Relações Perigosas - Capítulo 10



     
     
     

VALE A PENA LER DE NOVO: RELAÇÕES PERIGOSAS
 
     
 
 
     
  NO CAPÍTULO ANTERIOR DE "RELAÇÕES PERIGOSAS":

Bernardo segura Heloísa novamente.

Bernardo — Você matou a Clara?! Você é doente, Heloísa.

Heloísa — Eu não matei ninguém! Eu sou a/

Bernardo — (Corta) Você não é a Clara! Você pode enganar o Marcelo, mas a mim não!

Heloísa — Ela caiu do barco... Se não ter me jogado no mar pra tentar salvar ela é ter matado, então eu matei sim.

Bernardo escuta Heloísa, perplexo.


...

Bernardo
— Por que você não contou a verdade. Por que você disse que quem caiu tinha sido a Heloísa?

Heloísa — É que/

Bernardo — Foi por causa do Marcelo, não foi?

Heloísa — Bernardo pensa comigo: a Clara ta morta e eu to viva. O Marcelo nunca ia olhar pra mim.

Bernardo — Por que ele ama a nossa irmã.

Heloísa — Mas ela morreu/

Bernardo — Nem acharam o corpo dela e você já tá enterrando ela.

Heloísa — Aceita a realidade. Você acha justo eu deixar o Marcelo viver uma fossa pela Clara, enquanto eu to aqui de coração aberto pronta pra dar todo amor pra ele?

...

Heloísa — Você tá me chantageando?

Bernardo — Eu chamaria de troca de favores. Mas você pode dar o nome que quiser.

Heloísa — Bernardo/

Bernardo — (Corta) Sem conversinha. Ou você me dá a grana ou o seu sonho de casamento feliz com o Marcelo acaba agora.

Heloísa — Tá bom, tá bom. Eu te dou o dinheiro. Quanto você quer?

Bernardo — Pra começar 2 mil.

Heloísa — Pra começar?

Bernardo — Sim, porque o meu silêncio vai custar muito mais caro que isso.

Heloísa — Você não vale nada.

Bernardo — Olha quem falando: você planejou a internação da nossa mãe numa clínica e matou a nossa irmã.

...
 

Gregório — Dr. Coimbra? Quem é essa pessoa?

Marcelo — É isso que eu quero saber.

Gregório — Eu não conheço nenhum Coimbra.

Marcelo — Você tem certeza, tio?

Gregório — Por que você tá me perguntando isso?

Marcelo — Não sei se eu falei pro senhor, mas eu to querendo saber por que meu pai sumiu e me levou junto.

Gregório — Pra que ficar remexendo no passado, Marcelo?

Marcelo — Eu preciso saber, tio. Eu fui privado de parte da minha vida e algum motivo deve ter. Meu pai não fez o que fez a troco de nada, ele era um homem bom.


...
 

Marcelo — Posso te ajudar em alguma coisa?

Milena — Acho que pode. O Leandro me falou que você foi hoje lá na Barão querendo saber quem era o Dr. Coimbra.

Marcelo reage surpreso.

Marcelo — Você sabe quem é ele?

Milena — Sim... Ele é meu pai.

Na surpresa de Marcelo.

 
     
 
     
     
     

CAPÍTULO 10
 
     
 

CENA 01. casa de ana carolina. sala. Interior. dia.

Continuação da última cena do capítulo anterior.

Marcelo não acredita no que Milena acabou de lhe falar.

Marcelo — O Dr. Coimbra é seu pai?

Milena — Sim. Eduardo Coimbra... Meu pai.

Marcelo — Meu Deus. Eu tava começando a achar que essa pessoa nem existia.

Milena — Eu fiquei muito surpresa quando o Leandro me falou que você tava procurando por ele.

Marcelo — Parece que o seu pai frequentava aqui na época que o meu pai sumiu comigo. A Luísa, mãe da Clara, talvez também pudesse me ajudar, mas como ela tá internada, pensei que encontrar esse Dr. Coimbra seria uma alternativa. (Tom) Será que teria como eu falar com ele?

Milena — Impossível. Ele morreu há mais de 20 anos.

Na reação de Marcelo.

CENA 02. hotel. bar. Interior. dia.

Continuação da cena 38 do capítulo anterior.

Gregório e Bianca sentados à mesa.

Gregório — Quer beber alguma coisa?

Bianca — Não. To bem assim. Qual é o problema?

Gregório — O seu ex-marido, que tá perigando não nos deixar em paz mesmo depois de morto.

Bianca — Que eu saiba quem tá revirando história que não deve é o seu sobrinho. O Coimbra tá lá quieto debaixo da terra.

Gregório — A gente não pode deixar que o Marcelo descubra quem é ele. Ele veio me procurar, mas eu tratei de enrolar ele.

Bianca — E você acha que funcionou?

Gregório — Espero que sim.

Bianca — Então relaxa, mesmo que ele descubra quem esse Dr. Coimbra que ele tanto procura, isso não vai mudar em nada na nossa vida. O Coimbra tá morto há mais de 20 anos. Ele já nos atrapalhou bastante quando vivo, não vai fazer isso depois de morto.

Gregório — Eu fico pasmo com essa sua tranquilidade.

Bianca — Perder o controle é muito perigoso nessas horas. E você sabe que se não fosse por causa da minha calma, hoje a gente não estaria aqui.

Gregório toma um gole do seu drink, tentando relaxar.

CENA 03. casa de gregório. sala. Interior. dia.

Leandro entra da rua. Tarsila por ali.

Tarsila — Já chegou, filho?

Tarsila percebe que Leandro tá com uma cara esquisita.

Tarsila — Que cara é essa? Aconteceu alguma coisa?

Leandro — Não, quer dizer: não sei. A Milena foi lá no escritório me chamando pra ir jantar com ela, mas do nada ela mudou de ideia e foi embora. Acho que foi depois que eu disse que o Marcelo tava procurando por um tal de Dr. Coimbra... Essa mulher é doida.

Tarsila — Eduardo Coimbra.

Leandro — Que?

Tarsila — O Coimbra é o pai da Milena. Morreu quando ela ainda era criança, deve ser por isso que ela saiu daquele jeito.

Leandro — Nem me lembrei disso. O nome dela tá tão associado à Giacomelli Exportações que eu até esqueço do outro sobrenome dela.

Leandro fica um tempo pensativo.

Leandro — Mas então porque o pai disse que não conhecia nenhum Coimbra quando o Marcelo foi lá saber sobre ele?

Tarsila — Não faço ideia. Isso você tem que perguntar pro seu pai. Vai ver ele não se lembrou.

Leandro — Vai ver foi isso.

Leandro sobre as escadas. Tarsila fica ali pensativa.

Tarsila — Eu sei muito bem porque você não quis se lembrar dele.

CENA 04. casa de ana carolina. sala. Interior. dia.

Continuação da cena 01. Marcelo e Milena conversam.

Marcelo — Desculpa perguntar, mas ele morreu como?

Milena — Ele caiu de uma janela lá da exportadora. Um acidente terrível... Eu não sei exatamente como aconteceu porque na época eu era muito pequena.

Marcelo — Então tecnicamente eu voltei à estaca zero.

Milena — Mas o que você queria exatamente com o meu pai?

Marcelo — Sinceramente, Melissa/

Milena — (Corta) Milena.

Marcelo — Isso. (Continua) Nem eu sei. Como ele frequentava a nossa casa, talvez ele soubesse o que aconteceu na época que meu pai sumiu. Por que ele a e minha mãe brigaram?

Milena — É... Não sei se ele saberia responder tudo isso.

Marcelo — E a sua mãe? Ela não saberia me responder isso?

Milena — Talvez, Marcelo. A verdade é que ela e a dona Ana Carolina eram brigadas.

Marcelo — Por quê?

Milena — Não sei. Ela diz que é por causa de uma quebra de contrato que quase deixou a exportadora no vermelho, mas eu tenho minhas dúvidas se é só por causa disso. (Tom) E o seu tio Gregório e a Tarsila? Eles devem saber de alguma coisa.

Marcelo — O tio disse que não conhecia nenhum Coimbra.

Milena — (Surpresa) Como não?! A Giacomelli Exportações foi durante anos a principal distribuidora da Barão do Alambique! É impossível que ele não conheça o meu pai.

Marcelo — Realmente isso tá muito estranho. Mas por que razão ele iria mentir?

Milena — Isso eu já não sei lhe dizer.

Marcelo — Essa história tá muito mal contada. Eu vou agora na casa dele tirar essa história a limpo. (Tom) Desculpa, mas eu vou ter que sair.

Milena — Sem problemas. Eu só vim aqui pra te falar sobre o meu pai, já to de saída.

Os dois vão saindo para a rua.

Marcelo — Quer uma carona?

Milena — Não precisa obrigada.

Marcelo abre a porta e se surpreende ao ver Heloísa ali.

Marcelo — Clara?

Heloísa — Eu tentei te ligar, mas dava sempre ocupado. (Olha para Milena) O que ela tá fazendo aqui?

Closes alternados nos três.

CENA 05. hotel. bar. Interior. Dia.

Gregório e Bianca sentados em uma mesa do bar. Ele tomando um drink.

Gregório — Tem certeza que não quer beber nada?

Bianca — To bem assim, Gregório.

Gregório — Já que o problema do sobrinho intrometido tá por enquanto resolvido, que tal a gente fazer outra coisa pra relaxar?

Música: Chasing Pirates – Norah Jones.

Gregório acaricia a mão de Bianca, mas logo em seguida ela a tira.

Bianca — Eu não to precisando relaxar.

Gregório — Não venha me dizer que você não sente saudades das nossas noites de amor... (Sussurra) E muita sacanagem?

Bianca — Você sabe que sim, mas é melhor a gente não fazer nada.

Gregório  — Não vem querer pagar de mulher fiel ao casamento que isso comigo não cola.

Bianca — Cala a boca. Ninguém tá falando isso. (Tom) Sua mulher não tá comparecendo, é?

Gregório — É você que sempre me deixou louco. (Tom) Agora que os nossos filhos vão realmente se casar, eu vou ficar bem mais pertinho de você.

Bianca dá um sorriso safo.

Bianca — É melhor eu ir.

Bianca se levanta e vai embora. Gregório fica observando ela sair.

Música: [Fade out].

CENA 06. casa de ana carolina. sala. Interior. Dia.

Continuação da cena 04. Heloísa na porta encarando Marcelo e Milena que estão de saída.

Marcelo — Entra, meu amor.

Marcelo e Heloísa se beijam.

Marcelo — É uma longa história que eu to sem tempo de contar. Me espera aqui que na volta eu te conto.

Milena — (Pra Heloísa) Eu fiquei sabendo da sua irmã, Clara. Se Deus quiser ainda vão encontrar a Heloísa com vida.

Heloísa tenta falar algo, mas não consegue. Marcelo e Milena já foram embora. Aparecida vem da cozinha.

Aparecida — Dona Clara, a senhora quer alguma coisa? Uma água, um café?

Heloísa — Quero que você suma da minha frente. (Enxota) Sai, sai, sai.

Aparecida — Qualquer coisa é só a senhora chamar.

Aparecida volta para a cozinha. Heloísa senta no sofá e fica ali esperando.

CENA 07. rio de janeiro. ambiente. Exterior. Noite.

Stock-shot da cidade ao anoitecer.

CENA 08. casa de giancarlo. sala. Interior. Noite.

Giancarlo entra da rua. Cleusa vem da cozinha.

Cleusa — Boa noite, Dr. Giancarlo.

Giancarlo — Boa noite, Cleusa. A Bianca ta em casa?

Cleusa — Não senhor. Desde de manhã que eu não vejo a Dona Bianca.

Giancarlo — Tá bom, obrigado.

Cleusa — O senhor quer que eu leva a sua pasta pro escritório?

Giancarlo — Por favor.

Cleusa pega a pasta de Giancarlo e vai para o escritório. Tempo e Bianca entra da rua.

Giancarlo — Bianca.

Bianca — Dr. Giancarlo Giacomelli...

Giancarlo — Onde é que você tava? Esqueceu que a gente tinha combinado uma reunião no final da tarde?

Em Bianca pensando no que vai responder.

CENA 09. carro de gregório. ambiente. Interior. Noite.

Gregório dirigindo o seu carro. Ele para em um semáforo e fica ali pensativo. A voz de Ana Carolina jovem, ecoa sobre a cabeça de Gregório.

Ana Carolina — (Off) Eles sumiram, Luísa!

CENA 10. casa de ana carolina. sala. Interior. Dia.

Flashback. Cerca de vinte anos atrás. Na sala estão: Ana Carolina, Luísa e Gregório, todos com cerca de 30 anos.

Ana Carolina está desesperada. Luísa e Gregório tentam acalmá-la.

Luísa — Calma, Ana. Eles não podem ter sumido assim.

Ana Carolina — (Desesperada) O armário do Marcelo tá vazio e tem peça de roupa faltando no armário do Alcides. Ele sumiu com o nosso filho, Luísa!

Gregório — O Alcides nunca que ia fazer uma coisa dessa, Ana! Vai ver que... Sei lá, ele foi viajar com o garoto.

Ana Carolina — Sem me avisar? Tenha a paciência, Gregório.

Luísa — (Pra Gregório) Será que você não consegue localizar o seu irmão?

Gregório — Posso tentar.

Ana Carolina — Eles são as pessoas que eu mais amo nesse mundo. Eles não podem me deixar.

Fim do flashback

CENA 11. carro de gregório. ambiente. Interior. Noite.

Carro parado no semáforo. Gregório está distraído até começa a escutar várias buzinas de carro. O sinal já está aberto e ele arranca com o carro.

CENA 12. casa de ana carolina. sala. Interior. Noite.

Heloísa olha pela janela da rua. Rudá aparece na sala.

Heloísa — (Chama) Vem aqui.

Rudá se aproxima de Heloísa.

Rudá — Dona Clara.

Heloísa — Sem o dona, me poupe. O que o Marcelo tava fazendo com aquela lá?

Rudá — Não sei dizer.

Heloísa — Ah não mente pra mim! Claro que você sabe!

Rudá — É... Eu sei sim, mas acho que eu não posso falar nada pra senhora.

Heloísa — Por quê? O Marcelo tá escondendo alguma coisa de mim?

Rudá — Não, mas acho que é ele que tem que falar pra você o que ele descobriu.

Heloísa — Descobriu? Como assim? O que ele descobriu... Como é o seu nome mesmo?

Rudá — Rudá.

Heloísa — Me fala o que ele descobriu, Rudá.

Rudá — Desculpa, mas eu não vou falar nada. Se a senhora quiser alguma coisa é só chamar. Licença.

Rudá vai para a cozinha e deixa Heloísa curiosa.

Heloísa — Eu preciso saber o que tá acontecendo.

CENA 13. casa de gregório. sala. Interior. Noite.

Amélia entra da cozinha e vai até Tarsila.

Amélia — Dona Tarsila, a senhora quer que eu sirva o jantar agora?

Tarsila — Não, Amélia. A gente vai esperar o Gregório chegar.

Amélia — Sim, senhora. Com licença.

A campainha toca.

Tarsila — Atende a porta.

Amélia abre a porta da rua. É Marcelo.

Amélia — O que o senhor deseja?

Tarsila vê que é Marcelo na porta e vai até ele.

Tarsila — É o meu sobrinho. Pode deixar ele entrar.

Marcelo entra e cumprimenta Tarsila. Amélia vai para a cozinha.

Tarsila — Eu não esperava a sua visita, Marcelo.

Marcelo — Vim meio de impulso, tia. É que eu descobri uma coisa e precisava falar urgente com o tio. Será que ele pode me receber?

Tarsila — Ele ainda não chegou. (Tom) Não quer sentar? Beber alguma coisa?

Marcelo — Obrigado, eu to bem.

Tarsila — O jantar vai ser servido logo logo. Se quiser pode ficar.

Marcelo — Não, tia. Eu agradeço, mas/

Marcelo é cortado por Gregório que entra da rua.

Gregório — Boa noite. (Vê Marcelo) Marcelo? Você aqui?

Tarsila vai até Gregório e beija o marido.

Tarsila — Como foi o seu dia?

Gregório — (Baixo) O que ele tá fazendo aqui?

Tarsila — (Baixo) Não sei, mas acho que tem a ver com uma história que você andou escondendo dele.

Gregório — (Baixo) Do que você tá falando?

Tarsila — (Baixo) O Leandro me falou que o nosso sobrinho teve procurando pelo Coimbra e você se fez de desentendido.

Gregório — (Baixo) Você acha que...

Tarsila — (Baixo) Posso apostar que a Milena entregou toda a ficha dele por Marcelo.

Gregório se aproxima de Marcelo.

Gregório — Eu não esperava a sua visita aqui. Aconteceu alguma coisa?

Marcelo — Aconteceu que o senhor mentiu pra mim.

Gregório — (Finge não entender) Como assim, Marcelo?

Marcelo — Você disse que não conhecia nenhum Dr. Coimbra, quando na verdade ele era amigo do seu irmão.

Gregório — Espera, Marcelo. As coisas não são bem assim.

Marcelo — Então é o que? O que o senhor tá me escondendo?

Na tensão de Gregório.

CENA 14. casa de giancarlo. sala. Interior. Noite.

Giancarlo e Bianca por ali. Milena entra da rua.

Giancarlo — Você não ia jantar com o Leandro?

Milena — Ia, mas aí aconteceram umas paradas.

Giancarlo — Que paradas? Posso saber?

Milena — Eu não ia falar nada pra vocês porque... Ah sei lá, mas como tem meio que a ver com o meu pai.

Giancarlo — O que tem o Eduardo?

Milena — O Marcelo tava querendo saber dele.

Bianca — (Reage) O Marcelo filho da Ana Carolina?

Milena — Ele mesmo.

Giancarlo — E a troco de que ele ia querer saber do seu pai?

Milena — Parece que ele ficou sabendo que o meu pai e o pai deles eram amigos e decidiu procurar ele pra ver se descobria alguma coisa.

Bianca — O que ele tá querendo descobrir?

Milena — Ah mãe! Sei lá! Deve tá querendo saber o porquê do pai dele ter sumiu do mapa com ele pequeno. É no mínimo estranho, você não acha?

Bianca — Eu não acho nada, e você também não tem que achar. (Tom) Pelo amor de Deus, Milena. Não se mete nessa história/

Milena — Que história? Eu não sei do que você tá falando. Eu só disse pro Marcelo que esse Dr. Coimbra que ele tava procurando era meu pai.

Bianca — Que seja. Seu pai não tem nada a ver com o sumiço do Alcides.

Milena — Ninguém tá dizendo que tem. O Marcelo queria falar com o pai pra ver se conseguia levantar alguma informação, mas infelizmente ele já tá morto.

Bianca — E infelizmente não vai poder ajudar. Então volto a lhe pedir: deixa as paranoias daquele infeliz com ele. Não se envolve com essa gente, é só o que eu lhe peço.

Giancarlo — A sua mãe tem razão, meu bem. Você já fez o que estava ao seu alcance. Agora se o filho da Ana Carolina quer ir atrás do passado dele, deixe que ele vá.

Milena — Credo gente! Do jeito que vocês falam até parece que eu tava pensando em entrar numa investigação policial a lá James Bond. Eu só fui passar uma informação pra ele... (Vai subindo as escadas) Relaxem.

CENA 15. casa de gregório. sala. Interior. Noite.

Continuação imediata da cena 13. Marcelo espera uma resposta de Gregório. Um pouco mais afastada, Tarsila observa tudo.

Gregório — Escondendo? O que eu estaria escondendo de você, Marcelo?

Marcelo — Além de que você conhecia o Coimbra?

Gregório — Marcelo. O Coimbra passou pela minha vida há mais de 20 anos.

Marcelo — Então você conheceu ele?

Gregório — Agora que você ta falando mais sobre ele eu to me lembrando.

Marcelo — Eu acho engraçado que você não se lembre dele.

Gregório — Você tá dizendo que eu to mentindo pra você?

Marcelo — Mentindo acho que seja uma palavra muito forte... Talvez esteja omitindo.

Gregório — Eu não to omitindo nada, Marcelo. O Coimbra era amigo do seu pai e da sua mãe. A minha relação com ele era só profissional.

Marcelo — Tudo bem você não se lembrar dele, afinal ele morreu há mais de 20 anos. Mas aí não se lembrar nem depois que eu falo dele? É no mínimo estranho. (Pausa) Desculpa incomodar. Boa noite pra vocês.

Marcelo sai para a rua. Gregório fica ali pensativo e Tarsila se aproxima dele.

Tarsila — Nós dois sabemos o porquê dessa omissão, não é?

Gregório encara Tarsila, mas não fala nada.

Tarsila — A consciência pesa só de tocar no nome do Coimbra. Ele faz lembrar de todas as sacanagens e trairagens que você fez no passado.

Gregório — Não começa, Tarsila. Não vem querer desenterrar o passado agora.

Tarsila — Não sou eu que to querendo desenterrar o passado. Quem tá querendo isso é o Marcelo.

Gregório  — Daqui a pouco ele esquece essa história.

Tarsila — Paga pra ver.

Gregório — (Tom) O jantar já tá pronto?

Tarsila — (Subindo as escadas) Não sei, perdi o apetite. Depois dessas lembranças se eu comer vou passar mal.

Gregório revira os olhos e suspira.

CENA 16. casa de ana carolina. sala. Interior. Noite.

Heloísa sentada no sofá de pernas cruzadas, muito impaciente.

Heloísa — Mais de uma hora esperando aqui.

Heloísa percebe que Samuel está observando ela da porta da cozinha.

Heloísa — Que você tá olhando, pivete?

Samuel — Nada. Eu só tava olhando a senhora.

Heloísa — Eu tenho cara de quadro pra ficar sendo olhada? Vai ver Pokemon, Cavaleiros dos Zodíaco.

Samuel — Eu não vejo mais desenhos.

Heloísa — Então vai plantar bananeira, mas some daqui.

Heloísa ameaça se levantar para pegar Samuel e ele sai correndo para a cozinha. Marcelo entra da rua e Heloísa disfarça.

Marcelo — Você ainda tá aqui, amor.

Heloísa — Óbvio. Você disse pra eu esperar... Agora me conta o que tá acontecendo.

CENA 17. casa de ana carolina. quarto de marcelo. Interior. Noite.

Marcelo e Heloísa. Conversa já iniciada.

Heloísa — Que história esquisita. Mas afinal de contas esse Coimbra é quem mesmo?

Marcelo — Amigo dos meus pais e pai da Milena. Você se lembra dela, né? A gente se encontrou um dia desses no shopping.

Heloísa — Shopping? (Finge) Ah claro! (Tom) Eu to sentindo que essa história te deixou um pouco tenso.

Marcelo — Verdade.

Música: Alejate de mi – Camila.

Heloísa começa a beijar Marcelo.

Heloísa — (No ouvido) Eu sei de um jeito ótimo pra fazer você relaxar.

Marcelo — (Malicioso) Ah é? Qual é?

Heloísa empurra Marcelo na cama e tira a blusa. Heloísa vai para cima de Marcelo.

Heloísa — Hoje eu vou fazer uma coisinha especial pra você.

E enquanto se beijam, um vai tirando a roupa do outro.

CENA 18. rio de janeiro. ambiente. Exterior. Dia.

Música: Alejate de mi – Camila.

Stock-shot da cidade do Rio de Janeiro. Último take e de pessoas correndo no calçado da praia de Ipanema.

Legenda: Dias depois.

CENA 19. praia de ipanema. calçadão. Exterior. Dia.

Pessoas caminham, pedalam e patinam no calçadão. Dentre elas estão correndo Leandro e Bernardo.

Música: Alejate de mi – Camila. [Fade out].

Bernardo — E a cocotinha? Já traçou?

Leandro — Quem? A Juliana? Ainda não, tá se fazendo de difícil.

Bernardo — Na boa velho. Não sei por que você fica insistindo nela. Tem tanta garota querendo fazer isso por aí. Ainda mais você sendo bem apessoado.

Leandro — (Ri) Que? Falando assim até parece que você tá querendo me pegar.

Bernardo — Sai pra lá. Mas é a real, te garanto que não vai ser difícil você encontrar alguém pra substituir ela. Fora que você tem a Milena.

Leandro — A Milena não tem nada a ver com isso, com ela o negócio é sério. Essas outras garotas são só pra uma trepadinha, pra sair da rotina, não deixar a vida um tédio, sabe? Sexo sempre com a mesma pessoa acaba ficando um saco... E isso não é bom.

Bernardo ri e os dois continuam conversando enquanto correrem.

CENA 20. ap de luísa. sala. Interior. Dia.

Heloísa e Marcelo entram da rua se se beijam.

Marcelo — Tá entregue. A gente vai se ver de novo?

Heloísa — Acho que sim, mas qualquer coisa eu te ligo.

Marcelo — Combinado.

Os dois se beijam novamente.

Heloísa — (Lembra) Ah! Já esquecendo de te falar. Amanhã a gente vai fazer um funeral simbólico pra Heloísa.

Marcelo — Como assim? Vocês desistiram de procurar pela sua irmã?

Heloísa — O pessoal das buscas não deram mais esperanças de encontrar ela com vida. Então é melhor não ficar criando expectativas. A gente faz esse funeral e segue a vida.

Marcelo acaricia Heloísa.

Marcelo — Você tem razão. Isso é a melhor coisa a se fazer.

Heloísa — Vai ser na praia. Mais tarde eu te passo todos os detalhes.

Marcelo — Tá bom, vou ficar esperando.

Os dois se beijam e Marcelo vai embora. Heloísa fecha a porta.

Heloísa — Amanhã eu me livro pra sempre do seu fantasma, Clarinha.

Bernardo entra da rua e Heloísa se assusta.

Heloísa — Que susto você me deu!

Bernardo — Tá com os nervos à flor da pele?

Heloísa — Amanhã vai ser o funeral simbólico da Heloísa.

Bernardo — (Corrige) Da Clara, você quis dizer.

Heloísa — Que seja. É amanhã.

Bernardo — Mas eu não vou. Me recuso a participar desse espetáculo patético que você armou.

Heloísa — Eu armei, mas você também tá bancando.

Bernardo — Dá licença que eu vou tomar um banho.

Bernardo vai para o seu quarto. Heloísa fica ali na sala.

CENA 21. ap de otávio. sala. Interior. Dia.

Otávio e Giovanna. Conversa já iniciada.

Giovanna — Ah Otávio. Eu não vou nesse funeral.

Otávio — O que te custa? A gente precisa ficar perto do Marcelo, fingir solidariedade.

Giovanna — A mulher que morreu era cunhada dele. Cunhada não é parente.

Otávio — Mas mesmo assim a gente precisa ir... Faz isso por mim.

Giovanna — Você só me convida pra evento macabro. É morte da Ana Carolina, funeral de sei lá quem.

Otávio — Sabia que você ia entender.

Otávio dá um beijo em Giovanna e vai para o seu escritório.

CENA 22. ap de luísa. sala. Interior. Dia.

Bernardo já de banho tomado acaba de desligar o telefone. Heloísa vem do quarto dela.

Bernardo — Sabe quem era no telefone?

Heloísa — Quem?

Bernardo — O nosso pai. Ele tá vindo pro funeral da “Helô”.

Heloísa — (Desesperada) Ele não pode fazer isso!

Bernardo — (Calmo) Eu sei. Se ele aparecer aqui, a sua farsa acaba rapinho.

Heloísa — Eu preciso fazer alguma coisa pra impedir que ele venha.

Bernardo — Então se agiliza porque é bem provável que ele pegue o próximo voo pro Rio de Janeiro.

Heloísa — (Nervosa) Não! Ele não pode! Bernardo, o que eu faço?

Bernardo — (Calmo) Não sei... Se vira.

Música: Eu sou egoísta – Pitty.

Bernardo vai para o seu quarto. Heloísa fica ali, muito nervosa. Fade Out.

 
     

 

     

autor
Felipe Porto

elenco
Marco Pigossi como Marcelo
Nathalia Dill como Heloísa e Clara
Isis Valverde como Milena
Nando Rodrigues como Leandro
Glória Pires como Bianca
Christiane Torloni como Ana Carolina
Herson Capri como Gregório
Leopoldo Pacheco como Otávio
Totia Meireles como Tarsila
Lucinha Lins como Luísa
Alejandro Claveaux como Rudá
Reginaldo Faria como Giancarlo
Gisele Fróes como Giovanna
Marat Descartes como Rogério
Júlia Dalavia como Yasmin
Brenda Sabryna como Juliana
Chay Suede como Bernardo
Marco Ricca como Wagner
Giovanna Rispoli como Karina
Vitor Hugo como Jardel
Henrique Filgueiras como Samuel
Roberto Birindelli como Seu Coisinha
Aline Dias como Daiane
Rafael Zulu como Jamal
Claudia Netto como Regina
Fafy Siqueira como Dolores
Dani Barros como Aparecida
Ilva Niño como Divinéia
Mariah da Penha como Cleusa
Thais Garayp como Amélia
Cris Nicolotti como Rosa
Angela Dip como Adelaide
Yaçanã Martins como Neide
Zé Victor Castiel como Nogueira
André Ramiro como Perceu
Eriberto Leão como Alcides
participação especial em flashback
Fernanda Machado como Ana Carolina
Aline Moraes como Bianca
Thiago Fragoso como Gregório
Daniel de Oliveira como Wagner
Giovanna Ewbank como Luísa
Armando Babaiof como Coimbra

trilha sonora
You give love a bad name – Bon Jovi (abertura)
Chasing Pirates – Norah Jones
Alejate de mi – Camila

produção
Bruno Olsen
Diogo de Castro
Rafael Oliveira


Esta é uma obra de ficção virtual sem fins lucrativos. Qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações da vida real terá sido mera coincidência.


REALIZAÇÃO


Copyright
© 2015 - WebTV
www.redewtv.com
Todos os direitos reservados
Proibida a cópia ou a reprodução
.aaa.
.aaa.

Compartilhar:

Postar um comentário

 
Copyright © WebTV | Design by OddThemes