Talismã - Capítulo 22



     
 

No capítulo anterior de Talismã:

ADRIANA: - Eu não ia contar, mas não vai dar pra ficar escondendo isso de você.
MARCOS: - Não ia contar o quê?

ADRIANA: - Sua mãe esteve lá na clínica. Foi falar comigo.

MARCOS: - A minha mãe? O que ela queria?

ADRIANA: - Eu nem sei como dizer isso...

MARCOS: - Fala, Adriana. O que a minha queria com você.

ADRIANA: - Ela pediu para eu me afastar de você, Marcos.

MARCOS (surpreso): - O quê?!

ADRIANA: - Eu juro que na hora não acreditei, mas... Infelizmente a sua mãe se mostrou uma pessoa totalmente diferente daquela que eu conheci no jantar.


...

EDUARDO
: - Você não falou nada para Inês sobre a gente, não falou?
ELIZABETH
: - Nossa, Eduardo... Por que você ficou desse jeito?
E
DUARDO (firme): - Falou ou não?!
ELIZABETH: - Falei, quer dizer, comentei com ela sim.
EDUARDO (levanta-se / um tanto irritado): - E o que eu pedi pra você, Beth? Esqueceu?!
ELIZABETH: - Eu não esqueci não. E também não estou entendo porque você fica assim toda a vez que a gente fala sobre sua irmã. Tem alguma coisa que você está escondendo de mim, Eduardo?! Fala!
EDUARDO (carinhoso): - Não, meu amor, claro que não... (aproxima-se de Beth, a abraça) Eu só não quero que a gente vá rápido demais, atropele as coisas. Eu ia falar com a Inês, mas não tão cedo. Mas se você já falou com ela, não tem problema...
ELIZABETH: - Que bom, meu querido... Às vezes fico confusa com isso.
EDUARDO: - Mas não precisa mais ficar confusa. Está tudo bem agora.
Eduardo sorri. Inês o abraça, aliviada. Eduardo muda expressão, fica sério, pensativo.

...

ALMIR: - Que bom que gostou. Achei muito bonito e a moça da loja disse que ele já era o alvo de muita gente. Então eu tratei logo de comprar e dar pra você.

CARLA: - Eu não posso aceitar, Almir. Não ta certo isso.

ALMIR: - Não ta certo, por quê?

CARLA: - Porque a gente não é nada um do outro!...

ALMIR: - Mas Carla, rola tanta coisa entre a gente, que eu pensei que/

CARLA: - Pensou errado, Almir. É só sexo e pronto. Nem dá pra ter outra coisa além... Eu tenho namorado.

ALMIR: - E ele sabe que você faz programa?

CARLA: - Não. Mas vai saber. E eu não posso falar pra ele com anel de outro homem no dedo...

Carla entrega a caixinha para Almir. Almir retira o anel da caixa, pega a mão de Carla e coloca o anel no dedo dela. MUSIC ON: Amor, meu Grande Amor - Frejat

ALMIR: - Se você não aceitar, quem não vai ficar certo é o meu coração... Não tenho culpa por ter me apaixonado por você, Carla. Por favor... (segura a mão de Carla) Acho que, pelo visto, essa seja a última vez que a gente se vê. Quero te tenha uma lembrança. Só isso.

Carla olha profundamente para Almir.


...

MARILU: - Que belo dia, não, Lívia?

LÍVIA; - O que você quer, sua cobra?

MARILU: - Calma!... Não precisa ficar nervosa não...

LÍVIA: - Fala logo o que você quer e me deixa em paz, Marilu... Eu juro que eu não sei o que você fez pra entrar aqui, mas saiba que não vai durar muito tempo.

MARILU; - Aí é que você se engana. Eu e você nos veremos por muito tempo aqui dentro. E tem mais. Eu sempre subindo e você, indo cada vez mais para o chão... Você e o seu bastardinho, filho da/

LÍVIA (pega Marilu pelo braço): - Lave bem essa boca suja pra falar do meu filho, sua ordinária!

Nesse instante, Rafael se aproxima.

RAFAEL: - O que está acontecendo aqui?

Rafael encara Marilu e Lívia.

 

...

ALEXANDRE: - Quanto tempo, não, Carla?

Carla olha incrédula para Alexandre.

ALEXANDRE: - Sentiu saudades de mim?

CARLA: – Alexandre? O que você está fazendo aqui, seu cachorro?!

ALEXANDRE: - Eu quero saber da Lívia.

O sinal abre. Carla vai atravessar, mas Alexandre a segura firme pelo braço.

ALEXANDRE; - Vai aonde, Carla? Fugir?

CARLA: - Me solta, senão eu grito!

ALEXANDRE (firme): - Cala a boca! Você vai me falar onde a Lívia está ou não, sua vadia?!

 
     
     
     
     

CAPÍTULO 22
 
     
 
 
 

CENA 01. PENSÃO BEM QUERER. EXT. DIA.

 

Continuação do capítulo anterior. Alexandre pressiona Carla sobre Lívia.

 

ALEXANDRE (segurando Carla): - Então, Carla, vai falar ou não?


CARLA
: - Me solta, seu monstro!

 

Carla empurra Alexandre, conseguindo se desvencilhar dele e atravessa rua. O sinal para os carros está aberto, mas Carla passa mesmo assim. Os carros quase a atingem, mas ela consegue desviar e segue, apressada. Alexandre fica a observá-la na calçada, com um sorriso sacana.

 

CENA 02. EMPRESA AMARO. INT. DIA.

 

Rafael flagra Marilu e Lívia.

 

RAFAEL: - Está acontecendo alguma coisa aqui?

LÍVIA (solta o braço de Marilu): - Não, Rafael... Nada não. Com licença. (saindo)

 

Marilu faz-se de boazinha.

 

RAFAEL: - Tem certeza que não houve nada, Maria Luísa? Tive a impressão de que vocês estavam discutindo.


MARILU
: - Não, doutor Rafael, impressão sua mesmo. A dona Lívia é uma adorável pessoa.


RAFAEL
: - Bom,se não houve nada, vamos trabalhar. Bom dia pra você.


MARILU
: - Bom dia para o senhor também.

 

Rafael sai. Marilu muda expressão.

 

MARILU: - Vai, vai, idiota...

 

CENA 03. EMPRESA AMARO. SALA LÍVIA. INT. DIA.

 

Lívia ENTRA, fecha a porta atrás de si, respira fundo.

 

LÍVIA: - Essa mulher me tira do sério...

 

De repente, seu celular toca. Lívia atende.

 

LÍVIA (ao telefone): - Alô? (T) Oi Carla!... (T) O que foi? Tá nervosa? Aconteceu alguma coisa? (T) (incrédula/aflita) O Alexandre?! Aqui em São Paulo?! (T) Não Carla, não pode! (T) Meu Deus, isso não!... (T) amiga, a gente se fala mais tarde... (T) isso, nos encontramos lá. (T) Se cuida, Carla! Esse homem é capaz de tudo! (desliga o telefone)

 

Lívia se mostra nervosa.

 

CENA 04. EMPRESA AMARO. INT. DIA.

 

Tatiana organiza alguns documentos, e nem percebe que Paulo está por perto.

 

TATIANA: - Esses aqui são os papéis que o doutor Rafael assinou. Valores, cláusulas, tudo ok. Isso é importante pra Lorena ver também. (deixa os papéis na bancada) E agora, eu preciso achar aquela pasta... (se afasta)

 

Paulo aproveita e pega os documentos que Tatiana deixou na bancada e coloca dentro da bolsa dela. No lugar, ele coloca outros papéis e sai. Tatiana nem percebe nada.

 

CENA 05. APTO ONITA. SALA. INT. DIA.

 

Marcos chega em casa, sério. Onira na sala.

 

ONIRA: - Já em casa, meu filho?


MARCOS
: - Eu precisei sair um pouco, mas eu vou voltar para o serviço. Antes eu preciso resolver uma coisa com a senhora, mãe.


ONIRA
: - Comigo?


MARCOS
; - Que história é essa da senhora ir lá na clínica e pedir para a Adriana se afastar de mim?

 

Marcos encara Onira.

 

ONIRA: - Ela fez fofoca pra você...


MARCOS
: - Mas de onde você tirou esse absurdo de que ela deve se afastar de mim?


ONIRA
: - Meu filho, eu sou mãe. Eu sei que esse casinho de vocês vai te atrapalhar futuramente.


MARCOS
: - Atrapalhar como mãe? Onde?! Eu amo a Adriana! A gente está namorando sério e se Deus quiser, vamos casar, ter filhos, uma família feliz!


ONIRA
: - Pode parar! (firme) Se Deus quiser isso nunca vai acontecer!


MARCOS
: - Vamos lá. Me fala, por que você não quer que a Adriana fique comigo. Por que?!

 

Onira se cala.

 

MARCOS: - Fala, mãe!


ONIRA
: - Porque ela não vai te fazer feliz, Marcos. Instinto de mãe.


MARCOS
: - Pois saiba que seu instinto está muito falho. Você não está sabendo o que é melhor pra mim. E eu sei que não é só isso. Tem mais coisa guardada aí que você não está tendo a coragem de me falar.


ONIRA
: - Mais respeito quando falar com a sua mãe!


MARCOS
: - Então dê-se o respeito e me respeite também, dona Onira. O que você fez com a Adriana, não se faz com ninguém.


ONIRA
: - Tá vendo? Desde que essa mulherzinha entrou na sua vida, a gente só briga, discute, mal se fala...


MARCOS
: - Você também contribui e muito pra que isso aconteça, com atitudes como essa...

 

Os dois ficam a se olhar.

 

MARCOS: - Vou voltar pra agência. (saindo)


ONIRA
: - Marcos! Marcos!

 

Marcos sai sem dar ouvidos.

 

ONIRA (grita, com raiva): - Negrinha desgraçada! Fuleira!

 

Onira para, sente um pequeno mal estar, senta-se no sofá, com a mão no peito.

 

ONIRA: - Ela vai ter o que merece.

 

CENA 06. EMPRESA AMARO. SALA RAFAEL. DIA.

 

Rafael e Lorena procuram documentos em algumas pastas.

 

RAFAEL: - Não achei em lugar algum os documentos do novo contrato.


LORENA
: - Eu também, procurei em minha sala e nada... Devem estar com a Tatiana. Vamos até lá.

 

Lorena e Rafael saem.

 

CENA 07. EMPRESA AMARO. RECEPÇÃO DIRETORIA. INT. DIA.

 

Tatiana em sua mesa, quando Marilu se aproxima.

 

MARILU: - Oi, Tatiana!


TATIANA
: - Oi Maria Luísa! E então, como está indo aqui na empresa? Não tem mistério né?


MARILU
: - Não, estou me adaptando bem.

 

Rafael e Lorena chegam.

 

LORENA: - Tatiana, os documentos do novo contrato estão aí com você?


TATIANA
: - Estão sim, Lorena. Organizei tudo na pasta para que você e o doutor Rafael pudessem olhar, direitinho.

 

Paulo chega no local, ao mesmo tempo em que Lívia vai se aproximando, mas ao ver que Marilu está ali, Lívia recua um pouco, sem ser vista.

 

LORENA: - Então me alcance a parta, por favor.

 

Marilu e Paulo se olham. Tatiana pega a pasta e entrega para Lorena.

 

LORENA: - Está tudo aqui, Rafael.

 

Rafael abre a pasta e se mostra surpreso.

 

RAFAEL: - Isso é um tipo de brincadeira?


LORENA
: - Como assim, Rafael? Tem alguma coisa errada no contrato?


RAFAEL
: - Simplesmente não há contratos aqui, Lorena. Eu tenho em mãos cópias de balancetes antigos da empresa e reportagens sobre a morte do meu pai.


TATIANA (surpresa)
: - Não! Não é isso que tem aí! Eu guardei na pasta os documentos conforme a Lorena pediu!


PAULO
: - Sempre com a cabeça na lua, não é, Tatiana?

 

Tatiana se mostra aflita.

 

RAFAEL: - Não sei o que aconteceu, se foi engano ou não. O que eu não admito é que documentos importantes evaporem daqui.


TATIANA
: - Doutor Rafael, eu juro que coloquei tudo aí! Eu separei página por página do contrato, tudo!


LORENA
: - Esse contrato é muito importante pra gente, Tatiana!... Não pode cair em mão erradas!


TATIANA
: - Eu sei, Lorena! Eu fiz tudo certo!


PAULO
: - Se tivesse feito certo, não teria causado essa confusão toda!


TATIANA (nervosa)
: - Eu vou procurar.


MARILU
: - Eu te ajudo.

 

Lívia decide se aproximar.

 

LÍVIA: - O que acontece por aqui?


PAULO
: - Tatiana que estava com a cabeça na lua e perdeu o contrato da Amaro.


RAFAEL
: - Documento importante...

 

Tatiana e Marilu procuram o contrato. Marilu, propositalmente, derruba a bolsa de Tatiana, que ao cair, revela os documentos. Paulo junta os papéis, finge surpresa.

 

PAULO: - Vejam só! Os documentos do contrato! Na bolsa da Tatiana!


TATIANA
: - Na minha bolsa?!


MARILU
: - Sim, Tatiana. Caíram da sua bolsa esses papéis.


LORENA
: - Tatiana, como você explica isso?


TATIANA
: - Eu não sei! Gente, eu não sei o que está acontecendo aqui!


LÍVIA
: - Calma, Tatiana! Tem que haver uma explicação pra tudo isso.


PAULO
: - Eu só vejo uma explicação para isso. Está na cara que ela ia vender as informações para outra empresa. Roubando documentos importantíssimos... Rafael, eu no seu lugar, agiria de uma forma firme, pois isso é inadmissível.


TATIANA (aflita):
- Gente, eu juro! Eu não roubei nada!


RAFAEL
: - Tatiana, pode pegar suas coisas e passar no departamento pessoal. Você está demitida.

 

Tatiana chora. Paulo e Marilu trocam olhares. Rafael pega os papeis da mão de Paulo e sai. Lívia vai atrás dele, junto com Paulo.

 

TATIANA (chorando): - Lorena, eu juro que não fui eu...


LORENA
: - Desculpa, Tati, mas as provas estavam todas nas suas coisas... Me dói dizer isso, mas eu estou muito decepcionada...

 

Lorena se afasta. Marilu finge pena por Tatiana, mas logo se afasta, mostrando satisfação. Tatiana chora.

                    

CENA 08. EMPRESA AMARO. SALA PRESIDÊNCIA. INT. DIA.

 

Rafael entra na sala, um tanto irritado. Jorge já está no local.

 

JORGE: - O que foi, Rafael?

 

Lívia entra na sala, seguida por Paulo.

 

LÍVIA: - Rafael, só pode ter acontecido algum engano!


RAFAEL
: - Não há como uma pessoa se enganar dessa forma, Lívia.


LÍVIA
: - Mas demitir a Tatiana, não é demais?


PAULO
: - Não vejo a decisão exagerada, Lívia. Ela estava roubando a empresa, escondendo documentos importantes.


JORGE
: - A Tatiana?


RAFAEL
: - Estava escondendo dentro da bolsa, os papéis do novo contrato da Amaro. Contrato este que nos renderá milhões.


LÍVIA
: - Eu não acredito numa coisa dessas. A Tatiana seria incapaz de fazer isso.


PAULO
: - Coitada, se deslumbrou com o valor do contrato, achou que poderia levar alguma coisa... Eu estou com você, Rafael. É preciso cortar o mal pela raiz. Tenho plena certeza que seu pai faria a mesma coisa.


LÍVIA
: - Eu já tenho minhas dúvidas...

 

Lívia sai. Paulo disfarça, escondendo a satisfação.

                

CENA 09. REVISTA FLASH PAULISTA. REDAÇÃO. INT. DIA.

 

No meio da agitação da redação, Conrado chama atenção de todos.

 

CONRADO: - Gente, por favor, só um minuto da atenção de vocês.

 

Os funcionários ficam atentos a ele.

 

CONRADO: - Não é novidade pra ninguém que a Isabela deixou a revista. Foi alçar novos rumos na vida dela e eu desejo do fundo do meu coração que ela consiga. Sendo assim, o posto dela está vago. Ou melhor, estava, porque eu quero anunciar aqui a nova editora da Flash Paulista, Beatriz.

 

Beatriz se mostra surpresa, enquanto recebe os aplausos dos colegas.

 

BEATRIZ: - Como assim, Conrado? Você nem me disse nada!


CONRADO
: - Como não? Acabei de falar seu nome agora. Sei que você é experiente e pode dar conta do recado. Aceita?


BEATRIZ
: - Aceito, claro!

 

Conrado cumprimenta Beatriz e sai. Beatriz fica contente pela promoção.

 

CENA 10. EMPRESA AMARO. INT. DIA.

 

Lívia consola Tatiana.

 

TATIANA: - Eu não fiz nada, Lívia! Eu juro!


LÍVIA
: - Eu sei, Tati... Confio em você.


TATIANA
: - Eu não sei como aqueles papéis foram parar na minha bolsa. Eu nunca mexi em nada aqui.


LÍVIA
: - Calma, Tati. Cedo ou tarde, as coisas vão se resolver e a verdade vai vir à tona.


TATIANA
: - Obrigada pelo apoio, Lívia.


LÍVIA
: - Conta comigo para o que precisar, ta bom?

 

As duas se abraçam.

 

CENA 11. REVISTA FLASH PAULISTA. REDAÇÃO. INT. DIA.

 

Beatriz está radiante com a promoção.

 

BEATRIZ: - Agora editora... O Rafa precisa saber disso! E a gente vai ter que comemorar!

 

Beatriz pega o telefone para ligar para Rafael.

 

CENA 12. EMPRESA AMARO. INT. DIA.

         

Rafael, conversando com Paulo, Lorena, Jorge e Vitória.

 

VITÓRIA: - Não sabia de tudo isso!... Estava tão envolvida com a nova coleção de jóias, quem nem desconfiei de nada. A Tatiana, roubando documentos?


LORENA
: - Não temos provas disso/


PAULO
: - Como não, Lorena! Os papéis caíram da bolsa dela.


VITÓRIA
: - Gente, que chato isso...


PAULO
: - O fato é que o cargo agora está vago. A empresa precisa de alguém para coordenar as agendas, os arquivos, documentos. E que, de preferência, não nos roube como a Tatiana fez.


LORENA
: - Paulo, por favor.


JORGE
: - E quem poderá ocupar esse cargo?

 

Nesse instante, o telefone de Rafael toca.

 

RAFAEL: - Desculpa gente, vou atender, é rápido.


LORENA
: - Fique a vontade, Rafael.

 

Rafael se afasta um pouco.

 

PAULO: - Eu indico a Maria Luísa para o lugar da Tatiana.


VITÓRIA
: - A Maria Luísa? Mas ela entrou a pouco tempo na empresa. Esse cargo exige um pouco mais de experiência, conhecimento...


PAULO
: - Espero que isso que você está dizendo não seja pelo fato dela ter tido um caso com o seu pai, Vitória. Desavenças pessoais não devem ser levadas em consideração agora.


VITÓRIA
: - Não, não é nada disso, Paulo.


LORENA
: - Mas eu concordo com a Vitória. A Maria Luísa não tem experiência.


PAULO
: - Não seja por isso. Você mesma, Lorena, pode ensinar tudo o que ela precisa saber.

 

Enquanto isso, Rafael ao telefone com Beatriz.

 

RAFAEL (ao telefone): - Que bom, meu amor! Fico feliz por você ter conseguido sua promoção. (T) Comemorar? (T) Claro, ótima opção. Você sabe que eu gosto muito do Europa-Brasil... (T) Tudo bem, te encontro lá à noite. (T) É, não vai ter como irmos juntos... Aconteceu uma coisa muito chata aqui na empresa e agora nós estamos reunidos para resolver, então... (T) Claro, eu irei sim, Beatriz. Não se preocupe. Agora eu preciso ir. (T) também te amo. Beijo. (desliga o telefone)

 

Rafael se aproxima do grupo.

 

LORENA: - Rafael, o Paulo sugeriu a Maria Luísa para o lugar da Tatiana.


RAFAEL
: - Maria Luísa... É, pode ser uma opção.


PAULO
: - Eu já vejo como afirmação. Gente, não tem porque abrir seleção de emprego, se já temos alguém aqui dentro da empresa. Embora tenha pouco tempo de serviço, eu creio que a Maria Luísa consiga dar conta do recado. E como eu disse antes, você, Lorena, pode auxiliá-la.


RAFAEL
: - Pensando por esse lado, Paulo, você tem razão.


JORGE
: - Valorização dos profissionais da empresa.


VITÓRIA
: - Vamos dar uma oportunidade para ela então.


RAFAEL
: - Lorena, por favor, chame a Maria Luísa. Vamos nomeá-la nova secretária da Amaro.

 

Lorena sai. Paulo tenta conter sua satisfação.

 

JORGE: - Fico surpreso em vê-lo defender a Maria Luísa, Paulo.


PAULO
: - Nada demais, Jorge. Estou apenas pensando no melhor para a empresa.


JORGE
: - Eu admiro muito o seu interesse pelo bem da empresa. É realmente exemplar.


PAULO
: - Todos aqui deveríamos pensar no melhor para a Amaro e não para si próprio. Pena que a Tatiana não pensou assim. Queria se dar bem às custas da empresa e acabou se dando mal.


RAFAEL
: - Realmente eu fiquei surpreso com a atitude dela.


PAULO
: - Todos ficamos, Rafael, mas confesso que ela nunca me enganou. Sempre fiquei com uma pulga atrás da orelha.

 

Lorena chega na sala com Marilu.

 

MARILU: - Mandou me chamar, doutor Rafael?


RAFAEL
: - Mandei sim, Maria Luísa. Nós aqui da direção, diante do triste episódio que ocorreu hoje, decidimos por nomear você como a nova secretária da empresa.


MARILU
: - Doutor Rafael! Eu nem sei o que dizer!


RAFAEL
: - Estamos confiando em você.


MARILU
: - Pode ter certeza que eu não irei decepcioná-los.

 

Marilu e Paulo trocam olhares.

 

CENA 13. BAR. INT. DIA.

 

Carla espera Lívia num bar. Está nervosa, ansiosa. Lívia chega no local.

 

LÍVIA: - Ai amiga, desculpa a demora.

 

CARLA: - Não tem problema... Lívia, ele está aqui em São Paulo!


LÍVIA
: - Mas como isso, Carla?!


CARLA
: - Não sei! Eu tomei um susto quando ele me abordou na rua/


LÍVIA
: - Ele te fez alguma coisa? Ele machucou você?


CARLA
: - Ele bem que tentou, com aquele jeito estúpido dele, mas eu consegui escapar... Ai amiga, agora você precisa tomar cuidado!


LÍVIA
: - Eu sei... E você também! Será que ele estava próximo da pensão? Tenho medo que possa fazer algo ruim para vocês todos lá...


CARLA
: - Acho que ele não sabe onde fica a pensão. Mesmo assim vou me certificar com o seu Oscar e a dona Alaíde, se não perceberam ninguém rondando por lá.


LÍVIA
: - Faz isso sim, Carla... E se você puder, dá uma ajuda pra Tati também.


CARLA
: - Por quê?


LÍVIA
: - Ela foi demitida da empresa, acusada de roubar uns documentos importantes.


CARLA
: - A Tati?! Mas a Tati nunca faria isso!


LÍVIA
: - Eu sei, mas acharam os documentos na bolsa dela, foi tudo muito estranho. Coitada, ela ta arrasada.


CARLA
: – Que horror... Mas pode deixar que falo com ela sim.


LÍVIA
: - Eu preciso voltar pra empresa. Carla, te cuida! Qualquer coisa, você me liga, amiga!


CARLA
: - Você também, toma cuidado. Com o Alexandre por aqui, temos que ficar com os olhos bem abertos.

 

CENA 14. EMPRESA AMARO. INT. DIA.

 

Lorena conversa com Marilu.

 

LORENA: - Então, Maria Luísa, é isso que eu te expliquei. Qualquer dúvida, pode me chamar que eu te ajudo.


MARILU
: - Muito obrigada, Lorena. Pode deixar que eu vou me empenhar ao máximo pra fazer um ótimo trabalho aqui... Vocês não sabem o quanto eu vou valorizar essa oportunidade que vocês estão me dando.


LORENA
: - Que bom ver que você está feliz, se mostrando esforçada, mesmo com pouco tempo... Outras pessoas no seu lugar, iriam se deslumbrar num piscar de olhos. Aqui, só tem gente influente.


MARILU
: - Eu sei, dona Lorena.


LORENA
; - Pode me chamar apenas de Lorena.


MARILU
: - Desculpe... Lorena, posso te falar uma coisa?


LORENA
: - Claro, pode.

 

Marilu se aproxima, segura na mão de Lorena.

 

MARILU: - Eu sinto, aqui no fundo do meu coração, que eu e você seremos muito mais do que chefe e funcionária.


LORENA
: - É mesmo?


MARILU
: - Sim... Nós vamos ser amigas.

 

Marilu “seduz”, “encanta” Lorena com o olhar. MUSIC ON: Bella Ciao – Alok Bashkar, Jetlag Music e André Sarate

 

CENA 15. TRANSIÇÃO DO TEMPO. ANOITECER

 

MUSIC CONTINUE. Imagens de São Paulo ao anoitecer. Mostra os prédios iluminados, o fluxo dos carros nas ruas.

 

CENA 16. PENSÃO BEM QUERER. INT.NOITE.

 

MUSIC OFF. Tatiana chorando, é consolada por Plínio, Alaíde e Oscar.

 

PLÍNIO: - Calma, minha loirinha... Logo logo você arruma outro emprego.


TATIANA
: - Mas isso eu não me importo, Plínio. O que me dói é ser mandada embora como uma ladra, acusada de uma coisa que eu não fiz.


ALAÍDE
: - Isso é verdade... A injustiça corrói a alma da gente.


OSCAR
: - Mas ninguém ficou do seu lado? Nem a Lívia?


TATIANA
: - Não, seu Oscar, muito pelo contrário. A Lívia foi a única que me apoiou. Nem a Lorena, que eu tinha como amiga se mostrou contra a demissão... A Lívia me deu todo o apoio, foi uma querida. Mas ela não manda sozinha...

 

Nesse instante, Jonas vai passando pela sala.

 

ALAÍDE: - Vai sair, meu filho?


JONAS
: - Vou pra casa da Lívia, mãe. O táxi está me esperando ali fora.


ALAÍDE
: - Não volta tarde não. E manda um beijo pra Lívia e pro Pedrinho.


JONAS
: - Tá bom... E Tati, não desiste. Ergue a cabeça e bola pra frente.


TATIANA
: - Valeu Jonas. Obrigada.

 

Jonas sai.

 

CENA 17. PENSÃO BEM QUERER. EXT. NOITE.

 

Jonas sai da pensão, falando ao telefone.

 

JONAS (ao telefone): - Oi Lívia, meu amor. Tá na empresa ainda? (T) Tudo bem, eu vou pra sua casa e te espero lá. (T) Tá certo, beijo. Amo você.(desliga o telefone)

 

Jonas entra no táxi. Nem percebe, mas do outro lado da rua, ele é observado por Alexandre.

 

ALEXANDRE (imitando Jonas): - “Lívia, meu amor”... Então é esse moleque que está rondando a minha mina de ouro?... Melhor ainda, é ele quem vai me levar até ela.

 

CENA 18. RESTAURANTE EUROPA-BRASIL. INT. NOITE.

              

Restaurante Europa-Brasil com bom movimento. Numa das mesas, mais centrais, Beatriz aguarda por Rafael, ansiosa.

 

CENA 19. EMPRESA AMARO. SALA LÍVIA. INT. NOITE.

 

Lívia está nervosa em sua sala. Não consegue trabalhar direito no seu projeto.

 

LÍVIA: - O Alexandre, aqui? Por quê, meu Deus?!

 

De repente, alguém bate à porta.

 

LÍVIA: - Pode entrar.


RAFAEL
(entrando): - Com licença.


LÍVIA
: - Oi Rafael...


RAFAEL
: - Eu já estava indo embora, mas resolvi dar uma passada por aqui, saber como andam as coisas com o seu projeto. O material que eu recebi no meu e-mail me deixou bem interessado.


LÍVIA:
- A rosa que mandou pra mim. Ela me mostrou como se faz para que eu mesma faça da próxima vez. Mas, pra falar a verdade, eu estou mais perdida do que cego em tiroteio...


RAFAEL
: - Imagino como você deva estar se sentindo. Um peixe fora d’água. Comum pra quem nunca esteve num ambiente coorporativo.


LÍVIA
: - Mas com muito trabalho eu acredito que vai dar tudo certo. A nova ação de responsabilidade social da Amaro vai ser um sucesso.


RAFAEL
: - Vai ser sim. Mas, desculpe a minha colocação. Estou achando você um pouco nervosa, aflita. Está com algum problema?


LÍVIA
: - Eu?!


RAFAEL
: - Sim...


LÍVIA
(disfarça): - Imagina, impressão sua... Na verdade, estou quebrando a cabeça para montar essas tabelas aqui que a Rosa me falou, mas eu não tô achando nada!


RAFAEL
(se aproxima): - tabelas? Quer que eu te ajude?


LÍVIA
: – Não precisa, Rafael. Você já está indo embora e/


RAFAEL
: - Imagina, é só uma ajuda. Então, onde você está com dificuldade.


LÍVIA
: - Em tudo! (risos)


RAFAEL
: - Nem esquenta, porque quando eu comecei aqui também não sabia mexer em nada... (em frente ao computador) Esse programa aqui, funciona assim... você mexe aqui...

 

Rafael auxilia Lívia a mexer no programa do computador.

 

CENA 20. MANSÃO TARCÍSIO. SALA DE ESTAR. INT. NOITE.

 

Agda e Eduardo na sala de estar, conversam.

 

AGDA: - Confesso que estou surpresa com a forma como você conseguiu mexer com a Beth.


EDUARDO
: - Isso se chama amor, dona Agda.


AGDA
: - Pode deixar o dona de lado. Me deixa mais velha.


EDUARDO
: - Como quiser... Os filhos da Beth não moram aqui também?


AGDA
: - Apenas a Vitória. Rafael tem seu próprio apartamento. Ele, aliás, sempre foi muito independente. Puxou a mim. Já a Vitória, a princesinha da família, sempre teve todos os mimos. Por isso ainda não saiu da barra da saia da mãe.


EDUARDO
: - E eles vêm para esse jantar que a Beth mandou preparar pra hoje? Vejo muitos pratos na mesa...


AGDA
: - Creio que sim. Ela não me disse nada a respeito.

 

Elizabeth chega na sala.

 

ELIZABETH: - A Nice fez um cardápio dos deuses! Me deu água na boca só de olhar.


EDUARDO
: - Que beleza, meu amor! Eu estava agora mesmo perguntando para a Agda se seus filhos vêm jantar conosco.


ELIZABETH
: - Vitória saiu com Fabrício e Rafael vai para a casa da Beatriz. Os convidados hoje serão outros.


AGDA
: - Outros quem?

 

A campainha toca.

 

ELIZABETH: - Chegaram! Você já vai saber, mamãe.

 

Nice entra na sala.

 

ELIZABETH: - Pode deixar, Nice. Eu mesma atendo a porta. Pode cuidar apenas do jantar.


NICE
: - Como quiser, dona Beth. Com licença. (saindo)

 

Elizabeth abre a porta. É Inês e Alfredo que chegam. Se cumprimentam.

 

INÊS: - Fiquei curiosa pra saber da surpresa que você tinha para nos mostrar hoje, nesse jantar especial.


ELIZABETH
: - O jantar é especial mesmo. E a surpresa, mais ainda. Venham!

 

Elizabeth leva Inês e Alfredo para sala, que se surpreendem ao ver Eduardo.

 

ELIZABETH: - Inês, acho que você conhece esse rapaz...


EDUARDO (simpático):
- Como vai Inês?

 

Inês e Alfredo incrédulos. Beth se mostra feliz por promover o encontro entre os irmãos.

 

CENA 21. BAR. INT. NOITE.

 

Kléber toca num bar. O local está bem movimentado. Na porta, chega Louise, toda produzida. Logo, fita Kléber no palco.

 

LOUISE: - Tá lá o meu Orfeu...

 

De repente, do lado de Louise, chega Gisa.

 

GISA: - Achei meu anjo negro.

 

As duas se olham.

 

LOUISE / GISA: - Xiii...


LOUISE
: - Você ta de olho no músico lá no palco?


GISA
: - Sim. A gente ta se curtindo.


LOUISE
: - Como é que é? Você e ele?


GISA
: - É, isso mesmo. Eu e ele.


LOUISE
: - Mas eu pensando que ele tinha um gosto mais refinado...


GISA
: - Por um acaso, a senhora ta me chamando de careta, antiquada, é isso?


LOUISE
: - Primeiro lugar, chamei sim. E em segundo lugar, senhora é a sua/


GISA
: - Opa! O que foi, hein, girafona? Quer encarar é?


LOUISE
: - Não, minha filha, não vou entrar no tapa com você porque eu sou uma mulher fina... Mas só quero que você saiba que o músico lá, eu vi primeiro, ok?


GISA
: - Tá louca né? Se enxerga! Eu vi ele primeiro.


LOUISE
: - Tá afim de disputar então pra ver quem leva o bofe?


GISA
: - Estou. Vamos ver quem sai melhor nessa disputa.

 

As duas se encaram por um tempo, depois, olham para o palco e suspiram por Kléber.

 

CENA 22. RESTAURANTE EUROPA-BRASIL. INT. NOITE.

      

Beatriz continua sozinha na mesa, mas um pouco entristecida. Elas olha no relógio e percebe que é tarde. Respira fundo, levanta-se da mesa, chateada, e vai embora.

 

CENA 23. EMPRESA AMARO. SALA LÍVIA. INT. NOITE.

 

Rafael termina de ajudar Lívia.

 

RAFAEL: - Pronto. Viu?


LÍVIA
: - Agora ficou tudo muito mais fácil... obrigada, Rafael.


RAFAEL
: - Que isso, não precisa agradecer... Sabe que, aos poucos, eu estou vendo que você não é exatamente como eu pensava ser.


LÍVIA
: - Como assim?


RAFAEL
: - Imaginava que você fosse como essas mulheres interesseiras que rondam os empresários bem sucedidos.


LÍVIA
: - Olha só, Rafael, eu nunca, em nenhum momento, me envolvi com seu pai por causa do dinheiro dele. O Tarcísio foi um homem importante na minha vida, mas não por isso. E sim, pelo caráter, pelo carinho que ele teve comigo.


RAFAEL
: - E você, realmente, deveria ser muito importante pra ele.

 

Os dois ficam em silêncio. Lívia, baixa a cabeça, um tanto entristecida.

 

RAFAEL: - O que foi?


LÍVIA
: - Sei lá... eu deveria estar feliz agora, mas de repente, me veio um pensamento ruim... Isso está me perturbando desde cedo. Eu não consigo ficar em paz.


RAFAEL
: - Eu percebi. E você negou.


LÍVIA
: - Não quero te aborrecer com os meus problemas.


RAFAEL
: - No que eu puder te ajudar, conta comigo. (se aproxima de Lívia) Quero ser seu amigo aqui na empresa e fora dela também.

 

Rafael segura a mão de Lívia. De repente, a pedra do colar brilha, chamando atenção de Rafael. Encerra com Pra Rua me Levar – Ana Carolina.
 
     
     


autor
Édy Dutra

elenco
Christine Fernandes como Lívia
Taís Araújo como Marilu
Zé Carlos Machado como Tarcísio
Fábio Assunção como Rafael
Bruno Ferrari como Jonas
Marcos Caruso como Paulo
Renata Domingues como Carla
Júlio Rocha como Breno
Bianca Castanho como Beatriz
Júlia Feldens como Vitória
André Bankoff como Fabrício
Danton Mello como Marcos
Lavínia Vlasak como Isabela
Caco Ciocler como Conrado
Janaína Lince como Sarah
César Mello como Alfredo
Aída Leiner como Inês
Luíza Curvo como Tatiana
Jonathan Haagensen como Plínio
Marco Ricca como Fausto
Sílvia Pfeifer como Lorena
Thaís Vaz como Mayra
Gisele Policarpo como Gisa
Guilherme Leme como Almir
Mônica Martelli como Louise
Sérgio Menezes como Kléber
Cyria Coentro como Nice
Ernesto Piccolo como Moisés
Natália Guimarães como Rita

Atrizes convidadas
Sônia Braga como Elizabeth
Regina Duarte como Rosa
Valquíria Ribeiro como Adriana
Ângela Leal como Agda
Mila Moreira como Charlote
Denise Del Vecchio como Onira
Beatriz Segall como Wanda
Arlete Salles como Alaíde

Atores convidados
Gracindo Júnior como Demétrio
Rodrigo Santoro como Henri
Juan Alba como Alexandre
Nill Marcondes como Eduardo
Roberto Bonfim como Roberto
Floriano Peixoto como Jorge

Participações especiais
Dudu Azevedo como Romão
Elisa Lucinda como Cidália
Antonio Pitanga como Tenório
Vanessa Lóes como Clair
Alexandre Slaviero como Hugo
Lui Mendes como Pereira
Mônica Martelli como Louise
Dudu Azevedo como Romão

Trilha Sonora
Pra Rua Me Levar – Ana Carolina (abertura)
Bella Ciao – Alok Bashkar, Jetlag Music e André Sarate

Produção

Bruno Olsen
Cristina Ravela
Diogo de Castro


Esta é uma obra de ficção virtual sem fins lucrativos. Qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações da vida real terá sido mera coincidência.


REALIZAÇÃO


Copyright
© 2018 - WebTV
www.redewtv.com
Todos os direitos reservados
Proibida a cópia ou a reprodução

.aaa.
.aaa.

Compartilhar:

Postar um comentário

 
Copyright © WebTV | Design by OddThemes