The Devils Band - Preview




Preview - WELCOME TO THE HELL
 


FADE IN:

- Sobre um fundo negro ouvimos uma VOZ: São eles: Damien;

ABRE EM:


CENA 01. EXT. – ST. GEORGE HOTEL – PALCO – NOITE:

A IMAGEM abre num palco pouco iluminado. De repente a luz do holofote cai sobre um vulto vestido de negro. É DAMIEN GREY, o guitarrista e vocalista.

LEGENDA: Auckland, Nova Zelândia, turnê de 1966. Palco Montado ao ar livre em frente ao St. George Hotel.

Uma SALVAS de PALMAS e GRITOS histéricos são OUVIDOS. PLANO GERAL da plateia, mostra uma MULTIDÃO em sua grande maioria mulheres e enlouquecidas.

Intercalar o PLANO DETALHE da boca do apresentador quando fala ao microfone com CORTES RÁPIDOS nas demais apresentações.

APRESENTADOR: Lenny;

A luz abre sobre o vulto do guitarrista base e vocal de apoio LENNY HIDE. Ele joga um beijo para uma fã. A menina desmaia, e é socorrida por enfermeiros.

APRESENTADOR: Scott;

Agora a luz ilumina o vulto do baixista SCOTT THORN. Ele tem um cigarro pendendo no canto da boca e DEDILHA surpreendentemente algumas notas no baixo. O PÚBLICO delira.

APRESENTADOR: Cliff.

E por fim, a luz cai sobre o vulto de CLIFF CASTEVET, que ao dar um “tchau” para o público, desajeitado derruba acidentalmente um prato e um chimbau de bateria. E ao se curvar para apanhar os objetos, pisa no pedal e sem querer RIBOMBA o bumbo da bateria. Desesperadoramente sem jeito, ele coloca os instrumentos em seus devidos lugares.

APRESENTADOR: T-h-e B-r-i-t-i-s-h B-o-y-s

PLANO GERAL do palco, todos integrantes da banda vestem ternos negros com suas respectivas gravatas slim negras. Cliff bate uma baqueta contra a outra, na marcação de: um, dois, três. Damien se aproxima da margem do palco e de forma amalucada toca um RIFF na guitarra. A GALERA vibra também de forma amalucada. Depois de um tempo os outros instrumentos entram no ritmo, cada um fazendo seu papel.
 

--NOTA: A música que eles vão apresentar é da Banda Kinks, a original canção: “You Really Got Me”. Porém, ao decorrer da série todas as canções tocadas de outras bandas, faremos de conta que pertence aos The British Boys.

Damien retorna para o centro do palco e canta ao microfone.

DAMIEN: Girl, you really got me goin'. You got me so I don't know what I'm doin'

LEGENDA: Garota, você realmente me pegou indo. Você me pegou, então, eu não sei o que estou fazendo.

DAMIEN: Yeah, you really got me now. You got me so I can't sleep at night.

LEGENDA: Sim, você realmente me pegou agora. Você me pegou, então, não consigo dormir à noite.

Uma FÃ sobe no palco, despista os SEGURANÇAS, beija Lenny na boca ao mesmo tempo que o derruba no chão. Os seguranças retiram a moça enquanto ela chora e esperneia. Lenny se ajunta a Damien ao microfone. Enquanto Cliff e Scott fazem o fundo da música com alguns scat de voz, por exemplo: la dum ba dum pa.

DAMIEN & LENNY: Yeah, you really got me now. You got me so I don't know what I'm doin', now.

LEGENDA: Sim, você realmente me pegou agora. Você me pegou, então, eu não sei o que estou fazendo, agora.

Na emoção do toque da bateria, Cliff deixa cair seu par de óculos. Tem certa dificuldade de enxergar onde bater quase errando a marcação. PLANO FECHADO em Cliff, seu nervosismo é evidente. Scott tem a áurea envolta de fumaça, em razão do cigarro, com muito estilo Scott dedilha o baixo e desce em meio à MULTIDÃO.

DAMIEN & LENNY: Oh yeah, you really got me now. You got me so I can't sleep at night.

LEGENDA: Oh yeah, você realmente me pegou agora. Você me pegou, então, não consigo dormir à noite.

Damien e Lenny, ambos chacoalham as cabeças feitos loucos. O PÚBLICO faz o mesmo enquanto grita e pula. Damien, Lenny e Scott, se alinham um do lado do outro, descendo e subindo o braço de seus instrumentos.

DAMIEN & LENNY: You really got me. You really got me. You really got me.

LEGENDA: Você realmente me pegou. Você realmente me pegou. Você realmente me pegou.

Os três saltam no ar.

CORTE BRUSCO PARA:

CENA 02. EXT. – CÉU – NOITE:

A IMAGEM abre na imensidão do céu apresentando nuvens em formação de chuva, um RELÂMPAGO risca os céus, seguido do RIBOMBAR de um trovão

LEGENDA: Espaço aéreo da Inglaterra.

Subitamente um AVIÃO Boeing 707 saído do meio das nuvens vem NOSSA DIREÇÃO e passa por cima da NOSSA VISÃO num jato.

CORTA PARA:

CENA 03. INT. – AVIÃO BOEING – POLTRONA – MESMA NOITE:

O CORTE é feito diretamente no reflexo de Damien na superfície espelhada da janela de moldura circular. Ele espia o tempo lá fora.

DAMIEN: Vem uma baita chuva por aí!

Damien solta um suspiro de insatisfação e depois lança o corpo contra as costas do assento.

DAMIEN: Eu odeio viajar de avião!

Damien se agarra aos braços da poltrona, aperta os olhos e respira fundo. Mas, os seus movimentos indicam muita tensão.

LENNY: (fora da tela): Fica frio, cara!

O QUADRO se abre para revelar Lenny sentado na poltrona ao lado.

LENNY: Quantas vezes viajamos de avião e não aconteceu nada? Ainda mais no nosso avião particular. Mora?

Damien balança a cabeça como se concordasse com a colocação de Lenny. Mas, mesmo assim, Damien sustenta cara de quem está muito apreensivo. Lenny apanha um espelho, examina sua a imagem e depois passa um laquê para cabelos.

LENNY: Aquela desgraçada beijoqueira quase acaba com o meu cabelo. Espelho. Espelho, meu. Alguém tem cabelo mais bonito que o meu?

CLIFF (fora da tela): Sim, o cara que te comeu.

LENNY: Vai se foder!

Lenny ataca algo fora da NOSSA VISÃO.


NO OUTRO LADO

extremo do avião. Estão Cliff e Scott, sentado em outras poltronas. Ambos se envergam te tanto rir. Damien faz cara de quem não acha menor graça.

CLIFF (encara Damien): Relaxa, Damien. Foram poucos os famosos que morreram em acidentes de avião, cara. (pausa) Buddy Holly, The Big Bopper, Ritchie Valens...

LENNY (cortando-o): Você não está ajudando.

Damien fulmina Cliff com o olhar. Scott resmunga algo incompreensível. Mas, que faz sentido só para a banda, porque o restante assente com a cabeça.

LENNY: Concordo plenamente, Scott.

De repente, o avião sofre uma turbulência. Todos se entreolham e dão uma risadinha sem graça, como se transmitisse um: “Não foi nada”. Damien passa a mão sobre o peito. O avião começa a chacoalhar de novo e dessa vez não para. Eles ficam nervosos e entram em pânico. Uma AEROMOÇA surge em CENA acompanhada de um HOMEM.

AEROMOÇA: Tenham calma, rapazes. É apenas uma turbulência. Já vai passar.

Eles balançam a cabeça concordando.

HOMEM: Vocês acham que Deus iria deixar acontecer alguma coisa com você? Vocês precisam se preparar para o show de amanhã, ok?

DAMIEN: Beleza, Gary! Você é o melhor empresário que tivemos. Você nos acalma sempre. Valeu.

Cessa a turbulência.

GARY: Viram? Parou. É por causa da chuva.

INSERÇÃO – TURBINA DO AVIÃO

O SOM de uma falha do motor da aeronave, que provoca uma parada da HÉLICE. Outra turbina ainda consegue trabalhar por 5 segundos e depois para também. O RABO do avião quebra.

VOLTA À CENA

Com o EMUDECIMENTO repentino da turbina, a cabine se inclina, e todos podem OUVIR o ASSOBIO do avião caindo quando rasga o ar em alta velocidade. Cliff e Scott se agarram, numa típica cena à la Scooby Doo e Salsicha. Gary e a Aeromoça, são lançados ao fundo do avião. A despressurização invade o avião, as máscaras de oxigênio caem automaticamente do teto diante ao assento. Damien aperta a mão de Lenny e os dois se encaram como se transmitisse um “último adeus”

CLIFF: Eu não posso morrer, eu sou virgem. (chora) Eu não posso morrer sem antes comer um pastel de pelos…

De todos, Cliff é o que grita mais, ainda por cima escandalosamente. Num efeito digital, a CÂMERA entra na sua boca e mostra AMÍGDALA estremecendo na garganta. A cena cai para negro de tela com os gritos dele ao fundo.

FADE OUT.

FADE IN:

CENA 04. INT. – CENÁRIO DO ACIDENTE – INFERNO - MANHÃ

A imagem abre na linha vertical do rosto de Damien. Ele está desacordado. Subitamente seus olhos se arregalam. A CAMERA ajusta o ângulo da imagem invertendo o PLANO para meio ângulo horizontal. PERCEBEMOS que Damien tem o rosto afundado ao chão.

O QUADRO se abre para revelar os demais integrantes da banda também caídos em meio aos escombros de uma casa e aos destroços do avião. Acima deles um imenso buraco se abriu ao teto. Um a um, vão se levantando lentamente. Limpam a poeira de suas vestes com auxílio das mãos.

CLIFF (grita): Estamos vivos! (se ajoelha de olhos fechados e com as mãos aos altos) Glória a Deus!

Scott com o cigarro amassado e pendendo num canto da boca, funga o ar, e resmunga algo parecido como: Q che es? Quando fala quase não move os lábios. Todos entreolham-se e fitam Cliff.

CLIFF (grita): O que vocês acham? Eu caguei nas calças, porra!

Um ECOANTE “psiu” como se expressasse: ”silêncio, por favor” é ouvido de todos os cantos do lugar.



NO OUTRO LADO

Em meio à sombra surge a silhueta de uma mulher. PRIMEIRÍSSIMO PLANO PERFIL do rosto ainda obscurecido.

VOLTA À CENA

A MULHER aparece por completo. Do alto de seus 60 anos. Trajada em um extravagante longo vestido vermelho com fenda lateral e baia rodada que vai até o chão, cobrindo os pés. Vamos referir-se a ela como: LUCY FERRIS

PLANO MASTER do lugar.

LENNY: Deve ser uma fã. (olha para Cliff) Acho que você está com sorte hoje para desencalhar.

Cliff faz o famoso gesto com dedo do meio.

LUCY: Fã é o diabo que te carrega!

Damien se adianta na direção dela.

DAMIEN: Quem é você?

LUCY: Ah, tolinho! Ainda não caiu a ficha?

Lucy solta uma gargalha e depois desfila até eles.

LUCY (alisa o rosto de Damien): Minhas crianças, vocês morreram.

DAMIEN: Não pode ser.

LUCY: A propósito, respondendo sua pergunta: eu sou Lucy Ferris, o Diabo em pessoa.

DAMIEN (ri para si mesmo): Ah, tá! Então, aqui é o inferno?

LUCY: Sim, anta. (encara cada um deles) Mariquinhas, vocês pensaram que o inferno era o quê? Um hotel de luxo?

Scott cochicha algo no ouvido de Damien, antes mesmo de Damien se pronunciar, Lucy responde.

LUCY: Acham que sobreviveriam a uma queda daquelas, e ilesos? Olhem em volta: os destroços, não há nenhum corpo, e nenhuma outra alma, é claro, a não ser as de vocês.

Damien alisa o queixo com a mão, como se estivesse analisando a possibilidade. Cliff vai até Lucy e para diante dela.

CLIFF: Mas, onde estão as chamas? As torturas? E os gritos?

LUCY (estapeia o ar): Aín, que mania de achar que o inferno é de fogo. Isso é uma crença cultural. (pausa) Isso tudo aqui é a projeção mental de vocês, a última coisa que viram antes de morrerem. (pausa) Modéstia à parte, o inferno é muito mais bonito.

Lucy estala os dedos, e de repente, num EFEITO DIGITAL de TRANSIÇÃO, o CENÁRIO do acidente ao redor deles modifica para...

TRANSIÇÃO PARA:

CENA 05. INT. - ESCRITÓRIO DE LUCY – MANHÃ

É uma sofisticada sala, que faz o uso do inteiramente branco nas paredes, nas poltronas de acrílico e na dupla de mesas de centro de mármore que sustenta um antigo GRAMOFONE e uma luminária de cristal. Atônitos e boquiabertos, os rapazes olham tudo em volta maravilhado.

LENNY: Caralho, que porra foi essa! (pausa) Eu tenho de parar de fumar maconha.

Lucy se senta e faz sinal para que eles também se sentem. Após um tempo, todos se sentam. Lucy cruza as pernas, a fenda lateral do vestido desliza pelas curvas de uma das pernas e parte da coxa e do quadril fica à mostra. Lenny cresce os olhos e solta um sorrisinho safado. Eis que a roupa de Lucy, transforma-se num conjunto de terno: blazer e calças brancas. Lenny chacoalha a cabeça.

LUCY: O vestido de gala era só para recebe-los. (pausa) Desejam algo? Estão com sede?

Os rapazes fazem que não.

LUCY: Pois, eu estou. (fala ao telefone sobre o criado-mudo próximo à sua poltrona) Marie Claire, traga-me o chá da manhã.

Lucy volta à atenção para os rapazes e sorri.

LUCY: Vocês venderam as almas, por muito sucesso, grana e mulheres.

DAMIEN: Mas, como assim? Quando?

LUCY: Naquela noite, no Havaí, após as filmagens do filme de vocês: Loucuras Havaianas.
 
Lucy ri debochadamente.

INSERÇÃO – PRAIA NO HAVAÍ

Damien, Lenny, Scott, Cliff, juntamente com quatro GAROTAS, dançam nus à beira da praia em torno de uma fogueira. Os únicos acessórios utilizados pelo grupo são: coroas de flores e colares havaianos. Fazem tudo isso enquanto bebem, tropeçam e seguram garrafas de bebidas.

LENNY (grita): Danuh, queremos: fama, sucesso e mulheres.

E todos repetem sucessivamente por várias vezes.

VOLTA À CENA

LUCY: Naquele momento que vocês dançaram e invocaram o demônio Danuh. Vocês pediram tudo aquilo que queriam e eu lhes dei.

LENNY (contesta): Mas, o demônio Danuh, foi invenção minha.

LUCY: Sim, eu sei. Porém, toda e qualquer coisa que envolva o adjetivo relacionado, é de propriedade minha. (pausa) Desculpem, direito autorais cedidos pelo livre-arbítrio do Criador.

CLIFF (afunda as mãos nos cabelos): Mas, nós estávamos bêbados. Falaríamos qualquer absurdo.

Cliff entra em desespero e começa a andar de um lado para o outro.

DAMIEN: Não precisa assinar um contrato?

LUCY (retorce os olhos): Os tempos são outros, mentecapto. Vocês selaram o contrato verbalmente.

CLIFF: Vamos queimar no fogo do inferno.

LUCY: Na verdade, vão catalogar almas para o resto da vida.

A porta da sala se abre, e MARIE CLAIRE entra, e por sinal é uma mulher muito bela. Ela está vestida de enfermeira e segura uma bandeja com uma xícara. Lenny seca a moça dos pés à cabeça e solta um sorrisinho safado. Marie Claire parece gostar do olhar e compartilha do mesmo sorrisinho safado.

MARIE CLAIRE: Com licença, Madame. Seu chá.

LUCY: Está um pouco atrasada, não acha?

MARIE CLAIRE: Desculpe-me, Madame.

A moça coloca a xícara de chá sobre a mesa.

LUCY: Vai, vai, vai! Eu não quero “ver mais a sua cara”.

Marie Claire se apressa para sair, mas, antes se vira para dar um tchauzinho para Lenny, o ROSTO dela sumiu, Lenny se assusta num salto.

LENNY: Vocês viram aquilo?

DAMIEN: Aqui é o quê? Uma espécie de hospício?

LUCY (balança a cabeça): Muito bem colocada a sua questão. Demônios não passam de almas dementadas e perturbadas por suas transgressões.

Lucy apanha alguns torrões de açúcar, joga na xícara, mexe com uma colher de chá, leva a xícara à boca e dá uma profunda golada e fecha os olhos passando bastante satisfação. Coloca a xícara de volta à mesa, levanta-se, caminha até a uma enorme janela e se dispõem a olhar para fora. Cliff ainda continua a andar de um lado para o outro.

LUCY: Querem fazer o favor de acalmar o seu amigo!

Lenny puxa Cliff para se sentar, mas, Cliff não quer. De repente inicia uma briga muito engraçada entre os dois, com direito a socos e pontapés. Scott intervém, mas, recebe um soco sem querer, e cai na briga também.

LUCY: Eu tenho uma proposta.

Damien se levanta, vai até ela e olha para fora também.

DAMIEN: Qual?

LUCY (grita): Querem parar!

Os três param e ficam atracados de forma engraçada. Levantam-se e se ajuntam à Lucy e Damien à janela. Lucy se volta para os quatro.

LUCY: Como eu dizia: tenho uma proposta. (cruza os braços à altura do peito) fugiram 666 almas de Túndalo, a nona esfera. A pior ala que existe neste lugar. (pausa) Se vocês me trouxerem os 666 demônios que fugiram de Túndalo. (encara cada um deles) Eu lhes devolverei as almas e lhes darei de volta à vida. Sãs e salvos. Como se nada disso tivesse acontecido.

Os rapazes se entreolham, os rostos apresentam receio, os movimentos são de vacilação, mas, depois de algum segundo todos concordam com um gesto de cabeça.

DAMIEN: Está bem. O que temos de fazer?

LUCY: Vou logo dizendo: isto não será uma tarefa fácil. Visto que, cada pessoa condenada a Túndalo perde a capacidade de sentir amor, felicidade, esperança ou qualquer coisa além de crueldade e miséria. Há tempo atrás também fui assim.

Scott oscila algo no pé do ouvido de Lenny.

LENNY: Certo. Mas, como é que é que vamos fazer isso?

Scott arqueia as sobrancelhas para Lucy como se perguntasse: “e aí?”.

LUCY: Vamos ao salão escuro.

Lucy estala os dedos num EFEITO DIGITAL todos se deslocam numa VERTIGINOSA VIAGEM para a...

CORTE BRUSCO:

CENA 06. INT. – SALÃO ESCURO – TEMPO INDEFINIDO:

É um espaço inteiramente negro: sem chão, parede, janelas ou teto. Cliff se lava de vômito.

LENNY: Mas, que nojo!

CLIFF: Você queria o quê? Mas, que droga! Eu sou sensível.

LUCY (abre os braços): Lhes apresento: o arsenal maldito, onde se esconde os mais terríveis instrumentos e armas malignas.

No espaço entre Lucy e os Rapazes, surge uma esteira móvel e luminosa. Depositados sobre elas, inúmeros tipos de objetos estranhos, que passam diante deles. Lucy olha com muita atenção, como se escolhe a dedo. Eis que apanha um deles.
LUCY: Entregarei a você, Scott. (mostra) Este isqueiro de Chama Negra. A chama dele é azul quando usado, porém, quando um demônio está próximo, a sua chama fica negra. Levante o isqueiro à altura dos olhos dele e você verá os seus verdadeiros olhos e face.

Lucy joga o objeto a Scott. Ele o apanho no ar e examina o objeto.

PONTA DE VISTA DE SCOTT

É um objeto que tem a superfície dourada, um dos versos possui gravado a imagem do crânio de uma caveira e a inscrição: “Você perdeu”.

VOLTA À CENA

Scott acende o cigarro amassado e agradece por meio de gemido. Lucy volta o olhar para esteira, espera e escolha outro objeto.

LUCY: Entregarei a você, Lenny. Este Espelho de Narciso, é no qual vocês irão aprisionar a alma dos demônios. E em seguida deve destruí-lo e o espelho restituirá novamente. O espelho faz com que aparece o número de cela, no formato de uma chama na testa do demônio caçado. A imagem horrível representa o que eles são por dentro, pois, o verdadeiro demônio está dentro de cada um de nós, e em breve vocês saberão disso.

Lucy atira o espelho em direção a Lenny, este apanha o objeto no ar e o examina.

PONTO DE VISTA DE LENNY

Um espelho circular com a moldura enfeitada por diversos pequenos crânios de caveiras. A imagem dele oscila na superfície espelhada, é como se olhássemos a nossa imagem na água.

VOLTA À CENA

Lenny se olha no espelho e joga a sua mecha de cabelos para o lado.

LUCY: Mas, tome muito cuidado com ele, pois, um efeito hipnotizante e controlador.

Lucy agora apanha da esteira uma CASE para guardar guitarra e entrega para Damien.

LUCY: E por último para Você, Damien: A Balada da Morte.
Damien tenta abrir a caixa negra, mas, não consegue.

PLANO DETALHE DA CAIXA

Possui um mecanismo de travas com senha de três algarismos. O dedo de Damien, faz rolar “0” até “6” na primeira fileira, repete a ação na segunda e terceira fileiras. Um CLICK é ouvido. A caixa se abre revelando uma guitarra deitada sobre uma espuma vermelha. A base da guitarra é feita de: crânio, vértebras cervicais, costelas e estrutura ósseas das mãos de uma caveira.

VOLTA À CENA

Damien desliza a mão suavemente sobre o instrumento, nos passando até um momento de contemplação.

LUCY: As cordas do violão são feitas de fios dos meus cabelos. Ela tem um som hipnotizante quando tocada, imobilizando os movimentos e anulando todos os poderes do demônio caçado.

CLIFF: e eu?

LUCY: Você não recebe nada. Todo mundo sabe que o baterista não é tão importante. Você não vê o Ringo, dos Beatles?

Cliff balança a cabeça desnorteado e concorda. Scott coloca a mão ombro do amigo e resmunga algo. Cliff sorri para ele.

LUCY: Agora vou marcar vocês com: A Marca da Besta, ela dará a vocês habilidades sobre-humanas.

CLIFF (se adianta): Eu vou receber uma?

LUCY: Você não precisa. Você já é uma besta.

Cliff abaixa a cabeça com olhar triste. Lucy estende a mão espalmada contra os rapazes. Ela aperta os olhos. Alguns segundo passados, os rapazes gritam e se envergam de dor, de dentro de suas camisas saem fumaças. Os quatro abrem os botões da camisa, no peito esquerdo de cada um: há gravado três riscos verticais enfileirados como uma cicatriz de queimado, como se causada por um ferrete em brasas.

CLIFF (ainda resmungando de dor) Por que você mesma não os captura?

LUCY: Sua besta, se pudesse eu mesma faria, não acha? Darrr! Você acha que o Criador me deixaria bordar e pintar. Senão a terra seria um manicômio. É por isso que existe o inferno. O livre-arbítrio é uma falsa liberdade. Tudo é feito com a vontade do Criador. Nem anjos e muito menos demônios “devem” interferir na vida dos mortais sem o consentimento do Homem lá de cima.

CLIFF (olha para cima): Quem aí em cima? Será que não é o meu ex-senhorio? Ele morreu e morava no andar de cima. Não podia se fazer nada no apartamento sem seu consentimento.

LENNY: Seu burro. Ela está falando de Deus.

Um ZUNIDO de alta frequência se espalha pelo ar. Todos tampam os ouvidos e fazem careta de dor, inclusive Lucy.

DAMIEN: O que foi isso?

LUCY: Darrr! Estamos na primeira esfera aos redores do inferno. Pelo amor de D***... mas, que diabo! Não podemos pronunciar esse nome aqui e nem qualquer outro lugar. Nem um de vocês podem. Vocês agora pertencem à uma classe de demônios conhecida como: Semônicos. Literalmente semi-demônios. E porquanto, cada mente vive seu próprio inferno, pois, é um estado de sentimento de culpa.

DAMIEN: Semônicos?

LUCY: Sim. Não sou eu quem transforma as pessoas em demônios, mas, sim as ações dessas pessoas. E o estágio de processo transmôniaco se dá início na terra e não no inferno.

Scott vai até Damien e balbucia algo no ouvido dele.

DAMIEN: Mas, ainda não conseguimos entender. (pausa) Com essas criaturas soltas no mundo, não lhe traria mais almas para o inferno?

LUCY: Entenda, eu não trabalho com contagem. Eu já lhes falei. Eu trabalho com condenação e reabilitação. Você não sabe do que eles são capazes. Estamos falando de: assassinos no maior grau de psicopatia. Vão matar por puro prazer. E estas transgressões afetarão o equilíbrio natural das coisas. Tudo precisa de equilíbrio, é assim que a coisa funciona. (pausa)

LENNY: Mas, você disse que nem anjos e demônios devem interferir na vida de mortais?

LUCY: Sim, eu disse. Mas, eu disse: que não “devem”. Ou seja, poder pode, mas, não se deve. Faz parte do equilíbrio. E essas criaturas são desobedientes e não seguem conforme as regras. (pausa) Vocês são uma espécie de patrulha demoníaca. Como a polícia que estabelece lei e ordem, mesmo porque o delegado nunca vai a campo. E ainda por cima vocês continuam conectados ao mundo dos vivos. (entediada) Mais alguma pergunta?

Todos fazem que não.

LUCY (coloca a mão na cabeça): Já estava me esquecendo.

Como num passe de mágica, um livro de capa negra aparece nas mãos dela.

LUCY (para Cliff): Isto aqui é para a banda. Mas, vou deixar aos seus cuidados. Ok?

Lucy lhe entrega o livro. E Cliff fica feliz feito criança quando ganha um brinquedo.

LUCY: É um demonote. Um prontuário contendo a ficha técnica de todas as almas internas no inferno.

CLIFF: Muito obrigado, Dona Diabo!

LUCY (entrelaça os dedos): Ah, eu sempre quis ser empresária. E já que dizem que o Diabo é o pai do rock. De agora em diante vocês passam a ser: A Banda do Diabo. (sorri satisfeita) Bem, para mais dúvidas e maiores esclarecimentos é só me ligar no número: 666-6666. Boa caçada!

Lucy estala os dedos e os rapazes desaparecem instantaneamente numa nuvem de fumaça contra o ar. Lucy gargalha e FECHA no rosto dela.

FADE OUT.



AUTOR

Luíz Fernando de Oliveira


ORIGINIAL AIR DATE ON WEB: 20/05/2018

STARRING:

Dane Dehaan as Damien Grey
Aaron Taylor-Johnson as Lenny Hide
Paul Dano as Scott Thorn
Daniel Redcliffe as Cliff Castevet
Alexis Bledel as Marie Claire

GUEST STARRING:

Matt Dillon as Gary the bussinessman from the band
Mary Jane as Air-hostes

SPECIAL GUEST STARS:

Helen Mirren as Lucy Ferris

PREVIEW SOUNDTRACK:

Kinks - You Really Got Me

CREATED, WRITTEN, PRODUCED & DIRECTED BY: Luiz Fernando de Oliveira

OPENING THEME BY:

REVISED BY: Cristina Ravela

EXECUTIVE PRODUCERS: Cristina Ravela & Bruno Olsen

SPECIAL THANKS TO: Deise Coelho, Cristina Ravela & Bruno Olsen

PRODUCED BY: 8 MILIMETRES FILMS & PRODUCTIONS

SOON DISTRIBUTED BY: House of Series & Factory Films

WEBFLIX 2018 © All Rights Reserved – LFO

END CREDITS.


Esta é uma obra de ficção virtual sem fins lucrativos. Qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações da vida real terá sido mera coincidência.


REALIZAÇÃO


Copyright © 2018 - WebTV
www.redewtv.com
Todos os direitos reservados
Proibida a cópia ou a reprodução
.aaa.
.aaa.

Compartilhar:

Postar um comentário

 
Copyright © WebTV | Design by OddThemes