Papo com o autor - 1x10


https://1.bp.blogspot.com/-x7NYRpeecgE/WV0w8bH67dI/AAAAAAAAA9M/Crfh3C_ivEIlu340-7nlsGgxsG98rb0wwCLcBGAs/s1600/Papo-com-o-autor.jpg
 

PAPO COM O AUTOR - 1x10
 
 

NO PROGRAMA DE HOJE:

     
 

No último programa da temporada, CARLOS LIRA recebe CRISTINA RAVELA. O programa tá daquele jeito, além de passar o espanador nas histórias da Cris, conseguimos um extra cheio de “dinamites” e olha que vai desde a preferência entre Gabo e o Rafa, até polêmicas com figurinhas aqui do MV, afinal, segundo Cris: “quem nasceu pra dinamite, não se espanta com bombinha de festa junina.”. Vem com a gente e acompanhe a última entrevista da temporada!

 
     

 

     
   
     
 


J Balvin, Willy William - Mi Gente

CARLOS LIRA: Boaaa Noiteee MV!! É um mixer de tristeza por está acabando a temporada, com aquela alegria de levar ao ar um Programa que creio ser admirando por muitos aqui no nosso MV! Antes de tudo, já quero tacar na sua fuça o nosso recadinho, segue: fale bem ou falem mal, mas falem de mim, né nom?! [...]. Estamos chegando ao fim da nossa primeira temporada do Papo e não poderíamos encerrar de qualquer jeito. Por isso, nada mais justo que contar com a presença de uma anciã, de uma senhora no assunto MV... Ela vem de bengalas, vem com ajuda de enfermeiros, coitada! Não sei nem se vai conseguir responder às nossas perguntas, mas para fecharmos com chave de ouro, vem pra cá, mas com cuidados, Dona Cristina Ravela... Venha senhora, venha!

CRISTINA RAVELA: Só não te dou uma porque...eu ri tanto que tropecei alí, minino. Gabo devia colocar rampa. Boa noite, gente! Boa noite, Lira, Lira, Lirou! Boa noite, mundo! É um prazer imenso estar aqui. Cadê minha água? Garganta hoje vai pedir, to vendo.

CARLOS LIRA:
Seca! E olha que não é só de água. O Gabo cortou tanto os nossos orçamentos, que não sei que milagre chegamos às dez entrevistas da temporada. Milagre daquela, viu!

CRISTINA RAVELA:
Ah, isso é verdade. Ele prometeu uma limousine, eu vim de táxi.

CARLOS LIRA:
Kkkkk ele tá me esculhambando pelo ponto. Como não quero ficar surdo vamos começar! Kkk. Eu sei que a idade é um fator que pode nos prejudicar na entrevista de hoje, mas a gente dá um desconto, tá querida! Vamos cuidar, né?! Bom! Cê ainda lembra do início de sua jornada aqui no MV, na era ancestral da internet?

CRISTINA RAVELA:
Gabo tem uns arquivos antigos reservados às pessoas que chegarão a quinta idade feito eu kkkkkkkkkkkk. Eu conheci o MV por meio de um fórum de novelas mexicanas. Lembro qual não. Foi lá que me apresentaram o Gabo. Chato do ca* (te amo, Gabo) me enviava links da Redeinfo, hoje WebTV. Pensei em escrever novela. Deu certo não. Fui convidada por ele a apresentar um programa de letras de música (fiascou rapidinho), até que ele perguntou se eu não queria lançar alguma obra. Isso foi em 2006. Fã de Smallville, escrevi Raíza. Pensei: vamo vê a merda que sairá disso. Eu vi Raíza ser sucesso sem nem entender muito o que tava acontecendo. Isso abriu portas para mim, sabe? Nessa época, conheci muita gente legal. Fui tida como exemplo a ser seguido em comunidade, mencionada até em regras de bom comportamento. Saudades. Foi por aí que lancei o Blog da Zih. Eu comentava as obras dos zamigos, e eles queriam que eu sempre criticasse. Eu tava criticando sem sacar. Foi isso kkkkkkkkkkk. Ah, eu e o Gabo também escrevemos um sitcom, envolvendo autores do MV. Luíz Araújo estava lá. Ele era o 171, pregava cada uma nas pessoas kkkkkkkkkkk

CARLOS LIRA: Uma verdadeira aula de história meu povo! Era currículo que vocês queriam?! Só a introdução viu, então se acomodem. Bisa, escancara na cara desse povo todas as suas passagens no MV, a gente sabe que não foi só nas comunidades!

CRISTINA RAVELA:
kkkkkkkkkkk Eu fiquei na WebTV durante anos, bicho. Só saí pra passar uma temporada na UP, ano passado. Não lembro de ter lançado nada em nenhum outro lugar. Era WebTV, BDZ, UP.

CARLOS LIRA:
Algum pacto o Gabo fez pra te amarrar a WebTV então. Só pode! Suportar ele esse tempo todo, guerreira viu Bisa! Eiiiiii... Senhora, senhora... Pode deixar essa caneca aí mesmo, nada de roubar os objetos do cenário. Ano que vem tem segunda temporada e vai ser tudo do mesmo jeito. Rum! Deixando esse acontecimento de lado, conta pra gente suas mil e uma utilidades aqui no MV. De autora a crítica! E se não for abusar de mais de sua mente falha destaque algumas produções...

CRISTINA RAVELA:
Não posso ver uma caneca que já quero levar. Sorry, sei o duro que vocês dão pra manter esse cenário feito de papelão (ai, falei kkkkkkkkk). Po, bicho, deixa eu relacionar aqui pra ficar organizado o bagulho: Comecei como apresentadora, já fui atriz no sitcom, roteirista, escritora (sim, já lancei contos em um blog antigo e inexistente), crítica, jornalista (sem diploma, ninguém sacou), organizadora de eventos e premiações e webdesign. Se tem mais, não lembro. Escrevi bem mais no blog do que produções. Além do Sitcom, teve a série Raíza, a minissérie Gato Preto, o longa A Visitante (com Rafael Oliveira) e agora a série Anti-Herói.

CARLOS LIRA:
Sabia já desse seu “vício” por isso não tirava o olho kkkk Apenas, né querida?! Um currículo basiquinho desses... E vendo isso, assim como fiz ao João tenho que te perguntar. O que falta nesse MV pra Cris assumir?! De tudo tu fez mulher...

CRISTINA RAVELA:
O MegaPRO kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

CARLOS LIRA:
Meu amor, só o que falta mesmo viu! Se bem que não é um problema, tá na moda, tá todo mundo naquele caminho. Qualquer coisa só bater na porta lá kkkk

CRISTINA RAVELA:
Tenho medo de moda. Sou capaz de usar a mesma calça por anos, mesmo fora de moda. #OvelhaNegra

CARLOS LIRA:
Bisa a senhora arrebentou na introdução do Papo hoje! Deu aquele gostinho que vem coisa boa aí na frente... Tá preparada querida pra continuar? Ou precisa de medicamentos?

CRISTINA RAVELA:
Já tomei minha vod...digo, minha água com limão.

CARLOS LIRA:
Kkkkkkkk xiu! Não revele nosso segredo da caneca!

 
     

 

     
   

 

     
 

CCARLOS LIRA: Bisa, vamos de primeira parada. E a nossa primeira parada e direto nas revelações bombásticas de sua carreira. Mentira! Mas, vai ser aquele revela sobre seu processo de criação. Vamos nessa?

CRISTINA RAVELA:
Bora! Tamo aí pra jogo.

CARLOS LIRA:
Gosto disso! Bisa, seguinte. Sempre começo o Revela perguntando sobre como surge nas cabeças malucas dos autores, as histórias contadas por eles. E nessa sua, numa cabeça a lá era medieval? Muita histórias de Rei e Rainha? Homem das cavernas? Revela aí pra gente...

CRISTINA RAVELA:
Deixa o programa acabar que eu mostro uma história que tá passando agora de tiro, porrada e bomba, vai vendo kkkkkkkkkk Meu negócio é tiro mesmo. Não tem uma obra minha sem sangue derramado. Raíza teve até incêndio, corpo caindo do alto do prédio. Curtia a ideia de vidência. Mas minhas tramas tem um "q" da minha vida pessoal e virtual (REVELAÇÃO). O protagonista, sua essência, seus desafios. Nem o vilão escapa. Dou a eles o argumento válido para agirem de tal forma, porque me ponho no lugar deles. Claro, não concordo com suas artimanhas, mas eles têm a chance de provar se estão corretos ou não. Diálogos ferinos, situações difíceis, ironia e sarcasmo pra todo lado. Coisas que faço e coisas por quais passei sendo roteirizadas.

CARLOS LIRA:
É... Como gosto de me precaver... licença tá querida. Seguranças! Sim, vocês quarto! Podem ficar aqui, dois de cada lado. Bisa, é normal chamar eles pra ficarem aqui no palco, nada de mais. Eles vão ficar aqui paradinhos, só por precaução mesmo, tá?! Bom... A gente tem que continuar, deixa só respirar um pouco... kkkk Medo gente, medo! Kkk vamos lá, cuidar que já tá dinoitim... Bisa, quando a senhora tá bem inspirada, pronta pra escrever uma trama, você se inspira em algo? Ou a história simplesmente vai surgindo?

CRISTINA RAVELA:
UI, seguranças fortes esses que vocês têm...To carecendo lá no meu cafofo hehehehe. Olha, man, Raíza foi inspirada em Smallville. As que vieram em seguida foram inspiradas bem mais em minha vida pessoal e virtual. Sendo que, Gato Preto era uma adaptação de um romance antigo, do tempo que metade que está aqui no MV nem sonhava em ver Nazaré Tedesco virar meme. E Anti-Herói, mesmo sendo spinoff de Raíza, tem muito do meu histórico virtual. Ok, não matei ninguém (ou matei?). Eu vendi a trama como sendo inspirada em Max Payne — o que é verdade —, mas remodelada. Tem coisa alí que tem mais ver com as minhas vivências mesmo.

CARLOS LIRA: Kkkk Se me prometer ficar bem comportadinha até o final, pode levar os quatro. Sempre analiso os títulos dados as tramas aqui no MV, já vi de tudo, imagino o que você viu já que tá a mais tempo. Bem, como você nomeia suas tramas? Sempre são nomeadas com a primeira opção a surgir, ou o trem demora a ter o nome fixo?

CRISTINA RAVELA:
Lira, você é um amor mesmo. Vou escolher um dos quatro, porque na minha idade né? Não se pode bobear. Eu sou péssima com título, brow. Quando lembro que nomeei "Raíza - o futuro lhe pertence" dá vontade de me jogar do sofá até o chão. Suicídio. Abortei o segundo o nome. Melhor. Mas os nomes vêm rápido. Penso na essência da obra, o objetivo central, o que representa os personagens principais. Foi assim que pensei em Gato Preto. A trama com dois personagens desprezados pela família. Como minhas tramas têm um pano de fundo, algo que eu possa usar nas promos, então vi a semelhança com gato preto, sempre mal visto pela sociedade como aquele que traz azar. Acho que títulos precisam traduzir a obra, de forma que no fim não pareça estranho. Meu medo é ir parar no SBT e nomearem uma série minha como "Azar da pesada", num sei. Porque Bagulhos Estranhos me desmotivou a assistir a série, sério.

CARLOS LIRA:
Kkkkkkk Bagulhos estranhos ficou pra história. Ainda nessa pegada dos títulos, eu particularmente sigo a linha amexicanicazado, gosto desse drama bem denso nos títulos. Você se considera em que linhagem?

CRISTINA RAVELA:
Americanizada. Curto títulos curtos e diretos. Acho que se fosse novela, até rolaria um amexicanizado, mas série não kkkkkkkkk.

CARLOS LIRA:
Lacradora! Kkkkk Uma curiosidade que sempre bate, o que sempre encontramos em uma obra da Dino, digo, da Cris?!

CRISTINA RAVELA:
Além de tiro, porrada, bomba e muita ironia? Bom, estive analisando outro dia e percebi uma coisa: minhas tramas sempre têm um pai do protagonista bem bacana. Mãe é raro, e quando surge eu mato. Nada contra. Eu até tenho, mas acho que isso é uma forma do meu eu mostrar a ausência do meu pai, mesmo quando era vivo. Tipo, não tive muito disso, então a figura do pai presente está representado nas figuras masculinas das minhas obras. A propósito, minhas tramas têm mais homens que mulheres. Acho que tenho um lado masculino muito forte kkkkkkkkkkkkk

CARLOS LIRA:
Kkkk Acho que é esse fogo que a senhora tem, em... Tem algum tema que você ainda não abordou e que pretende abordar em uma obra futura?

CRISTINA RAVELA:
Olha, uma outra coisa que tá presente em minhas tramas é o tema injustiça. Tem um tema que quero abordar, mas é segredo ainda. A sinopse eu tenho há 5 anos. Quem sabe, em 2018 todos saberão?

CARLOS LIRA:
A senhora não presta. Gosta de deixar esse ar de curiosidade, né?! Tem nada não kkk A gente se contenta por que sabe que vem tiro e muito lacre por aí. Já falamos sobre o que sempre encontramos em suas tramas, nos deixou curioso sobre um tema nunca abordado e que está em fornos de criação. Agora revela pra gente o tema que você na aborda em suas tramas, tem esse?

CRISTINA RAVELA:
Terror ou violência sexual, pedofilia. O longa A Visitante era um terror-suspense, podemos chamar assim? Aquele terrorzão eu nunca pensei em escrever. Alguns temas eu deixo pra outras pessoas. Não sou santa né? Já escrevi mocinho batendo em mulher (porque ela merecia), pai e filho se matando. Terror? Só se for com alien. Ainda assim, é um risco. Pode parecer trash. Gabo me demite se o ibope não subir.

CARLOS LIRA:
E sobre as escalações de elenco. Revela pra gente se você é a favor, e se for, revela as figuras frequentes em suas obras.

CRISTINA RAVELA:
Muito a favor. Foi isso que me fez gostar desse mundão. Ver que, como eu, as pessoas imaginavam os atores interpretando. Amo fazer promocionais, montagens kkkkkkkk. Já perdi a conta. Sobre os atores frequentes, vou mentir não. Não sou de repetir muita figurinha. Ok, que de tramas tenho apenas 4 no currículo, mas em todos eles só repeti uns dois alí, dois lá. Mas amo a atuação de Caio Blat, trabalhou comigo duas vezes. Sérgio Menezes, também duas vezes. Gosto de variar.

CARLOS LIRA:
Elenco sempre é bom pra trama. Eu também vejo dessa mesma forma. Imaginar eles atuando, massa de mais. Cris, a senhora né brincadeira não. Que revela foi esse Brasil... Mas precisamos seguir caminhos, até porque não aguento mais o Gabo falando de tempo no meu ouvido...

CRISTINA RAVELA:
Manda ele tomar uma coca. Lá no país dele são 22 horas.

CARLOS LIRA:
Kkkkkkk to prestes a colocar outras coisas na bebida dele, tá merecendo!

 
     

 

     
   

 

     
 

CARLOS LIRA: Bisa, partimos então pro “Me identifico!”. Segura nessa poltrona leitor que a Dino agora vai falar suas inspirações do mundo real... To certo, Bisa?

CRISTINA RAVELA:
Com certeza.

CARLOS LIRA:
No "Me identifico?!" a pergunta é única e o espaço é todo livre pra você, nesse quadro você tem o espaço pra fazer uma comparação sua, com algum autor de telenovela ou série de TV. Fica a seu critério. Aqui você vai comparar, e claro nos falar um pouco dessa sua comparação. E como a gente é curioso... Lógico que vamos querer saber qual trama e qual personagem do autor você mais gosta. Então meu amigo, o espaço é todo seu, nos apresente seus “mestres” ...

CRISTINA RAVELA: Eu amo o estilo de João Emmanuel Carneiro. Aquele estilo policial, sabe? Claro, tirando aquelas paralelas, que ninguém guenta. A Favorita foi perfeita. Eu diria que até mais que Avenida Brasil, porque esta eu até dormi durante as crises do Jorginho (Cauã Reymond). Um porre aquilo, bicho. Teve também o Ruy Vilhena, de Boogie Oogie. Aquelas tiradas divertidas dos personagens me inspirou para Gato Preto. Tem também a M.A Lovretta, escritora da série Killjoys, onde atua meu lindo Aaron Ashmore (Anti-Herói). A trama é divertida, tensa, cheia de aventura. Amo histórias de ficção científica, e mais ainda quando há uma equipe, desafios, brigas entre eles, mas que no final tudo se esclarece. Já disseram que minha escrita se assemelha com a do JEC. Digamos que sim. É bem mais próximo mesmo.

CARLOS LIRA:
JEC é show, amo o jeito que ele conduz suas tramas. Uma comparação é tanto. A favorita realmente foi uma baita novela, que trama. Avenida Brasil dispensa comentários, Carminha salva todas as cenas indesejáveis kkkk Sou suspeita a falar porque sou fã do autor, amo as tramas dele. Ele é 10. Arrebentou, Bisa!

 
     

 

     
   

 

     
 

CARLOS LIRA: Bisaaaa... A nossa próxima parada, é naquela pegada da curiosidade... Na pegada do sacode a poeira, vira e remexe! Tô falando de revirar o seu passado (Não a parte podre, fica entre a gente. Segredo de Família, tá?!) Bom... Tá preparada, pra receber aquela “catucada” no passado bebê (kkkk bebê e quase um elogio pra anciã que todos Rexpeitão)

CRISTINA RAVELA:
Socorro! Meu passado me condena a um futuro sombrio kkkkkkkkk. To preparadíssima. Já to com meu loucazihpan aqui. Manda tiro, brow!

CARLOS LIRA:
Kkkkk Adoro isso! Crissss... O que vai sair desse baú em criatura?

CRISTINA RAVELA:
Menino...Sinto cheiro de naftalina de longe. Sou alérgica, mas vamo que vamos. A obra que abriu as portas para mim neste MV foi Raíza. Inesquecível. Um clássico na minha vida.
 


Logo de “RAÍZA”: Arquivo Pessoal do autor

CARLOS LIRA: Ela é ligeira, ela! Então é isso Brasél... Vamos revirar tudo sobre o início de Raíza aqui no MV... Um clássico assim como a criatura que a criou! Bisa, em um resumão caprichado aos olhos do criador... Fala pra gente do que se trata Raiza.

CRISTINA RAVELA:
Raíza contava a estória de uma garota que, após ser batizada com uma cruz no pulso, viajou 4 anos para o futuro e descobriu ser vidente. Cipriano, o arqui-inimigo e causador dessa confusão, queria os poderes da cruz, mas só podia tê-los se batizasse Raíza com ela. Felizmente, deu errado. Só que ele descobriu que todo ódio que ela sentisse, passaria os poderes dela para ele. Assim, ele fez de tudo para causar discórdia e brigas. Raíza precisou lutar contra todo o mal que se abateu sobre ela, até se convencer de que ela só iria se livrar daquele bruxo, o dia que perdoasse seus inimigos. Ambos tinham contas do passado a acertar. Um passado na era da Inquisição. Ambos eram bruxos.

 
Abertura de “RAÍZA”: Arquivo Pessoal do autor

CARLOS LIRA: Cipriano é daqueles que só na apresentação já sabemos que a criatura aprontou todas. Conta pra gente os feitos do bendito.

CRISTINA RAVELA:
Cipriano foi maravilhoso do início ao fim. Atrás dele ficava o Josué, tio de Raíza.

• 1. Bem, Cipriano não era tão impulsivo quanto Josué. Armava tudo direitinho. Ele drogou Marco (que terminou com Raíza no final) para que ele revelasse seus sentimentos verdadeiros pela garota, sabendo que ao passar o efeito, Marco humilharia a vidente.

• 2.
Cipriano obrigava Ari (namorada de Dcr, hoje chamado de Nilo na série Anti-Herói) a compactuar com ele. Quando ela se tornou uma ameaça, incitou Josué a matá-la. E ele o fez.

• 3.
Raptou uma das amigas de Raíza e fez com que ela e seus amigos fossem para bem longe resgatá-la. O Intuito? Mesmo que Raíza previsse a morte de seu pai, ela não teria tempo de salvá-lo. O pai dela foi assassinado.

• 4.
Enganou Dcr, dizendo que ia ajudá-lo a desmascarar Marco, por meio de uma poção da invisibilidade. Era fajuto. Dcr foi pego, fugiu e sofreu um grave acidente.

• 5.
Quando se tornou governador, implantou a pena de morte no cadafalso, mandou Rafaela matar João Batista, primo de Raíza, quase assassinou Lila Machado e, por fim, usou Dcr para matar seu comparsa e acusá-lo pelo crime.

CARLOS LIRA:
Genteeee até faltou o ar aqui... Que fim teve Cipriano?

CRISTINA RAVELA:
Morreu na igreja, sobre o fogo santo kkkkkkkk

CARLOS LIRA:
Kkkkkk Pensei por um segundo que Cipriano ainda se sairia bem no final... Aquela pontinha de maldade se dar bem kkk. Qual o Fim de Raíza na história?

CRISTINA RAVELA: Raíza e Dcr foram condecorados pelo presidente por terem salvado os fiéis da igreja de uma catástrofe. Ela e Marco viajaram para fora do país. Mas antes, ela previu o futuro de Dcr, só não explicou o que seria kkkk.

CARLOS LIRA:
Genteeee, então é maldade com os leitores. Mas, o que Raiza poderia ter previsto nesse futuro do Dcr? (Curioso nadinha kkkk)

CRISTINA RAVELA:
Raíza apenas disse para ele que os fãs de anti-heróis também são fãs de vilões, e que ele era um justiceiro. A previsão é de que ele encontraria um fã, mas que se tornaria um vilão. Um prenúncio de que ele faria algo terrível, mas não podia esquecer de que ele é um justiceiro, não vilão.

CARLOS LIRA:
Que personagens em quérida! Agora vem cá... Com tantos persongens bem resolvidos e bem marcantes. Conta pra gente qual personagem secundário te roubava o coração ao escrever as cenas dele em Raíza.

CRISTINA RAVELA:
Po, bicho, em que sentido? Porque eu me apaixonei pelo João Batista (Caio Blat), e matei na última temporada. Deu dó, de verdade. Mas eu amava escrever mesmo era o Marco (Pierre Kiwitt), mooooito sarcástico, e Josué (Caco Ciocler), o sociopata que me fazia rir. Matei o Josué, mas matei bonito.

CARLOS LIRA:
Três personagens linda?! Kkk. Como é final de temporada, até que to aceitando. Vou até pedir pra falar um pouco sobre eles...

CRISTINA RAVELA: kkkk fofo esse apresentador, né gente? João Batista era primo de Raíza, invejoso, armou contra ela e isso colaborou para a morte de Ari, por quem ele era apaixonado. Implicava com Dcr, mas fizeram as pazes, até um salvou a vida do outro. Comovente. Marco era o irmão de Cael, namorado de Raíza. Um tipo vilão, tinha pendências com ele e armou todas. Mas se apaixonou por Raíza, mudou, mostrou que era, lá no fundo, uma boa pessoa. Matou Josué no final e foi salvo da morte no último minuto. Josué, uma figuraça. Tio de Raíza, pai de João. Fingia que era santo, mas tinha ódio dela e do irmão Bruno. Matou Ari, Bruno, uma porção de gente. Depois que saiu do hospital psiquiátrico, virou pastor. Matou o pastor que o ajudou, ameaçou todos na igreja obrigando o povo de Deus a tomar o chá da salvação (veneno). Surtou o vilão. Cristina perdeu pai, primo, tio e amiga do colegial, já que Rafaela, a assassina de João, era sua amiga.

CARLOS LIRA:
Querida o negócio era babado, confusão e muita morte kkkkk Por se tratar de um clássico, de uma trama bastante conhecida no MV, sem contar na incrível história que era apresentada, de certeza temos mais que uma cena memorável. Mas... Como nem tudo que reluz é ouro kkk Aos olhos do criador, qual cena da “criatura” nunca será esquecida?

CRISTINA RAVELA:
A morte de Cipriano. Na verdade, toda a cena na igreja, os embates, a morte de Josué, a luta para os heróis saírem vivos antes de tudo despencar.

CARLOS LIRA:
Se é inesquecível pra Bisa, lógico que não vamos ficar sem rever... Se segurem aí e curtam essa cena inesquecível para a Dino, digo, Cris.

~Espaço cena especial~

CENA 29 IGREJA EVANGÉLICA MÃO DIVINA [EXT. / NOITE]

Sinais de fumaça saindo da igreja. Povo assustado. Roger filmando tudo. Lila junta as mãos próximas a boca em sinal de oração. A polícia já se prepara para invadir .

CENA 30 IGREJA EVANGÉLICA MÃO DIVINA [INT. / NOITE]

Em Dcr e Cipriano.

CIPRIANO:
Eu não tinha nada contra você, garoto, até você se meter a justiceiro. Percebe que você comprou uma briga que não era sua?

DCR:
A Raíza é minha amiga, mas se isso não é o bastante pra você, posso lembrá-lo que você tem culpa em metade de tudo que já aconteceu. Inclusive, na morte da minha tia e a do João. Ainda acha que esta briga também não é minha?

CIPRIANO:
Contribui para tirar da sua vida um pesadelo e o seu rival. Engraçado que você perdoou Marco, aquele que quase te matou; perdoou Rafaela, a sua amiga traidora, e perdoou Josué, o assassino de sua esposa. Mas sou eu o grande pecador da história! Se eu morrer viro santo?

Dcr agarra-o pelo colarinho.

DCR:
Você é a raiz de todo esse mal! Com a sua morte, a humanidade estará a salvo.

CIPRIANO:
A humanidade nunca estará a salvo, porque o mal sempre acaba prevalecendo. SEMPRE!

E empurra Dcr de contra a marquise e medem força novamente. Cipriano segura seu pulso, no qual Dcr mantém a arma.

CAM SUBJETIVA no primeiro andar, onde as chamas já tomam conta de boa parte. Raíza segura na mão de Marco e tenta alcançar o braço de Sam, sem sucesso.

VOLTA EM DCR que acaba deixando a arma escapar. Sem fraquejar, ele empurra o vilão e ambos rolam pela marquise, mas esta começa a inclinar. Dcr tem uma vantagem e, mesmo de costas ao léu, empurra Cipriano de contra a parede. O vilão lhe acerta um SOCO. Acerta mais um. E quando o empurra violentamente, Dcr segura-o pelo sobretudo.

[efeito câmera lenta]

Dcr se agacha, e Cipriano voa em direção às chamas. Gritos dele. Dcr se desequilibra, parte da marquise despenca e o garoto fica dependurado. Cipriano CAI de costas sobre o candelabro.

[fim do efeito câmera lenta]

Ainda de olhos abertos, o vilão, através das chamas, olha para RAÍZA, do outro lado

E morre.

CARLOS LIRA: Agora sabemos o porquê foi inesquecível, que cena em Bisa. Que cena! [...] A revirada foi bem feita em colega?! E é por essas e outras que Raíza nunca será esquecida. Vejam só isso caros colegas... Bom Bisa... Assim encerramos o Revirando e já vamos embarcando num quadro que segue a mesma linha de Raíza... Um quadro cheio de confusão, babados e gritaria kkkkk Vamos quebrar a internet querida e parar os grupos nos comentários?!

CRISTINA RAVELA:
Sou disso, não. #PAS [...]. Mentira, boraaaaaa!

CARLOS LIRA:
Kkkkkkkkkkkkkkk Correndooo querida

 
     

 

     
 

 
 
     
 

CARLOS LIRA: Então é isso meu amor, é justamente no NÃO SOU OBRIGADO A NADA que paramos. É aqui mesmo que vamos estremecer os grupos desse MV (Pelo menos é a intenção do quadro, né quéridosss kkkk). E como não podíamos deixar de encerrar a temporada daquele jeito, o Não sou Obrigado não quer ficar pra trás. E pra começar o esquenta, Cristina sua linda, começamos diferente e começamos na polêmica. Dentro da WebTV, você prefere O Gabo ou o Rafael?! E no estilo prova do ensino fundamental, JUSTIFIQUE SUA RESPOSTA kkkkk

CRISTINA RAVELA:
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Pagando eu falo bem dos dois. Mentira kkkkkkkkkkkk Prefiro ambos colados, porque o Gabo me apresentou ao MV; Rafael foi meu parceiro no longa A Visitante, ajudou na Webtv e fez a abertura de Anti-Herói. Escolher um só é difícil. Corta.

CARLOS LIRA:
Não faz a sonsa querida! Solta logo o que tá preso aí entre os dentinhos kkkk. Brincadeira! Kkk

CRISTINA RAVELA:
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Esse Lira...Quer sangue mesmo.

CARLOS LIRA:
Mas, como a gente não quer parar com as polêmicas... MegaPro ou WebTV?

CRISTINA RAVELA:
Po, cara, que difícil...kkkkkkkkkkkkkkkkkk WebTV, claro, amo, minha casa, minha vida.

CARLOS LIRA:
Kkkkkkkkkkkkk Elogiar a casa né amiga?! Só assim garantimos a renovação de contrato. Por isso “amooo” a WebTV... S2 (relembrar o Orkut) kkkk

CRISTINA RAVELA:
Contrato eterno, irmão.

CARLOS LIRA:
E se você acha mesmo que paramos com as intenções de barra**, anda bem enganada. Segura que é tiro... Naoooo pera, antes da bomba, vem uma faísca... O que o BDZ tem que o Luiz Sherazade não tem?

CRISTINA RAVELA:
MEODEOS! BDZ tem eu. Luíz Sherazade tem ele. E o MV tem ambos hehehe.

CARLOS LIRA:
Kkkkkkkk Tá tão pacífica! Graças a Deus que te conhecemos querida kkkk aí... aí... Ok! Ok! Ok! Corta pra gente então que chegou a bomba... Pode ser que seja só um “tiro” mas pra outros é uma granada! Cris vs Lucas Luciano e Pedro Gaze... É explosão bb?

CRISTINA RAVELA:
Meu querido, quem nasceu pra dinamite, não se espanta com bombinha de festa junina. Mas sou da paz, tranquilona aqui ouvindo meus rocks.

CARLOS LIRA:
Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Eitaaaaaaaaa.... Mdsssssss... Socorrooo!!! Prometo que parei! kkkkk

CRISTINA RAVELA: Kkkkkkkkkkkkk

CARLOS LIRA:
Gostou desse esquenta MV?! Então se liga que agora vem a explosão por completo. Crisss, você já é de casa e já sabe como funciona o Não sou obrigado. O espaço e todo seu amorrrr... Solte os cachorros!!!

CRISTINA RAVELA: Olha, o que tenho a dizer é o seguinte: gente sem noção merece ban mesmo. Fim. Mentira kkkkkkk. O MV sempre teve treta, mas a verdade é que as pessoas têm passado dos limites. Chega um ponto em que o ambiente fica tóxico. Micão tour tem limites, ingresso esgotado. Maturidade pede licença. Tem grupo que se você der um espirro, tá fora.

Eu não vejo problema em conversar com a pessoa no inbox e decidir se seguimos o baile ou não. Agora, se a pessoa não gosta do que eu faço, não tem obrigação alguma de permanecer no mesmo grupo que eu. Ou se comporta ou sai. Não adianta despejar as tais opiniões sinceras, e não ser honesto consigo. É contraditório. Pessoas que gostam de insultar os outros só querem descontrolar o seu alvo para que ele chegue no mesmo nível deles. E garanto que não é um nível alto. É possível conviver em harmonia, mas essa paz tem a ver com saber dialogar e debater, e não com um ambiente monótono, onde todo mundo curte tudo com aquela ideia de motivação, mas pelas costas debocha. É incentivo ou falsidade? Podem me chamar do que for, arrogante, prepotente, sonsa, falsa, hipócrita, petista, esquerdista, paraquedista, fisioculturista. Mas falsa e hipócrita, até onde sei, não sou. Tem gente aí que diz odiar fake, mas já teve não sei quantos. Reflita.

E sobre quem tem medo de crítica, é simples: se mata. Crítica a gente recebe sempre, e se não for aqui, será do seu chefe, do seu amante, da sua mãe. O medo do aprendizado reduz qualquer obra, e limita o ser humano, que prefere ficar preso a elogios fáceis: lacrou! Pisa menos! Nada contra quem faz isso, tenho até amigos que dizem, mas se você se contenta com isso, nunca aceitará uma abordagem mais forte. Não sou diplomada no assunto não, mas o que sei, repasso. Se eu errar, corrijam-me. Se você errar e eu perceber, irei falar. Mas também posso fingir que não vi, elogiar até as tampas e rir depois do seu trabalho. Mas posso ficar mal depois, porque não é do meu feitio isso. Agora chega. Quem tiver algum problema comigo, vai fazer terapia que passa. Obrigada.

CARLOS LIRA: Eu to no chão! Igual a Claudia Leite! No C H Ã O... Minha querida, eu não tenho nem o que acrescentar. O que você falou, foi um mixer de alguns desabafos já vistos por aqui no Papo, uma realidade que infelizmente vivemos. Arrasou mais uma vez, merece todos os aplausos! Mas como nem tudo é climão... Vem comigo que a próxima parada e trabalhada na fofura.

CRISTINA RAVELA: Sou uma pessoa fofíssima, hehehe.

 
     

 

     
   

 

     
 

CARLOS LIRA: Pra encerrar a temporada, capricha querida porque o MV merece sentir esse amor de século! O espaço é todo o seu, no quadro ESSA É PRA VOCÊ! A final, pra quem irá as dedicatórias desse ícone do MV?!

CRISTINA RAVELA:
Eu não gosto de ninguém. Não, pera kkkkkkk Quero mandar um abraço pra todos aqueles que realmente mantêm o MV vivo, sem briguinhas idiotas, que compreendem uma crítica (ou pelo menos se esforçam) e tornam o ambiente leve. Àqueles que me ajudaram em algum momento, confiando em meu trabalho, escrevendo para o blog na minha ausência (embora não nos falamos mais, enfim), ou mesmo contribuindo para as minhas obras, o meu muito obrigada. Agradecimentos especiais a Gabo Olsen e a Diogo de Castro, dois mitos do MV. MV sem eles, é MV morto.

CARLOS LIRA: Show!!! Taí uma prova de que a dinossaura tem coração sim kkkk Brincadeira! Muito bem Cris! Fechou, fechando!

CRISTINA RAVELA:
Povo acha que sou fria. Sou nada. Só finjo. Uma atriz dessa, bicho.

CARLOS LIRA:
Kkkkk pois é... Globo “ mia fia “ tá perdendo, em?!

 
     

 

     
   

 

     
 

CARLOS LIRA: E após esse momento fofura, estamos chegando ao fim da nossa entrevista, da nossa temporada... Mas claro, não podemos encerrar sem ele... O ANTES DO FIM! Queremos exclusiva, queremos saber mais do que já vimos hoje! Então Crisss, o que podemos aguardar de novidades dessa mente maléfica?!

CRISTINA RAVELA:
Pretendo me aposentar (gritos de alívio e tristeza se espalham pelo cenário). Não, tenho uma sinopse e parte de um episódio escrito. Quero lançar uma minissérie em 2018, algo que envolva humor ácido, não sei se me darei bem nesse gênero. É algo que está guardado há 5 anos.

CARLOS LIRA:
Temos nome, ou algo provisório?

CRISTINA RAVELA:
Não, o título tá difícil sair, mas tenho a trama esquematizada. Uma minissérie curta, 10 episódios talvez. Protagonista masculino, cheio de problemas, até que algo fantástico joga-o pro alto. Tem muito a ver com o MV. Aliás, Anti-Herói também kkkkkkkkkk

CARLOS LIRA:
Kkkkkkkkkk Mais um sucesso em Criss... Merece todos!

CRISTINA RAVELA:
Se Deus quiser! Se bem que Deus não tá nem aí, mas vamos ter fé.

CARLOS LIRA:
O que Criss fala pra quem tá pensando em escrever, pra quem quer começar a postar nesse mundo virtual?

CRISTINA RAVELA:
Escreva por amor, por prazer, e não pra obter likes. Faça um bom trabalho, mesmo que seja só pra você dizer: "que lacre de obra!, Eu fiz isso mesmo?". Não se abale com críticas. Algumas estão aí pra te impulsionar; outras, pra te derrubar, principalmente os que elogiam muito... E quando te atacarem, lembre-se que quem insulta, não tá nada bem. Ore por ele.

CARLOS LIRA:
Sobre os críticos virtuais, qual sua opinião?

CRISTINA RAVELA:
Amo os críticos. Já tive a oportunidade de ser criticada. Ter alguém com outra visão de sua obra, que consegue esmiuçar e encontrar um erro que você levou 1 ano revisando e não achou, é terrível, mas serve como aprendizado. É importante ouvir os críticos, no sentido de prestar atenção, absorver e colher o que for melhor e útil.

CARLOS LIRA:
Acha importante essas premiações q acontecem no MV?

CRISTINA RAVELA:
Estranho se eu disser que não, afinal, tive a ideia do TIBDZ. Claro que tivemos outras, antigas e ótimas, mas que não vingaram, mas toda premiação é ótima. Ajuda a reconhecer um trabalho, mesmo que não leve o prêmio. Passar pelo tapete vermelho não tem preço kkkkkkkkkk

CARLOS LIRA:
Algo que queira acrescentar que faltou a gente comentar?

CRISTINA RAVELA:
Não, você falou tudo, honrou o teu salário, mostrou que é um maravilhoso e perigoso entrevistador kkkkkkkkkkk Tá de parabéns!

CARLOS LIRA:
Bisaaa... Chegamos ao fim! Agradeço real oficial sua participação aqui no encerramento do Papo. Muito obrigado, I love you S2.

CRISTINA RAVELA: Bom, estamos aqui para escrever, falar das obras, ironizar sim, mas com respeito (eu já fui ironizada, e nem morri) e buscar entretenimento. Pra quê disputa de egos? Pra quê o desejo de ficar no topo o tempo todo? Vamos focar em nosso trabalho, vamos escrever, divulgar, conversar. Achou ruim alguma coisa, vem falar comigo. Não quer falar? Então fica na tua, oportunidade taí. É Deus no céu e o povo lascado aqui na terra. Vida que segue. Beijos, Lira, amei isso tudo. Final de temporada, arrasou, acompanhei tudo. Troféu pra você ano que vem, vou torcer. Povão, amo vocês.

CARLOS LIRA:
Então é isso meu povo, chegamos ao fim da nossa primeira temporada do papo, foram 10 entrevistas, 10 entrevistados, o ÉDY DUTRA; GILBERTO NASCIMENTO; WESLEY ALCÂNTARA; WALTER HUGO; JOÃO SANE MALAGUTTI; GÉRSON ANDRADE; RODRIGO FERREIRA; JOÃO CARVALHO E CRISTINA RAVELA minha admiração e agradecimento pelo apoio, pelo tempo e por serem quem são, vocês são talentosíssimos e além de darem a cara ao Papo, foram fundamentais pro programa. Espero contar com vocês ano que vem, no retorno do progrma, pois sim, SIM, teremos Papo com o Autor 2, o retorno. Muito obrigado pessoal... O “pograma” acaba aqui, mas por Inês Brasil, Cloe, Neyde e todos os memes da internet, espero que curtam, comentem, metam crítica, mas pelo amor de Deus falem do programa... (Risos) Valeu...

 
     

 

     

apresentação
Carlos Lira

convidado
Cristina Ravela

música
J Balvin, Willy William - Mi Gente

produção
Bruno Olsen
Cristina Ravela

entretenimento

contatoredewtv@gmail.com


REALIZAÇÃO


Copyright
© 2017 - WebTV
www.redewtv.com
Todos os direitos reservados
Proibida a cópia ou a reprodução

.aaa.
.aaa.

Compartilhar:

 
Copyright © WebTV | Design by OddThemes