NEW STAGES - 2x02



2x02
 
 
 

VOZ DE JOSH – Anteriormente em New Stages...

AUSTIN – Você e o Ryan estão bem?

JOSH – Não. Na verdade, eu não sei bem como nós estamos. Não sei se ele está dando um tempo, se é um rompimento temporário, ou se o nosso namoro terminou pra valer mesmo. Mas, quer saber, eu não vou estragar as minhas férias por causa disso.

AUSTIN – Ótimo. Aceita sair comigo hoje à noite?

JOSH – Não sei... Acho que não.

AUSTIN – Qual é, cara. Você não disse que quer aproveitar as suas férias? Então saia comigo. Nós podemos ir jogar boliche, comer alguma pizza. É a sua primeira noite em Nova York, certo? Vamos estrear em grande estilo.

--------

AUSTIN – ...Eu estraguei o seu namoro com o Ryan. Por mais que eu goste de você, eu nunca teria a intenção de prejudicar o seu relacionamento. Eu sei que você ama o Ryan...

JOSH – Austin, por favor...

AUSTIN – Eu também estou apaixonado por você, mas sei que aquele beijo foi um erro. Eu vou fazer o possível pra esquecer o que sinto por você e prometo que não vou mais atrapalhar a sua vida. Eu só... Eu só precisava de um beijo seu. Não sabia como agir... Eu...

E Josh, involuntariamente, se aproxima de Austin e o surpreende com um beijo na boca. O garoto retribui o gesto do amigo. Eles se beijam calorosamente, enquanto suas mãos passeiam por seus corpos.

--------

AUSTIN – (levanta um pouco a cabeça) Tem certeza que você quer continuar? Eu estou muito afim de transar com você, Josh, mas não quero que faça algo pelo qual vai se arrepender depois.

JOSH – Não. Eu já disse que enterrei algumas coisas do passado. Eu estou certo do que tô fazendo.

E, lentamente, Josh começa a puxar a cueca do garoto...

--------

MARTA – Fica tranquilo, Josh. Aposto que você vai se dar muito bem na Universidade de Califórnia.

JOSH - Eu também. Tenho que confessar que estou muito ansioso para o meu primeiro dia. Dá pra imaginar, mãe? Outro dia, eu estava com 10 anos, vindo morar aqui em San Francisco. Daí acordo hoje e falta menos de sete dias para eu ir para a faculdade. As coisas são realmente uma loucura...

--------

RYAN – ...Vou precisar dar o meu melhor nos testes para a formação de equipe de basquete da Universidade da Califórnia.

SUZIE – Eu tenho certeza que a sua vaga já está garantida. Ninguém vai querer perder o melhor jogador de basquete que já pisou na San Francisco High School.

RYAN – Eu estou indo para uma universidade de renome, mãe... Lá, as coisas são diferentes...

SUZIE – As coisas podem ser diferentes, mas o talento do meu grande garoto continua igual.

--------

CENA 01. CASA DE JOSH. QUARTO DE JOSH. INT. NOITE.

A imagem abre no quarto de Josh. A luz está apagada, mas o local é iluminado pela luz lunar que atravessa a janela. A câmera segue até a cama do garoto, onde ele aparentemente dorme. Então, aproxima-se de seu rosto e vemos que seus olhos estão abertos. Josh se revira na cama, tentando encontrar uma posição melhor para dormir, mas algo parece incomodá-lo. Closes alternados mostrando Josh se posicionando de diversas formas na cama. O garoto bufa, irritado, e então decide se levantar, seguindo em direção a porta. A imagem corta rapidamente para:

CENA 02. CASA DE JOSH. COZINHA. INT. NOITE.

Josh, vestindo um pijama, acende a luz da cozinha. Ele caminha até a geladeira, a abre e tira uma garrafa de água de dentro dela. Pega um copo no armário e senta-se à mesa. Por alguns instantes, o garoto fica encarando o copo e a garrafa de água. Ouvimos alguns passos. Marta também entra na cozinha.

MARTA – (surpresa ao ver o filho) Josh! São quatro da manhã. O que está fazendo acordado?

JOSH – A mesma pergunta serve a você. Por que está de pé a essa hora, mãe?

MARTA – Eu acabei acordando e resolvi vir buscar um copo de água.

JOSH – Ou será que é porque em algumas horas eu deixo a sua casa e vou morar num alojamento de universidade? (sorri)

MARTA – (sentando-se à mesa) Ei, garoto, você realmente tem o dom de captar as coisas. A ideia de morar sozinha, feito uma quarentona divorciada, não me agrada nem um pouco.

JOSH – Quarentona? Mãe, você ainda tem trinta e cinco anos.

MARTA – O que quer dizer que estou próxima dos quarenta, Josh. Na minha idade, o tempo não passa, nem corre. Ele simplesmente voa!

JOSH – Então fica tranquila, porque esses meus quatro anos na universidade também vão passar voando. Logo eu volto para morar com a senhora.

MARTA – Até parece que você vai querer morar comigo depois de receber o seu diploma de medicina. Você vai ter muitos pacientes para cuidar, nem vai querer dar mais atenção para uma velha feito eu.

JOSH – Mãe, acho que ficar uma noite sem dormir só está colaborando para o seu instinto dramático. Vamos, volte para a cama.

MARTA – Não, que isso. Você não veio até a cozinha porque está sem sono? Eu também estou. Vamos passar essas últimas horas juntos. Porque depois que você for para a famosa Universidade da Califórnia, eu não sei mais quando te verei novamente.

JOSH – Você tá criando tempestade em copo d’água, mãe. Eu vou morar no campus da universidade sim, mas os finais de semana serão totalmente dedicados à casa da mamãe. (sorri)

MARTA – E então, você está ansioso para o seu primeiro dia como um calouro?

JOSH – O que você acha? Tenho uma pista: não consegui pregar o olho desde às onze da noite. E olha que a minha pretensão era ir bem descansado para a universidade.

MARTA – Ótimo, é melhor você ir se acostumando. Quando você conhecer o ritmo de uma universidade, não vai mais ter tempo para dormir. (provoca) Fico feliz que já esteja se preparando para o seu futuro.

JOSH – Ah, é assim? Já que não vou ter tempo para dormir, então vou te ligar durante a noite inteira para que você possa me fazer companhia nos estudos. (ri) Parece que alguém também vai passar noites em claro...

Marta também ri.

MARTA – Josh... (pega na mão do filho) Eu sei que estamos levando o assunto para o lado da brincadeira, mas se trata de algo muito sério. Universidade é o começo da sua vida como um homem independente e, por mais doloroso que seja estar longe de você, eu fico muito feliz acima de tudo em te ver seguindo o caminho que, infelizmente, eu não pude seguir, mas que dei o melhor de mim para que você ao menos pudesse alcançá-lo...

JOSH – Acho que você fez uma boa tarefa, dona Marta. (sorri)

MARTA – Eu estou muito orgulhosa de você, meu filho.

Josh aperta firmemente a mão de sua mãe e sorri para ela, emocionado.

CENA 03. CASA DE RYAN. SALA DE ESTAR. INT. NOITE.

Ryan e Suzie estão sentados no chão da sala, ao redor da mesinha central, jogando Banco Imobiliário. Suzie interrompe a partida para um longo bocejo.

RYAN – (percebendo que a mãe está com sono) Ok, dona Suzie. Você estava vencendo a partida mesmo. Não precisamos ir até o final pra saber que é a vencedora. Vai para o seu quarto e simplesmente descanse, ok?

SUZIE – Não, meu filho! Eu prometi a você que passaria a sua última noite em casa ao seu lado, não prometi? E, pelo o que eu saiba, ela ainda não terminou. Vamos, você ainda tem tempo para virar o jogo.

RYAN – (olha no fundo dos olhos de Suzie) Mãe, eu vou sentir muito a sua falta enquanto eu estiver morando no alojamento da universidade.

SUZIE – (passa a mão nos cabelos de Ryan) Eu fico muito feliz em ouvir isso de você, meu filho. Mas não era você que até outro dia não queria saber de papos melancólicos de despedida?

RYAN – É... Mas sei lá... Eu só queria dizer isso a você. Eu sou muito grato por tudo que você fez por mim até hoje. Se eu estou indo para a universidade, eu devo isso exclusivamente a você.

SUZIE – E eu estou muito orgulhosa por você estar dando esse grande passo, Ryan. (sorri) Vê se toma juízo naquela universidade e volta com um grande diploma para a casa, hein?

RYAN – Eu juro que vou tentar ser um bom universitário. (sorri)

SUZIE – Antes de eu te derrotar no Banco Imobiliário (realça) MAIS UMA VEZ, será que você me permite uma pergunta?

RYAN – Claro, diga.

SUZIE – Eu lembro que você e o Josh, antes de viajarem para a casa de seus pais, não passavam um único dia sem conversarem. E, agora que voltaram para a casa, percebi que nenhum dos dois procurou mais o outro. Por acaso, aconteceu alguma coisa entre vocês que eu não estou sabendo?

RYAN – (tira o sorriso do rosto) Não, mãe... Acho que essa preparação louca para a universidade acabou nos afastando... Mas, acredite, as coisas estão normais entre a gente... (diz para si mesmo) Eu acho.

SUZIE – Ótimo. Porque a amizade de vocês dois é muito bonita, não pode ser desperdiçada por qualquer besteira que possa ter acontecido.

RYAN – É...

Ryan olha para baixo e acaba se distraindo em seus próprios pensamentos.

EFEITO FLASHBACK:

JOSH – (correndo atrás de Ryan) Josh, volta aqui, eu posso explicar...

RYAN – (se vira para Josh) Você não precisa explicar nada, Josh... Eu acabei de te ver beijando aquele babaca... Não vá me dizer que você queria ser gentil com ele novamente.

JOSH – Ele me beijou a força, Ryan. Eu nem esperava que ele fizesse isso. (grita) Ryan, você tem que acreditar em mim...

FIM DO EFEITO FLASHBACK.

Suzie percebe que o filho está desligado e decide chamar a sua atenção.

SUZIE – Ryan... Tudo bem com você?

RYAN – (olha para Suzie) Tudo bem sim, mãe. Acredite, mãe, as coisas entre mim e o Josh vão ser encaminhadas.

SUZIE – E por que de repente ficou meio fora de órbita?

RYAN – Não, nada, eu só estava pensando na universidade. Além de estar indo para o campus, hoje é o teste que definirá a nova equipe de basquete da Universidade da Califórnia. Eu estou um pouco receoso...

SUZIE – Tudo vai dar certo, Ryan. Você é um bom jogador, deixou isso bem evidente durante a sua permanência no time da San Francisco High School, e vai garantir a sua vaga na equipe da universidade.

RYAN – Eu espero.

SUZIE – A sua fã número um vai estar torcendo por você. Agora, chega de querer atrasar a sua derrota. Vamos continuar esse jogo.

RYAN – Vamos.

Suzie volta a se concentrar no jogo. Close em Ryan, que ainda se mostra “distante”, pensando em tudo o que aconteceu entre ele e Josh.

 
 
     
 

2x02 - OS UNIVERSITÁRIOS
 
     

CENA 04.

(música: California Summer - Destine)

Tomada da cidade de San Francisco com imagens dos principais pontos turísticos locais até chegar à fachada da Universidade da Califórnia. Vemos vários carros estacionando, muitas pessoas entrando e saindo do prédio, novos alunos se conhecendo, tutores passando as devidas instruções para eles, pais se despedindo dos filhos; o movimento que marca o início da vida universitária destes jovens. A imagem corta para: 

CENA 05. UNIVERSIDADE DE CALIFÓRNIA. CAMPUS. ALOJAMENTO. DORMITÓRIO DE JOSH. INT. DIA. 

A porta se abre, revelando Josh. O garoto coloca as duas malas no chão e sorri ao ter a sua primeira visão do dormitório. O local está completamente vazio, apenas com duas camas e alguns móveis sem nada dentro. Ele volta a pegar suas malas e entra no dormitório, colocando-as do lado da cama. Então, senta-se nela e continua a admirar o local. De repente, ouvimos alguns gritos de meninas vindo dos corredores. Chelsea e Keith entram, eufóricas.

(A música cessa.)

KEITH
– (animada ao vê-lo) Josh! É você?

CHELSEA – Não, Keith. É uma cópia perfeita do Josh que também foi selecionado para estudar na universidade. Olha que legal, teremos a inteligência de dois Josh para orgulhar o nome deste lugar.

KEITH – (ignora Chelsea) Não liga não, Josh, ela só está meio nervosa para o seu primeiro dia na universidade. Aliás, todos nós estamos, né? (sorri) Josh, quanto tempo que eu não te via, venha aqui me dar um abraço.

E, inesperadamente, Keith avança para cima de Josh, o abraçando intensamente. Close em Josh surpreso com a reação da garota. Chelsea leva uma de suas mãos até a orelha e faz um gesto como se Keith estivesse louca. O garoto sorri.

KEITH – (terminando o abraço) Olha, Josh, eu já inscrevi o meu nome para a eleição dos supervisores deste andar. Nós estamos morando nele também, acredita? Seremos vizinhos!

JOSH – Sim, eu fico muito feliz em saber que estou ao lado de conhecidos.

KEITH – Então, eu acho uma tremenda bobeira esse lance de eleições. Afinal, ninguém conhece ninguém, né? Mas você me conhece, Josh. Então não se esqueça de votar em Keith Hurly, ok? Guardou bem esse sobrenome? Hurly.

CHELSEA – Ok, amiga, o recado tá dado e o Josh com certeza vai votar em você. Agora vamos para o nosso dormitório, porque temos muita coisa para organizar.

KEITH – Que pressa é essa, Chelsea? É nosso primeiro dia na universidade. Dia de conhecer o lugar, os novos alunos, matar as saudades, contar como foram as férias... Pare de ser careta, Chelsea!

CHELSEA – (puxando o braço de Keith) Fica tranquilo, Josh, eu já estou tirando ela daqui...

KEITH – (sendo puxada por Chelsea) Esses quatro anos serão muito divertidos, Josh. Muito divertidos!

CHELSEA – Tchau, Josh. Depois a gente conversa civilizadamente. Antes eu preciso dopar essa menina.

As garotas saem do quarto. Close em Josh rindo. Ele se levanta da cama e fica observando um quadro que está na parede. A câmera vai até a porta e revela um garoto entrando no dormitório, acompanhando de várias malas. Descobrimos que trata-se de Matt.

MATT – Desculpa, parceiro. Demorei muito pra chegar? Espero que não tenha escolhido a melhor cama.

Josh reconhece a voz de Matt. Close em sua expressão assustada. Ele se vira para o garoto completamente surpreso.

JOSH – Matt?

MATT – (surpreso) Josh?

JOSH – Não, eu não posso estar vendo isso... Primeiramente, o que você tá fazendo aqui?

MATT – Sou o novo calouro da universidade. Surpreso em me ver?

JOSH – Eu não acredito que a Universidade da Califórnia está recebendo alunos do seu porte...

MATT – Eu posso não ser o garoto mais inteligente deste planeta, Josh, mas eu tenho as minhas influências... (ri)

Josh bufa, irritado, e então pega as suas malas que estavam ao lado da cama.

MATT – Aonde pensa que vai?

JOSH – Eu vou pedir a transferência de quarto. Dividir o mesmo dormitório com você é a última coisa que espero para a minha vida aqui nesta universidade. (sai apressado)

MATT – (rindo) Ótimo. Mal cheguei à universidade e já estou começando a incomodar...

Close no garoto, que coloca as suas malas sobre a cama que antes havia sido escolhida por Josh.

CENA 06. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CENTRAL DE SUPORTE AOS ALUNOS. INT. DIA.

Josh entra no local com duas malas nas mãos. A funcionária, ao perceber que o garoto está na sala, joga rapidamente o cigarro que estava fumando no lixo.

FUNCIONÁRIA – (engasgada com a fumaça) Querido, você acabou de chegar à universidade, duvido muito que tenha uma reclamação pertinente a fazer...

JOSH – Na verdade, a minha reclamação envolve mais assuntos pessoais do que relacionados à universidade. Mas eu preciso que você me ajude. É extremamente importante para a minha permanência neste lugar.

FUNCIONÁRIA – Desembucha.

JOSH – Eu meio que não me dou bem com o meu parceiro de quarto... Então eu gostaria de saber se você pode me mudar para um novo dormitório, ou até mesmo para um andar diferente. Eu não me importo com isso.

FUNCIONÁRIA – Ah, então você não se dá muito bem com o seu parceiro de quarto?

JOSH – Sim, são desentendimentos que vêm desde os nossos tempos de escola.

FUNCIONÁRIA – Pois então passe a se dar. Entenda uma coisa, garoto, esse é um local para estudos. Você está aqui para se focar em sua carreira profissional e se tornar um adulto de sucesso. Esqueça as inimizades passadas e volte para o seu dormitório. Ah, e só retorne aqui se tiver reclamações construtivas. Quem sabe eu possa ajudá-lo.

Close em Josh, assustado.

JOSH – Ok... Desculpa... Eu não queria incomodar a senhora.

FUNCIONÁRIA – Não é incômodo nenhum. E desculpa o meu tom de voz. Nós estamos aqui para preparar vocês, adolescentes, para a vida. E às vezes a vida não nos diz as coisas que queremos realmente ouvir. (sorri) Próximo!

Josh sai ainda surpreso com o atendimento da mulher. Outro estudante entra na sala e começa a conversar com a funcionária, mas também não é bem recepcionado.

CENA 07. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. ALOJAMENTO. DORMITÓRIO DE JOSH E MATT. INT. DIA.

Josh entra no quarto e joga suas duas malas em cima da outra cama. Matt está deitado em uma delas, ouvindo algumas músicas com seu fone de ouvido.

JOSH – Ótimo, você nem esperou eu sair direito do quarto para roubar a cama que já havia sido escolhida por mim.

MATT – (tira os fones de ouvido) Desculpa, você está falando comigo?

JOSH – Esquece. Parece que reclamações importantes não são bem aceitas neste lugar. Serei obrigado a dividir o mesmo dormitório que você.

MATT – Como eu estava dizendo, eu tenho as minhas influências por aqui, Josh. Talvez eu possa encontrar um novo lugar para você.

JOSH – Não quero saber das suas provocações, Matt. Vamos, levanta dessa cama, a gente precisa estabelecer regras básicas para que uma boa convivência possa pelo menos existir entre nós dois. O que eu acho meio difícil, mas não custa nada tentar...

MATT – (levanta-se) Sou todo ouvidos.

JOSH – Acho que a regra principal deve ser cada um respeitar o espaço do outro. Eu não quero que você se meta na minha vida, mexa nas minhas coisas, sequer tome decisões por mim. Nós não somos amigos, nunca fomos, e estou construindo uma linha entre a gente. (tenta mostrar a linha imaginária) Bem aqui. Você consegue enxergá-la? Ninguém passa, ninguém atravessa, ninguém ousa ultrapassá-la. Eu respeito o seu espaço, você respeita o meu. Estamos entendidos? Restam dúvidas? Preciso desenhar? Acho que fui claro...

Josh se vira para a sua cama e começa a abrir suas malas, tirando as roupas de dentro dela. Matt tenta se aproximar do garoto, para dizer algo a ele, mas é interrompido assim que dá os seus primeiros passos.

JOSH – Matt, você está ultrapassando a linha. Regra básica, não se esqueça: nada de ultrapassar.

CENA 08. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. ALOJAMENTO. CORREDOR DE DORMITÓRIOS. INT. DIA.

Distraidamente, Josh anda apressado pelo corredor. Ele não percebe que um garoto está andando em sua direção e acabando trombando com ele. Josh tenta se desculpar, mas se surpreende ao perceber que o garoto em questão é Austin.

JOSH – (surpreso) Austin... (sorri) Hoje é um dia de grandes surpresas. Estou encontrando todas as pessoas que jamais imaginei que estariam aqui.

AUSTIN – Ué, já que você foi embora de Nova York sem se despedir de mim, eu vim até você... Não disse que eu tinha pretensões de estudar aqui em San Francisco? Demorou um pouco, mas me mudei para a casa do meu pai e agora vou estudar com você.

(música: Forget It - Breaking Benjamin)

JOSH
– (embaraçado) Austin, foi muito legal você ter feito tudo isso pensando em mim... Mas é que eu não quero alimentar falsas esperanças que possam existir entre a gente.

AUSTIN – Quer dizer então que tudo o que aconteceu entre a gente naquela noite... A nossa transa... Tudo foi em vão, Josh?

JOSH – Fala baixo, Austin. Nós estamos em um corredor público.

AUSTIN – Não, Josh, eu não falo baixo. Eu vim até aqui porque achei que você estivesse interessado por mim. Quer dizer, você sempre me pareceu um garoto muito focado, não teria se envolvido comigo se não quisesse nada sério.

JOSH – Aquilo foi um erro, Austin. Um grande erro. Foi divertido? Foi. Mas eu tinha recém terminado com o Ryan... Eu não estava pensando direito... Na verdade, eu me arrependi.

AUSTIN – Você tá querendo me dizer então que você só me usou para se divertir?

JOSH – Eu pensei que você também queria apenas diversão, Austin. Você não me disse que desejava algo sério antes ou depois de eu ir para a cama com você.

AUSTIN – Porque você não me deu tempo, Josh. Eu liguei inúmeras vezes no seu celular e você nem me respondeu. Achei que tivesse trocado o número, então resolvi deixar quieto. Você foi embora de Nova York sem se despedir de mim... Poxa, eu achei que as coisas estavam dando certo entre a gente... Eu vim aqui por causa de você.

JOSH – (surpreso) Austin, eu estou realmente... Sem palavras... É maravilhoso o que você fez, mas eu achei que você só queria curtição. Eu não queria que significasse nada mais do que isso.

AUSTIN – Mas significou, Josh. E eu fui um bobo de acreditar que isso significou algo pra você também.

JOSH – Você não pode estar apaixonado por mim...

AUSTIN – Apaixonado? Eu te amo, Josh. Eu nunca pensei que diria isso pra ninguém, mas você é o primeiro garoto por quem me apaixono na vida e o garoto que eu achei que seria ideal pra mim. Como eu pude ser tão tolo...

JOSH – Austin, eu estou chegando agora nessa universidade, as coisas tão acontecendo muito depressa por aqui. Eu só não quero adiantar nada, ok? Vá para o seu dormitório e depois a gente conversa melhor.

AUSTIN – Tudo bem. Eu já ouvi tudo o que precisava ter ouvido. (ameaça sair)

JOSH – (antes que ele saia) Austin, só... Me desculpa, ok? Eu jamais tinha a intenção de magoar um garoto maravilhoso como você.

AUSTIN – Tudo bem. Nada como começar a minha vida universitária com uma decepção.

Austin sai. Close em Josh, parado no corredor, totalmente surpreso com a declaração inesperada de Austin.

CENA 09. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. FACHADA DO GINÁSIO DE ESPORTES. INT. DIA.

(A música cessa.)

Josh está sentado em um banco em frente ao ginásio de esportes da Universidade da Califórnia. Ele se mostra bastante apreensivo, demonstrando estar à espera de alguma notícia. De repente, o portão do ginásio se abre e Ryan sai bastante suado de dentro dele e com uma expressão nada satisfatória. O treinador vem atrás do garoto.

TREINADOR – Desculpa, Ryan... Você é um bom garoto, um bom atleta, mas ainda não é o que estamos procurando. Treine mais e quem sabe no próximo ano você seja convocado.

O treinador sorri e volta para o ginásio. Close em Ryan que anda de um lado para o outro, bastante irritado por não ter conseguido entrar para o time de basquete da universidade.

(música: Give Your Heart a Break - Demi Lovato)

JOSH – (desapontado) Ryan, eu sinto muito... Você estava querendo muito essa vaga...

RYAN – (surpreso ao vê-lo) Josh! O que você veio fazer aqui? Aposto que estava louco para assistir a minha derrota.

JOSH – Não, Ryan. Eu vim aqui saber se tinha dado tudo certo para você. Eu estava torcendo por seu bom desempenho. Eu sempre te apoiei.

RYAN – Você não me apoiou quando... (pausa) Quer saber, apenas... Se afaste, ok? Nós estamos dividindo a mesma universidade, mas não quero dividir o mesmo espaço com você. Apenas se afaste.

Ryan sai, apressado. Close em Josh decepcionado. Uma lágrima rola sobre o seu rosto. No fundo, percebemos a presença de Matt, que observava tudo. Close no garoto, que olha para Josh com muita sensibilidade.

CENA 10. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. ALOJAMENTO. CORREDOR DOS DORMITÓRIOS. INT. DIA.

(A música cessa.)

Austin está sentado no chão do corredor com a cabeça apoiada nos joelhos. Ele ouve os passos de alguém e então levanta a cabeça. Ryan vem em sua direção. Austin se levanta e barra a sua passagem.

AUSTIN – Foi ótimo ter encontrado você...

RYAN – Pelo jeito a universidade selecionou vários babacas para esse ano...

AUSTIN – Não é a toa que estou conversando com um, né?

RYAN – Cara, o que você quer de mim? Eu não estou em um dia bom e não quero perder a cabeça facilmente.

AUSTIN – Eu quero que você termine com o Josh. Quero que você deixe ele em paz.

RYAN – Não há nada para terminar com o Josh. O que existia entre a gente já teve um ponto final há muito tempo.

AUSTIN – Você acha que fugir para Los Angeles e deixar o Josh sem notícias suas é a melhor forma de terminar um relacionamento, Ryan? Seja homem o suficiente para chegar nele e dizer que você não o quer mais.

RYAN – Não é questão de não o querer mais. O Josh me magoou muito e eu não quero mais ficar perto de pessoas que me prometem amor e depois me traem com a primeira pessoa que aparece em sua frente.

AUSTIN – O Josh não te traiu. Ele não seria capaz de fazer isso. Sabe por quê? Porque ele te ama, Ryan. É tão difícil enxergar isso? Ele te ama e não queria nada comigo. Mas, agora, eu estou disposto a conquistá-lo e, para isso, preciso que você termine com ele.

RYAN – O caminho está todo livre para você. Quer saber? Vocês se merecem mesmo!

AUSTIN – Pare de querer sair como a vítima dessa história, Ryan. No dia da formatura, eu beijei o Josh à força. Ele não queria, eu que provoquei toda a confusão. E ele tentou te alertar isso, mas você nem sequer deu ouvidos. Para um relacionamento acontecer, é preciso que haja confiança em ambas as partes. E você não confiou no Josh! Você não confiou!

RYAN – É isso mesmo que eu estou vendo? Um filhinho de papai quer me dar um sermão?

AUSTIN – É, mas pelo menos eu tive um pai para me ensinar alguns valores...

RYAN – Como é que é? (aproxima-se de Austin) Agora você vai engolir tudo o que acabou de dizer.

E Ryan, violentamente, avança para cima de Austin e lhe dá um soco no rosto. O garoto cai no chão e, com o intuito de retribuir a agressão, passa uma rasteira em Ryan, derrubando-o também. Austin se aproxima de Ryan e começa a bater nele. Os garotos rolam pelo corredor, trocando socos, pontapés e chutes. Keith entra no corredor e se assusta com a pancadaria.

KEITH – (gritando sem saber o que fazer) O que vocês dois estão fazendo? Parem com isso! Parem com isso agora ou eu vou chamar a segurança. (grita) Vocês estão me ouvindo? (pausa) Escutem, eu sou a candidata a supervisora deste andar e vocês não vão querer desrespeitar a minha ordem. Não, ou eu prejudico vocês na hora que eu for eleita. Vocês estão me ouvindo? (grita) Socorro, eu preciso de ajuda aqui.

E, Austin, se levanta do chão. Sua boca está ensaguentada. O garoto olha com desprezo para Ryan, que também se levanta do chão, colocando a mão no rosto, onde levou um forte soco. Eles ficam se encarando, enfurecidos.

KEITH – Ótimo, adoro quando atendem às minhas ordens. Agora circulando, circulando. Não quero mais brigas por aqui. E juro que não vou contar para ninguém desde que vocês me prometam que nunca mais vão chegar perto um do outro. (reconhece Ryan) Ryan, é você? E quem é esse outro?

Keith se aproxima de Ryan e dá um papel da sua candidatura para ele. Depois, segue até Austin e também entrega um panfleto a ele.

KEITH – Votem em mim, garotos. E sem mais brigas. Eu sou a favor da paz. Votem em Keith Hurly!

E Keith sai, animada com a distribuição de panfletos. Ryan e Austin ainda se encaram.

RYAN – Isso não vai ficar assim.

AUSTIN – O recado está dado. Termine com o Josh oficialmente. Eu não quero mais que ele sofra por um babaca que não o merece.

Close em Ryan, que respira ofegante. Austin se aproxima dele e dá uns tapinhas leves em seu rosto.

AUSTIN – E só pra você saber. Eu e o Josh transamos. E foi uma delícia comer aquela bundinha.

Austin sorri e sai, apressado. Close em Ryan, surpreso com o que Austin acabara de lhe contar.

CENA 11.

(música: September - Chris Daughtry)

Tomada da cidade de San Francisco. Anoitece.

CENA 12. UNIVERSIDADE DA CALIFÓRNIA. CAMPUS. ALOJAMENTO. DORMITÓRIO DE JOSH E MATT. INT. NOITE.

(A música tocada na cena anterior continua a ser executada nesta.)

Josh está deitado em sua cama. Algumas lágrimas rolam sobre o seu rosto. Ele as limpa com uma das mãos, mas outras voltam a cair. Matt, lentamente, entra no quarto com dois copos de chocolate quente nas mãos. O garoto segue em direção a cama onde Josh está deitado.

MATT – (entrega o copo para Josh) Trouxe pra você.

Close em Josh, que olha para Matt, surpreso com a gentileza. O garoto limpa as lágrimas mais uma vez e se senta na cama. Pega o chocolate quente e toma um pouco, ainda demonstrando bastante espanto com o ato generoso de Matt.

MATT – (senta-se em uma cama) Às vezes é preciso ultrapassar a linha, Josh... (sorri)

Close em Josh, que também sorri.

MATT – Bem-vindo a esse universo louco chamado universidade, colega de quarto...

Os dois garotos trocam sorrisos. A câmera se afasta, mostrando cada um em sua respectiva cama, tomando o chocolate quente.

A imagem escurece.

 
 

AUTOR
André Esteves
 

ELENCO

Graham Phillips como Josh Parker
Sterling Knight como Ryan Jordan
Jean-Luc Bilodeau como Austin Davis
Victoria Justice como Chelsea Harris
Ariana Grande como Keith Hurly
Gregg Sulkin como Matt Brooks
Rose McGowan como Marta Benton
Natasha Henstridge como Suzie Gregson

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL
Scott Speedman como Treinador


TRILHA SONORA

So Small - Carrie Underwood (Tema de Abertura)
California Summer - Destine
Forget It - Breaking Benjamin
Give Your Heart a Break - Demi Lovato
September - Chris Daughtry

PRODUÇÃO

Bruno Olsen

Diogo de Castro


Esta é uma obra de ficção virtual sem fins lucrativos. Qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações da vida real terá sido mera coincidência.
 

REALIZAÇÃO


Copyright
© 2016 - WebTV
www.redewtv.com
Todos os direitos reservados
Proibida a cópia ou a reprodução

.aaa.
.aaa.

Compartilhar:

 
Copyright © WebTV | Design by OddThemes