NEW STAGES - 2x07



2x07
 
 
 

VOZ DE JOSH – Anteriormente em New Stages...

-------- 
 
MATT – Toda vez que eu tento me aproximar daquela garota, ela dá um jeito de me maltratar ou atirar mil pedras em mim...
 
JOSH – Então a impressione. A Chelsea pode ainda não ter esquecido as coisas estúpidas que você fez durante o segundo grau, mas você pode fazê-la esquecer. Basta querer. Aproxime-se mais, deixe que ela faça parte da sua vida, e acima de tudo, seja um grande amigo. Em questão de tempo, ela também vai deixar que você faça parte da vida dela.

--------  
 
JOSH – (balança a cabeça inconformado) Eu não acredito que estamos remoendo essa história de novo... Ryan, por que você veio até aqui? Nós já terminamos, certo? Então pra que continuar insistindo no erro?
 
RYAN – Eu só...
 
JOSH – (interrompe) Eu e o Austin estamos nos dando muito bem. Ele é o amigo que eu precisava nesse momento e tem sido muito paciente comigo em relação a você. Eu resolvi dar uma chance pra ele, porque eu estou realmente afim de te esquecer e seguir em frente... E talvez o Austin seja o melhor para o meu futuro.

--------  
 
HILARY – Então, Chelsea... Parece que eu vim para San Francisco na hora certa. Tem muitas meninas querendo dar o bote no meu namorado...
 
CHELSEA – Se você está insinuando que eu quero alguma coisa com o seu namoradinho, pode ficar relaxada, porque a única coisa que eu quero realmente dele é DISTÂNCIA. (olha para Chad) Distância.

--------  
 
CHAD – Chelsea, tenta entender o meu lado... Eu estava apaixonado por você.
 
CHELSEA – É incrível a capacidade que os garotos têm de se apaixonarem por mim e ao mesmo tempo me machucarem. Foi a mesma história com o Josh, a mesma história com o Matt e está sendo a mesma história com você. Quer saber... some da minha vida!
 
-------- 
 
CHELSEA – (abre a porta enrolada em uma toalha) Ah, claro, era tudo que eu precisava pra encerrar meu péssimo dia com chave de ouro...
 
MATT – Oi, Chelsea... Eu trouxe isso para você. (mostra o buquê de flores)
 
CHELSEA – (olha surpresa para o garoto) Matt... Isso é... (sorri e pega o buquê) Obrigada. São lindas!

--------  
 
Josh e Austin entram se beijando, sem ter a visão do que está a sua frente. A câmera então revela Marta, que está sentada na cama a espera do filho.
 
Close na mulher, que se levanta assustada ao ver o filho beijando outro garoto.
 
MARTA – Josh?!
 
Reconhecendo a voz da mãe, Josh interrompe bruscamente o beijo com Austin e olha surpreso para Marta.
 
JOSH – Mãe?

-------- 

CENA 01. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. ALOJAMENTO. DORMITÓRIO DE JOSH E MATT. INT. NOITE.

Continuação da última cena do episódio anterior. Marta olha estarrecida para Josh, que está desesperado após ser flagrado beijando Austin por sua mãe.

JOSH – (nervoso) Mãe, eu posso explicar...

MARTA – (levanta-se da cama) Explicar o quê? Acho que não há nada para ser explicado aqui, Josh...

Marta ameaça deixar o quarto, mas Josh entra na frente da porta, impedindo a sua saída.

JOSH – Primeiramente, o que você veio fazer aqui?

MARTA – Eu vim visitar o meu filho, saber se ele está bem, se precisa de alguma coisa... Mas parece que eu deveria ter avisado antes, assim não corria o risco de descobrir o seu segredinho. (sorri ironicamente)

JOSH – Mãe, vamos nos sentar e conversar... Eu não queria que você descobrisse dessa forma.

MARTA – Eu não tenho mais nada pra fazer aqui, Josh. Agora eu agradeceria se você saísse da minha frente.

Josh, sem saber o que fazer, sai do caminho da mãe, permitindo que ela deixe o dormitório. Ele senta-se na cama, inconformado. Austin aproxima-se dele.

AUSTIN – O que você está esperando para ir atrás dela?

JOSH – Você acha que eu devo?

AUSTIN – O pior ela já descobriu, Josh. Agora sua mãe só precisa de um esclarecimento.

JOSH – (olha para Austin agradecido) Eu já volto.

Josh sai correndo a fim de alcançar sua mãe. Close em Austin, preocupado.

CENA 02. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. FACHADA. EXT. NOITE.

(música: Secrets - OneRepublic)

Marta está sentada na sarjeta da calçada, chorando. Josh sai da universidade, apressado. Ele espera algumas pessoas passarem até se aproximar da mãe. Então, se senta ao lado dela.

JOSH – Mãe, levanta dessa calçada... Eu não quero te ver assim.

MARTA – (olha para o garoto) Josh, eu acabei de te ver beijando outro rapaz... Você queria que eu estivesse como? Levantando as mãos pro céu e agradecendo a Deus por ter um filho gay?

JOSH – Mãe, não é bem assim. Você tem motivos suficientes para agradecer a Deus sim por eu ser o que sou. A minha sexualidade não altera em nada a minha personalidade.

MARTA – (ignorando o que o filho disse) Eu saí do meu trabalho para vir até aqui te visitar, achando que você estaria se dedicando aos estudos, e olha com o que eu me deparo. Porque eu não sei se você se lembra, Josh, mas você veio até este lugar para estudar...

JOSH – Mãe, eu moro nessa universidade. Ela é sim o lugar onde eu estudo, mas também é o lugar onde eu tenho a minha vida.

MARTA – (complementa) Que você fez questão de esconder a sete chaves da sua mãe...

JOSH – Não fale desse jeito, mãe. Você sabe que não é fácil contar para sua família que você é gay...

MARTA – Não, eu não sei de nada, Josh...

JOSH – Você deveria ao menos se importar. Poxa, nós dois sempre apoiamos um ao outro, mãe. O que custa você me entender agora? Eu nunca escondi nada sobre a minha vida de você.

MARTA – Você escondeu essa bobagem, Josh. Eu achei que, saindo da casa onde eu te criei e te eduquei, você não se desvincularia da sua família. Mas parece que eu me enganei. (levantando-se da calçada) Desculpa atrapalhar a sua privacidade. E, acima de tudo, desculpa por invadir o lugar da sua “nova vida”.

Marta sai apressada. Close em Josh, que também se levanta da calçada e, enfurecido, chuta o poste com muita força, descontando nele toda a raiva que sente. O garoto continua parado por mais alguns instantes, enquanto outras pessoas passam por ele. Então, decide voltar para o campus da universidade.

CENA 03. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. ALOJAMENTO. DORMITÓRIO DE JOSH E MATT. INT. NOITE.

(Música cessa.)

Austin está sentado na cama, apreensivo, a espera do namorado. Josh entra no dormitório chorando. Austin se levanta e abraça o garoto.

JOSH – Eu só achei que ela me entenderia...

AUSTIN – Calma, meu amor. Você sempre fala coisas maravilhosas da sua mãe. Aposto que ela é uma ótima pessoa. Ela só está assustada com o que acabou de acontecer aqui.

JOSH – (interrompendo o abraço) Ela disse coisas horríveis pra mim. Mais do que isso, ela foi injusta comigo, Austin. Falou como se eu não confiasse nela. (pausa) Mas eu nunca... nunca quis esconder nada dela. Eu só não estava preparado.

AUSTIN – (limpando as lágrimas de Josh) Escuta... Sua mãe está de cabeça quente. Ela acabou de descobrir que o filho é gay. É normal que reaja desta forma. Dá um tempo pra ela digerir melhor essa história. Aposto que sua mãe vai entender e te procurar... Porque ela te ama, Josh.

JOSH – Não sei, se fosse pra ela entender a minha sexualidade, ela ao menos teria me ouvido. Mas não, ela virou as costas pra mim e foi embora. (senta-se na cama) Eu não entendo... Minha mãe sempre foi uma pessoa liberal, mente aberta... Por um momento, eu pensei que ela compreenderia a minha sexualidade.

AUSTIN – Isso é engraçado. Às vezes nós criamos a falsa ilusão de que pais liberais são favoráveis a qualquer coisa. Mas isso não é verdade. (pausa) Um amigo meu tem pais extremamente religiosos. Ele decidiu se assumir achando que seria expulso de casa pela família e não foi bem isso que aconteceu. Os pais entenderam o garoto e hoje até permitem a visita do namorado. Tudo é muito relativo, Josh...

JOSH – É, eu me enganei...

AUSTIN – (senta-se ao lado de Josh na cama) Mas relaxa, ok? Só dê um tempo para a sua mãe. Ela precisa disso. E você também. Agora deita nessa cama e descansa, porque você tá precisando...

(música: Get Good - Vanessa Carlton)

JOSH
– (apoia a cabeça no ombro de Austin) Dorme aqui comigo hoje?

AUSTIN – Mas e o Matt?

JOSH – O Matt vai ficar louco quando descobrir que estou trazendo um garoto para esse quarto... Mas hoje eu tô precisando de uma companhia. Sem falar que já tá na hora do meu colega de quarto te conhecer.

AUSTIN – (sorri) Você quer que ele me conheça?

JOSH – Quero.

AUSTIN – Então eu também quero.

Josh sorri e levanta a cabeça, beijando o namorado apaixonadamente.

JOSH – (terminando o beijo) Obrigado.

AUSTIN – Eu estou aqui pra isso.

A câmera se afasta, enquanto os dois garotos continuam sentados lado a lado, em constante silêncio.

CENA 04. CASA DE MARTA. SALA DE ESTAR. INT. NOITE.

(A música tocada na cena anterior continua a ser executada nesta.)

Marta abre a porta da casa e acende a luz. Ela entra apressada e joga a bolsa em cima do sofá. Então, se dirige à estante da sala e abre algumas gavetas à procura de algo. Assim que encontra um álbum de fotos, sorri satisfeita por descobrir o que buscava. Em seguida, fecha as gavetas e se senta no sofá. Ela abre o álbum de fotos e vai folheando-o, como se já tivesse o que queria em mente. Por fim, chega a uma foto onde estão Josh e Chelsea abraçados e sorrindo. Marta encara a foto e derruba uma lágrima sobre ela. A fotografia é da época em que Josh e Chelsea namoravam. Close no sorriso contagiante dos dois garotos.

(Música cessa.)

 
 
     
 

2x07 - SAINDO DO ARMÁRIO
 
     

CENA 05. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. ALOJAMENTO. REFEITÓRIO. INT. NOITE.

Chelsea entra no refeitório apenas de pijama. O local é iluminado por algumas velas, mas a garota não tem visão do que está a sua frente. Repentinamente, as luzes se acendem e a porta fecha bruscamente sozinha. Chelsea se vira para a porta e puxa a maçaneta com força, como se quisesse sair dali, mas sem resultado. A porta foi trancada automaticamente. A garota começa a ouvir alguns risos diabólicos, então olha para trás. Ela se depara com duas cadeiras elétricas, onde estão sentados Matt e Chad, imóveis.

CHELSEA – (confusa) Matt... Chad... O que vocês estão fazendo aqui?!

Assim que Chelsea conclui o que estava dizendo, Hilary aparece entre as cadeiras elétricas, com um visual totalmente preto, cabelos mais longos do que o normal, maquiagem exageradamente escura e lábios realçadamente vermelhos.

HILARY – Eu explico para você o que eles estão fazendo aqui. (andando em volta das cadeiras) E fico muito contente que você tenha atendido ao meu chamado. Afinal, temos muitas coisas a acertar.

CHELSEA – Não, nós não temos absolutamente nada para acertar.

HILARY – Claro que temos. Você roubou o meu namorado e vai receber uma severa punição.

CHELSEA – Então solte o Matt, porque ele não tem nada a ver com a situação.

HILARY – Pra quê eu vou soltá-lo se posso matar dois coelhos com uma única cajadada? Eu vou eletrocutar esses dois garotos que têm um significado especial em sua vida.

CHELSEA – (confusa) Desde quando o Matt tem um significado especial na minha vida?

HILARY – (rindo) Você fica muito bonitinha se fazendo de desentendida. Pena que essa beleza vai toda para o espaço. Querida Chelsea, não dá para enganar o seu próprio coração... Você tem um pequeno interesse pelo Matt, só não consegue admitir para si mesma.

MATT – Chelsea, olha o que você fez comigo...

CHAD – Por sua causa, nós vamos morrer...

CHELSEA – (desesperada) Eu não tô entendendo o que está acontecendo aqui...

HILARY – Calma lá, bonitinha, em pouco tempo você vai começar a entender tudo. (ficando frente a frente com Chad) Quem mandou você ter me traído com qualquer uma que aparecesse na sua frente. Agora, adivinha, vai receber um leve e fatal castigo. (começa a rir) Vai virar fumacinha!

CHELSEA – Você está maluca, garota!

HILARY – (aponta para Matt) Esse garoto! Esse garoto te ama, Chelsea, e você não consegue entender isso. Você preferiu pisar nos sentimentos dele e ir à procura de um rapaz compromissado.

CHELSEA – Eu não sabia, ok? Eu não sabia que o Chad tinha uma namorada. Eu não sou uma vadia, não preciso roubar namorado de ninguém.

HILARY – Eu não quero satisfações sobre o que já aconteceu. (estende a mão para Chelsea) Venha, eu vou te levar até o final dessa história.

CHELSEA – Que final da história?

HILARY – Não seja apressadinha. Vamos, me dê a mão.

Chelsea, receosa, dá a mão para Hilary e é carregada por ela até uma terceira cadeira elétrica. Hilary empurra Chelsea em direção a ela.

CHELSEA – (sentada na cadeira elétrica) O que você está pensando em fazer?

HILARY – Pensando bem... Por que não matar três coelhos? (ri diabolicamente)

E, de repente, ouvimos um alto e estridente choro de bebê. A câmera se dirige até a porta do refeitório, onde há uma cesta com um bebê dentro, que chora desesperadamente. Close em Chelsea, ela tenta sair da cadeira elétrica e ir em direção ao bebê, mas seus braços e pernas não conseguem obedecer aos seus pensamentos.

O volume do choro da criança aumenta cada vez mais. É como se ela pedisse socorro. O choro do bebê fica tão alto que acaba se tornando ensurdecedor. A imagem corta rapidamente para:

CENA 06. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. ALOJAMENTO. DORMITÓRIO DE CHELSEA E KEITH. INT. NOITE.

Involuntariamente, Chelsea se levanta da cama, acordada e ofegante. Subtende-se então que tudo não passava de um mero sonho. O impulso brusco de Chelsea acaba despertando Keith.

KEITH – Amiga, você está bem?

CHELSEA – (começa a chorar) Keith... Foi horrível.

KEITH – (se levantando da cama e indo em direção a Chelsea) O que foi horrível, amiga?

CHELSEA – (embaraçada) Ela nos prendeu em cadeiras elétricas e queria eletrocutar a gente.

KEITH – (sentando-se na cama de Chelsea) Ela quem? Me explica direito...

CHELSEA – A Hilary. (ainda embaraçada) E no final, tinha um bebê chorando. O choro dele era alto, forte, intenso. Era como se ele estivesse com fome ou muita dor. E eu não conseguia me mover. Eu não conseguia salvá-lo.

KEITH – (segura os ombros da amiga) Chelsea, acalme-se, ok? Você acabou de ter um pesadelo. Olhe em sua volta, você está na universidade... dormindo tranquilamente em seu dormitório... nada de ruim vai te acontecer.

CHELSEA – Por que eu não conseguia me aproximar do bebê, Keith? Ele precisava de mim...

KEITH – (empurrando Chelsea levemente na cama) Volte a dormir... Você acabou de ter um pesadelo, só isso... Tudo está normal.

E, instantaneamente, Chelsea volta a pegar no sono. Close em Keith, preocupada.

KEITH – Os acontecimentos naquele clube estão acabando com a minha amiga...

Keith balança a cabeça negativamente e volta para sua cama, aconchegando-se até dormir. A câmera segue até uma mesinha onde estão postas as flores que Matt deu para Chelsea.

CENA 07.

(música: Dreams And Disasters - Owl City

Tomada da cidade de San Francisco com imagens dos principais pontos turísticos até chegar à fachada da Universidade da Califórnia. Amanhece.

CENA 08. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. ALOJAMENTO. DORMITÓRIO DE JOSH E MATT. INT. DIA.

(Música cessa.)

Close no rosto de Josh: ele desperta. O garoto se mexe na cama e, consequentemente, percebe que ela está vazia. Então olha para a cama de Matt, onde ele está sentado digitando algo no notebook.

JOSH – Cadê o Austin?!

MATT – (olha para Josh) Até que enfim a bela adormecida acordou. Acho melhor você se apressar, porque sua primeira aula começou há cinco minutos. (ri)

JOSH – (olha feio para o garoto) Matt! (se levanta da cama apressado) Você sabia que eu tinha uma aula agora e não me acordou?

MATT – A donzela estava dormindo tão bonitinho que eu preferi não incomodar... (joga o notebook na cama) Agora, vem cá, que história é essa de trazer macho para o nosso dormitório?

JOSH – Não fale como se o Austin fosse um qualquer.

MATT – Austin... Então quer dizer que a amizade de vocês dois está bem íntima.

JOSH – O Austin é o meu namorado, ok? Satisfeito agora?

MATT – Namorado?! (ri) Parece que Ryan Jordan já faz parte do passado de Josh Parker.

JOSH – Olha, Matt, eu já estou atrasado para a minha aula, então não vou ficar aqui ouvindo as suas provocações... (pausa) Você sabe me dizer se o Austin já saiu daqui há muito tempo?

MATT – Sim, e depois do que eu falei pra ele, acho que nunca mais voltar...

JOSH – Matt, o que você disse a ele?

MATT – Ué, pelo o que eu saiba todos os alunos ganharam um dormitório quando vieram pra cá. Ele que durma em seu próprio dormitório. (pausa rápida) Sem falar que, nesta noite, você quebrou as regras que você mesmo instituiu quando chegamos aqui.

JOSH – Ok, Matt, você tem um minuto para esfregar as regras na minha cara...

MATT – Não, eu não vou fazer isso porque você criou as regras, então deve saber perfeitamente como elas são. (sorri) Mas, acredite, eu estou muito feliz por “visitinhas” estarem liberadas agora.

JOSH – (bufa) Eu vou trocar de roupa e ir pra minha aula...

MATT – Tudo bem, Josh, só não se surpreenda se, qualquer dia desses, você entrar no dormitório e se deparar com uma gatinha na minha cama. (ri)

JOSH – (pega sua escova de dente e um par de roupas) Como se você conseguisse pensar em outra garota além de Chelsea... Não vem com esse papo não, Matt, seus dias de pegador chegaram ao fim. (provoca) O amor está brotando nesse coração. Aliás, já começou a ser gentil com a Chelsea?

MATT – Eu segui a sua dica sim... E comprei flores pra ela.

JOSH – (começa a rir exageradamente) Flores?! Quem diria que Matt Brooks compraria FLORES pra alguém... É, o amor está realmente amolecendo esse coraçãozinho de pedra.

Josh sai do quarto, rindo.

MATT – (gritando para que o garoto ouça) Isso... Ria mesmo... Continue rindo à vontade. Mas anote o que eu vou dizer: essa garota ainda vai ser minha.

Close em Matt, que volta a se concentrar no notebook. Surpreendentemente, ele esboça um sorriso amigável, demonstrando ter gostado da sua conversa com Josh.

CENA 09. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. GINÁSIO DE ESPORTES. QUADRA. INT. DIA.

O treinador dá o apito inicial e os jogadores iniciam a partida, que funciona como uma espécie de treino para os grandes campeonatos. Close no bom desempenho de Ryan com a bola. Um dos atletas vem em sua direção e acaba o empurrando propositalmente, tirando a bola de sua posse.

GAROTO – Foi mal aí, campeão... Mas pra jogar basquete você tem que ter um pouquinho mais de equilíbrio.

RYAN – (olha para o treinador) Você viu isso? Ele tirou a bola da minha mão!

TREINADOR – Crianças, eu não tenho tempo nem paciência para lidar com discussão de amadores. Vocês estão num time profissional, então ajam como atletas profissionais. Ok? Não procurem confusão, procurem experiência!

GAROTO – Ouviu bem o treinador? Deixa de ser reclamão e joga como homem...

RYAN – Eu estou desempenhando muito bem a minha função aqui. Você que me empurrou e começou a me provocar...

GAROTO – Olha aqui, Ryan Jordan, você pode até ser um bom jogador de basquete. Veio da San Francisco High School, foi treinado em uma boa equipe, aprendeu boas táticas... Mas não é páreo pra mim, ok?

RYAN – Não, essa história de novo não... Eu lidei com um tipinho da sua espécie na San Francisco High School e não vou permitir que o mesmo aconteça aqui.

TREINADOR – Garotos, eu não tenho o dia inteiro pra vocês... Vão continuar a partida ou devo assistir à paquera?

GAROTO – (quicando a bola no chão) Prazer, meu nome é Evan McGrath... Prazer em te conhecer.

RYAN – Pouco me importa quem você é.

Evan ri e dá continuidade a partida. Close em Ryan, irritado.

CENA 10. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. ALOJAMENTO. CORREDOR DOS DORMITÓRIOS. INT. DIA.

Josh e Austin estão andando lentamente com seus cadernos em mãos.

AUSTIN – Eu nunca pensei que veria Josh Parker chegando vinte minutos atrasado em uma aula... Sério, você sempre é o primeiro a chegar.

JOSH – (ri) Eu não tenho culpa se dormi como uma pedra depois de tudo que aconteceu ontem à noite.

AUSTIN – Você merece. Você estava precisando mesmo descansar... (ri) E desculpa ter ido embora do dormitório sem te avisar, é que eu fui praticamente expulso pelo Matt.

JOSH – Tudo bem, já estou aprendendo a lidar com a fera...

De repente, o celular de Josh começa a tocar. Os garotos param de andar. Josh atende ao telefonema.

JOSH – Alô? (olha para Austin, surpreso) Mãe?! (pausa) Você está me convidando para um jantar? Hoje à noite? (pausa) Claro... Não tenho nenhum compromisso, posso ir sim. (pausa) Ótimo, estamos mesmo precisando conversar. (pausa) Até à noite então. (encerra a ligação)

AUSTIN – Peraí, deixa eu ver se eu estou entendendo... Sua mãe acabou de te ligar?

JOSH – Surpreendentemente, sim. E ainda mais, me convidando para um jantar hoje à noite.

AUSTIN – Eu sabia que ela precisava de um tempo para digerir direito essa história, só não esperava que fosse tão rápido. (sorri) Então você vai?

JOSH – Claro que vou. Ela está me convidando para um jantar. Com certeza quer falar a respeito de ontem. Nós vamos sentar, conversar, eu vou explicar que confio nela mais do que em ninguém e só não contei antes porque eu ainda não estava preparado.

AUSTIN – (continua a andar) Ótimo. Ato maduro.

JOSH – (segue o namorado) Ela pareceu bem simpática no telefone. Espero que as coisas se acertem entre a gente e não haja mais ressentimentos.

AUSTIN – É, Josh, você está saindo do armário...

JOSH – (ri) Estou?!

Os dois garotos continuam andando e conversando distraidamente.

CENA 11.

(A música tocada na primeira cena panorâmica deste episódio volta a ser executada nesta.)

(música: Dreams And Disasters - Owl City)

Tomada da cidade de San Francisco com imagens dos principais pontos turísticos do local. Anoitece.

CENA 12. CASA DE MARTA. SALA DE ESTAR. INT. NOITE.

(Música cessa.)

A campainha toca. Marta sai da cozinha e entra na sala indo em direção à porta. Ela está trajando um belíssimo vestido.

MARTA – Deve ser ela...

A mulher abre a porta. A câmera revela Josh.

JOSH – Ela quem?

MARTA – (surpresa ao ver Josh) Ninguém, meu filho. Posso saber por que você tocou a campainha? Essa casa também é sua. Você pode entrar nela na hora que quiser.

JOSH – Sei lá, este convite para jantar me pareceu tão importante que eu resolvi agir formalmente. (sorri) Não fiz bem?

MARTA – Claro que fez. Você é um moço educado. É de se esperar que você aja desta maneira. Mas não se esqueça que, mesmo morando naquele campus, você ainda tem um lugar reservado aqui. (sorri) Agora entre e me dê o casaco.

Josh entra na casa e retira o casaco, entregando-o para a mãe. Marta sorri e fecha a porta.

MARTA – Vá até a cozinha. Eu já estou terminando de preparar o jantar. Só vou levar o seu casaco até o quarto e volto para lá.

JOSH – Ok, mãe.

Josh sai em direção à cozinha. Close em Marta, que olha para o seu relógio de pulso, demonstrando estar à espera de mais alguém.

CENA 13. CASA DE MARTA. COZINHA. INT. NOITE.

Marta entra na cozinha. Josh está sentado na mesa à espera da mãe.

JOSH – (tenta puxar algum assunto) E então, tem falado com o papai?

MARTA – Não muito. Ele deve estar bastante ocupado com os preparativos para o casamento. (pausa) É, Josh, em pouco tempo seu pai estará casado e você terá uma outra mãe.

JOSH – Pare de falar besteira, mãe, você é única e insubstituível. Nenhuma noiva que o papai arranjar vai roubar o seu lugar.

MARTA – Fico contente em ouvir isso.

JOSH – Antes de servir o jantar, será que você pode se sentar aqui por um momento? Eu queria explicar algumas coisas que eu não deixei claro ontem e eu ficaria feliz se você me ouvisse. (pausa) Na verdade, mãe, eu não quero que você fique com uma impressão errada sobre mim...

MARTA – Josh, escuta! Esqueça a noite anterior. Faça de conta que eu não flagrei você e aquele outro garoto. Imagine que a gente nem tenha se visto. Hoje é um novo dia e eu quero passar uma noite especial ao lado do meu filho.

JOSH – (surpreso) Mãe, como assim? Eu pensei que este jantar serviria para conversarmos a respeito da minha sexualidade.

MARTA – Não, eu tenho um motivo melhor para você estar aqui. (sorri) E não temos nada para conversar a respeito da sua sexualidade, Josh. Você é um garoto de 18 anos, ainda está amadurecendo, muitas coisas mudam neste período. Mudam a todo o momento. Aposto que é uma fase.

JOSH – (confuso) Não, mãe, isso não é uma fase... É a minha vida... Será que você pod...

E, inesperadamente, a campainha toca, impedindo que Josh conclua o que estava dizendo.

MARTA – Campainha. Acho melhor eu ir atender.

JOSH – Você está à espera de mais alguém? Eu pensei que este seria um jantar entre mãe e filho.

MARTA – Será sim um jantar entre mãe e filho. Mas teremos uma ilustre visita. (saindo) Eu já volto.

Close em Josh, demonstrando estar bastante confusão em relação ao comportamento da mãe.

CENA 14. CASA DE MARTA. SALA DE ESTAR. INT. NOITE.

Marta segue apressada em direção à porta.

MARTA – (abrindo-a) Querida, que bom que você chegou.

ALLY – (com um sorriso angelical) Demorei muito, dona Marta? Eu peço desculpas pelo atraso. É que o grupo de oração termina mais tarde às segundas.

MARTA – Não se preocupe, querida. Você chegou na hora certa. Venha, eu vou te apresentar o Josh. Ele é um ótimo garoto e aposto que vai gostar de você.

Marta puxa o braço da garota, levando-a em direção a cozinha. Close no visual de Ally: ela veste roupas muito longas, deixando bem claro que se trata de uma menina bastante religiosa.

CENA 15. CASA DE MARTA. COZINHA. INT. NOITE.

Marta entra na cozinha acompanhada de Ally. Close na expressão assustada de Josh.

JOSH – Mãe, quem é essa?

MARTA – Josh, isso é forma de receber as visitas? Cumprimente a Ally adequadamente.

JOSH – Mãe, eu não estou entendendo o que realmente tá acontecendo aqui.

ALLY – Olá, Josh. (sorri) Eu sou a Ally. Em minhas orações, pedi a Deus que abençoasse o nosso primeiro encontro e...

JOSH – (interrompe) Primeiro encontro?

MARTA – (se finge de desentendida) Primeiro encontro? Quem aqui falou sobre primeiro encontro? Sabe o que é, Josh, a Ally nunca jantou com um garoto antes. Ela ainda não sabe como essas coisas funcionam.

JOSH – (levanta-se da mesa) Mãe, será que podemos ficar um minuto a sós?

MARTA – Filho, não é legal deixar a visita nos esperando...

JOSH – Aposto que a Ally não se importa de ficar sozinha por um momento. (saindo da cozinha) Vamos para a sala.

ALLY – Dona Marta, será que o Josh não gostou de mim? Porque se ele não gostou, eu posso tentar conquistá-lo com uma música que aprendi no grupo de oração. Meu pastor disse que tenho uma ótima voz. (sorri ingenuamente)

MARTA – Ele gostou sim, Ally. (passando a mão no rosto da garota) Quem não gostaria de uma criatura adorável como você? (pausa) Fique aqui por alguns instantes. Eu vou ver o que Josh quer comigo.

ALLY – (sorri) Ok.

Marta sai da cozinha.

CENA 16. CASA DE MARTA. SALA DE ESTAR. INT. NOITE.

Josh anda de um lado para o outro continuamente. Ele demonstra estar bastante irritado.

MARTA – (entrando na sala) Josh, eu sei que você não esperava que a Ally viesse até aqui...

JOSH – (aumenta o tom de voz) Claro que eu não esperava, mãe. Eu nem conheço essa garota. Quer dizer agora que você está empurrando pretendentes pra cima de mim?

MARTA – Não é isso, Josh. Eu só achei que você gostaria de conhecer a Ally. Ela é uma menina simpática, educada, muito comprometida com os estudos e, principalmente, com Deus. Seria ótimo se vocês se tornassem amigos.

JOSH – Eu já entendi muito bem o que está acontecendo aqui, mãe. Mas eu não vou participar desse seu joguinho. Eu sei que você quer esquecer o que aconteceu na noite anterior, mas eu não quero. E também não quero que você se faça de cega quanto ao que eu sou.

MARTA – Josh, você é um garoto de dezoito anos!

JOSH – Mãe, não venha com esse papo de amadurecimento, porque eu sempre fui um garoto bastante maduro em relação as minhas escolhas e decisões. Você não vai aproximar uma garota de mim achando que pode me moldar de acordo com o que é melhor pra você.

MARTA – Josh, eu só não entendo... Ok? Até outro dia você estava namorando com a Chelsea. Como pode ter mudado de opinião de uma hora para a outra?

JOSH – O meu namoro com a Chelsea foi um erro, mãe. Mas também teve o seu lado positivo. Ele serviu para mostrar o que eu realmente sou. (aproxima-se de Marta) E eu sou gay, mãe. Eu estou namorando o Austin e se você não consegue aceitar isso, me diga agora, porque eu saio por essa porta e não te atormento mais com isso.

MARTA – Josh, eu não quero que você faça isso...

JOSH – Então por que você não me ouviu ontem, mãe? Por que você não me deixou explicar tudo o que estava acontecendo?

MARTA – Eu estava de cabeça quente, Josh. Você tinha escondido de mim o que você realmente era.

JOSH – Mãe, eu jamais esconderia isso de você pelo resto da minha vida. Eu só estava esperando a hora certa pra te contar. Assumir a sexualidade é uma decisão importante na vida de qualquer garoto ou garota. Eu só estava esperando o momento certo de tomá-la.

MARTA – (deixa uma lágrima rolar em seu rosto) Meu filho, eu não vou te afastar da minha vida por causa disso... Você é um ótimo garoto, tem uma personalidade incrível, um coração de ouro. É inteligente, autêntico, dedicado. A única coisa que eu quero é o seu bem.

JOSH – Então me apoie, mãe. Não faça o que você está fazendo. Não queira ir contra mim nem encomendar jantares com garotas inocentes. Apenas me apoie, ok?

MARTA – (abraçando Josh) É claro que eu vou te apoiar, meu filho. Me desculpa por ter sido tão ignorante e hipócrita comigo mesmo. Você é um garoto maravilhoso e eu fico feliz que esteja encarando isso de frente. Eu tenho que me orgulhar de você pelo o seu caráter, não pela sua opção sexual.

JOSH – Sim, mãe. Porque ela jamais vai interferir no que sou...

MARTA – Desculpa, Josh. Agora eu posso perceber a grande palhaça que fui. Eu vou te apoiar sim, em todos os momentos da sua vida, não importa qual seja a circunstância. Eu sou a sua mãe e eu devo aceitar todas as decisões que você tomar.

JOSH – (interrompe o abraço e deixa uma lágrima rolar em seu rosto) Obrigado, mãe. E não precisa pedir desculpas, você só estava assustada com a forma que tudo aconteceu. Nós sempre prometemos apoiar um ao outro, lembra? Esse é só mais um desafio que vamos encarar juntos.

MARTA – Realmente, meu filho. (sorri) Obrigada por abrir os meus olhos.

JOSH – Obrigado por ter me tornado quem eu sou.

MARTA – Agora a gente tem que voltar para a cozinha... Tem uma garota esperando pela gente. Aliás, também tenho que pedir desculpas por ter tido essa ideia maluca de trazê-la para o jantar.

JOSH – Tudo bem. Fique aqui. Eu vou lá conversar com a Ally.

Josh sai da sala. Close em Marta, sorridente pela conversa que teve com o filho.

CENA 17. CASA DE MARTA. COZINHA. INT. NOITE.

(música: I Will Be There - Britney Spears)

Josh entra na cozinha. Close em Ally, que está em pé, boquiaberta.

JOSH – (olhando para a garota) O que foi? Aconteceu alguma coisa?

ALLY – Meu Deus! Eu ouvi um pouco da conversa. Você é completamente gay!

JOSH – Sim, Ally, eu sou gay. Eu sei que isso vai contra os seus princípios religiosos, mas eu não posso negar a minha verdadeira identidade.

ALLY – (eufórica) Não, eu acho ótimo, finalmente encontrei alguém com quem eu posso me abrir. Sabe, eu estava pensando que talvez você pudesse me levar até uma dessas boates que abrem toda a noite. Eu prometo me comportar.

JOSH – (ri) Ally, e seus compromissos religiosos?

ALLY – Danem-se os compromissos religiosos. Tudo isso foi o que a minha mãe escolheu pra mim. Cansei de viver por ela. Eu quero viver a minha própria vida. O que você acha de eu comprar algumas roupas mais curtas?

JOSH – (surpreso) Calma, Ally, eu acho que você está indo rápido demais com as coisas.

ALLY – Eu tenho a coletânea inteira da Britney Spears guardada. Você quer assistir a alguma das minhas performances?

JOSH – Não, Ally. Eu só acho que você precisa de um copo de água. Eu vou providenciar.

ALLY – Não, eu estou bem. Eu prometo a você que não vai demorar.

A garota então começa a arriscar alguns passos de dança. Close em Josh, que assiste tudo, com um pouco de constrangimento. A câmera se afasta e revela Marta, que está apoiada no batente da porta da cozinha, observando os dois garotos.

MARTA – (para si mesma) Eu te amo, Josh.

Close na mulher, sorridente e orgulhosa.

A imagem escurece.

 

AUTOR
André Esteves
 

ELENCO
Graham Phillips como Josh Parker
Sterling Knight como Ryan Jordan
Jean-Luc Bilodeau como Austin Davis
Victoria Justice como Chelsea Harris
Ariana Grande como Keith Hurly
Gregg Sulkin como Matt Brooks
Rose McGowan como Marta Benton
 
ATORES CONVIDADOS
Tyler Posey como Chad Fletcher
Graham Rogers como Evan McGrath
 
PARTICIPAÇÕES ESPECIAIS
Willa Holland como Hilary Bailey
Kay Panabaker como Ally Callahan
Scott Speedman como Treinador
 
TRILHA SONORA
So Small - Carrie Underwood (Tema de Abertura)
Secrets - OneRepublic
Get Good - Vanessa Carlton
Dreams And Disasters - Owl City
I Will Be There - Britney Spears (Música tocada em referência a cantora no episódio)

PRODUÇÃO
Bruno Olsen

Diogo de Castro


Esta é uma obra de ficção virtual sem fins lucrativos. Qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações da vida real terá sido mera coincidência.
 

REALIZAÇÃO


Copyright © 2017 - WebTV
www.redewtv.com
Todos os direitos reservados
Proibida a cópia ou a reprodução

.aaa.
.aaa.

Compartilhar:

 
Copyright © WebTV | Design by OddThemes