmo que negativos, pois me ajudam a crescer como autor. (ABOU, Vitor. 2018)”

 
     

 

     
   
 


Ludmilla e MC Doguinha - Dim Dim Dim

 

 

CARLOS: Que saudadeeeeee, esse programa mensal só é bom pela falta de tempo do antigo quinzenal do Papo ahhaha E aí pessoal, como estão?! Sedentos? Eu sei, compreendo!! Bora começar, bora sacudir e abalar esse MV na noite de hoje com mais uma entrevista pra lá de especial dessa temporada maravilhosa do nosso pôgrama. Assim como nossa intro maravitxèrry da Lud: Já vou logo avisando que é melhor você está preparado que o pôgrama de hoje prometxy... Ôooo se promete!! Sigam-me os bons e vem que vem aproveitar essa abertura e logo em seguida conhecer o entrevistado de hoje!! Soltaaaaaaa.....

 
     

 

     
     
     

 

     
 

CARLOS: Mô povo, vem cá.... Cheguem mais junto que é hora de chamar o nosso convidado da noite, o convidado de hoje acredite ou não é mais um dos que se envolvem em todo tipo de aventura aqui no MV, desconfio dessa nossa pegada na segunda temporada pelo fato de já receber o Gabo e Vitor... Então!! Babadeiro, exclusivo.... Vem correndo, vem pulando... Só vem!! Chega chegando Vitor Abou!! AI QUE TUUUDDOOO...

VITOR ABOU: Aeeee... Oi, pessoal. Oi, Lira. Cheguei com tudo, hein. É uma honra participar do programa. Sou muito fã. Agradeço desde já pelo convite.

CARLOS: Então Vitinho, já vou logo avisando que... Não é o dim dim dim dá Lud, mas é um papo pra lá de curioso e sedento dos diferentes sentimentos de um ser... É isso mesmo, queremos sangueee kkkk Brncadeira viu! Preparado pra entrar nessa?

VITOR ABOU: Sou da paz, Lira. Paz e amor. Mas vamos lá! Tô pronto.

CARLOS: Kkkkk adoro esses pacíficos, então bora!! E bora logo chamar o nosso primeiro quadro que quero saber tudo e claro falar sobre tudo. Hoje é por sua conta, capricha na fala e chama o quadro mais curioso desse MV...

VITOR ABOU: Tá na hora dele, que é um ótimo papo e também tem algo que tem tudo a ver comigo, a curiosidade. Estou falando do PAPO CURIOSO. Bora lá!

 
     

 

     

 

     
 

CARLOS: Razôô!! Esse quadro é curioso mesmo, é tão curioso que vou logo querendo saber sobre como iniciou a história do Vitor aqui nesse MV.

VITOR ABOU: Tudo começou num belo dia quando resolvi mandar uma sinopse para o Yahoo respostas, perguntando o que as pessoas achavam. Até então não conhecia MV nem a existência de webnovelas. Só tinha ideias que gostaria de passar para outras pessoas. Então, uma pessoa respondeu dizendo que tinha um site de webs prestes a estrear. Assim, entrei no Novela Mania BR, meu primeiro site, lançando minha primeira novela, Mulheres de Ipanema.

CARLOS: É interessante ver que de certa forma quase todo mundo começou nesse meio através de pesquisas pelo Yahoo ou comunidades. Bom, Vitor sei que você é multiuso aqui no MV, sempre aventurasse nas diversas áreas. Conta pra gente toda loucura que já realizou por aqui.

VITOR ABOU: Pois é. Várias pessoas começaram nesses meios. Então, já fiz de tudo um pouco mesmo. Já escrevi 6 novelas, 2 séries, 1 minissérie e alguns especiais, além de colaborações. Também já apresentei alguns programas, como Sábado Show e TVN News, dirigi o TVN por 3 anos e atualmente dirijo Entretenimento e Jornalismo do MEGAPRO.

CARLOS: Falei, bem versátil. Que área o Vitor se identifica mais?

VITOR ABOU: Difícil escolher uma. Dramaturgia é a minha origem, minha raiz, mas a comunicação, tanto com Jornalismo quanto com Entretenimento, é algo que eu adoro fazer também. Porém, tendo que escolher, eu prefiro ficar com direção, organizando, auxiliando.

CARLOS: É interessante esse ponto da direção, cheguei de certa forma a acompanhar uma parte de sua trajetória como diretor, principalmente no TVN. Eu particularmente também gosto dessa área, mas é uma área que depende de uma atenção grande dependendo do enfoque dado as subáreas dos sites. Trazendo pra nossa realidade, como foi a experiência frente a escolha de tramas para exibição na grade em épocas do TVN, que critérios e que situações você chegou a enfrentar quando esteve a frente da área?

VITOR ABOU: Uma coisa que eu sempre gostei em direção foi montar grade, apesar de ter que pensar em muitas coisas, como a semelhança de elenco, de tramas, até de nomes, de modo também a equilibrar, evitando tramas muito fortes ao mesmo tempo. Eu e João buscávamos esse equilíbrio, seguindo também os horários (18h, 20h e 21h). A escolha era pautada em critérios como texto orgânico, fluido, pouco cansativo, um certo domínio das técnicas e da língua portuguesa. Uma coisa com a qual lidamos e era bem complicado foram os cancelamentos. Isso sempre nos deixou de cabelo em pé. Teve uma vez que os autores das 18 e 20 cancelaram ao mesmo tempo antes da estreia. Foi uma loucura!

CARLOS: Eita, imagino! Épocas do TV Noticias me faz recordar essas situações de cancelamento. Sorte nossa, que na época contávamos com o Rodrigo Ferreira como diretor do setor de dramaturgia e o mesmo sabia bem como contornar tais situações. No seu caso, após receber um impacto de furo em dois horários das grades qual eram as soluções que tomavam? Como conciliavam com o programa de divulgação das tramas?

VITOR ABOU: Rodrigo Ferreira foi meu primeiro chefe no MV. Ele dirigiu o Novela ManiaBR, em 2012. A divulgação das duas não tinha começado ainda, mas faltavam poucos meses, acho que dois, para a estreia. Nossa alternativa foi exibir uma novela que tinha sido entregue 100% escrita já e estávamos guardando para esses momentos e recorremos a uma reprise também. Depois, tivemos menos cancelamentos, pois passamos a entrar em produção com mais antecedência, a fim de evitar tudo isso.

CARLOS: Bom, pra encerrar esse ponto de direção e entrar nas questões do Vitor autor é impossível não encerrar sobre o TVN. Sabemos que o TVN foi uma emissora que configurou no MV por alguns anos e que infelizmente encerrou suas atividades. Como foi esse final de ciclo de encerramento de uma história para embarcar em um novo caminho, dentro de uma nova emissora?

VITOR ABOU: Falar de TVN é sempre muito bom pra mim, muito especial, foi um tempo que não volta, feliz e infelizmente, pois temos que viver novos momentos, mas também aquele tempo foi muito bom. 5 anos de TVN, sendo 3 comigo e com João. Mais de 100 histórias e muitos programas passaram pela emissora. A decisão de encerrar as atividades foi uma conversa muito difícil minha com João. Percebíamos que a nossa essência de autor e de apresentador também estavam sumindo. Estávamos cansados, saturados. Pensávamos em sair do MV mesmo, mas, em janeiro, decidimos integrar o MEGAPRO.

CARLOS: Vamos então embarcar de fato no Vitor autor. Uma das perguntas que sempre faço é como o autor chega a história de sua trama. Como funciona esse processo de montagem de trama, criação de histórias, personagens...

VITOR ABOU: Para mim, cada caso é um caso. Tive ideias de trama no meio de aulas, no banho, lendo ou assistindo a um filme ou uma novela, por exemplo. Magia Sensata, uma das minhas novelas, tem uma inspiração no clima leve das novelas das 18h de Walcyr Carrasco, junto com a magia. Geralmente eu penso num personagem específico e a partir dele vai surgindo tudo.

CARLOS: Quando você começa a desenvolver os capítulos é normal você fazer alterações na sinopse inicial ou sempre se mantém ao que planejou inicialmente, o publico pode ter uma parcela nessa mudança?

VITOR ABOU: Eu sempre modifico alguma coisa no que havia planejado. Ideias minhas vêm surgindo e também sugestões do público. Falando nisso, a opinião dos leitores é fundamental. Eu sempre gosto dos comentários, mesmo que negativos, pois me ajudam a crescer como autor. Pensando nisso, o MEGAPRO tem feito enquetes sobre as novelas.

CARLOS: Realmente é interessante esses pontos com um contato mais direto do público. É uma boa! Vitor, outra coisa que gosto de perguntar é sobre as definições de títulos para a obra. É difícil você titular suas tramas? Como você chega ao titulo de suas obras?

VITOR ABOU: Eu sou péssimo em título. Os meus títulos geralmente são sugestões de amigos. Minhas duas últimas novelas e a atual são sugestões do João Carvalho, sempre buscando uma relação com a trama. A minha atual, Dias Melhores, tem como temas centrais a busca por dias melhores, a esperança, a superação.

CARLOS: Falando em Dias Melhores, acho linda a arte da trama, o MegaPro tem ótimas artes de apresentação. Bem, seguindo... Uma questão que acho bastante curiosa é a escolha do tema musical para a abertura e a abertura em si das tramas. É difícil você chegar ao resultado final e esperado para a abertura de uma trama sua?

VITOR ABOU: Eu sou apaixonado pelas artes produzidas pelo Lucas Luciano. São incríveis. Também temos na equipe de arte o Gustavo de Paula, que faz algumas aberturas, como a de Dias Melhores, que eu amei demais. O tema de abertura eu geralmente escolho com facilidade. Penso em músicas que tenham relação com a trama, tanto na letra quanto na batida. Em Dias Melhores, a música é a de mesmo nome do Jota Quest, em uma ótima versão remix, bem animada. Sobre a abertura em si, sempre dou as minhas sugestões de cor, imagem, takes, além dos créditos que envio. A partir daí entra todo o trabalho da nossa equipe, que dá um show.

CARLOS: Vitor, acho bastante interessante aqui no MV quando o autor apresenta um elenco para dar formas físicas aos seus personagens. Você tem algum autor/atriz que sempre ganha um personagem em suas tramas?

VITOR ABOU: Eu amo escalar trilha e elenco. Acho maravilhoso e importantíssimo! Eu sempre tento variar. Poucos atores eu repito. Mas minha paixão é Isabelle Drummond. Já escalei 2 vezes e pretendo escalar muitas outras.

CARLOS: E Quando tratamos dos assuntos que o Vitor nunca abordou numa trama e nunca chegará a abordar, qual seria? E aproveitando a ocasião, que tema o Vitor ainda não abordou e espera em breve poder usar em uma de suas tramas?

VITOR ABOU: Falar que não vou fazer é difícil, porque nunca se sabe né, mas novela religiosa e infantil por exemplo não pretendo fazer não. Sobre temas que ainda não fiz e gostaria, existem vários: aborto, adoção, assédio sexual, deficiência física.

CARLOS: Interessante os temas, principalmente pelo fato de serem bastante utilizados. Vitor agora precisamos saber, quando se faz um comparativo com o mundo "real"... Que autor o VITOR ABOU se identifica no modo da escrita, do desenvolver da trama?

VITOR ABOU: Isso já gerou muito papo uma vez com João, Rennan Lopes e Weslley Vitoritti. A gente ficou tentando encontrar os autores mais próximos de cada um de nós. Eles me aproximaram do Walcyr Carrasco nos horários das 18 e 19 e eu concordo, sobretudo com o humor e a leveza. Mas admiro e sou apaixonado por Licia Manzo. Um dia ainda pretendo escrever uma trama nesse estilo.

CARLOS: Qual das tramas da Licia você mais curtiu?

VITOR ABOU: Apesar de não ter terminado de ver Sete vidas, eu gosto mais dela, no resultado final, o conjunto da obra. Mas amo A vida da gente também. Me emocionei com muitas cenas das duas.

CARLOS: Amava “A vida da gente”, realmente é uma trama memorável da Licia. O texto, os capítulos, a história em si era interessante. Foi uma novela que não me cansou a pesar de não curtir tanto a pegada da autora a lá Manoel Carlos. Vitor, como uma das novidades que trouxemos ao quadro nessa temporada foi de o entrevistado falar qual autor do MV ele acha que tem uma pegada parecida com a sua. E aí Vitor, qual colega você acha parecido com suas sacadas?

VITOR ABOU: Ai, que difícil. Eu acho que com o Vinicius Guimarães, apesar de esse ser humano lançar poucas coisas no MV. Não é por falta de pedido meu. Mas o nosso estilo, sobretudo com humor, é bem próximo. Escrevemos juntos Meia Estrela.

CARLOS: Vitor encerramos nosso primeiro quadro e fazemos o nosso primeiro intervalo da noite. Vem junto acompanhar os depoimentos do O PAPO NO PAPO DO POVO. Adorando esse quadro Hahahahha.... Voltamos já!

 

 

     
 

GÉRSON DE ANDRADE: Ter participado do “PAPO COM O AUTOR” foi muito especial porque é uma forma dos leitores conhecerem seus autores com outros olhos, mais intimamente e mais espontaneamente. Será sempre um prazer voltar a participar desse programa maravilhoso!

 
     

 

     

 

     
 

CARLOS: Voltamos e voltamos direto no quadro que sacode a poeira do nosso convidado. Hoje vamos sacudir e revirar tudo que der da história do Vitor, preparado?

VITOR ABOU: Bora lá!

CARLOS: Tire essa poeira do estúdio e resgate sua primeira trama aqui do MV desse baú que está pra lá de histórias. Conte pra gente qual foi e do que se tratava sua primeira trama.

VITOR ABOU: Minha primeira trama foi ''Mulheres de Ipanema'', exibida no Novela ManiaBR, reprisada no NTV e no Belas Histórias e depois condensada num quadro do TVN chamado ''Relembrando''. Como disse, surgiu numa pergunta do Yahoo Respostas. A trama falava de uma mulher simples chamada Ednalva, que batalhava para cuidar de sua filha e suas sobrinhas. Ela passava por vários apertos e lutava para conseguir seus direitos e defender as meninas, mesmo uma delas sendo bem malvadinha.

Logo de “MULHERES DE IPANEMA”: Arquivo Pessoal do autor

CARLOS: A história de Ednalva embalou o MV por quantos capítulos?

VITOR ABOU: Ai, nem lembro direito, porque com as reprises eu acabei diminuindo, mas eram uns 30. Havia também alguns núcleos paralelos, como o de uma mulher que é levada pela sogra e depois de anos retorna.

CARLOS: Nesses 30 capítulos já posso imaginar todos os obstáculos que a Ednalva enfrentou para enfim ter um final feliz. E nesses obstáculos tínhamos uma vilã ou vilão?

VITOR ABOU: Tínhamos, a irmã dela Suzane fazia de tudo para ferrá-la e ficar com a grana da herança.

CARLOS: Adoro vilãs! E mais quando tem dinheiro no meio kkkk Dinheiro move as vilãs e aposto que essa briga pela herança fez da Suzane uma demônia... Me conte logo tudo o que essa vaca aprontou nos capítulos de Mulheres de Ipanema.

VITOR ABOU: Ai, Lira, seis anos já. Minha memória não é das melhores não. Mas ela armou muito para a irmã, tentou causar a demissão dela, colocá-la na cadeia e muito mais. Suzane era riquíssima e Ednalva era bem humilde, ou seja, a herança faria a diferença na vida de Ednalva, por causa das dificuldades, mas, ainda assim, ela era muito feliz, pra cima.

CARLOS: Kkkkk adoro esse quadro justamente por isso... É ótimo relembrar, a gente diz que lembra quase nada e quando vai ver acaba lembrando de tudo kkkk Sobre essa Suzane, simpatizei com a diaba, imagino real oficial todas as cenas dela. Mas vem cá, e quando a Ednalva do Bairro descobriu a verdade sobre a irmã cachorra, como foi esse acerto de contas?

VITOR ABOU: Ah, teve surra. Disso eu lembro. Suzane tinha uma empresa. Ednalva foi lá e fez um auê, teve porrada, barraco e tudo mais.

CARLOS: Adoro essas brigas kkkkk Vitor, além dos protagonistas e todas as suas histórias para o final feliz, temos as paralelas e nelas personagens que acabam se destacando ao longo dos capítulos. Que personagem assume essa função em Mulheres de Ipanema?

VITOR ABOU: Foi o Rodrigo, que teve a sua namorada levada pra longe pela própria mãe. Ele não sabia disso tudo. Foi saber no dia do seu casamento com outra mulher, aliada à mãe dele.

CARLOS: Mas genteeeee... Curiosíssimo agora, nos conte mais quem diabos era essa mãe, essa filha e essa bendita escudeira da mãe revolts.

VITOR ABOU: Ah, não me pergunte. (Risos) Nem eu lembro os nomes direito. A mãe dele era louquíssima, a nora tinha descoberto podres dela, aí ela foi e mandou a pobre coitada para uma ilha deserta e aproximou o filho de outra mulher, que ia se casar depois. No dia do casório, a que foi largada na ilha voltou e fez uma confusão. Aí Kátia (lembrei o nome da ''atual'' dele) fugiu. Rolou perseguição de carro e tudo

CARLOS: Mdssss... Praticamente outra novela kkkk Adorooooo!! Mas mudando de pau pra cacete, minha curiosidade falou mais alto e acabei esquecendo de saber quem era o boy que tinha o papel de encantar a Ednalva do Bairro nos 30 capítulos de Mulheres de Ipanema.... Então Vitinho, quem era esse boy e conta pra gente se eles tiveram um final happy.

VITOR ABOU: Um boy bem coroa. (risos) Ele trabalhava com ela no mercado e, aos poucos, foram ficando muito amigos. Depois disso, ele teve que morar com ela durante um tempo e aí rolou... O final foi mega feliz. Eles se casaram e tudo.

CARLOS: Quais os temas que foram retratados ao longo dos 30 capítulos de Mulheres de Ipanema?

VITOR ABOU: Teve a questão das drogas, gravidez na adolescência, violência. Não era uma trama com muitos temas sociais, como as minhas atuais.

CARLOS: Mulheres de Ipanema sempre foi o título pensado para a trama?

VITOR ABOU: Não. Inicialmente, seria Garota de Ipanema, que veio a ser uma web recentemente. A sugestão do nome Mulheres de Ipanema foi no Yahoo Respostas mesmo.

CARLOS: Vitor, sempre pergunto ao autor qual cena da trama que ele escreveu e que até hoje ele considera como inesquecível. Em Mulheres de Ipanema que cena ficará para sempre em sua memória?

VITOR ABOU: A cena na qual Ednalva descobriu que o prédio onde morava seria derrubado. Ela morava num quartinho de porteiro que alugava com um precinho barato, mas devido a obras o prédio foi derrubado e ela teve que sair. Foi bem dramático.

CARLOS: Se é inesquecível para o autor lógico que não vamos ficar sem rever... Se segurem aí e curtam essa cena inesquecível para o VITOR ABOU.

Cena inesquecível

VITOR ABOU: Então, meu povo e minha pova do coração, devido a alguns problemas no meu antigo computador, eu acabei perdendo praticamente tudo de Mulheres de Ipanema. Infelizmente, não tenho mais a cena inesquecível. Por isso, fico devendo a vocês ela aqui hoje.

CARLOS: Chegaria a mudar alguma coisa na história? Ou do jeito que você a escreveu, você concorda que foi o melhor rumo para a trama?

VITOR ABOU: Mudaria muita coisa. Eu até pretendo futuramente reescrever a trama em minissérie, talvez, pois eu gosto muito da trama dela, porém o desenvolvimento e o roteiro, devido a minha pouquíssima experiência, não eram tão altos.

CARLOS: Hoje olhando para as obras atuais e a primeira. O que podemos dizer que Mulheres de Ipanema trouxe durante sua trajetória até hoje?

VITOR ABOU: Foi um grande aprendizado. Aprendi muito sobre webnovela e roteiro, que trago comigo até hoje.

CARLOS: Uma curiosidade que sempre surge é sobre os finais dos personagens... Em Mulheres de Ipanema, como foi o Final da Ednalva do Bairro e da Suzane Tedesco?

VITOR ABOU: Hahahaha. Adorei os apelidos. Suzane acabou presa e Ednalva ganhou uma bufunfa, mas continuou na sua casa, com toda a sua simplicidade. Muito preocupada com a filha, ela dedicou parte do dinheiro para a jovem.

CARLOS: Vitor agora vamos mudar um pouco as coisas... Dentro do revirando vamos propor ao autor algumas situações que encaixem com as informações fornecidas sobre sua primeira trama e o autor terá que opinar qual seria a reação do personagem na cena. No desafio que a gente te propõe é bem simples, relembra A Favorita e inverte os perfis da Ednalva do Bairro e da Suzane Tedesco (Resumindo: Imagina a história onde o povo achasse que a Suzane Tedesco era má, mas no final a vilã era a Ednalva do Bairro) como que ficaria essa história mano?

VITOR ABOU: Com essa inversão, Suzane, a grande vilã vista pelo público e odiada por todos, promoveria um grande evento em sua empresa. Nele, ela receberia a irmã, Ednalva, que a odeia totalmente e não esconde nem um pouco isso. Nesse evento, Suzane abriria o jogo, soltando vários podres da irmã e mostrando todos os atos criminosos cometidos por ela, inclusive a morte dos próprios pais.

CARLOS: Vamos alterar um pouco a história e dar uma reviravolta ainda maior na vida da Ednalva do Bairro. Supondo que ela descobrisse que Suzane Tedesco não era sua irmã e apenas ela teria direito a toda a herança. Como seria a reação de ambas? Ednalva era capaz de amar sua irmã ou cortaria os laços de uma vez?

VITOR ABOU: Cortaria laços, sem dúvidas. As duas já não se bicavam. Com isso então, não iam se falar mesmo.

CARLOS: Tudo esclarecido pelo nosso autor, adoro fazer essas loucuras de imaginar pontos diferentes da trama junto ao autor.... Vitor, a gente segue e seguimos para o quadro que vai precisar de mais opinião dessa sua cabecinha.

 
     

 

     
 
     
 

CARLOS: É novidade na telinha do Papo o quadro “O AUTOR QUE MANDA”. Aqui vamos expor algo ou alguém que esteja nesse MV e o autor entrevistada usará do seu senso crítico para propor alguma mudança, dar sugestões, dar seu ponto de vista para o determinado a ele. O Vitor também aventurasse em várias áreas aqui do MV, está envolvido em várias novidades. Vitor, hoje no autor que manda a pergunta é: Como você avalia os métodos de premiação apresentados hoje no MV? A seu ver como deveria ser feito essas premiações e que novidades deveriam apresentar em edições futuras?

VITOR ABOU: Eu adoro premiações! Elas são fundamentais no MV para o reconhecimento dos destaques do ano. Atualmente, a grande premiação que ocorre é o TMV, que utiliza critérios bem democráticos. A voz do povo deve ser ouvida. Quando a escolha final é feita por jurados, na minha opinião, o povo, muitas vezes, não tem sua voz reconhecida, como aconteceu comigo já. Acredito que as premiações devem ser feitas com as inscrições ou escolhas de uma equipe de forma equilibrada para o povo poder votar. O MEGAPRO está preparando também uma premiação. Que possamos nos unir cada vez mais nesses eventos.

CARLOS: O Autor que manda! Chama os comerciais que voltamos logo mais com o quadro mais fofo desse MV. Voltamos já!

 
     

 

     
 

ALLAN SAB: Pelo pouco, posso dizer que é uma produção muito requintada, algo bem interativo e com molde bem consistente de entrevista. Você é um ótimo apresentador, tem uma simpatia e carisma ímpar. Parabéns pelo excelente trabalho.

 
     

 

     
   

 

     
 

CARLOS: Vitor chegou o quadro mais fofo desse MV, aqui o espaço também é livre e todo seu. Estamos preparados e bem curiosos para saber pra quem vai sua homenagem na noite de hoje. Conta aí...

VITOR ABOU: Vou homenagear um amigo de fé, irmão camarada, que eu conheço há uns 5 anos, graças ao MV. Esses dias eu tava vendo umas mensagens antigas no Messenger e voltei na minha conversa com essa pessoa, achando o primeiro papo entre nós dois. Fui supervisor dele e depois viramos amigos e diretores do TVN, até o ano passado. Mas nossa amizade vai muito além do profissional. Essa pessoa é João Carvalho. Obrigado, meu amigo, por tudo.

CARLOS: Nessa temporada, contamos com uma novidade aqui no quadro. Se você pensava que apenas você iria se declarar na frente de todo o MV estava enganado kkk conseguimos umas pontinhas de emoção. Deve imaginar quem conseguimos abordar no meio desse MV... Preparado?

VITOR ABOU: Prontíssimo

 CARLOS: Então cuida e olha só quem deu as caras pra iniciar essa homenagem a você:

PEDRO GAZE: O Vítor é um autor maravilhoso, ele me auxiliou muito no meu atual projeto na Dramaturgia que estou realizando. Ele possui um conhecimento vasto na Dramaturgia! Já brigamos várias vezes, mas o bom do Vítor é que ele me perdoa (Risadas). Em épocas difíceis da minha vida profissional no MV o Vítor me ajudou, mais do que outros que em vez de dizer qual era o certo só me criticavam. Felizmente eu considero o Vítor como um grande companheiro do MV, um amigo maravilhoso que me foi dado. Se estiver lendo isso, Vítor um grande abraço!

VITOR ABOU: Ai, Pedro é um grande amigo, para mim. Me ajudou e me ajuda muito no Entretenimento, que é uma área que ele conhece bem e arrasa. Ajudá-lo na Dramaturgia é um prazer. Ele tem ideias geniais e o resultado tem ficado muito bacana. Abraço, Pedro!

CARLOS: Olha só quem também resolveu dar as caras por aqui...

WESLLEY VITORITTI: Bom, o Vitor é uma pessoa maravilhosa. Além de ser uma pessoa muito inteligente, ele também é muito divertido, amigo, centrado, responsável.... Chega, né? Kkkk.... Eu tenho a sorte de poder trabalhar com ele na MEGAPRO (mesmo que façamos parte de direções diferentes) e ser amigo pessoal dele. Tá que o ranço se instala, às vezes, mas logo passa. Kkkkk... Vitor, querido, você merece todo sucesso que tem, pois ele é conquistado graças ao seu esforço e talento. Sucesso!!!

VITOR ABOU: Weslley foi um presente que recebi do MEGAPRO este ano. Apesar de já conhecê-lo antes, não éramos amigos, eu até não gostava muito dele. Fiquei mais próximo dele esse ano e adoro ele. É uma pessoa extremamente divertida, séria nos momentos certos, profissional, e que me ajuda muito na Dramaturgia. Muito obrigado por tudo, amigo. Sucesso a ti também.

CARLOS: Vá se preparando porque temos mais uma declaração pra encher os nossos olhinhos... Se você achou que não, estava enganado. Pois ele não pensou duas vezes pra te deixar essa mensagem linda, confere só:

JOÃO CARVALHO: Vitor é uma pessoa muito especial. Falar sobre ele é muito difícil porque é difícil você falar de tudo o que ele é e representa. Um menino dedicado, que ama o MV e que sempre buscou conciliar MV e vida real pra não deixar tudo isso aqui que ele tanto ama. São mais de cinco anos de amizade, o suficiente pra ele me conhecer mais do que alguns amigos da vida real. Ele merece todo tipo de homenagem e todo tipo de reconhecimento. Meu maior ranço da vida. Te amo, amigo irmão.

VITOR ABOU: Ahhhh. Sabia que ia ter João! Nossa amizade começou há cinco anos e a cada dia só se fortalece, apesar de brigarmos bastante. É um grande amigo, um irmão pra mim, muito mais do que muitos amigos da vida real. Nossa amizade até ultrapassou essas barreiras e nos encontramos na Bienal no ano passado. Adoro João, o admiro demais. Que nossa amizade dure muito mais.

CARLOS: Então é isso meu povo, o quadro mais fofo desse MV conseguiu atingir um nível de fofura ao extremo. Muito bacana ver demonstrações de carinho como essas. Mas como a gente gosta de pôr fogo em tudo, roda a vinheta que o fuzuê tá de volta!

 
     

 

     
     
 

CARLOS: O NÃO SOU OBRIGADO A NADA! Acaba de aterrissar na nossa cara! Aqui a confusão e toda por sua conta, o espaço é livre para você falar mal de uma pessoa, uma obra, uma emissora, uma situação, um assunto mal resolvido... O espaço é todo seu... Queremos confusão e gritaria mesmo, que é para ter audiência... Estamos apostos à espera do seu desabafo, Vitor!!

VITOR ABOU: Sou paz e amor, mas gostaria de falar de uma situação que aconteceu há uns anos, com o querido Walter Hugo, ainda no TVN. Era o início do Programa do Zoh e o personagem, criado por membros do TVN, fazia piadas sobre os autores. Minha novela foi até chamada de Magia SemSal. E aí a série Reaper, do Walter, foi chamada de Ripa na chulipa, em uma brincadeira boba. Mas ele não entendeu assim e saiu da emissora, cancelando a obra no ar. Gostaria de voltar a esclarecer isso e me desculpar com Walter.

CARLOS: Bora cuidar que ainda tem coisa vindo aí... Vamos seguindo e roda a vinheta!

 
     

 

     
     

 

     
 

CARLOS: O Antes do Fim chega já com aquele gostinho de tristeza por que estamos acabando o programa de hoje. Mas como não podemos finalizar sem antes abocanhar umas exclusivas do nosso entrevistado, vamos então começar a arrancar os segredos do Vitor. O Espaço é todo seu para fazer aquela divulgaçãozinha do que esperar da sua atual trama.

VITOR ABOU: Oba! Adoro esses espaços de merchan. Bora falar de Dias Melhores então, que é a atual novela das sete do MEGAPRO. A trama envolve muita diversão, segredos e reviravoltas, além de tratar dos direitos autorais, muito importantes para nós, autores, e outros temas de cunho social.

Logo de “DIAS MELHORES”: Arquivo Pessoal do autor

CARLOS: Vitor, e o que temos de novidade para o futuro com sua assinatura?

VITOR ABOU: Além de estar agora de volta com o Hello!, o jornalístico do MEGAPRO, estou preparando uma minissérie para ano que vem. Mas em Dias Melhores ainda tem muita coisa para rolar.

CARLOS: Dentro do antes do fim, abrimos o espaço para que o autor passe algumas dicas para quem está tentando publicar algo ou para quem está iniciando aqui no MV. Vitor, o que você falaria para quem tá pensando em escrever, pra quem quer começar a postar nesse mundo virtual?

VITOR ABOU: Ótimo falar disso. Eu gostaria de dizer para as pessoas que estão começando não desistirem e sempre aprender, buscar o conhecimento, ir atrás, lendo roteiros da TV e da web, vendo novela ou série, escrevendo e pedindo opiniões. Ficar acomodado, parado não vai adiantar. Precisa se mexer e buscar criar sua identidade, seu estilo, para se diferenciar dos demais.

CARLOS: Como o Vitor encara as críticas e qual o posicionamento a respeito das mesmas?

VITOR ABOU: Eu busco aprender o máximo com as críticas. Sou muito aberto a elas, desde que não sejam com intenção de denegrir. Crítica construtiva é sempre muito bem-vinda.

CARLOS: Respostas sensatas, razô. E como não poderia faltar, um espaço que sempre me perguntavam o motivo de não conter é o famoso bate-bola dos talk shows. Resolvemos acrescentar no nosso papo e aqui está dentro do antes do fim. Mas claro de forma um pouco diferente com pintadas clássicas. Vamos lá!

VITOR ABOU: Bora lá!

MUNDO VIRTUAL Segunda casa

CONCORRÊNCIACrescimento

TVN - Amor e entrega

MEGAPRO - Profissionalismo

VITOR ABOU POR VITOR ABOU- Apaixonado pelo que faz

INDIQUE UMA SÉRIE – How to get away with murder

INDIQUE UM FILME – Sempre ao seu lado

INDIQUE UMA BANDA OU ARTISTA – IZA

INDIQUE UMA MÚSICA – Pray (Sam Smith)

INDIQUE UMA WEBPRODUÇÃO AMIGA –. Antes que o dia amanheça

UMA FRASE MARCANTE – A arte existe, porque a vida não basta.

CARLOS: Vitor, chegamos ao fim do nosso programa. Meu querido, foi ótima a sua participação. O Papo foi ótimo e as respostas maravilhosas a todos os questionamentos. Obrigado por aceitar o convite e participar dessa loucura.

VITOR ABOU: Eu que agradeço demais, Lira. Foi um prazer. Adorei participar. Pode convidar sempre. Fique à vontade para aparecer no MEGAPRO também. Será muito bem-vindo. Novamente, agradeço pelo ótimo papo, pela recepção e pelo convite. Muito sucesso a você e a esse programa querido.

CARLOS: Então é isso pessoas que tanto amo nesse MV... Chegamos ao fim de mais um papo e mês que vem estamos de volta..., Mas antes não poderia encerrar sem pedir chuvas de comentários sobre o terceiro programa e claro precisamos da opinião de vocês sobre O PAPO NO PAPO DO POVO. Então é isso genteeee, boa noiteee! Fuiiiiiii....

 
     

 

     

apresentação
Carlos Lira

convidado
Vitor Abou

música
Ludmilla e MC Doguinha - Dim Dim Dim

produção
Bruno Olsen
Cristina Ravela

entretenimento

contatoredewtv@gmail.com


REALIZAÇÃO


Copyright
© 2018 - WebTV
www.redewtv.com
Todos os direitos reservados
Proibida a cópia ou a reprodução

.aaa.
.aaa.

Compartilhar:

Postar um comentário

 
Copyright © WebTV | Design by OddThemes