New Stages - 3x04



3x04
 
 
 
 
 

VOZ DE JOSH – Anteriormente em New Stages...

-------- 
 
ALEX – Eu não entendo, Josh... Você está me afastando da sua vida por eu ter ido com outra mulher para o altar?
 
JOSH – Sim, é isso mesmo que eu estou fazendo. Chega de hipocrisia, pai. Você pode até ter pensado que eu fiquei feliz com essa ideia de casamento, mas a verdade é que eu nunca engoli nem a ideia nem a sua noiva fútil e individualista... Você tinha alguém que te amava em San Francisco e preferiu se casar com uma mulher de plástico.

--------  
 
KURT
– Ryan, eu quero que você se afaste desse garoto...
 
RYAN
– Quem é você para vir até a universidade onde eu estudo e exigir que eu me afaste do único garoto que eu amei na minha vida? Nem você eu amei tanto quanto eu amo o Josh...
 
KURT
– Eu sou o seu pai e você ainda me deve um pingo de respeito...
 
RYAN
– Pai, seu pedido foi recusado. Quando eu te pedi para abandonar a bebida, você não fez isso por mim. Eu estou te retribuindo desta forma. E diferente de você, eu não afasto as pessoas que eu amo. Quer dizer, eu agi como você no último ano. Eu afastei o Josh, mas eu estou disposto a reconquistar a amizade dele.

--------  
 
MEGHAN
– ...Você não pode me abandonar mais uma vez! Você não pode abandonar a gente!
 
ALEX
– Eu estou abandonando a gente, Meghan...
 
MEGHAN
– Quando eu digo a gente, não me refiro a eu e você... E sim a eu e... (coloca a mão na barriga) Ao filho que eu estou esperando.
 
ALEX
– (engole seco) Filho?
 
MEGHAN
– Sim. O nosso filho. (começa a chorar) É isso mesmo que você vai fazer? Nos abandonar e ir morar com a sua outra família? Bom, se o Josh aprendeu a lidar com a ausência do pai por anos, o meu filho também conseguirá...

--------  
 
JOSH
– Sabe, Ryan, existe algo muito bonito entre a gente. Não devemos guardar no passado só por causa de tudo o que aconteceu entre nós dois no último ano. Seria um grande desperdício...
 
RYAN – Quer dizer que você me perdoa por eu ter sido um tolo, um covarde, um egoísta?
 
JOSH – Sim, hoje você aprendeu muito com o seu pai. Aprendeu a não ser como ele e a enfrentá-lo de frente. Você não foi nem um pouco covarde...
 
RYAN – Podemos ser amigos de novo?
 
JOSH – Amigos e eternos vizinhos.

--------

CENA 01. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. SALA DE AULA. INT. DIA.

A sineta começa a tocar anunciando o início de mais um horário de aulas na Universidade da Califórnia. Nesta sala em questão, os alunos entram, conversando, rindo e seguindo em direção aos seus lugares. A professora chega logo em seguida.

PROFESSORA – Bom dia, meus atores preferidos...

ALUNO 1 – (rindo) Professora, ainda nem somos atores...

PROFESSORA – Mas estão se tornando. Se depender de mim, vocês brilharão muito nos palcos de San Francisco. Ou, quem sabe, do mundo todo. (ri)

De repente, Chelsea entra na sala de aula, apressada.

CHELSEA – (percebe a presença da professora) Peço desculpas pelo atraso. Ainda estou me acostumando à velha rotina. (sorri)

PROFESSORA – Entre e fique à vontade, Chelsea. Ainda não começamos a aula. Eu e, tenho certeza de que toda a turma, estamos muito felizes com a sua volta. Não queríamos perder uma atriz de talento como você...

CHELSEA – (sentando-se em seu lugar) Muito obrigada, professora. Eu também estou muito feliz por estar de volta às aulas de Drama. Isso me fez muita falta... Sabe como é, drama é o que eu sei fazer de melhor.

A professora e os alunos riem.

PROFESSORA – Bom, na aula de hoje, iremos falar um pouco sobre a estrutura de uma narrativa. (andando de um lado para o outro calmamente) Como vocês devem saber, novelas, filmes, séries de televisão e peças de teatro precisam de uma narrativa para acontecer. Assim como nos livros, um roteiro cinematográfico, televisivo ou teatral apresenta um enredo inicial, personagens, conflitos, clímax, desenvolvimento e desfecho. E tudo isso deve ser construído com muita dedicação pelo seu autor para que o desenrolar seja bem amarrado e prenda a atenção do espectador do início ao fim.

ALUNO 2 – Quer dizer que quando um filme é chato, a culpa é do roteirista que não soube planejar a história?

PROFESSORA – (aponta para o garoto) Talvez. A história pode ser muito criativa e inovadora, mas se um roteirista não achar o método certo de como conduzi-la, tudo acabará saindo dos eixos... (sorri) Nesta aula, falaremos sobre os personagens. Vocês sabem quem eles são?

ALUNO 3 – São as pessoas que transitam em uma história...

PROFESSORA – Exato. E são os maiores presentes que um ator poderia ganhar. Aposto que muitos de vocês já se imaginaram interpretando um personagem de contos de fadas ou algum que se tornou um ícone do cinema ou da TV, não é mesmo? (pausa) Todas as pessoas já tiveram alguma vez esse pensamento, mas os atores sonham com isso a todo momento. Vocês sabem por quê? Por que o personagem é a segunda vida do ator. É para este personagem que ele vai depositar todo seu talento, a sua dor, os seus anseios, as suas alegrias... Os seus sentimentos mais internos.

Close nos alunos, que prestam muita atenção no que a professora diz.

PROFESSORA – Um dia, vocês irão ganhar os seus primeiros personagens e descobrirão como é essa sensação. Mas o que vocês devem descobrir é  que também somos um personagem. A diferença é que este não é ficcional. É real. E todos os dias, nós tentamos construir a nossa própria história e conduzi-la da melhor forma possível, explorando cada conflito, em busca de um final feliz. (aponta para um aluno) Você! (aponta para outro) Você! (aponta para Chelsea) E você! Todos são personagens.

Close em Chelsea, muito concentrada na explicação da professora.

PROFESSORA – E cada um de vocês é protagonista da sua própria história. Vocês já pensaram em como vão planejá-la e desenvolvê-la?

Close em Chelsea. Ela sorri esperançosa, sugerindo que tem alguma ideia em mente.

 
 
     
 
 
     



3x04 - FRAQUEZAS E FORTALEZAS
 
     

CENA 02. CASA DE MARTA. SALA DE ESTAR. INT. DIA. 

A campainha da casa toca. Após alguns segundos de espera, Marta desce a escada rapidamente, seguindo em direção a porta.

MARTA – Já vai...

Marta abre a porta. Close em sua expressão surpresa.

MARTA – Alex, o que você está fazendo aqui?

A câmera revela Alex.

ALEX – Marta, este é um mau horário para termos uma conversa?

MARTA – Não, eu estou livre durante a manhã. Eu só fiquei surpresa porque não esperava a sua visita...

ALEX – (entrando mesmo sem ser convidado) Desculpa tocar a sua campainha sem avisar antes que eu viria.

MARTA – Não se importe com isso... Você é sempre bem-vindo na minha casa.

Marta ameaça fechar a porta, mas Meghan surge de repente e coloca o braço na frente para interromper o ato da mulher.

MEGHAN – Desculpa a demora, eu estava pegando algumas sacolas que esqueci dentro do carro... (exibe as sacolas em questão)

ALEX – Ah sim, como você já deve ter percebido, a Meghan veio comigo...

MARTA – (ainda surpresa) Eu achei que o casamento de vocês tinha acabado...

MEGHAN – (sorri sarcasticamente) Não acabou porque não teve ao menos um início. Mas eu e o Alex não estamos aqui para falar sobre o passado... Eu e ele temos que nos focar no presente.

ALEX – Eu sei que vocês duas não têm um bom relacionamento, mas eu fiz questão de trazer a Meghan aqui, porque o assunto a envolve diretamente.

MEGHAN – (ainda sorrindo) Não envolve só a mim, mas também a família que estamos esperando...

ALEX – Meghan, já conversamos sobre isso em casa...

MEGHAN – Alex, querendo ou não, viveremos todos embaixo do mesmo teto. Que eu saiba, este é o princípio básico para a formação de uma família.

MARTA – Pois bem. Vamos nos sentar e vocês me dizem que assunto tão importante é esse que querem tratar comigo.

ALEX – Não só com você, Marta. Eu também devo uma explicação para o Josh. Eu não posso ter essa conversa sem ele aqui.

MARTA – Alex, o Josh está na universidade...

MEGHAN – Aposto que ele tem um tempo livre para ouvir o seu próprio pai.

MARTA – Alex, o Josh ainda está muito magoado com tudo o que aconteceu entre vocês durante as férias de verão. Eu não sei se ele vai aceitar vir tão facilmente aqui...

ALEX – Por favor, Marta. Faça o possível para convencê-lo a vir. Eu já tomei muitas decisões erradas (olha para Meghan) no passado. Eu não quero continuar afastando o meu filho de mim... Eu tenho que dar satisfações a ele.

MARTA – Tudo bem. Eu vou fazer um telefonema. Sentem-se e me esperem aqui.

Marta deixa a sala. Alex caminha até o sofá e se senta sobre ele. Meghan entra na casa, fecha a porta e também se dirige ao lugar onde Alex está sentado.

MEGHAN – Alex, lembre-se que eu não obriguei você a assumir o meu filho... Essa é uma escolha sua. Eu não quero que você fique comigo sendo que a sua felicidade está aqui em San Francisco.

ALEX – Ok, Meghan. Acredite... Se não estivéssemos nessa situação, eu já teria saído de Nova York e do seu lado há muito tempo. Mas há uma criança envolvida e eu não vou permitir que ela cresça sem um pai... Eu cometi muitos erros com o Josh, não posso deixar que eles voltem a acontecer.

MEGHAN – (sentando-se ao lado de Alex) Eu só estou te avisando, porque pra mim não seria nenhum problema cuidar sozinha da criança.

ALEX – Eu não estou fazendo isso por você, Meghan... O nosso relacionamento terminou no mesmo dia em que iríamos nos casar. (olha firmemente para Meghan) Eu estou fazendo isso pelo filho que estamos esperando. E eu serei um ótimo pai para ele. Um pai muito presente...

MEGHAN – (para si mesma) Presente... Algo que nunca foi durante o tempo em que estivemos juntos.

Close em Meghan, furiosa.

CENA 03. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. ALOJAMENTO. DORMITÓRIO DE JOSH. INT. DIA.

Josh está fazendo a leitura de um livro de Química, deitado em sua cama. Seu celular começa a tocar. Close no identificador de chamadas. Vemos que Marta está ligando para ele. O garoto atende com um sorriso no rosto.

JOSH – Bom dia, dona Marta...

A tela se divide em duas partes. De um lado, fica Josh. Do outro, Marta.

MARTA – Olá, querido. Tudo bem com você?

JOSH – Tudo indo...

MARTA – Para a frente, espero.

JOSH – Bem, posso te garantir que estou lidando bem melhor com os fatos recentes... (sorri) Posso saber o porquê de estar me ligando a essa hora da manhã?

MARTA – Boas notícias chegam cedo. Em nosso caso, chegam cedo literalmente. Seu pai e sua madrasta... (pausa) Ou ex-madrasta, não consegui entender muito bem, estão aqui e querem falar com você.

JOSH – Vieram anunciar a nova data do casamento? Diga a eles que eu dispenso...

MARTA – Não sei, Josh, mas pela cara do seu pai, o assunto é urgente... Você está muito ocupado para vir?

JOSH – Não, eu estou sem aulas agora de manhã, mas isso não quer dizer que eu vá... Mãe, eu e meu pai passamos por alguns desentendimentos durante as férias de verão.

MARTA – Eu sei, Josh, eu estava lá e eu presenciei, mas ele é o seu pai. Pais e filhos brigam constantemente. Você não pode deixar que esse desentendimento atrapalhe a relação entre vocês dois... Seu pai te ama muito, Josh, e ele veio até aqui para conversar com você.

JOSH – E trouxe a bonequinha de plástico dele...

MARTA – Josh, venha por mim. Você se senta, ouve o que eles têm para dizer e então volta para a universidade.

JOSH – Tudo bem, eu vou me arrumar e então pego um ônibus...

MARTA – Ótimo. Estarei esperando você...

Marta sorri e encerra a ligação. Josh ganha a tela.

JOSH – (bufa) Droga!

A imagem corta para:

CENA 04. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. ALOJAMENTO. CORREDOR DOS DORMITÓRIOS. INT. DIA.

Josh deixa o seu dormitório. Ryan vem em sua direção.

RYAN – Bom dia, Josh.

JOSH – Bom dia. Você não vai acreditar para onde eu estou indo...

RYAN – (ri) País das Maravilhas?

JOSH – Nossa antiga vizinhança. Meu pai está na cidade e quer falar comigo.

RYAN – Não brinca, eu estou indo para lá também. Vou aproveitar que não tenho aula agora de manhã e fazer uma visita para a minha mãe...

JOSH – Podemos ir juntos então.

RYAN – (sorri) Ótimo.

Os garotos sorriem um para o outro e saem juntos, conversando.

CENA 05. CASA DE SUZIE. SALA DE ESTAR. INT. DIA.

Suzie está sentada no sofá folheando uma revista de moda. Eric desce a escada, apressado.

ERIC – Meu amor, eu estou indo... Começo a treinar um novo time hoje na San Francisco High School e não posso chegar atrasado.

SUZIE – (fecha a revista e se levanta) Tudo bem, hoje estarei em ótima companhia por aqui.

ERIC – Não vá me dizer que você está trazendo outros homens para cá enquanto eu fico fora...

SUZIE – (brincando) Se eu estivesse fazendo isso, eu não seria louca de contar para você. (sorri) Ryan. Ele me ligou dizendo que está vindo para cá.

ERIC – Ótimo. Será bom para você passar um tempo com o seu filho. Apesar de achar que você deveria estar na San Francisco High School.

SUZIE – Por favor, Eric... Esse assunto de novo não.

ERIC – Suzie, o que aconteceu no ano letivo passado é uma situação que não voltará mais a se repetir. O Mitch já foi transferido de escola...

SUZIE – Não sei, Eric, depois do que aconteceu, eu tenho dúvidas se foi realmente uma boa ideia voltar a dar aulas.

ERIC – Foi uma excelente ideia. Sem dúvidas, a melhor coisa que aconteceu para você nos últimos anos. Suzie, você é uma mulher ativa, carismática, talentosa no que faz. Você é inteligente e nasceu para dar aulas. Tem coisa mais gratificante do que entrar em uma sala de aula e compartilhar com os alunos todos os seus conhecimentos?

SUZIE – É, eu sinto muita falta de todos os meus alunos...

ERIC – Alunos que também sentem a sua falta e estão esperando por sua volta. Pensa bem, Suzie, este é um novo ano, você pode começá-lo com o pé direito e sem nenhum Mitch em seu caminho. Você não pode deixar que o incidente com aquele garoto te impeça de fazer o que você exerce tão bem.

SUZIE – Isso foi uma grande bobagem, Eric. Eu só aceitei dar aulas na San Francisco High School porque você me disse que o professor de História tinha deixado sua vaga à disposição e precisavam de alguém para preenchê-la às pressas.

ERIC – Sim, e o cargo continua disponível até o momento. A escola está selecionando novos nomes para assumir a carga horária das aulas de História. Quem sabe o seu nome pode estar entre eles. (olha no fundo dos olhos de Suzie) Pense bem no que eu estou dizendo...

SUZIE – Ok, você me convenceu. Eu juro que eu vou pensar...

ERIC – Acho que você já pensou demais. Eu quero que você volte para a escola, Suzie. Os alunos precisam de você.

Close em Suzie, encorajada.

CENA 06. CASA DE JOSH. SALA DE ESTAR. INT. DIA.

Meghan e Alex estão sentados no sofá, impacientes. Close em Marta, que anda de um lado para o outro, olhando constantemente para o relógio de pulso.

MARTA – (quebrando o silêncio) Ele já deve estar chegando... Vocês querem que eu prepare um café enquanto isso?

ALEX – Não se preocupe, Marta.

MEGHAN – (alisando sua barriga saliente) Marta, depois que você souber o que nos trouxe até aqui, você vai pensar duas vezes antes me de sugerir cafeína...

MARTA – (sem entender) Eu posso preparar um suco para você, Meghan.

MEGHAN – Eu estou bem, obrigada. Já tomei o meu café da manhã...

De repente a porta se abre. Josh entra sem muita empolgação.

JOSH – Bom dia... Aqui estou!

MARTA – (indo em direção ao garoto) Josh, meu filho. Que bom que você chegou. (sussurra para ele) Graças a Deus, eu não aguentava mais este clima de cemitério por aqui...

JOSH – (dando um beijo em Marta) Oi, mãe... (caminha até uma poltrona e se senta) Oi, Meghan. Oi, pai. Já estou aqui. Vocês podem me dizer pra que vieram...

Marta se aproxima de Josh e coloca uma de suas mãos no ombro do garoto.

ALEX – Josh, eu sei que nós passamos por um desentendimento grave recentemente, e eu percebi que tudo que você me falou era verdade... Você tinha razão.

JOSH – Não parece que você me ouviu, pai. Mal voltou para Nova York e já se rendeu aos braços da Meghan...

ALEX – Não, não é isso... Eu e a Meghan não estamos juntos.

JOSH – Então não entendo por que vieram até aqui...

ALEX – Quer dizer, eu e ela continuamos morando juntos, mas cortamos qualquer relação que existia entre a gente. O nosso casamento foi cancelado definitivamente e eu não tenho mais nenhum compromisso com a Meghan a não ser... (olha para a barriga de Meghan) o bebê que estamos esperando.

Close em Marta, chocada. Em Josh, indiferente.

JOSH – Acabou? Posso ir para o meu quarto?

ALEX – Josh, por favor, não seja ignorante...

JOSH – Eu não estou sendo ignorante, pai. Você se preocupou em vir dar a notícia para a gente, eu ouvi e agora quero ir para o meu quarto. Ou quer que eu diga mais alguma coisa? Quer que eu te deseje parabéns pela criança que está vindo? Eu espero que este filho não tenha um pai tão ausente quanto eu tive.

Josh se levanta da poltrona e sai em direção ao seu quarto. Alex vai atrás.

MARTA – Me desculpa pelo comportamento do Josh... Tem muita coisa acontecendo na vida dele ultimamente.

MEGHAN – Se eu fosse você, ficava mais de olho neste garoto, Marta. Você não quer que o seu filho se torne um adolescente rebelde, não é mesmo? Eu jamais deixaria que isso acontecesse com o meu.

Close em Marta, que sorri para Meghan forçadamente.

CENA 07. CASA DE JOSH. QUARTO DE JOSH. INT. DIA.

(música: These Broken Hands Of Mine - Joe Brooks) 

Josh entra no quarto e ameaça fechar a porta. Alex entra antes que o ato se conclua.

ALEX – Acho que precisamos conversar, mocinho... Você está sendo muito ingrato comigo.

JOSH – É impressão sua, pai.

ALEX – Josh, eu sempre fiz o possível para participar ativamente da sua vida. Você tem se mostrado completamente egoísta.

JOSH – Não, pai, eu não estou sendo egoísta. Eu estou sendo realista. São duas coisas muito diferentes. (pausa) Eu nunca liguei de você vir me visitar poucas vezes no ano, porque eu tinha plena consciência que você morava em uma cidade distante e não poderia ficar pegando um avião para cá toda semana... Mas, pai, você teve a oportunidade de ter a sua família de volta e você simplesmente recusou.

ALEX – Josh, eu fui muito burro em ter desistido da sua mãe, mas depois de tudo o que você me falou aquele dia no hospital, eu estava realmente disposto a reconquistá-los... Eu queria voltar a construir esta família. Eu queria estar junto com vocês... Pena que foi tarde demais.

JOSH – Pai, não me peça para entender isso...

ALEX – Josh, eu entendo a sua situação. Não deve ter sido fácil ver o seu pai se envolvendo com outra mulher. Infelizmente, eu agi por impulso e prematuramente. E demorei muito para perceber que a Meghan jamais poderia substituir a Marta... Eu daria tudo para voltar no passado e corrigir esse erro. Ou melhor, eu queria poder corrigi-lo agora, sem uma máquina do tempo. Mas ela está esperando um filho meu.

JOSH – Eu sei. E eu respeito totalmente a sua decisão de ficar próximo da criança.

ALEX – Que bom, meu filho, porque eu não quero que este bebê cresça com o pai distante. Você cresceu sem mim, Josh, e eu me arrependo todos os dias de não ter estado perto de você para acompanhar dia a dia o seu amadurecimento.

Close em Josh, que deixa uma lágrima rolar sobre o seu rosto.

ALEX – Eu não quero que esta criança passe pela mesma situação que você. Eu não quero que um dia ela me culpe por eu não ter feito parte da vida dela todos os dias... Este é um erro que, felizmente, eu estou tendo a oportunidade de corrigir.

Josh, sem pensar duas vezes, aproxima-se do pai e o abraça fortemente. Alex começa a chorar.

ALEX – Me desculpa, meu filho. Você sabe que eu faria de tudo para ver a nossa família de pé novamente. Mas agora eu preciso me preocupar com esta criança... Ela precisa de mim.

JOSH – Me desculpa, pai... Me desculpa por ter brigado com você. Eu deveria ter te entendido.

ALEX – Não, você só agiu como um bom filho preocupado com a sua família. Você queria que o seu pai estivesse ao seu lado e ao lado da sua mãe. É seu papel cobrar isso. E me dói não poder realizar o seu pedido.

JOSH – Me desculpa por ter sido tão egoísta...

ALEX – (interrompe o abraço e coloca as mãos no rosto de Josh) Você é um garoto maravilhoso, Josh. É o meu orgulho. Eu espero que essa criança que está chegando tenha o mesmo caráter do irmão. Se isso acontecer, eu serei um pai de sorte...

JOSH – (sorri) E eu sou um filho de sorte por ter você como pai.

ALEX – Josh, sempre que for possível, eu vou vir te visitar. Nós perdemos a chance de reconstruir a nossa família, mas eu nunca vou me afastar de você e a da sua mãe. Eu amo vocês. Eu amo a sua mãe. Eu amo você, Josh.

JOSH – Eu também te amo, pai.

Pai e filho se abraçam.

ALEX – E não precisa se preocupar comigo e com a Meghan... Como você disse, ela é realmente uma mulher de plástico.

A câmera se afasta, enquanto Josh e Alex continuam abraçados.

CENA 08. CASA DE MARTA. SALA DE ESTAR. INT. DIA.

(Música cessa.)

Marta e Meghan ainda estão sentadas em sofás diferentes. Elas não olham uma para a outra nem ao menos conversam.

MEGHAN – (quebrando o silêncio) Cadê o Alex que não volta mais? Esta era para ser uma conversa rápida e direta...

MARTA – Mas por que a pressa, Meghan? Para uma mulher que vai segurar um filho na barriga durante nove meses, você está muito impaciente...

MEGHAN – (sorri ironicamente) Eu mal vejo a hora de vê-lo nascer. Esta criança simbolizará a minha união com o Alex. Porque se você acha que eu desisti do casamento, Marta, você está muito enganada...

MARTA – Bom, de uma coisa eu sei, quando um não quer, dois não brigam. Você pode até não ter desistido do casamento, mas o Alex está fora dessa mentira.

MEGHAN – E quem pode te garantir isso? Eu estou grávida. Logo, o bebê irá nascer e isso me reaproximará do Alex. Ele perceberá que eu e a criança somos a verdadeira família dele e então irá me propor em casamento novamente. Você viu como tudo acontece na hora certa?

MARTA – Meghan, sua bobinha... (levanta-se do sofá) Não há casamento sem amor.

MEGHAN – (levantando-se também) Marta, sua bobinha... Eu estou conseguindo segurar o Alex sem amor.

MARTA – Não, quem está segurando o Alex é este bebê. O que mais me intriga é que o Alex ficou em San Francisco por um bom tempo e você nunca telefonou para informar sobre a gravidez.

MEGHAN – Eu tentei, mas ele não atendia as minhas ligações... Parece que seu querido ex-marido queria me manter o mais distante possível.

MARTA – Então por que você não veio atrás dele? Digo, você está aqui agora. Não deve ser nenhuma dificuldade para você sair de Nova York e viajar para outra cidade...

MEGHAN – Não, eu preferi esperar ele voltar. Um dia, ele teria que voltar, não é mesmo? E voltou! (encara Marta) Voltou para os meus braços, para a minha casa. É, Marta, não foi dessa vez que você conseguiu tirar o Alex de mim...

MARTA – Você está me desafiando, Meghan?

MEGHAN – Você arruinou o meu casamento! (olha furiosamente para Marta) Não pense que eu esqueci disso. Quando eu fui abandonada naquele altar, eu prometi a mim mesma que não deixaria você ser a vitoriosa neste jogo...

MARTA – Meghan, cresça! Isto não é um jogo... É a vida real. E eu nunca quis arruinar o seu casamento. O meu filho sofreu um grave acidente e o Alex ficou preocupado. Ele não tinha cabeça para continuar a cerimônia. E talvez não tivesse amor...

MEGHAN – Bom, Marta, fale o que você quiser, mas pra mim isto é um jogo sim. Você tentou passar na minha frente e, veja só, eu te derrubei. Você tentou manter o Alex longe de mim, mas eu o aproximei. Não é dessa vez que você o terá de volta.

MARTA – Você é nojenta...

MEGHAN – O xeque-mate foi meu. (passa a mão no rosto de Marta) Agora se me dá licença, eu preciso ir ao banheiro. A gravidez acaba com a minha bexiga. E não! (tira a mão do rosto de Marta) Não precisa me dizer onde fica, eu conheço muito bem o lugar.

Meghan sai com um sorriso vitorioso. Close em Marta, furiosa.

CENA 09. CASA DE SUZIE. SALA DE ESTAR. INT. DIA.

(música: All At Once - Jack Johnson)

Ryan está sentado ao lado da mãe no sofá. Eles conversam.

SUZIE – (passando as mãos no cabelo de Ryan) Por um momento, eu pensei que você tivesse esquecido o endereço da sua casa...

RYAN – Mãe, eu passei as férias de verão inteiras ao seu lado...

SUZIE – Eu sei, meu filho. E foi isso que me deixou mal acostumada. (sorri) Mas como está indo a universidade este ano?

RYAN – Turbulenta como todo início de ano, mas algo especial tem acontecido nos últimos dias...

SUZIE – Posso saber o que?

RYAN – Lembra, durante as férias de verão, quando eu te contei sobre o meu desentendimento com o Josh? Acho que, finalmente, depois de tanto tempo, a nossa amizade está voltando a entrar nos eixos...

SUZIE – (sorri sugestivamente) Só a amizade?

RYAN – Mãe... Não seja invasiva, ok? Além do mais, eu e o Josh passamos muito tempo sem nos falar. É melhor irmos com calma. Um passo de cada vez. Eu já fico muito satisfeito por ter a amizade dele de volta.

SUZIE – (sorri) Que bom! Mas... (fica séria) Quer me contar sobre a briga que você teve com o seu pai? Você não me deu os detalhes no telefone...

RYAN – Digamos que eu e meu pai demos um tempo um para o outro. Não adianta mais, mãe. Eu e ele sempre tivemos um relacionamento complicado. Você sabe mais do que ninguém que confiança, quando é perdida, fica difícil recuperá-la...

SUZIE – Mas, Ryan, tente entender que seu pai te flagrou beijando outro garoto. É normal que ele reaja desta forma. O Kurt é um homem tradicional, veio de família conservadora e sempre teve em mente que homem deve se casar com mulher. Talvez, se você tivesse sido mais compreensível, ele aceitasse você.

RYAN – A Liz me disse o mesmo, mas por enquanto eu não quero voltar a me arriscar nessa relação conturbada. Toda a minha infância ao lado do meu pai me mostrou que algumas coisas são difíceis de ser enterradas. Eu até posso desculpá-lo por tudo que ele fez contra a nossa família, mas eu não consigo esquecer, mãe. Meu pai me machucou muito e, quando ele entrou naquele dormitório pedindo pra que eu me afastasse do Josh, eu senti que aquele homem grotesco do passado tinha voltado a minha vida, querendo me tirar tudo que é importante pra mim...

SUZIE – Ryan, lembre-se que você também cometeu alguns erros no último ano e, mesmo assim, o Josh te perdoou.

RYAN – Porque o Josh é um garoto incrível, mãe. Ele evita de julgar as pessoas e as perdoa para que elas possam viver em paz consigo mesmas. Ele pensa nos outros antes de si mesmo. Se isto é algo bom ou ruim, eu não sei, mas ele não deixa que nenhum ressentimento pese em sua consciência. Ele é assim... Ele sabe perdoar. Eu não sei, infelizmente. O perdão é a minha maior fraqueza. Se eu fosse o Josh, talvez eu nunca teria me perdoado.

SUZIE – Tudo bem. O ser humano é feito de fraquezas e fortalezas. Temos que aprender a viver em equilíbrio com elas. (sorri) Eu respeito totalmente a sua decisão, mas espero do fundo do meu coração que, um dia, você e seu pai possam pelo menos dar um aperto de mão.

RYAN – Quem sabe... (sorri) Mas e a sua vida, como anda?

SUZIE – O Eric está me convencendo a todo custo a voltar para a San Francisco High School.

RYAN – Eu acho que ele está mais do que certo.

SUZIE – Eu estou pensando seriamente nisso. Não posso desistir no primeiro obstáculo que me aparece, certo?

RYAN – Exatamente. Esta é a Suzie Gregson forte e persistente que eu conheço...

Mãe e filho sorriem um para o outro.

CENA 10. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. ALOJAMENTO. DORMITÓRIO DE CHELSEA E KEITH. INT. DIA.


(música: Good Girl – Carrie Underwood)

Chelsea está sentada em sua cama. A garota respira fundo e então coloca o notebook – já aberto – sobre o seu colo. A câmera mostra o monitor do computador. Chelsea abre o editor de texto e seleciona uma letra maior. Close em seu rosto: a garota sorri. Ela mexe os dedos e então os leva vagamente até o teclado. Chelsea receia por um instante, mas então toma finalmente coragem. Na tela, vemos as seguintes palavras sendo digitadas: 

A BOA GAROTA

Um retrato real de uma garota real

Chelsea sorri, satisfeita, por ter conseguido dar o pontapé inicial. Então, diminui a fonte usada e se encoraja a voltar a escrever... Close na tela: 

CAPÍTULO 01

A garota continua digitando, mas então não vemos mais o que ela escreve. A câmera se afasta, mostrando Chelsea, excitada e eufórica, com a ideia que está desenvolvendo. 

CENA 11. CASA DE MARTA. SALA DE ESTAR. INT. DIA.

(Música cessa.)

Marta está sentada na poltrona aguardando a volta de Alex e Josh, mas apenas o primeiro retorna.

MARTA – (levantando-se) Até que enfim a conversa entre vocês dois terminou, mas... Cadê o Josh?

ALEX – Ele disse que iria ao banheiro. Cadê a Meghan?

MARTA – Também foi ao banheiro. (aflita) Está tudo bem entre você e o Josh?

ALEX – Sim, eu e ele tivemos uma conversa muito esclarecedora.

MARTA – (sorri aliviada) Que bom. Eu não ia suportar vê-los afastados um do outro.

ALEX – Eu não me perdoaria se fosse obrigado a me distanciar do meu filho.

Alex e Marta sorriem.

CENA 12. CASA DE MARTA. CORREDOR. INT. DIA.

Josh sai do banheiro. O garoto atravessa o corredor com destino à sala, mas interrompe seus passos próximo ao quarto da mãe, ao perceber que a porta está entreaberta. A imagem corta rapidamente para:

CENA 13. CASA DE MARTA. QUARTO DE MARTA. INT. DIA.

Meghan está em frente ao espelho embutido no guarda-roupas. Ela alisa sua barriga e então olha para a porta para certificar-se de que não há ninguém ali. Mais do que depressa, Josh se esconde atrás da parede. Close apenas no rosto de Meghan. A mulher tira a blusa que está vestindo. A câmera desce e revela a barriga falsa que está usando.

MEGHAN – Oh, Deus, isso incomoda tanto...

Meghan tira a barriga falsa e a segura em uma das mãos. A mulher demonstra alívio por estar sem ela. Então volta a colocá-la.

MEGHAN – (olhando para o espelho) Preciso ser rápida antes que alguém entre aqui e acabe descobrindo que tudo não passa de...

Josh entra no quarto, impossibilitando que Meghan complete o que iria dizer.

JOSH – Uma grande armação. (sorri irônico)

Meghan se vira para Josh, assustada, e deixa sua barriga falsa cair no chão.

MEGHAN – (sem reação) Josh...

JOSH – É, Meghan, parece que você não sabe guardar muito bem um segredo... Até quando planejava continuar com esta mentira?

Close em Meghan, assustada e sem saída.

A imagem escurece.

 


AUTOR
André Esteves

ELENCO

Graham Phillips como Josh Parker
Sterling Knight como Ryan Jordan
Victoria Justice como Chelsea Harris
Ariana Grande como Keith Hurly
Gregg Sulkin como Matt Brooks
 
ATORES CONVIDADOS
Joshua Jackson como Alex Parker
Erika Christensen como Meghan Kimble
Skeet Ulrich como Eric Smith
 
Pequenas aparições que não constam na listagem acima (Professora e Alunos 1, 2 e 3, neste episódio) são interpretadas por atores contratados pela produtora.
 
TRILHA SONORA
So Small - Carrie Underwood (Tema de Abertura)
These Broken Hands Of Mine - Joe Brooks
All At Once - Jack Johnson
Good Girl – Carrie Underwood

PRODUÇÃO
Bruno Olsen
Cristina Ravela


Esta é uma obra de ficção virtual sem fins lucrativos. Qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações da vida real terá sido mera coincidência.


REALIZAÇÃO

Copyright © 2018 - WebTV
www.redewtv.com
Todos os direitos reservados
Proibida a cópia ou a reprodução

.aaa.
.aaa.

Compartilhar:

 
Copyright © WebTV | Design by OddThemes