Motivos para Continuar Vivendo - Capítulo 05 (Último Capítulo) - WebTV - Compartilhar leitura está em nosso DNA

O que Procura?

HOT 3!

Motivos para Continuar Vivendo - Capítulo 05 (Último Capítulo)

Motivos para Continuar Vivendo - Capítulo 05 (Último Capítulo)
Compartilhe:
Troque a Fonte Aqui


     
MOTIVOS PARA CONTINUAR VIVENDO
     
 








 

FADE IN:

01 INT. BAR — NOITE.

ABRE A CENA.

Um brinde de vários copos.

SONOPLASTIA: Geminiana — Natália Carreira.

Risos.

LETREIRO: 05 ANOS MAIS TARDE.

Felipe, Mariane, Toppy e André. Todos se encontram num barzinho aconchegante. Eles riem e conversam.

FELIPE

(V.O)

Eu aprendi que mesmo que pessoas queridas

se vão, você fica. A vida continua e, de

repente, os anos se passam e você se pergunta

o que fez enquanto o mundo acontecia a sua volta.

 

MARIANE
Eu estou tão feliz que você finalmente arranjou um tempo para nos encontrar!

 

FELIPE

É, ser enfermeiro acaba tomando muito

do meu tempo. Eu quase não tenho pra ficar com o Tomas, mas ainda bem que ele entende.

 

TOPPY

Mas, por favor, né? Só bastava essa: ele

atrapalhar seu trabalho. Masculinidade tóxica é

um saco e você merece muito mais do que alguém

controlando sua vida. Que foi, gente? Mas é verdade, o mundo está cheio de esquerdomacho aí pagando de

desconstruído.

 

ANDRÉ

Militante nas horas vagas e nas impróprias também.

 

Toppy dá língua para André, em seguida põe uma batata frita na boca.

 

FELIPE

Mas, você tem razão. Eu amo o meu trabalho e

amo o Tomas, mas eles não competem um com outro.

 

TOPPY

Isso mesmo, nunca deixe um homem idiota controlar

sua vida. Nunca. Você ama ele...

 

FELIPE

Mas... eu não preciso dele. Eu sei.

 

MARIANE

Mas e a sua família? Você já falou com seus pais

sobre estar de volta na cidade?

 

FELIPE

Queria acabar o mais rápido com isso.

Liguei para a minha mãe assim que cheguei e, adivinha,

amanhã eu terei uma bela reunião na sala da casa deles

para assistir a uma pregação do qual meu pai está organizando. Espero que eles não tentem me converter.

 

ANDRÉ

Boa sorte.

 

FELIPE

Obrigado. Aliás, o

que vocês andam fazendo da vida?

 

Todos começam a falar ao mesmo tempo. Foco no rosto de Felipe, que sorri, se divertindo.

 

CORTE IMEDIATO PARA.

 
     
     
     
     

CAPÍTULO 05 - AMADURECE E APODRECE (ÚLTIMO CAPÍTULO)
 
     
 

02 EXT. PRAIA — NOITE.

 

Acontece uma roda de capoeira na praia. Muitas pessoas em volta batendo palmas e cantando, enquanto dois homens repetem os movimentos da dança.

 

TOMAS é um deles. Ele avista Felipe um pouco distante de onde está, acenando para ele e sorrindo. Tomas para o que está fazendo, sendo substituído por outra pessoa e corre ao encontro de Felipe.

 

FELIPE

(Sorri)

Oi.

 

TOMAS

Oi. Já se encontrou com

seus amigos?

 

FELIPE

Já. Eu quero aproveitar minha folga para ficar mais com você. A gente se vê tão pouco. Aí eu vim te chamar pra sair. 

 

TOMAS

(Sorri)

Deixa eu pensar.

Olha, eu não sei, não, heim.

É que eu sou um cara muito ocupado.

 

FELIPE

Vai ter mesmo coragem de dispensar um enfermeiro?

 

TOMAS

É, eu estaria sendo um bobo mesmo.

 

FELIPE

Estaria sim.

 

TOMAS

Que tal um cinema?

 

FELIPE

Eu topo!

 

Tomas se cheira.

 

TOMAS

Mas acho que eu preciso tomar

um banho antes.

 

FELIPE

Eu acho válido.

 

Os dois riem e saem andando.

 

03 INT. CINEMA — NOITE.

 

SONOPLASTIA: Pra Você Guardei o Amor — Anavitória.

 

PLANO GERAL.

Cinema quase cheio. Foco em Felipe. Seu rosto é iluminado apenas pela luz do telão. Ele se encontra concentrado no filme. Come pipoca.

 

Foco em sua mão, apoiada na cadeira, que, subitamente, é agarrada pela de Tomas.

 

Felipe olha para Tomas, que sorri.

 

FELIPE

(V.O)

Amor.

Eu até tentei buscar uma definição em dicionários, mas nenhum me explicaria de uma forma convincente que me fizesse acreditar que ele existia. Amor. A forma mais sublime, verdadeira e contraditória de sentimento. O amor pode doer, pode machucar, mas ele também pode curar. Às vezes ele dura, às vezes não. Às vezes você o perde e às vezes você demora para encontrá-lo. Mas o amor sempre vem, de um jeito ou de outro ele vem. O amor é como um lembrança de um verão passado que você passou com seus amigos. É a sensação refrescante de se tomar um sorvete quando o tempo está quente. É uma ventania que invade você e te acaba por dentro. É a calmaria que você precisa depois de nadar por mares agitados. É você sentir o vento no rosto e viajar para longe em mundos distantes. É o único sentimento capaz de gerar outros sentimentos que se juntam e formam vida. O amor… o amor ele está dentro de você, pulsando conforme as batidas do seu coração.

 

04 EXT. RUA — NOITE.

 

Felipe e Tomas vêm caminhando pelas ruas, rindo alto e conversando sobre o filme.

 

FELIPE

Como você pode dizer isso?

O final foi feliz!

 

TOMAS

Eu fui tapeado.

Paguei para assistir um filme de ação!

 

FELIPE

Até os piores assassinos

têm por quem voltar.

 

Felipe avista uma barraca de cachorro quente do outro lado da rua.

 

Eles param do lado de um carro estacionado.

 

FELIPE

Eu vou comprar um cachorro quente. Você quer?

 

TOMAS

Aham.

 

FELIPE

Me espera aqui.

Eu já volto.

 

Felipe caminha em direção à barraca de cachorro quente. CAM o acompanha.

 

FELIPE

Oi. Dois cachorros quentes, por favor.

 

O homem da barraca confirma o pedido. Segundos depois, um sirene de Polícia pode ser ouvida e logo depois vozes de policiais.

 

 

POLICIAL

Ajoelha, ajoelha!

Mão na cabeça!

 

Felipe no mesmo instante olha para onde está acontecendo a ação e avista Tomas ajoelhado no chão, com as mãos na cabeça, enquanto dois policiais apontam as armas para ele.

 

Assustado, Felipe, no mesmo instante corre até lá.

 

FELIPE

O que está acontecendo?!

 

TOMAS

Felipe, se afasta!

 

POLICIAL

Encontramos o meliante suspeito perto desse carro.

 

FELIPE

Isso não faz o menor sentido!

Suspeito? Por quê?

 

Todos ficam em silêncio. Felipe olha para Tomas, que se encontra de cabeça baixa, ainda em posição de rendição.

 

POLICIAL

Você o conhece?

 

FELIPE

Claro que eu conheço, ele

meu…

 

Tomas olha para Felipe, assustado. Felipe pensa um pouco, respirando ofegante.

 

FELIPE

Amigo.

Ele tá comigo.

 

POLICIAL

Revista ele.

 

O Policial faz Tomas ficar de pé e o revista.

 

POLICIAL

Tá limpo.

 

Os policiais, enfim, guardam as armas.

 

POLICIAL

Cuidado ao andar pelas ruas e…

 

O Policial olha para Tomas.

 

POLICIAL

Desculpe o mal entendido.

 

Os policiais entram na viatura e se vão. Demora um pouco para que Felipe e Tomas possam reagir.

 

FELIPE

Você está bem?

Meu Deus do céu, o que foi isso?

 

TOMAS

Isso? Isso foi só mais um neguinho que foi confundido com ladrão por que estava perto de um carro.

 

FELIPE

Eu entendo, eu…

 

TOMAS

Não, você não entende.

 

Tomas chega perto de Felipe e agarra seu rosto.

 

TOMAS

Amor, eu não quero parecer chato, mas você não entende.

Você não sabe como é ver as pessoas mudando de calçada, ou escondendo as bolsas quando olham para trás e me vêm. Você não é seguido pelos seguranças das lojas, dos supermercados porque acham que você vai roubar alguma coisa. Já pensou o que poderia ter acontecido comigo se você tivesse contado que eu era seu namorado? Eu sou preto e gay, Felipe. Eu já vi muitos casos assim. Eles põem dentro do camburão e nem ninguém nunca mais vê. Essa é a minha realidade.

 

 

FELIPE

Eu sinto muito.

 

Felipe abraça Tomas.

 

FELIPE

Eu sinto muito que seja assim.

Eu sinto muito que eu não pude fazer nada.

 

TOMAS

Mas você fez.

Se não fosse por você talvez agora eu pudesse estar numa ambulância com bala enfiada na cabeça.

 

FELIPE

Eu tô com você para o que der e vier.

 

TOMAS

Eu sei.

Fica calmo.

 

05 INT. AP DE FELIPE — NOITE.

 

Felipe e Tomas se encontram deitados no colchão. Tomas está dormindo, enquanto Felipe está encostado na parede, lendo algumas notícias no celular.

 

As imagens de tudo que ele pesquisa e lê é projetada na parede branca acima da sua cabeça.

 

"Jovem negro é morto a tiros por Policiais no Rio De Janeiro".

 

"Mulher negra sofre racismo e assédio moral no trabalho".

 

"Combate a racismo exige reconhecimento de privilégios da branquitude".

 

"Racismo como um "problema dos negros" é Privilégio branco".

 

Felipe desliga o celular. Ele olha para Tomas, dormindo.

 

CORTA PARA.

 

06 INT. CASA DOS PAIS DE FELIPE, SALA DE ESTAR — DIA.

 

Muita gente reunida. Todas sentadas em cadeiras, escutando o que TIAGO prega. A sala na qual estão é muito bem iluminada.

 

Felipe está sentado perto da janela.

 

TIAGO

Então, irmãos!

Deus mandou o filho dele a este mundo para nos livrar do pecado e o que estamos fazendo? Pecando e pecando cada vez mais. É a mulher traindo o marido, os filhos desobedecendo os pais. Eles estão querendo destruir a nossa sagrada família, irmãos!

 

Felipe, distante dali, olha em direção à mãe, que está em pé. Ele nota ela fazer uma cara estranha e logo se retirar da sala às pressas. Felipe desconfia. Ele olha para pai e em seguida também se retira da sala.

 

07 INT. CASA DOS PAIS DE FELIPE, QUARTO — DIA.

 

Felipe acaba de adentrar no quarto a procura da mãe.

 

FELIPE

Mãe? A senhora está bem?

 

Silêncio. Felipe anda mais um pouco pelo quarto.

 

MARTA

Eu estou bem, Felipe!

Só me dê um minuto.

 

Felipe anda mais um pouco e avista um estojo em cima da cômoda. Ele se aproxima e pega um frasco de remédio que estava no estojo.

 

Estranhando, lê a bula e, no mesmo instante, larga o frasco e corre até o

 

BANHEIRO.

 

Ele empurra a porta e rapidamente tem uma visão da mãe agachada na privada. Ela segura a porta, desesperada.

 

MARTA

Felipe, por favor!

 

FELIPE

Eu sei que remédios são aqueles, mãe!

 

MARTA

Eu vou explicar, por favor, só me dá um minuto.

 

Felipe fica parado em frente a porta, apreensivo.

 

CORTE IMEDIATO.

 

Felipe e Marta estão sentados na cama, de frente um para o outro. Marta segura o frasco do remédio abortivo na mão.

 

Ela limpa uma lágrima que cai de seu rosto.

 

FELIPE

Por que não me contou?

 

MARTA

Porque era um assunto meu.

Felipe, eu sei os riscos que eu estou correndo, mas essa é uma decisão minha. Eu não preciso e eu não quero ter filho nenhum.

 

FELIPE

Por que não conversou com o papai?

 

MARTA

Ele nunca entenderia. Você sabe. Abortar. Imagina, ele nunca…

 

Marta fixa em suas mãos.

 

MARTA

Eu sei que é errado, mas…

 

 

FELIPE

Mãe. Eu jamais iria te julgar.

 

Felipe agarra a não de Marta.

 

FELIPE

Eu tô com você. Sempre.

Sempre pode confiar em mim.

 

Os dois se abraçam.

 

FELIPE

Prometa que vai ao hospital.

Esses sangramentos podem se tornar algo sério.

 

MARTA

Eu prometo.

 

DOLLY OUT. A câmera vai recuando, abandonando a cena.

 

A cena escurece.

 

08 EXT. PENHASCO - DIA.

 

SONOPLASTIA: Laços - Tiago Iorc.

 

Felipe encontra-se no mesmo penhasco do 1 Episódio da Série. Ele está de olhos fechados. O sol alaranjado de fim de tarde bate em seu rosto em conjunto com o vento.

 

FLASHBACK ON.

 

FELIPE
Isso é ridículo! Eu não vou fazer isso.

 

RUAN
Ninguém vai ouvir.

É fácil. É só abrir a boca e…

 

Ruan grita bem alto. O som ecoa pelo local até cessar. Ele ri.

 

FLASHBACK OFF.

 

CAM em Felipe. Ele abre os olhos.

 

09 EXT. RUA - NOITE.

 

Felipe vem andando pelas ruas, distraído. Ele ajeita o casaco e retira seu celular do bolso. Olha a tela. Nota algumas mensagens e chamadas perdidas de algumas pessoas.

 

De repente, ele se assusta com os sons de gritos que escuta. Olha para frente e vê uma cena de agressão. Vários homens chutam um outro caído no chão. Em choque, ele começa a gravar a cena com seu celular.

 

HOMEM
Vai me pagar o que deve, otário!

 

Depois de deferir um último chute contra o corpo no chão, o grupo de homens se vai. Felipe guarda o celular e corre até onde o corpo estava. Ele se abaixa, tentando manter a calma.

 

FELIPE
Você consegue me entender?
Tenta ficar acordado, ok? Consegue me ouvir?

 

Felipe vira o rosto do homem para que possa vê-lo e

 

ENTRECORTE ENTRE FLASHBACKS E A CENA:

 

Cena 02 do Episódio 01:

 

Felipe revira os olhos e, de súbito, recebe um empurrão de Jota. CAM.

 

Felipe vai ao chão, espalhado todas as coisas que tinha na sua mochila. Atrás dele, risos. Do seu lado, pessoas que passavam olhando-o estranho, ou com vergonha alheia.

 

Cena 03 do Episódio 02:

 

JOTA

(Ri)

Aí, ele quer saber qual é o nosso problema?

Vamos acabar logo com isso. Se dificultar vai ser pior, heim?

 

Jota ri. Felipe larga a mochila, entregue. Ele começa a chorar. Todos os meninos vão em cima dele, segurando seus braços. Eles retiram sua calça enquanto Felipe se debate e pede “por favor”. Em seguida eles tiram a cueca e deixam Felipe nu, jogando-o no chão.

 

Cena 09 do Episódio 04:

FELIPE

Não... Não!

 

Felipe tenta se levantar e impedir que o ato sexual aconteça, mas o Desconhecido segura seus braços e então o penetra. Felipe urra de dor e aperta os lençóis da cama.

 

VOLTA.

Em Felipe, olhando atônito o rosto de Jota machucado.

 

CORTE IMEDIATO PARA.

 

10 INT. AP DE FELIPE — NOITE.

 

Felipe limpa os ferimentos do rosto de Jota, enquanto o mesmo está imóvel no sofá.

 

Silêncio.

 

JOTA

Há quanto tempo, heim?

Desde o fim do Ensino Médio que eu nunca mais te vi.

 

FELIPE

É, aconteceram muitas coisas depois do Ensino Médio. Muita coisa mudou.

 

Felipe coloca mais um pouco do remédio no algodão.

 

JOTA

Eu lembro de quando seu amigo morreu… No meio do Ginásio. Plut, ele caiu duro no chão e…

 

FELIPE

(Irritado)

Olha só, eu sei o jeito que ele morreu. Eu estava lá, tá bom?

 

Felipe encara Jota. O clima desconfortável é cortado pelo som de celular tocando de Felipe. Ele o agarra em cima do centro e vê o nome de Tomas na chamada. Ele recusa e devolve o celular para onde estava.

 

JOTA

Você não parece bem, não, heim?

 

FELIPE

Ah, e você tá ótimo, né?

Tá muito bem. Quer que eu pegue um espelho pra você olhar seu rosto?

 

Jota fica calado por um momento.

 

JOTA

Como você acha que eu vim parar aqui? Desse jeito? Eu… fugi de casa depois que a escola terminou. Eu me envolvi aí com umas coisas erradas.

 

FELIPE

Por quê? Por que te bateram?

 

JOTA

Eu fiz algumas dívidas.

 

FELIPE

Dívidas do quê?

 

JOTA

Eu nem sei por que é que eu tô falando com você, porra.

 

FELIPE

Por quê? Você ainda o vê quando olha pra mim? O garoto do Colégio que você perseguia, que você atormentava. Você ao menos sabe o que você causou? Todas as coisas que eu pensei em fazer, por que você foi meu gatilho?

 

 

JOTA

Tá, ok. Você não foi o único que teve uma vida difícil! Eu tive um pai ausente, uma mãe negligente. O meu destino não era muito difícil de se adivinhar.

 

FELIPE

Tudo é uma questão de força de vontade.

 

JOTA

Você acha mesmo que eu era assim por que eu queria ser assim? Eu me olhava todo dia no espelho e dizia pra mim mesmo que eu iria conseguir ser diferente dos meus pais, que eu ia ter uma vida diferente, mas…

 

Jota chora.

 

JOTA

Hoje eu me olho no espelho todos os dias e você não sabe a dor que é saber que você falhou.

 

FELIPE

Quando? Quando começou a se drogar?

 

Jota engole em seco.

 

JOTA

Começou no Ensino Médio.

Quando se tem um pai pervertido sexualmente e uma mãe que se importava mais com o carro que o cara que saia tinha, você acaba buscando outras alternativas. Eu poderia ter evitado. Eu poderia ter dito não. Mas você não pode fazer nada quando se está doente por dentro. Foi só uma vez (ri). Eu não iria fazer mais, eu não seria um viciado. Eu fiz isso mais e mais vezes até eu perceber que eu não podia mais viver sem isso. Sem isso, eu voltaria pra realidade e eu não queria, por que aqui eu não sou nada. Eu precisava de dinheiro pra comprar, eu vendia as minhas roupas, eu vendia coisas da minha casa, eu cheguei a roubar, até já me prostitui para ganhar mais dinheiro, mas não era o suficiente. Nunca é o suficiente. Quanto mais eu comprava, mais eu queria. Eu tenho consciência que isso está me destruindo… Eu quero, eu preciso parar.

 

Felipe encara Jota por um momento.

 

FELIPE

Eu conheço algumas clínicas de recuperação. Se você quiser eu te levo amanhã.

 

JOTA

(responde de imediato, quase uma súplica)

Eu quero. Eu quero.

 

FELIPE

Você pode dormir aqui hoje à noite. Se quiser.

 

Jota balança a cabeça.

 

CORTA PARA.

 

11 INT. AP DE FELIPE — DIA.

 

O Sol adentra pela janela do Ap. A porta do quarto de Felipe acaba de ser aberta. Ele sai, ainda sonolento, coçando a cabeça.

 

SONOPLASTIA: Hoje Cedo – Pitty (Emicida).

 

Ele passa a procurar Jota pelos cantos da Sala e, assustado, caminha em direção ao banheiro, quando não o encontra.

 

FELIPE

Você tá aí?

 

Felipe bate na porta e aguarda um pouco antes de abri-la e se deparar apenas com um banheiro vazio.

 

Ele volta para a

 

SALA e então nota sua carteira jogada no centro. Ele a pega. Está vazia.

 

Foco no rosto de Felipe. Frustrado.

 

FADE TO BLACK.

 

FADE IN:

 

12 INT. HOSPITAL — NOITE.

 

ABRE A CENA.

Movimento de um hospital público. Várias pessoas à espera, outras transitando.

 

Felipe preenche uma ficha perto do balcão, quando entram no hospital dois enfermeiros arrastando uma cama de rodas com um corpo coberto por um cobertor.

 

Felipe logo caminha até eles.

 

FELIPE

Qual é o caso?

 

ENFERMEIRO

Ligaram de uma boate há alguns quilômetros daqui. Encontraram o corpo do homem no banheiro. Suspeita de que foi overdose.

 

Felipe lembra-se de Jota.

 

ENFERMEIRO

Ele tem alguns ferimentos pelo corpo e rosto. Parecem ser recentes.

 

Tentando manter razão, Felipe estende a mão para o cobertor, aflito e vê o rosto do cadáver.

 

ENFERMEIRO

O que acha?

 

Felipe vê que não é Jota e recobra a consciência depois de alguns segundos.

 

FELIPE

Tentaram contato com a família dele?

 

 

 

13 INT. BAR — NOITE.

 

MARIANE

Ele te roubou?

 

Felipe vira um copo com cachaça.

 

FELIPE

É. Hoje de manhã eu acordei e ele não estava lá. Minha carteira estava vazia. O pior é que eu sei bem pra quê ele roubou esse dinheiro.

 

MARIANE

Você tentou ajudar ele.

Talvez ele nem fizesse o mesmo por você.

 

FELIPE

É bem provável que não, mas eu sei o que ele tá passando. Não a parte das drogas, mas essa sensação de não ser o suficiente, de ver tudo desabando ao seu redor.

 

MARIANE

O vício é difícil de lidar.

Eu tenho alguns amigos que luta há anos com isso. De drogas, de alcoolismo. Mas se tem uma coisa que eu aprendi, Lipe, esse tempo que convivi com eles, é que, mesmo você oferecendo ajuda, tudo vai depender deles. O apoio, é claro, é essencial, mas, não vai adiantar se uma das partes lutar. Você fez o seu melhor. Não adianta ficar se sentindo responsável.

 

FELIPE

Você ainda pensa nele? No Ruan?

 

Mariane ri.

 

MARIANE

Todo dia.

Eu penso em como ele seria se estivesse vivo.

 

FELIPE

O que ele faria no meu lugar?

 

 

MARIANE

Ele insistiria.

Se tem uma coisa que ele sabia fazer era insistir. Mas essa não é a questão. Felipe, isso é sobre você. Só você sabe o que se passa aí dentro. Você já sabe o que quer fazer.

 

Felipe encara a borda do copo.

 

14 INT. CONSULTÓRIO — DIA.

 

FELIPE

Eu não sei o que fazer!

 

CAM. Revela que Felipe está de frente para uma Psicóloga.

 

PSICÓLOGA

O que você sente em relação à isso?

 

FELIPE

Eu não sei.

As nossas vidas sempre estiveram ligadas, ou eu estive ligado à ele. Eu entendo que ele teve uma vida complicada, ele viveu numa família complicada. Eu…

 

FLASHBACK ON.

 

Cena 09 do Episódio 04:

 

FELIPE

Não.. Não!

 

Felipe tenta se levantar e impedir que o ato sexual aconteça, mas o Desconhecido segura seus braços e então o penetra. Felipe urra de dor e aperta os lençóis da cama.

 

FLASHBACK OFF.

 

VOLTA.

Felipe aperta os olhos.

 

FELIPE

Eu sinto raiva dele.

Eu quero que ele se foda, eu realmente quero isso. Eu não consigo perdoá-lo por todas as vezes que eu passei um inferno no Colégio.

 

FLASHBACK ON.

Cena 03 do Episódio 02: 

 

 

JOTA

(Ri)

Aí, ele quer saber qual é o nosso problema?

Vamos acabar logo com isso. Se dificultar vai ser pior, heim?

 

Jota ri. Felipe larga a mochila, entregue. Ele começa a chorar. Todos os meninos vão em cima dele, segurando seus braços. Eles retiram sua calça enquanto Felipe se debate e pede “por favor”. Em seguida eles tiram a cueca e deixam Felipe nu, jogando-o no chão.

 

FLASHBACK OFF.

 

FELIPE

Eu fiquei aliviado em saber que ele sofreu quando ele me contou tudo o que aconteceu. Eu quis dizer na cara dele que eu amava que ele estava no fundo do poço. Eu queria jogar a terra por cima.

 

PSICÓLOGA

E você se sente bem com isso?

 

Felipe chora.

 

FELIPE

Não!

Eu não quero ser assim. Eu não sou assim.

 

CAM no rosto de Felipe.

 

CORTE IMEDIATO PARA.

 

15 EXT. RUA — DIA.

 

Felipe anda pela rua. CAM acompanha seus movimentos.

 

SONOPLASTIA: Too Lost — Ryu Young Min.

 

FELIPE

(V.O)

Eu queria dizer que estava tudo bem e deixar o passado pra trás. Mas isso estava dentro de mim, com as raízes pregadas no chão, tão fundo quanto uma bala. Eu pensei que eu pudesse ser mais, mais empático, mais resiliente. Você passa anos tentando ser o melhor de si e se convence disso completamente, e aí a vida junta todas as verdades escondidas e despeja tudo na sua cara. E aí? O que você faz depois que também descobre o pior de si?

 

Felipe continua caminhando, distante, pensativo. Como se estivesse no automático.

 

A CAM muda e mostra JOTA sentado na calçada do prédio onde Felipe mora, também pensativo.

 

CAM. Volta para Felipe.

Ele desperta quando vê Jota.

ENTRECORTES; Jota e Felipe notam a presença de cada um.

 

Jota se levanta, enquanto Felipe caminha.

 

Quando chegam perto o suficiente um do outro. As duas cenas em uma só.

 

Os dois se olham. Ambos carregando culpa, dor e pensamentos confusos.

 

Jota põe a mão no bolso do casaco e tira algumas notas de dinheiro. Ele as estende para Felipe, que levanta os olhos, surpreso.

 

16 INT. CLÍNICA DE RECUPERAÇÃO, QUARTO — DIA.

 

Jota, já com outras roupas, aparentemente limpo, olha o quarto em que se encontra no momento. Felipe o observa.

 

FELIPE

Bom, já que você está bem, eu vou indo agora.

 

Jota vira-se para Felipe.

 

JOTA

Obrigado. Por tudo.

 

Felipe balança a cabeça apenas. Ele caminha até a porta e para, dando meia volta.

 

FELIPE

Escuta.

 

Ele abre a mochila, pega papel e caneta, anotando alguma coisa. Logo em seguida o estende junto com um livro.

 

FELIPE

Quando sair daqui. Quando sair bem daqui… me procura.

 

Jota pega o livro e o papel. Felipe dá as costas e se vai.

 

17 INT. CLÍNICA DE RECUPERAÇÃO, BANHEIRO — DIA.

 

SONOPLASTIA: Before it Breaks — Brandi Carlile.

 

Felipe, com a cabeça encostada na porta da cabine, bate com as mãos nela, chorando compulsivamente.

 

FELIPE

(V.O)

Você pode até não concordar com isso, mas você pode escolher quando a verdade vir à tona, entre ser o pior de si e dar o melhor de si. Eu não sou, realmente, uma pessoa empática o tempo todo. Eu desejo mal a algumas pessoas em algumas vezes. Todos dizem que se você olhar para trás, o seu passado vai estar lá, mas isso é mentira, porque o passado some no momento em que você o deixa para trás. Eu não vou mudar de opinião agora e nem vou dar mil perdões. No momento, eu ainda o culpo. Eu guardo minhas rezas e ofereço minha face para quem quiser bater.

 

Em Felipe, aliviado.

 

 

 

 

FELIPE

(V.0)

Eu tenho motivos.

E hoje, eu dei motivos. Amanhã eu não sei o que pode acontecer, mas hoje… Hoje eu vou viver.

 

O celular de Felipe toca. Tomas. Ele atende, limpando as lágrimas.

 

FELIPE

(Feliz)

Oi. Que bom ouvir sua voz…

 

Felipe dá descarga na privada e sai da Cabine, ainda falando ao telefone com Tomas e rindo.

 

FADE TO BLACK.

 

MENSAGEM DO DIA:

 

“É preciso deixar o passado fazer o seu trabalho e entender que a vida continua”.

 

 

 

 

 

 



LINK DAS MATÉRIAS SOBRE RACISMO E PRIVILÉGIO BRANCO:

 

Racismo como um 'problema dos negros' é privilégio branco

 

Combate ao racismo exige reconhecimento de privilégios da branquitude

 
     

 

     


 

minissérie de
Everton Brito
 

elenco
Fhelipe Gomes como Felipe
Gabriel Contente como Ruan
Guilhermina Libanio como Toppy
Linn da Quebrada como Mariane
Maicon Rodrigues como André
Rodrigo Dorado como Jota

 

trilha sonora
Estrada - Nina Fernandes (abertura)
O Tiro – Scatolove
Não Se Precipite – Apanhador Só
De Noitinha – Pequeno Cidadão
Não Recomendado – Caio Prado
Gira-Sol – Thiago Ramil
Before It Breaks – Brandi Carlile
Moral Of The Story – Ashe
Top To Toe – Fenne Lilly
Você é a Mais Sincera – Zimbra
Secrets – Mary Lambert
1910 — Azzy feat. Lourena, NaBrisa, Nobru Black, Thai Flow & Gabz
Laços – Tiago Iorc
Everything Is Lost – Maggie Eckford
Hallelujah – Rufus Wainwright
Adeus – Ana Muller
Geminiana – Natália Carreira
Pra Você Guardei o Amor – Anavitória
Laços - Tiago Iorc
Hoje Cedo – Emicida feat Pitty
Too Lost – Ryu Young Min
Before it Breaks – Brandi Carlile

produção
Bruno Olsen
Cristina Ravela
 

Esta é uma obra de ficção virtual sem fins lucrativos. Qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações da vida real terá sido mera coincidência.


REALIZAÇÃO



Copyright
© 2020 - WebTV
www.redewtv.com
Todos os direitos reservados
Proibida a cópia ou a reprodução

.aaa.
.aaa.
Compartilhe:

12 anos

Capítulos de Motivos para Continuar Vivendo

Drama

Minissérie

Motivos para Continuar Vivendo

No Ar

Romance

Comentários:

0 comentários: