NEW STAGES - 2x05



2x05
 
 
 

VOZ DE JOSH – Anteriormente em New Stages...

-------- 
 
MEGHAN – Eu sei que deveria manter a surpresa e esperar que você me fizesse o pedido... Mas eu não aguentei, Alex, eu encontrei a aliança no seu armário e fiquei louca de ansiedade.
 
ALEX – Por que você mexeu nas minhas coisas, Meghan? E por que você está comprando um vestido se eu ainda nem pensei direito a respeito do nosso casamento?
 
MEGHAN – Mas se comprou uma aliança é porque já tinha intenções de me levar pro altar. (sorri)
 
--------
 
MARTA – Sabe, Alex, talvez seja melhor você levar essa ideia de casamento em frente...
 
ALEX – E você quer que eu jogue a minha felicidade no lixo em prol da Meghan? Eu não seria feliz, de agora em diante, se me casasse com essa mulher.
 
MARTA – Mas você gosta dela, não gosta? E, pelo o que você me contou, ela também gosta muito de você. Dê uma chance para ela. Quem sabe você esquece os seus sentimentos por mim e consegue ser feliz ao lado de outra pessoa.

-------- 
 
O portão do ginásio se abre e Ryan sai bastante suado de dentro dele e com uma expressão nada satisfatória. O treinador vem atrás do garoto.
 
TREINADOR – Desculpa, Ryan... Você é um bom garoto, um bom atleta, mas ainda não é o que estamos procurando. Treine mais e quem sabe no próximo ano você seja convocado.

-------- 
 
CHELSEA – E de onde você tirou a história de que eu tô saindo com o Chad?
 
MATT – Chad?! (enciumado) Ah, vocês já parecem ser bastante íntimos...
 
CHELSEA – Nós somos amigos, Matt. A gente se conheceu outro dia e ele quis me contar um pouco mais sobre a sua vida...
 
MATT – Ou se fingir de cara amigável até conseguir te levar para a cama.

-------- 
 
AUSTIN – Tudo. Tem tudo a ver. Lembra que a Chelsea se culpava por tudo que acontecia de errado no namoro? Eu não sei se você percebeu, mas você está passando por tudo que a Chelsea passou... Você é a Chelsea, Josh. Eu sinto muito em te dizer, mas você é a Chelsea!
 
JOSH – Austin...
 
AUSTIN – Se você não quer abrir os seus olhos para a realidade, tudo bem. Eu estou saindo desse quarto agora e saindo também da sua vida. Tudo o que eu fiz até agora foi pro seu próprio bem. Eu procurei o Ryan porque eu queria que ele desse um basta no seu sofrimento. Você está sofrendo por um cara imaturo, que ainda não aprendeu a te amar. Continue chorando por ele. Continue. A Chelsea conseguiu sair daquele relacionamento. Espero que você não fique preso a este durante a sua vida inteira.

-------- 
 
Ryan empurra Josh até a cama, jogando-o em cima dela. O garoto desabotoa a sua calça, sugerindo segundas intenções. Josh, rapidamente, se levanta da cama e empurra Ryan para longe.
 
JOSH – (grita) RYAN! O QUE VOCÊ PENSA QUE ESTÁ FAZENDO?
 
RYAN – (tirando a calça) Você transou com ele...Por que não pode transar comigo?
 
JOSH – (perplexo) RYAN! FORA DO MEU QUARTO!
 
RYAN – (aproxima-se de Josh) Você transou com ele!
 
JOSH – (empurrando Ryan) Não volte aqui até você se dar conta do absurdo que está dizendo.

--------

CENA 01. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. ALOJAMENTO. DORMITÓRIO DE AUSTIN. INT. DIA.

(música: No Boundaries - Kris Allen)

A imagem abre no dormitório de Austin. Várias roupas estão espalhadas sobre a sua cama. A câmera revela o garoto, que guarda apressadamente suas roupas dentro de uma mala. Austin apresenta uma expressão abatida. Alguém bate a porta.

AUSTIN – (sem interromper o que está fazendo) Quem é?

JOSH – (em off) Será que posso entrar?

AUSTIN – (reconhecendo a voz do garoto) Josh, eu não tenho tempo para conversar agora...

JOSH – (abrindo a porta) Mas nós precisamos. Eu soube por alguém da universidade que você está indo embora... Achei que fosse boato, mas pelo jeito (olha para as malas do garoto) você está bem decidido.

AUSTIN – É, não tenho mais nada para fazer aqui.

JOSH – Claro que tem, Austin. Você é um garoto inteligente e precisa de uma universidade como essa para se formar.

AUSTIN – O título de uma universidade é o que menos importa, Josh. Eu poderia ter tentado vaga em qualquer uma. Mas não, eu escolhi esta aqui. E sabe por quê? Porque eu sabia que você estaria nela. (olha para Josh) Eu vim para San Francisco por causa de você.

JOSH – Mas você pode continuar aqui e aproveitar as boas oportunidades que a Universidade da Califórnia irá trazer pra você...

AUSTIN – Não! Eu fui muito burro em acreditar que você queria algo sério comigo. Se não podemos ficar juntos, então eu também não tenho motivos para continuar aqui. Eu estou arrumando as minhas coisas e logo vou pra casa.

JOSH – Austin, você não pode fazer isso...

AUSTIN – Me dê uma boa razão.

JOSH – Não sei. Mas acima de tudo, nós somos amigos. O valor de uma amizade não representa nada para você?

AUSTIN – E nós tivemos um lance juntos, Josh. Aquela noite também não representou nada em sua vida?

JOSH – Cara, vamos esquecer aquela noite e nos focar no presente. Você não pode ir embora, porque eu gosto de você e não quero que se afaste só porque as coisas não deram certo pra gente até agora.

AUSTIN – (fechando a mala) Eu não sei por que você perdeu o seu tempo vindo até aqui, Josh. Eu te disse que sairia da sua vida e te deixaria em paz.

JOSH – Você disse sim que sairia da minha vida... Mas, Austin... (se aproxima do garoto) Eu não quero que você saia dela.

AUSTIN – Sim, você quer.

JOSH – Eu sei que as coisas estão bem complicadas nos últimos tempos. Mas tudo vai se acertar. E quando isso acontecer, eu quero ter um grande amigo ao meu lado, com quem eu sei que vou poder contar.

AUSTIN – Mas eu não quero me contentar apenas com amizade, Josh. Eu te amo. Será que isso não consegue entrar na sua cabeça?

JOSH – Em nenhum momento, eu disse que precisamos ser apenas amigos. Vamos dar tempo ao tempo. Eu vou digerir melhor os fatos e ver depois o que podemos fazer pela gente.

AUSTIN – Não, Josh. Eu não quero que você fique comigo por pena ou para servir como um consolo. Eu quero que você me ame assim como eu te amo. Eu não quero ser o substituto do Ryan.

JOSH – Você mesmo me disse que eu deveria esquecer o Ryan, não? Se eu continuar preso a esta relação, eu nunca vou conseguir isso. Agora se eu seguir em frente e tiver alguém interessante ao meu lado, talvez eu consiga deixar essa história no passado.

AUSTIN – Você quer que eu te ajude com isso?

JOSH – (ri) Bom, nós já tivemos um lance juntos...

AUSTIN – (aproxima-se de Josh) E eu me lembro dele todos os dias.

Austin segura a cintura de Josh e aproxima seus lábios aos dele, mas o garoto acaba desviando e dando um beijo no rosto de Austin.

JOSH – Eu disse pra irmos com calma...

AUSTIN – Tudo bem, não quero apressar as coisas. Eu me contento com um beijo no rosto.

JOSH – Ótimo. (olha para as malas) Agora desfaça tudo isso. E se passar pela sua cabeça novamente a ideia de ir embora, eu vou atrás de você onde quer que esteja. (sorri)

AUSTIN – Até que eu gostei dessa ideia. (ri)

A câmera se afasta, enquanto Josh e Austin continuam conversando.

(Música cessa.)

Corta rapidamente para:

 
 
     
 

2x05 - ATOS E CONSEQUÊNCIAS
 
     

CENA 02. CASA DE MARTA. SALA DE ESTAR. INT. DIA.

Marta está passando o aspirador de pó no chão da sala com muita dificuldade. Ela veste um avental e usa um lápis para segurar seus cabelos. A campainha toca. Marta desliga o aparelho e caminha até a porta.

MARTA – (abrindo-a) Alex? O que você está fazendo aqui?

ALEX – (sorri) Oi, Marta... Na verdade, eu estou acompanhado de outra pessoa.

MEGHAN – (aparecendo) Desculpa o atraso, querida. Eu ganhei um novo carro da mamãe e ainda não estou acostumada com o sistema de segurança.

ALEX – Marta, eu e a Meghan viemos até aqui porque eu queria que você conhecesse a minha futura mulher e também porque ela tem uma proposta bastante tentadora pra fazer a você.

Marta, rapidamente, tira o lápis que segurava seus cabelos e dá uma leve ajeitada neles com as mãos.

MARTA – Claro, podem entrar... Só não reparem na bagunça da casa, porque eu não esperava nenhuma visita hoje. (olha feio para Alex)

ALEX – Desculpa, Marta, mas é que a Meghan não queria adiar mais nenhum dia.

MEGHAN – (entrando) Eu fazia questão de conhecer a famosa Marta de quem tanto ouço falar.

MARTA – (tenta descontrair) Não devo ser tão famosa assim, ainda nem apareci em um programa de TV.

Alex e Marta riem, mas Meghan ignora a piadinha e fica observando a casa de Marta.

MEGHAN – Querida, não acredito que uma grande chef de cozinha como você ainda perde tempo com serviços do lar. Aproveite que o restaurante está lucrando e contrate uma doméstica...

MARTA – (sorri) Eu não vejo a necessidade de ter uma. O Josh foi para a universidade e eu moro sozinha aqui. Dou conta de organizar a minha própria bagunça... (pausa) Vocês não querem se sentar? Posso trazer um suco, uma água, um refrigerante. Ou até mesmo preparar algo para que possam comer. Alguns salgadinhos?

MEGHAN – Não se preocupe com isso, querida. Se o Alex não se importar (caminha até o sofá e o limpa antes de se sentar), podemos dar uma passadinha no seu restaurante mais tarde e conhecer o seu cardápio.

MARTA – Ótimo! (olha feio para Alex mais uma vez) Eu vou adorar receber a visita de vocês.

MEGHAN – Eu exijo conhecer aquele lugar. Afinal, foi um presente do meu futuro marido. Eu preciso saber se tudo está em ordem.

MARTA – (começa a se irritar) Quanto a isso, você pode ficar sossegada. O restaurante está em perfeita ordem, tenho ótimos funcionários para me ajudar e a clientela cresce a cada dia.

MEGHAN – Mas é claro que sim. O Alex realça as suas qualidades todos os dias. Não é mesmo, meu amor? (passa a mão ao seu lado no sofá) Venha se sentar aqui.

Alex caminha até o sofá e se senta ao lado de Meghan. Marta senta-se em uma das poltronas.

ALEX – Vamos direto ao assunto, meu amor... A Marta parece estar ocupada.

MEGHAN – Mas somos visitas, meu querido. Aposto que a Marta pode deixar o serviço de casa para outro dia. (olha para Marta) Você não concorda?

Marta responde a pergunta de Meghan com um sorriso irônico.

MEGHAN – Fiquei tão feliz quando soube que o Josh tinha ido para a universidade. Que bom que ele se tornou um garoto de ouro e pôde seguir o caminho que infelizmente você não conseguiu, não é mesmo, Marta?

MARTA – Eu jamais permitiria que o meu filho cometesse os mesmos erros que eu.

MEGHAN – Isso é ótimo. Geralmente, os filhos se espelham no exemplo dos pais. Que bom que o Josh foi uma exceção a esses casos.

MARTA – Sim, o Josh é um garoto muito independente... E eu não me arrependo nem por um minuto de ter abandonado a faculdade para cuidar dele.

MEGHAN – (provoca) Sim, é uma pena que com isso, você acabou sacrificando o sonho de outras pessoas também...

Marta olha para Alex, surpresa.

ALEX – (puxa o braço de Meghan) Acho melhor você se controlar.

MARTA – Parece que você contou tudo sobre mim para a Meghan, Alex.

MEGHAN – Estamos prestes a nos casar, Marta. Não temos o que esconder um do outro. (sorri)

MARTA – Pois bem, diga então o que te trouxe até a minha casa.

MEGHAN – Bom, os preparativos para o casamento estão a todo vapor. Já estamos contratando o bufê, escolhendo os convidados, selecionando a música para a cerimônia. Mas foi aí que percebi que ainda não tenho uma madrinha. Então pensei: “Por que não a Marta? Aposto que ela ia adorar fazer parte de um momento tão importante na vida do seu ex-marido”. E resolvi vir fazer o convite pessoalmente. Espero que você não tenha problemas em aceitá-lo.

MARTA – Eu devo ter, por acaso?

MEGHAN – Não, querida. A menos que isso seja um incômodo, considerando a sua história ao lado do Alex...

MARTA – Claro que não. (provoca) Aposto que as suas intenções eram as melhores possíveis quando decidiu me convidar para ser a sua madrinha.

MEGHAN – Então o convite está aceito? (eufórica) Ótimo, precisamos conversar sobre os detalhes... Como uma boa madrinha, você já deve ir pensando nos vestidos das damas de honra... Ah, claro, não podemos nos esquecer do chá de cozinha... E também tem o...

Meghan continua a falar, mas sem receber importância. A câmera se aproxima de Marta, que vira seu rosto para Alex e fica o encarando furiosamente.

MARTA – (faz o movimento das palavras com a boca) Você... me... paga!

Close em Alex, que engole seco.

CENA 03. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. ALOJAMENTO. CORREDOR DAS SALAS DE AULA. INT. DIA.

O sinal toca, anunciando o término de mais uma aula. Os alunos saem de suas devidas classes e tomam seu caminho em direção a seus dormitórios ou outras salas de aula. Ryan sai de uma delas, guardando alguns livros, distraidamente, em sua mochila. Um homem segurando uma bola de basquete se aproxima dele.

TREINADOR – Ryan, que bom que eu te encontrei... Fui até o seu dormitório, mas seu companheiro de quarto disse que você não estava lá...

RYAN – Você conversou com o meu colega de quarto? (olha surpreso para o treinador) Isso quer dizer que ele existe?

TREINADOR – O que?

RYAN – É que desde que eu cheguei aqui, eu nunca conversei com o meu colega de quarto... Mas, enfim, isso não vem ao caso agora. O que você quer falar comigo?

TREINADOR – Bom, infelizmente, um dos nossos atletas trancou a matrícula e, com isso, deixou o seu cargo no time de basquete à disposição. Então, eu gostaria de saber se você está disposto a preenchê-lo.

RYAN – Ah, claro, eu sempre sendo a última opção...

TREINADOR – Ryan, eu sei que, naquele dia, foi duro pra você ouvir que estava rejeitado. Mas pense pelo lado positivo, é uma nova chance que você está ganhando. Você não seria bobo de desperdiçá-la, não é mesmo?

RYAN – Tudo bem. Acho que eu não conseguiria passar um ano inteiro sem jogar basquete...

TREINADOR – Você foi muito bem nos testes no início do ano e aposto que vai realizar um ótimo trabalho como atleta da Universidade da Califórnia. Posso contar com você no treino da tarde?

RYAN – Claro... Eu só espero que esse garoto não volte e tome a vaga novamente.

TREINADOR – Isso não vai acontecer. Agora você é jogador fixo do nosso time.

RYAN – Ótimo. Prometo a você que não vou te decepcionar.

TREINADOR – Eu aposto que você vai cumprir com a sua promessa. (bate levemente no peito de Ryan) Boa sorte, garoto!

RYAN – Obrigado pela oportunidade.

O treinador sorri e sai. Close em Ryan.

RYAN – Se eu me apressar, talvez eu chegue a tempo de conhecer o meu colega de quarto...

E o garoto sai, apressado.

CENA 04. CASA DE MARTA. COZINHA. INT. DIA.

Marta está terminando de passar um café. Alex entra na cozinha.

ALEX – Oi... Será que podemos conversar?

MARTA – Ué, a sua querida noiva deixou você dividir o mesmo espaço comigo?

ALEX – Eu disse que iria ao banheiro.

MARTA – Do jeito que o faro dela é apurado, aposto que vai descobrir que você está aqui.

ALEX – Olha, Marta, eu sei que a Meghan é uma mulher meio complicada de lidar...

MARTA – Meio?! Você não acha que está sendo um pouco sutil?

ALEX – Veja pelo lado bom, Marta. Ela está sendo gentil em te convidar para ser a madrinha do casamento.

MARTA – Será que você não consegue perceber que ela só está fazendo isso para me provocar?

ALEX – Não queira transformar esse convite em algo que não é, Marta...

MARTA – Alex, desde que vocês chegaram aqui, ela está usando todas as armas possíveis para me atingir. Desde o seu casamento com o meu ex-marido até o meu filho. Agora me diga, o que a minha gravidez precoce tem a ver com isso? Será que ela não pode deixar o meu filho em paz?

ALEX – É, talvez ela esteja exagerando um pouco...

MARTA – Eu só não coloquei aquela mulher pra fora da minha casa porque eu tenho respeito por você. E também porque não quero estragar a nossa relação faltando tão pouco para a cerimônia.

ALEX – (brinca) Você perderia a boca livre...

MARTA – Agora está convencido de que a Meghan pediu que eu fosse madrinha só pra que eu pudesse assistir de camarote ao casamento do meu ex-marido com outra mulher?

ALEX – Acho que sim.

MARTA – Eu sei que você não merecia ouvir isso, mas... Eu imaginava uma mulher diferente para você, Alex. Você é um homem gentil, doce, simpático... Enquanto a sua noiva é arrogante e venenosa... Eu imaginava alguém melhor pra você.

ALEX – Isso é impossível, Marta... A única mulher que seria melhor pra mim é você. E, infelizmente, eu não posso te ter. Aliás, se eu estou prestes a me casar com a Meghan, é porque você insistiu.

MARTA – (abaixa a cabeça) Alex, acho melhor não tocarmos nesse assunto... Vamos para a sala, eu vou servir o café que acabei de passar.

ALEX – (saindo) Ótimo, fuja da realidade e aguente a minha noiva por mais algumas horas... Se você tivesse ficado comigo, nada disso estaria acontecendo.

Alex sai. Close em Marta aborrecida com o que acabara de ouvir.

CENA 05. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. GINÁSIO DE ESPORTES. QUADRA. INT. DIA.

Os atletas do time de basquete da Universidade da Califórnia seguem as instruções do treinador e começam a se exercitar. Ryan entra na quadra, devidamente uniformizado. O treinador caminha até ele.

RYAN – Desculpa o atraso, treinador... Eu tive uma aula antes de vir pra cá. Mas eu prometo a você que vou tentar trocá-la de horário.

TREINADOR – Eu não me importo que você se atrase um pouco para o treino, Ryan. Desde que isso não prejudique o seu desempenho como jogador.

RYAN – Pode ficar sossegado.

TREINADOR – Se junte aos outros garotos e inicie os exercícios. Vamos começar o jogo em alguns instantes...

Ryan sorri e se aproxima dos outros atletas do time. Eles sorriem para Ryan, como um gesto de recepção, e voltam a se exercitar. Ryan também começa a sua série de exercícios. A câmera se afasta, percorrendo toda a quadra até chegar à arquibancada. Josh acaba de chegar ao local e se senta nela. O treinador dá o apito inicial e libera a bola. Os atletas começam a treinar o arremesso à cesta. Ryan se prepara para a sua jogada. Ele quica a bola algumas vezes no chão e a arremessa com muita confiança. A bola atravessa a cesta. O garoto recebe os aplausos de alguns garotos e sorri. Involuntariamente, ele olha para a arquibancada, onde Josh está sentado. Ao perceber que Josh está assistindo ao treino, Ryan vira o rosto, fingindo ignorar a sua presença. Close em Josh, que fecha o sorriso, decepcionado.

Corte descontínuo para:

(música: Hold My Heart - Sara Bareilles)

RYAN – (saindo do ginásio bastante suado) Eu não sei o que você veio fazer aqui, Josh...

JOSH – (espera os outros garotos saírem antes de dizer) Eu fiquei muito feliz ao saber que você tinha sido chamado para participar do time de basquete. Lembra quando eu assisti ao seu primeiro treino de basquete na San Francisco High School?

RYAN – Aquilo é passado, Josh... Você não deveria ter vindo aqui. Aliás, não era pra gente nem estar conversando.

JOSH – Você disse que, mesmo com o término do namoro, nós poderíamos continuar sendo amigos, Ryan...

RYAN – Isso foi antes daquela noite, Josh... Infelizmente, eu acabei bebendo mais do que devia e dizendo coisas que eu não deveria ter dito.

JOSH – Aquela noite foi realmente embaraçosa, Ryan... Mas vamos fazer de conta que não aconteceu. Tudo bem?

RYAN – É nesse ponto que somos diferentes, Josh. Enquanto você insiste em dizer que a sua transa com o Austin não significou nada, eu não tenho vergonha de assumir os meus erros. Você deveria fazer o mesmo.

Ryan sai apressado em direção ao vestiário. Close em Josh, surpreso com o que Ryan acabara de dizer.

CENA 06. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. ALOJAMENTO. DORMITÓRIO DE CHAD. INT. DIA.

(Música cessa.)

Chelsea e Chad estão sentados no chão rodeados de cadernos. Eles estudam e ouvem uma música que está sendo tocada no rádio.

CHELSEA – ...E com isso, podemos dizer que a formação de uma ligação trata-se de um processo endotérmico ou exotérmico?

CHAD – Exotérmico, pois perde calor durante a ligação. Enquanto a ruptura ou quebra é um fenômeno endotérmico, porque absorve energia.

CHELSEA – Muito bem! Parece que eu me oferecer pra estudar com você foi uma ótima ideia.

CHAD – Seria impossível eu não aprender química ao lado de uma garota tão bonita quanto você.

CHELSEA – Pare com isso, Chad, desse jeito eu vou acabar ficando envergonhada...

CHAD – E desde quando uma garota precisa ter vergonha de ser bonita? (coloca o caderno de lado) Eu sei que da última vez eu te deixei em uma situação constrangedora, mas o que você acha da gente repetir aquele beijo?

CHELSEA – Chad, você prometeu que daria atenção aos estudos...

CHAD – E eu estou dando. Mas além de estudar, nós também temos que nos divertir. Que tal nos divertirmos juntos também?

CHELSEA – Sabe o que é, Chad... Eu sou uma garota séria. Eu não sou como essas meninas que saem por aí beijando um garoto a cada fim de semana. Quando eu estou com algum garoto, eu gosto que seja real, intenso. E eu não sei se você compartilha a mesma opinião. Então se você quer apenas curtição comigo, talvez não devêssemos nos arriscar...

CHAD – (olha no fundo dos olhos de Chelsea) E quem disse que eu estou procurando apenas curtição com você?

CHELSEA – Então quer dizer que você... (sorri) Você está interessado por mim, Chad?

CHAD – Desde que você bateu na minha porta pedindo que eu ficasse ao lado da sua amiga nas eleições para supervisor do andar.

CHELSEA – Eu não consigo parar de pensar em você desde esse dia. Eu sei que não deveria ficar pensando em um garoto que eu mal conheço, mas é mais forte que eu... Talvez eu também esteja interessada em você.

CHAD – Então... Se você quiser, nós podemos dar uma chance pra gente e descobrir o que rola.

(música: Just The Way You Are - Bruno Mars)

Chelsea sorri e aproxima seu rosto ao de Chad. O garoto continua a olhar firmemente para os seus olhos e toca seus lábios aos dela. Então, começam a se beijar. À medida que eles se entregam ao beijo, ele vai ficando mais caloroso e intenso. Chad interrompe o momento por alguns instantes e afasta os livros que estavam ao redor deles. Em seguida, segura com uma das mãos as costas de Chelsea e, com a outra, deita levemente o corpo da garota no chão. Ele deixa de beijá-la exclusivamente na boca e vai tocando seus lábios por outras partes do corpo. Close em Chelsea, arrepiada com as carícias do garoto. Enquanto beija o seu pescoço, Chad leva suas mãos até as coxas da garota, acariciando-as calorosamente. Chelsea, com suas mãos, puxa a camisa dele bruscamente e começa a deslizar seus dedos sobre o belo corpo do rapaz. Chad, bastante excitado, também tira a blusa de Chelsea e começa a massagear seus peitos. Chelsea fecha os olhos, entorpecida com o momento de prazer.

CHAD – (sussurra) Talvez isso não estivesse nos seus planos para hoje... Então se você quiser parar...

CHELSEA – (abre os olhos) Eu sei que é meio embaraçoso para uma garota dizer isso, mas... Esta vai ser a minha primeira vez.

CHAD – (sussurra em sua orelha) Eu prometo que vou ser o mais carinhoso possível.

Chelsea sorri e volta a se concentrar no momento. Chad, levemente, coloca as suas mãos por baixo das costas de Chelsea e desabotoa o sutiã dela com muita habilidade. A câmera não mostra, mas o garoto começa a lamber os seus seios, percorrendo com a língua por toda a barriga de Chelsea. Ele então desabotoa a calça dela, deixando-a apenas de calcinha. Ele se ajoelha. Chelsea também. Ela o beija com muita excitação. Em seguida, se levantam. Chelsea desabotoa a calça de Chad, deixando-o também de cueca. A câmera se afasta, mostrando os dois garotos praticamente nus. Eles se beijam calorosamente, intensamente, freneticamente... Chelsea vai puxando a cueca de Chad para baixo. Ela o joga na cama e sobe em cima do seu corpo. A imagem escurece.

CENA 07.

(A música tocada na cena anterior continua a ser executada nesta.)

Tomada da cidade de San Francisco com imagens dos principais pontos turísticos locais até chegar à fachada da Universidade da Califórnia. Anoitece.

CENA 08. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. ALOJAMENTO. DORMITÓRIO DE JOSH. INT. NOITE.

(Música cessa.)

Josh está fazendo a leitura de um livro. A campainha toca. O garoto sorri, sugerindo que já sabe de quem se trata a visita. Então, fecha o livro, o guarda em sua mochila e segue em direção a porta.

JOSH – (abrindo-a) Que bom que você veio...

AUSTIN – Vim o mais rápido que pude... (entrando) Que assunto tão urgente é esse que você tem pra falar comigo?

JOSH – (fechando a porta) Lembra quando nós conversamos pela manhã e eu disse que deveríamos dar tempo ao tempo?

AUSTIN – Lembro. Não bati a cabeça em nenhuma pedra durante o dia. (ri)

(música: Hero - Enrique Iglesias)

JOSH – (aproxima-se de Austin e entrelaça seus braços ao corpo do garoto) Talvez a gente deva deixar o tempo pra lá e começar a tentar desde já...

AUSTIN – Desde já?! (sorri) Eu gostei da ideia... Mas o que te levou a mudar de decisão?

JOSH – Não sei. Depois de tudo o que aconteceu nos últimos tempos, da conversa que tivemos outro dia, de tudo o que eu vivi desde que o Ryan foi passar as férias de verão em Los Angeles... Eu percebi que, por ser o primeiro grande amor da minha vida, eu depositei grandes expectativas no meu relacionamento com o Ryan, chegando a acreditar que ele seria eterno. Mas a vida não é assim. Amores vão e vem. Às vezes, não dá pra saber se vai durar ou se vai ser curto. Hoje, eu resolvi parar de me sacrificar pelo Ryan e, sei lá, caminhar pra frente. Chega de me arrepender por ter ficado com você naquela noite. Eu disse que não significou nada pra mim, mas eu e o Ryan já não tínhamos mais nada quando tudo aconteceu. Foi bom, foi novo e foi com você.

AUSTIN – (sorri) Josh, você não sabe como eu me sinto feliz em ouvir isso...

JOSH – Acho que não era pra ser com o Ryan... Então, chegou a hora de dar valor pra alguém que me ama e que quer me ver feliz... (sorri) Se você quiser, você pode me fazer feliz.

AUSTIN – (olha no fundo dos olhos de Josh) É claro que eu quero. E eu vou te fazer o garoto mais feliz desse mundo...

E, sem pensar duas vezes, Austin surpreende Josh com um beijo caloroso. A câmera se afasta, enquanto os dois se beijam apaixonadamente, com seus corpos entrelaçados um ao outro.

CENA 09. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. ALOJAMENTO. DORMITÓRIO DE CHELSEA E KEITH. INT. NOITE.

(Música cessa.)

Chelsea anda de um lado para o outro. Ela rói as unhas, demonstrando estar nervosa. Keith entra no quarto com alguns livros em mãos.

KEITH – Oi, amiga...

CHELSEA – (irritada) Keith, posso saber onde você estava?

KEITH – (estranhando a amiga) Desculpa, mãe... Eu não sabia que tinha que pedir a sua autorização para ir até a biblioteca.

CHELSEA – (bufa) Eu é que tenho que me pedir desculpas. Por causa deste garoto, eu violei os meus próprios princípios.

KEITH – Que garoto? (joga os livros na cama) Que conversa é essa, Chelsea?

CHELSEA – Lembra que eu te disse que só transaria com um garoto quando eu soubesse que ele é ideal para mim?

KEITH – Sim. Não é a toa que você esperou tantos anos de namoro até decidir transar com o Josh. (ri sarcasticamente) Pena que ele resolveu virar gay justamente no dia que você quis perder a virgindade.

CHELSEA – E se eu tivesse transado com ele naquela noite, eu me arrependeria pelo resto da minha vida mais tarde... E, adivinhe! É como eu estou me sentindo agora. (começa a se bater) Eu te odeio, Chelsea!

KEITH – Ok, amiga, antes de se auto flagelar, me responda uma coisa. (encara Chelsea) Eu ouvi errado ou você transou com alguém?

CHELSEA – Não, você não ouviu errado. Eu cometi um erro nessa tarde, Keith, e eu daria tudo para voltar no tempo agora e corrigi-lo. (pausa) Você era a prova viva de que eu queria perder a virgindade com alguém que gostasse de mim...

KEITH – Por acaso você transou com o...

CHELSEA – (interrompe) Chad. Sim, eu transei com ele.

KEITH – Então eu não entendo o motivo de tanta culpa. Desde que você conheceu esse garoto, você não para de tocar no nome dele. É Chad aqui, é Chad lá. Eu já estou começando a ficar enjoada desse garoto.

CHELSEA – Sim, antes era difícil assumir, porque eu mal o conhecia... Mas a verdade é que eu estou balançada por ele. E eu estou com medo de que ele não sinta o mesmo por mim.

KEITH – Peraí, talvez você não esteja se sentindo culpada por ter transado com ele, mas porque tem medo que ele não esteja interessado em você. (ri) Chelsea, você está apaixonada!

CHELSEA – (emburrada) Você acha?!

KEITH – Eu tenho certeza. Amiga, você conversou com ele sobre isso?

CHELSEA – Antes de transarmos. Ele também disse que estava interessado por mim. Mas quem garante que isso não era apenas um galanteio pra me levar pra cama?

KEITH – Se ele disse que está interessado por você, então pelo menos tenha o benefício da dúvida. Sei lá, convide-o para um encontro. Vocês podem conversar sobre o que aconteceu e descobrir se as opiniões são compatíveis.

CHELSEA – Será?

KEITH – Eu tenho certeza. (sorri) Mas agora me conta. Como foi? Quem tomou a iniciativa? Demorou muito tempo? Vocês se protegeram, né?

CHELSEA – Claro que sim. Eu posso ter ido contra aos meus princípios, mas não sou tão burra a ponto de transar sem camisinha. E respondendo ao seu questionário, sim... Foi bom. Na verdade, foi ótimo. Ele foi gentil, carinhoso. As pessoas sempre reclamam da primeira vez, mas a minha foi perfeita.

KEITH – Então não tem porque você se queixar. Quem sabe ele pode ser o garoto que você esperava há tanto tempo. (sorri) Vamos, corre, fique bem bonita e vá procurar ele. Vocês têm muita coisa para conversar!

CHELSEA – (sorri) Obrigada pelos conselhos, amiga!

KEITH – Não tem por onde. Estou até pensando em abrir um blog para ajudar os universitários em relação a assuntos como amor, sexo... Além de supervisora do andar, vou ser conselheira amorosa e sexual. O que você acha?

CHELSEA – Eu acho que devo ficar fora das suas ideias malucas. (saindo) Vou me arrumar, tenho um garoto me esperando.

KEITH – Valeu pela gratidão, Chelsea. (senta-se na cama e cruza os braços, chateada)

CENA 10. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. ALOJAMENTO. DORMITÓRIO DE JOSH E MATT. INT. NOITE.

Josh e Austin estão deitados de conchinha na cama, nus, cobertos apenas por um lençol, o que sugere que acabaram de transar. Austin dá vários beijos no braço do garoto.

AUSTIN – O que achou?

JOSH – (sorri) Foi ótimo.

AUSTIN – Tem certeza que dessa vez não está arrependido?

JOSH – Não, porque eu tinha certeza do que estava fazendo.

AUSTIN – Se eu pudesse, passaria o resto da noite aqui abraçadinho com você...

JOSH – Eu adoraria, mas o Matt pode chegar a qualquer momento e eu não quero que ele se depare com a gente nessa situação.

AUSTIN – (ri) Ele ia querer participar?

JOSH – (olha feio para o garoto) Austin!

O celular de Josh começa a tocar. O garoto ameaça atender, mas é barrado por Austin.

AUSTIN – Nada disso...

JOSH – (olhando o identificador de chamadas) É a minha mãe, pode ser algo importante...

AUSTIN – Tudo bem. A minha futura sogra você pode atender.

JOSH – Já está tão confiante assim? (atendendo a ligação) Alô, mãe?!

A tela se divide em duas partes. Em uma, fica Josh, sendo beijado por Austin; e em outra, fica Marta, que está na cozinha do seu restaurante.

MARTA – Socorro! Ligue para o sanatório e peça que eles venham me buscar, porque depois dessa noite eu vou estar completamente maluca.

JOSH – Mãe, o que tá acontecendo?

MARTA – O seu pai e a sua noivinha vieram me visitar. Adivinha? Ela veio jogar na minha cara que está prestes a se casar com meu ex-marido. E não termina por aí: me convidou para ser a sua madrinha. E, não, ainda não acabou: ela está aqui, neste momento, se empanturrando com todos os pratos do cardápio. E tem mais: encontrando defeito em todos eles. Ok, você já pode vir me salvar.

JOSH – (ri) Ela não deve ser tão cruel assim...

MARTA – Você diz isso porque está bem longe dela. Mas você já passou um tempo com esta mulher, então sabe como ninguém que aturá-la é missão para poucos.

JOSH – Sim, mãe, não é fácil. Mas nós temos que fazer um esforcinho. Ela é a noiva do papai e ele não gostaria que a gente ficasse contra ela.

MARTA – Tudo bem. Eu já suportei a fera durante o dia todo, algumas horinhas a mais não vão fazer nenhuma diferença.

JOSH – Ou você pode... sei lá... se vingar de todas as provocações que ela fez a você.

MARTA – Como?

JOSH – Sei lá, coloque purgante na comida. Ela não quer encontrar defeito em seu cardápio? Finalmente vai conseguir.

MARTA – Josh, eu achei que você fosse um garoto bom...

JOSH – Você não vai deixar que essa mulher saia por cima de você, né?

MARTA – Jamais! Mas, pensando bem, e se ela quiser me denunciar?

JOSH – Veja pelo lado positivo: você será uma mulher fora da lei... Viverá uma vida perigosa!

MARTA – (ri) Depois te ligo para contar o resultado. Beijos, filho, te amo.

JOSH – Também te amo, mãe.

Marta desliga o celular. Josh ganha tela.

AUSTIN – (olha surpreso para Josh) Purgante? Você é um garoto muito mau, Josh!

JOSH – (sobe em cima de Austin) Você ainda não viu nada...

E os dois garotos se beijam calorosamente.

CENA 11. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. ALOJAMENTO. CORREDOR DE DORMITÓRIOS. INT. NOITE.

Chelsea anda toda esperançosa rumo ao dormitório de Chad. No caminho contrário, vem outra garota, seguindo a mesma direção que Chelsea. Elas se cruzam e param em frente a porta do quarto de Chad.

CHELSEA – Oi... Você vai bater?

GAROTA – (ri) Na verdade, eu tenho a permissão para entrar...

CHELSEA – Você é a companheira de quarto do Chad?

GAROTA – Não, eu sou a namorada dele. Meu nome é Hilary.

CHELSEA – (surpresa) Namorada?!

HILARY – Sim. E você, quem é?

Chelsea, lentamente, se afasta da garota.

HILARY – Você está bem?

Sem reação, Chelsea sai correndo pelo corredor dos dormitórios. Hilary olha assustada, estranhando o comportamento da garota. A câmera mostra o corredor. Rapidamente, Chelsea some de vista.

A imagem escurece.

 
 

AUTOR
André Esteves

ELENCO
Graham Phillips como Josh Parker
Sterling Knight como Ryan Jordan
Jean-Luc Bilodeau como Austin Davis
Victoria Justice como Chelsea Harris
Ariana Grande como Keith Hurly
Rose McGowan como Marta Benton

ATORES CONVIDADOS
Tyler Posey como Chad Fletcher
Joshua Jackson como Alex Parker
Erika Christensen como Meghan Kimble
 
PARTICIPAÇÕES ESPECIAIS
Willa Holland como Hilary Bailey
Scott Speedman como Treinador

TRILHA SONORA
So Small - Carrie Underwood (Tema de Abertura)
No Boundaries - Kris Allen
Hold My Heart - Sara Bareilles
Just The Way You Are - Bruno Mars
Hero - Enrique Iglesias

PRODUÇÃO

Bruno Olsen

Diogo de Castro


Esta é uma obra de ficção virtual sem fins lucrativos. Qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações da vida real terá sido mera coincidência.

REALIZAÇÃO


Copyright
© 2016 - WebTV
www.redewtv.com
Todos os direitos reservados
Proibida a cópia ou a reprodução

.aaa.
.aaa.

Compartilhar:

 
Copyright © WebTV | Design by OddThemes