Testemunha de um Crime - Capítulo 11 - WebTV - Compartilhar leitura está em nosso DNA

O que Procura?

HOT 3!

Testemunha de um Crime - Capítulo 11

Novela de Luiz Gustavo
Compartilhe:
Troque a Fonte Aqui
 


  CAPÍTULO 11
 
 



música do capítulo: Crave – Madonna

Os olhos castanhos se abrem lentamente, observando a escuridão da madrugada, por um minuto o homem sentiu algo o incomodado acompanhado de um medo devastador, como se fosse consumido pela obscuridade. Suas mãos ligam o abajur ao lado direito da cama, fitando os lindos cabelos loiros e sedosos de Frank Salvatore e o acaricia diversas vezes, o cheiro é encantador, forte e ao mesmo tempo suave. Luta para regressar ao estado de letargia, fracassando.

Os últimos momentos surgem em sua psicose como em vários flashes, agora detém uma morte como culpa a ser levada ao caixão. O cansaço o vence dormindo adjunto aos pesadelos, despertando quase meio dia. Ele levanta-se do leito e escova os dentes, o apartamento permanece literalmente vazio, o companheiro certamente deve estar envolvido em uma missão secreta. Às gotas de águas caem sobre o corpo, depois escolhe uma roupa qualquer e em seguida, toma o café da manhã, mas tinha que contar para alguém o ocorrido.

Desce para o estacionamento e o carro segue trajeto para o bairro Jardim Paulista.

- Adam, abre o portão, por favor. – Disse no aparelho celular.

O Onix entra na garagem do palacete. Bruno cumprimenta Adam no hall de entrada pouco acanhado, transpôs na morada e segue até a sala de estar, acomodando-se no estofado feito de tecido com toque aveludado e detalhes capitonê. O amigo aparece com duas garrafinhas de cervejas geladas em mãos. Bruno está com os braços lançados na cabeça, balançando sem parar.

- O que está acontecendo?
- Preciso contar a verdade.

A bebida faz um pequeno barulho ao ser descerrada.

- Eu me entreguei de corpo e alma para o Frank.
- Como assim?
- Adam. – Bruno tosse algumas vezes, tentando buscar as falas, como num caça palavras. – Assassinei o Ricardo Medeiros.
- O quê? – Adam grita e faz uma pequena pausa, prosseguindo: Como pode cometer tamanha burrice Bruno? 
- Sou um perdedor, me juntei a aquele homem que segue as leis do diabo. Peço-te desculpas, mas não estou sendo racional, me deixei ser domado pelos desejos, infelizmente, estou apaixonado.

O homem ainda em pé tenta reprimir a raiva, não consegue. As pessoas por amor cometem erros brutais, ficam cegas e pensam com o coração, no entanto esse era um trabalho e precisava ser lógico.

- Não dá para acreditar nisso vindo de um dos melhores agentes da ABIN, uma atitude amadora. Acho que acabou a confiança, pensava que conseguiríamos juntos, mas se continuarmos, tudo isso pode ir por água abaixo, Bruno.

Adam o observa atentamente.

- Continua com este teatro, mas pense bem, não terá nenhum final feliz como num filme.

Adam caminha em passos firmes em direção da saída e bate à porta, deixando o amigo sozinho na sala, afundando aos prantos. Anos de objeções jogados no lixo, como simples papéis, agora Bruno está preso sem grades, acorrentado aos sentimentos.

- O que faço comigo? – Ele pergunta para si mesmo.

Nick desce as longas escadarias usando uma camisa branca do Superman e calça de moletom, os pés estão no pavimento, sem se incomodar com a baixa temperatura da metrópole. O garoto se acomoda ao lado de Bruno, sabe muito bem o que acontece, afinal tinha escutado toda a conversa do segundo andar.

- Calma Bruno, todo mundo erra nessa vida. O papai só ficou chateado, pois não liga mais para os desejos, parece que está seco por dentro. 
- Você não entende.
- Entendo sim, amor é amor, com qualquer pessoa. O Frank é um assassino, um homem cruel e você enxergou através das máscaras.

Bruno seca as lagrimas com as pontas dos dedos.

- Você é muito maduro Nicolas.
- Nick, sempre Nick, odeio o meu nome.
- Desculpa. Obrigado pelo apoio, às vezes em momentos como esses, queremos apenas escutar meias palavras para sabermos se estamos bem de verdade.

Bruno abraça Nick por alguns minutos, confortando-se com o carinho. Posteriormente levanta e se despede, suas esferas continuam escassas e ele retorna ao automóvel, seguindo aos redores de São Paulo, estacionando em um bar na Avenida Paulista, divisa as pessoas ao redor, executivos fazendo um lanche, mulheres saindo do trabalho e ele, querendo apenas uma bebida qualquer. Acomoda-se no banco de madeira acolchoado de couro, adiante de uma linda bartender detrás do balcão de mármore, dona de belos cabelos escuros e pele branca, certamente macia, por um minuto pensou em levá-la para cama de um hotel, mas solicita apenas um gim.

Eu sou uma desgraça.

Bruno estava literalmente chapado, paga a conta do estabelecimento depois de quase três horas, segue a caminho para casa de táxi, não tinha condições de dirigir, um e milhares de problemas, qual resolver primeiro? A cabeça doía demais, como se os pontos que a ligassem se quebrassem um ao outro, chega ao apartamento do amado com ajuda de um segurança.

Frank o segura pelos braços com força e o leva para o quarto, jogando na cama. 

- Eu te amo, Frank. – Disse meio trêmulo.
- Eu também.
- Nós dois nós merecemos, dois assassinos. 
- A vida é assim, nós juntamos a quem nos completa.

Frank solta um sorriso, é apenas a verdade. A maçã e a cobra do pecado, mas ainda assim não entende, pois, o companheiro estava completamente ébrio, como se fosse por uma desilusão amorosa ou o simples peso na consciência.

A campainha toca diversas vezes, Frank ultrapassa por alguns cômodos e atende a porta de madeira. Um homem negro de dois metros de altura infiltra-se como se fosse uma grande montanha. 

- Sávio. 
- Me convidou para guerra? – Diz um sotaque americano, mas fala perfeitamente a língua portuguesa.

Frank fica calado por alguns instantes, aquele é a pessoa certa para concluir todos os seus planos, um dos assassinos de alugueis mais caros do planeta, detetive da elite francesa, verdadeiro rato, criado para matar.

- Claro, contratei você para matar David Assunção. Bem-vindo de volta à organização velho amigo.

Frank aperta a mão de Sávio.

 





INSPIRADO EM UMA HISTÓRIA REAL

autor:
LUIZ GUSTAVO

elenco
DAVID ASSUNÇÃO

AMANDA LOPEZ
ANDRESSA YAMASHITA

HERBERT VIANA

NICK SMITH
ADAM SMITH

FRANK SALVATORE
BRUNO LIMA

PROFESSORA MARIA
ROBERTO ASSUNÇÃO

MATHEUS
JEFERSON

DONA HILDA
SÁVIO MESSIAS
JUNIOR BRANDÃO

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL:

MARCELO MIRANDA
MÔNICA VELARDO

TRILHA SONORA:
SAVE ME - REMY ZERO (abertura)
CRAVE – MADONNA


COLABORAÇÃO:
MÁRCIO GABRIEL
JULIANA CORDEIRO


PRODUÇÃO:
BRUNO OLSEN
CRISTINA RAVELA


Esta é uma obra de ficção virtual sem fins lucrativos. Qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações da vida real terá sido mera coincidência.


REALIZAÇÃO


Copyright © 2019 - WebTV
www.redewtv.com
Todos os direitos reservados
Proibida a cópia ou a reprodução


Compartilhe:

14 anos

Capítulos de Testemunha de um Crime

No Ar

Novela

Policial

Testemunha de um Crime

Comentários:

0 comentários: