Escolhas da Vida - Capítulo 19


https://4.bp.blogspot.com/-nv9SEGSt7C0/WOCMwRz-IHI/AAAAAAAAASM/NzlheSrowY876oC_dsd11CYzyElJVU8lQCLcB/s1600/escolhasdavida.jpg

CAPÍTULO 19
 
     
     
     
     
 
 
     
 

CENA 01. APTO FERNANDA E PAULA. QUARTO. INT. NOITE.

Continuação do capítulo anterior. Carla encontra os documentos que procurava.

CARLA: - Diogo... Filho da mãe! Doando material para essa vadia! (lê, atenta) Isso aqui é tudo o que eu precisava. (para si) Diogo, Diogo... Você vai voltar para mim!

PAULA (V.O.): - Charlote?

Paula se surpreende com a voz de Paula. Ela dobra os papéis, coloca dentro da calça, joga a pasta de Fernanda dentro do armário saindo do quarto em seguida.

CORTA:

CENA 02. SALA. INT. NOITE.

Carla vem do corredor, encontra Paula.

CARLA: - Fui ao banheiro, lavei o rosto.

PAULA: - O remédio este aqui, não é? (entrega para Carla)

CARLA: - Este mesmo. Obrigada, Paula.

PAULA: - Eu fiquei receosa de trazer. Porque na receita não está escrito o seu nome. Está o nome de Milton...

CARLA (disfarça): - Milton é meu pai! Nem eu percebi que o médico colocou o nome dele na receita ao invés do meu. Meu pai me acompanha nesses exames periódicos.

PAULA: - Por sorte o farmacêutico disse que eu poderia levar igual. Bem, toma um comprimido aí, vê se passa esse mal estar. Aí a gente janta depois.

CARLA: - Sabe o que é, Paula, eu acho melhor ir para a minha casa.

PAULA: - Mas Charlote, você/

CARLA: - Eu gostei muito e sou eternamente grata por tudo o que você me fez, mas eu não me sinto confortável assim... Sabe aquela vontade de querer estar no seu cantinho, quietinha? Eu preciso disso agora.

PAULA: - Sei bem como é. Uma pena. A Nanda, minha namorada, deve estar chegando logo mais. Ela foi num happy hour com o pessoal do trabalho. Ela estava de licença. Retornou hoje.

CARLA: - Licença é? Alguma doença?

PAULA: - Não, longe disso. A gente está esperando um filho. A Nanda está grávida.

CARLA (fingida): - Que coisa boa! (abraça Paula) Que essa criança venha abençoar a vida de vocês. (se afasta) Com muito amor e felicidade!

PAULA: - Obrigada! Se Deus quiser, vai ser assim!

CARLA: - Bem, eu vou indo nessa. Muito obrigado, Paula, pela acolhida. E um beijo na Nanda.

Paula acompanha Carla até a porta do apto. Se despedem com um abraço. Paula fecha a porta, pensativa.

CENA 03. LIVRARIA. INT. NOITE.

Diogo e Fernanda observam alguns livros, quando Tereza se aproxima.

TEREZA: - Agora sim, posso dar mais atenção para vocês!

FERNANDA: - Não precisa se preocupar, Tereza. Hoje é a sua noite.

TEREZA: - Fico muito feliz de vê-los aqui.

DIOGO: - E o papai?

TEREZA: - Já devia ter chegado. Ele disse que atrasaria e não ia conseguir pegar a sessão de autógrafos.

FERNANDA: - Era muita gente!

DIOGO: - A escritora mais aclamada do Rio!

Cristóvão se aproxima, com um buquê de rosas vermelhas.

CRISTÓVÃO: - Para a mulher mais fascinante do universo. Todo sucesso do mundo para você, meu amor!

Tereza encantada, beija Cristóvão.

FERNANDA (cochicha com Diogo): - Rosas vermelhas... Você e seu pai são sócios na mesma floricultura? (risos)

DIOGO: - Sabemos como conquistar uma mulher especial.

Diogo e Fernanda trocam olhares.

TEREZA: - Querido, essa aqui é a Fernanda, amiga do Diogo.

CRISTÓVÃO: - Muito prazer, Fernanda.

FERNANDA (simpática): - Igualmente!

DIOGO: - E então, qual a programação?

CRISTÓVÃO: - Temos reserva num restaurante ótimo, no Leblon. Vamos?

TEREZA: - Vamos! Você vem junto, Fernanda, jantar conosco?

FERNANDA: - Eu adoraria gente, mas eu preciso ir para a casa.

DIOGO: - Mas a gente não demora, Nanda.

FERNANDA: - De verdade... Eu preciso ir.

DIOGO: - Bem, eu te levo então.

FERNANDA: - Não, não precisa. Eu pego um táxi aqui na frente, tudo certo. Você vai comemorar com sua mãe essa noite incrível que ela teve. (a Tereza) Parabéns, você merece.

TEREZA: - Obrigada, querida! E apareça mais vezes. Será sempre bem-vinda.

CRISTÓVÃO: - Faço minhas as palavras da Tereza.

FERNANDA: - Obrigada! Muito obrigada! (a Diogo) A gente se fala.

DIOGO: - Claro. Avise quando chegar em casa.

FERNANDA: - Aviso sim.

Fernanda sai. Diogo fica a observá-la, sob os olhares de Tereza e Cristóvão.

CRISTÓVÃO: - Impressão minha ou tem alguém apaixonado por aqui?

TEREZA: - Eu também estou achando... (risos)

DIOGO: - Ela é só uma amiga, gente. Calma aí.

CRISTÓVÃO: - Se você está dizendo... Bem, vamos indo?

TEREZA: - Vamos sim!

Os três saem.

CENA 04. BARZINHO. INT. NOITE.

Illana pressiona Alex.

ILLANA: - Você não vai sair desse bar enquanto não me disser o que você está aprontando. O que te impede de sair do país agora, Alex?

ALEX: - Não é nada, Illana. Coisa minha.

ILLANA: - Coisa minha, nada! Coisa nossa. Você está envolvido em algum crime? A polícia não pode te deixar sair? É droga, Alex? Você está no tráfico?

ALEX: - Crime nenhum, nem drogas! Tá louca? Sou honesto, estou limpo. Mas eu quero é justiça.

ILLANA: - Justiça por quê?

ALEX: - Já falei que é coisa minha, Illana. E pelo o que eu pude perceber, é jogada perigosa.

ILLANA: - Perigoso vai ser você me deixar sem informações sobre isso, Alex. Você é meu agenciado, já temos um vínculo... E também te considero um amigo. Em outros tempos, eu não insistiria tanto para manter algum modelo dentro da agência. Veja só, eu estou te dando a oportunidade de recomeçar a vida fora do país! Milhares de caras gostariam de estar no seu lugar agora.

ALEX: - Eu agradeço e muito pelo o que você já fez e está propondo fazer pra mim, Illana. De coração. Eu tenho em você uma grande amiga também. Mas tem coisas que eu preciso resolver para a minha vida voltar ao normal. Eu cheguei no Rio com um objetivo e não posso sair daqui sem ele.

ILLANA: - Então me fala, Alex. O que está rolando? Conta pra mim!

Illana desvia o olhar para a mesa onde Gustavo estava com Matheus, mas não os encontra.

ILLANA: - Já foram...

ALEX: - Quem?

ILLANA: - Nada não. Não desvia o assunto.

ALEX: - Tá certo. Eu vou te falar. Mas não pode ser aqui. Me encontra no apartamento amanhã.

ILLANA: - Vou ter que dormir com essa curiosidade do cão, é isso?

ALEX: - Sim, é isso.

CLOSE na insatisfação de Illana.

CENA 05. ARCOS DA LAPA. EXT. NOITE.

Gustavo e Matheus caminham por entre as pessoas na região dos Arcos. Grupos conversam, tem música, dança, a movimentação da noite na Lapa.

GUSTAVO: - Que bacana isso tudo aqui. As pessoas curtindo a noite...

MATHEUS: - Eu adoro a Lapa!

GUSTAVO: - Eu quase não venho pra cá. Muito pouco. O Tomás não gosta muito.

MATHEUS: - Mas ele não cede, por você?

GUSTAVO: - É raro... (risos) Personalidade forte.

MATHEUS: - Desculpa, Gustavo, mas personalidade forte e gente mandona são coisas diferentes.

GUSTAVO: - Mas ele não é mandão.

MATHEUS: - Tudo tem que ser da forma que ele quer. É isso que eu entendo. Quando você consegue fazer as coisas que gosta, ele está de má vontade. Foi isso que você me disse.

GUSTAVO: - Eu gosto disso aqui, sabe? Eu gosto, na verdade, de transitar pelos espaços. Das danceterias da zona sul aos agrupamentos nessas calçadas aqui. Eu gosto é de me sentir bem, não ficar de aparência.

MATHEUS: - O Tomás não te proporciona essa sensação de bem-estar assim, de curtir momentos na rua desse jeito?

GUSTAVO: - Se dependesse do Tomás, eu viveria enterrado nos bares do Leblon, Ipanema. Por isso que eu estou bem aqui, estou bem... Com você.

MUSIC ON: (Give Me Love - Ed Sheeran)

Matheus o encara, para de andar.

GUSTAVO: - Você, Matheus, está me proporcionando esses bons momentos que eu sinto falta.

MATHEUS (brinca): - Nossa, eu estou sendo importante então!

Eles riem.

GUSTAVO: - Você nem imagina o quanto.

Gustavo segura a mão de Matheus, que se surpreende.

MATHEUS: - Gustavo, eu acho que/

GUSTAVO: - Eu acho que você só precisa se deixar levar, como eu estou fazendo. Eu quero curtir esse momento. Com você.

CLOSE-UP dos dois se olhando por um bom momento. Em SLOW MOTION o beijo acontece. Matheus se entrega.

CENA 06. CASA MILTON. QUARTO CARLA. INT. NOITE.

MUSIC OFF.

Ela entra, se joga na cama, satisfeita. Retira os papéis de dentro da calça. Verônica surge na porta, observa filha. Entra.

VERÔNICA: - Posso saber o motivo de tanta felicidade?

CARLA: - Pode sim, mamãe... Eu tenho aqui em mãos, a volta do Diogo para os meus braços.

VERÔNICA (senta-se na cama): - Oi? A volta do Diogo para você está nesses papéis?

CARLA: - Sim! Não é fantástico?!

VERÔNICA: - O que você está aprontando, Carla? Que papéis são esses, minha filha?

CARLA: - Eu? Nada, mamãe... Estou até muito calma.

VERÔNICA: - Conheço você. Será que não era melhor você deixar o Diogo seguir a vida dele e focar no Gabriel que está aqui, do seu lado?

CARLA: - Pirou né, mãe? Gabriel é um mala! Nossa... Entendo profundamente porque ele foi largado pela namorada.

VERÔNICA: - Eu gosto do Gabriel. Tenho apreço por ele.

CARLA: - Fique a senhora com ele então. Está solteira, livre, desimpedida!

VERÔNICA (levanta-se num salto): - Carla, por favor! Eu tenho idade para ser a mãe do Gabriel. Só falei porque acho ele um rapaz tão bom. Faria bem para você alguém como ele do lado.

CARLA: - A única coisa que me faz bem na vida é o Diogo, mãe. E ele vai estar comigo novamente. A senhora vai ver.

Carla sorri, feliz, sob os olhares desconfiados de Verônica.

CENA 07. APTO FERNANDA E PAULA. INT. NOITE.

Paula está jatando quando Fernanda chega da rua.

FERNANDA: - Oi amor.

PAULA: - Oi, meu amor! E aí, como foi hoje, seu retorno ao escritório?

FERNANDA (senta-se à mesa): - Tudo ótimo! Ganhei até presentinho da Laisla, mas acabei deixando no escritório para não precisar sair com caixa para o barzinho.

PAULA: - E foram onde?

FERNANDA: - Num bar lá perto mesmo, onde a galera gosta de ir. Nada demais. Walter bancou pra todo mundo.

PAULA: - Nada demais e você toda produzida assim? (risos)

FERNANDA: - Não posso estar de qualquer jeito no meu retorno né? (risos) E você, trabalhando muito?

PAULA: - Hoje o dia foi fogo. Mas sabe que aconteceu uma coisa bem diferente. Eu ajudei uma moça, Charlote. Ela passou mal lá no mercado e eu ajudei. Depois ela voltou com flores e me deu, de presente. Acredita?

Aponta para as flores, Nanda observa.

FERNANDA: - Gente! Uma pontinha de ciúmes apitou aqui! (risos) Você recebendo flores de outra mulher, sei não!

PAULA: - Para, Nanda! Não tem nada a ver. Enfim, achei bacana da parte dela.

FERNANDA: - Estou brincando. Mas que é realmente surpreendente, isso é.

PAULA: - Falando em surpreendente, amanhã temos o almoço na casa da minha mãe.

FERNANDA: - É verdade!

PAULA: - Almoço de família... Nossa, tanto tempo que eu não sei o que é isso, sabia?

FERNANDA: - Pois trata de se acostumar com isso novamente porque nós vamos ser uma família. E aí esses almoços assim farão parte da nossa rotina feliz.

PAULA: - Tomara viu!

As duas se beijam, carinhosas.

Corta.

CENA 08. APTO LISA. QUARTO LISA. INT. NOITE.

Lisa e Pedro deitados na cama dela, assistem filme na TV.

PEDRO: - Essas comédias românticas são todas iguais! E você não cansa de assistir isso?

LISA: - Eu amo comédia romântica! Traz uma leveza pra mim. Às vezes eu me imagino numa história assim pra fugir um pouco dessa turbulência que está a minha vida.

PEDRO: -Você fala como se estivesse num leito de morte, Lisa.

LISA: - Eu perdi tudo o que eu tinha conquistado, Pedro. Não é fácil.

PEDRO: - Perdeu tudo? Não, não. Tem algo que você conquistou e que não vai perder nunca!

LISA: - O quê?

PEDRO: - Eu!

Os dois riem.

LISA: - Só você mesmo pra fazer rir. Obrigada.

PEDRO: - Eu amo você, Lisa. Estarei sempre do teu lado, disposto a te fazer feliz.

Os dois trocam olhares, se beijam.

MUSIC ON: (Shiver Down My Spine - Claudia Leitte)

Os dois se envolvem no momento, deixando aflorar desejo. Pedro fica sobre Lisa, tira a camisa. Lisa o puxa para si, o abraçando forte, entrelaçando suas pernas sobre Pedro. Os dois seguem aos beijos calorosos.

CENA 09. RIO DE JANEIRO. EXT. NOITE.

MUSIC CONTINUA.

Imagens da cidade ao amanhecer. Takes da praia de Copacabana, as pessoas caminhando no calçadão, o movimento na Avenida Atlântica. Corta para o Cristo Redentor, dia ensolarado.

CENA 10. CASA ELIANE. SALA. INT. DIA.

MUSIC FADE.

Eliane abre a porta de casa. CAM mostra Paula e Fernanda à espera.

ELIANE: - Finalmente... Sejam bem-vindas!

PAULA: - Mãe, essa é a Nanda. A minha namorada.

FERNANDA: - Eu fico muito feliz em poder conhecer a senhora pessoalmente, dona Eliane. Depois de tanto tempo.

ELIANE: - Eu fui muito, mas muito burra para não perceber o quanto vocês duas são felizes tendo uma ao lado da outra. Pena que eu demorei tanto tempo para ter essa sensação que eu estou tendo agora. De felicidade!

PAULA: - Teve o tempo que tinha que ter, mãe. Agora estamos aqui. Família.

Eliane abraça Fernanda e Paula, emocionada.

ELIANE: - Muito obrigada por virem! Agora entrem, entrem logo.

Fernanda e Paula entram. Tito e Bia já estão no local.

PAULA: - Tito! Bia!

BIA: - Oi Paula! Oi, Nanda! Como está? E o bebê?!

FERNANDA (senta ao lado de Bia): - Crescendo, devagarinho.

TITO: - Já sabe qual o sexo?

BIA: - Ou quantos são? Porque esses processos de inseminação geralmente vem mais de 1 filho!

PAULA: - A gente ainda não sabe o sexo, mas não temos preferência também. Pode vir menino ou menina, o amor será o mesmo.

FERNANDA: - Ou meninos, ou meninas, ou os dois! (risos)

ELIANE: - Um casalzinho seria lindo!

PAULA: - Por enquanto apenas 1 filho, gente, vamos com calma! (risos)

ELIANE: - Eu vou na cozinha mexer a panela, volto logo!

Eliane sai. Fernanda conversa com Bia. Paula se aproxima de Tito.

PAULA: - E você, como está?

TITO: - Tudo bem. Estudando, trabalhando...

PAULA: - Isso aí. E o namoro?

TITO: - Tudo ótimo. A Bia é uma garota muito especial.

PAULA: - Eu sei. E fico muito feliz porque ela namora um cara também muito especial!

Os dois se abraçam.

PAULA: - E o seu pai?

TITO: - Saiu cedo. Não disse onde ia.

PAULA: - Será que vem para o almoço?

TITO: - Pra falar bem a verdade, estou torcendo para que ele nem apareça. Precisamos de um pouco de paz. A mamãe está tão feliz com vocês aqui.

Eliane volta, trazendo petiscos.

ELIANE: - Olha o aperitivo! Logo logo o almoço está pronto, mas antes dá pra fazer um tira-gosto aqui!

FERNANDA: - Que maravilha! Eu quero!

ELIANE: - Fica à vontade, Fernanda. Você já é de casa!

Todos conversam, animados, integrados no clima alegre.

CENA 14. APTO LISA. SALA. INT. DIA.

Carla visita Lisa. Elas estão na mesa do almoço. Helena está presente.

LISA: - Adorei que você veio me ver, Carla! Estava com saudades de você!

CARLA: - Ai, amiga, nem me fala... Aconteceram tantas coisas, que eu posso até lançar uma trilogia no cinema!

Lisa acha graça.

HELENA: - Eu vou deixar vocês conversando e vou cuidar da louça. Carla, fique à vontade.

LISA: - A Carla já é de casa, mãe.

CARLA: - Pode deixar, dona Helena, que aqui eu realmente me sinto muito à vontade. Junto da minha irmã postiça!

Helena sai.

LISA: - E então, o que anda acontecendo na sua vida tão movimentada?

CARLA: - Lisa, eu descobri um segredo tão grande do Diogo, que vai fazer ele voltar para mim.

LISA: - Ai meu Deus! O que foi que você descobriu?

CARLA: - O Diogo doou material genético para uma clínica de fertilização.

LISA: - Gente, to passada! Sério?

CARLA: - Sim.

LISA: - Mas, até então, isso não é tão surpreendente assim.

CARLA: - Calma que tem mais. Eu descobri quem é a moça que recebeu esse material e que agora está esperando um filho dele.

LISA (incrédula): - Não!

CARLA: - A tal mulher é uma vagabunda que, inclusive, já esteve na Joquer! Fernanda é o nome da ordinária! Mas você não sabe da maior! Essa Fernanda tem uma namorada.

LISA: - Você quis dizer namorado.

CARLA: - Não, namorada. Mulher. Ela é lésbica, sapata!

LISA: - Calma, que essa história está confusa demais pra mim. Essa tal de Fernanda namora outra mulher e as duas vão ter um filho. Esse filho é fruto do material genético que o Diogo doou, é isso?

CARLA: - Exatamente.

LISA: - Parece coisa de filme!

CARLA: - Mas o filme começa a ficar bom agora. Porque essa Fernanda e o Diogo estão juntinhos. Eles se conhecem! Mas a namorada da Fernanda não sabe disso. Que o Diogo é o doador do material genético e que, provavelmente, está de olho na namorada dela.

LISA: - E o que você vai fazer? Como vai trazer o Diogo de volta no meio dessa história toda? Olha Carla, confesso que eu ainda estou confusa com tudo isso.

CARLA: - Simples. Eu conheci a namorada da Fernanda, a Paula. Próximo passo é esfregar a verdade na cara dela. Ela certamente vai brigar com a Fernanda, porque pelo o que eu percebi, essa Paula é apaixonadíssima por ela. E enquanto a Fernanda tenta resolver a situação dela com a Paula, eu trago o Diogo para perto de mim novamente. Porque eu duvido que a Fernanda abra mão de um projeto de família como esse.

LISA: - Seu plano é ainda mais mirabolante do que essa história toda, Carla. E outra, vai prejudicar as pessoas por um capricho seu?!

CARLA: - Capricho?! Lisa, o Diogo é meu homem! Ele vai ficar comigo e acabou! Nem que pra isso eu seja capaz de uma loucura maior! De tirar essa criança da Fernanda!

LISA: - Credo! (firme) Nunca mais repita isso aqui dentro da minha casa ou perto de mim!

CARLA: - Nossa, calma, amiga! Desculpa... Até parece que você está grávida também, defendendo a coleguinha.

LISA: - Mas eu estou grávida, Carla.

Carla se surpreende.

CARLA: - Você? Mas...

LISA: - Você nem reparou né? Estou mais cheinha.

CARLA: - Mas como isso, Lisa?! E a sua carreira?!

LISA: - Ficou pra trás.

CARLA: - Como você desperdiçou um momento tão importante da sua vida assim, amiga?! Não vai me dizer que o filho é daquele garçom!

Lisa se cala, baixa o olhar.

CARLA: - Desculpa, Lisa, mas você é burra. Com tanto cara rico por aí dando sopa, você vai engravidar do garçom?!

LISA: - Ei, alto lá, Carla! Eu não escolhi isso, tá legal? Foi um acidente. E outra, eu amava o Bruno.

CARLA: - Amor não sustenta ninguém, minha querida. Mas bom, já está feito... Não tem como chorar pelo leite derramado... Eu falo isso, às vezes até de forma rude, mas é porque eu me preocupo com você. É a minha grande amiga e eu quero te ver bem, sempre.

LISA: - Obrigada. Eu sei disso.

CARLA: - Eu e você com novidades e tanto, hein!

LISA: - Tem mais uma: voltei com o Pedro.

CARLA: - Eu sabia! Ele não iria desistir fácil de você!

LISA: - Ele está sendo um cara muito bacana comigo, me ajudando nessa fase difícil.

CARLA: - Ele é um cara de futuro. Cola nele!

As duas seguem conversando.

CENA 15. CASA ELIANE. JARDIM. EXT. DIA.

Eliane, Tito, Bia, Fernanda e Paula à mesa, almoçando. Clima alegre.

BIA: - E aí eu só lembro da minha mãe costurando minha roupa minutos antes de eu entrar na passarela!

Todos riem.

PAULA; - Nossa, que aventura, Bia! Eu entraria em pânico!

BIA: - Vida de modelo tem essa adrenalina toda. É divertida.

FERNANDA; - E por que você não seguiu carreira?

BIA: - Sei lá, me desinteressei. Acabei me encantando por outras coisas. Agora estou feliz na administração. Faço faculdade de gestão de pessoas e trabalho numa empresa no centro do Rio.

ELIANE: - Uma menina de ouro! Aproveita bem, Tito!

TITO: - Eu estou aproveitando e muito, mãe! (risos)

ELIANE: - A Paula me disse que você faz arquitetura, Nanda.

FERNANDA: - Sim. Na verdade estou com o curso trancado. Faculdade particular, mensalidade cara. Não dá pra manter o apartamento e os estudos. Estou quase me formando. Mas eu trabalho na área já, num escritório.

PAULA: - Ela faz cada desenho lindo!

TITO: - Eu acho muito bacana esses projetos!

BIA: - O Tito também desenha super bem!

PAULA: - É verdade! Lembro que você chegou a desenhar um retrato meu!

FERNANDA: - Que legal, Tito! Desenhar é um talento e tanto!

De repente, a porta se abre bruscamente, atraindo a atenção de todos. CAM vai buscar João que acaba de entrar no recinto. Ele está bêbado.

JOÃO (grita): - Boa tarde, família!

Eliane sai da mesa, vai até João.

ELIANE (fala firme, baixo): - O que você pensa que está fazendo? Aparecendo bêbado aqui, justo hoje que temos visita?

JOÃO (alto): - Visita?! Que visita?!

João segue até a mesa, encontra os outros sentados.

JOÃO: - Tito... a franguinha ali do lado

TITO: - Pai!

BIA: - Deixa, Tito, tudo bem.

TITO: - Ele não pode falar assim com você.

JOÃO: - E aqui deste lado da mesa... Paula... Então quer dizer que a tua mãe perdeu completamente o senso de vergonha na cara e deixou você sentar na nossa mesa para comer...

ELIANE: - João!

JOÃO: - É muita cara de pau a sua vir aqui, sentar na minha mesa, comer da minha comida! Porque quem pagou essa comida aqui foi eu!

E bate com a mão na mesa, firme, encarando Paula. Paula se levanta.

PAULA: - Vamos embora, Nanda.

ELIANE: - Não, Paula! Não vá!

PAULA: - É melhor, mãe. É melhor a gente ir mesmo... Foi muito bom passar esse tempo aqui com você. Com vocês todos. Mas já está na nossa hora.

FERNANDA: - A gente volta outro dia, dona Eliane.

JOÃO: - Aqui na minha casa vocês não colocam mais os pés. Bando de depravadas!

ELIANE: - João, já chega! Cala a boca! Você está bêbado!

JOÃO (grita): - Saiam daqui! Vão embora! Sai, Paula! E leva junto essa sua sapata!

PAULA (encara João): - Não vale a pena discutir com você, João. Aliás, nada em você vale a pena. Você é um nada.

Paula pega Fernanda pela mão e vai embora. Tito faz o mesmo com Bia, saindo de casa. João senta-se à mesa, olhar distante. Eliane o observa, totalmente entristecida e sai. João serve grosseiramente a comida em seu prato, mas não consegue comer. Leva as mãos ao rosto, cansado, pensativo.

CENA 16. CASA SOLANO. QUARTO BRUNO. INT. NOITE.

Bruno conversa com Vini. A porta do quarto entreaberta.

BRUNO: - É muita coisa pra dar conta na danceteria. Mas eu estou me esforçando.

VINI: - Tem que ser, cara. Não dá pra deixar a peteca cair! Oportunidade única que você teve! De garçom para a diretoria!

BRUNO: - É verdade.

VINI: - Mas eu to percebendo que tem uma coisa aí que não tá deixando você feliz. O que foi?

BRUNO: - Cara, você precisa guardar esse segredo muito bem guardado.

VINI: - Poxa, Bruno, sou teu amigo! Pode confiar!

BRUNO: - Lembra da Lisa, né?

VINI: - Claro que eu lembro, a gata modelo e tal! O que tem ela?

BRUNO: - A Lisa está grávida.

VINI: - Grávida?!

BRUNO: - Isso aí. A Lisa está esperando um filho meu.

Isaura entra no quarto feito um furacão.

ISAURA: - Que história é essa, Bruno?

BRUNO (surpreso): - Mãe?!

ISAURA: - Você vai ser pai, é isso?!

Isaura encara Bruno.

CENA 17. CASA DIOGO. QUARTO DIOGO. INT. NOITE.

Ele está deitado na cama, mexendo no celular. CAM detalha ele navegando na internet, clina num link e abre o site da jornalista Cristina Ravela. Diogo vê a notícia do lançamento do livro de Tereza.

DIOGO: - Que legal! Já tem matéria no ar!

Diogo vai lendo quando vê a foto que tirou com Fernanda. Na legenda, “O NOVO CASAL DA HIGH SOCIETY CARIOCA”. Diogo ri, contente, observando a foto.

CENA 18. APTO ALEX.INT. NOITE.

A campainha TOCA. Alex vem do quarto em direção à porta. Ele olha pelo olho mágico. Ao abrir a porta, Illana entra apressada.

ILLANA: - Agora você vai me falar tudo o que tem pra falar.

ALEX: - Oi pra você também, Illana.

ILLANA: - Sem conversinha mole, Alex. (senta-se no sofá) Pode falar. Tenho todo tempo do mundo. Qual é esse seu segredo aqui no Rio de Janeiro?

Illana encara Alex.

CENA 19. APTO FERNANDA E PAULA. INT. NOITE.

Paula e Fernanda abraçadas, deitadas no sofá da sala. Silêncio. As duas pensativas.

FERNANDA: - Fiquei com pena da sua mãe.

PAULA: - Eu ainda não sei porque ela não larga aquele traste e vai viver a vida dela. O Tito já pode se virar sozinho. Minha mãe fica presa naquela casa, com aquele homem... É triste.

FERNANDA: - A gente não pode julgar, mas com certeza sua mãe tem os motivos dela para isso.

PAULA: - Agora que a gente se reaproximou, eu vou fazer de tudo para que ela seja feliz e de preferência longe do João!

FERNANDA: - Eu vou torcer por isso, pela felicidade dela. E pela nossa também.

As duas trocam selinho.

FERNANDA: - Bora chamar uma pizza?

PAULA: - Eu topo. Mas meu telefone está sem bateria.

FERNANDA: - Pega o meu. Vai chamando enquanto eu vou ao banheiro. Eu quero de calabresa!

Fernanda sai. Paula pega o telefone dela e vai teclando. CAM mostra visor do telefone, a chegada de uma mensagem de Diogo. Paula hesita em abrir. Em instantes, chega outra mensagem. Paula espera para ver se Fernanda não se aproxima e decide abrir as mensagens. Paula abre a primeira mensagem que mostra um print da matéria que saiu no site: Nanda e Diogo na foto com a legenda “O NOVO CASAL DA HIGH SOCIETY CARIOCA”.

PAULA (confusa): - Como é que é?

Paula se apressa para abrir a segunda mensagem. PLANO DETALHE do que está escrito: “ESTÃO PREVENDO NOSSO FUTURO. AMO VOCÊ. FICAMOS LINDOS, NÃO?”

PLANO GERAL. Paula está chocada com o celular em mãos. Fernanda retorna, percebe.

FERNANDA: - O que foi, Paula? Aconteceu alguma coisa?

Paula mostra a foto a Fernanda.

PAULA: - Que história é essa de novo casal do Rio de Janeiro? O que está acontecendo, Fernanda?!

CLOSE-UP em Nanda, surpreendida com a pergunta.

 
     
     
https://1.bp.blogspot.com/-THGgcgJaA-8/WSe3hz1c09I/AAAAAAAAAy0/X7OeM66FNY4tkrkCUzQuQeFSgDL74pElACPcB/s1600/Escolhas%2Bda%2BVida%2BCr%25C3%25A9dito.jp
autor
Édy Dutra

colaboração
Diogo de Castro

elenco
Rafaela Mandelli como Fernanda
Andrea Horta como Paula
Henri Castelli como Diogo
Francisca Queiroz como Carla
Caetano O’Maihlan como Rick
Gabriela Durlo como Roberta
Sidney Sampaio como Matheus
Marcello Melo Jr como Bruno
Aisha Jambo como Lisa
Paulo Gorgulho como Arthur
Sônia Braga como Norma
Maria Ceiça como Isaura
Milton Gonçalves como Solano
Maurício Gonçalves como Lauro
Eliete Cigarini como Eliane
Léo Rosa como Gabriel
Bernardo Mesquita como Tito
Juliana Lohmamm como Bia
Roberto Bomtempo como João
Giuseppe Oristânio como Walter
Cinara Leal como Laisla
Felipe Folgosi como Danilo
Fernanda Nobre como Ivete
Eduardo Lago como Dr. Túlio
Aline Borges como Olívia
Cissa Guimarães como Verônica
Jonas Bloch como Milton
Gisele Fróes como Selma
Odilon Wagner como Humberto
Totia Meirelles como Tereza
Zecarlos Machado como Cristóvão
Zezé Motta como Helena
João Gabriel Vasconcellos como Pedro
Daniel Erthal como Vini
Maria Maya como Illana
José de Abreu como Osvaldo
Malu Galli como Regina
Luma Costa como Mariana
Jonathan Haagensen como Alex
Antônio Pitanga como Dionísio
Guilherme Winter como Gustavo
Pierre Baitelli como Tomás

trilha sonora
Amanhã ou Depois - Nenhum de Nós (Abertura)
Give Me Love - Ed Sheeran
Shiver Down My Spine - Claudia Leitte

produção
Bruno Olsen
Cristina Ravela


Esta é uma obra de ficção virtual sem fins lucrativos. Qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações da vida real terá sido mera coincidência.


REALIZAÇÃO


Copyright
© 2017 - WebTV
www.redewtv.com
Todos os direitos reservados
Proibida a cópia ou a reprodução

.aaa.
.aaa.

Compartilhar:

 
Copyright © WebTV | Design by OddThemes