A Prometida: Capítulo 19 - WebTV - Compartilhar leitura está em nosso DNA

O que Procura?

HOT 3!

A Prometida: Capítulo 19

Novela de Fran Vicentini
Compartilhe:







A PROMETIDA - CAPÍTULO 19
 

CENAS DO CAPÍTULO ANTERIOR:


Ele pega a mão da mulher e começa a chorar.

Julio: Mas que coisa, quem diria que um “boa vida” como eu estaria aqui chorando por uma mulher. Eu estou sentindo muita falta dela, essa é a verdade. Quero a Pérola de volta pra mim. Não aguento mais ficar longe dela.

Ele observa a mulher ali deitada, como se estivesse morta. Observa como se a conhecesse de algum lugar. Julio sente que Vitória aperta a sua mão, olha surpreso. Ela abre os olhos.

Vitória: Julio, meu filho.

Ele sente uma emoção muito forte e sem perceber diz. 

Julio: Mãe?


       

CENA 01 – HOSPITAL REGIONAL / QUARTO VITÓRIA / INT. / DIA.

Continuação do capítulo anterior. Vitória acorda do coma.

Julio (espantado): Meu Deus! A senhora reagiu? Me deixe examiná-la.

Vitória: Meu filho, tenho tanto o que te dizer.

Julio (assustado): A senhora não pode falar nada agora, depois nós conversamos, fique calma.

Vitória: Eu juro que não te abandonei. Franco me roubou você e seus irmãos.

Julio: Não diga nada agora, por favor.

Julio (pensa/confuso): Por que ela me faz lembrar tanto a minha mãe? Como ela conhece meu pai? Eu tenho que descobrir isso.

CENA 02 – PENSÃO / QUARTO TURQUESA / INT. / NOITE.

Luana e Dalila dormem. 

Pérola: É isso Turquesa, tudo isso aconteceu comigo.

Turquesa: Nossa amiga, quantas coisas ruins.

Pérola: E agora aqui estou sem saber o que fazer, esperando um bebê dele. Um filho do Julio, mesmo que ele não acredite.

Turquesa: Julio, o mesmo nome do médico da Luana, mas não deve ser o mesmo, porque esse é muito bom e fez a cirurgia de graça.

Pérola: Pois é o mesmo Turquesa. Eu que pedi pra que ele fosse ver a Luana no acampamento.

Turquesa: É aí que a gente se engana com as pessoas. Ele parecia ser tão bom.

Pérola (chora): Eu queria tanto odiá-lo, mas eu não consigo, eu sinto falta dele. Eu o amo.

Turquesa: Tem muitos homens que não prestam nesse mundo, Pérola.

Pérola: É sim, a começar pelo Julio e o pai da Dalila.

Turquesa: Sim, eu era tão jovem e me apaixonei pelo Luis. Quando ele ficou sabendo da minha gravidez me abandonou sem deixar pistas. Meu pai me expulsou de casa e aí eu encontrei o Sergei, se não fosse a ajuda dele eu não sei o que eu teria feito. Sabe Pérola eu o vi... Ele estava conversando com a Dalila.

Pérola: E o que você fez?

Turquesa: Eu fiquei apavorada. A tirei imediatamente do lado dele. Acho que ele nem me reconheceu.

Pérola observa a aliança de casamento no dedo. Ela tira a aliança.

Pérola: Sabe Turquesa, isso aqui não significa mais nada pra mim. Ela é de ouro. Eu vou vendê-la.

Turquesa: Você está louca? É sua aliança.

Pérola: Não importa. Com o dinheiro que eu conseguir, podemos garantir o aluguel desse quarto por um tempo. E eu também tenho que comprar coisas pro meu bebê.

Turquesa: Se é assim!

CENA 03 - HOSPITAL REGIONAL / QUARTO AFONSO / INT. / DIA SEGUINTE.

Afonso acorda.

Paulo: Se sente melhor papai?

Afonso (estranho): Cristine! Onde está Cristine? Quero ver Cristine!

Paulo (assustado): Quem é essa, pai?

Roberta entra no quarto.

Afonso: Eu me lembro. queriam me matar, o pai de Cristine tentou me matar. Bem que tia Niurka me disse.

Roberta: O que é isso Afonso?

Afonso: Eu não me chamo Afonso! Meu nome é Cristian. Eu preciso ver a Cristine.

Paulo: O papai ficou louco!

Afonso: Eu preciso sair daqui. Tenho que ir buscar a Cristine, ela está esperando um bebê.

Roberta: É melhor chamar o médico de plantão.

Afonso (atordoado): Eu preciso ver a Cristine, me ajudem, por favor. Cristine!

O médico enche Afonso de sedativos e ele dorme profundamente.

CENA 04 – SHOPPING / INT. / DIA.

Pérola, Turquesa, Dalila e Luana em frente a uma joalheria.

Pérola: Eu vou até a joalheria, vocês me esperem aqui.

Turquesa: Ainda acho que é uma loucura você vender sua aliança.

Pérola (mentindo): Não vai fazer falta nenhuma.

Pérola entra na joalheira e Turquesa e as filhas vão esperá-la de fora do shopping. Luis Carlos estava passando por ali. Pérola sai da joalheria momentos depois, Luis Carlos a vê.

Luis Carlos: Pérola!

Pérola olha assustada e sai correndo. Luis Carlos corre atrás dela.

Luis Carlos: Espera Pérola!

Pérola desce as escadas depressa com o coração aos pulos, Luis Carlos corre até o elevador.

Luis Carlos: Eu vou chegar primeiro que ela. Hoje ela não escapa.

Mulher: Luis Carlos? Quanto tempo, querido!

Luis Carlos: Me desculpe querida eu tenho urgência em falar com alguém.

Mulher: Eu tenho tantas coisas pra te contar de Paris.

Luis Carlos: Depois, depois...

Luis Carlos sai apressado do elevador e não vê ninguém, olha para as escadas, ninguém.

Luis Carlos: Ela deve ter saído do shopping.

CENA 05 – SHOPPING / EXT. / DIA.

Pérola sai correndo e encontra as outras já do lado de fora.

Turquesa: O que foi amiga?

Pérola: Eu tenho que sair aqui, o distraia, por favor.

Turquesa não entende nada. Dalila percebe que um homem sai do shopping e chama por Pérola, vai até ele.

Dalila: O senhor intrometido!

Luis Carlos: A ciganinha enjoada. Depois converso com você, tenho que achar a/

Dalila: Não, deixa-me ler sua mão primeiro.

Turquesa se aproxima dos dois.

Turquesa: Minha filha, vamos embora.

Ele olha bem para Turquesa e se surpreende.

Luis Carlos: Tereza? É você?

Turquesa quase desmaia de susto, puxa Dalila pelo braço e saem correndo.

Luis Carlos (nervoso): Não pode ser meu Deus! É ela, é a Tereza. Aquela menina que eu conheci há tanto tempo. Só pode ser ela, eu nunca me esqueci dos olhos cor de turquesa daquela jovem tão linda.

CENA 06 – HOSPITAL REGIONAL / QUARTO VITÓRIA / INT. / DIA.

Alicia arruma as coisas da mãe. Preparando-se para irem embora.

Alicia: Mamãe, eu pensei que a senhora ia morrer.

Vitória: Eu sou forte minha filha, o que me aflige é que quem me empurrou da escada foi seu/

Julio entra no quarto interrompendo a mulher.

Julio: A senhora está bem?

Vitória: Meu filho?

Alicia: Mamãe, o que é isso?

Vitória: Eu já contei tudo a ele Alicia. Você me perdoou meu filho?

Julio: Dona Vitória, é melhor a senhora dormir, descansar, vai acordar muito boa e/

Vitória: Ele não está acreditando em mim, Alicia.

Alicia: Calma, mãe.

Vitória: Eu sou sua mãe Julio! Sou sua mãe.

Alicia: É verdade Julio.

Julio: Não pode ser por que... É eu não sei, mas/

Vitória: Sou sim, Franco me roubou vocês três. Você, seu irmão Sérgio e sua irmã Milena.

Julio: O que?

Alicia: É uma história muito longa, eu também fiquei arrasada quando soube.

Vitória: Eu posso te contar tudo, meu filho.

CENA 07 – HOSPITAL REGIONAL / QUARTO AFONSO / INT. / DIA.

Paulo e Afonso.

Afonso: Sinto dores na cabeça, onde está a Pérola?

Paulo (nervoso): Como é capaz de perguntar primeiro por sua amante?

Afonso: Ela não era minha amante, me diz onde ela está. Quero vê-la.

Paulo: Ela foi embora, como devia ter feito há muito tempo.

Afonso: Não disse pra onde ia?

Paulo: Claro que não pai. O senhor me decepciona em ficar aí perguntando sobre ela. E... O senhor estava falando coisas estranhas, chamando uma tal de Cristine, até falou pra mamãe que se chamava Cristian e era cigano, eu acho que pancada afetou seu bom senso.

Afonso: Chame sua mãe, quero que chame sua mãe! E quero que me deixe a sós com ela.

Roberta entra no quarto e Paulo sai.

Roberta: Afonso, você se sente melhor?

Afonso: Eu me recordei do meu passado. Lembrei quem eu sou.

Roberta: Fica calmo.

Afonso: Cristian. Eu me chamo Cristian. Lembrei-me que era cigano, me apaixonei por Cristine, uma moça rica e de boa família. O pai dela não sabia de nada. Cristine desesperada me contou que estava grávida e resolvemos fugir juntos. Eu acho que o pai dela descobriu tudo e tentou me matar, foi aí que seu pai me encontrou jogado no meio da estrada, quase morto. Cristine ia ser mãe, eu tenho um filho ou filha... Filha? Será que ela é minha filha? Não! Seria coincidência demais.

Roberta: De quem está falando?

Afonso: Pérola.

Roberta: É melhor você esquecer tudo isso e continuar sua vida tão bem-sucedida comigo e com seus dois filhos.

Afonso: Me perdoe, Roberta, eu não posso mais. Você se mostrou uma pessoa doente de ciúmes. Eu não quero mais continuar ao seu lado.

Roberta: Por favor, Afonso! Eu não sei o que seria de mim sem você.

Afonso: Me perdoe, mas eu não quero mais ficar ao seu lado.

Roberta: Mal agradecido!

Roberta sai chorando.

CENA 08 – PERIFERIA DO MÉXICO / RUA / EXT. / DIA.

Nas proximidades da pensão.

Turquesa: Amiga, que susto nos deu.

Pérola (nervosa): Ele era amigo do Julio, ele tentou me agarrar uma vez.

Turquesa: Continua o mesmo sem vergonha de antes.

Pérola: Você o conhece?

Gritos as interrompem. Pérola olha emocionada ao ver aquelas pessoas.

novela de
Francyslaine Vicentini

elenco
Thalia como Pérola
 Jorge Salinas como Julio
 Victoria Ruffo como Cristine
 Alberto Estrella como Zamack
 Sabine Moussier como Esmeralda
 Margarita Rosa de Francisco como Turquesa
 Rosa Maria Bianchi como Niurka
 Jaime Camil como Sergei
 Belinda como Dalila
 Fabián Robles como Escobar
 Eduardo Verástegui como Tito
 Danna Paola como Luana
 Alejandro Ávila como Sérgio
 Yadhira Carrillo como Camila
 Carlos Ponce como Luis Carlos
 César Evora como Afonso
 Eugenia Cauduro como Roberta
 Christopher Uckermann como Paulo
 Jesús Zavala como Felipe
 Jacqueline Andere como Vitória
 Jacqueline García como Alicia
 Manuel Ojeda como Alberto
 Kika Edgar como Milena
 Magda Guzmán como Tia Alma
 
 primeira fase
 Aracely Arámbula como Cristine
 Enrique Rocha como Franco
 Valentino Lanús como Christian
 Chantal Andere como Vitória
 Julio Bracho como Alberto
 David Ostrosky como Jourdan
 
 trilha sonora
 Regresa a mi – Thalia (abertura)

produção
 Bruno Olsen
 Diogo de Castro
 Renata Lopes


Esta é uma obra de ficção virtual sem fins lucrativos. Qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações da vida real terá sido mera coincidência.



REALIZAÇÃO



Copyright 
© 2007 - WebTV
www.redewtv.com

Todos os direitos reservados
Proibida a cópia ou a reprodução

Compartilhe:

10 anos

A Prometida

Capítulos de A Prometida

Drama

No Ar

Romance

Comentários:

0 comentários: