The Devil's Band - 1x03

 

FADE IN:

CENA 01. EXT. – CASA DOS MACCARTNEY – COZINHA – DIA:

     Uma FAIXA preenche a tela. Nela, os dizeres em letras garrafais: “Feliz Aniversário Reba”. DOLLY BACK >> a CÂMERA se afasta lentamente, revelando um GRUPO de CRIANÇAS com chapeuzinhos de festas presos à cabeça, correndo e brincando de pega-pega, naquela típica folia de festas infantis. O TRAVELLING de afastamento continua, PERCEBEMOS que o local é um jardim todo enfeitado com fitas e balões coloridos. E há uma RODA de CRIANÇAS agachadas à grama entretidas com as peripécias de um PALHAÇO. O movimento de GRUA de afastamento persiste, num EFEITO DIGITAL a imagem de retrocesso atravessa armação da janela até chegar ao PLANO CENTRAL >> à cozinha. Sandra e KAREN EVANS apanha uns quitutes e os dispõem sobre uma bandeja enquanto conversam.

KAREN: E a Reba, está bem?

SANDRA (respira fundo): Não, muito, Karen.

KAREN: Entendi. E você acha certo continuar a festa?

SANDRA: Sim. Fiz pelas crianças. Apesar do problema, sei que Reba ia querer o mesmo. (pausa, com os olhos marejados) E por outro lado, fazer estes salgados e todos estes doces me entretiveram a esquecer um pouco do problema.

     Sandra fica calma e limpa as lágrimas. Cada uma apanha uma bandeja de quitutes e saem para o...

JARDIM

     As duas passam a bandejas entre os convidados, e as crianças e pais se servem.

MENINO (apontando): Olha, a Reba!

     A NOSSA VISÃO se move na direção que o menino apontou. Reba está parada na porta entre a cozinha e o jardim. A festa para. Sandra fica petrificada segurando a bandeja na mão.

SANDRA: Querida, tudo bem?

     Não há resposta. De repente, Reba levanta a borda da camisola, fricciona a mão rapidamente nas partes íntimas como se estivesse se masturbando, parece atingir o ápice sexual gemendo e depois urina nas pernas. Uma GAROTA fica boquiaberto e deixa o salgado cair ao chão. Os CONVIDADOS estão chocados. Uma MÃE agarra o FILHO pelo braço.
MÃE: Vamos, Paul!

     Todos encaram Sandra. A princípio, ela fica atônita sem saber o que fazer, em seguida deixa cair a bandeja de salgados e corre para junto da filha.

SANDRA: Meu amor, o que está acontecendo?

     Reba começa a convulsionar de forma estranha e contorce o corpo de forma impossível.

SANDRA (aos prantos): Meu Deus, tenha dó da gente!

     Karen corre para ajudar amiga. Reba acerta um golpe em Karen e a lança longe. Sandra tenta conter Reba, mas, ela faz uma força absurda. A menina enverga a extensão da coluna até atingir a postura de ponte e sai andando feito aranha em direção aos convidados. As crianças e mães, assustadas atropelam-se, correm e gritam, naquele alvoroço. Sandra cai de joelhos, apertas os punhos contra o peito e grita chorando. Karen levanta-se e abraça a amiga.

     FADE TO BLACK.



1x03 - THE DOMINATOR’S ROCK
SIDE A | TRACK 3

FADE IN:

CENA 02. INT. – LONG PLAY CAFE – DIA

     Uma MÃO enche uma xícara com café. É da garçonete Frida segurando um bule de vidro. Do lado oposto do balcão de atendimento, está Damien sentado.

FRIDA: Quer mais?

DAMIEN: Não, está bom. Obrigado.

     Damien olha as pessoas em volta. Frida faz que vai sair, mas, não sai. Ela faz cara de quem está muito interessada e ao mesmo tempo muito envergonhada.

FRIDA: Posso te fazer uma pergunta?

DAMIEN: Sim.

FRIDA (enrola para falar): Sei que não é da minha conta, mas, é que você vem aqui todas as manhãs, pede uma xícara de café, depois vai embora e não bebe o café. É um fato muito curioso: por que pagar por algo que não vai consumir?

DAMIEN (sorri): De verdade? Eu gostaria muito de entornar está xícara de café, mas, é que eu não posso.

FRIDA (com cara de compadecida): Ah, restrição médica?

DAMIEN (falsa concórdia): Isso. Gastrite.

FRIDA: Vixe! Gastrite é um inferno.

DAMIEN: NEM ME FALA. (pausa) É que o café me traz certa nostalgia de quando eu era vivo.

FRIDA (confusa): Como assim?

DAMIEN (coça a cabeça): Nada não. Às vezes eu falo demais.

     Os dois riem.

FRIDA: A conversa está boa, mas, preciso trabalhar.

     Frida faz que vai sair de novo, mas, não sai.

FRIDA (enrola para falar): Então... bem que nós podíamos qualquer hora sair para beber uma cerveja...

     Damien ia responder quando se distrai com uma VOZ vinda detrás dele, falando: “Nossa, a menina parecia um demônio. Fez absurdos na festa. A mãe pobrezinha já não sabe o que fazer com a menina. Já tentou de tudo: padres, médicos e curandeiros”.

FRIDA: O que você acha?

DAMIEN (confuso): Sobre o quê?

FRIDA (passada): Sair para beber.

     Damien ia responder, mas, faz o sinal para moça esperar. Ele se vira e VÊ duas mulheres sentadas a uma mesa. Uma delas é a mãe de Paul, que estava na festa de Reba. Damien se levanta, deixa Frida com cara de boba e vai até as duas.

DAMIEN: Com licença! Eu não pude deixar de ouvir a conversa das senhoritas. (faz cara de quem está pensando) Eu sou da CAP: Centro... Anglo-Britânico de Parapsicologia. E o assunto muito me interessa. Será que eu posso me sentar?

     As mulheres se entreolham.

DAMIEN: Talvez eu possa ajudar.

     A mãe de Paul faz que sim e Damien se senta.

CORTA PARA:

CENA 03. EXT. – CASA DOS MACCARTNEY – DIA:

     Mausoléu estaciona na calçada em frente à casa. Os quatro rapazes descem dele e ficam imóveis olhando para casa.

CORTA PARA:

CENA 04. INT. - CASA DOS MACCARTNEY – SALA – DIA:

     As MÃOS de Karen afastam duas imensas cortinas negras revelando duas imensas janelas em forma de arco.

KAREN (abri uma): Vou abrir essas janelas. Para arejar a casa desse cheiro podre no ar. (depois abre outra) Eu fiquei tão feliz quando Amanda disse que vocês viriam, padres!

     Karen se vira. Os quatro estão sentados num extenso sofá. Todos têm golas de padre alçadas ao pescoço.

LENNY: Viemos assim que soubemos.

KAREN: E vieram numa boa hora. (pausa) Já acordei a Sandra. Ela estará aqui em questão de segundos. Tem sido tão difícil para ela. Não bastasse a separação do marido, os criados também a abandonaram.

     Karen caminha até uma estante de nogueira escura e depois segue para uma lareira de mármore esculpido. Acende, atiça com o chamuscador e a fogueira crepitante estala.

KAREN: A casa parece fria nesses últimos dias. (para Cliff) A propósito, padre Castevet, amei o chapéu coco. O verdadeiro arquétipo do cavalheiro Inglês.

     Cliff fica todo exibido. Ia tirar o chapéu para reverenciar em forma de agradecimento, mas, Scott o impede. Ele olha para Scott, que gira o dedo indicador em torno da orelha num tipo: “Você está maluco?!”. O vulto de Sandra surge na soleira de entrada da sala.

KAREN: Olha ela aí! Bem, vou deixá-los a sós para que conversem à vontade. Me deem licença!

     Karen se vai. Sandra tem o aspecto de uma pessoa doente e olheiras profundas confirmam o seu estado.

SANDRA: Já chegaram? Que bom que vieram!
     Sandra vai até os rapazes, que se levantam com a presença dela. Assim que Lenny a vê solta sorrisinho safado e passa a mão nos cabelos com um certo charme. Sandra vai de braços esticados ao ar em sentido de Damien e o abraça. Ele fica sem jeito.

SANDRA: Eu já não sabia mais o que fazer. Graças a Deus que estão aqui!

     Lenny fica de braços abertos que nem bobo, esperando Sandra abraçá-lo. Ela passa direto por ele, que fica sem graça.

LENNY: Não temos tempo a perder. Podemos ver a garota?

     Sandra faz que sim.

SANDRA (faz sinal): Me acompanhem, padres!

DAMIEN: Não somos padres convencionais! (pausa) Vou logo dizendo: que não vai ser fácil as coisas que você vai ver e ouvir aqui de nós.

     A CÂMERA fecha no rosto preocupado de Sandra. A música de suspense marca.

FADE TO BLACK.

FADE UP:

CENA 05. INT. - CASA DOS MACCARTNEY – ESCADARIA – DIA:

     A CÂMERA desce em DOLLY IN >> apresentando Sandra subindo com uma lamparina estendida ao ar e com o quarteto logo atrás.

SANDRA: Me desculpem! Mas, depois que tudo começou, a falta de energia é constante dentro desta casa.

DAMIEN: Que nada. Então, como estávamos falando, sua presença é anunciada pelos cheiros de enxofre, de rato morto, coisa mortas, cheiro de coisa podres, cheiros de cigarro, charuto, por exemplo. 

CLIFF: Muita das vezes, esses cheiros podem ser sentidos à noite, isso significa que algum demônio pode estar por aí. Às vezes, aparecem como cães, bodes, porcos, moscas ou morcegos.

     Eles fazem a curva na esquina do corredor e continuam.

LENNY (cortando-o): Porém, não podem tomar a forma dos animais ligados ao presépio: boi, jumento, galo, ovelha.
    
     Sandra balança a cabeça de forma incrédula.

SANDRA (para Damien): Mas, pode ser mesmo, um demônio?

DAMIEN: Olha, senhorita MacCartney, não estamos querendo a assustá-la. Mas, tudo indica que há sinais de infestação demoníaca. Se buscou médicos, exames foram feitos e não há nenhum problema de ordem física, está na hora de pensar em indícios espirituais.

SANDRA: Mas, padres vieram aqui. E não aconteceu nada.

LENNY: O que está acontecendo aqui, não é como nos filmes.

SANDRA (para Damien): Mas, há possibilidade ser uma outra coisa?

DAMIEN: Eu temo que não.

     Sandra faz cara de desapontamento. Lenny se aproxima de Cliff e fala ao pé do ouvido dele.

LENNY (baixo): Nossa! Essa Sandra é uma tremenda de uma gostosa! É um tesão de linda! Como uma mãezona dessa hein?

     Lenny faz bico de quem chupa uma mamadeira.

CLIFF (baixo): Quer parar! Ela vai ouvir! Por que tudo pra você tem a ver com sexo?

LENNY (baixo): E não? Essa mulher é o diabo!

CLIFF (baixo): Claro, que não. Essa mulher nem é a Lucy.

     Lenny estapeia a cabeça de Cliff, que se queixa num: “Ai!”. E os demais à frente se viram. Os dois disfarçam.

LENNY (baixo): O que eu quis dizer foi apenas uma força de expressão.

CLIFF (esfregando a cabeça): É. Eu acabei de senti-la (pausa) Você é um tarado. A coitada está doente. Não está vendo? Parece uma morta viva.

SANDRA: É aqui!

     Todos param diante de uma porta. Sandra tira um molho de chave do casaco.
CORTA PARA:

CENA 06. INT. - CASA DOS MACCARTNEY – QUARTO DE REBA – DIA:

     Reba dorme em sua cama. OUVIMOS o SOM da tranca da porta. Eles entram. Sandra se adianta, vai até a filha, coloca a mão à testa dela e verifica se Reba está com febre.

SANDRA: Pelo menos a febre abaixou. Se eu tentar chamá-la, ela não acordará de forma alguma. (pausa) Ela dorme o dia inteiro. Só fica acordada durante à noite.

DAMIEN: O poder de um demônio é maior à noite.

LENNY: E o que Reba faz quando está dominada?

SANDRA: Faz coisas que normalmente uma criança não faria.

     Sandra coloca a mão na boca e solta um choro abafado.

SANDRA (chorosa): Diz obscenidades. Se contorce de maneira impossível. Quebra coisas. Tem uma força extrema.

     Sandra tapa o rosto com as mãos. Cliff vai até ela e a conforta a envolvendo com o braço.

CLIFF: fique calma, Senhorita McCartney! Nós vamos lhe ajudar!

     Scott estende o isqueiro ao ar. Assim que acende, subitamente a chama do isqueiro fica NEGRA. Ele aponta o isqueiro em várias direções.

SANDRA: O que ele está fazendo? E com um isqueiro?

DAMIEN: Ele só está confirmando a presença dele. É um dos equipamentos que usamos para caçá-los. Como eu te disse: tudo o que você ver e ouvir aqui, não vai ser fácil de lidar.

LENNY (para Cliff): Há alguma criatura no demonote, que se assemelhe com esse modum possessivum?

CLIFF: Geralmente, eles são ativos, não agem dessa forma. (pausa) Já sei. Já que o receptáculo está aqui. E se usarmos o conjuramento de Habamum para fazer o demônio subir e descobrir o nome dele para invocá-lo onde se esconde?

SANDRA: Do que vocês estão falando?

DAMIEN: Estamos falando de um conjuramento místico para que o demônio possa se manifestar por meio do receptáculo.
SANDRA: E isso funciona?

DAMIEN: Funciona. Mas, usamos pouquíssimas vezes. Só dá certo quando sabemos qual à pessoa está sofrendo realmente assédio demoníaco. (olha para os rapazes) Vamos tentar.

FADE TO BLACK.

FADE UP:

CENA 07. INT. – ESCRITÓRIO DE LUCY – TEMPO INDEFINIDO:

     Um DISCO rodando. Lucy está sentada na sua poltrona e com os olhos fechados enquanto o seu gramofone OSCILA um canto de lamento estranho. Ela traja um vestido branco tubinho básico. Sem que ela esperasse, Michael abre a porta com um pontapé. Lucy se levanta num salto. Marie Claire surge atrás dele.

MARIE CLAIRE: Desculpe, senhora! Eu pedi pra ele se retirar. Mas, você sabe que não tem como resistir as ordens de um Statera?

LUCY: Mas, será o benedito!

MICHAEL: Não. São Benedito é um santo. Ieu sou um anjo.

LUCY: Ninguém me respeita mais aqui!

MICHAEL: Ocê sonha com isso ainda?

LUCY: O que você pensa que está fazendo vindo aqui?

MICHAEL: Ieu qui pergunto: qui é qui seus The British Bobos estão pensano qui tão fazeno? Ocê viu a porcaria qui elis fizerô lá na casa de rastapé? Ieu não posso ficá aqui limpano sua sujeira e di seus micos adestrados, não. Dispendi muita energia pá desmemoriá aqueli furdunço di gente.

     O disco rolando no gramofone.

MICHAEL: Pelamor di Deus, Lucy! Desliga isso! Pareci um boi mugino!

     Lucy remove a agulha do gramofone.

LUCY: Está bom assim, excelência? O que mais o senhor deseja?

MICHAEL: Mas, ocê é uma dispeitada miesmo! (pausa) Tô precisano fazê uma inspeção lá nas profundezas. Ordi imediata lá di cima. Quero sabe como qui os tinhosos escabulirô!
     Tenebroso entra na sala e vai até Michael.

MICHAEL: Ê, teimoso! Tá pareceno a Lucy!

     Lucy fulmina Michael com os olhos.

MICHAEL: Falei procê esperá lá fora! (pega algo no bolso) Toma umas balinhas.

     O cavalo come não mão dele.

LUCY: Além de trazer esse animal aqui dentro. Ainda por cima me compara come ele.

MICHAEL: Não fica ofindida, não. Que eli tumém ficô ofindindo com a comparação.

     Lucy torce os lábios de raiva.

CORTA PARA:

CENA 08. INT. - CASA DOS MACCARTNEY – QUARTO DE REBA – TARDE:
          
     A imagem abre num desenho  que a mão de Damien acabou de fazer ao chão. Ele se levanta e contempla a figura.

DAMIEN: Está pronto!

     Sandra observa Damien alçar ao peito a guitarra Balada da Morte enquanto VÊ também Lenny apanhar o espelho de Narciso.

SANDRA: Eu não estou entendendo nada. Vocês precisam de instrumentos musicais e de um espelho de mão?

DAMIEN: Senhorita MacCartney, se quiser esperar lá fora, eu agradeço.

SANDRA: Se não for pedir muito gostaria de ficar.

LENNY (para Damien): É bom que fortalece a corrente.

     Damien faz que sim para ela, que agradece com um gesto com a cabeça. Scott vai próximo à cama, espia a menina que dorme com uma respiração rarefeita. Ele apanha o isqueiro, ateia fogo nas palmas das mãos e esfrega umas nas outras. Ambas se tornam labaredas de fogo negro. Sandra arregala os olhos impressionada com tal feito.

CLIFF (pra si mesmo): O Black Flame deve ser abastecido com fogo diabólico!

     Scott estende as mãos flamejantes sobre o corpo de Reba. Damien aperta os olhos.

DAMIEN: Habamum! Custos sperarum inferni detractos, per sigillum eius, ut peten ad infernum ad receptaculo suo. Nunc!

Habamum! Guardião das esferas infernais, sob seu selo, pedimos permissão para que o infernal suba até o seu receptáculo. Agora!

     O corpo rígido de Reba lentamente começa a se suspender ao ar. Sandra de maneira descreditada leva as mãos ao rosto. O corpo de Reba vibra e estremece ao ar.

DAMIEN: Estou sentindo certa resistência por parte do demônio.

     As chamas das mãos de Scott se apagam e eis que corpo de Reba desaba ainda desacordado sobre a cama. De forma preocupada, Sandra corre em apelo à menina. Enquanto, os quatros fazem uma roda num canto.

DAMIEN: Eu não sei o que está acontecendo. O demônio não quer aparecer.

LENNY: Ele tem um nome, mas, não sabemos qual. O conjuramento de Habamum não funcionou, e agora?

CLIFF: Sei lá. Talvez, tenhamos de chamar o Morgan. Ele tem aquele diário mais completo do que eu nosso.

DAMIEN (para Cliff): Não acredito na besteira à qual você está falando?

LENNY: Sinto lhe dizer, Damien! Mas, ele está certo. Não temos escolha.

     Damien faz cara de poucos amigos.

CORTA PARA:

CENA 09. EXT. – CASA DOS MACCARTNEY – FACHADA – NOITE:

     PLANO GERAL da casa. Mausoléu e Cripta. Ambos estacionados juntos. A CÂMERA se aproxima lentamente de uma das janelas principais.

MORGAN (v.o): Então, o demônio não está querendo se manifestar, é isso?

CORTA PARA:

CENA 10. INT. – CASA DOS MACCARTNEY – QUARTO DE REBA – NOITE:
    
     O quarteto e Morgan, acabam de atravessar o pórtico de entrada. Damien faz que sim para Morgan.

MORGAN: Estranho. (pausa) Mas, o mais estranho ainda é pedirem a minha ajuda.

DAMIEN: Então, não estranhe. Porque não foi ideia minha.

     Sandra que estava sentada ao lado de Reba, se levanta e vai até eles.

SANDRA: Outro padre? (para Damien) A coisa aqui está feia, não é mesmo?

     Sandra chora inclinada ao ombro de Damien. Neste momento, Karen entra segurando uma bandeja com xícaras de café, a coloca sobre uma bancada e socorre a amiga.

KAREN: Venha, Sandra!

DAMIEN: Dê-lhes sedativos para acalmar-se

     Karen faz que sim e sai arrastando Sandra.

SANDRA: Mas, eu não quero aquela vitamina com gosto estranho que você me dá.

KAREN: O que você está reclamando?  Você tomou tanto durante a sua gestação, e sem se queixar.

     As duas saem. Morgan se aproxima de Reba e fareja o ar em torno dela.

MORGAN: Sem dúvidas! Há um demônio aqui. (faz cara de quem está pensando) Já sei.

     Morgan apanha a câmera fotográfica alçada ao braço, a atira da caxinha portátil e posiciona um ângulo sobre a figura desmaiada de Reba.

CLIFF (para Lenny): Essa câmera fotográfica, chama-se a câmera fotográfica de Morgan?

     Os dois se envergam de rir. Morgan bate uma foto, estoura-se uma luz de flash, uma fotografia instantânea surge em sua mão e ele verifica o conteúdo da imagem.

MORGAN: Era o que eu imaginava.

     O quarteto cerca Morgan.

INSERT – NA FOTO

     A imagem é uma foto negativa de Reba, com uma esfera ovalada na linha da região da cintura. O DEDO indicador de Morgan aponta sobre o local.

MORGAN (fora da tela): Veem esta massa ovalada próximo ao ventre de Reba?

VOLTA À CENA

     Os rapazes fazem que sim.

MORGAN: É um Parasitoide.

CLIFF: Um parasioquê?

     Morgan abre seu diário e lê:


MORGAN: Só que tem uma coisa: esse demônio que está causando a possessão ele não faz parte da horda fugitiva, pois, não há demônios da classe parasitoide na nona esfera. Eles são de Karmatto, a décima esfera do inferno...
     Lenny engole a seco.

MORGAN (vira a página): Eles são usados em casos de possessões, muitas vezes relacionadas à vingança. Embora centrando a ação em órgãos especializados, nos centros nervosos e medulares, a ação dos parasitoides se faz em todo o conjunto orgânico, uma vez que absorve as energias sutis do receptáculo. E ele nem está neste plano.

DAMIEN: Como assim?

MORGAN: Necessariamente, ele não precisa estar neste plano para atuar sobre a garota. Mas, o fato é que fora colocado aí. E que pode estar sendo manipulado pela horda dos 666... (põe as mãos na cintura) ou por outra coisa.

     Os rapazes se encaram.

CLIFF: Mas, pra quê?

MORGAN (faz que não sabe): Sei lá. Talvez, pra nos atrasar. Por uma coisa maior, que não sabemos. Devem ter algum plano.

DAMIEN: Lucy falou alguma coisa sobre místicos e clérigos, poderem com um ritual correto e com o nome do demônio, controlá-los. O mesmo se deu com Bachsoncu

CLIFF: A pergunta é: quem estaria o comandando?

CORTA PARA:

CENA 11. EXT. - ROYAL VICTORIA INFIRMARY – NOITE:

     ZOOM IN >> na fachada do prédio.

INSERT – MUSIC: Steve Miller Band - The Joker

CORTA PARA:

CENA 12. INT. – ROYAL VICTORIA – CONSULTÓRIO – NOITE:

     A imagem abre no ROSTO de Devilin. Ela tem o olhar perdido.

DR. NICK (fora da tela): Olha, senhorita White, seus exames deram negativos. Tudo parece bem. Pode ser cansaço.

     O QUADRO se abre à maneira de revelar, ambos sentados diante um do outro, separados pela mesa. Devilin desponta um aspecto animado e confiante.

DR. NICK (se levantando): Vou te receitar algumas vitaminas de complexo B para aliviar o cansaço. Eu tenho umas amostras grátis.
     Dr. Nick vai até um armário, abre, tira de dentro dele um frasco branco de comprimidos, fecha, volta e entrega para Devilin.

DR. NICK: São de ervas naturais. Tome pelo menos dois por dia, quando for se deitar. De preferência por volta da meia-noite.

DEVILIN: Obrigado, doutor! Então, eu não preciso me preocupar?

DR. NICK: Não. Você precisa descansar.

     Devilin sorri e guarda os comprimidos na bolsa. Nick não pôde deixar de NOTAR o AMULETO de Khepra pendendo ao peito dela. Devilin levanta-se e estende a mão ao médico. Ele faz o mesmo.

DEVILIN: Muito obrigado, doutor!

DR. NICK: Não há de quê. Cuide-se

     Devilin vai. E o Dr. Nick a observa enquanto sai.

CORREDOR

     Devilin fecha a porta. E assim que se vira ela dá uma trombada em Stone, que aparece do nada.

DEVILIN: Ah! Você por aqui!

     Stone fica sem jeito e desliza as mãos pela cabeça.

STONE: Sabe como é? Trabalho de policial não é fácil. (ele dribla ela) Bem, estou atrasado para consulta!

DEVILIN (se aproxima dele): Não vai querer ser minha menininha hoje de novo, Stone?

     Stone verifica ao redor e começa a gaguejar.

STONE: Fale baixo, Devilin, alguém pode nos ouvir.

     Devilin balança a cabeça negativamente e vai. Stone a vê se afastar, depois entra no consultório e fecha porta.

CONSULTÓRIO

DR. NICK (sentado à mesa): Como vai, Maxwell Stone!

STONE: Não muito bem. (baixa a cabeça e levanta) Estou preocupado com a minha filha!

     Dr. Nick se levanta, dá a volta à mesa e vai até ele.

DR. NICK: Será que eu devo lembrá-lo, de que quando você entrou nisso sabia dos riscos, dos prós e contras, aonde tudo isso podia nos levar?

     Stone faz que não.

DR. NICK: Você não queria: poder? Tudo tem um preço, Stone. Agora, vá e aguarde novas ordens.

     Dr. Nick vai até a porta, abre e faz sinal para Stone ir. Stone respira fundo e vai. Nick fecha a porta atrás dele e mantém aspecto reflexivo.

CORTA PARA:

CENA 13. INT. – INFERNO - NONA ESFERA – TEMPO INTERMINADO:

     Duas COMPORTAS de aço. De repente elas se abrem. E deparamos com uma porta levadiça, que recua revelando as portas de um elevador. Um BIP. OUVIMOS uma VOZ eletrônica.

VOZ: Chegando ao subsolo. Nona esfera! Ala de nono nível. Sistema de segurança espectral desativado.

     O elevador se abre, Lucy e Michael, descem dele. Michael belisca um algodão doce e oferece para Lucy, que faz que não.

VOZ: Reiniciando sistema de segurança espectral.

     O chão abaixo deles se desencaixam e revelam uma escada que vai automaticamente se encaixando à medida que eles a descem.

MICHAEL (comendo): Os rapazes estão tão disisperados, em não í pro inferno, qui estão fazeno o trabaio di qualquer jeito. Si não tivesse ocorrido aqueli incidente mês passado, no centro da cidade. Ieu não estaria aqui, Lucy.

LUCY: Você já falou!

     Eles chegam num extenso e largo corredor branco ladeados com celas de porta de ferro com janela. Cada cela tem um número ao alto da porta. Eles vagueiam pelo corredor.
LUCY: Como você vê: toda a estrutura do lugar foi forjada com metal de alma. Impenetrável e prova de fugas!

MICHAEL: I como qui é qui fugirô?

LUCY: Eu ainda não sei.

MICHAEL: Precisamos investigá!

LUCY: Falou: Agente Mulder!

     Eles passam em frente à sela 93 e Kruuldreshbasba espia pela portinhola de vidro da porta.

MICHAEL: Quem é o guardião da nona esfera?

LUCY: O Dr. Habamum. Vamos até ele.

CORTA PARA:

CENA 14. EXT. – CASA DOS MACCARTNEY – NOITE:

     A LUA que de tempo em tempo se esconde atrás das nuvens. A casa é subitamente coberta por uma sombra estranha e crescente.

CORTA PARA:

CENA 15. INT. – CASA DOS MACCARTNEY – QUARTO ANEXO – NOITE:
    
     Damien e Lenny, estão entremeados em um vão do corredor enquanto conversam.

DAMIEN: Tem alguma coisa errada.

LENNY: Como assim?

DAMIEN: Tô achando estranho: por que demônio escolheu a garotinha. (pausa) O que garota fez para atraí-lo.

LENNY: Morgan, não falou que ele foi colocado lá.

DAMIEN: Mas, mesmo assim. De uns tempos, pra cá, eles estão burlando as regras e mudando o modo de operar. Será que tem a ver com vidas passadas?

LENNY: A mente diabólica de um demônio continua intacta de sua vida passada e das torturas no inferno, portanto continua tendo os mesmos gostos e habilidade de quando era um mortal. Uma vez que sua alma foi retirada, demônios não sentem amor, saudades ou qualquer sentimento bom, tudo se limita a ódio, desdém, prazer sexual. Ou vingança, de alguém que o feriu, num passado distante.

     Damien faz que sim. Por um segundo, Lenny perde o olhar no corredor e em seguida volta-se para Damien.

LENNY: Quais as chances de essa menina ser uma das crianças às quais você falou?

     Damien encara Lenny profundamente e ia dar continuidade à conversa, eis que aparecem, Scott, Cliff e Morgan.

CLIFF: Sobre que estão conversando?

DAMIEN: Buscando uma forma de resolver o problema.

MORGAN: Sandra pegou no sono. E a menina ainda continua desacordada. 

     Karen aparece segurando uma bandeja com xícaras de café fumegantes.

KAREN: Fiz outro café, porque aquele esfriou!

     Os rapazes agradecem e se servem.

KAREN: Para mais um de vocês estarem aqui. É porque a coisa não está boa!

     Karen encara Scott.

KAREN: O senhor quase não fala, Padre Thorn!?

     Scott resmunga algo à Karen, que fica com cara de paisagem.

DAMIEN: É que o padre Thorn fez voto de silêncio.

     Os rapazes fazem de conta que vão beber o café, mas, assim que Karen sai, eles colocam as xícaras intactas sobre uma passadeira.

MORGAN: Conhecem o exorcismo de Labimantus?

     O quarteto faz que não.

CLIFF: Nunca ouvimos falar.

MORGAN: Então, hoje vão ter oportunidade de aprender

     A CÂMERA fecha no rosto de Morgan. A música de suspense marca a cena.
FADE TO BLACK.
FADE UP:

CENA 16. INT. – CASA DOS MACCARTNEY– QUARTO DE REBA – NOITE:

     A imagem abre direto no rosto de Morgan dando instruções.

MORGAN: Vamos fazer com que o demônio se materialize nesse plano. Ele vai ter uma forma. Como aquele que desenhei no diário. Aí: o tiramos dela, cortamos os fios espectrais que o ligam à Reba e o mandamos de volta a Karmatoo com o espelho de Narciso. Rompendo o controle de uma vez por todas.

     O quarteto se entreolha.

DAMIEN: O que precisamos fazer?

MORGAN: Precisamos de um espelho para abrir um portal.

     Lenny apanha o espelho de Narciso.

MORGAN: Não do seu. Precisamos de um como pórtico de saída e não de entrada.

     Todos vasculham o quarto. Cliff encontra um espelho de corpo inteiro coberto por uma cortina.

CLIFF: Serve este aqui?

MORGAN: Perfeito!

     Morgan vai até Cliff.

MORGAN: Ajudem aqui!

     Os cinco transportam o espelho até à cama.

DAMIEN: Este espelho pesa mais que o normal.

MORGAN: É que as forças espectrais do ritual já estão começando a se agitarem. (pausa) Vamos posicioná-lo sobre o corpo de Reba.

     Os cinco levantam o espelho acima da cabeça e posicionam.

MORGAN: Segure cada um de vocês em uma ponta enquanto eu pronuncio o ritual.

     O quarteto obedece. Morgan apanha seu diário, abre e começa a ler.

MORGAN: Abesanto!

     Eis que Morgan se curva e se ajoelha com uma careta de dor. Das suas vestes saem fumaça. As veias saltam em sua testa e seu rosto fica vermelho.

MORGAN: Ah! Como isso queima! Labimantus era um papa da igreja negra. Foi padre antes de se converter às forças das trevas.

     Morgan se reergue.

MORGAN: Abesanto! (mais fumaça) Abemuza! Ronuscah vaid canton Labimantus.

     Morgan faz o sinal da cruz sobre o corpo de Reba. Ela começa a se estrebuchar.

NA SALA

     Karen leva a mão ao peito porque se assustou. Uma LINHA de rachadura se abriu ao teto. Ela apanha um celular e disca.

QUARTO DE REBA

     O espelho começa a se agitar. O quarteto faz cara de força de quem está segurando um carro.

MORGAN: Ordenadiare! Ordenadiare! Ordenadiare!

     O espelho se parte em mil pedacinhos. Os cinco são lançados longe.

QUARTO DE SANDRA

     Ela acorda num susto com o BARULHO, e salta da cama feito louca.

QUARTO DE REBA

     Uma fumaça negra cobre o ar. Os cinco se levantam tossindo. Num efeito especial, a boca de Reba é escancarada de forma absurda, por duas MÃOS com dedos extremamente longos.

MORGAN: É o demônio!

     Reba revira os olhos nas órbitas como se estivesse se engasgando. Um CALOMBO se forma no pescoço da menina. Dois braços longos saem do fundo da garganta dela e apoiam as palmas ao chão, em cada lado da cama.

MORGAN (para Lenny): Assim que a cara dele feia aparecer. Aponte o espelho de narciso para ele, que o fóton de luz da espiral o sugará de volta ao inferno.

     Lenny faz que sim e apanha o espelho de Narciso. Os braços longos fazem força para frente e arrasta a cama contra os rapazes. Eles saltam para o lado. A menina tem a boca arreganhada e a pele do pescoço contorcida. Os braços longos sustentam o corpo de Reba suspenso ao ar como se fossem duas longas pernas.

MORGAN: O desgraçado não quer sair. Já sabe de nossa intenção.

     A porta se abre. Sandra e Karen, soltam um grito assim que presenciam à cena. REDUZ para NEGRO de TELA.

FADE TO BLACK.

FADE UP:

CENA 17. INT. – CASA DOS MACCARTNEY– QUARTO DE REBA – NOITE:

     NOVO ÂNGULO >> de Sandra e Karen, quando soltam um grito assim que presenciam à cena. As duas fogem desesperadas. O demônio dá uma braçada no quarteto. Os meninos rolam ao chão. Morgan apanha uma flecha da aljava, ela se incendeia, e ele se prepara para atirar com o arco. O demônio é mais rápido, o gruda pelo pescoço com as mãos e o imprensa contra parede. Morgan faz força para escapar, e firma olhar.

PONTO DE VISTA DE MORGAN

     Ele VÊ um OLHO vermelho no escuro dentro da garganta de REBA.

VOLTA À CENA

     O demônio atira Morgan contra uma parede.

O CORPO DE MORGAN
    
Atravessa voando várias paredes dos cômodos da casa até chegar numa última parede à qual...

SANDRA E KAREN
     Estavam escoradas e agachadas ao chão. Quando a parede acima delas desmorona com Morgan. Ambas soltam outro grito e correm assustadas do lugar. A queda de Morgan termina sobre uma cômoda.

QUARTO DE REBA

     O demônio se esgueira pelo corredor. Os rapazes se levantam atordoados. Cliff olha pelos buracos, por onde Morgan foi lançado e grita dentro dele.

CLIFF: Está tudo bem aí?

PELOS BURACOS

     A MÃO de Morgan se ergue ao ar e acena.

CORTA PARA:

CENA 18. INT. – CASA DOS MACCARTNEY– QUARTO DE SANDRA – NOITE:

     Morgan acaba de se levantar. Ele tira o pó da roupa. Subitamente para e começa a fungar o ar. Segue o cheiro pelo local e vai até à cômoda onde caiu. Olha para o chão, se agacha, pega um frasco caído, cheira dentro, pega um comprimido minúsculo ao chão e cheira de novo. O quarteto entra e vai até ele.

MORGAN (se levanta): E o demônio?

DAMIEN: Se escondeu na casa.

     Morgan se levanta e passa o comprimido para Damien.

DAMIEN: O que é isto?

MORGAN: Cheire.

     Damien cheira.

DAMIEN: Cheiro horrível!

MORGAN: É raiz de Tanulluh!

LENNY (pega da mão de Damien e cheira): E serve pra qu  ê?

MORGAN: É um poderoso elemento para encantamentos místicos. (pausa) É encontradas em regiões pantanosas com um forte e característico odor. Considerado com poderes especiais, ela tem sido usada em rituais e encantamentos, sob o símbolo de fertilidade.
     Damien e Lenny, se encaram por um breve momento. Morgan vai até a cama de Sandra, a inclina e olha de baixo do esquadro.

MORGAN: Aí está. Foi o que eu imaginei.

     Os rapazes vão olhar para ver do que se trata. No centro, há desenhos estranhos pintados.

MORGAN: É um selo. Fizeram algum tipo de feitiço contra Sandra e Reba MacCartney. E já sei quem foi.

CORTA PARA:

CENA 19. INT. – CASA DOS MACCARTNEY – SALA – NOITE:

     Um MÃO coloca o frasco de comprimido sobre a mesinha de centro. É Morgan. Karen sentada a uma poltrona tem os olhos voltados ao frasco. Morgan coloca a mão na cintura, para diante dela e a encara.

MORGAN: Logo depois que cheguei aqui, no começo da noite. Lembro de ouvir muito bem, a Senhorita MacCartney, se queixar com questão às vitaminas terem gosto estranho, às quais você prepara para ela. (pausa) Aqueles comprimidos são de raiz de Tanulluh. Há quanto tempo você vem envenenando Sandra e Reba?

     Karen solta um riso desconfortado e passa a mão na nuca.

KAREN: Eu sinceramente não sei do que você está falando.

     Num sofá oposto a eles, está Sandra. E ao lado dela, em pé, Damien.

SANDRA (com os olhos cheio de lágrimas): Do que ele está falando, Karen?

     Os olhos de Karen se encontram com o de Sandra. A boca de Karen se contorce, as mãos dela ficam trêmulas, bate o pé impacientemente ao chão, morde o lábio inferior e as lágrimas começam a riscar a sua face.

SANDRA: Você não faria mal nem pra mim e nem pra Reba, não é mesmo, Karen?

     Não há respostas.

SANDRA (chorando): Somos amigas desde o colegial. Fala alguma coisa.

     Morgan se enfurece e suspende Karen ao ar pelo pescoço. Sandra se assusta num salto.

MORGAN: Diga quem está controlando o demônio?

     Karen não responde e só faz a chorar. Morgan aperta mais ainda o pescoço dela. Damien o segura pelo braço.

DAMIEN: Morgan, não vai adiantar matá-la. Precisamos dela para descobrir quem está por trás disso tudo.

     Morgan a solta e Karen cai ao chão. Ela tosse e toma folego. Os olhos de Damien soltam às órbitas.

INSERT – DETALHE NO VERSO DO PULSO DE KAREN

     Há a tatuagem com os numerais romanos: DCLXVI.

VOLTA À CENA

     Morgan se vira, golpeia o ar e se recompõe.

MORGAN: É que alguém próximo de mim, morreu em um ritual de fertilização.

     Aparecem Lenny, Scott e Cliff, vindos do interior da casa.

LENNY: Olhamos a casa toda. Nem sinal do demônio.

MORGAN: Ele não pode ter saído. O exorcismo de Labimantus sela a casa. (pausa) Olha em volta. Ele deve estar escondido.

SANDRA: Aqui é uma casa muito antigo. Max, pai de Reba dizia que havia passagem secretas. Eu nunca vi. Mas, ela afirmava que tinha.

     Cliff vê Karen caída ao chão.

CLIFF: O que aconteceu aqui?

MORGAN: Essa escória está metida até o pescoço nisso tudo. Vamos amarrá-la. E depois voltarmos a procurar Reba e o demônio, antes que seja tarde.

     Sandra se levanta e vai até Damien.
SANDRA: Minha filha vai ficar, padre Damien?

     Damien faz que sim.
CORTA PARA:

CENA 20. INT. - CASA DO ENFERMEIRO – QUARTO – NOITE

     Um MURAL repleto de fotos de Damien em diversos ângulos PREENCHE a TELA. O QUADRO se abre para incluir Marie Claire na pele do enfermeiro estacado diante dele. Ele senta-se ao chão em frente uma cuia com água. Apanha uma FOTO de Devilin e passa uma fita vermelha em torno da imagem enquanto profere repetidamente os dizeres: Eu te impeço que faça o mal!

CORTA PARA:

CENA 21. EXT. – PRÉDIO DO APARTAMENTO DE DEVILIN – NOITE:

     A CÂMERA se aproxima de uma das janelas.

INSERT – MUSIC: Tommy James & The Shondells - Crimson and Clover

CORTA PARA:

CENA 22. INT. – APARTAMENTO DE DEVILIN – QUARTO – NOITE:

     A CÂMERA se aproxima de Devilin que dorme na cama. Ela tem o rosto ensopado de suor e se agita como se estivesse num pesadelo. Sobre a cabeceira, o relógio marca: 00:00am. Ao lado, estão, o frasco de comprimidos e o amuleto de Khepra. CLOSE no rosto dela.

CORTA PARA:

ÍNICIO DO PESADELO DE DEVILIN:

CENA 23. - SEQUÊNCIA DE IMAGENS:

     Uma SEQUÊNCIA de imagens que retratam os pesadelos em fusão com a feição do rosto dela delirando na cama. Tudo é feito de forma confusa e com pontas soltas.

     - Devilin em pé, balança em um barco em meio ao oceano. Ela olha em volta, mas, apenas VÊ a linha do horizonte;

     - O assoalho do barco debaixo dos pés dela desaparece. E Devilin se VÊ despencando de uma altura de mil metros do chão. Ela grita, mas, a sua voz não sai. Enquanto cai ela se esperneia numa tentativa de impedir a queda;

     - O corpo de Devilin se estatela num colchão. A paisagem em torno dela roda. O rosto dela é de alguém que está topado;
     - Uma MAÇÃ VERMELHA preenche a tela. Uma SERPENTE contorna o fruto;

     - Devilin está nua no colchão. A paisagem gira um pouco mais rápido. A Serpente sobe pela coxa dela, contorna as linhas de seu corpo e entra no meio de suas pernas. Devilin revira os olhos e morde os lábios de prazer;

     - Um GRUPO de pessoas nuas, levam o colchão com Devilin deitada sobre ele. De olhos entreabertos, Devilin sorri para Stone, que também está nu.

VOZ DO DR. NICK: Ela ainda está acordada.

     - Dois pares de MÃOS seguram os pulsos de Devilin. Frida segura de um lado das pernas e Anabeth segura do outro.

     - Um FIGURA encapuzada usando uma túnica negra;

     - Devilin e a figura encapuzada transam. A paisagem ao redor roda cada vez mais rápido.

     - Dentro do espaço negro do capuz surgem DOIS OLHOS vermelhos;

     - Devilin para de transar e encara fora da tela. Uma LÍNGUA enorme de serpente sibila ao ar e salta na direção dela. Ela se assusta e dá um salto.

FIM DO PESADELO.

CENA 24. INT. – APARTAMENTO DE DEVILIN – QUARTO – MADRUGADA:
    
     Devilin cai da cama e estatela ao chão embolada nas cobertas. Ela fica deitada ali mesmo com o rosto tenso de preocupação. O relógio em cima da cabeceira, marca: 03:55pm. O SOM de um TROVÃO estoura nesta cena.

CORTA PARA:

CENA 25. EXT. – BASTIÃO DOS CLÉRIGOS – NOITE - CHUVA:

     É uma igreja velha e abandonada. Um IMPALA negro 68 estaciona. A FIGURA de um homem estranho salta dele e curvada sobre a chuva sobe a escadaria em direção à porta de entrada.

CORTA PARA:

CENA 26. INT. – BASTIÃO DOS CLÉRIGOS – NOITE - CHUVA:

     A porta vista por dentro. BATIDAS são ouvidas. Eric entra no QUADRO, vai atender a porta, abre e revela a figura do estranho parada de costas. Ele se vira e PERCEBEMOS tratar-se do ator Chris Hemsworth.

ESTRANHO (voz impostada): Vim a pedido de Noel Liam!
     Eric faz sinal para que ele entre. E o estranho entra. Noel surge vindo do interior da igreja, vai até o estranho e ambos trocam um caloroso abraço. Noel se vira com tamanha animação para Eric.

NOEL: E se cara aqui é: Dean Winchester! O maior clérigo-caçador da Ordem de Arundel!

     Eric estende a mão a Dean e ambos se cumprimentam.

ERIC: Peraí! Como o Dean Winchester da série supernatural?

DEAN: Só que de verdade. Sem família e sem irmão. (pausa) Nem tudo que a tela da televisão retrata é ficção.

NOEL: Ô Dean aqui é fã número dos The British Boys!

     Noel deposita a mão no ombro de Dean. Os dois trocam olhares e sorriem. A CÂMERA fecha no rosto de Eric.

CORTA PARA:

CENA 27. EXT. – CASA DOS MACCARTNEY – MADRUAGADA - CHUVA:

     A chuva acoita o parapeito da janela. O CLARÃO de um relâmpago ilumina a tétrica figura de Reba parada ao vão entre as cortinas.

CORTA PARA:

CENA 28. INT. – CASA DOS MACCARTNEY – CORREDORES – MADRUGADA:

     A CÂMERA RECUA à medida que Cliff anda com uma lamparina em NOSSA DIREÇÃO. Lenny e Scott, vêm logo atrás dele, e seguram lanternas.

CLIFF: Faz horas que estamos o procurando! Será que ele não deu um jeito de escapar?

LENNY: Você reclama demais!

CLIFF: Scott, você é dominador de fogo diabólico?

     Scott ia responder, Mas, Lenny o corta.
LENNY: Não. Ele não controla o fogo diabólico. O mecanismo do Black Frame é uma fonte inesgotável própria de fogo diabólico. (pausa) Por que você quer saber? É um poder muito perigoso.

CLIFF: Nada não. É que uma vez ouvir falar sobre a lenda.

LENNY: Com quem você andou conversando? (pausa) Bem, ele não é uma lenda. Mas, se eu fosse você também mantinha a distância sobre a sua verdade. (pausa) Não sei o que você veio cheirar atrás da gente. Damien pediu para que você ficasse com Sandra.

CLIFF: Tá. Já eu volto pra lá

     Sem que perceba, Cliff contorna para um corredor e os rapazes para outro. Continua a andar por um bom tempo.

CLIFF: Essa casa é realmente grande!

     Um RANGER de madeira. Cliff joga os OLHOS para trás. Vira-se rapidamente e aponta com a lanterna, mas, não há ninguém.

CLIFF: Lenny! Scott!

     OUTRO ÂNGULO de Cliff do modo que VEMOS um vulto veloz engatinhar pelo teto acima dele. NOVO ÂNGULO de Cliff da forma que o VEMOS pelas costas. De CABEÇA para baixo, Reba entra lentamente no quadro. Cliff funga o ar. Ele esbugalha os olhos, se vira lentamente e dá um salto quando dá de cara com Reba de ponta da cabeça atrás dele. Cliff cai ao chão. A menina salta do teto e o encara. Os movimentos da cabeça e do corpo, lembram os de uma serpente. Cliff se põe de pé e se cerra os punhos.

CLIFF: Filho da danação. Eu não tenho medo de você. (aperta os olhos) Chama do fogo diabólico vem a mim!

     Reba gargalha. Uma estria negra e viscosa de urina desce pela perna dela e risca o assoalha em direção a Cliff. Ele abre os olhos e olha para o chão.

CLIFF: Isso não é fogo diabólico.

     Cliff se afasta à medida que a linha se aproxima. Ele acaba por tropeçar nos próprios pés, cai de bunda, patina no chão ao tentar se afastar e por fim o corredor acaba com a parede às costas dele. A linha negra salta como uma aranha sobre Cliff e se prende ao seu rosto. Ele faz força para arrancá-la, mas, ela se divide e entra em seus orifícios: nasais, bucal, oculares e auditivos. Cliff esperneia e rola de um lado para outro. Repentinamente fica imóvel. Fica assim por alguns segundos. Depois se levanta bruscamente.

CORTA PARA:

CENA 29. INT. – CASA DOS MACCARTNEY – QUARTO DE SANDRA - CHUVA:
     Damien observa Morgan tatear ao longo de uma parede.

DAMIEN: Você vai continuar fazendo isso à noite inteira?

MORGAN: Estou tentando encontrar uma passagem secreta.

DAMIEN: Mas, já olhamos a casa toda.

     Morgan continua a batucar uma parede. Até que uma BATIDA oca se faz. Bate de novo para confirmar o som. Ele sorri para Damien.

MORGAN (força a parede): Deve ter algo aqui atrás.

DAMIEN: Você está obcecado com isso. Viemos aqui para caçar um demônio. Ele já deve ter escapado. E ainda estamos aqui perdendo tempo.

MORGAN: Eu já disse: não há como o demônio fugir! O exorcismo de Labimantus sela a casa. E o demônio pode estar por aí atrás dessas paredes, Damien.

DAMIEN: Seja lá o que tenha acontecido com alguém próximo de você, mas, certamente o que está acontecendo aqui não tem a ver com essa pessoa.

     Morgan se irrita e vai para cima de Damien.

MORGAN (irado): Você não sabe de nada.

     Morgan empurra Damien contra uma parede. A parede gira um ângulo horizontal de 160º e leva ambos a uma...

SALA SECRETA

     Morgan e Damien, param numa posição de luta. À frente deles, um túnel escuro. Ambos se encaram por um breve momento e adentram no túnel.

CORTA PARA:
    
CENA 30. INT. – CASA DOS MACCARTNEY – CORREDORES – MADRUGADA:
    
     Os FEIXES de luz de duas lanternas buscam por pontos no escuro. Passam de relance sobre o rosto de Cliff. São Lenny e Scott.

LENNY: Parece que eu vi alguma coisa.

     Lenny ilumina o ponto onde Cliff estava agora há pouco, mas, já não há nada lá.
LENNY: Impressão minha.

     Scott acende o isqueiro.

LENNY: Vai fumar numa hora dessas?

     Scott dá de ombros e traz a chama do isqueiro próximo à ponta do inseparável cigarro amassado. Ao fazer essa ação, ele faz com que a luz da chama ilumine o rosto de Cliff, ao lado dele. FIOS negros dançam nas órbitas dos olhos de Cliff.

LENNY (grita): Cuidado!

     Scott se abaixa a tempo. E Cliff golpeia o ar e se agacha feito uma aranha.

LENNY: Que droga! Parece que foi infectado pelo parasitoide.

     Cliff salta sobre os dois, os enforca pelos pescoços e os lança contra parede. Scott consegue escapar, rola cambalhota, apanha o isqueiro, acende, coloca a mão sobre a chama e uma bola de fogo negra se forma na palma dele. Cliff faz uma carranca de força e aperta mais forte a garganta de Lenny, que revira os olhos. Scott agarra Cliff por trás, enfia a bola de fogo negra na boca dele e tapa. Lenny cai ao chão e retoma o fôlego. Cliff rodopia com Scott pendurado às suas costas. Scott solta ele. Cliff se enverga, aperta o abdômen com as mãos, começa a tossir, faz som de quem vai vomita e cospe um fio negro e viscoso.

CLIFF (limpa a boca): Que nojo! Acho que isto é urina ectospectral.

     Lenny e Scott, vão até ele. Lenny saca o pente automático e penteia os cabelos.

LENNY: Isso é pra você aprender. Não bagunçar meus cabelos e quando a gente pediu pra que você ficasse com a Sandra. Era pra ter ficado.

INSERT – MUSIC: Rare Earth - Get Ready

CORTA PARA:

CENA 31. INT. – CASA DOS MACCARTNEY – SALA – MADRUGADA  :
    
     O corte é feito direto em Karen falando amarrada à poltrona.

KAREN: Sandra, algo muito grande e além da nossa compreensão está para acontecer. Me solta!

SANDRA: Como você pôde fazer isso?

     O Rosto de Reba surge por detrás da poltrona. Sandra dá um pulo para trás.

SANDRA: Reba?!?! Querida?!?!

     Não há resposta. A menina contorno a poltrona. Sandra se afasta. Karen ri.

KAREN: Vamos! Me solte criatura trevosa!

     Reba encara Karen. Ora a menina pende a cabeça de um lado ora do outro. Reba se aproxima de Karen e lambe o seu rosto.

KAREN: Pare de me lamber feito um cão! E me solta!

     Reba olha para Sandra, depois se volta para Karen e torce a cabeça dela. O pescoço de Karen quebra e seu rosto cai contra o peito. Sandra solta um berro e sai correndo desesperada para interior da casa. Reba dá um tabefe na carcaça de Karen e o corpo dela voa longe juntamente com a poltrona. Reba vai atrás de Sandra. A CÂMERA fecha corpo morto e contorcido de Karen.

CORTA PARA:

CENA 32. INT. – NONA ESFERA – TEMPO INTERMINADO:

     A imagem abre no rosto de Michael perguntando.

MICHAEL: A força da atração humana?

     Michael, Lucy e Habamum, estão de pé no centro de um espaço em branco.

HABAMUM: Sim, senhor! Nesses últimos tempos, tem aumentado o excesso de transgressões por parte da humanidade. Isso faz com que um portal se abra no corpo de cada mortal-pecador atraindo o demônio para dimensão deles.

MICHAEL: Ieu pensei qui o metar de arma seguraria elis aqui.

HABAMUM: O fato senhor, é que com o avanço da ciência, os demônios também avançaram e pararam de acreditar em certas crenças. Estão mais organizados e preparados. O comércio espectral entre os dois mundos facilita as coisas. Só para o senhor ter uma ideia, agora pouco, Damien fez uma solicitação de soltura para um infernal, mas, ele nem era da nona esfera.
MICHAEL (faz cara de quem pensa): Arriégua! Vai sê um verdadeiro banzé! (tira o chapéu) Inte mais vê, doutor Habamum.

HABAMUM: Eu que agradeço a visita.

     Michael coloca o chapéu, faz um sinal para Lucy e os dois se vão. Habamum observa a partida deles.

MICHAEL: Qui demonho mais gentir! (paus) I qui vamô fazê pra qui mais demonhos não fuja?

LUCY: Não se preocupe! Estamos trabalhando numa máquina, pra que bloqueie as frequências de ondas cerebrais entre corrompidos e demônios.

MICHAEL: Faça isso com cierta urgência. Conversi com seus garotos. Qui mantenha a ordi. (para) Evite principiadamente mortantagem di corrompidus.

     Lucy faz sinal de “OK” e os dois se vão.

CORTA PARA:

CENA 33. INT. – CASA DOS MACCARTNEY – SALA SECRETA – MADRUGADA:

     Morgan e Damien, estacados diante de um colchão velho e imudo ao chão e olham para peça.

MORGAN: Esse lugar devia servir de antro de orgias! (olha para Damien) Para o ritual de fertilização.

DAMIEN: Mas, que ritual de fertilização?

MORGAN: Vejo que vocês têm muito que aprender comigo. Aqui é o cenário perfeito. (pausa) Na calada da noite, enquanto Sandra e Reba, dormiam...

     Os GRITOS de Sandra chegam até eles.

DAMIEN: É Sandra! Vou pegar a guitarra!

     Os dois saem correndo pelo túnel.
 CORTA PARA:

CENA 33. INT. – CASA DOS MACCARTNEY – CORREDORES – MADRUGADA:

     Sandra se arrasta de fasto caída ao chão e Reba caminha lentamente em direção dela.

SANDRA (chorando): É a mamãe, querida!
     A boca de Reba é arreganhada e mãos do demônios se esticam para fora. No fim do corredor, aparecem Lenny, Scott e Cliff. O demônio para, tenta correr sentido contrário e freia de novo. Do outro lado, no começo do corredor, estão Damien com sua guitarra e Morgan com o arco e flecha. Damien desce a mão com fúria nas cordas e elas num efeito especial se esticam ferozmente ao ar até o demônio e entrelaçam os seus pulsos. As cordas estéreas o puxam e ele tenta desvencilhar-se delas. O corpo de Reba arrastado vem atrás. Scott e Cliff, segura a menina pelas pernas. Um enorme calombo se formou no pescoço de Reba, como se o demônio estivesse entalado ali. As cordas fazem força, mas, ele não sai. Morgan aponta o arco e flecha e dispara. A flecha deixa um rastro de fogo, se estende com um laço ao ar, dá volta em torno dos longos braços da criatura e o laça. Morgan enrola a mão na ponta do rastro de fogo, o manuseia com uma corda e puxa para si com força.

MORGAN (grita): Força Damien!

     Damien e Morgan, fazem careta de força. Scott e Cliff, fazem força para trás puxando Reba. A cabeça do demônio aparece, ele sai lentamente de dentro de Reba. Sandra fecha os olhos, entrelaça os dedos e mexe os lábios como se estivesse rezando. Quando o demônio sai por completo, Scott, Cliff e Reba, rolam para um lado e Damien, Morgan e o demônio, rolam para o outro. O demônio se debate tentando escapar. A criatura possui um tronco pequeno, mas, com braços e rabos de larva longos. Ela arranca a guitarra de Damien e se embola nas cordas. O laço de fogo de Morgan se apaga. Damien e Morgan, saltam sobre ele. O número 667 em forma de brasa, surge na altura da testa do demônio.

MORGAN (grita): Agora, Lenny!

     Lenny apanha o Espelho de Narciso e corre até eles. O demônio rodopia com Damien e Morgan, sobre ele.

DAMIEN (grita): Calma, Lenny! Vamos extrair algumas informações do demônio.

MORGAN: Eu te disse: parasitoide não tem consciência sobre si. Não vamos conseguir aqui.
     Damien e Morgan, acabam por caírem ao chão. A tempo Lenny levanta o espelho diante do monstro, os fótons de luz estouram na carranca da criatura e a suga para dentro. O demônio agarra na armação da boca do espelho para evitar a passagem. Lenny segura com força no braço do espelho, mas, o demônio o levanta e rodopia Lenny ao ar. Os demais correm, fazem força e empurram o demônio para dentro do espelho. A criatura é sugada por completa, porém, a mão de Cliff ficou presa dentro da espiral.

CLIFF: Socorro! Socorro, Damien! Me ajude!

     Lenny pisa na cara de Cliff e faz força para trás.

CLIFF: Você está esmagando minha cara!

     Por fim, a mão de Cliff consegue sair. Lenny espatifa o espelho ao chão. Segundos depois, os pedaços do espelho se agrupam. Lenny o apanha e guarda dentro do terno. Cliff esfrega a mão no rosto.

REBA (fora da tela): Mamãe!?

     Sandra se vira e vê Reba sentada no chão. Elas correm uma ao encontro da outra, se abraçam e riam enquanto choram. Cliff observa à cena e esfrega os olhos. Lenny nota isso.

LENNY: O que você está chorando?

CLIFF (fungando): Claro que não! Um cisco entrou nos meus olhos!

     Cliff sai. Lenny e Scott, riem. Um MÃO surge em frente ao rosto de Damien. É Morgan, que se oferece para ajudar Damien a se levantar. A princípio, parece que Damien vai recusar, mas, dá a mão a Morgan, que o puxa.

MORGAN (sorri): Mandou bem, Damien!

DAMIEN (sorri de volta): Você mandou bem, Morgan!

MORGAN: Todos nós mandamos bem!

     Os dois espalmam as mãos num comprimento.

CORTA PARA:

CENA 34. INT. – CASA DOS MACCARTNEY – SALA – MANHÃ:

     O SINAL da letra “A” ao peito esquerdo de Reba. Sandra sentada numa poltrona com a filha no colo. Damien e Lenny, agachados diante delas, analisam o sinal.

DAMIEN: Talvez, possa ser mesmo um sinal escarlate. Precisamos saber mais sobre esta marca!

LENNY: E se você falar com sua fonte secreta da deep web?

DAMIEN: Verdade.

     Os dois se levantam.
DAMIEN (para Sandra): Tudo o que acabamos de lhe contar, Sandra. Tem de guardar segredo.

     Sandra faz que sim.

REBA: O que, mamãe?

DAMIEN: Depois, lhe explique tudinho.

LENNY: Confie em nós! Vamos proteger você e a sua filha.

     Damien olha para fora da tela. Sobre uma cômoda próximo à poltrona, há um retrato da família. CLOSE >> na imagem: Stone abraçado à Sandra e Reba. Um BARULHO. Lenny e Damien se viram. Morgan finge que estava acabando de chegar. Depois entram Scott e Cliff.

MORGAN (arranha a garganta): Nós já olhamos a casa toda. Encontramos outras passagens secretas, mas, não há nada fora do comum.

SANDRA (chora): E a Karen?

MORGAN: Pode deixar que eu me encarrego dela.

REBA (chorosa): Mamãe, cadê a Karen. Eu quero ela!

     Lucy aparece de hábito vermelho de freira com um capuz de cornete, atrás da poltrona de Sandra. Só que quem dá vida à personagem nesta cena é atriz Sally Field.

LUCY: Cheguei atrasada?! Perdi alguma coisa?!

     Sandra e Reba, se assustam.

SANDRA: Ah! Como ela entrou aqui?

DAMIEN (retorce os olhos): Essa é a irmã Bertrille!

LUCY: Eu vim ver como as coisas estavam. O Celestial está pegando no meu pé...

     Lucy arregala os olhos para fora da tela. Escondido atrás de uma cômoda está o corpo de Karen, mas, só vemos as suas pernas.

LUCY (para Damien): Pelo que vi nem precisaram de mim. Eu quero ver como vou explicar a morte de um Corrompido para o Celestial Michael.

REBA (chorando): Quem morreu, mamãe?
LUCY: Como isso pode acontecer?

     Todos os rapazes olham para Cliff, que olha por trás de si mesmo, olha para cima, assobia, ajeita o chapéu, coça a cabeça, a ajeita os óculos de vistas e sai em direção à porta.

CLIFF: Estou com ideia para uma música nova: O Rock do Dominador. (pausa) Vou ver como está o Mausoléu.

     Lucy balança a cabeça negativamente, aperta os lábios de raiva e desaparece numa fumaça em espiral contra o ar. Reba esconde o rosto ao peito da mãe.

SANDRA: Meu Deus! O que foi isso?

LENNY: Certamente, não foi Ele!

DAMIEN (para Sandra): Depois te explicamos.

MORGAN (voz ensaiada): Algumas vezes o melhor jeito de convencer alguém que está errado é deixá-lo seguir seu caminho.

DAMIEN: Para! Você está parecendo a Lucy!

CORTE DESCONTÍNUO:

CENA 35. EXT. – CASA DOS MACCARTNEY – SALA – MANHÃ:

     No banco de passageiro de Mausoléu, está Sandra com Reba ao colo. E nos bancos traseiros, estão Lenny, Scott e Cliff.

CLIFF (resmunga baixinho): O banco do passageiro é meu lugar.

     Lenny o encara e Cliff disfarça.

LENNY: Já vai começar?

CLIFF: Então, ao menos me deixe sentar na janela! Eu não gosto de ficar no meio.

LENNY: E vou te jogar no meio do inferno, você quer?

     Damien enfia a cabeça na janela do motorista.

DAMIEN: Eu vou ver o que Morgan quer me falar. Eu já venho.

     Damien contorna o veículo e vai até Morgan que ajusta com cordas o suposto corpo de Karen enrolado num tapete na garupa da moto estacionada à traseira de Mausoléu.

DAMIEN: Será que você não vai ser parado pela polícia em vista desse corpo estar dando muito na cara?

MORGAN (amarrando, ri): Eles vão ver se eu quiser. (fricciona as mãos limpando) Prontinho!

     Assim que Damien olha de novo para a garupa da moto, se espanta ao ver que o corpo de Karen enrolado no tapete não está mais lá.

MORGAN (anda até Damien): Tenho a capacidade de manipular a realidade. Se você quiser posso te ensinar.

DAMIEN (desconfiado): Talvez outra hora. O que você queria?

MORGAN (coloca o capacete): Estava pensando, com questão ao parasitoide. E depois pensei no Scott. É que só vocês entendem o que ele fala.

DAMIEN: E?

MORGAN: Precisávamos de um Legere.

DAMIEN: Um Legere?

MORGAN: Sim. É um filho do inferno, é perito em almas, podem lê-las, interpretar sentimentos, e até concluir a consequência dos seus atos, isto é, se o dono da alma é íntegro, ou indecoroso e indigno, sabendo assim qual será seu destino quando morrer. Lendo uma alma, o demônio também pode saber o poder que ela possui.

     Morgan olha para cabeça de Scott através do vidro traseiro do carro.

MORGAN: Como ele não é muito de falar. Tenho certeza que ele domina essa capacidade. Porque, poderíamos descer até Karmatoo e interpretar a natureza do demônio.

     Damien titubeia com a cabeça.

DAMIEN: Nós vemos por aí!

     Morgan faz que sim. Damien faz o caminho de volta.

MORGAN: E quanto Sandra e Reba?

     Damien para com a porta do carro aberta.

DAMIEN: Combinei com Sandra: de elas viajarem e sair do país.

     Morgan balança a cabeça compreendendo. Damien entra no veículo, liga a ignição e o carro parti. Morgan fica olhando eles partirem. Depois ele apanha uma foto de dentro do bolso e contempla.

PONTO DE VISTA DE MORGAN

     Uma imagem envelhecida e amarelada pelo tempo, de Morgan vestido com um uniforme dos anos 20 de soldado legionário abraçado com uma bela MOÇA. Ele vira a fotografia, no verso a inscrição: “Com amor, Fionna”.

VOLTA À CENA

     Morgan guarda a foto, salta em Cripta, solta o pezinho de apoio da moto, dá meia volta com ela e sai de CENA.

CORTA PARA:

CENA 36. EXT. – MAUSOLÉU – EM MOVIMENTO - ESTRADA – MANHÃ:

     Damien guia solenemente o volante. Todos estão quietos. A MÃO de Damien liga um botão. O rádio OSCILA a introdução da canção: The House Of The Rising Sun do The Animals! Damien passa a cantar a música com o cantor.

DAMIEN: There is a house in New Orleans. They call it The Rising Sun. And it's been the ruin of many other poor boys. And god, I know, I'm one. My mother was a tailor. She sewed my new blue jeans. My father was a gamblin' man Down in New Orleans.

Há uma casa em New Orleans. Chamam a de 'Sol Nascente'. E tem sido a ruína de muitos outros garotos pobres. E Deus, eu sei, eu sou um deles. Minha mãe era costureira. Ela costurava meus novos jeans. Meu pai era um apostador em New Orleans.

     Aos poucos, os demais vão sendo contagiado por Damien e seguem cantando. Começa por Lenny, depois Scott e Cliff. E por último, entram Sandra e Reba.

TODOS: And the only thing a gambler needs is. A suitcase and a trunk. And the only time he'll be satisfied. Is when he's on a drunk. Oh mother, tell your children. Not to do what I have done. Spend your lives in sin and misery. In the house of the rising sun.

A única coisa que um apostador precisa. É uma mala e um baú. E a única hora que ele se sente satisfeito. É quando está completamente bêbado. Oh mãe, diga a seus filhos para não fazerem o que eu fiz. Passar suas vidas em pecado e miséria na casa do sol nascente.

     Morgan surge cantando de moto à janela de Damien.
CLIFF (grita): Fecha essa janela, Damien!

     Nós FICAMOS e a moto e o veículo vão em alta velocidade. E as VOZES deles cantando ao fundo. A música FADE IN.

CORTA PARA:

CENA 37. EXT. – PRÉDIO DO APARTAMENTO DE DEVILIN - DIA:
    
     Numa TOMADA ALTA podemos VER Devilin segurando duas sacolas de mercado, se aproximando da escadaria, subir e cruzar a entrada.

CORTA PARA:

CENA 38. INT. – CORREDOR DO APARTAMENTO DE DEVILIN – DIA:

     A SINETA do elevador toca. O VISOR digital indica o andar: 13. As portas se abrem. Devilin desce com as sacolas. Passa pelo rol. Assim que dobra a lateral da parede para o corredor, ela se depara com Marie Claire na forma do enfermeiro agachada à soleira da porta de seu apartamento.

DEVILIN: Ei!

     Marie Claire se vira e foge assim que percebe Devilin vindo em direção dela. Devilin joga as sacolas e vê uma trouxinha de pano costurada jogada sobre o tapete.

DEVILIN (grita ao ar): Macumba é crime na Inglaterra, sabia?

CORTA PARA:  

CENA 39. INT. – NCPD – NICROTÉRIO – DIA:

     A visão da CÂMERA obstruída por um lençol branco. OUVIMOS o som de PORTA se abrindo e de PASSOS.

LEGISTA (fora da tela): Ela foi encontrada hoje de manhã, na vala do rio Tyne, senhor Stone.

     O lençol é arrancado revelando o rosto de Stone.

STONE (aperta os olhos): Eu a conheço. Ela se chama Karen Evans.

     O corpo morto de Karen jaz sobre uma mesa metálica. Stone e o LEGISTA, estão separados por ela. Stone apanha um celular GSM descartável dentro do bolso interno do casaco, liga e confere a tela.

INSERT – NO CELULAR

     No visor digital da tela, informa: 13 ligações de Karen Evans perdidas.

VOLTA À CENA

     Stone tecla um número e aguarda com o aparelho apertado contra o vidro.

STONE: Boa tarde! Por favor, poderia me transferir para o ramal do Dr. Nick Evans.

CORTA PARA:

CENA 40. – SEQUÊNCIA DE IMAGENS:

     - VÁRIOS PLANOS de STONE nos cômodos da casa procurando por Sandra e Reba. A casa está vazia.

CORTA PARA:

CENA 41. EXT. – CASA ABANDONADA – TARDE:

     Mausoléu estaciona numa área rural. Damien, Lenny, Sandra e Reba descem dele. Eles contemplam a casa.

LENNY: Que lugar é esse?

DAMIEN: É um lugar que venho preparando há um tempo para esta situação.

     Lenny assente. Damien vai ao porta-malas, abre, retira de dentro duas valises e o fecha em seguida. Todos seguem em direção da casa. Damien abre a porta com uma chave e faz sinal para que os demais entrem. Eles entram. Damien entra depois deles, antes de fechar a porta, ele dá uma espiada para um lado e depois para o outro e em seguida fecha a porta na nossa cara. Perto dali, Morgan sai detrás do tronco de uma árvore. Caminha em direção à casa. Quando se aproxima, Morgan bate a cara numa parede invisível, o choque faz com que uma ONDA vermelha oscile pelo ar como um campo de força.

MORGAN: Ah, malandros! Selo espectral de proteção!

     Morgan dá um pulo com algo fora da tela. A NOSSA VISÃO MOVE para o lado. Mausoléu está próximo dele com o motor ligado.

MORGAN (estende as mãos ao ar): Ah! Você consegue me ver? Calma, supermáquina das trevas! Eu sei que você me odeia, mas, já estou indo embora.

     Morgan sai de fasto. Mausoléu desliga os faróis.

CORTA PARA:
CENA 42. EXT. – TYNE BANK – MAIS TARDE:

     Damien e Lenny, atravessam a entrada do prédio. Na distância, Morgan os observa entrando.
CORTE DESCONTÍNUO:

CENA 43. INT. - TYNE BANK – COFRE – MAIS TARDE:

     Damien e Lenny, ambos estacados a fileiras de gaveteiros metálicos de cofres de aluguel. Damien abre a portinhola de número: 7. Puxa a gaveta para fora, abre a lâmina e dentro há quatro pedaços de papiro envelhecido. A MÃO de Lenny pega um pedaço, raspa uma partícula com a ponta da unha e transfere para dentro de um frasco transparente. Damien recua a gaveta de volta e depois fecha. Lenny coloca o frasco dentro do bolso do casaco.

DAMIEN: Logo vamos ter que partilhar este segredo com Scott e Cliff.

LENNY (faz que sim): Mas, o que me preocupa agora: é o Cliff. Aquele jeito desligadão dele. Eu não sei se ele vai conseguir acompanhar nosso ritmo. (pausa) Agora deu pra ficar perguntando sobre o fogo diabólico. Não sei, não, Damien! Acho que não vai sair coisa boa daí, não, hein!?

DAMIEN: Sim. Mas, tem outra coisa. Lá na mansão McCartney, e eu vi uma foto de Sandra e Reba com Stone, aquele policial amigo de Devilin. Certamente ele é o pai de Reba.

LENNY: Não falei: que esse cara ia dar problemas.

DAMIEN: Ele deve estar envolvido nisso tudo.

LENNY: E por que você acha isso?

DAMIEN: Depois do nosso último show no bar Inferno, assim que vocês saíram, Stone apareceu para nos parabenizar da apresentação daquela madrugada. Fez perguntas a respeito de nossa profissão. E ainda por cima tinha tatuado à costa do pulso 666 em numeral romano. Percebi que Karen também tinha a mesma tatuagem no mesmo lugar.

LENNY: Será que ele seria capaz de fazer isso com a própria família? A troca de quê?

DAMIEN (balança a cabeça): Não sei, ainda! Mas, nós vamos descobrir.
     Um celular TOCA. A CÂMERA fecha no rosto de Damien.

CORTA PARA:

CENA 44. INT. - TYNE BANK – RECEPÇÃO – MAIS TARDE:

     Um GERENTE dá instrução a uma FUNCIONÁRIA. Damien atravessa de novo a entrada, mas, só que sozinho. O gerente se atenta à chegada de Damien e vai até ele.

GERENTE: Olá, Senhor Damien Gray! O senhor voltou! (ri) Aposto que esqueceu alguma coisa?

     Damien faz cara de quem não sabe o que ele está falando, mas, mesmo assim concorda.

DAMIEN: Isso mesmo! É...

GERENTE: Cloverfield! Shawn Cloverfiled! (ri) Me acompanhe vou pegar suas chaves.

CORTE DESCONTÍNUO:

CENA 45. INT. - TYNE BANK – COFRE – MAIS TARDE:

     Damien já abriu a gaveta. OUTRO ÂNGULO, VEMOS Morgan conferindo o seu conteúdo.

CORTA PARA:

CENA 46. EXT. – PONTE DO TYNE – ENTARDECER:

     Devilin parada na plataforma, e apoiada na grade proteção ela espia o rio. Na distância, Damien, que caminha em direção a ela.

INSERT – MUSIC: The Turtles – Happy Together

DAMIEN: Você me ligou? Queria falar comigo?

DEVILIN: Ah! Oi! Sim. É que eu queria te mostrar algo.
     Devilin procura por algo dentro da bolsa, é a trouxinha de pano e ela passa para Damien.

DEVILIN: O que é isto? Um cara meio doido vestido de enfermeiro deixou isto no chão da minha porta.

DAMIEN (analisa e cheira): Isto é um patuá de bruxas!

DEVILIN: Ah, meu Deus! É macumba das brabas? Estão querendo me matar?

DAMIEN (ri): Muito pelo contrário. Pelo cheiro é de afastamento. É um ritual de amarração para te afastar de alguém. Separa o casal e afasto rival.

DEVILIN: Que bobagem! Me afastar? Mas, de quem?

DAMIEN: Você devia saber.

     Devilin ri, olha para o chão, balança a cabeça desacreditada e volta a olhar para Damien.

DEVILIN: Nossa! Eu já tava pirando.

     Devilin ri, põe as mãos nos bolsos, não sabe como falar e respira fundo.

DEVILIN: Não sei por que, mas, quando estou com você: eu me sinto bem.

     Os dois riem encabulados. O estômago de Devilin ronca.

DEVILIN (põe a mão na barriga): Tô com uma fome do diabo. Se quiser pode me levar pra jantar... (ri) ...ou se preferir podemos ir até ao meu apartamento pra você me comer.

     Damien desvia o olhar e sorri. Ao longe, uma embarcação SOA BUZINA.

CORTA PARA:

CENA 47. EXT. – PORTO DO RIO TYNE – ENTARDECER:

     PONTO de VISTA de um binóculo. Por ele, VEMOS Damien e Devilin caminhando na plataforma da ponte.

ERIC (fora da tela): Os The British Boys estão do nosso lado ao que parece.

     Dean abaixa o binóculo e encara Eric.

DEAN: Não importa. Isso não faz com que eles deixem de ser demônios. (volta a olhar para ponte) Vamos cuidar deles. E daqueles que os seguem.

     FECHA no rosto preocupado de Eric

CORTA PARA:
CENA 48. INT. – APARTAMENTO DE DEVILIN – QUARTO – NOITE:

     Damien e Devilin, estão nus debaixo de um lençol e os dois transam.
PASSAGEM DE TEMPO

     Entre o vão de uma porta e o batente, alguém espia o rosto de Devilin dormindo ao travesseiro, a porta se fecha. Damien dá de cara com Lucy atrás dele.

LUCY: Ainda bem que alguém aqui consegue se divertir!

DAMIEN´(baixo): Fala baixo. Ela está dormindo.

LUCY: Vocês vão ficar me devendo pela morte daquela corrompida. E vocês sabem o que eu quero dizer com o que vão ficar me devendo?

     Damien retorce os olhos e faz que sim. Ainda nesta cena, começa a tocar a introdução da música: Rose Garden de Lynn Anderson.

CORTA PARA:

CENA 49. INT. - THE BRIDGE TAVERN –  MADRUGADA:

     O corte é feito direto no rosto da atriz Reese Witherspoon, que vive o papel de Lucy, nesta cena. Ela canta ao microfone enquanto faz caras e bocas. Ela usa o vestido igual que a cantora veste no clip, só que na cor vermelha.

LUCY: I beg your pardon. I never promised you a rose Garden. Along with the Sunshine there's gotta be a little rain sometime.

Eu imploro seu perdão eu nunca te prometi um jardim de rosas. Junto com a luz do sol tem de haver um pouco de chuva em algum momento.

     Lucy e os rapazes estão no palco. Enquanto ela canta, eles tocam. Lucy se roça em Damien, e ele a olha irritado. O PÚBLICO não está gostando da apresentação. O único que parece se divertir em meio à multidão é Michael, que chacoalha a cabeça ao ritmo da canção. Lucy bagunça o cabelo de Lenny.

LENNY (cochicha ao ouvido de Damien): Se toda vez que pisarmos na bola. E ficar devendo algo pra ela. Estamos perdidos.

     Lucy senta no bumbo de Cliff, e ele não gosta na disso. É possível ver a marca do sapato de Lenny no rosto de Cliff. Lucy agarra Damien e Scott pelo pescoço, fazendo os cantarem.

LUCY, DAMIEN e SCOTT: When you take you gotta give so live and let live and let go oh oh oh oh. I beg your pardon. I never promised you a rose Garden.
Quem dá tem que receber, então viva e deixar viver oh oh oh oh. Eu imploro seu perdão. Eu nunca te prometi um jardim de rosas.

     O dono do bar vai até o próximo do palco e chama Damien, que se agacha até ele.

DONO (grita): Pensei que quando você disse que voltava e tocava de graça no meu bar. Imaginei que fossem só vocês! Quer saber de uma coisa: vão para o inferno!

DAMIEN: Acredite, ele subiu hoje aqui!

     Lucy puxa Damien para dançar.

CORTA PARA:

CENA 50. INT. - JOE LENNON'S MECHANICAL WORKSHOP – MANHÃ:

     O velho JOE LENNON está debaixo de um carro ajustando um parafuso com a chave de fenda. Um PAR de PERNAS de criança passa correndo.

JOE: Paul! Paul Lennon! É você? Se for: pega pra mim a chave de boca 12.

     A MÃO de uma criança manuseia a manivela do equipamento macaco sanfona, que se fecha. O carro acaba por esmagar Joe. OUVIMOS gritos abafados. Um PAR de PERNAS femininas entra em CENA. GRITO seguido de um CHORO.

AMANDA (fora da tela): Ah, meu Deus! Paul Lennon o que foi o que você dessa fez?
FADE OUT.

INSERT – MUSIC: A música Yesterday dos Beatles é tocada até o fim dos créditos.


CREATED BY:
L.F D'Oliveira
 

STARRING:

Dane Dehaan…………………………………………………………………………………………………Damien Gray
Aaron Taylor-Johnson……………………………………………………………………………Lenny Hide
Paul Dano………………………………………………………………………………………………………Scott Thorn
Daniel Radcliffe……………………………………………………………………………Cliff Castevet
Eddie Redmayne…………………………………………………………………………………Morgan Jekyll
Zoe Saldana……………………………………………………………………………………………Devilin White
Michael Ealy………………………………………………………………………………………………Eric Ulrich
Alison Sudol……………………………………………………………………………………………Marie Claire

GUEST STARRING:

Kaitlyn Oechsle………………………………………………………………………………Reba McCartney
Phoebe Fox………………………………………………………………………………………Sandra McCartney
Matthew Lillard………………………………………………………Maxwell Stone McCartney
Charlie Hunnam…………………………………………………………………………………Dr. Nick Evans
Kit Harington………………………………………Marie Claire'S Alternative Form
Annabelle Wallis…………………………………………………Anabeth, The Housekeeper
Adam Harvey………………………………………………………………………………………………………Noel Liam
Vanessa Madeline Angel……………………………………………………………………………………Frida
Gemma Arterton…………………………………………………………………………………………Karen Evans
Louise Cliffe………………………………………………………………………………………Amanda Lennon
Zac Barker……………………………………………………………………………………………………Paul Lennon
Ashley Madekwe……………………………Fiona, the woman in the photograph
Simon Bird………………………………………………Bank Manager, Shawn Cloverfield
Dinusha Chandratilleke…………………………………………………………………………Bar owner
Max Baldry………………………………………………………………………………………………………Hooded Man
Jennifer Lopez………………………………………………………………Ornita, Dance Teacher

SPECIAL GUEST STARS:

Jeff Brigdes…………………………………………………………………………………………Angel Michael
Helen Mirren………………………………………………………………………………………………Lucy Ferris
Chris Hemsworth……………………………………………………The Real Dean Winchester
Sally Field…………………………………………………………………Lucy's Alternative Form
Reese Witherspoon…………………………………………………Lucy's Alternative Form
Lawrence Fishburne…………………………………………………………………………………………Habamum
Rowan Atkinson……………………………………………………………………………………………Joe Lennon

FADE IN:

CENA 51. INT. - ACADEMY SALSEDUCE – SALÃO - DIA:

     Lenny está parado diante de ORNITA, uma professora de dança.

LENNY: Ninguém pode saber que eu danço, hein! Se acaso um dia me ver na rua: finja que não me conheça!

     A moça ri e faz sinal de “OK”.

LENNY: É que dançar me faz bem. Me desestressa.

PASSAGEM DE TEMPO:

     Lenny e a Ornita, estão parados diante de um espelho.

ORNITA: Como você é músico deve saber que: a música normalmente tem 8 batidas em uma sequência. Em uma aula de salsa, vou contar 1, 2, 3, 5, 6, 7. Mas, mesmo assim ainda há oito batidas, por isso, o que acontecerá é que na contagem de 4 e 8, haverá uma pausa. Se estiver tendo problemas para entender onde é a pausa, você pode tentar contar em voz alta, contando o 4 e o 8 mentalmente. Entendeu? Vamos lá!

     Lenny faz que sim.

ORNITA: Imagine que onde você está é o ponto inicial, depois imagine o segundo a 30cm para a sua frente, e o terceiro é a 30cm para trás.
     Ornita dá uma demonstração. Lenny cópia de forma desengonçada e engraçada.

ORNITA: Os passos sempre começam com o pé direito, pé esquerdo, pé direito, pé esquerdo, como quando você está andando. Ok?

     Os dois fazem a coreografia. E Lenny escorrega.

LENNY: Mas, que merda!

ORNITA: Tenha calma! Uma vez que tentar isso, você vai entender o padrão e com um pouco de prática, vai parecer fácil. Ok? Já volto!

     Ornita sai. Lenny se levanta e dança de forma estranha.

FADE OUT.


CREATED BY:
L.F D'Oliveira
 

STARRING:
Dane Dehaan…………………………………………………………………………………………………Damien Gray
Aaron Taylor-Johnson……………………………………………………………………………Lenny Hide
Paul Dano………………………………………………………………………………………………………Scott Thorn
Daniel Radcliffe……………………………………………………………………………Cliff Castevet
Eddie Redmayne…………………………………………………………………………………Morgan Jeckyll
Zoe Saldana……………………………………………………………………………………………Devilin White
Michael Ealy………………………………………………………………………………………………Eric Ulrich
Alison Sudol……………………………………………………………………………………………Marie Claire
GUEST STARRING:
Matthew Lillard...........................................Stone, The Criminal Expert
Charlie Hunnam…………………………………………………………………………………Dr. Nick Evans
Kit Harington………………………………………Marie Claire'S Alternative Form
Mark Addy…………………………………………………………………………………………………Jeremy Norton
Dinusha Chandratilleke…………………………………………………………………………Bar owner
Jacob Tremblay……………………………………………………………………………Gregory Harrison
Ellie Darcey-Alden………………………………………………………………………Laila Harrison
Jenny Agutter……………………………………………………………………………………Linda Harrison
Michael Angelis……………………………………………………………………………Dorian Harrison
Annabelle Wallis…………………………………………………Anabeth, The Housekeeper
Alex Lawther……………………………………………………………………………………………………………Boy #1
Nat Wolf………………………………………………………………………………………………………………………Boy #2
Lysette Anthony……………………………………………………………………………………Helen Norton
Alfie Allen………………………………………………………………………………………………………………Barman
Adam Harvey………………………………………………………………………………………………………Noel Liam
Vanessa Madeline Angel……………………………………………………………………………………Frida
Aml Ameen………………………………………………The Man in the abandoned factory
Andrew Shim………………………………………………………………The Owner of Inferno Bar
SPECIAL GUEST STARS:
Jeff Brigdes…………………………………………………………………………………………Angel Michael
Helen Mirren………………………………………………………………………………………………Lucy Ferris
Sandra Bullock…………………………………………………………Lucy's Alternative Form
Simone Simons………………………………………Bachsoncu’s Alternative Form #1
Abi Titmuss……………………………………………Bachsoncu’s Alternative Form #2
Megan Good………………………………………………Bachsoncu’s Alternative Form #3
Amelia Shankley…………………………………Bachsoncu’s Alternative Form #4
Ana Maria Mulvoy Ten…………………………………Michael's Alternative Form
Lisa Kudrow……………………………………………………………………………………………Phoebe Buffay
Andrée Bernard……………………………………………………………Doctor Vanda Blackwell
FADE IN: 
CENA 51. INT. - ACADEMY SALSEDUCE – SALÃO - DIA: 
     Lenny está parado diante de ORNITA, uma professora de dança.
LENNY: Ninguém pode saber que eu danço, hein! Se acaso um dia me ver na rua: finja que não me conheça!
     A moça ri e faz sinal de “OK”.
LENNY: É que dançar me faz bem. Me desestressa.
PASSAGEM DE TEMPO:
     Lenny e a Ornita, estão parados diante de um espelho.
ORNITA: Como você é músico deve saber que: a música normalmente tem 8 batidas em uma sequência. Em uma aula de salsa, vou contar 1, 2, 3, 5, 6, 7. Mas, mesmo assim ainda há oito batidas, por isso, o que acontecerá é que na contagem de 4 e 8, haverá uma pausa. Se estiver tendo problemas para entender onde é a pausa, você pode tentar contar em voz alta, contando o 4 e o 8 mentalmente. Entendeu? Vamos lá!
     Lenny faz que sim.
ORNITA: Imagine que onde você está é o ponto inicial, depois imagine o segundo a 30cm para a sua frente, e o terceiro é a 30cm para trás.
     Ornita dá uma demonstração. Lenny cópia de forma desengonçada e engraçada.
ORNITA: Os passos sempre começam com o pé direito, pé esquerdo, pé direito, pé esquerdo, como quando você está andando. Ok?
     Os dois fazem a coreografia. E Lenny escorrega.
LENNY: Mas, que merda!
ORNITA: Tenha calma! Uma vez que tentar isso, você vai entender o padrão e com um pouco de prática, vai parecer fácil. Ok? Já volto!
     Ornita sai. Lenny se levanta e dança de forma estranha.
FADE OUT.
 CREDENTIAL:
* Menção a Dean Winchester, personagem da série Supernatural, homenagem ao Jensen Ackles que interpreta o personagem.
* Raiz de Tanulluh referência à raiz de tannis, raiz criada pelo escritor Ira Levin, usada por Minnie Castevet na poção que dava à Rosemary Woodhouse para beber na história do livro: O Bebê de Rosemary.
* Menção a sitcom Noviça Voadora, homenagem à Sally Field que interpretava a noviça Irmã Bertrille.
PREVIEW SOUNDTRACK:
Steve Miller Band - The Joker
Tommy James & The Shondells - Crimson and Clover
Rare Earth - Get Ready
The Turtles – Happy Together
The Beatles - Yesterday
MUSICAL PERFORMANCE:
The Animals – The House of The Rising Sun
Lynn Anderson – Rose Garden
CREATED, WRITTEN, PRODUCED & DIRECTED BY:
Luiz Fernando de Oliveira
OPENING THEME BY:
The Animals – The House of The Rising Sun
EXECUTIVE PRODUCERS:
Cristina Ravela & Bruno Olsen
SPECIAL THANKS TO:
Deise Coelho
PRODUCED BY:
8 MILIMETRES FILMS & PRODUCTIONS
SOON DISTRIBUTED BY:
House of Series & Factory Films
 WEBFLIX 2018 © All Rights Reserved – LFO
Esta é uma obra de ficção virtual sem fins lucrativos. Qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações da vida real terá sido mera coincidência.


REALIZAÇÃO


Copyright © 2018 - WebTV
www.redewtv.com
Todos os direitos reservados
Proibida a cópia ou a reprodução

FADE IN:

CENA 01. – ESTRADA – NOITE:

     A imagem abre num HOMEM sendo arrastado por uma via expressa. Ele tem os pés amarados com cordas ao para-lamas traseiro de um veículo. MICHELE MYERS está ao volante (a atriz que dá vida à personagem é Lindsay Lohan). Ela chora e ri ao mesmo tempo. O veículo faz a curva, dá um cavalo de pau e faz círculos. O corpo do homem se desprende, rola numa vala e fica contorcido de forma estranha. Michele estaciona, salta do veículo, vai até o corpo morto e o chuta seguidas vezes. LUZES GIROSCÓPICAS girando. O SOM de uma sirene aumenta é desligada. Uma viatura policial estaciona atrás de Michele.

GUARDA #1 (fora da tela): Mãos ao alto, moça!

     Michele se vira. Dois POLICIAIS apontam suas armas para ela. Os dois se abrigam atrás das portas da viatura.

MICHELE: Eu não tenho arma!

GUARDA #1: Eu disse: mãos ao alto!

     Michele obedece. O guarda #2 comporta arma ao coldre, apanha as algemas, vai até Michele e a empurra contra o capo da viatura. O guarda #1 vai até o corpo morto, olha e pega o HT para falar.

MICHELE: Aquele desgraçado abusava sexualmente da minha filha.

GUARDA #2 (algemando-a): Você tem direito de permanecer calada. Caso contrário: tudo o que você disser será usado contra você. Você tem direito a um advogado, caso não tenha, o estado lhe fornecerá um. Vamos!

MICHELE: Ai, meu braço!

     O guarda #2 a conduz à viatura.

MICHELE: Quem vai cuidar da minha filha? Ela está sozinha em casa!

     O guarda #2 a lança dentro da traseira da viatura e fecha a porta com força.

GUARDA #1: O cara tá morto! (pausa) Ela não é aquela ex-cantora de rock?

GUARDA #2: Cantora ou não. Agora ela vai cantar no xilindró!

     FECHA no rosto de Michele olhando pela grade de proteção da viatura.

FADE OUT.

END CREDITS.















INFO TRAILER

     UMA SÉRIE DE PLANOS:

     - SOBRE O FUNDO NEGRO, SINOS BRADAM. São os SINOS no alto da torre de um convento. A imagem abre na atriz MILLA JOVOVICH com hábito de freira, ajoelhada de olhos fechados e orando. >> CARTÂO de TÍTULO:

OESTE SELVAGEM, MISSOURI, 1825.

A TELA ESCURECE.

     - Serafim tirando água do poço.

     NARRADOR: Milla Jovovich é Serafim, uma mulher que dedicou anos de sua vida a Deus...
A TELA ESCURECE.

     - PATAS de uma manada de cavalos cavalgam o deserto. Uma nuvem de poeira sobe ao ar.

     NARRADOR: Numa terra sem lei, onde todo mundo resolvia as coisas à bala. O paraíso dos ladrões, que viviam saqueando a cidade.
A TELA ESCURECE.

     - Uma MADRE superiora leva um tapa de WYATT EARP (Russell Crowe). Ela cai ao chão. Ele ri e os CAMPANGAS atrás dele fazem o mesmo. Serafim corre para ajudá-la.

     WYATT: Meus homens precisam de água e comida... (olha para os rapazes) ...e diversão.

     SERAFIM: E o que faz você pensar que vai encontrar isso aqui?

     WYATT: As coisas que vocês têm por baixo do hábito.

     PLANO CHICOTE >> no rosto apreensivo de Serafim. Wyatt e gangue, gargalham.

A TELA ESCURECE.

     - As FREIRAS correm. Os capangas as perseguem. Batem-nas, rasgam suas roupas e as violentam.

A TELA ESCURECE.

     - Serafim a ponta um punhal para a TELA. Wyatt entra no cômodo e fecha a porta.

     WYATT: É melhor você guardar essa faca. Que eu tenho uma bem maior que essa!

A TELA ESCURECE.

     - Uma MÃO lança uma tocha improvisada com fogo ao ar.

A TELA ESCURECE.

     - Serafim toda machucada e com o hábito rasgado, assiste ao convento ser consumido pelas chamas. Ela aperta o punho.

     SERAFIM: Deus os cria eu os mato! Eu juro pela alma de cada irmã minha, que ele matou, hoje aqui. Vou te pegar Wyatt Earp e seu bando.

A TELA ESCURECE.
     - Serafim vaga pelas planícies deserta do Oeste. Ela não aguenta e desmaia.

A TELA ESCURECE.

     - O PONTO de VISTA da CÂMERA piscando, como o olhar de quem acorda. Surge o rosto de KATO, um senhor velho e de ascendência japonesa. (o ator e modelo Wang Deshun).

A TELA ESCURECE.

     - Kato com Serafim deitada ao seu colo, vira uma cuia de água na boca dela.

A TELA ESCURECE.

     - Kato joga areia com uma pá numa cova rasa. Eis que Serafim levanta num sobressalto da cova. Kato dá um salto para trás. Ela cospe terra e toma fôlego.

     KATO: Eu pensei que você estava morta!

A TELA ESCURECE.

     - Serafim e Kato, sentados diante a uma fogueira sob a luz do luar.

     SERAFIM: Eu sei que você já foi um grande atirador... Eu quero que me ensine a atirar.

     KATO (ri): Isso foi há muito tempo atrás.

A TELA ESCURECE.

     KATO: Fiquei sabendo que ao norte, Wyatt Earp, queimou uma escola com crianças dentro.

A TELA ESCURECE.

     KATO: Se você quer atingir o coração do seu oponente, mire na virilha.

     - Serafim lança um olhar confuso.

     KATO: É que na média, os caubóis são bem ruins de tiro. Era o que dizia meu patrão: Bat Masterson.

A TELA ESCURECE.

     - Serafim acerta uma fileira de vasos com tiros de uma escopeta. Ela sopra o cano da arma.
     KATO: Essa era a escopeta de Bat!

A TELA ESCURECE.

     - Serafim laça uma corda com cinturão, comporta uma garrafa de bebida e uma pistola no coldre. E depois traz a escopeta próximo ao peito.

A TELA ESCURECE.

     - Serafim engata a escopeta, enfia na boca de um capanga, aperta o gatilho e o disparo estouram os miolos dele ao ar.

A TELA ESCURECE.

     - Serafim salta em um cavalo e o cavalga.

     WYATT: Então, é você! A irmã do convento!

     CARTÃO de TÍTULO >>
 
 
 
DOS MESMOS PRODUTORES DE THEY, DRAKE, THE DEVIL’S BAND, PSYCHO GIRLS & HARDY DICKENS.
 
 
     - UMA SÉRIE de CORTES RÁPIDOS: Kato luta com um capanga. Serafim acende uma dinamite e lança. Explosão. Serafim descarrega as armas. Correria total. CARTÃO de TÍTULO >>
 
 
UM FILME DE L.F. D’OLIVEIRA
 
MONJA ESCOPETA:
Rogo a Deus e mando bala


Compartilhar:

Postar um comentário

 
Copyright © WebTV | Design by OddThemes