O Dom - Vidas do Árido: 1x09 - WebTV - Compartilhar leitura está em nosso DNA

O que Procura?

HOT 3!

O Dom - Vidas do Árido: 1x09

Série de Vitor Zucolotti
Compartilhe:

 





O DOM - VIDAS DO ÁRIDO



NO OITAVO EPISÓDIO


MARINALVA OBSERVA O MARIDO. CHEGA PERTO DELE. TIRA-LHE OS SAPATOS. TIRA A CAMISA. SAI DA SALA E VOLTA COM UMA COBERTA FINA. QUANDO VAI COLOCAR, PERCEBE ALGO NO BOLSO DA CALÇA DO MARIDO. ELA PEGA E VÊ A CALCINHA. SOLTA A PEÇA E VAI ATÉ A COZINHA, COM NOJO, PEGA UM PANO DE PRATO E COMEÇA A LIMPAR AS MÃOS. OLHA COM ÓDIO PARA O MARIDO. PEGA UMA PANELA, COLOCA ÁGUA E BOTA PARA FERVER NO FOGÃO.

 

MARINALVA

Seu imundo! Como eu te odeio, Figueira!



1x09

 

CENA 1 / CASA DE MARINALVA – SALA / INT. NOITE

A ÁGUA FERVE. MARINALVA VAI ATÉ O FOGÃO. APAGA A CHAMA. COM UM PANO, MARINALVA PEGA A CANECA. ELA CAMINHA ATÉ CHEGAR PERTO DO SOFÁ. O ROSTO IMPASSÍVEL. NUMA MÃO SEGURA A CANECA, NA OUTRA A CALCINHA QUE ESTAVA NO BOLSO DO MARIDO.

MÚSICA ON: DRAMA – MARIA BETHÂNIA


DE ONDE ESTÁ, ELA CONSEGUE VER O ROSTO DO MARIDO. A BOCA ESCANCARADA E O RONCO DELE. O CHEIRO DE ÁLCOOL A ENOJA. MARINALVA FECHA OS OLHOS. LEVA A CANECA PERTO DO ROSTO DO MARIDO. RESPIRA FUNDO E DESISTE. ELA VOLTA COM A CANECA ATÉ A PIA DA COZINHA E JOGA A ÁGUA FORA. SE ESCORA NA PIA E APERTA A CALCINHA NAS MÃOS COM FORÇA.

 

VOLTA PARA A SALA. SENTA-SE NO SOFÁ, OLHANDO PARA O MARIDO QUE DORME.

CORTA PARA

 

CENA 2 / IGREJA – QUARTO / INT. NOITE

PADRE EMERENCIANO ESTÁ EM SEU QUARTO. DEITADO NA CAMA. CABEÇA NO TRAVESSEIRO. OLHAR FIXO NO TETO. COBERTOR NA ALTURA DO PEITO.

MÚSICA ON: O CAVALEIRO E OS MOINHOS – ELIS REGINA

 

A CAM O FOCALIZA DE CIMA. O CORPO DEITADO. OS BRAÇOS DO LADO DE FORA DA COBERTA. UM ALINHAMENTO QUASE NEURÓTICO. EMERENCIANO LEVA A MÃO DIREITA PARA DENTRO DA COBERTA. A CAM DA A VISÃO DE QUE ELE LEVA A MÃO ATÉ SEU ORGÃO, COBERTO PELO TECIDO. ELE COMEÇA A SE MASTURBAR.

A CAM FECHA NO ROSTO DE EMERENCIANO. TENTA MANTER O ROSTO RÍGIDO ENQUANTO SE DÁ O PRAZER, FAZENDO UM ESFORÇO PARA NÃO SENTIR O DELEITE DE SE TOCAR. PRÓXIMO AO CLÍMAX. ELE NÃO RESITE, GEME. EM SEGUIDA, APÓS O GOZO. SORRI, ARFA. CHORA. SABE QUE PECOU. MAIS UMA VEZ.

MÚSICA OFF: O CAVALEIRO E OS MOINHOS – ELIS REGINA

CORTA PARA

 

CENA 3 / CASA DE MARINALVA – SALA / INT. DIA

O DIA AMANHECE. MARINALVA ESTÁ SENTADA NO SOFÁ. OLHAR FIXO PARA O MARIDO QUE DESPERTA.

 

FIGUEIRA (DESPERTANDO)

O que cê ta fazendo aí? Não conseguiu dormir.

 

MARINALVA PERMANECE CALADA. OLHANDO O MARIDO. FIGUEIRA SE LEVANTA. VAI ATÉ A COZINHA. PEGA UM COPO DE ÁGUA.

 

FIGUEIRA

Passa um café para mim.

 

ELE VÊ QUE MARINALVA NÃO RESPONDE.

 

FIGUEIRA

Você está surda? Ta dando uma de doida?

 

MARINALVA PERMANECE CALADA. SÓ O OBSERVA. OS OLHOS COMEÇAM A MAREJAR.

 

FIGUEIRA

Tá bom! Eu boto a água pra ferver. Vou te ajudar!

 

FIGUEIRA VAI À COZINHA, BOTA A ÁGUA NA CANECA E BOTA NO FOGÃO.

 

FIGUEIRA

Agora eu vou tomar um banho e quando eu voltar eu quero o café na mesa. Entendeu queridinha?

 

FIGUEIRA SEGUE PARA O BANHEIRO, MAS É INTERROMPIDO POR MARINALVA.

 

MARINALVA

Eu não dormi essa noite, sabia? Fiquei velando o teu sono... Por pouco não estaria velando seu corpo.

 

FIGUEIRA (DE PÉ AINDA PARADO NA SOLEIRA DA PORTA QUE DÁ PARA O INTERIOR DA CASA)

O que você tem hein? Eu não to bom hoje não! Uma dor de cabeça...

 

MARINALVA

É ressaca seu vagabundo. Você chegou daquele jeito de novo, seu imundo! Deitou no sofá e ficou aí caído.

 

FIGUEIRA VOLTA PARA SALA, PEGA A MULHER PELO BRAÇO E A LEVANTA DO SOFÁ.

 

FIGUEIRA

Você tá variando, sua filha da puta! Hein, sua vagabunda? Está com algum retardo mental? É jeito de falar comigo? Você não tem medo de morrer?

 

MARINALVA, QUE ESTÁ COM A CALCINHA QUE ACHOU NÃO BOLSO DO MARIDO, ESFREGA A PEÇA NO ROSTO DE FIGUEIRA SE DESVENCILHADO DO MARIDO.

 

MARINALVA

De quem é essa calcinha, Figueira? Me conta! De quem é?

 

FIGUEIRA (COM A CALCINHA NA MÃO COMEÇA A RIR)

A calcinha! Eu tinha me esquecido dela. Eu trouxe pra casa? E você anda mexendo nas minhas coisas? Você pega a minha carteira quando eu chego do boteco também?

 

MARINALVA

Você ri? De quem é essa calcinha, me fala!

 

FIGUEIRA

Baixa a voz, meu amor! Tá brava?

 

MARINALVA

Me fala logo, Figueira! Não brinca comigo...

 

FIGUEIRA

Você vai fazer o que? Me matar? Me fala!

 

MARINALVA

De quem é essa calcinha? Me fala de uma vez!

 

MARINALVA AVANÇA E DÁ UM TAPA NA CARA DE FIGUEIRA. FIGUEIRA REVIDA. SEGURA A MULHER PELOS BRAÇOS, DEPOIS A ESBOFETEIA VÁRIAS VEZES.

 

FIGUEIRA (ENQUANTO ESTAPEIA A MULHER)

Você está doida, sua vaca! Mas se você quer saber de quem é essa calcinha eu te falo! Mas antes, espera um pouquinho! Olha aqui pra mim (pega o rosto da esposa com violência. Aperta com os dedos a bochecha dela) Eu quero ver no seu rosto a decepção! Sabe de quem é essa calcinha?

 

MARINALVA

Fala logo, seu imundo! Fala!

 

FIGUEIRA

É da sua amiguinha beata! É daquela puta que se faz de santa da Dorinha!

 

MARINALVA ARREGALA OS OLHOS E BALANÇA A CABEÇA DE FORMA NEGATIVA. TENTANDO TIRAR O ROSTO DAS MÃOS DO MARIDO.

 

MARINALVA

Mentira!

 

FIGUEIRA

Ela é uma puta! Uma puta! E chupa um pau como ninguém! Sabe aqui atrás? (Figueira segura a esposa pela cintura, com a outra mão passa a mão na bunda dela. Quase invasivo parece enfiar o dedo da esposa) Ela libera! Ela me deu a bunda dela! E eu meti! Eu meti muito! Eu gozei no rabo daquela piranha.

 

MARINALVA SE DESCONTROLA E COMEÇA A BATER NO ROSTO E NO CORPO DO MARIDO.

 

MARINALVA

É mentira! Mentira!

 

FIGUEIRA DÁ UM SOCO NO ESTOMAGO DE MARINALVA E DEPOIS NO ROSTO. ELA CAI.

 

FIGUEIRA

A sua amiguinha beata é uma puta!

CORTA PARA

 

CENA 4 / RUAS DE RIQUEZA / EXT. TARDE

CAM MOSTRA PADRE EMERENCIANO ANDANDO PELA CIDADE. ELE CONVERSA COM PESSOAS NO CAMINHO QUE, APÓS, OUVIREM O QUE ELE FALA SAEM PARA DESTINOS IGNORADOS. MARINALVA APARECE SÉRIA DO OUTRO LADO DA RUA. OS OLHOS VERMELHOS DE CHORO. CAMINHA DEPRESSA.

 

EMERENCIANO (VENDO MARINALVA DO OUTRO LADO DA RUA)

Marinalva! Marinalva, preciso lhe falar!

 

MARINALVA

Eu preciso ir até Dorinha. Tenho algo urgente pra falar com ela...

 

ANTES QUE ELA TERMINE, PADRE EMERENCIANO A ALCANÇA.

 

EMERENCIANO (OLHANDO ELA DE CIMA A BAIXO)

Brigou com o marido de novo? Vai acabar solteira. (muda de assunto) Vou com você até Dorinha! Preciso de vocês hoje!

 

MARINALVA

Mas Padre, diga o que é que, eu aviso a Dorinha...

 

EMERENCIANO

Eu vou com você...

 

MARINALVA

Para quê andar tanto, padre? Eu...

 

EMERENCIANO

Está surda, ou o que? Me acompanhe e lá na casa de Dorinha eu explico. Vamos!

 

MARINALVA TENTA CONTER A CARA DE INSATISFAÇÃO E VAI COM EMERENCIANO.

CORTA PARA

 

CENA 5 / CASA DE DORINHA – SALA / INT. TARDE

CENA SEGUE IMEDIATAMENTE NA SALA DE DORINHA. MARINALVA, PADRE EMERENCIANO E DORINHA, ESTÃO DE PÉ NA SALA.

 

DORINHA

O que há de tão importante, Padre? O senhor nunca veio até a minha casa...

 

MARINALVA (SECA. OLHANDO FIXAMENTE DORINHA)

Nem na minha!

 

EMERENCIANO

Hoje nós vamos até a casa do pecado! Vocês vão me ajudar a convocar as pessoas! Nós vamos queimar aquele lugar!

 

DORINHA

Como assim? Queimar?

 

MARINALVA (SEM SE IMPORTAR COM O QUE ACABOU DE OUVIR)

Queimar, Dorinha. Tacar fogo! Com ele dentro, Padre?

 

EMERENCIANO

Com quem estiver pecando e, se ele se opor, ou ficar no nosso caminho...

 

DORINHA (EM CHOQUE)

Padre, o senhor está falando em morte?

 

EMERENCIANO (SEM OUVIR DORINHA)

Vamos! Preciso que vocês espalhem isso! Só para quem é de confiança! Pedaços de pau, foice, enxada... O que for! Que venham assim. Se necessário, vamos usar a força! Vamos!

 

EMERENCIANO VAI SAINDO. ANTES DISSO, MARINALVA A DETÉM. SEGURA COM FORÇA SEU BRAÇO.

 

DORINHA

Marinalva? O que houve?

 

MARINALVA (TIRANDO A CALCINHA DA AMIGA DO BOLSO)

Reconhece isso?

 

DORINHA FICA SEM REAÇÃO. OLHOS ARREGALADOS.

 

MARINALVA

Isso não vai ficar assim! Vamos logo!

 

MARINALVA JOGA A CALCINHA NO CHÃO, PISA E EMPURRA DORINHA PARA FORA DA CASA.

CORTA PARA

 

CENA 6 / RUAS DE RIQUEZA / EXT. DIA

ALICE CAMINHA PELAS RUAS DE RIQUEZA. ENQUANTO ISSO, ELA PERCEBE A MOVIMENTAÇÃO ESTRANHA NAS RUAS DO VILAREJO. VÊ HOMENS CARREGANDO ENXADAS, INDO EM DIREÇÃO A IGREJA. UMA MULHER COM UMA FOICE, CHAMANDO UMA VIZINHA QUE ESTÁ NA JANELA. ATRÁS DELA, NÃO MUITO PRÓXIMO, TONHO TAMBÉM CAMINHA, VEMOS NA REALIDADE ELE TAMBÉM ESTÁ SEGUINDO A MULHER. ENQUANTO ELE ANDA, TAMBÉM VÊ UM GRUPO DE BEATAS COM PEDAÇOS DE PAU INDO EM DIREÇÃO A IGREJA. MESMO ACHANDO ESTRANHO, TONHO CONTINUA MIRANDO ALICE. NUM DETERMINADO MOMENTO ELA PARA. TONHO ESTÁ HÁ POUCOS METROS DELA.

 

TONHO

Dona Alice?

 

ALICE (VIRANDO-SE PARA TONHO)

Pois não...

 

TONHO FICA MUDO.

 

ALICE

O senhor, estou lhe reconhecendo. Trabalha com o Domênico, não é isso?

 

TONHO (SE APROXIMA MAIS)

Domênico pediu para que eu avisasse a senhora que ele precisa falar contigo.

 

ALICE

Comigo? Sabe do que se trata?

 

TONHO

Ele só pediu para dar o recado. Pode vir comigo?

 

ALICE

Olha, agora eu não posso, preciso ir ao posto...

 

TONHO SEGURA O BRAÇO DE ALICE.

 

ALICE

O que é isso?

 

TONHO

Eu preciso que venha. Agora!

 

ALICE (TENTANDO SE SOLTAR)

Me solte! Eu não vou agora! O que é isso? O que você está fazendo?

 

TONHO PUXA ALICE PARA SI, A ABRAÇA E TIRA UMA FACA, APONTANDO PARA A BARRIGA DELA.

 

TONHO (NO OUVIDO DE ALICE)

Ou você vem agora, ou eu meto essa faca no teu ventre e mato o teu filho! Vem logo, sua vagabunda!

 

ALICE SE APAVORA E SE DEIXA LEVAR PELO CAPATAZ.

CORTA PARA

 

CENA 7 / IGREJA – LADO DE FORA / EXT. TARDE

DIVERSOS MORADORES ESTÃO DO LADO DE FORA DA IGREJA. EMERENCIANO CONTEMPLA A TODOS, UM SORRISO DE SATISFAÇÃO MAQUIAVÉLICO.

MÚSICA ON: PROCISSÃO – GILBERTO GIL

 

EMERENCIANO (FALANDO COM TODOS)

Hoje é um dia histórico! Finalmente vamos nos ver livre daquele que se diz santo. O curandeiro que na realidade é um charlatão! Um curandeiro que na realidade é o emissário do demônio! Eu lhes digo isso porque até mesmo Padre Jacinto foi seduzido pelas mentiras e pelo malquerer do homem que diz ter o dom da cura... O padre Jacinto abandonou a nossa luta. Diante de todas as tentativas de impedir que o pecado reinasse, diante dos fracassos, eu pedi um sinal ao meu senhor, ao nosso Deus. Em sonho, prestem atenção, em sonho Deus falou comigo! E nós, infelizmente, diante da falta de vergonha da cara daqueles pecadores, temos que usar da nossa força! Juntos, unidos, vamos queimar a casa do pecado e juntos, unidos, se tivermos que derramar sangue, em prol do que é digno, vamos fazê-lo! Irmãos, vamos junto extirpar o pecado de Riqueza! Por Deus!

 

MULTIDÃO

Por Deus!

 

EMERENCIANO (TOMA A FRENTE DOS BEATOS E MORADORES. COM UMA ARMA NA MÃO E UM FACÃO NA OUTRA)

Vamos extirpar o mal daqui! Agora!

 

EMERENCIANO PUXA A COMITIVA DE GUERRA. A MULTIDÃO SEGUE EM DIREÇÃO A CASA DOS MILAGRES. AO LOCAL DE ATENDIMENTO DE DOMÊNICO.

MÚSICA OFF: PROCISSÃO – GILBERTO GIL

 



autor
VITOR ZUCOLOTTI

elenco
DOMÊNICO (LÁZARO RAMOS)
RAIMUNDA (ZEZÉ MOTTA)
TONHO (TOMÁS AQUINO)
MARINALVA (CLAUDIA MISSURA)
DORINHA (BÁRBARA REIS)
PADRE EMERENCIANO (JOÃO MIGUEL)
DANIEL (EMILIANO D´AVILLA)
ALICE (ALICE BORGES)
INOCÊNCIA (LUCY RAMOS)
RITINHA (JENNIFGER NASCIMENTO)
FIGUEIRA (EDUARDO GALVÃO)
PADRE JACINTO (LIMA DUARTE)

trilha sonora
DRAMA – MARIA BETHÂNIA 
O CAVALEIRO E OS MOINHOS – ELIS REGINA
PROCISSÃO – GILBERTO GIL 

produção
BRUNO OLSEN
CRISTINA RAVELA


 

Esta é uma obra de ficção virtual sem fins lucrativos. Qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações da vida real terá sido mera coincidência.


REALIZAÇÃO




Copyright © 2021 - WebTV
www.redewtv.com
Todos os direitos reservados
Proibida a cópia ou a reprodução


Compartilhe:

18 anos

Episódios de O Dom - Vidas do Árido

No Ar

O Dom - Vidas do Árido

Série

Comentários:

0 comentários: