Boletim Virtual - Edição 68


https://2.bp.blogspot.com/-BOpvP5FClHM/WSdQ_j5PmfI/AAAAAAAAAyE/vfUlZycz0FE0Ge44Cp_4cWBKKwrm5N9fwCLcB/s1600/Boletim%2BVirtual.jpg
 

BOLETIM VIRTUAL - EDIÇÃO 68
(DOMINGO, 08 DE OUTUBRO DE 2017)

 
 
 

"Se queres ser feliz amanhã, tenta hoje mesmo". (Liang Tzu)

 
     

NA EDIÇÃO DE HOJE DO BOLETIM VIRTUAL:

     
 

- Boletim Virtual, o jornal mais antigo de uma emissora virtual completa 5 anos de história
- Tiná fala sobre gerundismo no Lendo.com
- A Reportagem da Semana fala sobre as novas atrações da WebTV: Garotas do Rio e Anti-Herói
- Léo Lima é o entrevistado da semana no Diário do Autor
- E ainda: as principais notícias no Giro Virtual com Cristina Ravela

Fique na poltrona e desça a rolagem.

 
 

BOLETIM VIRTUAL COMPLETA 5 ANOS DE INFORMAÇÃO E ENTRETENIMENTO

     
 

GABO: Foi com essa identidade que o Boletim Virtual nasceu no dia 9 de setembro de 2012. O jornal sempre prezou pela credibilidade na informação. Ao longo das 68 edições, diversos quadros fizeram do espetáculo Boletim Virtual motivos de aplausos. Completando 5 anos de história a equipe de jornalismo da WebTV deseja vida longa a esse audacioso projeto.

CRISTINA RAVELA: Boletim Virtual é aquele jornalismo prático e rápido que a gente ama acompanhar. Comemorar 5 anos não é pra qualquer um não. Quem tá aqui há mais tempo já viu muita promessa, muito projeto cancelado por qualquer motivo, muita decepção, mas Gabo pode frear bruscamente, mas não bate; BV mantém-se firme. Parabéns pelos seus 5 anos!

CARLOS LIRA: 5 anos de história, 5 anos de muita informação pra nós meros leitores. O BV trás uma carga de grandes notícias em toda sua jornada, importantes entrevistas e muito entretenimento com informações. É uma janela nesse meio que informa os leitores do que acontece no MV e muita das vezes passa por despercebido (bem eu), onde com o Giro Virtual resume-se todos os bafafás. Adoro as entrevistas com os autores, o que motivou bastante a criação do Papo. São 5 anos de muita competência por parte dos que fazem e já passaram pelo BV. Parabéns a WebTV e que venha mais comemorações. Sucesso!

DIEGO ANDRADE: Já há muitos anos estou fora do mundo das séries virtuais e não acompanho com tanta frequência o que vem acontecendo. A vida vai mudando e novos horizontes vão surgindo, então é fácil deixar algumas coisas para trás. As vezes gostaria de voltar no tempo. Por isso, enalteço estes 5 anos do Boletim Virtual e o trabalho da WebTV para não deixar isso acabar, sempre com conteúdo interessante e atualizado. Que venham mais vários anos...

JOÃO CARVALHO NETTO: O Boletim Virtual é um programa que me agrada muito. Eu acredito que o incentivo dele coloca as novelas em um patamar mais alto. É de grande valia as informações lá introduzidas. Bom, o entretenimento da WebTV é bem consolidado e eu adoro coisas assim. Que o Boletim dure muitos e muitos anos, pois graças a ele temos um entretenimento de qualidade.

RAMON FERNANDES: O Boletim Virtual não serve apenas como canal de informação e entretenimento, ele serve quase como utilidade pública. Papel importante da nossa web, nos diverte a cada edição. Qualidade como a WebTV sempre trabalha para levar sempre o melhor para seu leitor. Vida longa a esse que é um dos melhores canais de comunicação do nosso mundo virtual.

VITOR ABOU: O Boletim Virtual já é uma marca do nosso mundo virtual. Desde sempre o programa buscou informar os leitores, trazendo também bastante diversão e entretenimento. Vida longa a esse meio incrível de unir os autores e leitores.

ÉDY DUTRA: Eu tenho uma paixão profunda pelo Boletim Virtual. Meu xodó! Gosto das notícias, das reportagens... Eu gosto da proposta que ele traz. Já foram tantas entrevistas para esse programa multipremiado! Eu só desejo muitos e muitos anos de sucesso! E reforço aqui que estou SEMPRE disponível para atender à equipe do BV. Meu fraterno abraço a todos! E parabéns também à WebTV pela competência em manter uma atração com tamanha credibilidade como esta. Sucesso sempre!!

DIOGO DE CASTRO: Boletim Virtual é sinônimo de sucesso! A maior referência no ramo das notícias, junto com o Blog da Zih, não tem como negar. Que o programa dure por muitos e muitos anos, porque em time que está ganhando não se mexe. Meus parabéns a todos os envolvidos nesse projeto ímpar, que continuem somando para a propagação do mundo virtual com a devida qualidade.

 
     

 

     

REPORTAGEM DA SEMANA: ANTI-HERÓI E GAROTAS DO RIO – DUAS TRAMAS E UM ÚNICO DILEMA: NOSSA POSIÇÃO A DETERMINADOS ACONTECIMENTOS! por CARLOS LIRA

     
 

CARLOS LIRA: Duas das apostas da WEBTV trazem como foco trio de protagonistas.
 

De um lado o ar tropical do Rio de Janeiro é retratado em Garotas do Rio, uma minissérie de Wesley Alcântara. O próprio autor em entrevista ao Papo Com o Autor relata que as personagens muito se parecem com o próprio, veja o que ele relatou no Papo: “Marcela ama ser professora, como eu. Fábia gosta da sua liberdade, de não se amarrar a relacionamento, ela curte os sabores da vida, como eu. Já a Antônia é do tipo impulsiva, seja pra amar ou odiar, eu sou assim, principalmente no ódio.”
 

Já do outro lado, habemus Cristina Ravela com Anti-Herói, spinoff da série Raíza. Na nova série, Cris destacará: Nilo, Lila e Roger. O trio de jornalistas que investigarão um novo acontecimento que anda roubando os noticiários da capital.

Duas tramas com trio de protagonistas, onde histórias e situações a serem enfrentados diferem em ambas as apostas do canal. O leitor é presenteado com tramas que aguçam lados diferentes de assuntos que rodeiam o dia a dia de cada um.

Sobre as histórias: Garotas do Rio apresentará ao leitor uma trama, onde três diferentes mulheres que acabam se conhecendo e firmando amizade após um encontro em um bar do Rio, enfrentam suas vidas profissionais e pessoais, e como as mesmas acabam interferindo na vida uma da outra. O autor promete uma trama solar e totalmente despretensiosa, contendo assuntos diários, mostrando a amizade das protagonistas. Uma história que vale a pena acompanhar.

Enquanto o dilema de Garotas do Rio é voltado para o universo de mulheres com profissões e vidas diferentes, Anti-Herói traz ao publico uma história com dilemas que merecem atenção: Fui Justo, ou não? [...] O Foco da trama é voltado nos jornalistas que investigam o surgimento de uma nova droga que rodeia a capital.

Se não bastasse todo o envolvimento na investigação da droga, um dos protagonistas, “Nilo”, é surpreendido com a visita de Vince Lemos que, desesperado o procura com mais uma situação: sua mulher e filho são assassinados em casa! Além disso, Vince acusa o chefão do tráfico Vinnie Ludwig de ser o responsável pela criação da nova droga que circula na cidade. Pra completar, Vince é flagrado, aparentemente, roubando um laboratório e acaba sendo morto pelo herói.

O dilema de Nilo, então, será voltado para a investigação do que rolou na noite do assassinato, a angústia de ter cometido um crime, e ainda contar com a descrição de Murilo, um jornalista da concorrência.

CRISTINA RAVELA: “Anti-Herói é poética, dramática e intensa, elementos que não podiam faltar a uma trama onde o protagonista vive a angústia de ser ou não ser um herói, eis a questão. O enredo será permeado de poesia, com frases profundas, pegando emprestado o estilo HQ e mergulhando em uma carga negativa, que vai desde um assassinato ao uso abusivo de drogas. Personagens irônicos, sádicos, justos e atrapalhados e uma guerra entre dois jornais. Wow! É Anti-Herói em outubro!”

Então, meu caro leitor, duas tramas interessantes e apresentadas por dois grandes autores do mundo Virtual. Ambas apresentam dilemas distintos, mas que acabam difundindo no nosso dia a dia. Como se comportar diante de tais situações? A quem julgamos? Por que julgamos? Afinal, somos justos em situações como as enfrentadas pelos protagonistas em ambas as tramas? [...] Bem, são assuntos como esse que vocês encontrarão nas histórias que valem mais do que nossa leitura, uma atenção especial. Não perca tempo, e corra logo para ficar por dentro das tramas.

 
     

 

     
   

LENDO.COM: VAMOS FALAR SOBRE GERUNDISMO - por TINÁ

     
 

TINÁ: Olá, galera do mundo virtual! Hoje vou estar falando do ... OPS! O que foi que eu disse? Vou estar falando? Nada disso, será que estou maluquinha? Isso é gerundismo! E é equivocado usar a língua materna dessa maneira. Vou aproveitar meu equívoco para falar, então, do GERUNDISMO!

Vejamos!

Ao conversarmos com atendentes de lojas ou de setores de qualquer empresa, para fazermos alguma solicitação ou reclamação, percebemos frases como essas:

“Senhor, vou estar transferindo sua ligação…”;

“Senhor, vamos estar verificando …”.

Esse é o tão falado gerundismo! Parece que isso virou senso comum, ou como dizem alguns professores eruditos, virou uma “praga”.

O gerundismo seria a proliferação de uso (inadequado) do gerúndio e, por isso, o sufixo ismo de gerundismo é o mesmo que ocorre nos vocábulos consumismo, derrotismo, oportunismo, que veicula a ideia pejorativa de tendência viciosa, mania, mau uso

Trata-se de um fenômeno recente no Brasil, de implicações semânticas e pragmáticas, usadas, na maioria dos casos, quando o falante não quer repassar a ideia de ações simultâneas e quando a duração não é prioridade.

Comecemos pelo significado da palavra “gerúndio”. Se procurarmos as definições nas gramáticas em uso encontraremos, geralmente, a seguinte explicação: “Gerúndio é uma das formas nominais do verbo que apresenta o processo verbal em curso e que desempenha a função de adjetivo ou advérbio”.

O gerúndio expressa uma ação que está em curso ou que ocorre simultaneamente ou, ainda, que remete a uma ideia de progressão. Sua forma nominal é derivada do radical do verbo acrescida da vogal temática e da desinência -ndo.

Exemplos: comendo; partindo....

É correto usar o gerúndio quando se quer expressar uma ideia ou ação que ocorre no momento de outra no futuro. Logo, podemos dizer:

“Amanhã, quando você estiver fazendo a apresentação, eu estarei realizando os meus exames. ”

Para que haja total clareza de empregabilidade desta loção verbal, de uma vez por todas, apresento mais dois exemplos abaixo:

Certo: “Não me ligue nessa hora, porque eu vou estar almoçando. ”

Neste caso indica que uma ação (ligação) acontecerá durante outro processo (o almoço) que terá certa duração e que estará em curso.

Errado: “Um minuto, que eu vou estar verificando seu cadastro. ”

Nesta construção emprega-se erradamente o gerúndio “vou estar verificando” para uma ação que indica um processo que se finaliza imediatamente ao momento da fala. Logo, o correto é: “Um minuto, vou verificar seu cadastro. ”

O gerundismo, portanto, é uma mania que peca pelo excesso, pela inadequação do verbo, que ocorre ao transformarmos, desnecessariamente, um verbo conjugado em um gerúndio. Vamos explicar melhor retornando ao exemplo já citado:

“Vou completar a sua ligação. ”

“Vou estar completando sua ligação.” (Construção errada, gerúndio desnecessário.)

Mas fique atento!

Em algumas construções, quando a frase indica um processo com certa duração que ainda vai acontecer, não é errado dizer:

“Amanhã, enquanto você passeia, eu vou estar estudando o que é gerundismo. E, se deus quiser, aprenderei alguma coisa. ”

Durma-se com um barulho desses, não é galera? Esse português......

Nossa língua é linda, exatamente por que apresenta muitos desafios. E que desafios!

Até a próxima!

 
     

 

     
   

GIRO VIRTUAL: TVN ENCERRA AS ATIVIDADES, COMIC CON FEZ A LADY GAGA, NOVELA ADIADA - por CRISTINA RAVELA

     
  CRISTINA RAVELA: :Oi, meus amigos mais queridos! To de volta pra desgraça total de vocês. Não, mentira, hoje o Giro Virtual estará leve...juro.

Teve estreias da noite pro dia, cancelamentos i-nes-pe-ra-dos, e promessas que não se cumpriram. Bora, povo?

COMIC FEZ A LADY GAGA

Sim, uma das pessoas que habita o grupo BDZ no Facebook soltou essa linda comparação quando foi noticiado que a Comic Con virtual 2017 tinha sido cancelada. O evento, com o prazo de inscrição mais curto que o teu salário, não segurou a marimba e deixou gente com vontade de dar tiro. Felizmente, ninguém morreu por causa disso; seria um crime tolo. Ninguém liga mais. Maroon 5 não pôde substituir. Axl Rose ficou sem voz para dar seguimento. Segue a vida...

Axl Rose também não gostou muito...

TVN DEU ADEUS

A emissora de João Carvalho Neto não estará mais no ar a partir de outubro. O autor declarou que precisa dedicar-se à escrita (e à faculdade) e que Vítor Abou também se dedicará aos estudos, mas sem perder o foco na escrita. Porém, o que algumas pessoas andam se perguntando é, aonde eles publicarão suas obras? Seguirão independentes? O mistério segue.

JP TUSSET EM DOSE DUPLA

Você mal pisca os olhos e duas estreias marcam o mês de setembro. Urban Legend: Blood Mary é a 3ª temporada da série que saiu da UP porque, segundo o autor, ele não aguentava mais os constantes adiamentos.

Aí, numa noite qualquer, chega Fixação, outra série do autor que, segundo ele, seria a surpresa da Comic Con 2017 (seria...sentiu o clima, né?), e que segue independente também. Eis que JP Tusset, muito simpático, mandou uma declaração de amor para Lucas Posey. Segura a imagem:



Fofo, não acham?


NOVELA ADIADA

Falando em adiamento, Gabo Olsen & Diogo de Castro, autores da próxima novela teen da WebTV (Estações da Vida), decidiram adiar a estreia para novembro. Motivo? Gabo teve problemas técnicos e a divulgação ficaria prejudicada. Na verdade, Gabo Olsen excedeu-se na academia, o que deixou o nosso presidente exaaaaausto. Aí sabe como é né, quando a gente fica cansado? ♫ Suas ideias não correspondem aos fatos...♫. As promos já foram apresentadas e aprovadas.

1000 VISUALIZAÇÕES

A série Diários de Katerina Clark, de Davi Pezolito, terminou no último dia 24 de setembro atingindo mais de 1000 visualizações, segundo o próprio autor. Foram 12 episódios para contar a história de Katerina Clark, uma garota popular, má e egoísta, que é assassinada. Só que ela deixa alguns diários que podem elucidar o crime. 1000, brow. A série atingiu 1000 visitas. E você? Já atingiu 1000?

RUÍNAS?

A novela de João Carvalho chegou ao fim, e o que tivemos? Um fim. O autor fez textão agradecendo quem leu e deixando um recado aos haters de plantão que acreditavam que Ruínas seria cancelada como Terra Livre e Perigosa Tentação. Não sabemos quem são esses haters, mas que eles existem, existem.

FALANDO EM CANCEL/ops

Outro que era motivo de desconfiança é o Ramon Fernandes. Sua novela, Maçã do Amor, foi FINALIZADA no último dia 22. Procurado para dar o seu textão emocionado, o autor de 8/10 novelas exibidas e completas ao longo desses anos declarou o seguinte (segura que o texto é grande):














"E pra quem não acreditava, deixo a novela completa falar por mim" (Fernandes, Ramon - 2017)

FESTIVAL MURCHOU?

Em agosto, o MEGApro havia prometido tanta coisa...uma delas era um Festival Join. Porém, cadê? Será que desta vez, quando anunciarem o Festival, a gente terá metade da semana para se inscrever ou apenas 12 horas? Ai, que luxo. Quero.

Ai, gente, é isso. Sei que deve ter muito mais novidade, mas hoje to é muerta. Como diria a minha mãe: "tu mal coloca a cabeça no travesseiro e já tá roncando, fico boba". Que triste, né? Mas é isso, seguimos o fluxo. Bye!

 
     

 

     
 

 

DIÁRIO DO AUTOR: SOU MUITO GRATO E APRENDI MUITA COISA COM ELA E SUA EXPERIÊNCIA ANTERIOR COM EMISSORAS VIRTUAIS, diz LÉO LIMA

     
 

Ele chegou no mundo virtual em 2004. Criou a Rede Sol, emissora que era atualizada através de um blog. No ano seguinte, Léo Lima lançou a rede em um site. Além da experiência com a administração de um site, Léo encarou alguns desafios como escrever e apresentar. Em 2006, após o encerramento da Tv Virtual, a Rede Sol também saiu de cena. Lima deixou o mundo virtual para se dedicar a vida pessoal, mas hoje ele aceitou voltar no tempo aqui no Diário do Autor. Léo Lima, seja bem-vindo.
 


A novela Corpo e Alma foi exibida na Rede Sol
 

LÉO LIMA: Olá, Gabo! Olá a todos os leitores do programa! É um prazer estar de volta em um programa virtual para relatar esta experiência de 13 anos atrás. E devo dizer que foi bem enriquecedora!

GABO: Léo, do que você mais sente falta da época em que participou do mundo virtual?

LÉO LIMA: De todo o agito, da busca por talentos que escrevessem webnovelas, webseries, que ajudasse em banners, coleta de notícias para nossos programas jornalísticos. Na época tudo era muito ainda inicial, utilizávamos programas de edição básicos como Photofiltre, nossos sites eram hospedados na plataforma de blog da UOL e era um desafio programar e estar ali diariamente também lidando com o público, numa resposta direta sobre o nosso trabalho.

GABO: Como você descobriu o mundo virtual?

LÉO LIMA: Então, foi através da Rede Informação sua, Gabo. Na época conheci por meio de uma busca que acabou me direcionando para um programa jornalístico da sua emissora. Era um blog ainda em fase de construção mas já haviam algumas coisas sinalizadas. Procurei então saber mais do funcionamento disso e, como sempre fui apaixonado pela televisão e o fluxo televisivo, me interessei nessa forma de difusão de materiais. Na época ainda pela conexão discada, nossa única opção eram textos e imagens comprimidas ao máximo para podermos contar histórias e levar informação mesmo a quem visitasse nosso site e interessasse nos conteúdos disponibilizados. Nessa época conheci muita gente legal como você, a Renata Lopes, o Guilherme Guidorizzi, a Francyslaine Vicentini, entre outras pessoas que fizeram parte da Rede Sol.

GABO: Assim como a Rede Informação, a Rede Sol passou pela plataforma do blog. Por esse motivo, as emissoras foram alvos de críticas. Como você encarava essa resposta negativa?

LÉO LIMA: Era natural, pois não era a plataforma mais indicada para uma emissora. A organização até para a gente que administrava se transformava confusa e difícil. Mas isso me deu um grande pontapé para me aperfeiçoar e buscar outras alternativas. Conseguimos na época fazer um site ainda primitivo, usando o VilaBOL, redirecionamento do CJB.NET e páginas em HTML desenvolvidas no FrontPage. Foi a primeira evolução da Rede Sol nesse sentido e, com isso, tivemos uma resposta positiva tanto na questão estética quanto organização e formatação de textos. Até porque uma indentação e fontes mais indicadas, ajudam a fluidez para ler os materiais que postávamos diariamente.

GABO: Como funcionava o processo de seleção de obras para exibição? Qual obra você considera que marcou a Rede Sol?

LÉO LIMA: A gente procurava sempre quem estava produzindo, principalmente em fóruns de discussão de novelas. Também havia uma parte de formulário de contato onde os visitantes que escreviam também nos enviavam sinopses. É difícil nomear, mas uma que lembro que era bastante acessada era Marcados pelo destino. Eu também me aventurei a escrever tramas, mas não com tanto êxito.

GABO: No ato da escrita, quais eram as suas fontes de inspiração para produzir suas obras?

LÉO LIMA: Para escrever, acho que todos bebiam muito da água das telenovelas mexicanas, montávamos muitos elencos inspirados nelas e também nas novelas da Globo aqui do Brasil. Procurávamos reproduzir os roteiros como são das próprias produções televisivas. Lágrimas de amor, uma das minhas webnovelas era livremente inspirada nas histórias de Inés Rodena e se passava em Belém, inclusive incluíamos músicas na trilha sonora. Nesta ocasião o que embalava era o Calypso que vivia seu auge entre 2004 a 2006.

GABO: Além de escrever, você participou do jornalismo e entretenimento. Você gostou do resultado?

LÉO LIMA: Era bem legal, havia toda uma colaboração inclusive entre as redes Sol e Informação. Não me recordo agora os nomes dos programas, mas era bem legal porque fazendo essa busca diária por notícias, acabava me mantendo informado fora que era sempre um desafio encadear as informações para realizar algo coeso.

GABO: Durante sua passagem você teve o auxílio de Renata Lopes na Rede Sol. Como foi essa parceria?

LÉO LIMA: Sim, ela foi peça-chave na parte do design. Sou muito grato e aprendi muita coisa com ela e sua experiência anterior com emissoras virtuais. Ela fazia os banners, cedeu algumas de suas séries para exibição e me deu suporte na época da transição de blog para site. Buscávamos sempre levar qualidade para os leitores.

GABO: Como funcionava o seu relacionamento com os autores da Rede Sol?

LÉO LIMA: Conversávamos sempre via MSN, participava da revisão dos textos e ajustes necessários. Todos eram bem próximos, formávamos uma equipe mesmo com objetivos a seguir. Hoje em dia não tenho contato com mais ninguém, mas acredito que muitos tenham seguido a carreira da comunicação.

GABO: Das obras já publicadas, qual é a sua preferida? Você pretende voltar a escrita algum dia?

LÉO LIMA: Acredito que Lágrimas de amor mesmo. Por enquanto não estou tendo tempo por conta de faculdade, pesquisas de Iniciação Científica e trabalho, mas pretendo algum dia voltar a escrever roteiros e também isto possa ser algo mais profissional posteriormente.

GABO: Atualmente você não participa do mundo virtual, mas tem o conhecimento que ele ainda sobrevive. O que você pode dizer para os autores da atualidade?

LÉO LIMA:
Sim, vejo pelo site da WebTV que houve muita profissionalização, hoje está tudo bem mais elaborado. Aos autores, sigam escrevendo para o mundo virtual que, quem sabe possa se tornar algo real. Aos que já tem obras completas, registrem elas na Biblioteca Nacional para garantir seus direitos de autor e sejam felizes e livres para criar. A internet é um espaço que deve ser democrático, então aproveitem para colocar suas ideias e suas histórias para tocar a mente e o coração de alguém. Desejo sucesso a nova geração e que, caso precisem de algo, contem comigo!

GABO: O que motivou o desligamento da Rede Sol?

LÉO LIMA: O trabalho diário demandava muito tempo e num tempo de internet discada onde se ocupava o telefone para ficar conectado isto acabava sendo um empecilho, também me preparava para o ensino médio e estudava mais turnos. Acabei tendo de abandonar e me dedicar a vida pessoal. Contudo valorizo muito o aprendizado tanto de informática e internet quanto de textos, administração e relacionamentos pessoais e profissionais que levei da Rede Sol. Foi muito positivo ter escrito esta página na minha vida.

GABO: Quem é Léo Lima fora do mundo virtual?

LÉO LIMA: Então Gabo, atualmente tenho 24 anos, curso Jornalismo na Faculdade de Comunicação da Universidade Federal de Juiz de Fora. Tenho uma empresa de comunicação chamada Auê Comunicação com serviços de marketing digital, produtos gráficos, assessoria, gestão de músicas em plataformas digitais, entre outros. Também sou pesquisador IC do CNPq, estudando social TV, cultura de fãs e qualidade nas telenovelas e seriados brasileiros. Atuo também como editor dos projetos educacionais Observatório da Qualidade no Audiovisual e Mediabox e da plataforma de jornalismo hipermídia Estúdio FACOM. Continuo apaixonado por televisão e audiovisual, e colecionador de livros, vinis, CDs e DVDs.

GABO: Chegou a hora do bate-bola, jogo rápido. Preparado?

LÉO LIMA: Sim claro! Manda ai.

BATE-BOLA:

MUNDO VIRTUAL: Início
ESCREVER:
Aprendizado contínuo
LER:
Paixão
REDE SOL:
Orgulho
REDE INFORMAÇÃO:
Inspiração
VILABOL: Primeiro contato com sites
RENATA LOPES:
Ótima designer e autora
FRANCYSLAINE VICENTINI:
Proporcionou a Rede Sol lindas histórias
GUILHERME GUIDORIZZI: Ótimo autor
BRUNO OLSEN:
Amigo
FRASE:
"Só é visto quem aparece."
LÉO POR LÉO:
Sonhador

GABO: Léo, deixe uma mensagem para o público:

LÉO LIMA: Então, para todos os leitores do programa desejo sucesso nas carreiras e para quem deseja entrar no mundo virtual, aventure-se e seja feliz! Obrigado Gabo pela oportunidade, obrigado a todos os leitores pela atenção!

GABO: Léo, obrigado pela participação aqui no Diário do Autor. O Boletim Virtual fica por aqui, mas antes eu tenho um recado: Hoje é aniversário da Cristina Ravela, a nossa querida Zih. Parabéns, felicidades e sucesso a partir do dia 20 com a estreia da série Anti-Herói. Boa noite, galera. 

 
     

 

     

editor-chefe
Gabo

jornalismo
contatoredewtv@gmail.com


REALIZAÇÃO


Copyright
© 2017 - WebTV
www.redewtv.com
Todos os direitos reservados
Proibida a cópia ou a reprodução
.aaa.
.aaa.

Compartilhar:

 
Copyright © WebTV | Design by OddThemes